Você está na página 1de 4
0 2 2
0
2
2

Constituintes básicos

sais minerais

minerals

A célula é o constituinte básico de qualquer ser vivo, pelo que se pode afirmar que existe uma unidade estrutural e funcional na vida. No entanto, se se continuar a pesquisar no sentido do infini- tamente pequeno, verifica-se que na célula há organitos celulares, cuja estrutura e função é assegurada, como em toda a matéria conhecida, por moléculas. Quando se analisam quimicamente os diversos componentes de um ecossistema (seres vivos, rochas, água, ar, etc.), conclui-se que, embora os elementos químicos mais abundantes em todos eles sejam semelhantes, existem muitas diferenças na organização, nas percentagens dos átomos e também nas moléculas que estes originam. No caso das células, o oxigénio, o carbono, o hidrogénio, o azoto, o fósforo e o enxofre representam cerca de 99 % do seu peso

(Fig. 14).

O X I G É N I O 65 %
O
X
I
G
É
N
I
O
65
%

Fig. 14 Elementos químicos das células em percentagem do seu peso. O oxigénio é o elemento mais abundante na matéria viva.

No entanto, não se deverão ignorar elementos químicos como

o

sódio, o magnésio, o cálcio, o potássio, o ferro, o cloro, o iodo,

o

bromo e o zinco, que, embora presentes em pequenas quantidades

nas células, desempenham funções igualmente importantes. Alguns destes elementos químicos presentes nas células, sob

a forma de iões (por exemplo: Na , K , etc.), ou de sais resultantes da união de iões (por exemplo: cloretos, fosfatos), têm funções sobretudo reguladoras, sendo vulgarmente designados por sais minerais.

Quando se analisam os compostos constituintes das células, surge um facto curioso: a água, que constitui cerca de dois terços da superfície terrestre, é a substância mais abundante nas células (70 % a 90 % da sua massa) e condiciona todo o metabolismo celular.

CURIOSIDADE

As alforrecas, animais marinhos comuns em Portugal, são consti- tuídas por cerca de 95% de água.

unidade 0

Diversidade na biosfera

33

água

water

água water Fig. 15 Representação esquemática da molécula de água, evidenciando a distribuição das cargas

Fig. 15 Representação esquemática da molécula de água, evidenciando a distribuição das cargas eléctricas.

A água tem um papel fundamental na vida da célula, já que

permite a ocorrência das reacções químicas essenciais para a sua manutenção.

É a singularidade desta molécula que a torna tão importante,

pois apresenta propriedades que facilitam as reacções químicas.

A molécula de água possui polaridade, ou seja, tem uma carga

ligeiramente negativa junto ao átomo de oxigénio e positiva junto aos átomos de hidrogénio (Fig. 15). Esta característica da molécula de água permite que estabeleça com facilidade ligações com outras moléculas iguais e ainda com moléculas de diferentes substâncias, carregadas electricamente. As ligações estabelecidas — pontes de hidrogénio (Fig. 16) — confe- rem grande coesão molecular, possibilitam o enorme poder solvente da água e proporcionam ainda uma elevada capacidade calorífica (característica fundamental para que a célula se proteja contra as variações de temperatura do meio ambiente).

contra as variações de temperatura do meio ambiente). Estado gasoso Estado líquido Estado sólido Fig. 16

Estado gasoso

Estado líquido

Estado sólido

Fig. 16 As ligações entre as moléculas de água nos estados gasoso, líquido e sólido.

CURIOSIDADE

Certos órgãos das plantas pos- suem também elevadas percenta- gens de água: a batata, caule sub- terrâneo, possui cerca de 80%, e o tomate, fruto, pode chegar aos

95%.

34

BIOLOGIA

A vida e os seres vivos

A água não é uma molécula exclusiva dos seres vivos; no entan-

to, outras moléculas encontram-se exclusivamente nestes — as bio- moléculas.

O carbono, elemento químico predominante nestas moléculas,

apresenta uma característica invulgar: consegue formar um elevado

número de compostos, devido ao facto de estabelecer quatro liga- ções estáveis e ainda de conseguir formar cadeias de comprimento muito variável. Estes compostos orgânicos oferecem uma variedade impressio- nante aos seres vivos e possuem uma estrutura onde predomina um «esqueleto» de carbono.

