Você está na página 1de 40
Sumário
Sumário

Prefácio

3

Instruções para o Líder

4

Lista de Presença

............................................................................

5

  • 1. Nos Passos de Jesus: a Celebração da Vitória

7

  • 2. Nos Passos de Jesus: o Serviço na Comunidade

15

  • 3. Nos Passos de Jesus: a Vida no Reino

.......................................

23

  • 4. Nos Passos de Jesus: a Submissão à Missão

31

 

© Comunidade Presbiteriana Chácara Primavera Ministério de Grupos Pequenos

Abril de 2012 Produzido para uso interno

Contatos grupospequenos@chacaraprimavera.org.br www.chacaraprimavera.org.br (19) 3254-4500

Produção

Equipe Pastoral da Comunidade Presbiteriana Chácara Primavera (texto) Primavera Eventos (arte)

3

Prefácio
Prefácio

Imitadores de Cristo. Discípulos de Jesus. Cristãos. São algumas das nomenclaturas de quem resolve se tornar um seguidor de Jesus. Seguir a Jesus é uma aventura ousada, pois envolve transformação radical nos aspectos essenciais de nossas vidas.

O Evangelho é simples, mas viver o Evangelho não é fácil. Exige disciplina. Envolve, em alguns momentos, ir contra os princípios e valores que dominam a sociedade. Em outros, identificar com sabedoria o que pode ser usado para glória de Deus e edificação de pessoas.

Encontramos

na

vida

e

obra

de

Jesus

o

alicerce

para

basearmos todas as nossas decisões. Por isso, conhecer seus passos

é muito importante.

Acompanhando a série de mensagens apresentadas nos cultos neste mês de abril, vamos estudar alguns aspectos da vida de Jesus em nossos Grupos Pequenos.

Assim, a celebração da vida, o serviço na comunidade, a vida no Reino e a submissão na missão, serão nosso foco nas próximas quatro semanas.

Nossa expectativa é que este material ajude muitos a se aperfeiçoarem como discípulos de Jesus. Deus nos abençoe!

Equipe Pastoral

4

Instruções para o líder

Cuidar de um pequeno rebanho é uma grande responsabilidade que pode ter um grande impacto na vida das pessoas. E mais: é uma responsabilidade que testará a sua capacidade de trabalhar em sinergia com a comunidade, como uma parte importante do corpo.

Este material foi preparado para abençoar sua vida e a de seu grupo. Procura equilibrar dois conceitos importantes que desejamos em nossos grupos: conhecimento com relacionamento. Sabemos que cada líder tem uma tendência para uma dessas duas realidades.

Lembre-se que seu papel no grupo não é o de preletor, mas de facilitador de um encontro que tem como ênfase o aprofundamento da fé e das amizades.

Usando o material, você encontrará uma forma de equilibrá-lo. Procure dar atenção a esses dois pontos, os quais ajudarão o desenvolvimento de sua liderança frente ao seu grupo e à comunidade. As dinâmicas poderão contribuir significativamente para seu grupo.

Esta série cobrirá quatro encontros dos grupos pequenos. Você perceberá que, além de uma dinâmica inicial, há três partes do estudo:

PARTE I: A reflexão - aponta um problema no mundo em que estamos sobre o qual somos convidados a pensar;

PARTE II: A decisão - traz uma proposta para que o problema seja resolvido sob a perspectiva do que a Bíblia diz;

PARTE III: A ação - aponta algumas práticas para nós a partir do que a Bíblia diz a fim de gerar transformação em nós e nos que estão à nossa volta.

Muitas

orientações

deste

material

não

estão

no

guia

do

participante e são explicações fornecidas para ajudá-lo no direcionamento do estudo, caso seja necessário. Elas estão em caixas com o título “Orientações para o Líder”. Procure usá-las a seu favor.

Que

você seja um instrumento poderoso usado pelo Santo

Espírito de Deus para edificar muitas vidas!

5

Lista de Presença

Presença nos Encontros Nome 1º 2º 3º 4º 1 2 3 4 5 6 7 8
Presença nos Encontros
Nome
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
TOTAL

6

7

  • 1 A CELEBRAÇÃO DA VITÓRIA

NOS PASSOS DE JESUS:

Introdução

Apresentar a pessoa e obra de Jesus é cativante. Nesta nova série de estudos vamos refletir, de forma simples e objetiva, sobre alguns aspectos da vida de Jesus. O apóstolo Paulo em seus escritos sempre destacou a importância de sermos imitadores de Cristo (1ª Coríntios 11.1). Como o apóstolo, ao anunciarmos que o discípulo deve imitar a Cristo, devemos trazer esta responsabilidade para nós, oferecendo nossas vidas à imitação. A ressurreição de Jesus traz

Para compreender e saborear plenamente as palavras de Cristo é preciso que procure conformar toda a sua vida à dele.”

Tomas de Kempis

(A imitação de Cristo, sec. XV)

implicações para nossa fé e vida. Foi a vitória sobre a morte, a vitória sobre o pecado, a celebração da vida. E a celebração é uma prática inerente à fé cristã. É impossível imaginar o cristianismo sem essa expressão de

reconhecimento e submissão. A vida do próprio Jesus nos conduz a um espírito de celebração: a celebração da vitória!

8

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • Destaque que apesar de

todas

as

suas

lutas,

dissabores

e

dificuldades, a vida de Jesus foi envolvida pela celebração.

OBJETIVOS

  • Levar cada participante a avaliar sua vida e o que lhe impede de ter uma vida de celebração.

