UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS – CCT Departamento de Ciência da Computação

Professor Edino Mariano Lopes Fernandes

Nota importante: Existem materiais incluídos neste documento de outros autores e fontes bibliográficas quase todos devidamente identificadas (algumas fontes não foi possível de serem identificadas, trechos de textos, questões soltas, pinçadas aqui e ali, etc. – Caso o usuário conheça alguma fonte não identificada no texto, por favor, comunique para que se efetue os devidos créditos). Algumas questões foram retiradas de sites de Internet, sendo de uso livre. Para informações mais completas, deve-se recorrer aos livros ou Web sites citados na bibliografia fornecida na apostila da disciplina.

I – SISTEMAS DE NUMERAÇÃO
1.1 Introdução(1)

Um sistema de numeração é um conjunto finito de símbolos organizados através de uma lei de formação que permite representar qualquer quantidade numérica. No início dos tempos conhecidos os habitantes das cavernas costumavam pintar animais nas paredes, provavelmente para armazenar informações que obtinham no seu cotidiano.

Mais tarde, no pastoreio, o pastor usava várias formas para controlar o seu rebanho. Pela manhã, ele soltava os seus carneiros e analisava ao final da tarde, se algum tinha sido roubado, fugido, se perdido do rebanho ou se havia sido acrescentado um novo carneiro ao rebanho. Para fazer isso, ele guardava pedrinhas dentro de um saco. Assim ele tinha a correspondência um a um, onde cada carneiro correspondia a uma pedrinha que era armazenada em um saco.
Nota: A palavra que usamos hoje, cálculo, é derivada da palavra latina calculus, que significa pedrinha.

Posteriormente, os Sumérios criaram um sistema para representar sua linguagem através de desenhos, gravados em placas de argila. Mais tarde, os egípcios usavam representar sua linguagem através dos hieróglifos gravados em papiros. Os chineses gravavam mensagens nos cascos de tartarugas, os incas usavam fios com nós (os quipos). Gradativamente o homem foi aperfeiçoando sua forma de comunicação através da escrita. Os conceitos gerais de linguagem tem uma representação muito complexa - por exemplo, como representar um objeto, uma ação ou um sentimento. Presume-se que o homem encontrou mais facilidade para representar quantidades. Inicialmente, as quantidades eram representadas com os dedos. Assim, desde o princípio nosso entendimento de quantidades sempre foi digital (vem de "digitus" = dedos). Os mais antigos registros encontrados representam quantidades através de entalhes em ossos. Diversas civilizações antigas criaram alguma forma de representação de quantidades, mas cada número n era sempre representado por n símbolos da unidade. Para facilitar a contagem, as unidades eram agrupadas em grupos de 5 (uma mão-cheia) ou 10 (duas mãos-cheias). Os símbolos numéricos atualmente utilizados são conhecidos como Arábicos e foram desenvolvidos pelos árabes. Ao grego Pitágoras se atribui a divisão dos números em ímpares e pares. Ele concebeu que todas as manifestações da Natureza se fazem com números ou proporções matemáticas. Hoje, existem vários sistemas numéricos, dentre os quais, para este estudo, destacam-se o sistema decimal, o sistema binário, o sistema octal e o sistema hexadecimal.

1.2 Sistemas de Numeração(2)
Os sistemas de numeração têm por objetivo prover símbolos e convenções para representar quantidades, de forma a registrar a informação quantitativa e poder processá-la. A representação de quantidades se faz com os números. Na antigüidade duas formas de representar quantidades foram inventadas. Inicialmente, os egípcios, criaram um sistema em que cada dezena (uma mãocheia de nosso exemplo anterior) era representada por um símbolo diferente. Usando por exemplo os símbolos # para representar uma centena, & para representar uma dezena e @ representando uma unidade (símbolos escolhidos ao acaso), teríamos que ###&&@ representaria 321.
Arquitetura e Organização de Computadores Página 2

Sistemas de Numeração não-posicional
Uma das primeiras tentativas de sistema de numeração bem sucedida é o sistema romano. Ele usa um conjunto de sete símbolos {I,V,L,C,D,M} e é capaz de representar uma grande variedade de números. Observe que há um conjunto finito de símbolos e uma lei de formação. Contudo ele não consegue representar qualquer quantidade como o zero por exemplo. Eram usados símbolos (letras) que representavam as quantidades, como por exemplo: I ( valendo 1), V (valendo 5), X (valendo 10), C (valendo 100), etc. A regra de posicionamento determinava que as letras que representavam quantidades menores e precediam as que representavam quantidades maiores, seriam somadas; se o inverso ocorresse, o menor valor era subtraído do maior (e não somado). Assim, a quantidade 128 era representada por: CXXVIII = 100 + 10 + 10 + 5 + 1 + 1 + 1 = 128. Um grande problema desse sistema é a dificuldade de realizar operações com essa representação. Assim, posteriormente foram criados sistemas em que a posição dos algarismos no número passou a alterar seu valor (sistemas de numeração posicionais).
Os Egípcios da Antiguidade criaram um sistema muito interessante para escrever números, baseado em agrupamentos. No sistema de numeração egípcia os números são representados por símbolos especiais para 1, 10, 100, 1000 e de uma forma aditiva: 1 era representado por uma marca que se parecia com um bastão | ; 2 era representado por duas marcas || ; E assim por diante... 3 4 5 6 7 8 9 ||| |||| ||||| |||||| ||||||| |||||||| ||||||||| Qualquer semelhança com código de barras não é coincidência.
Fonte:http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/sistema-de-numeracao-egipcia/

