Você está na página 1de 12

EAC0532

Noções de atuária para contadores

7.

Conceitos básicos de matemática

atuarial (fundamentos de matemática

financeira, rendas aleatórias)

CSM (2006, cap. 3) Parmenter (1999, cap. 8) Vilanova (1969, cap. II) Azevedo (2008, cap. 21)

Prof. Dr. Luís Eduardo Afonso

lafonso@usp.br

Matemática financeira x Matemática atuarial

a) Matemática financeira:

 

Fluxos de valores distribuídos ao longo de tempo

Cálculos deterministas

 

Valores presentes calculados por meio de uma taxa de desconto (ou taxa de juros) i

b) Matemática atuarial (casos aqui estudados):

 

Fluxos de valores distribuídos ao longo de tempo

Cálculos têm que incorporar risco e probabilidades

Valores presentes calculados por meio de uma taxa de desconto (ou taxa de juros) i e pela probabilidade de sobrevivência de (x) a cada idade, que representa o risco biométrico

2

Matemática financeira x Matemática atuarial

Exemplo usual de Matemática Financeira:

Calcule o valor presente de um fluxo anual B por um

número infinito de períodos, pagável a partir do primeiro

período.

Esse problema corresponde ao cálculo da Contribuição Única Pura (CUP).

B

B

B

x

x + 1

x + 2

x + 3

.

.

.

.

.

CUP

3

Matemática financeira x Matemática atuarial CUP B.v B.v B.v v 1 Sendo i a taxa
Matemática financeira x Matemática atuarial
CUP
B.v
B.v
B.v
v
1
Sendo i a taxa de juros, define-se
1
2
3
1
i
1
1
2
1
3
CUP
B.
B.
B.
1
i
1
i
1
i
CUP
B
v
t
t
1
1
1
B
a
1
i
CUP
1
i
B
CUP
1
B
B
i
B t
1
q
1
1
i
1
i
1
1
1
i
1
i
4

Matemática financeira x Matemática atuarial

Exemplo de Matemática Atuarial:

Calcule o valor presente de um fluxo anual B (CUP) por

um número infinito de períodos, pagável a partir do

primeiro período. Agora deve-se incorporar o risco biométrico. Ou seja, a probabilidade de sobrevivência do indivíduo a cada período

B

B

B

x

x + 1

x + 2

x + 3

.

.

.

.

.

CUP

5

Matemática financeira x Matemática atuarial A equação para cálculo da CUP passa a ser dada
Matemática financeira x Matemática atuarial
A equação para cálculo da CUP passa a ser dada por:
CUP
B.v
1
. p
B.v
2
.
p
B.v .3 p x
3
1
x
2
x
1
1
2
1
3
CUP
B .
.
p
B
.
.
p
B
.
.
p
1 1 i
1
x
1
i
2
x
1
i
3
x
t
CUP
B .
. p
1 1 i
t
x
t
1
6
 

Exemplo 1

Uma pessoa com idade x faz uma CUP que lhe dá o direito a receber por n anos uma renda anual B, pagável a partir do primeiro período.

a) Represente o fluxo financeiro do problema.

b) Resolva o problema por meio da matemática financeira usual. Ou seja, calcule a CUP.

c) Incorpore o risco biométrico e resolva novamente o problema, empregando tábua AT83.

Obs. Em seus cálculos adote os seguintes valores:

x = 60 anos

 

B

= R$ 5.000

i = 6% a.a.

 

n

= 4

7

Exemplo 1

a) Represente o fluxo financeiro do problema.

 

B

B

B

B

60

61

62

63

64

CUP

 

8

Exemplo 1 b) Resolva o problema por meio da matemática financeira usual 1 1 1
Exemplo 1
b)
Resolva o problema por meio da matemática financeira usual
1
1
1
2
1
3
1
4
CUP
B.
B.
B.
B.
1
i
1
i
1
i
1
i
1
1
n
1
n
1
t
a
1
q
n
1
i
1
i
CUP
B.
B.
1
B.
1
i
1
q
1
t
1
1
1
i
1
1
n
1
n
1
1
1
i
1
i
1
i
CUP
B.
CUP
B.
1
i
1
i
1
i
9
Exemplo 1 b) Resolva o problema por meio da matemática financeira usual 1 n 1
Exemplo 1
b) Resolva o problema por meio da matemática financeira usual
1
n
1
4
1
1
1
i
1
0,06
CUP
B.
CUP
5000.
i
0,06
10

Exemplo 1

c) Incorpore o risco biométrico e resolva novamente o problema. Tábua AT 83 (resumida)

Idade (x )

l x

q x

p x

60

896.674

0,008338

0,991662

61

889.197

0,008983

0,991017

62

881.209

0,009740

0,990260

63

872.626

0,010630

0,989370

64

863.350

0,011664

0,988336

 

B

B

B

B

60

61

62

63

64

 

11

CUP

 

Exemplo 1

c) Incorpore o risco biométrico e resolva novamente o problema.

1 1 1 2 1 3 1 4 B. . p B. . B. .
1
1
1
2
1
3
1
4
B.
. p
B.
.
B.
. p
B.
.
1
i
1
x
1
i
2
x
1
i
3
x
1
i
4

CUP

p

x

p

x

CUP

v . p

Lembrando que

n

p x

l x n
l
x
n
n 1 B. t . p B. n t 1 i t x t t
n
1
B.
t . p
B.
n
t
1
i
t
x
t
t
1
t
1

l

x

Tábua AT 83 (resumida)

Idade(x)

l x

q x

p x

60

896.674

0,008338

0,991662

61

889.197

0,008983

0,991017

62

881.209

0,009740

0,990260

63

872.626

0,010630

0,989370

64

863.350

0,011664

0,988336

n p 60 1,000000 0,991662 0,982754 0,973182 0,962837
n p 60
1,000000
0,991662
0,982754
0,973182
0,962837
v n v n . n p 60 1,000000 1,000000 0,943396 0,935530 0,889996 0,874647 0,839619
v n
v n . n p 60
1,000000
1,000000
0,943396
0,935530
0,889996
0,874647
0,839619
0,817102
0,792094
0,762657
12
Exemplo 1 c) Incorpore o risco biométrico e resolva novamente o problema. 1 1 1
Exemplo 1
c) Incorpore o risco biométrico e resolva novamente o problema.
1
1
1
2
1
3
1
4
CUP
B.
. p
.
p
.
p
.
p
1
i
1
60
1
i
2
60
1
i
3
60
1
i
4
60
CUP
B
0,991662.0,943396 0,973182.0,839619
0,962837.0,792094 0,982754.0,889996
CUP
B 0,935530
0,874647
0,817102
0,762657
13
 

Exemplo 2

 

Uma pessoa com idade x faz uma CUP que lhe dá o direito a receber por n anos uma renda anual B, pagável a partir do primeiro período.

a) Represente o fluxo financeiro do problema.

b) Resolva o problema por meio da matemática financeira usual. Ou seja, calcule a CUP.

c) Incorpore o risco biométrico e resolva novamente o problema, empregando a tábua AT2000.

Obs. Em seus cálculos adote os seguintes valores:

x

= 70 anos

 

B

= R$ 10.000

i

= 6% a.a.

n

= 3

14

 

Exemplo 2

 

a) Represente o fluxo financeiro do problema

 

B

B

B

 

70

71

72

73

 

CUP

 

15

Exemplo 2 b) Resolva o problema por meio da matemática financeira usual 1 n 1
Exemplo 2
b) Resolva o problema por meio da matemática financeira usual
1
n
1
1
i
CUP
B.
i
1
3
1
1
0,06
CUP
10.000.
0,06
16