  • Mostrar para cada participante o diferencial que Jesus Cristo pode fazer na forma como vive e encara suas lutas e desafios.

8 ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER  Destaque que apesar de todas as suas lutas, dissabores e

Em nossas vidas, especialmente quando crianças, temos

histórias dos tempos em que fazíamos muitas “artes”. Em sua maioria

são contadas com alegria e saudade. Mas muitas destas histórias antecedem ou precedem momentos difíceis. Conte uma memória inesquecível de sua infância. Você pode fazer suas anotações abaixo.

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

5

minutos

para

as

pessoas

pensarem.

Não

é

obrigatório

escrever. Depois

peça

para

contarem

algumas

histórias

(não

poderá ser todos por motivo de tempo, use o bom senso). O objetivo é identificar que não é necessário que todas as

circunstâncias

sejam

perfeitas

para

celebrarmos

excelentes

momentos em nossas vidas.

__________________________________________________

9

A reflexão

Não é difícil perceber o quão fundamental é para a fé cristã o exercício da celebração. O propósito do ministério e das palavras de

Jesus era promover “plena alegria” (João 15.11). Na entrada do túmulo

de Jesus, quando as mulheres perceberam que Ele havia realmente

ressuscitado, tiveram medo, mas seus corações foram “cheios de alegria” (Mateus 28.8).

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • Não foi sem razão que Paulo exortou aos Filipenses, “Alegrem- se

”.

Novamente direi: Alegrem-se” (Filipenses 4.4). Escrevendo

... aos Romanos, Paulo também os desafia a “em tudo darem graças”

(Romanos 8.28). O Novo Testamento é um desafio constante à Celebração da graça e do amor de Deus.

A celebração cristã não é uma expressão artificial de alegria. O convite divino a uma constante celebração e expressão de alegria é porque Ele mesmo interveio em nossa história e está intimamente interessado em nossas vidas. É importante destacar que esse espírito de celebração não nega a realidade ou as dificuldades. Ele nos ajuda a enfrentá-las e vivê- las. A vida e obra de Jesus - seus ensinamentos, sua dedicação, seu sacrifício e sua vitória - demonstram isso.

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • Aqui é possível fazer uma “ponte” com a história das pessoas na dinâmica, mostrando que mesmo os cristãos passaram/passam por dificuldades.

10

A decisão

“… mas, quando entraram, não encontraram o corpo do

Senhor Jesus. Ficaram perplexas, sem saber o que fazer. De repente dois homens com roupas que brilhavam como a luz do

sol colocaram-se ao lado delas. Amedrontadas, as mulheres baixaram o rosto para o chão, e os homens lhes disseram: "Por que vocês estão procurando entre os mortos aquele que vive? Ele não está aqui! Ressuscitou! Lembrem-se do que ele lhes disse […] Então se lembraram das suas palavras”. Lucas 24. 1-8

Normalmente não temos dificuldade em reconhecer que a vida cristã é uma celebração. Mas temos dificuldade em transformar este reconhecimento em prática de celebração diária. Por que agimos assim? Segundo Richard Foster “os cristãos deveriam ser as pessoas mais interessantes, livres e alegres”. Infelizmente isso nem sempre é verdade.

Interessante

notar

as

reações

das

mulheres

diante

do

desaparecimento do corpo de Jesus:

  • 1. diante da circunstância adversa.

Ficaram

________________

  • 2. diante do desconhecido.

Ficaram

________________

  • 3. Confiaram em Deus quando promessas.

de

Suas

______________

11

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • Preenchimento do item 1: PERPLEXAS.

  • Preenchimento do item 2: AMEDRONTADAS.

  • Preenchimento do item 3: SE LEMBRARAM. As respostas estão associadas com os negritos do texto bíblico acima.

Não há dúvida da alegria que experimentaram ao saber que Jesus havia ressuscitado (Mateus 28.8 deixa isso evidente). Mas os momentos que antecederam a celebração da vitória não foram fáceis. E Deus tinha um plano para que fosse assim. Certamente aquele momento marcou e foi importante para o resto de suas vidas. Por isso este acontecimento retrata nossa vida como discípulos de Jesus.

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • O objetivo é mostrar aos participantes como a reação das mulheres diante do sepulcro é semelhante às nossas reações no dia a dia. Tente “colocar” as pessoas no lugar delas. Compare com situações do dia a dia de seus liderados. Mostre que a ressurreição está relacionada com nosso dia a dia também, não apenas à eternidade, como descrito no próximo parágrafo.

A esperança que Jesus nos traz por meio da ressurreição não é apenas para a eternidade, mas também para vitórias diante das dificuldades de nosso dia a dia.

12

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • Outro aspecto importante é que sem a celebração as práticas devocionais tendem a se tornar um fardo ao invés de caminhos para a intimidade com Deus.

A ação

1. Diariamente

recebemos

notícias

ruins,

passamos

por

situações

indesejadas, temos medo. Como você tem lidado com estas situações em sua vida? Seu método tem feito você feliz?

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • Muitos, mesmo cristãos, se esquecem de Jesus na “correria” do dia a dia. Esta pergunta remete à esta reflexão. Se não lembramos de Jesus nestes momentos, em alguma outra coisa estamos firmando nossos pensamentos.

2.

O que é preciso mudar em sua vida para que celebre a vitória de Jesus diariamente? No que você se identificou com aquelas mulheres diante do sepulcro? O que aprendeu com elas?