Sistemas de Numeração Posicionais
Nos sistemas de numeração posicionais, o valor representado pelo algarismo no número depende da posição em que ele aparece na representação. O primeiro sistema desse tipo foi inventado pelos chineses. Eram usados palitos, sendo 1 a 5 palitos dispostos na vertical para representar os números 1 a 5; de 6 a 9 eram representados por 1 a 4 palitos na vertical, mais um palito na horizontal (valendo 5) sobre os demais. Cada número era então representado por uma pilha de palitos, sendo uma pilha de palitos para as unidades, outra para as dezenas, outra para as centenas, etc. Esse sistema, com as pilhas de palitos dispostas em um tabuleiro, permitia a realização das quatro operações aritméticas. Não existia representação para o zero (o espaço relativo ficava vazio).O tabuleiro aritmético (chamado swan-pan), além das quatro operações, era usado na álgebra e na solução de equações. Essa técnica era chamada de Método do Elemento Celestial. Porém o sistema mais bem sucedido foi o sistema decimal. Ele usa dez símbolos {0,1,2,3,4,5,6,7,8,9} e uma regra de formação capaz de representar qualquer quantidade finita. Este sistema foi originalmente inventado pelos matemáticos hindus aproximadamente em 400 D.C. Os árabes começaram a usar o sistema em 800 D.C. aproximadamente, quando ficou conhecido como o Sistema Numérico Arábico. Após ele ter sido introduzido na comunidade da Europa por volta de 1200 D.C., o sistema logo adquiriu o título de "sistema numérico decimal".(3)
Arquitetura e Organização de Computadores Página 3

b-1). 8 e 9. sabemos que o maior número que podemos representar. 102 . 7. Assim. tal como 24 (base 16 ou sistema hexadecimal) ou eventualmente ainda 23 (base 8 ou sistema octal).b2 + a1. podemos representar uma quantidade N qualquer.b-2 + . Podemos ver que o maior número inteiro N que pode ser representado.. (Forma Posicional) (Forma Polinomial) 3475 = 3000 + 400 + 70 + 5 = 3 x 103 + 4 x 102 + 7 x 101 + 5 x 100 onde.1. Os computadores utilizam a base 2 (sistema binário) e os programadores..1.b-1 + a-2. dispõe-se de 10 algarismos para a representação do número: 0. 5.4 Sistema Decimal Abaixo ilustra-se a representação de um número no sistema decimal e na forma equivalente. mais os símbolos A.bn + . numa dada base b.005 + 0. por facilidade. 3. Arquitetura e Organização de Computadores Página 4 . será N = bn . com n algarismos (n "casas"). variando entre 0 e (b-1).. na base b. a cada dígito (símbolo) do número decimal é atribuído um certo peso em função da sua posição no número. A representação 125..b0 + a-1. representando respectivamente 10.0006 = 1 x 102 + 2 x 101 + 3 x 100 + 4 x 10-1 + 5 x 10-2 + 6 x 10-3 O princípio da atribuição de pesos.bn + .. Na base 2.b0 é a parte inteira e a-1. temos que uma base b qualquer disporá de b algarismos. em uma dada base b. eqüivale a 25510 = 162 . A base 10 é hoje a mais usualmente empregada.3 Base de um Sistema de Numeração(2) A base de um sistema é a quantidade de algarismos disponível na representação.b-2 + .b2 + a1. observado na notação posicional. usam em geral uma base que seja uma potência de 2.b-n .. + a2. e 103 . o maior número que pode ser representado na base 10 usando 3 algarismos será 999 (ou seja.. D. Por exemplo. com um número tal como segue: Nb = an. o maior número de 2 algarismos na base 16 será FF16 que..4 + 0. No comércio pedimos uma dúzia de rosas ou uma grosa de parafusos (base 12) e também marcamos o tempo em minutos e segundos (base 60)... será o número composto n vezes pelo maior algarismo disponível naquela base (ou seja.1 = 999).456 = 100 + 20 + 3 + 0.b-n é a parte fracionária. 12.b1 + a0. de notação posicional.b-1 + a-2. na base 10. 10 é a base do sistema. Intuitivamente. 14 e 15 unidades. 2. 13. sendo que.101 e 100 representam os pesos. Na base 16. + a-n. seriam 16: os 10 algarismos aos quais estamos acostumados.. 11. Outro exemplo: 123. 103 . B. com n algarismos. 4. + a-n.Na base 10.. pode ser estendido a qualquer sistema numérico. + a2. 1. seriam apenas 2 algarismos: 0 e 1. E e F. Generalizando.3810 (base 10) significa 1x102 + 2x101 + 5x100 + 3x10-1 + 8x10-2 : Ou seja. embora não seja a única utilizada. O número 10 é definido como a base deste sistema.b1 + a0. C. 1. .1. 6. an.

8 e 16 ditas binária. octal e hexadecimal respectivamente. em vez dos símbolos 0. apenas. atada ao número de símbolos usados. . Imagine que temos. podemos pensar em sistemas de numeração com qualquer quantidade de símbolos ou qualquer base. Assim. Golttfried Wilhelm von Leibniz foi o advogado do sistema binário de numeração que tem por base o número 2. de forma alguma.6 Sistema Binário Criado por um matemático alemão do século dezessete. tivéssemos os símbolos {Ο. 1 e 2. 1. mudaria as coisas. Pois os numerais seriam: Na base 10 0 1 2 3 4 5 6 Na base 3 0 1 2 10 11 12 20 Na base 3 com Ο.1. usando apenas os Arquitetura e Organização de Computadores Página 5 .1. ∇} isto.2}. três símbolos {0. em nada. Neste caso os números seriam representados da seguinte forma: Na base 10 0 1 2 3 4 5 6 7 Na base 10 8 9 10 11 12 Na base 3 0 1 2 10 11 12 20 21 Na base 3 22 100 101 102 110 Se.5 Base diferente de 10[2] A regra de formação de nosso sistema de numeração não está. ∇ Ο e ∇ Ο ∇ ∇Ο Algumas bases particularmente importantes para nós são as bases 2.