Exemplo 2

c) Incorpore o risco biométrico e resolva novamente o problema. Tábua AT2000 (resumida) Idade (x
c) Incorpore o risco biométrico e resolva novamente o problema.
Tábua AT2000 (resumida)
Idade (x )
l x
q x
p x
70
830.903,12
0,016979
0,983021
71
816.795,22
0,018891
0,981109
72
801.365,14
0,020967
0,979033
73
784.562,92
0,023209
0,976791
B
B
B
70
71
72
73
17
CUP
Exemplo 2 c) Incorpore o risco biométrico e resolva novamente o problema. 1 2 3
Exemplo 2
c) Incorpore o risco biométrico e resolva novamente o problema.
1
2
3
CUP
B
.
. p
.
p
.
p
1 1 i
1
x
1 1 i
2
x
1 1 i
3
x
t
l
CUP
B .
n
.
p
B
.
3
v
t
.
p
p
x
n
1 1 i
t
x
t
x
n
x
l
Lembrando que
t
1
t
1
x
Tábua AT2000 (resumida)
Idade (x )
l x
q x
p x
v n
n p 70
v n . n p 70
70 830.903,12
0,016979
0,983021
1,000000
1,000000
1,000000
71 816.795,22
0,018891
0,981109
0,983021
0,943396
0,927378
72 801.365,14
0,020967
0,979033
0,964451
0,889996
0,858358
73 784.562,92
0,023209
0,976791
0,944229
0,839619
0,792793
18
 

Exemplo 2

 

c) Incorpore o risco biométrico e resolva novamente o problema.

CUP

1 1 B. 1 i 1
1
1
B.
1
i
1

. p

70

1 2 . 1 i 2
1
2
.
1
i
2

p

70

1 3 . 1 i 3
1
3
.
1
i
3

p

70

CUP

CUP B 0,983021 .0,943396
CUP B 0,983021 .0,943396

B 0,983021 .0,943396

0,964451 .0,889996 0,944229 .0,839619 19

0,964451 .0,889996

0,964451 .0,889996 0,944229 .0,839619 19

0,944229 .0,839619

19

Rendas aleatórias - Quadro resumo

Antecipada (vencida) a Vitalícia Postecipada 1 Imediata Antecipada (vencida) b Temporária Postecipada A
Antecipada (vencida)
a
Vitalícia
Postecipada
1
Imediata
Antecipada (vencida)
b
Temporária
Postecipada
A Constante
Antecipada (vencida)
a
Vitalícia
Postecipada
2
Diferida
Certa
Antecipada (vencida)
Renda
b
Temporária
Aleatória
Postecipada
1º termoigual razão (Crescente)
a PA
Cresc .
1º termodiferente razão
1
Lei matemática
Decresc .
B
Variável
Crescente
b
PG
Decrescente
20
2
Irregular

Anuidades - Definição

De forma geral, define-se uma uma anuidade como um fluxo continuado de pagamentos feitos em intervalos regulares

21

Anuidades - Definições a) Uma anuidade imediata vitalícia postecipada pagável a (x) a partir da
Anuidades - Definições a) Uma anuidade imediata vitalícia postecipada pagável a (x) a partir da

Anuidades - Definições

Anuidades - Definições a) Uma anuidade imediata vitalícia postecipada pagável a (x) a partir da idade
a) Uma anuidade imediata vitalícia postecipada pagável a (x) a partir da idade x +
a)
Uma anuidade imediata vitalícia postecipada pagável a (x) a
partir da idade x + 1, enquanto viver, é dada pelo fluxo
abaixo
1
1
1
.
.
.
.
.
x
x + 1
x + 2
x
+ 3
O valor presente dessa anuidade imediata vitalícia postecipada,
em t = 0, é dado por
1
1
1
2
1
3
a
. p
.
p
.
p
x
1
i
1
x
1
i
2
x
1
i
3
x
t a . p x 1 1 i t x t 1
t
a
. p
x
1 1 i
t
x
t
1

a

x

t t
t
t
t 1
t
1

v . p

x

22

Anuidades - Definições

b) Uma anuidade imediata temporária postecipada pagável a (x) a partir da idade x + 1, por n períodos, é dada pelo fluxo abaixo

 

1

1

1

1

x

x + 1

x + 2

x

+ 3

.