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • Essa pergunta é chave para toda a reflexão. É aqui que perceberá se o participante passou de fato por um processo de aprendizado/transformação (ou pelo menos iniciou) por meio do estudo. Ouça algumas respostas, mas cuidado com o tempo e faça tudo em tom conclusivo.

13

3. Se você é cristão há algum tempo, já deve ter celebrado algumas Páscoas. Mas qual a esperança que você tem ao lembrar do que Jesus fez por nós? Esperança de vida eterna? Esperança para esta vida? Ambos?

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • Objetiva reforçar que nossa esperança na ressurreição de Cristo é para a vida eterna, mas também para vitórias diante de dificuldades hoje.

QUER MAIS SOBRE O ASSUNTO? Acesse nosso site e veja nossas séries de palestras: http://chacaraprimavera.org.br 
QUER MAIS SOBRE O ASSUNTO?
Acesse nosso site e veja nossas séries de palestras:
http://chacaraprimavera.org.br
Séries completas: “Diante do Pai” e “A jornada”
Palestra de Série: “O curioso caso de Jesus de Nazaré: Um messias numa cruz”

14

15

  • 2 O SERVIÇO NA COMUNIDADE

NOS PASSOS DE JESUS:

Introdução

Continuamos esta semana estudando alguns aspectos da vida e obra de Jesus. Semana passada, vimos como sua ressurreição traz implicações para nossa fé e nossa vida diária. Hoje veremos que a Igreja é a continuidade da missão de Jesus e só pode ser cumprida com o serviço na comunidade. Serviço na comunidade não é ativismo, como bem destaca o pastor reformado

alemão Dietrich Bonhoeffer: “Qualquer pessoa que pensa que seu tempo é valioso demais para ser gasto em momentos de quietude, com

certeza não terá tempo para Deus nem para seus irmãos, apenas terá

tempo para si mesmo e suas futilidades”. A vida de Jesus é nosso modelo de vida de adoração que leva ao serviço. À luz do exemplo de Jesus consideramos a prática do serviço como uma das maneiras de aprofundarmos a nossa vida com Deus.

16

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • No reino de Deus “quem quiser ser o primeiro deverá ser escravo; como o Filho do Homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos” (Mateus 20.27-28). Esse versículo deixa claro que Jesus, com seu estilo de vida, redefiniu duas posturas essenciais à prática do serviço: a autoridade e a liderança. Para Ele, a autoridade e a liderança não significavam o exercício do poder, mas oportunidades para servir e demonstrar o amor de Deus ao próximo.

OBJETIVOS

  • cada

Levar

participante

a

avaliar

sua

vida

em

serviço

à

comunidade.

Mostrar

  • para

cada

participante

a

importância

de

seu

engajamento como fruto do amor por Deus.

16 ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER  No reino de Deus “quem quiser ser o primeiro deverá

Todos nós temos “hobbies”, algumas atividades que gostamos muito de realizar. Normalmente, somos especialistas naquilo que gostamos. Escreva abaixo três de suas atividades favoritas que, reconhecidamente, você é bom. Isto é, três coisas que você gosta de fazer e as pessoas reconhecem que você faz bem:

1.

 

_____________________________________________

2.

 

_____________________________________________

3.

 

_____________________________________________

17

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • Dê cerca de 5 minutos para os participantes pensarem e escreverem. Fique atento ao aspecto do talento. Não basta gostar, tem que ser bom na atividade mencionada. Não precisa ser algo sério ou “espiritual”. Coisas como “jogar video-game”, “assistir e avaliar filmes”, “ler livros” etc. Ao final peçam para alguns (não obrigatoriamente todos) compartilharem seus hobbies.

Aguarde a orientação do líder a respeito do próximo passo:

?

_________________________________________________________

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • Preechimento acima: o participante deve escrever a pergunta:

COMO POSSO

SERVIR

NA

COMUNIDADE

COM

ESTAS

3

ATIVIDADES?

  • O objetivo é o participante entender que pode servir nas áreas mais diversas, ainda que aparentemente parece “fora do comum”. Com criatividade, descobrimos que Deus nos capacita em áreas distintas, e podemos servir em todas elas. Leve os participantes a pensarem “fora da caixa”.

  • Gaste, no máximo, mais 10 minutos para ouvir algumas sugestões. Encoraje os participantes a preencherem pelo menos três possibilidades em que pode servir (preenchimento abaixo).

1.

 

______________________________________________

2.

 

______________________________________________

3.

 

______________________________________________

18

A reflexão

Vivemos em uma sociedade em crise com a servidão. Jovens não servem mais seus pais e avós como em outros tempos. Nas ruas, pessoas se tratam com desconfiança e animosidade. A boa educação e o espirito de servidão estão tão distantes da sociedade que foi necessária a força da lei para algumas pessoas terem direitos e benefícios - como por exemplo a obrigação de assentos especiais em coletivos. As pessoas querem ser servidas, mas não querem servir. Não desejam espontaneamente retribuir. Mas, Jesus decidiu servir e não ser servido. E fomos chamados para sermos seus discípulos. Jesus voluntariamente abriu mão dos seus direitos pelo privilégio de servir. Talvez você nunca tenha encarado o serviço como um privilégio.

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • Se achar que vale a pena (dependendo do perfil do grupo), reflita rapidamente sobre a definição do termo servo. Em nossa cultura contemporânea, há muito não convivemos com a escravatura. Para Paulo e seus contemporâneos, porém, a escravatura era um fato concreto e natural. Dessa forma, para os primeiros leitores de Paulo, a palavra servo significava um escravo voluntário - alguém que fez a opção de não ser livre; alguém que abriu mão de seus direitos e de livre e espontânea vontade resolveu continuar servindo alguém. Essa foi a postura de Jesus que decidiu servir e não ser servido.

