Você está na página 1de 31

Verbo

Breve apresentação do verbo e sua


variabilidade.

rsn
2007/08
Definição
 Os verbos são palavras variáveis e
exprimem acções, estados, qualidades ou
existência.

 Têm seis categorias: número,


mero pessoa,
pessoa
tempo,
tempo modo,
modo aspecto e voz.
voz
Conjugações
 Existem três tipos de conjugação:
ão

 1º Conjugação – verbos cuja vogal


temática é –a.
pensar – a – r
(radical)
radical + vogal temática + desinência
 2º Conjugação – verbos cuja vogal
temática é –e.
beb – e – r
(radical)
radical + vogal temática + desinência

 3º Conjugação – verbos cuja vogal


temática é –i.
part – i – r
(radical)
radical + vogal temática + desinência
Flexão dos verbos
 Quanto à flexão, os verbos podem classificar-se em:

 Verbos regulares – mantêm o radical em toda a sua


conjugação, ex.: cantar,
cant partir,
part vender,
vend etc.
 Verbos irregulares – apresentam alteração de radical
ao longo da conjugação, ex.: estar,
estar ser,
ser pedir,
pedir etc.
 Verbos defectivos – não se usam em certos tempos,
modos ou pessoas, ex.: chover,
chover nevar,
nevar etc.
Esquema da conjugação verbal
Modos verbais

 Os modos são as diferentes formas que o


verbo toma de acordo com a atitude (de
certeza,
certeza de desejo,
desejo de dúvida,
vida de
mando,
mando etc.) de quem fala em relação
àquilo que está a dizer.
 Modo indicativo – apresenta o facto
como uma realidade,
realidade uma certeza, ex.: Os
alunos não faltaram às aulas.
 Modo conjuntivo – apresenta o facto
como um desejo,
desejo uma possibilidade, uma
dúvida ex.: Oxalá, os alunos não faltem às
aulas.
 Modo condicional – apresenta o facto
como uma hipótese,
tese dependendo de uma
condição, ex.: Se não houvesse
transportes, os alunos faltariam às aulas.
 Modo imperativo – apresenta o facto
como uma ordem,
ordem um conselho,
conselho um
pedido,
pedido ex.: Por favor, vai às aulas.
Nota:
Nota
Nas frases negativas, o imperativo é
substituído pelo conjuntivo.
conjuntivo O mesmo
acontece nas frases afirmativas, na
linguagem familiar.

Ex.: Não faltem às aulas, por favor. / Venham às


cinco, meninos.
 Modo infinitivo – apresenta o facto de
maneira abstracta,
abstracta ex.: Faltar às aulas
acontece.
Conjugação perifrástica

 A conjugação perifrástica consiste


na junção de um verbo auxiliar e,
geralmente, uma preposição a um verbo
principal,
principal no infinitivo ou no gerúndio,
ndio para
lhe conferir novas significações.
 Os verbos auxiliares da
conjugação perifrástica que se utilizam
com mais frequência são: ir,ir vir, andar,
andar
dever,
dever estar,
estar ter,
ter haver,
haver começar,
ar acabar,
acabar
ficar,
ficar continuar.
continuar
 Significações mais frequentes
conferidas aos verbos através da
conjugação perifrástica:
 Duração do processo – andar a, a estar a +
infinitivo ou estar/andar + gerúndio.
ndio
Exemplo:
Exemplo ando a ler um livro / estou lendo um
livro.
 Início do processo – começar a,
a +
infinitivo.
Exemplo:
Exemplo comecei a ler um livro.

 Fim do processo – deixar de,


de + infinitivo,
acabar de, estar a + infinitivo.
Exemplo:
Exemplo deixei de fumar;
fumar acabei de tomar
banho;
banho estive a estudar.
estudar
 Necessidade ou obrigação – ter de +
infinitivo.
Exemplo:
Exemplo tenho de trabalhar.
trabalhar

 Certeza – haver de + infinitivo.


Exemplo:
Exemplo havemos de conseguir.
conseguir
 Intenção – estar para, haver de +
infinitivo.
Exemplo:
Exemplo estive para telefonar;
telefonar hei-de
fazer.
fazer

 Simultaneidade – ir a, vir a, estar a +


infinitivo.
Exemplo:
Exemplo Vinha a pensar em ti,
ti quando te
encontrei.
 Probabilidade ou dever – dever +
infinitivo.
Exemplo:
Exemplo A minha mãe deve estar a
chegar.
chegar

 Compromisso – ficar de + infinitivo.


Exemplo:
Exemplo Fiquei de lhe telefonar.
telefonar
Conjugação pronominal

• A conjugação pronominal é uma forma


especial de conjugação em que as formas
verbais são acompanhadas de pronomes.
• Existem três tipos de conjugação
pronominal:
pronominal conjugação pronominal /
conjugação pronominal reflexa /
conjugação pronominal recíproca.
proca
Conjugação pronominal
 Colocados os pronomes antes dos
verbos, não se alteram: Não o dou;
 Colocados os pronomes depois do verbo,
as formas o/a, os/as passam a lo/los,
quando a forma verbal termina em –r, -s,
-z (estas consoantes são suprimidas) – tu
dá-lo – e passam a –no/ no nos,
nos na/na nas,
nas
quando a forma verbal termina em sílaba
nasal: eles dão-no.
no
Conjugação pronominal reflexa
O sujeito pratica e sofre a acção,ão ou
seja, a acção do sujeito recai sobre ele
próprio. O pronome aparece como
complemento directo.
 Utilizam-se os pronomes pessoais me,
me te,
te
se,
se nos,
nos vos,
vos se – eu distraio-me,
me tu
distrais-te,
te ele distrai-se…
se
Conjugação pronominal recíproca

 Exprime reciprocidade na acção


praticada, ou seja, a acção de cada um
dos sujeitos recai sobre ambos.
 Esta conjugação utiliza-se apenas no
plural, com os pronomes nos, vos e se –
nós cumprimentamo-nos,
nos vós
cumprimentais-vos…
vos
Colocação do pronome junto do verbo

• Geralmente, o pronome, qualquer


pronome, coloca-se depois do verbo,
ligado a ele por um hífen – Disse o meu
número de telefone e ele escreveu-o.
• O pronome coloca-se antes do verbo,
quando as frases estão na forma negativa
– Não te repito o aviso – ou quando o
verbo está no modo conjuntivo – Espero
que me escrevas.
Voz activa / voz passiva
• Os verbos podem ser conjugados em
vozes na voz activa - indicando que
duas vozes:
o sujeito pratica a acção expressa pelo
verbo - e na voz passiva - indica que o
sujeito recebe a acção expressa pelo
verbo.
Os alunos lêem livros nas aulas.
Livros são lidos pelos alunos nas aulas.
Conjugação do verbo na voz passiva

• Para conjugar o verbo na voz passiva, passiva


recorre-se ao verbo “ser”,
ser como auxiliar,
auxiliar
conjugado no tempo e modo do verbo na voz
activa, acrescentando-lhe o particípio passado
do verbo principal.
principal

Os alunos lêem livros nas aulas.


Livros são lidos pelos alunos nas aulas.

Nota pelos alunos desempenha a função de agente da passiva.


Nota: passiva