Você está na página 1de 9

N – Questões - Flexão

QUESTÕES DE PROVAS E TESTES (Flexão Pura)


(1) Estudo Dirigido 2004-02 – Para cada uma das vigas esquematizadas abaixo, com as respectivas seções transver-
sais mostradas ao lado, pede-se:
a) Traçar o diagrama de forças cortantes, assinalando os valores extremos (+ e -)
b) Traçar o diagrama de momentos fletores, assinalando os valores extremos (+ e -)
c) Determinar o momento de inércia da seção em relação à linha neutra;
d) Determinar o valor da maior tensão normal de tração, e
Determinar o valor da maior tensão normal de compressão.
64
1,8kN/m
2,7kN D = 30

A
1,0m 4,0m 32

32

120
18 kN 12 kN 10 kN/m
B
210

1,2m 0,9m 2,0m 1,8m


12

BARCAÇA TIPO “caixa” p/1.600T


C Comprimento: 50m; Boca: 10m; Pontal: 4m.
Deslocamento leve – 300 toneladas; Calado leve – 0,600m (água doce).
Peso Máximo da Carga (PMC) –1.600 toneladas.
Deslocamento carregado – 1.900 toneladas; Calado carregado: 3,8m (água doce) – Borda livre: 0,20m.

Viagem 1A – Carregamento: porão 1: 600tf; porão 3: 600 tf– porão 2 -vazio

8 longarinas de
convés (12,7 x 150)
Chapa de chapa de
popa (12,7)convés (12,7)
Chapa de 600tf escotilha 600tf 2m 2m
proa (12,7)

PORÃO 2 3,8 quilha


PORÃO 1 (vazio) PORÃO 3 (25,4 x
280)

2,5 15m 15m 15m 2,5 10m


0,2
tanque de chapa do
4 anteparas tanque de 10 longarinas de
colisão fundo (15,9)
(12,7mm) colisão AR fundo (15,9 x 200)
AV chapa do
duplo-fundo (12,7)

37
N – Questões - Flexão

8kN 22kN 4kN/m


(2) PROVA 2 (1997-01) Para a viga tipo calha
em “U” esquematizada, pede-se estabelecer: 2m 2m 2m 2m
a) o diagrama de forças cortantes (*);
b) o diagrama de momentos fletores (*);
c) o momento de inércia da seção em relação à
sua linha neutra; 60
d) o valor máximo da tensão normal de tração;
e) o valor máximo da tensão de compressão;
30
(*) indicar os valores extremos. 30 30 30

(3) PROVA 2 - 2004-01– Para a viga esquematizada pede-se:


a) traçar o diagrama de forças cortantes indicando seus valores extremos (+e-);
b) traçar o diagrama de momentos fletores, indicando seus valores extremos (+e-);
c) calcular o momento de inércia baricêntrico da seção transversal da viga.
d) determinar os módulos de resistência à flexão do perfil; 120
e) a máxima tensão normal de tração;
10
f) a máxima tensão normal de compressão

150 8
1,5kN 2,0kN/m 3,0kN

1,0m 1,0m 1,0m 1,0m 1,0m 1,0m 12


50

(4) PROVA 3 – 1989 – 01


Uma laje de concreto é armada
com barras de aço de 16mm de
120 diâmetro a cada 150mm, colo-
cadas a 20mm acima da face
inferior da laje. Sabendo-se que
20
um momento fletor M = 4,0
kN.m é aplicado a cada 300mm
de largura da laje pede-se:
a) a máxima tensão de compres-
150 são no concreto;
M b) a tensão de tração no aço.
Considerar como módulos de
150 elasticidade:
aço – E = 210GPa
concreto – E = 21 GPa.
150 # supor que o concreto:
M
1) suporta tração;
2) não suporta tração.
38
N – Questões - Flexão
QUESTÕES DE PROVAS E TESTES (Flexão Simples)
(5) PROVA 3 - 2003-01 – A viga esquematizada abaixo é construída pela montagem de 4 (quatro)
perfis C188x22* de alumínio (E = 70 GPa) através de parafusos de 10mm de diâmetro, espaçados a
cada 40mm ao longo da viga, conforme indicado. As propriedades geométricas do perfil C188x22 são
apresentadas na tabela a seguir: tm
bm
Dimensão Área Altura Mesa Mesa Alma Eixo X Eixo Y Centróide
2
Nominal (mm ) h (mm) Largura Espessura Espessura IX IY xC Y
6 6
bm (mm) tm(mm) ta (mm) 10 mm 4
10 mm 4 (mm) h c
C 188x22* 2.794 178,0 58,0 9,3 10,6 11,32 0,5740 13,51 X
xC