19

Na primeira mensagem desta série (baseada em Lucas 9), vimos que Jesus desafia seus discípulos a servir as multidões. Na caminhada cristã, quando nos tornamos discípulos é um momento de grande entusiasmo. Mas o caminho para experimentarmos novamente esta nova paixão não é mais o mesmo. Quando servimos pessoas nos deparamos o quanto é maravilhoso o poder de Deus e descobrimos que nossa fé só é revitalizada no engajamento da missão, no serviço na comunidade.

A decisão

Em Lucas 10.27, Jesus afirma:

“Ame o seu próximo como a si mesmo”.

Jesus cumpriu sua missão demonstrando amor em palavras e atitudes. A melhor maneira de exercitarmos esse amor às pessoas é através do Serviço na Comunidade. Em Mateus 7.21-23, Jesus mostra que está preocupado com aqueles que praticam o serviço com a motivação errada em seus corações. Há muitos que assumem a postura de uma aparente atitude de serviço e dedicação, mas na verdade estão mais preocupados em servir a si próprios e os seus interesses. É justamente por causa dessa possibilidade das pessoas praticarem o serviço com intenções equivocadas que Jesus chama a atenção para o exemplo da árvore nos versos anteriores. Qual o maior benefício de uma árvore senão os seus frutos? Jesus nos exorta a

20

sermos capazes de ver além da beleza exterior, da aparência e até mesmo da grandeza de uma pessoa. Assim:

  • 1. Dar bons frutos é uma

.

________________

  • 2. Amamos ao próximo com

______________

e

.

______________

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • Preenchimento do item 1: DECISÃO. Mostrar ao participante que é uma atitude nossa agir em conformidade com o serviço que dê bons frutos, buscando sempre a excelência e estando atento às “pedras de tropeço” que podem vir de nossos próprios corações.

  • Preenchimento do item 2: PALAVRAS e ATITUDES. Vide primeiro parágrafo. Não basta apenas dizer, é preciso provar que se ama, com atitudes/ações. O exemplo do relacionamento do casal sempre é oportuno para ilustrar isso: a mulher deseja perceber que o homem a ama, não apenas ouvir suas palavras (embora também importante).

A ação

  • 1. Temos experimentado em nossas vidas a mesma paixão de quando nos tornamos um discípulo de Jesus? Por quê? No que isso está relacionado com nosso serviço na comunidade.

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • Leve cada participante a perceber que sua vida espiritual pode estar “em baixa” porque seu foco é ficar no meio da multidão esperando ser servido. Quando se engajar no serviço, verá o poder de Deus agindo na vida das pessoas, e isso revitalizará sua fé.

21

  • 2. Você já teve tentativas frustradas de servir na comunidade? Qual acredita ter sido a razão?

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • Esta pergunta é mais retórica e reflexiva. Não exija respostas. A pretensão é o participante

entender

que

servir

não

significa

atender nossas demandas pessoais, mas sim o melhor para a

comunidade.

  • 3. Como podemos amar ao nosso próximo? Dizendo que os amamos? Demonstrando de outra forma? Como?

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • Esta pode ser levantada, em tom conclusivo, ao grupo. Trata se de um reforço do que foi estudado anteriormente: devemos amar com palavras e com atitudes.

QUER MAIS SOBRE O ASSUNTO? Acesse nosso site e veja nossas séries de palestras: http://chacaraprimavera.org.br 
QUER MAIS SOBRE O ASSUNTO?
Acesse nosso site e veja nossas séries de palestras:
http://chacaraprimavera.org.br
Séries completas: “11 anos da Comunidade” e “Uma igreja na cidade”
Palestra de Série: “Igrejas Missionais para uma Cultura Emergente”

22

23

  • 3 A VIDA NO REINO

NOS PASSOS DE JESUS:

Por que você deve dar este estudo

Em tempos de excessiva preocupação com a estética visual, poucas coisas são tão desafiadoras como olhar para dentro de si mesmo. Vivemos dias em que o fundamental é estar bem com a aparência, mesmo que estejamos mal no coração. Partimos para o que nos inclui socialmente e abortamos o que nos transforma interiormente. A vida no Reino de Deus não é construída de fora para dentro, mas de dentro para fora. Um dos grandes males da religiosidade é a

inversão da base da vida cristã. Tudo começa em Jesus. Tudo parte de seus passos. Este estudo desafiará os

participantes à construção de uma vida que lida com as máscaras a partir da vida de Jesus. A partir de sua vida e em gratidão a Deus, nosso desafio é que nossa vida reflita Sua vida em nós, que os nossos passos sigam os Seus passos.

“Não precisamos

de gente mais inteligente.

Precisamos de

pessoas mais

profundas”.

Richard Foster

24

OBJETIVOS

  • cada

Levar

participante

a

avaliar

sua

vida

e

sua

espiritualidade.

  • Mostrar para cada participante a importância de que a nossa vida seja vivida em gratidão pelo que Jesus fez por nós ao invés de uma obrigação de fazer algo para merecê-lo.

24 OBJETIVOS  cada Levar participante a avaliar sua vida e sua espiritualidade.  Mostrar para

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

Duração: 10 minutos

O que é necessário:

caneta ou lápis + material do participante

1.

A

dinâmica

tem

duas

partes.