) é equivalente à vírgula do sistema decimal. 1. analistas e engenheiros de sistemas). apresentamos uma tabela com os números em decimal e sua representação correspondente em binário.Decimal 1 2 4 8 16 32 64 128 256 512 1. Para facilitar a visualização e manipulação por programadores de grandezas processadas em computadores. Havendo apenas dois algarismos. Os computadores modernos utilizam apenas o sistema binário. 10012 1011011.7 Sistema Octal e Sistema Hexadecimal Em projetos de informática (isto é. portanto dígitos binários. o elemento mínimo de informação nos computadores foi apelidado de bit (uma contração do inglês binary digit). Essa decisão de projeto deve-se à maior facilidade de representação interna no computador. nos trabalhos realizados pelos programadores. cada três bits são representados por apenas um algarismo octal (de 0 a 7).12.7. octal e hexadecimal: Arquitetura e Organização de Computadores Página 6 .13..11.. que correspondem aos algarismos decimais 10.10012 No sistema binário. usam-se os dígitos 0.símbolos 0 e 1. As razões que o levaram a este sistema parece ter sido mística onde havia grande beleza na analogia entre zero representando o vazio e um representado a divindade. é usual representar quantidades usando sistemas em potências do binário para reduzir o número de algarismos da representação e consequentemente facilitar a compreensão da grandeza e evitar erros. ficando longo e passível de erros quando manipulado por seres humanos normais como por exemplo os programadores. Representação Binária 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 1 0 0 0 0 0 0 0 0 0 0 1 1 0 1 0 0 1 0 0 0 1 0 0 0 0 1 0 0 0 0 0 1 0 0 0 0 0 0 1 0 0 0 0 0 0 0 1 0 0 0 0 0 0 0 0 Potência 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 210 Repr.2.1. não tão normais assim . A seguir.5. No entanto. No sistema hexadecimal (base 16). representadas pelos algarismos 0 e 1. analistas e engenheiros de sistemas (bem.4.8. No sistema octal (base 8).14 e 15. todas as informações armazenadas ou processadas no computador usam apenas DUAS grandezas. A seguir apresentam-se números representados no sistema binário e na notação posicional. D.3. C.). que é obtida através de dois diferentes níveis de tensão. são usualmente adotadas as representações octal (base 8) e principalmente hexadecimal (base 16). B. Neste sistema. o ponto (.024 A representação binária é perfeitamente adequada para utilização pelos computadores.6.9 e as letras A. respectivamente. um número representado em binário apresenta muitos bits. Ressaltamos mais uma vez que o computador opera apenas na base 2 e as representações octal e hexadecimal não são usadas no computador. isto é. E e F. elas se destinam apenas à manipulação de grandezas pelos programadores. cada quatro bits são representados por apenas um algarismo hexadecimal (de 0 a F).

Assim. Assim. 1 e 2 ou Ο. reunir os restos em ordem inversa.Base 10 Base 2 Base 8 0 0 0 1 1 1 2 10 2 3 11 3 4 100 4 5 101 5 6 110 6 7 111 7 8 1000 10 9 1001 11 10 1010 12 11 1011 13 12 1100 14 13 1101 15 14 1110 16 15 1111 17 Base 16 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 A B C D E F Nota: a base 16 ou sistema hexadecimal pode ser indicada também por um "H" ou "h" após o número. na maioria das vezes usamos os mesmos algarismos para as diversas bases. convenciona-se indicar em subescrito o valor da base.8 Conversões de Bases Mudança de Base de Números Inteiros Base. e ∇. Para contornar este problema. como já foi dito. fica difícil decidir. Exemplos: 7268 54. a base determina unicamente o sistema de numeração posicional. mesmo porque em hexadecimal só temos algarismos até "F" e portanto não existe um algarismo "H".378 145H 5A3 EF4 1. Como. Não importa se usa-se 0. Arquitetura e Organização de Computadores Página 7 . depois. em que base está representado um determinado número. Da base 10 para uma base b Para transformar um número decimal inteiro em um número em uma base b qualquer basta fazer divisões inteiras sucessivas do número por b e. é número de símbolos usados em um sistema de numeração posicional. 208 e 1016. mudar de base é representar um número dado em um sistema de numeração posicional em um outro sistema de numeração posicional com uma base diferente. o número dezessete em diversas bases seria: 1710. Exemplo: Como seria a representação do número 1610 em binário. Para todos os efeitos. só por olhar. octal e hexadecimal? Solução: Seria respectivamente 100002. 178 ou 1716 etc. Não confundir o "H" ou "h" com mais um dígito. por exemplo: FFH significa que o número FF (ou 255 em decimal) está em hexadecimal. ambos formam um sistema de numeração posicional de base três.

basta expandir e calcular o polinômio para determinar N10. onde α. concluímos que 314 é igual a 216. qual o valor de N2 = 11012 na base 10? Para tanto. Assim. passamos 314 para a base 10: N10 = 3 × 41 + 1 × 40 = 12 + 1 = 1310 Depois. Arquitetura e Organização de Computadores Página 8 . Por exemplo. β e γ são algarismos da base b. De base 10 para base 2. se temos o número Nb = αβγb . obtemos: 13 ÷ 2 = 6 6÷2=3 3÷2=1 1÷2=0 r=1 r=0 r=1 r=1 Assim. qual será a representação de 1310 na base 2? Executando divisões sucessivas até encontrar quociente 0.Por exemplo. N10 = α × b2 + β × b1 + γ × b0 Por exemplo. basta calcular: N10 = 1 × 23 + 1 × 22 + 0 × 21 + 1 × 20 N10 = 8 + 4 + 0 + 1 N10 = 13 De uma base “a” para uma base “b” Para fazer a mudança de uma base “a” para uma base “b” basta passar da base “a” para a base 10 e depois passar da base 10 para a base “b”. tomando os restos das divisões em ordem contrária a que eles aparecem concluímos que: 1310 = 11012 De uma base b para a base 10 Para transformar um número representado em um base b na base 10 basta expandir o polinômio que representado por este número. Coisas que já sabemos fazer. 314 correspondo ao que na base 6? Primeiro. passamos o 1310 para a base 6: 13 ÷ 6 = 2 r = 1 2÷6=0 r=2 o que dá o número 216. Portanto. Exemplo 1 : Converter o número 40010 para binário.

Exemplo: Converter o binário 10011000 em hexadecimal. agrupamos de 4 em 4 algarismos da direita para a esquerda. 1102 = 68 0102 = 28 Portanto. 1001101 = 1 x 26 + 0 x 25 + 0 x 24 + 1 x 23 + 1 x 22 + 0 x 21 + 1 x 20 = 64 + 0 + 0 + 8 + 4 + 0 + 1 = 7710 De base 2 para base 8. Para transformar um número binário em octal. portanto 278 = 0101112 De base 2 para base 16. 1100102 = 628 De base 8 para base 2. basta separá-lo em grupos de três algarismos a partir da direita. Desmembra-se o número e transforma-se cada algarismo no correspondente binário. Arquitetura e Organização de Computadores Página 9 . 278 2 = 010 e 7 = 111. a conversão irá resultar diretamente no número no sistema octal.De base 2 para base 10. Como o maior número que se pode formar com três algarismos é 7. sendo que nesse caso. por exemplo: Tomemos o número binário 110010. 110 010 Faz-se então a conversão para o sistema decimal. É análogo à conversão do sistema binário para octal. Separando.