O carregamento e a montagem da viga são apresentados na figura abaixo:


ta

20 kN/m
Parafusos d=10mm
Espaçados 40mm
A
S B
40mm
1 metro
5 metros 3 metros
Q
Pede-se determinar:
a) as tensões normal e tangencial no ponto Q da dobra da mesa inferior do perfil composto, na seção
S situada 1m à esquerda do apoio da direita (B);
b) a máxima tensão normal ao longo da viga;
c) a máxima tensão tangencial ao longo da viga;
c) a máxima tensão tangencial nos parafusos de união do perfil ao longo da viga;
d) a máxima tensão normal nos perfis de alumínio que constituem a alma, supondo que os dois perfis
que constituem as mesas superior e inferior sejam fabricados em aço (E = 210 GPa).

(6) PROVA 3 – 2003-02 – A viga de alumínio mostrada (E = 70 GPa) tem seção re-
tangular de 15 x 90 mm2 e é reforçada, em sua base, por uma barra chata de 12 x 100 mm2, do mesmo
material, fixada por seções com dois parafusos de 3 mm de diâmetro cada, espaçadas ao longo da
viga, de 20 em 20 mm. Para o carregamento indicado na figura pede-se determinar:
a) – a tensão normal e a tensão tangencial num ponto P da barra de reforço, situado a meio de sua
espessura e distante 30 mm de uma das extremidades, na seção da viga (assinalada com um *)
imediatamente à direita da força concentrada de 2 kN;
b) – a máxima tensão normal de tração e a máxima tensão normal de compressão na viga refor-
çada;
c) – a máxima tensão de cisalhamento na viga reforçada;
d) – a máxima tensão de cisalhamento nos parafusos de união do reforço;
e) – a máxima tensão normal na viga de alumínio, supondo que o reforço fosse substituído por
DUAS barras chatas de aço (E = 210 GPa) de 10 x 30 mm2, simetricamente parafusadas, na basee
no topo da viga de alumínio. 15
2,0kN 30
1,0kN/m 10
1,0kN
* A D=3mm

90
A 30
20
4m 1m 2m
12
P
100 6 (e)
39
N – Questões - Flexão
(7) PROVA 3 – 2004-02 –A viga mostrada na figura abaixo é construída pela união de
três barras chatas de aço (E=210GPa), compostas para formar um perfil “I” através de
cantoneiras e parafusos, como indicado. Sob a ação do carregamento mostrado, pede-
se calcular (considerando desprezível a influência das cantoneiras e furos no cômputo
do módulo de resistência do perfil montado):

a) as tensões normal e tangencial num ponto P da nervura vertical do perfil, situado a 57mm da
junção com a mesa inferior, na seção imediatamente a esquerda do ponto de aplicação da for-
ça concentrada de 6,0kN;
b) as máximas tensões normal e tangencial no perfil;
c) as máximas tensões de cisalhamento e de esmagamento nos parafusos de montagem do perfil,
posicionados em seções com 6 parafusos de 4mm de diâmetro (unindo a nervura às mesas do
topo e da base), equiespaçados ao longo da viga, de 20 em 20mm;
d) a tensão normal máxima na nervura vertical de aço, supondo que as duas mesas de
20x180mm2 sejam fabricadas em alumínio (E = 70GPa) 180

4,5 kN 6,0 kN 6,0 kN/m 20


20

10

2m 1m 3m 1m 200
d = 4mm
P
(8) PROVA 3 – 2004-01 A viga tipo calha em “U” é construída
57
com três barras chatas de aço (E=210GPa) de 200x9mm2, apara-
fusadas na base conforme indica a figura (opções 1 e 2), com 20
parafusos de aço de 3mm de e comprimento 16mm, espaçados
de 10 em 10mm ao longo da viga. Sob a ação do carregamento 180
indicado pede-se:
- as tensões normal e tangencial no plano da seção (*) situada a
1,0m à esquerda do apoio da direita (B), no ponto médio das
paredes verticais do “U” (ponto “M” mostrado);
- as máximas tensões normais de tração e de compressão; 100
- as máximas tensões tangencial e de esmagamento nos parafu- Opção 1
sos; M
- a máxima tensão normal na barra horizontal da base do “U”,
supondo que, apenas ela, fosse fabricada em alumínio (E =
70GPa)
- comparar os resultados obtidos através das opções 1 e 2 para monta-
gem do perfil