Na

primeira

parte,

cada

participante deve assinalar com “X” as 10 características que

mais dizem respeito a ele mesmo.

  • 2. Após preencher a Parte I, chegamos a segunda parte. Aqui, o participante deverá assinalar 10 características que enxerga na pessoa que está ao seu lado (direito ou esquerdo, segundo indicação do líder). É interessante orientar os participantes que, mesmo que não conheça a pessoa ao lado ou conheça pouco, o importante é sinalizar a sua percepção pessoal.

3.

Após

preenchida

as

duas

partes,

cada

participante

deve

comparar com a pessoa ao lado quantas características assinaladas por ele (Parte I) foram iguais às assinaladas pela

pessoa ao seu lado (Parte II).

25

PARTE 1: Quem é você? Assinale suas 10 características principais. “Eu sou

...

”:

______

Acolhedora

______

Agradável

______

Alegre

______

Assertiva

Ativa

Bonita

______

______

 

Bondosa

Carinhosa

______

______

 

Caseira

Colaboradora

______

______

 

Conselheira

Confiante

______

______

 

Confiável

Cortês

______

______

 

Culta

Detalhista

______

______

______

Dinâmica

______

Disciplinada

Econômica

Educada

______

______

______

Eficaz

______

Elegante

______

Equilibrada

______

Familiar

Fiel

Gentil

______

______

 

Honesta

Humilde

______

______

______

Inteligente

______

Líder

______

Misericordiosa

______

Organizada

Otimista

Paciente

______

______

 

Prática

Prudente

______

______

______

Responsável

______

Segura

Sensível

Serva

______

______

______

Simpática

______

Simples

Sincera

Sociável

______

______

 

Sonhadora

Trabalhadora

______

______

26

PARTE 2: Quem é a pessoa que está ao seu lado? Assinale 10 características da pessoa que está ao seu lado. “Ela é

...

”:

______

Acolhedora

______

Agradável

______

Alegre

______

Assertiva

Ativa

Bonita

______

______

 

Bondosa

Carinhosa

______

______

 

Caseira

Colaboradora

______

______

 

Conselheira

Confiante

______

______

 

Confiável

Cortês

______

______

 

Culta

Detalhista

______

______

______

Dinâmica

______

Disciplinada

Econômica

Educada

______

______

______

Eficaz

______

Elegante

______

Equilibrada

______

Familiar

Fiel

Gentil

______

______

 

Honesta

Humilde

______

______

______

Inteligente

______

Líder

______

Misericordiosa

______

Organizada

Otimista

Paciente

______

______

 

Prática

Prudente

______

______

______

Responsável

______

Segura

Sensível

Serva

______

______

______

Simpática

______

Simples

Sincera

Sociável

______

______

 

Sonhadora

Trabalhadora

______

______

27

A reflexão

A

dinâmica

nos mostra

que

nem sempre

as

pessoas nos

enxergam como nos enxergamos. Mas, por que isso acontece? Às vezes, as pessoas não nos veem como somos porque não nos conhecem ainda. Em outros casos, porque conhecem apenas uma parte de quem somos. Mas, algumas vezes, infelizmente, é porque

somos especialistas em vestir máscaras. Por vezes, não revelamos totalmente quem somos, nem dizemos o que pensamos ou expressamos o que acreditamos. Temos a preocupação de sermos aceitos e, com isso, escondemos uma parte de nós. Geralmente, as partes feias e que não serão aprovadas pelos outros. É comum nos acostumarmos a certas

“As coisas boas nas

quais colocamos o nosso coração só

se tornam reais quando as

escolhemos.”

Dallas Willard

(“Ouvindo Deus”, p.9)

práticas que caracterizam desvios que temos com relação à vida que Deus deseja para nós em Seu Reino. Negociamos princípios, distorcemos valores, alimentamos pecados secretos, fingimos que não vemos algumas áreas

da nossa vida. E, assim, em meio às diversas justificativas, as máscaras surgem. Neste sentido, é interessante olharmos para duas pessoas que se encontraram com Jesus e em como lidaram com suas vidas a partir desse encontro.

28

A decisão

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • 1. Divida seu grupo pequeno em dois grupos menores. Fique como líder de um dos grupos e peça para que outra pessoa (líder ou auxiliar no grupo pequeno) conduza o outro grupo.

  • 2. Cada grupo (1 e 2) deverá ler o texto indicado (abaixo) e preencher a tabela correspondente. Os líderes dos grupos não devem dar as respostas logo de imediato, mas devem preenchê-las com o grupo.

  • 3. Após ler e preencher a tabela de seu grupo, os dois grupos deverão se reunir novamente e conversarem a respeito das tabelas que preencheram. Devem atentar para similaridades e diferenças. Assim, o grupo 1 preencherá a tabela II a partir do retorno do grupo 2 e o grupo 2 preencherá a tabela I a partir do retorno do grupo 1, tendo a moderação do líder.

GRUPO 1:

JESUS E O HOMEM RICO

Leia Lucas 18.18-24 e preencha a Tabela I.

  • 18 Certo homem importante lhe perguntou:

"Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna?"

  • 19 "Por que você me chama bom?", respondeu Jesus. "Não há ninguém que seja bom, a não ser somente Deus.

  • 20 Você conhece os mandamentos: ‘Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não darás falso testemunho, honra teu pai e tua mãe’".

  • 21 "A tudo isso tenho obedecido desde a adolescência", disse ele.