.

.

.

.

x + n

O valor presente dessa anuidade imediata temporária postecipada, em t = 0, é dado por

1 1 1 2 1 3 1 n a . p . p . p
1
1
1
2
1
3
1
n
a
. p
.
p
. p
.
x:n
1
i
1
x
1
i
2
x
1
i
3
x
1
i
n
n 1 t a x:n 1 i t t 1
n
1
t
a
x:n
1
i
t
t
1

p x

1 3 1 n a . p . p . p . x:n 1 i 1

p

x

n

a

x

n

a

x

n

a

x

x:nn a x n v t t t 1 p x

x:n
n v t t t 1
n
v
t
t
t
1

p

x

Anuidades - Definições

c) Uma anuidade diferida vitalícia postecipada pagável a (x) a partir da idade x +
c) Uma anuidade diferida vitalícia postecipada pagável a (x) a
partir da idade x + n + 1, enquanto viver, é dada pelo fluxo
abaixo
1
1
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
x x + 1
x + 2
x + n
x + n + 1
x + n + 2
O valor presente dessa anuidade diferida vitalícia
postecipada, em t = 0, é dado por
1
n
1
1
n
2
1
n
3
a
.
p
.
p
.
p
n
x
1
i
n
1
x
1
i
n
2
x
1
i
n
3
x
1
t
a
p x
n
x
1
i
t
t
n
1
24

Anuidades - Definições

d) Uma anuidade imediata vitalícia antecipada (vencida) pagável a

(x)

a partir da idade x, enquanto viver, é dada pelo fluxo abaixo

1

1

1

x

x + 1

x +

2

.

.

.

.

.

O

valor

presente

dessa

 

anuidade

imediata

vitalícia

antecipada, em t = 0, é dado por

a 

x

a

x

1 0 1 1 1 2 . p . p . 1 i 0 x
1
0
1
1
1
2
. p
. p
.
1
i
0
x
1
i
1
x
1
i
2

p

x

1 t 1 i t t 0
1
t
1
i
t
t
0

p x

a v t p x t x t 0
a
v
t
p
x
t
x
t
0
1 1 1 2 . p . p . 1 i 0 x 1 i 1

25

Anuidades - Definições

e) Uma anuidade imediata temporária antecipada pagável a (x) a partir da idade x, por n anos, é dada pelo fluxo abaixo

1

1

1

1

x

x + 1

x + 2

.

.

.

.

.

x + n

- 1

x + n

O valor presente dessa anuidade imediata temporária

antecipada, em t = 0, é dado por

1 0 1 a 1 . p 1 2 . p . p 1 n
1
0
1
a
1
. p
1
2
. p
.
p
1
n
1
.
x:n
1
i
0
x
1
i
1
x
1
i
2
x
1
i
n
1
n 1 1 t a p x n x x:n 1 i t t 0
n
1
1
t
a
p x
n
x
x:n
1
i
t
t
0

n

n 1 a v t x x:n t t 0
n
1
a
v
t
x
x:n
t
t
0

p

x

n

a

x

p

x

Anuidades - Definições

f) Uma anuidade diferida vitalícia antecipada (vencida) pagável a

(x) a partir da idade x + n, enquanto viver, é dada pelo fluxo

abaixo

 

1

1

1

 

x

x + 1

x + 2

.

.

.

.

.

x + n

x + n + 1

x + n + 2

.

.

.

.

.

