Você está na página 1de 10
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ. CURSO: MEDIO INTEGRADO EM ELETROTÉCNICA TURMA: 202

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO PIAUÍ. CURSO: MEDIO INTEGRADO EM ELETROTÉCNICA

TURMA: 202

TURNO MANHÃ

DISCIPLINA: INSTALAÇÕES ELETRICAS RESIDENCIAIS PROFESSOR: ZACARIAS ALUNO: FERNANDO ANDRADE BRAGA. Nº 12

DIVISÃO DE CIRCUITOS ELÉTRICOS RESIDENCIAIS

TERESINA 2012.

Fernando Andrade Braga

Divisão de circuitos elétricos residenciais

Trabalho apresentado para avaliação do rendimento escolar na disciplina de Instalações Elétricas Residenciais, do curso de Eletrotécnica, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí, ministrada pelo professor Zacarias Linhares Jr.

INSTITUTO FEDERAL DO PIAUÍ IFPI. Teresina 2012

Fernando Andrade Braga

Divisão de circuitos elétricos residenciais

Objetivo: Desvelar o motivo pelo qual deve ser feita a divisão de circuitos elétricos em uma residência e os procedimentos para execução.

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí IFPI Curso de Eletrotécnica

Data de aprovação:

__

de

____________

de 20 __

Prof. Zacarias Linhares Jr: _____________________________________ Mestre em Educação, IFPI

Resumo

Chama-se de circuito o conjunto de pontos de consumo, alimentados pelos mesmos condutores e ligados ao mesmo dispositivo de proteção (chave ou disjuntor). Toda a instalação deve ser dividida em vários circuitos, onde deverá facilitar as verificações, os ensaios e a manutenção e evitar os perigos que possam resultar

da falha de um único circuito, como, por exemplo, no caso da iluminação. Os

circuitos de iluminação devem ser separados dos circuitos de tomadas e

circuito deve ter seu próprio condutor neutro.

cada
cada

Abstract

It

is called

the

circuit set

points of

consumption, fueled by the same

conductors and connected to the same protection device (circuit breaker or switch). The entire installation must be divided into several circuits where it will facilitate inspections, testing and maintenance and avoid the hazards that may result from the failure of a single circuit, such as, for example, in the case of illumination. The lighting circuits should be separated from circuits taken and each circuit should have its own neutral.

 

SUMÁRIO

 

INTRODUÇÃO .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

7

DESENVOLVIMENTO DO TEXTO

 

7

CONCLUSÃO .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

8

REFERÊNCIAS

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

9

 

SUMMARY

 

INTRODUCTION .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

7

DEVELOPMENT OF TEXT

.

.

.

.

.

.

.

.

 

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

7

CONCLUSION REFERENCES .

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

8

. 9

7

Divisão de circuitos elétricos residenciais

Após definir

todos os

pontos de

utilização da

energia elétrica de uma

instalação, deve-se fazer sua divisão em circuitos, onde essa divisão facilitará a operação e manutenção da instalação, além de reduzir a interferência. A divisão da instalação elétrica em circuitos terminais segue critérios estabelecidos pela NBR 5410, onde cada circuito deve ser ligado a um dispositivo de proteção, que poderá ser disjuntores termomagnéticos, disjuntores DR e DPS, além disso, os circuitos de TUG’s e TUE’s devem está separados do circuito de iluminação, também devem ser previstos circuitos independentes para as TUG’s da cozinha, copa e área de serviços e os equipamentos que absorvem corrente igual ou superior a 10A devem ser alimentados por uma TUE, sendo um circuito exclusivo para cada. Se na residência tiver um só circuito para toda a instalação elétrica, o disjuntor deverá ser de grande capacidade de interrupção de corrente, sendo que, um pequeno curto-circuito poderá não ser percebido por ele. Entretanto, se na residência tiver diversos circuitos e com vários disjuntores de capacidades de interrupção de correntes menores e dimensionados adequadamente, aquele pequeno curto-circuito poderá ser percebido pelo disjuntor do circuito em questão, que o desligará. Com isso somente o circuito onde estiver ocorrendo um curto- circuito ficará desenergizado. O quadro de distribuição é o equipamento que recebe a energia elétrica através de uma ou mais alimentações, e a distribui em um ou mais circuitos, ele também é responsável por acomodar os dispositivos de proteção dos diversos circuitos elétricos. O quadro deve está localizado em local de fácil acesso e o mais próximo possível do contador. Isto é feito para se evitar gastos desnecessários com fios do circuito de distribuição, que são os mais grossos de toda a instalação e os mais caros.

Pelo QD passará toda a energia a ser distribuída pela instalação. Portanto, se o quadro de distribuição não tiver determinadas proteções, o usuário ao manuseá-lo correrá o risco de tomar um choque elétrico. No entanto ao instalar um QD, o mesmo deve está em um local fácil acesso, onde deverá ser identificado todos os seus componentes, por meio de placas de proteção, uso de etiquetas, e outros meios que proporcionem mais segurança e manuseio do mesmo.

8

Então a divisão de circuitos tem como finalidade tornar tudo mais pratico, por exemplo, quando for preciso trocar uma lâmpada não será necessário desligar o circuito da casa inteira. Além disso, irá proporcionar maior segurança em relação ao bom funcionamento de equipamentos elétricos.

9

Referências

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724: Informação e documentação Apresentação de trabalhos acadêmicos. Rio de Janeiro, 2011.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6027: Informação e documentação Apresentação de sumário. Rio de Janeiro, 2003.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: Informação e documentação Elaboração de referências. Rio de Janeiro, 2002.

MANOEL HENRIQUE. Projeto de instalações elétricas. Disponível em <http://www.ebah.com.br/content/ABAAAeqE4AE/etapas-projeto>. Acesso em: 18 de nov. 2012.

SEVERINO CERVELIN, G. C; Curso técnico em eletrotécnica: teoria e Prática. 22ª ed. Curitiba: Base Livros Didáticos, 2008. 507p.