  • 22 Ao ouvir isso, disse-lhe Jesus: "Falta-lhe ainda uma coisa. Venda tudo o que você possui e dê o dinheiro aos pobres, e você terá um tesouro nos céus. Depois venha e siga-me".

  • 23 Ouvindo isso, ele ficou triste, porque era muito rico.

  • 24 Vendo-o entristecido, Jesus disse: "Como é difícil aos ricos entrar no Reino de Deus!

29

GRUPO 2:

JESUS E ZAQUEU

Leia Lucas 19.1-10 e preencha a Tabela II.

  • 1 Jesus entrou em Jericó, e atravessava a cidade.

  • 2 Havia ali um homem rico chamado Zaqueu, chefe dos publicanos.

  • 3 Ele queria ver quem era Jesus, mas, sendo de pequena estatura, não o conseguia, por causa da multidão.

  • 4 Assim, correu adiante e subiu numa figueira brava para vê-lo, pois Jesus ia passar por ali.

  • 5 Quando Jesus chegou àquele lugar, olhou para cima e lhe disse: "Zaqueu, desça depressa. Quero ficar em sua casa hoje".

  • 6 Então ele desceu rapidamente e o recebeu com alegria.

  • 7 Todo o povo viu isso e começou a se queixar: "Ele se hospedou na casa de um ‘pecador’ ".

  • 8 Mas Zaqueu levantou-se e disse ao Senhor:

"Olha, Senhor! Estou dando a metade dos meus bens aos pobres; e se de alguém extorqui alguma coisa, devolverei quatro vezes mais".

  • 9 Jesus lhe disse: "Hoje houve salvação nesta casa! Porque este homem também é filho de Abraão. 10 Pois o Filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido".

ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

  • Observe que os dois textos apresentam similaridades e diferenças: são duas pessoas ricas que se encontram com Jesus um homem rico muito bom e um “pecador” e publicano (coletor de impostos). Procure atentar com o grupo os paralelos com nossa vida, baseado nas perguntas presentes em “A ação”, na página seguinte.

  • Alguns estudiosos dividem o Evangelho de Lucas em duas partes a partir de Lucas 19.10 (versículo repetido no livro): “O Filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido”, dizendo que Lucas 1.1 – 19.27 apresenta o Filho do homem que veio “buscar o perdido”, enquanto Lucas 19.28 a 24.53 mostra o caminho que o Filho do homem percorreu para “salvar o perdido”. Aqui, Zaqueu é o perdido salvo. Já o homem rico é alguém que se acha bom e está perdido

30

Tabela I: Homem Rico Lucas 18.18-24

Toma a iniciativa de ir até Jesus. (v.18 com Mc.10;17) Pergunta o que deve fazer. (v.18)
Toma a iniciativa de ir
até Jesus. (v.18 com Mc.10;17)
Pergunta o que deve fazer.
(v.18)
Fiel à Lei de Deus.
(v.21)
Não se dispôs a dar
o que tinha. (v.22-24)
Encontro com Jesus
lhe trouxe tristeza. (v.23)
Não encontrou salvação
(v.24)
Sua vida e o Reino de Deus:
de fora para dentro. (v.20-24)

A ação

Tabela II: Zaqueu Lucas 19.1-10 Jesus toma a iniciativa de ir até Zaqueu. (v.5) Afirma/Diz o
Tabela II: Zaqueu
Lucas 19.1-10
Jesus toma a iniciativa
de ir até Zaqueu. (v.5)
Afirma/Diz o que vai fazer.
(v.8)
Infiel à Lei de Deus.
(v.2, 7 e 8)
Dispôs-se a dar
o que tinha. (v.8)
Encontro com Jesus
lhe trouxe alegria. (v.6)
Encontrou salvação
(v.10)
Sua vida e o Reino de Deus:
de dentro para fora. (v.8-10)
  • 1. Sua vida é mais parecida com a do Homem Rico ou a de Zaqueu?

    • a. A forma como as pessoas veem você, de fato, é quem você é? Por quê?

    • b. As mudanças em sua vida: tem sido de fora para dentro ou de dentro para fora?

  • 2. Sua aproximação e serviço a Deus: tem sido exercício de obrigação ou fruto de gratidão?

  • QUER MAIS SOBRE O ASSUNTO? Acesse nosso site e veja nossas séries de palestras: http://chacaraprimavera.org.br 
    QUER MAIS SOBRE O ASSUNTO?
    Acesse nosso site e veja nossas séries de palestras:
    http://chacaraprimavera.org.br
    Séries completas: “De dentro pra fora” e “Cristianismo 1.0”
    Palestra de Série: “Tempo de ouvir Deus e fazer mudanças - Tempo de Amar”

    31

    NOS PASSOS DE JESUS:

    • 4 A SUBMISSÃO À MISSÃO

    Por que você deve dar este estudo

    Nenhum ser humano quer perder. Ninguém entra em um jogo querendo a derrota. Ninguém presta vestibular sem o desejo de passar. Ninguém realiza a prova de um concurso ansiando pelo insucesso.

    Ninguém aplica dinheiro na bolsa com a expectativa de perder alguns milhões. Perder não faz parte de nossa agenda.

    Hoje,

    conversaremos sobre

    algo que temos dificuldade de perder:

    o poder de definir a direção da nossa vida. Se tem algo que desejamos é decidir como será a nossa vida. E a palavra-chave aqui é submissão. Não

    “Que aspecto da liberdade cristã a submissão produz? A liberdade de viver bem e feliz, sem que as coisas precisem ser do meu jeito.Richard Foster

    gostamos dela. Este estudo levará os participantes a considerarem a submissão como uma das práticas espirituais mais ricas para nós. Ceder o poder e o controle para alguém não é tão simples e fácil. No entanto, é um passo necessário e transformador. Deus não é apenas Salvador, mas é também o nosso Rei. Assim, quem deseja andar nos passos de Jesus é chamado a crescer na submissão à missão.

