Você está na página 1de 3

Não confunda Aquecimento com Alongamento

Substituir o aquecimento pelo alongamento é um grande erro na prática do esporte. “Forçar a musculatura sem um preparo prévio pode incorrer em traumas, e principalmente, distensão muscular”. O alerta é do professor de educação física e doutor em ciências pedagógicas Ramón Alonso López, autor da pesquisa Aquecimento x Alongamento na Flexibilidade, realizada na Faculdade de Educação Física da Universidade de Brasília. ”Somente quando o corpo já está aquecido, ele torna-se mais flexível e elástico. Depois dessa fase pode-se fazer alongamentos“, explica López.

DIFERENÇA ENTRE ALONGAMENTO E AQUECIMENTO

Para entender a diferença entre os dois tipos de exercícios, o conceito de aquecimento

é a repetição de exercícios para aumentar a circulação sangüínea, lubrificar as

articulações, aumentar a temperatura corporal, melhorar o desempenho e prevenir lesões, entre outras. E o alongamento é um movimento lento que busca a elasticidade máxima do músculo dentro do limite do corpo. Por exemplo, uma corrida leve é um aquecimento, girar os braços ou flexionar os joelhos e rodar também. Mas tentar alcançar o pé com as mãos flexionando a coluna para frente é um alongamento,

esticar todo o corpo para cima e ficar na ponta do pé também.

A PESQUISA

O estudo foi realizado com 20 alunos da disciplina Medidas e Avaliações em Educação Física, da Faculdade de Educação Física (FEF) da UnB. Os estudantes foram divididos em três grupos, cada um com duas mulheres. “A turma toda tinha apenas seis mulheres e para ter uma amostra homogênea em cada grupo, foi necessário dividi-las pelos grupos”, explica o estudante da FEF Paulo Aires de Lucena Leal, que ajudou López na coleta e análise de dados. Todos os voluntários fizeram o teste de banco de Wells, utilizado para medir a flexibilidade da parte posterior do tronco e pernas. A pessoa senta-se de frente para o banco, colocando os pés no apoio com os joelhos estendidos, ergue os braços, sobrepondo uma mão a outra, e leva as duas para a frente até que toquem a régua do banco.

Os estudantes passaram por uma medição de sua flexibilidade ativa (aquela que a pessoa realiza com seu próprio esforço), e passiva (aquela que a pessoa fica relaxada e outra ajuda a executar o movimento). O grupo A realizou cinco minutos de aquecimento e cinco minutos de alongamento, o grupo B fez somente 10 minutos de alongamento e o grupo C realizou cinco minutos de alongamento e cinco minutos de aquecimento. Todos fizeram o mesmo teste.

RESULTADOS

Depois dos exercícios, tanto a flexibilidade ativa quanto a passiva são maiores – o que vale para os três grupos. A flexibilidade passiva, com a ajuda de um companheiro é sempre maior que a ativa realizada individualmente.

Quando se comparam os resultados entre os grupos, observa-se mais flexibilidade no grupo que fez o alongamento após o aquecimento. Observa-se que no grupo A (aquecimento+alongamento), houve um acréscimo de 6,29 cm na flexibilidade ativa e 6,07 cm na passiva, e nos grupos B (alongamento) e C (alongamento+aquecimento) os acréscimos foram de 4,43 cm (ativa), 4,71 cm (passiva) e 4,42 cm (ativa) e 4,50 cm (passiva) respectivamente.

Por conta desses resultados, os autores do estudo recomendam, devido aos efeitos fisiológicos de cada tipo de exercício, aquecimento para os músculos e articulações, seguido de alongamento para obter maior flexibilidade e elasticidade. Paulo Leal ressalva que o assunto precisa ser mais pesquisado para verificar os efeitos em uma amostra significativa. “Também seria interessante verificar os efeitos do aquecimento e alongamento na força muscular”, acrescenta.

BENEFÍCIOS DO AQUECIMENTO

- Aumenta o fluxo sangüíneo nos músculos

- Lubrifica as articulações

- Melhora a elasticidade dos músculos

- Aumenta a motivação e excitação

- Reduz o potencial de lesões

BENEFÍCIOS DO ALONGAMENTO

- Reduz as chances de distensão nos músculos

- Melhora o desempenho

- Reduz a dor muscular e acelera a recuperação

- Estimula o praticante para o treino

- Permite que os músculos trabalhem a amplitude dos movimentos

Fonte: Assessoria de Imprensa da UnB

AQUECIMENTO E ALONGAMENTO NA PRÁTICA DESPORTIVA

Todos praticantes de atividades desportivas sabem que o aquecimento e alongamento muscular devem ser realizados em conjunto ao esporte para prevenção de lesões. O problema é que o atleta recreacional não realiza adequadamente esta prática, por desconhecimento e falta de orientação, ao contrário dos atletas profissionais que são orientados por Educadores Físicos. Vamos tentar esclarecer porque e como podemos realizar corretamente o aquecimento e o alongamento na prática desportiva.

O aquecimento muscular e articular deve ser realizado sempre antes do inicio do

esporte, sendo que nesta fase o alongamento não tem grande importância. O aquecimento serve para aumentar o fluxo sanguineo e temperatura intramuscular, o que levaria a uma melhor resposta de movimento, melhor oxigenação muscular pela elevação da temperatura, aumentando a resposta neural e metabólica.

Vários tipos de aquecimento podem ser realizados: passivo como massagens e aplicação de calor, global como trotes e movimentos que envolvem todo corpo, e específicos que usam os movimentos do gesto esportivo. Por exemplo, no tênis devemos realizar, aumentando gradativamente a intensidade, o gesto do saque, devolução direita e esquerda, corridas com paradas bruscas e mudanças de direção. Estes movimentos servem para recrutar as unidades motoras intramusculares que mais serão usadas na prática desportiva. Também o aquecimento das articulações aumenta a produção do líquido sinovial, melhorando a qualidade do movimento. Indicamos realizar o aquecimento imediatamente antes do inicio da atividade desportiva.

O alongamento muscular deve ser realizado após o término da atividade desportiva,

sempre levando em conta o nível de fadiga muscular. Os músculos aquecidos ganham maior flexibilidade momentânea e por isso devem ser realizados alongamentos passivos, no mínimo 30 segundos, para cada segmento. Todos os segmentos musculares são importantes, devendo ser alongados individualmente. Se houver um nível de fadiga muito alto, então inicialmente deve ser feito o relaxamento muscular.

Os exercícios de alongamento reduzem os encurtamentos músculo-tendineos, melhoram a flexibilidade, melhoram a coordenação motora e circulação sanguínea, prevenindo lesões. Também fazem que os músculos impregnados pelas substâncias “queimadas” durante os esforços, causando diminuição de sua flexibilidade, sejam melhor vascularizados e excretem mais rapidamente estas substancias, diminuindo a dor muscular tardia.

A perfeita associação do aquecimento e alongamento muscular na prática desportiva leva o atleta conseguir músculos melhores desenvolvidos e mais saudáveis, diminuindo muito o risco de lesões. Então, vença a preguiça antes e depois do jogo, aqueça e alongue para ter uma vida desportiva mais saudável.

Artigo publicado no Jornal Match Point

www.jornalmatchpoint.com.br