É vulgar que estes compostos de carbono apresentem uma estrutura com dimensões muito superiores àquelas que se encontram nos compostos não exclusivos dos seres vivos. As macromoléculas polímeros — que constituem as células (Fig. 17) organizam-se a partir de outras, de menores dimensões — monómeros —, que por vezes se repetem em números muito elevados. Os glúcidos, os lípidos, as proteínas e os ácidos nucleicos são polímeros que se formam a partir de monómeros, respectiva- mente, oses, ácidos gordos e glicerol, aminoácidos e nucleótidos.

lipids
lipids

proteins

polímeros

monómeros

glúcidos

lípidos

proteínas

polymer

monomer

carbohydrates

ácidos nucleicos

nucleic acids

100 85 80 65 60 40 25 20 10 10 5 5 2 1 0,5
100
85
80
65
60
40
25
20
10
10
5
5
2
1
0,5
0
Água
Proteínas
Lípidos
Polissacáridos
Ácidos
Fracção do
célula (%)Fracção (%)
do peso
peso total
total da
da célula

Compostos

nucleicos

Fig. 17 Composição molecular de uma célula (valores médios). A água é o composto mais abundante nas células.

Estas macromoléculas possuem funções (estruturais, energéti- cas, enzimáticas, gestão de informação, reserva, etc.) bem definidas em qualquer célula e provam ainda que também a nível molecular se verifica unidade biológica (Fig. 18).

A RETER

A RETER Os glúcidos, lípidos, proteí n as e ácidos nu cleicos são biomoléc u las,
A RETER Os glúcidos, lípidos, proteí n as e ácidos nu cleicos são biomoléc u las,
A RETER Os glúcidos, lípidos, proteí n as e ácidos nu cleicos são biomoléc u las,
A RETER Os glúcidos, lípidos, proteí n as e ácidos nu cleicos são biomoléc u las,
A RETER Os glúcidos, lípidos, proteí n as e ácidos nu cleicos são biomoléc u las,
Os glúcidos, lípidos, proteí n as e ácidos nu cleicos são biomoléc u las, isto

Os glúcidos, lípidos, proteín as e ácidos nu cleicos são biomolécu las, isto é, são moléc u las exclu sivas dos seres vivos.

proteí n as e ácidos nu cleicos são biomoléc u las, isto é, são moléc u
proteí n as e ácidos nu cleicos são biomoléc u las, isto é, são moléc u

ACTIVIDADE

 

COMPONENTES MOLECULARES EM Escherichia coli

 

1. A E. coli é uma bactéria muito comum e bastante estudada pelos biólogos. A análise química da sua constituição permitiu construir o quadro ao lado.

PRINCIPAIS COMPONENTES MOLECULARES DE UMA CÉLULA DE E. coli

Compo n e n tes

Perce n tagem do peso total

Tipos molec u lares existen tes (aproximadamen te)

1.1 Comparando os dados do quadro com os da figura 17, tire conclusões sobre a composição molecular das células em geral, em termos de variedade e quantidade das várias moléculas.

Água

70

1

Proteínas

15

3000

Ácidos

DNA

1

1

 

nucleicos

RNA

6

1000

1.2 Qual será a explicação para o facto de existir um número tão elevado de macromoléculas quando o número de monómeros é significativamente mais baixo?

Glúcidos

3

50

Lípidos Monómeros e outras moléculas intermediárias

2

40

 

2

500

 

das reacções

Iões inorgânicos

1

12

unidade 0

Diversidade na biosfera

35

CARACTERÍSTICAS

DAS BIOMOLÉCULAS

• Moléculas de grandes dimensões.

• Apresentam bastante complexidade.

• Existem em variadas formas.

• Agrupam-se de maneira rigorosa.

• Desempenham funções específicas.

ÁTOMOS

A Carbono
A Carbono
C Oxigénio
C Oxigénio
B Hidrogénio
B
Hidrogénio
D Azoto
D
Azoto
A Carbono C Oxigénio B Hidrogénio D Azoto Combinam-se e formam MONÓMEROS E Oses F Aminoácidos

Combinam-se

e formam

MONÓMEROS

E Oses
E Oses
F Aminoácidos
F
Aminoácidos
G Ácidos gordos
G
Ácidos gordos
H Nucleótidos
H
Nucleótidos

constituem

constituem

constituem

constituem

POLÍMEROS

I Glúcidos
I Glúcidos
J Proteínas
J
Proteínas
L Lípidos
L
Lípidos
M Ácidos nucleicos
M
Ácidos nucleicos
Combinam-se e constituem os organitos da célula.
Combinam-se
e constituem
os organitos
da célula.
N
N

Fig. 18 Organização molecular na célula. As células são compostas por organitos celulares, formados por moléculas, que são agrupamentos de átomos.

36

BIOLOGIA

A vida e os seres vivos