C = 1100 1 = 0001 3 = 0011 Portanto. O mesmo raciocínio vale para conversão da base 10 para uma base r . Exemplo: Converter o número C13 em binário. 1748 = 1 x 82 + 7 x 81 + 4 x 80 = 64 + 56 + 4 = 12410 De base 10 para base 16 Arquitetura e Organização de Computadores Página 10 . sendo que nesse caso. Exemplo: Converter 12510 para base 8. De base 8 para base 10 Exemplo: Converter 1748 para decimal. É análogo à conversão do sistema octal para binário. necessitamos de 4 algarismos binários para representar o número hexadecimal.1001 = 9 1000 = 8 Portanto 100110002 = 98H De base 16 para base 2. menor que 10. C13H = 1100000100112 De base 10 para base 8.

1001.111.25 × 2 = 0.1100. 1. multiplicamos sucessivamente 0.11012 = 9D16 Portanto 2358 = 9D16.9.001. o número 2358 para transformá-lo para a base 16.125 por 2: 0. por exemplo. para transformar 1BC416 na base 8.1012 Em seguida grupamos os algarismos binários de quatro em quatro.0012. As regras para estas mudanças são muito semelhantes as dos números inteiros. até alcançar zero. 0. qual a representação de 0. Então: 1BC416 = 0001. primeiro transformamo-lo para a base 2. 1. concluímos que 0. primeiro passamo-lo para a base 2. Arquitetura e Organização de Computadores Página 11 .1002 = 157048 Portanto 1BC416 = 157048. Os números com parte fracionária também podem ser mudados de base.12510 é igual a 0.9 Conversão de números fracionários Não são apenas os números inteiros que têm representação em outras bases.5 i=0 0.5 × 2 = 1 i=1 Assim.1011.011. 2358 = 010.1 Da base 10 para uma base b Para passar um número fracionário da base 10 para uma base b.000. basta multiplicá-lo sucessivamente pela base de destino. Por exemplo.25 i=0 0. A principal diferença é que os números inteiros têm potências positivas enquanto os fracionários têm potências negativas.101.De base 16 para base 10 1C3 = 1 x 162 + C x 161 + 3 x 160 = 1 x 162 + 12 x 161 + 3 x 160 = 45110 De base 16 para base 8 Para fazer transformações entre as bases 8 e 16. guardando a parte inteira.01002 reagrupando o agora número binário de três em três temos: 0.125 × 2 = 0. De base 8 para base 16 Por outro lado. se tivermos. usamos a base 2 como intermediária nestas transformações. Por exemplo. que não são potências uma da outra.12510 na base 2? Para determinar isto.

37 × 2 = 0.Algumas vezes. bastar expandir e calcular o polinômio representado pelo número em questão.3710 na base 2? Como antes fazemos as multiplicações sucessivas: 0. paramos o processo em algum ponto e assumimos um erro de aproximação.0.0101112 é a representação aproximada de 0. Agora que sabemos o valor exato da representação de 0. 1.10 Mudança de Base de Números Mistos A mudança de base dos números mistos é feita tratando-se a parte inteira e a parte fracionária separadamente.96 × 2 = 1.3 5 9 3 7 5 4 16 32 64 64 64 que da um resultado aproximado de 0. Quanto mais casas decimais colocássemos. qual o valor de 0. finalmente. o numero 0.062510 para a base 2. depois outra e.48 × 2 = 0. Por exemplo.2 De uma base b para a base 10 Da mesma forma que nos números inteiros. menor seria o erro relativo.74 I = 0 0.68 I = 1 . para se passar de uma base b para a base 10. Neste caso. primeiro transformamos a parte inteira: Arquitetura e Organização de Computadores Página 12 .74 × 2 = 1.84 × 2 = 1. Transforma-se uma. não é possível alcançar o fim da parte fracionária porque a representação na base de destino tem uma quantidade muito grande de dígitos decimais.48 I = 1 0.0101112. Com isto vemos que 0.96 I = 0 0. Por exemplo.84 I = 1 0. 1..0101112 expande-se o polinômio: 0 × 2 −1 + 1 × 2 −2 + 0 × 2 −3 + 1 × 2 −4 + 1 × 2 −5 + 1 × 2 −6 = 0× 1 1 1 1 1 1 + 1× 2 + 0 × 3 + 1× 4 + 1× 5 + 1× 6 = 21 2 2 2 2 2 1 1 1 16 + 4 + 2 + 1 23 1 + + + = = ≅ 0 .35937510 = 0.01062510 ou 2. 1..87%.0101112 podemos determinar o erro que cometemos ao parar de fazer as multiplicações. Isto é.9. o processo é exatamente igual ao dos números inteiros.92 I = 1 0. para transformar 12. para encontrar o valor na base 10 do número 0. em seguida.3 De uma base “a” para uma base “b” Para trocar de uma base “a” para uma base “b” qualquer. Este erro é de 0. passa-se da base “a” para a base 10 e.3710 .92 × 2 = 1.9.35937510. Como você pode notar acima.3710. da base 10 para a base “b”.3710 corresponde aproximadamente a 0. juntam-se as partes. Por exemplo.

11 Operações aritméticas no sistema binário 1.375 x 2 = 0. Se dois números decimais 56719 e 31863. a seguir. transformamos a parte fracionária: 0. 101.11. Arquitetura e Organização de Computadores Página 13 . Converter 101.00012 Exemplos: 1.000 1. transformamos primeiramente a parte inteira do número: 8 = 1000 Então. e o binário fica sendo: 8. e a parte do número após a vírgula não for nula.1012 = 1 x 22 + 0 x 21 + 1 x 20 + 1 x 2-1 + 0 x 2-2 + 1 x 2-3 = 5. a soma 88582 é obtida.500 x 2 = 1. Converter 8. a parte depois da vírgula é nula.12 6 3 1 ÷ ÷ ÷ ÷ 2=6 2=3 2=1 2=0 r=0 r=0 r=1 r=1 De onde se conclui que a parte inteira 1210 é igual a 11002.011 0.125 × 2 = 0.37510 para a base 2.750 x 2 = 1. o número completo transformado é: 12. sendo 1.5 0. Neste caso. Portanto. Em seguida.1012 para base 10.062510 = 1100.25 0. utilizamos a seguinte seqüência: 0. separamos o que fica depois da vírgula e reiniciamos neste caso.500 o primeiro algarismo após a vírgula é o primeiro dígito do binário o primeiro algarismo após a vírgula é o segundo dígito do binário.0625 × 2 = 0.062510 igual a 0.5 ×2=1 i=0 i=0 i=0 i=1 Com isto. vemos que a parte fracionária fica 0.25 × 2 = 0.37510 = 1000.62510 2.1 Adição A adição binária é realizada como a adição decimal. Você pode analisar os detalhes desta operação da seguinte maneira. o processo termina.125 0. são adicionados.00012. 750 0.