1,5 kN 6,0 kN/m 2,5 kN


*
100
Opção 2

M
1m 3m 1m 2m
A B

40
P
N – Questões - Flexão

(9) PROVA 3 – 1992-01 – A viga “I” de


abas largas é construída por soldagem de 250
dois perfis “T” invertidos e é bi-apoiada sob
a ação de uma carga P no meio do vão, con-
forme mostra a figura. Os 6 cordões de solda
a topo são intermitentes, com uma extensão 1,0m 1,0m
de 250mm cada. Considerando as tensões
250
admissíveis:
perfil: σ = 120 MPa (tração e compressão) 25
τ = 75 MPa (cisalhamento)
solda: τ = 80 MPa (cisalhamento), 15 150
pede-se calcular o valor admissível para a
carga P.
150
15
a
25

250

a
(10) PROVA 3 – 1989 – 02
e Para o perfil delgado esquematizado na figu-
ra (e << a), determinar a posição do centro
a
C de torção (C) através da distância δ à nervu-
e ra vertical.

a
(11) PROVA 3 – 2005-01 – A viga esquematiza-
δ e da é fabricada utilizando-se um perfil laminado
S250x52, de aço (E=210GPa, σadm = 127MPa),
a reforçado por duas barras chatas de 130x12 mm2,
de mesmo material, conectadas às mesas do perfil
através de parafusos de aço, com 10mm de
diâmetro. Pede-se determinar:
e
a) valor admissível para a carga distribuída “q”;
b) o número de parafusos e seu espaçamento ao longo da viga, necessários para a fabrica-
ção da viga, supondo uma tensão de cisalhamento admissível nesses parafusos no valor
de 70MPa;
c) o valor admissível para a carga “q” supondo que as barras de reforço fossem de alumínio
(E = 70GPa)
“q”

d = 10mm Perfil
S250x52
12

3,50 m 9.90 m 3,50 m 130

41
N – Questões - Flexão
QUESTÕES DE PROVAS E TESTES (Flexão Composta)
24
24 (12) PROVA 3 – 2004-02 – A viga da prensa hi-
dráulica esquematizada na figura ao lado tem, na
254 seção AA, as tensões normais admissíveis de valo-
res:
254 Tração – 41,4MPa
Corte AA Compressão: 82,8MPa.
Determinar a máxima força P a ser exercida pela
prensa.

80 4,8kN
(13) PROVA 3 - 2000-02
A A Para a coluna curta esquematiza-
15
P da, pede-se determinar as tensões 120
normais no plano da base, nos 10
pontos A e B assinalados, indi-
cando se são de tração ou com-
pressão, bem como os valores das
máximas tensões normais de tra-
ção e de compressão, indicando
305 os pontos da seção onde ocorrem.

60kN 24 A
12
12
B

75 75
(14) Para o pilar curto esquematizado, pede-se de-
terminar as tensões normais no plano da base, nos
B pontos A e B assinalados, indicando se são de tração
ou de compressão.
A
80kN
PROVA 3 – 1996 - 01 62,5
100kN
75
25
25 13 25

100
32 25
50 25
125
75 125
B
B
A
A

PROVA 3 – 2003 - 02
PROVA 3 – 1998 - 02
42
N – Questões - Flexão
(15) PROVA 3 – 1999 – 02
6 O duto de parede fina de seção qua-
100 drada, de medidas externas 100 x 100
mm2, com 6 mm de espessura de pa-
rede, é aberto no trecho BC, tornando-
D
se um perfil tipo cantoneira de abas
iguais, e é submetido a uma força de
C
tração P = 10kN, aplicada num dos
6 B P vértices da seção A, no ponto médio
100 da espessura, como indicado na figura.
Pede-se calcular as máximas tensões
A de tração e de compressão na parede
do duto:
SOLICITAÇÕES COMBINADAS a) nas seções transversais medianas
dos trechos fechados AB e CD;
b) na seção transversal mediana do
(16) PROVA 3 – 2003-01 trecho aberto BC
O acionamento da engrenagem cônica
representada é feito através de uma mancal
força que tem componentes tangencial D = 35mm
(5kN), axial (4kN) e radial (3kN), fa-
zendo com que o eixo maciço em ba-
lanço (d = 35mm) gire torcido, fletido
e comprimido, com velocidade cons- S
5kN
tante de 1750 rpm.
Pede-se determinar, considerando a ω
seção S do eixo, na altura do mancal:
a) (1p) a potência de acionamento; z
b) (1p) a máxima tensão de tração *;
c) (1p) a máxima tensão de compres- y
são*;
100mm
d) (1p) a máxima tensão de cisalha-
mento *.
(*) – indicar, num esboço,
os pontos da seção S S
onde cada tensão calculada
atua, sua direção e sentido. x 3kN
R=50mm 4kN