    32

    OBJETIVOS

    • Levar cada participante a avaliar como tem lidado com o poder e o controle em sua vida.

    • Conduzir o grupo à importância de uma vida em submissão a Deus, sensível a sua voz e direção.

    32 OBJETIVOS  Levar cada participante a avaliar como tem lidado com o poder e o

    ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

    Duração: 15 minutos O que é necessário: caneta ou lápis + material do participante

    • 1. Cada participante receberá um “presente” (que será distribuído pelo líder). Este “presente” é um item da tabela na pagina seguinte. É um presente fictício, o qual o participante deve anotar em sua folha no material do participante. Nesta folha, o participante poderá acompanhar as suas trocas (no máximo, duas).

    • 2. Depois que todos os participantes receberem um presente, eles deverão, obrigatoriamente, trocar seu presente com outra pessoa, dizendo: “Eu troco meu/minha (nome do presente) com (nome do presente) da (pessoa X)”. A outra pessoa citada é obrigada a dar o presente que possui e foi solicitado. Assim, no final da frase dita, o participante A terá o presente do participante B e o participante B ficará com o presente do participante A.

    • 3. O mesmo passo deverá acontecer para todos os participantes, seguindo o sentido horário (ou anti-horário)! No final, os participantes que não passaram por duas trocas finalizarão o exercício.

    33

    ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER 4. Abaixo nós temos a lista de presentes que o líder deve
    ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER
    4.
    Abaixo nós temos a lista de presentes que o líder deve distribuir
    para os participantes. Caso você tenha um grupo menor,
    selecione os itens abaixo estrategicamente de modo a que a
    troca fique engraçada.
    5.
    Depois do participante receber o presente inicial, deve anotá-lo
    na área especificada no material do participante (veja o exemplo
    abaixo da tabela). ALERTA: Todos os participantes só podem ter
    troca de presente duas vezes!
    LISTA DE “PRESENTES”
    1
    Casa na praia
    16
    iPad
    2
    Dois filhos
    17
    Laptop
    3
    Três netos
    18
    Fiat 147
    4
    Apartamento
    19
    Honda Fit
    5
    Uma agenda
    20
    Ferrari
    6
    iPhone
    21
    Vaso de Flor
    7
    Marido
    22
    Esposa
    8
    Camisa Xadrez
    23
    Toalha
    9
    Sabonete
    24
    Copo descartável
    10
    Telefone sem fio
    25
    Cartão de Crédito
    11
    Sofá
    26
    Geladeira
    12
    Fogão
    27
    Máquina Lavar Roupa
    13
    Máquina Lavar Prato
    28
    Cadeira
    14
    Armário Embutido
    29
    Cristaleira
    15
    Ações da Apple
    30
    Rede
    PERGUNTAS PARA O GRUPO
    1.
    Como se sentiram em suas trocas? Sairam ganhando ou
    perdendo?
    2.
    Como foi ter alguém tirando algo de você e tendo que dar
    seu presente?

    34

    EXEMPLO DA DINÂMICA PARA O LÍDER

    Participante A: Sofá Participante C: Marido

    Participante B: iPhone Participante D: Geladeira

    Participante A começa e diz para Participante C (Participante A pode

    escolher qualquer Participante para troca, pois é sua vez de escolher):

    “Eu troco meu Sofá pelo Marido do Participante C”.

    (após a troca: Participante A com Marido; Participante C com Sofá).

    Participante B (que está ao lado do Participante A) continua:

    “Eu troco meu iPhone pelo Marido do Participante A”.

    (após a troca: Participante A com iPhone; Participante B com Marido).

    Participante C (que está ao lado do Participante B) continua:

    “Eu troco meu Sofá pela Geladeira do Participante D”.

    (após a troca: Participante C com Geladeira; Participante D com Sofá).

    Participante D (que está ao lado do Participante C) continua:

    “Eu troco meu Sofá pelo iPhone do Participante A”.

    (ALERTA: Se o Participante D falar isso, deve ser avisado que não pode, pois o Participante A já passou por duas trocas!)

    Então, ele diz:

    “Eu troco meu Sofá pelo Marido do Participante B”.

    (após a troca: Participante D com iPhone; Participante A com Sofá).

    Assim, acompanhe como foram as duas trocas de todos:

    Participante A: Sofá Marido iPhone Participante B: iPhone Marido Sofá Participante C: Marido Sofá Geladeira Participante D: Geladeira Sofá Marido

    A reflexão

    A

    dinâmica

    que

    fizemos

    fala

    sobre

    perdas

    e

    ganhos.

    E,

    obviamente, queremos ganhar. Ganhar muito e o melhor. Ganhar

    dinheiro, uma ótima casa (ou casas), sucesso profissional, realização

    35

    pessoal, reconhecimento social, amizades duradouras, prazer a qualquer custo e muito mais! Difícil para nós é aprender a perder. Porém, para ganharmos determinadas coisas, precisamos aprender a perder outras. Geralmente, as coisas que mais valem a pena envolvem perdas. Para ganhar a faculdade, precisamos perder saídas com amigos a fim de estudar. Para crescermos profissionalmente, precisamos perder em transpiração para realizar o que é necessário. No casamento, perdemos na individualidade de ser uma pessoa solteira para ganharmos na unidade de sermos dois cônjuges que se doam um pelo outro. Quando vêm os filhos, perdemos horas de sono e tempo a sós como casal para ganharmos a alegria de sermos pais. Depois, os filhos saem de casa e os “perdemos para o mundo” a fim de os vermos como profissionais exercendo vocações e termos netos que nos alegram. Além disso, atente para um fato: pegue uma foto de toda sua família. Olhe bem para ela. Dentre todas essas pessoas, uma delas verá todos os demais morrerem. Pode parecer trágica a afirmação, mas a perda é um processo natural da vida. E o que fará diferença em nossa vida é se aprendemos e amadurecemos em meios às perdas. Quando o assunto é submissão, não é diferente. Envolve essencialmente a disposição de perder. Para muitos, submissão soa como desvalorização de si mesmo. Mas, na espiritualidade cristã, não é essa a perspectiva. Submissão envolve uma disposição positiva para com a vida, a qual não vincula a felicidade e o bem-estar ao fato de que as coisas são do jeito que queremos.

    36

    Observe o que Jesus nos fala a respeito disso.

    A decisão

    • 23 Jesus dizia a todos:

    "Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome diariamente a sua cruz e siga-me.

    • 24 Pois quem quiser salvar a sua vida a perderá; mas quem perder a vida por minha causa, este a salvará.

    • 25 Pois que adianta ao homem ganhar o mundo inteiro, e perder-se ou destruir a si mesmo?

    Lucas 9.23-25

    O texto nos apresenta pelo menos três passos essenciais em nossa vida se desejamos ser submissos à missão de Jesus e seguí-lo.

    • 1. Submissão envolve uma conversa com o coração.

    O texto diz: “Se alguém quiser acompanhar-me, negue a si mesmo. Submissão envolve negar quem somos. Negar quem somos não é tão simples e fácil. Em uma geração marcada pelo egoísmo, é um grande desafio. Negar-se a si mesmo envolve lidar com nosso coração, com nossos desejos, com nossas vontades. Envolve abortar a coroa desejando ser rei e abraçar a cruz dedicando-se como súdito ao Rei dos reis que se fez servo. No entanto, ao atender o chamado de Jesus, nossa identidade é redefinida.

    37

    • 2. Submissão envolve uma conversa com o comportamento. O texto continua: “Se alguém quiser acompanhar-me, negue a

    si mesmo, tome diariamente sua

    cruz...”.

    O que acontece no coração

    afeta nosso comportamento. Perceba que o texto nos alerta para o aspecto diário dos desafios e lutas. Mas, à medida que nos dispomos diariamente a ouvir Deus e negar a nós mesmos, nossa conduta de vida é redirecionada. Assim, nosso interior começará a influenciar nosso exterior.

    • 3. Submissão envolve uma conversa ao longo da caminhada. O texto continua: “Se alguém quiser acompanhar-me, negue a

    si mesmo, tome diariamente sua cruz e

    siga-me...”.

    Somos chamados

    para seguir. Seguir Jesus. Seguir seus passos. Vida com Deus é uma jornada. Não é uma decisão pontual. Não é uma atitude em um momento de vida. Antes, envolve perseverança. Envolve cada dia, todo dia. É crescente, contínua, constante. E é para toda vida. Jim Elliot, missionário que foi morto tentando levar a mensagem do amor de Deus às pessoas que não conheciam Jesus Cristo, tem uma frase de grande impacto para nós. Ele disse: “Não é tolo aquele que dá o que não pode manter, para ganhar o que não pode perder”. Não é tolo aquele que dá o que não pode manter: a própria vida, para ganhar o que não pode perder: a vida eterna. Jim Elliot perdeu sua vida por uma causa. E valeu a pena.

    38

    ORIENTAÇÕES PARA O LÍDER

    • Você pode relacionar o texto de Lucas 9.23-25 com o exemplo prático de Paulo. Em Filipenses 1.21, Paulo nos diz que, para ele, “o viver é Cristo e o morrer é lucro”. Perceba a similaridade da frase de Paulo com a fala de Jesus em Lucas: Paulo aprendeu a viver contente em toda e qualquer situação (Filipenses 4.12) de tal modo que ele perdeu sua vida (“o viver é Cristo”) para ganhar a eternidade (“o morrer é lucro”).

    • Em Gálatas 2.20, Paulo nos diz: “Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim. Paulo negou a si mesmo (“fui crucificado com Cristo”), tomou diariamente sua cruz (”não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim”) e seguiu Jesus (“a vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim).

    A ação

    “Não é tolo aquele que dá o que não pode manter, para ganhar o que não pode perder.

    Jim Elliot

    • 1. A partir da frase acima, pense: o que você mais deseja manter em sua vida? O que você ainda não está disposto a perder?

    • 2. Quais são as coisas que mais deseja ganhar ao longo de sua vida?

    • 3. Você estaria disposto a perder qualquer coisa que Deus lhe pedisse, a fim de ganhar a eternidade? Quais são as áreas mais difíceis para isso ocorrer?

    QUER MAIS SOBRE O ASSUNTO? Acesse nosso site e veja nossas séries de palestras: http://chacaraprimavera.org.br 
    QUER MAIS SOBRE O ASSUNTO?
    Acesse nosso site e veja nossas séries de palestras:
    http://chacaraprimavera.org.br
    Série completas: “Jabulani”
    Palestra de Série: “Diante do Pai: a Prática da Submissão”

    39

    40