Multiplicação Procede-se como na multiplicação decimal. o 3 por 11. 0x0=0 0x1=0 1x0=0 Arquitetura e Organização de Computadores Página 14 .Somando a primeira coluna. (1+1+6). O transporte é então somado à próxima coluna.3. portanto. 0+0=0 0+1=1 1+0=1 1 + 1 = 10 1 + 1 + 1 = 11 Por exemplo: Como no sistema decimal.2. números decimais 9 e 3.11.11. Este processo continua até que todas a colunas (incluindo os transportes) tenham sido somadas. Adicionado à segunda coluna. A soma representa o valor numérico das parcelas. no sistema binário representamos o 2 por 10. Na soma. e assim por diante. sem transporte. Subtração O método é análogo ao do sistema decimal. 1 + 1 = 2. usamos o transporte. resulta o número 8. 0–0=0 1–0=1 1–1=0 0 – 1 = 1 e empresta 1 Exemplo: 1000 – 111 -1-1-1 - 1000 111 0001 1. A adição no sistema binário é realizada como numa adição convencional no sistema decimal. como fazemos no sistema decimal quando a soma passa de 9. 1. resulta o dígito 2 com um transporte de 1.

(método utilizado computacionalmente) a) Método Sinal-módulo Usualmente.10010012 ⇒ 110010012 Página 15 Arquitetura e Organização de Computadores . (método mais simples) Complemento de 2. Se o número for positivo.4. Divisão A divisão binária. por sua vez. se for negativo.11. será 1. na posição do algarismo mais significativo). como mostra o exemplo: Seja efetuar a operação: 101100 : 100 1. Exemplos: 3510 = 1000112 ⇒ +3510 = +1000112 ⇒ 01000112 ⇒ -3510 = -1000112 ⇒ 11000112 7310 = 10010012 ⇒ +7310 = +10010012 ⇒ 010010012 ⇒ -7310 = .12 Números negativos no sistema binário I Métodos possíveis: Sinal-módulo (bit de sinal). reserva-se um bit (colocado à esquerda do número. o bit de sinal será 0. utiliza processo análogo ao sistema decimal.1x1=1 Exemplo: 11010 x 10 1.

b) Método do complemento de 2 O método usado para representar números com sinal em microprocessadores é chamado complemento de dois. Exemplo: 100110112 ⇒ 011001002 (*) (*) O número de bits precisa ser fixo (no caso 8) a) Obtenção do complemento de 2 Arquitetura e Organização de Computadores Página 16 . números negativos são representados como complemento de dois dos números positivos. Entretanto. o que é 111110112 e soma 1.Bit de sinal 0: número positivo. Números positivos são representados exatamente como eram com o método do sinal e magnitude e o método do complemento de um. +410 é representado por 000001002. Faz uso de dois passos distintos: a) Obtenção do complemento de 1 (inversor) A obtenção do complemento de 1 dá-se pela troca de cada bit do número pelo seu inverso ou complemento. 1: número negativo. Por exemplo se você trabalha com números de 8 bits e usa o sistema de complemento de dois. Para achar -410 você deve achar o complemento de dois deste número. Assim a representação em complemento de dois de -410 é 111111002. Você faz o complemento de um. O complemento de dois de um número é formado tomando-se o complemento de um e somado-se um.

de 2 -> 1010 Caso 2: A < B A: 0110 (decimal 6) 0110 B: 1011 (decimal 11) -> compl. Os computadores não conseguem realizar as subtrações do mesmo modo que o ser humano. a CPU usa o mesmo circuito tanto para soma como para subtração. a aritmética de complemento de dois permite a ALU. de 2 -> 0101 Arquitetura e Organização de Computadores Página 17 . Todo o microprocessador tem uma instrução de subtração. circuitos simples custam menos e operam mais rápido do que circuitos mais complexos.c) Complemento de 2 na aritmética binária Na eletrônica digital de dispositivos tais como computadores. Felizmente. A aritmética de complemento de dois também simplifica a ALU em outro ponto. Assim. Isto nos permite trabalhar como números com e sem sinal sem requerer diferentes circuitos para cada padrão. a complexidade e o custo da ALU seria aumentado. a ALU deve ser capacitada a subtrair um número de outro. realizar operações de subtração usando um circuito somador. Assim. Entretanto. se isto necessitar de um circuito de subtração separado. para fazermos uma subtração usando complemento de 2: Caso 1: A > B A: 1011 (decimal 11) 1011 B: 0110 (decimal 6) -> compl. baratos e rápidos. O somador na ALU (Unidade Lógica e Aritmética) sempre soma padrões de bits como se eles fossem números binários sem sinal. Logo números em complementos de dois são usados na aritmética pois eles permitem os circuitos mais simples. eles apenas somam. É a nossa interpretação destes padrões que decide se números com ou sem sinal estão sendo indicados. Ou seja.

que significa uma codificação do sistema decimal em binário. já conhecida é: Decimal 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 BCD 0000 0001 0010 0011 0100 0101 0110 0111 1000 1001 1010 1011 1100 1101 1110 1111 LSB Least Significant Bit MSB Most Significant Bit Arquitetura e Organização de Computadores Página 18 . A formação deste código.2. Código BCD A sigla BCD representa as iniciais de ‘Binary-Coded-Decimal”.