1,80 m

(17) PROVA 3 – 2003-02 O duto de seção


retangular (120 x 50 mm2 – medidas exter- 800N 1,00 m
nas) mostrado na figura é confeccionado em
chapa de aço (G = 80GPa) com espessura
de 4 mm. Para o carregamento aplicado, 60
4 60
considerando a seção no engastamento, pe-
de-se:
50
a) a maior tensão de tração;
b) a maior tensão de compressão;
120
c) a maior tensão de cisalhamento. 900N
25
(indique, num esboço da seção, os pontos onde
43 25
tais tensões extremas ocorrem)
N – Questões - Flexão

(18) PROVA 3 – 2004 - 02 – Para o tubo de


parede fina de seção circular, com diâmetro ex-
terno 100mm e 3mm de espessura de parede,
considerando a seção S assinalada, pede-se:
a) a tensão normal no ponto A;
b) a tensão tangencial no ponto B;
300
c) mostrar a convergência entre os valores
obtidos para o cálculo da tensão tangencial
z
A média na parede do tubo decorrente do tor-
que, utilizando as duas fórmulas: a para dutos
S
de parede fina e a para tubos de seção circu-
B D=100 e = 3mm
8,0 kN

y 6,0 kN
x
200

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE – DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL


RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS X - Engenharia Mecânica – Prof. Pamplona – Em 06/07/05

(20) 2ª QUESTÃO - A longarina esquematizada (perfil


S250x52) é submetida à força excêntrica de tração P = 10 kN,
aplicada na extremidade da mesa superior, à meia distância de
sua espessura.
P Pede-se determinar, em uma seção afastada da de aplicação da
força concentrada:
a) a máxima tensão de tração;
b) a máxima tensão de compressão

(21) 3ª QUESTÃO – A tubulação horizontal


C ABC, dobrada em “L” (a 90°em B), com 100
900mm mm de diâmetro interno e 5 mm de espessura
de parede, é submetida à carga P = 10kN, con-
tida no plano vertical paralelo a BC, centrada
na extremidade em balanço A, orientada como
540mm indica a figura. Para o plano da seção trans-
versal da tubulação nas proximidades do en-
B P = 10 kN
gastamento (em C), pede-se determinar:
a) a máxima tensão de tração;
60º
b) a máxima tensão de compressão e
30º
c) a máxima tensão tangencial.
A
110mm

44
N – Questões - Flexão

2ª Prova – em 13/11/06

(22) 3ª Questão – Para a viga esquematizada (seção transversal ao lado)


pede-se:
a) traçar o diagrama de forças cortantes indicando seus valores extremos(+e-); d=100
b) traçar o diagrama de momentos fletores, indicando seus valores extremos(+e-);
c) calcular o momento de inércia baricêntrico da seção transversal da viga.
d) calcular os valores extremos da tensão normal (de tração e de compressão)

15 kN
20 kN/m 10 kN 220

2,0m 3,0m 1,0m


35,7

RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS X - Engenharia Mecânica – Prof. Pamplona


3ª PROVA – Em 11 de dezembro de 2006
(23) 1ª QUESTÃO – A viga esquematizada é fabricada utilizando-se um perfil laminado S250x52,
de aço (E=210GPa, σescoamento = 254 MPa), reforçado por uma barra chata de 132x12 mm2, de
mesmo material, conectada à mesa superior do perfil através de parafusos de aço, com 8 mm de di-
âmetro, em seções duplas, espaçadas de 60 em 60 mm. Pede-se determinar:
a) as tensões normal e tangencial ocorrentes na interface entre a mesa inferior e a alma do perfil, em uma seção
da viga situada imediatamente à esquerda do meio do vão, onde a força de 20kN está aplicada;
b) as máximas tensões normais de tração e de compressão no perfil;
c) a máxima tensão de cisalhamento no perfil;
d) a máxima tensão de cisalhamento nos parafusos de união do reforço; e
e) a máxima tensão normal no perfil de aço, supondo que a barra de reforço fosse substituída por duas barras
de mesmas dimensões que a de aço, fixadas às mesas, porém fabricadas em alumínio (E = 70 GPa)

14,0 kN 20,0 kN q = 8,00 kN/m


12 132
tm
y

d
ta
x d = 8 mm Perfil
60
S250x52
A B
b 4,50 m
3,50 m 4,50 m 3,50 m

Mesa Alma Eixo X - X Eixo Y – Y


Dimensão Área A Altura d Largura Espessura Espessura Ix Wx rx Iy Wy ry
Nominal mm2 mm (b) mm (tm) mm (ta) mm 106 mm4 103mm3 mm 106 103mm3 mm
mm4
S250 x 52 6640 254 126 12,5 15,1 61,2 482 96,0 3,48 55,2 22,9

45