O

valor

presente

dessa

 

anuidade

diferida

vitalícia

 

antecipada, em t = 0, é dado por

n

a

x

n n 1 n 2 . p . p . p 1 1 i n
n
n
1
n
2
.
p
.
p
.
p
1 1 i
n
x
1 1 i
n
1
x
1 1 i
n
2
x
1 t a n x 1 i t t n
1
t
a
n
x
1
i
t
t
n

p x

27x n n 1 n 2 . p . p . p 1 1 i n

Anuidades - Definições

g) Uma anuidade diferida temporária postecipada pagável a (x) a partir da idade x +
g) Uma anuidade diferida temporária postecipada pagável a (x) a
partir da idade x + m + 1, por n anos, é dada pelo fluxo abaixo
1
1
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
x x + 1
x + m
x + m + 1
x + m + n
O valor presente dessa anuidade diferida temporária
postecipada, em t = 0, é dado por
1
m
1
1
m
2
1
m
n
a
a
.
p
.
p
.
p
m
x:n
m
n
x
1
i
m
1
x
1
i
m
2
x
1
i
m
n
x
m
n
1
t
a
a
m
n
1
i
p x
a
v
t
p
m
x:n
m
n
x
t
a x
m
t
t
m
1
x:n
m
n
x
t
m
1

Anuidades - Definições

h) Uma anuidade diferida temporária antecipada (vencida) pagável a (x) a partir da idade x
h) Uma anuidade diferida temporária antecipada (vencida)
pagável a (x) a partir da idade x + m, por n anos, é dada
pelo fluxo abaixo
1
1
1
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
x x + 1
x + m
x + m + 1
x + m + n - 1
x + m + n
O valor presente dessa anuidade diferida temporária
antecipada, em t = 0, é dado por
m
m
1
m
n
1
a

a 
.
p x
.
p
.
p x
m
x n
:
m
n
x
1 1
i
m
1 1 i
m
1
x
1 1 i
m
n
1
1
t
a

a 
m
n
1
m
n
1
p x
a 
a x

v
t
p
m
x:n
m
n
x
1
i
t
m
m
n
t
x
t
m
x:n
t
m
Anuidades & Comutações Nos dois exemplos numéricos, o cálculo da CUP foi obtido por meio
Anuidades & Comutações
Nos dois exemplos numéricos, o cálculo da CUP foi obtido por
meio de
n
t
CUP
B .
.
p
B
.
n
v
t
.
p
1 1 i
t
x
t
x
t
1
t
1
As anuidades podem ser escritas de forma genérica como
Anuidade
n
v
t
p
t
x
t
i
n
v
t
p
A somatória
t
x
para n períodos ou infinitos períodos
t
i
aparece recorrentemente em matemática atuarial e dá origem
ao que se designa por Comutações

Comutações

Na Tábua de Comutação há uma série de colunas em que aparecem os números de comutação resultantes da multiplicação das funções l x e d x de uma determinada Tábua de Mortalidade, por uma dada taxa de juros.

Para cada Tábua de Mortalidade, existem tantas Tábuas de Comutação quantas forem as taxas de juros escolhidas.

31

 

Comutações

Colunas da Tábua de Comutação:

 

x D x

Idades Valor descontado do número de sobreviventes de cada idade. Dado por:

Dx

D x l x . v x

lx .v

x

N x

Soma de D x a D , em que

Soma de D x a D , em que é a idade que não pode ser
Soma de D x a D , em que é a idade que não pode ser

é a idade que

não pode ser atingida por nenhum componente do grupo. Dado por:

N

x

N x D x t t 0
D x t t 0
D
x
t
t
0

32

 

Comutações

Colunas da Tábua de Comutação:

 

S x

Soma de N x a N

. Dada pela expressão

Soma de N x a N . Dada pela expressão

S

x

N x t 0
N
x
t
0
t
t
 

C x

Valor descontado do número de mortos em cada idade x . Dado pela expressão:

 

C

x

x d x . v x

d

x

.

v

x

1
1
 

33

Comutações

Colunas da Tábua de Comutação:

Analogamente às expressões de N x e S x temos:

M x

Soma de C x a C

N x e S x temos: M x – Soma de C x a C .

. Dada por:

M

x

C x t t 0
C
x
t
t
0

R x

Soma de M x a M

. Dada pela expressão

0 R x – Soma de M x a M . Dada pela expressão R x

R

x

M x t t 0
M
x
t
t
0

34

Comutações

Construindo uma Tábua de comutações a partir da AT83.

Como fazer isso?

35