declarações tipo int num.1 Representação de Dados Um programa (a seqüência de instruções) deverá manipular diferentes tipos de dados. Por exemplo. desenvolveu-se a notação científica. Assim. representação científica. A faixa de números que podem ser representados em ponto fixo é insuficiente para a maioria das aplicações científicas. e a segunda parte indica a grandeza do número. No entanto. Notamos. sua precisão. Os dados podem ser: • Numéricos • Ponto fixo (números inteiros) • Ponto flutuante (números reais ou fracionários) • BCD (representação decimal codificada em binário) • Alfabéticos • Letras. A forma mais intuitiva de representar números seria através da conversão do número decimal para seu correspondente em binário. onde um quintilhão é representado por 1. Para contornar este problema. números e símbolos (codificados em ASCII e EBCDIC) O tipo de dado que está sendo fornecido ao programa deverá ser informado pelo programador. representado em binário. indicam que a variável num é um número inteiro (int) e a variável sal é um número real (float). essa forma se torna insuficiente.O número de “bits” (binary digit) de um código é o número de dígitos binários que ele possui. A representação de números em ponto flutuante é basicamente a versão binária da notação científica. Devido a isto. representada por uma potência. Diversas representações podem ser utilizadas para isto (sinal/magnitude.0 x 1018. complemento de dois. onde existe a necessidade de representar-se números muito grandes e/ou números muito pequenos. Um número em ponto flutuante. temos: N = + M x B+ E Onde. indicam que a variável é um caractere. em vez de escrevê-lo por extenso (1 000 000 000 000 000 000). existem diversos formatos adotados para representar os números em ponto flutuante. deve fornecer as informações relativas ao significando (seu sinal e sua magnitude) e ao expoente (também seu sinal e sua magnitude). um número em notação científica pode ser representado por um produto de dois fatores: o primeiro fator indica o sinal do múmero mais a sua parte significativa. na linguagem C. Arquitetura e Organização de Computadores Página 19 . isto é. 2. etc). essa seria a forma mais imediata e eficiente. quando queremos representar números muito grandes. é justamente o valor do expoente que marca essa grandeza. representado na forma [(Sinal) Valor x Base (elevada a Expoente)]. então. (inteiro) ou float sal (real). através de declarações. Muitos deles são específicos para uma determinada família de computadores ou para um determinado fabricante. Como os computadores operam sempre em binário. fazendo com que o programa interprete o dado fornecido de acordo com a declaração. que o código BCD é um código de 4 bits. Declarações tipo char letra. Portanto.

0. que corresponde a 0. a representação em Ponto Flutuante é especificada a partir da identificação dos seguintes elementos: 1. sendo. Seguem-se outros exemplos: • • • 1110. porque ela não precisará ser representada. Pode-se observar que.3 Conversão para Ponto Flutuante Para um dado sistema.1875 em decimal.25.11001 x 211 . também. Quantidade de palavras de dados (total de bits/bytes da representação). Modo de representação do significando (normalizado.001 x 2-1 . 2. no formato. do sinal do número. 6. 0.0011 ou 1. A posição.5625 em decimal. para se representar um número real. O valor da base de exponenciação Como exemplo. Quantidade de bits definida para o significando e para o expoente. em decimal. desnecessário. Modo de representação do expoente. é necessário armazenar o significando e o expoente. 2 . por estar sempre presente. que corresponde a 14. antes da vírgula.1 x 2-3 ou 1. com seu sinal Dessa forma é possível manipular precisão (número de dígitos significativos do significando) e grandeza (expressa pelo expoente) do número. que corresponde a 0.". e não na binária 10 . deste exemplo.10101x2101. por ser implícita.. base do sistema.01 ou 1.2 Representação normalizada Existem diferentes maneiras de escrever o mesmo número. Chama-se significando ao número 1. 3.10101 e expoente ao número 101. 5. sendo dispensável representar o "1. 1.11001 x 23 ou 1. A base 2 está sendo mantido na forma decimal. 2. 4. considere o formato a seguir: Arquitetura e Organização de Computadores Página 20 . A forma normalizada é aquela que apresenta um único dígito. diferente de zero.).N – número que se deseja representar + . escrevendo-se o próprio 5 também na base dois.sinal do número M – dígitos significativos do número (significando) B – base de exponenciação + E – valor do expoente. 2. armazenar o dois. Exemplo: 110101 = 1. do significando e do expoente.10101x25 ou.1 x 2-11 .1001 ou 1. etc.

pois não há necessidade de representar o 1 antes da vírgula. Conversão direta para a base: • N = 407. N = 1.011 x 20. que na forma normalizada sempre estará presente.10010111011 x 28. 3. S= 0 (número positivo).0112 = 110010111. Determinação dos valores: • M= 10010111011000000000000. Representação interna: 0 0001000 100101110110000000000000 Faixa de Representação Arquitetura e Organização de Computadores Página 21 .37510? 1. 2. como seria a representação interna de 407. Significando normalizado: • • • 3.Considerando o formato acima.37510 = 110010111. E= 0001000.

B= 10. conforme o quadro: Exemplo: E= 2 dígitos. ou seja.999 x 1099. que tem o maior expoente negativo possível. o expoente é negativo mas não representa os números muito próximos de zero e ocorre uma descontinuidade na representação. mNP= 0. No caso de imprecisão. porém com perda de precisão.100 x 10-99. MNP= 0. a normalização permite que o dado seja representado. Dados na faixa de underflow não podem ser representados. Um outro problema ocorre na região de números próximos de zero. CARACTERÍSTICA = EXPOENTE + EXCESSO Arquitetura e Organização de Computadores Página 22 . Observe que temos sete regiões distintas.4 CARACTERÍSTICA Característica (também chamada de REPRESENTAÇÃO POLARIZADA) é o expoente. Nesse caso. • • • • mNN= -0. A precisão é determinada pelo número de bits do significando. com os números próximos a zero não sendo representados. Ocorre overflow quando o valor absoluto do dado a ser representado excede a capacidade de representação.999 x 1099. 2. porque o número de bits do expoente (neste caso. a representação em ponto flutuante tem limites de alcance e de precisão. MNN= -0. Ocorre underflow quando o valor absoluto do dado a ser representado é tão pequeno que fica menor que o menor valor absoluto representável.Como vimos anteriormente. O alcance é limitado pelo número de bits do expoente. Underflow não é o mesmo que imprecisão. representado na forma de excesso de n ( ou Polarização). M= 3 dígitos. ocorrendo estouro no expoente. positivo) é insuficiente para representar o dado.100 x 10-99.

011 represente o expoente zero.Para se definir a maneira como o computador armazenará o número real em ponto flutuante. é preciso definir o número de bits que ele usará para representar o significando e o número de bits para o expoente.1110 x 22 … 1. Isso não serviria pois precisamos de expoentes negativos. Os bits 1. Sendo m o número de bits representados do significando. normalizado na base 2.1000 x 2-2 … -1.1110 x 210 … -1. 1 negativo. 010. além dos positivos. o número que representa o expoente será o número em binário menos três. m+1 dígitos.5 .1101 x 210 … 1.11 x 21 … 1.5 . que representariam números de 0 até 7.375. 2 e 3 constituem o expoente e precisam representar tanto expoentes positivos quanto expoentes negativos. Com esses três bits. não há necessidade de se representar o (1. há 8 possibilidades: 000.25 . 011 … -1. 110.1 … -111. três bits seguintes para o expoente e os últimos quatro bits para o restante do significando.11 … 111. Os anteriores representarão os expoentes negativos e os posteriores os expoentes positivos.0110 x 21 … 1. 8 bits.1000 x 2-10 … Arquitetura e Organização de Computadores . Assim sendo. para os números menores que zero. 100.… -7. isto é. 001.75 …. o número representado terá. Como devemos representar expoentes tanto negativos. 011.1 … 10. Observem-se os exemplos a seguir: 3. para representar os números reais. 7. Dessa maneira. isto é. a serem tratados daqui a pouco.1100 x 21 … 01001100 01000110 01011110 11011101 10011000 Página 23 -0.1101 x 22 … -1. conforme tabela a seguir. o significando sempre começará por 1. ) pois isso ficaria implícito.… 2. quanto positivos. sempre.… 11. Deram-se aos expoentes 000 e 111 significados especiais. Suponha-se que um determinado computador reserve 1 byte. bit 0 bit 1 bit 2 bit 3 bit 4 bit 5 bit 6 bit 7 O bit 0 indica o sinal do número: 0 positivo.01 … 1. bastando representar os dígitos que aparecem depois da vírgula. 101. Admita-se que usa o primeiro bit para sinal do número. Bits valor expoente 001 1 -2 010 2 -1 011 3 0 100 4 1 101 5 2 110 6 3 É importante observar que num número diferente de zero. 111.… -0. vamos assumir que o número 3. para números maiores que zero.

e sim (0. não teremos.A representação substituindo expoente por característica acarreta que todas as características serão positivas. com zero na frente (01110000) e menos infinito com 1 na frente (11110000). -2 . eles tem tratamento especial. Neste caso. isto é. O mesmo expoente 111 é ainda utilizado para caracterizar indeterminação. ) . Usa-se o expoente 000 . ).1111 x 23 . como era antes. depois da vírgula. ficando o 000 como o menor expoente.0000 x 2-2 . 11111000. ou 15.1. As demais combinações com o expoente 111 não são válidas. sem a precedência do (1. de forma que é possível eliminar a representação do sinal do expoente. estão os dígitos do significando. Se CARACTERÍSTICA = EXPOENTE + EXCESSO. mais. em ambos os casos o significando sendo 0000. como tínhamos quando os números eram normalizados. O significando passa a ser 0.5. O expoente 111 é reservado para representar mais infinito. m+1 dígitos significativos. isto é: 1111.Como se pode ver. Onde. sendo consideradas (not a number). O menor número positivo seria: 0 0 0 1 0 0 0 0 que corresponde a 1. isto é: 0. Lembremo-nos que os expoentes 000 e 111. não foram considerados. só que. quando se quer indicar que o número não está normalizado. agora. o maior número positivo que pode nele ser representado é: 0 1 1 0 1 1 1 1 que corresponde a 1. sendo M o número de bits para a representação da característica.25. no nosso exemplo. temos: Arquitetura e Organização de Computadores Página 24 . até agora. _ _ _ ….

os bits não representativos (à direita) serão preenchidos com zeros. CARACTERÍSTICA = EXPOENTE + EXCESSO No caso. EXCESSO = 2M-1 = 2 8-1 = 2 7 = 128 EXEMPLO DE REPRESENTAÇÃO EM PONTO FLUTUANTE Representação com base 2 (PDP 11. no caso da base 2. o significando normalizada será (lembrando que o primeiro bit 1 não é representado): 100.o primeiro computador/processador de 16 bits da DIGITAL EQUIPAMENT CORPORATION. ou seja.0000 Obs. o excesso é de 12810. Em binário com 23 bits. portanto: CARACTERÍSTICA = EXPOENTE + 12810 Exemplificando: expoente = . vamos converter para binário: 2510 = 110012 Parte fracionária: 0.0 Logo: 25.510 = 11001.0000. que poupava tempo e dinheiro ao usuário.5 x 2 = 1. representado na forma de excesso de n. será: 1000 0100 Arquitetura e Organização de Computadores Página 25 . Em binário com 8 bits.12 x 20 = 1.) Os microcomputadores podem representar os dados em ponto flutuante com base implícita = 2.100112 x 24.: Como o número 1.0000.2M-1 + EXCESSO logo: EXCESSO = + 2M-1 Ex: Para 8 bits. economiza-se um bit no significando não armazenando o primeiro bit do significando. O PDP-11 inaugurou o conceito de compatibilidade. uma característica entre 0 e 12710 significa que o expoente é negativo. Permitia transportar aplicações de máquinas de menor porte para maior porte. temos.2810 + 12810 = 10010 Assim.12 x 20 Normalizando: 11001. Como o expoente é 4. no seguinte formato: sendo SN = sinal do dado CARACTERÍSTICA = o expoente.510 Como a base implícita é 2.0000. já que está implícito que todos os números terão significando iniciando com 1. Exemplo: Representar 25. enquanto uma característica entre 129 e 255 significa que o expoente é positivo (característica igual a 1280 significa expoente igual a 0). a característica será: 410 + 12810 = 13210. Como o primeiro dígito do significando será sempre 1. e vice-versa.28 logo característica = . eliminava a necessidade de reescrever software e reduzia os investimentos em periféricos.1100.0 = .100112 será representado em 23 bits.

