Crónica Nº 89 - O SEU CÉREBRO NO DIA A DIA DO TRABALHO.

Por Henrique de Almeida Cayolla

Introdução: Este interessante tema é explicado de uma forma simples, pela Dr.ª Susana Herculano-Houzel, da Universidade do Rio de Janeiro, que explica como as diversas emoções que temos diariamente, nos podem ser benéficas ou perigosas, no desempenho do trabalho e na motivação profissional. Estão então aqui coligidas e trabalhadas algumas das competentes opiniões desta profissional.

O STRESS.
«Complexo e repleto de ligações, o cérebro reage de maneiras diferentes a cada situação enfrentada. A necessidade de um resultado rápido desencadeia uma poderosa onda de stress, e esse projecto faz com que a ansiedade mande constantes mensagens de alerta. O STRESS é uma força que provoca transformações mentais e físicas no corpo. O coração dispara, a pressão arterial aumenta e o cérebro reage para que possa enfrentar novos problemas. A princípio, o stress é bom, porque faz com que os níveis de atenção cresçam. Isso só acontece quando o profissional sente que tem controle sobre a situação e que é capaz de encontrar soluções para o problema. O STRESS se torna perigoso no momento em que a pessoa acha que não consegue dar conta do trabalho e entra num estado de paralisia. A situação fica drástica quando alguém precisa fazer grandes esforços para tentar ultrapassar um desafio e não consegue.

UMA MELHOR QUALIDADE DE VIDA É FUNDAMENTAL.
TRÊS FACTORES SÃO IMPORTANTES: LAZER, SONO E EXERCÍCIO. O primeiro passo é parar de pensar nos problemas assim que o expediente terminar. Um profissional não consegue relaxar se for para casa e ficar remoendo as obrigações do dia seguinte. Desligar-se é vital. O LAZER ajuda nessa tarefa, pois faz com que o cérebro se ocupe com actividades que nos dão prazer, e se sinta satisfeito e recompensado. O SONO faz com que o cérebro registe as actividades desenvolvidas durante o dia e crie estratégias para resolver novos problemas. Uma boa noite de sono ajuda a regenerar os neurónios do hipocampo, parte do cérebro que cuida da memória recente. Essas novas células ampliam a capacidade de aprendizagem e auxiliam na administração do stress. OS EXERCÍCIOS também mantêm o hipo tálamo em bom funcionamento. Mas tem que ser alguma actividade física que dê prazer. Caso contrário, o cérebro vai encontrar mais um motivo para se stressar.·

UMA DAS QUEIXAS MAIS COMUNS ENTRE OS PROFISSIONAIS É A DIFICULDADE EM PLANEAR TAREFAS.
Ora é possível treinar o cérebro para ter uma organização mental. Senão vejamos: Nós temos uma agenda interna no hipocampo que funciona como uma lista de tarefas, armazenando as informações mais novas do dia. Para funcionar bem, o cérebro precisa dar prioridade a essas actividades e diminuir a complexidade dos problemas. Esse é o segredo do bom planeamento mental. A satisfação aparece quando nós resolvemos aquilo que nos deixa angustiados. Por isso é importante dividir os grandes problemas em pequenos desafios, que podem ser resolvidos com mais facilidade, e traçar uma estratégia simples para solucioná-los.

A MOTIVAÇÃO É UM DOS PONTOS-CHAVE PARA QUE CADA UM SE SINTA REALIZADO COM O SEU TRABALHO.
Quando tem uma decisão a tomar, o cérebro activa o sistema de recompensa. Se o cérebro determina que o fracasso é o resultado mais provável, o corpo não sai do lugar. A motivação só acontece quando a mente manda o sinal de que há pelo menos 50% de chance de uma actividade ser bem-sucedida. É a antecipação do sucesso e a sensação de uma recompensa futura que estimulam uma pessoa a se dedicar a uma tarefa, por mais desgastante que seja.

A REDUÇÃO DAS EQUIPAS.
Quando isto acontece, os profissionais têm mais objectivos para cumprir e menos tempo para entregar bons resultados. Qual é a reacção do cérebro nesses casos? A manifestação mais comum é a ansiedade, quando o cérebro manda sinais de preocupação com problemas que ainda não existem, mas que aparecerão depois. A inquietação com o futuro é maravilhosa, porque é uma maneira de se preparar antecipadamente para o que está por vir. Por mais que os chefes insistam que é preciso estar atento e bem informado para as metas do próximo mês, a pressão interna causada pela ansiedade é completamente pessoal e inevitável.· A ansiedade fica perigosa quando a inquietação é tanta que o cérebro se convence de que não tem nenhum domínio sobre as situações futuras e começa a fazer avaliações exageradas sobre o tamanho do problema a ser resolvido. Isso faz com que a mente fique incapacitada para agir. Se essa sensação persiste por um longo período, surge o estado ansioso crónico, uma doença que precisa ser tratada com remédios e terapia.

IMITAÇÃO DAS ATITUDES DOS CHEFES
É comum que os subordinados imitem as atitudes dos seus chefes, tanto as boas como as más, e isso acontece porque há um sistema no cérebro que nos faz ser capaz de repetir mentalmente as acções das pessoas com as quais convivemos; são os neurónios espelho (é por causa deles que bocejamos logo depois de alguém, por exemplo). Esse mecanismo nos faz imitar o outro e intuir quais são suas

intenções. Mas, para isso, é preciso estar identificado com o líder, senão ir-se-á contestar as suas acções.

NOVOS DESAFIOS.

É importante estar sempre disposto a enfrentar novos desafios, pois se um profissional se mantém o tempo todo numa zona de conforto, sem pensar em nada de diferente, a mente fica enfadada e não cria novas maneiras de resolver problemas. E do que o cérebro mais gosta é ser desafiado, desde que se sinta apto para encontrar soluções. Esse é o ponto mais importante: a sensação de autonomia. As empresas têm que dar certa liberdade para seus funcionários poderem conceber novos projectos. Quem não tem um mínimo poder dentro das empresas fica stressado, se sente incapaz, e se torna uma bomba ambulante de stress.

SÓ O TALENTO NÃO TRANSFORMA ALGUÉM NUM GÉNIO.
A prática e a motivação são fundamentais para que o cérebro se habitue a uma tarefa e encontre as melhores maneiras de realizá-la. Para conseguir dedicar tempo a uma actividade, é necessário que uma pessoa encontre algo que adore fazer. Só conseguimos repetir tantas vezes a mesma tarefa, se o nosso cérebro se sentir recompensado e feliz com isso. Quem ainda não encontrou a sua vocação, precisa experimentar novas actividades, SAINDO DA ZONA DE CONFORTO.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful