Você está na página 1de 2
Manaus, janeiro 2013 – Edição 76 – Ano 6 ANJOANJOANJOANJO CALCULISTACALCULISTACALCULISTACALCULISTA T enho muito
Manaus, janeiro 2013 – Edição 76 – Ano 6 ANJOANJOANJOANJO CALCULISTACALCULISTACALCULISTACALCULISTA T enho muito

Manaus, janeiro 2013 – Edição 76 – Ano 6

ANJOANJOANJOANJO CALCULISTACALCULISTACALCULISTACALCULISTA

T enho muito medo desta história que o

profissional de segurança é o anjo da empresa. Concordo que temos uma atividade gratificante pois podemos evitar que pessoas adoeçam, se

acidentem ou até morram, mas dentro de uma empresa nosso sentimento deve ser outro. Como assim?

de uma empresa nosso sentimento deve ser outro. Como assim? Além do SESMT da empresa, teremos

Além do SESMT da empresa, teremos diversos outros setores, como Contabilidade, Manutenção, Compras, Logística, Qualidade, Almoxarifado, etc. Sim, e aonde você quer chegar?

E daí que todos estes setores quando vão

pedir dinheiro para a Direção, não utilizam

como principal argumento a doença do colaborador, mas sim o lucro que irão obter ou

o prejuízo que evitaram com o dinheiro

investido em seu setor. Muitos profissionais de segurança esquecem que trabalham em uma empresa que precisa dar lucro e não são um setor superior para o qual o patrão tenha obrigação de dar dinheiro. Para o patrão, em geral, não somos os tais

NoNoNoNo EscuroEscuroEscuroEscuro

P uff! Acabou a energia e na completa

escuridão você lembra de que não tem inspecionado as luminárias de emergência ou a empresa não possui o quantitativo adequado. Ok! Hoje mesmo você irá fazer a inspeção ou a solicitação para aquisição de novas luminárias. Mas qual a quantidade e como distribuir? Provavelmente em seu Estado deve haver uma legislação sobre o assunto, mas uma referência é a Instrução Técnica n o 18 – Iluminação de Emergência do Corpo de Bombeiros de São Paulo. Esta IT estabelece a instalação de uma luminária a cada 15m e entre o ponto de iluminação e a parede de 7,5m. No entanto, devemos dar prioridade para as áreas de circulação e indicação de saídas. Outro problema na aquisição é o tipo de luminária. As mais simples (Foto 1) têm custo bem atrativo, mas em geral, uma vida útil mais curta, além de menor intensidade de iluminação que o modelo similar a um holofote (Foto 2), este tem como restrição o custo inicial elevado.

(Foto 2), este tem como restrição o custo inicial elevado. Um sistema interessante é o uso
(Foto 2), este tem como restrição o custo inicial elevado. Um sistema interessante é o uso

Um sistema interessante é o uso de baterias em parte das luminárias existentes nos setores da empresa e no momento da falta de energia parte das luminárias seriam mantidas acesas.

anjos, para muito empresários somos profissionais que só foram contratados devido a uma obrigação legal. Ou seja, se queremos ter dinheiro, precisamos

de argumentos bem materiais.

É muito pouco dizer que o colaborador vai ficar

doente da coluna se não comprarmos uma nova paleteira, pois como não temos como precisar quando o colaborador irá adoecer, consequentemente alguns entendem que é uma ação que pode esperar. Então o que eu faço? Tente identificar todos os custos envolvidos na atividade em que você precisa do investimento, por exemplo, comece levantando a taxa de absenteísmo daquele setor, depois calcule quanto dinheiro foi perdido com os afastamentos, verifique o número de horas extras utilizadas para compensar os afastados, identifique também se há colaboradores com auxílio doença com código 91, e quais as doenças que podem ser geradas por ter nexo por NTEP e se há processos trabalhistas no setor para o qual estamos solicitando o investimento, etc. Além de tudo isso, precisamos demonstrar que de dois a três anos, teremos o retorno do valor investido. Ou seja, não adianta reclamar que o dinheiro só vai para determinado setor, precisamos utilizar as mesmas armas e provar que o investimento em segurança é rentável. Seja anjo, mas sempre tenha uma calculadora guardada nas asinhas.

GGinásticaGGinásticainásticainástica LLaboralLLaboralaboralaboral

A ginástica laboral é uma das ferramentas

que a empresa pode utilizar para amenizar os problemas ergonômicos. No entanto, um erro corrente é passar a responsabilidade da realização desta atividade para o técnico de segurança, para o líder de produção, para um multiplicador ou até mesmo sendo realizada apenas com um vídeo.

ou até mesmo sendo realizada apenas com um vídeo. Agora imagine que a tiazinha da produção

Agora imagine que a tiazinha da produção se abaixou conforme a recomendação da ginástica ficou travada e não consegue levantar ou o

outro tem uma limitação no braço, mas gosta de fazer a ginástica, mas não há um profissional que diga o quanto e em quais exercícios ele pode realizar ou não.

A ginástica laboral só pode ser realizada por

profissional de educação física ou por um fisioterapeuta. Além disso, como não somos profissionais da área não teremos como variar os exercícios ou ainda definir qual o mais adequado para cada função.

BOABOABOABOA LEITURALEITURALEITURALEITURA Este mês, com as festas, acabei não lendo nada de novo, mas vou
BOABOABOABOA
LEITURALEITURALEITURALEITURA
Este mês, com as festas, acabei não lendo
nada de novo, mas vou indicar novamente
um livro básico para quem quer ter uma boa
noção da anatomia humana.
Lembre-se: Ler é um investimento na sua
carreira.
Anatomia para o Movimento – Vol I
Editora Manole
Blandine Calais-Germain

PiadinhasPiadinhasPiadinhasPiadinhas

- Joãozinho, você sabe me dizer em

quantas partes se divide o cérebro humano?

- Ah, professor

Depende da pancada, né?

- Filho, sua professora disse que, dos 20 alunos da classe, você é o pior.

- Ora pai podia ser pior.

- Ora como pior, garoto?

- Ué a turma podia ter 40 alunos

Por que são necessários milhões de espermatozóides para fertilizar um único óvulo? Porque os espermatozóides são masculinos e se negam a perguntar o caminho !!!

DDepoisDDepoisepoisepois dosdosdosdos PresentesPresentesPresentesPresentes

É mole! Agora todo mundo me exclue do Facebook!
É mole! Agora
todo mundo
me exclue do
Facebook!

Para sugestões ou críticas : Prof. Mário Sobral Jr. sobraljr27@ibest.com.br

JORNAL SEGURITO Análise Ergonômica VVVV amos tentar relacionar nossa análise ergonômica com a atividade de

JORNAL SEGURITO

Análise Ergonômica

VVVV

amos tentar relacionar nossa análise

ergonômica com a atividade de um médico. Um bom médico, para realizar o diagnóstico de um paciente irá fazer a anamnese, ou seja, uma conversa em que tentará verificar por meio dos

sintomas, do histórico do paciente, das doenças de familiares, alimentação, estilo de vida, dentre outros fatores qual a provável doença do seu paciente. Após esta análise poderá solicitar alguns exames para confirmar sua suspeita, caso ache necessário. Considero a análise ergonômica, guardada as proporções, similar a este exemplo.

O profissional irá ao posto de trabalho coletar as

informações e identificar quais são os “sintomas ergonômicos” identificados, após esta avaliação

o profissional irá utilizar ou não ferramentas de

análise ergonômica para confirmar seu diagnóstico. Muito profissional trabalha de trás pra frente, ou seja, com base nos resultados obtidos na análise ergonômica estabelecem a sua conclusão quando na verdade deveria utilizar a ferramenta para complementar ou confirmar as suas considerações. Professor, achei estranho o senhor escrever que

pode até não utilizar a ferramenta ergonômica. Como assim? Isto mesmo, uma ferramenta de análise ergonômica é um estudo científico em que o autor estabeleceu relação entre determinada situação ergonomicamente inadequada e a probabilidade desta situação vir a trazer algum problema para o trabalhador. Como alternativa, não podemos pegar estudos fisiológicos para validar nossa análise? Por exemplo, segundo LIMA (Manifestações Músculo-esqueléticas na gravidez. Temas de Reumatologia Clínica. v.10, n.1, 2009) 50 a 80% das mulheres grávidas apresentam algum grau de desconforto músculo-esquelético durante este período, e, em cerca de 25% delas os sintomas são, temporariamente incapacitantes. Ou seja, posso solicitar a mudança de uma grávida de posto biomecanicamente agressivo com um embasamento técnico científico na análise, ainda que não esteja utilizando determinada ferramenta. Concluindo, devemos utilizar as ferramentas como um acessório importante, mas sempre complementar e não como a alma de nossa análise.

“Tá Amarrado”?

TTTT

ente imaginar uma máquina de grande porte.

Imaginou? Agora dobre o tamanho dela. Imagine quantos trabalhadores podem permanecer no interior dela durante um serviço de limpeza ou manutenção. Já ilustrou? Agora digamos que todos pretendam realizar a limpeza ou manutenção segura desta máquina. Qual será a primeira ação que virá à cabeça? É claro, desligar a máquina. Até aí tudo bem, mas comete um grande erro quem acredita que

apenas isso é o suficiente.

grande erro quem acredita que apenas isso é o suficiente. As estatísticas evidenciam o grande número

As estatísticas evidenciam o grande número de acidentes de trabalho envolvendo máquinas e equipamentos e muitos deles ocorreram pelo fato do trabalhador estar dentro da zona de risco da máquina quando esta foi ligada ou acionada. Para prevenir essas situações existe um método eficaz e muito simples chamado de "Bloqueio e sinalização", também mundialmente conhecido como “Lock-out/ Tag-out” (Lock-out: bloquear;

Tag-out: identificar). Na prática o método consiste em identificar e posteriormente bloquear as fontes de energia isolando-as, as quais podem ser de natureza elétrica, pneumática, hidráulica, mecânica (molas), gases sob pressão, etc. Para o bloqueio devem ser utilizados cadeados de segurança e travas de segurança. Feito isso o executante do serviço deverá descrever o serviço que está sendo realizado através de etiquetas de sinalização.

Detalhe importante: os cadeados e travas de segurança foram concebidos para este fim. O uso
Detalhe importante: os cadeados e
travas de segurança foram concebidos
para este fim. O uso de cadeados ou
travas comuns geram risco de acidentes
por serem facilmente energizáveis ou
terem baixa resistência mecânica.

Além de ser um método bastante eficaz na prevenção de acidentes ele também é mencionado nas normas NR-10, NR-12 e NR- 33. Uma boa prática de segurança é utilizar o método de “Bloqueio e sinalização” nas permissões de trabalho.

Autor: Dayglis Silva Contato: dayglis@ibest.com.br

Planejando as Promessas de Fim de Ano

unto com o Ano Novo chegam as

superstições e as promessas. Pular sete ondas do mar, comer lentilhas, colocar caroços de uva sob o prato, dentre outras. Não esqueçamos das promessas: começar um regime, entrar na academia, estudar mais, aprender inglês, pagar as contas, etc. Sim, e daí? Vamos aproveitar o período para fazer um planejamento adequado e não apenas promessas vazias. Por exemplo se a sua promessa é estudar mais segurança do trabalho para passar em um

JJJJ

concurso ou ser um melhor profissional, é melhor verificar como fazer. Identifique quais assuntos vai priorizar, quais recursos irá utilizar (livros, cursos livres, vídeos, etc), como irá pagar por estes recursos, em que horário irá estudar, como conseguirá boas fontes para estudo e demais etapas para que sua promessa não fique apenas nas palavras. Ou seja, para alcançar os objetivos de uma decisão profissional ou pessoal sempre é necessário planejamento e disciplina. Não se preocupe se o resultado não foi exatamente o planejado, pois pode ter certeza de que agindo assim pelo menos haverá um resultado.

Recém Formado TTTT

enho lido nas redes sociais muita

reclamação sobre a dificuldade de emprego para

profissionais recém-formados.

Entendo a reclamação, mas também não é difícil

de entender o motivo.

Por melhor aluno que este profissional tenha

sido, fica difícil para qualquer empresa contratá-

lo

sem ter a certeza que dará conta do serviço.

E

não há nada de estranho nisso.

Você iria preferir ser paciente de um médico com anos de experiência ou ser o primeiro paciente de um recém formado?

ou ser o primeiro paciente de um recém formado? Professor você está dizendo que eu nunca

Professor você está dizendo que eu nunca vou conseguir emprego? Não coloque palavras na minha boca, ou melhor, no meu texto.

O que deve ficar claro é que haverá uma

dificuldade natural para conseguir o primeiro emprego, por ser um perfil específico. Você deve saber o que tem a oferecer, muito

empenho, isto significa não ter restrições de

horários, caso seja GL necessário turno, fins de

semana, etc. Além disso, a empresa espera

pagar um salário menor, ou seja, não espere um primeiro salário altíssimo, pense como sendo um investimento para sua carreira.

E não adianta, exceto se você tem indicação,

tentar entrar nas empresas de ponta. Lembro que consegui meu primeiro emprego

após dezenas de entrevistas, em uma empresa

de médio para pequeno porte, com trabalho em

quase todo fim de semana e com um salário modesto. Depois de quase três anos de empresa, pedi as contas e fui para outro emprego ganhando bem mais, ou seja, paciência e empenho. Boa Sorte!.

Sintomas de Pobreza

- Tomar cerveja em copo de requeijão.

- Esquentar a ponta da caneta para ver

se ela volta a escrever.

- Colocar bombril na antena da televisão.

- Ir ao supermercado só pra trazer

sacola plástica para por lixo.

- Lamber a tampa do iogurte.

- Aproveitar PET para colocar água na geladeira.

- Guardar um monte de tralha em cima do guarda-roupas.

- Secar roupa atrás da geladeira.

- Lamber ponta de borracha para apagar erro.

- Guardar sobras de sabonete para depois fazer uma bola só.

- Consertar tira de sandália havaiana com prego.

- Tirar cera do ouvido com a tampa da caneta.