• Um significando normalizado começa com um ponto binário. bem como devem operá-los. No formato duplo. a norma ainda define o formato estendido.5 O Padrão IEEE – 754 O Instituto de Engenharia Elétrica e Eletrônica ou IEEE é uma organização profissional e não-lucrativa. publicada em 1985. Sua meta é promover conhecimento no campo da engenharia elétrica e eletrônica. com 80 bits e o formato quádruplo.Portanto. o menor expoente é representado por 00000000001. valendo +127. e o maior expoente é representado por 11111111110. valendo -126. o expoente tem 11 bits e o significando 52 bits e no formato quádruplo. valendo 1022. No formato simples. É a maior (em número de sócios) organização profissional do mundo. profissionais de telecomunicações. padrão IEEE 754 consiste no primeiro 1 do significando oculto. fundada nos Estados Unidos. A IEEE foi formada em 1963 pela fusão do Instituto de Engenheiros de Rádio (IRA) com o Instituto Americano de Engenheiros Elétricos (AIEE). Em ambos os casos. com 128 bits. Um de seus papéis mais importantes é o estabelecimento de padrões para formatos de computadores e dispositivos. com 32 bits. Isto é denominado "significando". No formato simples o expoente tem 8 bits e o significando tem 23 bits. o duplo com 64 bits e o quádruplo com 128 bits (ainda existem o simples estendido e o duplo estendido). A norma IEEE 754. e o maior expoente é representado por 11111110. a representação será: 2. no formato duplo. Essa norma define três formatos básicos para os números em ponto flutuante: o formato simples. sendo o primeiro bit 1 normalizado representado neste formato. etc. cientistas da computação. O primeiro bit é para o sinal: 0 representa número positivo e 1 representa número negativo. o expoente vale o número representado em binário menos 127. o expoente tem 15 bits e o significando 111 bits. seguido por um bit 1 e depois pelo resto do significando. O IEEE tem filiais em muitas partes do mundo. sendo seus sócios engenheiros elétricos. Além dos formatos básicos. Todos os números normalizados tem um significando S. procurou uniformizar a maneira como as diferentes máquinas representam os números em ponto flutuante. o expoente vale o número representado em binário menos 1023. um ponto oculto e depois os bits da fração. o menor expoente é representado por 00000001. valendo +1023. no intervalo: Página 26 • • Arquitetura e Organização de Computadores . Em ambos os casos.

7510 no formato de ponto flutuante padrão IEEE 754 para precisão simples. em precisão simples: 1 01111110 10000000000000000000000 Arquitetura e Organização de Computadores Página 27 . ou de só de uns.7510 também pode ser representado como 1. FORMATOS Largura do formato Significando Expoente Emáx Emín Característica Largura Simples 32 23 +127 -126 +127 8 Duplo 64 52 +1023 -1022 +1023 11 Exemplo: Mostrar a representação do valor -0.1≤S≤2 Não é permitido ao número normalizado ter um expoente só de zeros. O valor -0.12x2-1 Usando a forma geral de representação de números em ponto flutuante usando o padrão IEEE 754.

O bit de sinal (S) é representado no bit mais significativo. Os bits menos significativos são destinados ao significando. 3. O Zero é representado por um número todo em zero (E=F=L=0). ou 1 a 32766). 4. zero. O Infinito é representado pelo maior valor do expoente (E=255 ou 2047 ou 32767) e por uma fração em zero (F=L=0). Note-se que o infinito pode ter sinal. situações imprevistas. Seu uso previsto inclui a indicação de códigos de erro. o primeiro bit do significando (L) é sempre um e por isto não é representado. note-se que o zero neste caso pode ter sinal. 2. os bits seguintes representam o expoente. Os números normalizados utilizam um expoente que vai de 1 a 254 (ou 1 a 2046. cinco grupos diferentes de números podem ser representados: números normalizados. 5. Note-se que o bit L não é representado (exceto na notação quádrupla). etc. Números não normalizados possuem o expoente em zero (E=0) e uma fração não zero. Arquitetura e Organização de Computadores Página 28 . números não-normalizados.Nesta notação. Não-números (Not a Number) são representados pelo maior expoente e por uma fração diferente de zero. infinito e não-números (NaN): 1. Seu uso é restrito para representação do números que não podem ser normalizados sem causar “underflow”.

encontrada no canto superior esquerdo nos teclados. acentos e sinais diversos ( por exemplo: <. E eles são numerados de 32 a 126 pois os primeiros códigos (de 0 a a 31) foram reservados para caracteres de controle. mostrados na tela ou impressos numa impressora.2. números. possuem um valor numérico. os quais efetivamente podem ser processados. Antes de maio de 1961 a maioria dos sistemas de computadores tinha uma maneira particular de representar os caracteres alfanuméricos. para representar um código de caracter. Arquitetura e Organização de Computadores Página 29 . Por exemplo: . O código permite não só uma melhor compreensão sobre a lógica do funcionamento do computador mas. possibilita a utilização de caracteres. Esses caracteres de controle tiveram sua origem nos primórdios da computação. objetivando permitir a troca de dados entre máquinas de diferentes tipos e fabricantes. também. que controlam funções ou equipamentos. Bemer e sua equipe para desenvolver o "American Standard Code for Information Interchange" (Código Padrão Norte-americano para Intercâmbio de Informações). {. e visa padronizar a forma pela qual os computadores representam letras. ou seja. ASCII é um código numérico usado para representar os caracteres.6 Código ASCII(6) O uso mais importante do byte (grupo de 8 bits 0 ou 1) é. letras gregas e símbolos matemáticos. Para padronizar estes valores. Assim. provavelmente. Todos os caracteres digitados no teclado. hoje conhecido como código ASCII. cujos símbolos não aparecem no teclado. símbolos gráficos. Os 128 restantes são utilizados com valores para caracteres adicionais como caracteres europeus. foi proposto o uso de um código comum. ] ) e alguns códigos de controle ( <Crtl> ) que são utilizados para converter todos os símbolos em números binários. É baseado no alfabeto romano. O "American National Standards Institute" aceitou a proposta de Robert W. quando eram utilizadas máquinas Teletype (como máquinas de escrever eletro-mecânicas).o caráter 27 representa a função "escape" determinada pela tecla <ESC>. que usa a escala do decimal 0 a 127. a fim de possibilitar a comunicação entre os computadores. que faz com que uma impressora avance seu papel.o caráter 10 representa a função "LINE FEED". Assim. . fitas de papel perfurado e impressoras de cilindro. entendido por quase todos os computadores. O conjunto ASCII básico possui 128 códigos. impressoras e programas de edição de texto. portanto muitos deles são dirigidos a estes equipamentos. criou-se o conjunto de caracteres ASCII. É importante notar que há apenas 95 caracteres que podem ser impressos. como é usado no idioma inglês moderno.

Tabela ASCII Binário 0010 0000 0010 0001 0010 0010 0010 0011 0010 0100 0010 0101 0010 0110 0010 0111 0010 1000 0010 1001 0010 1010 0010 1011 0010 1100 0010 1101 0010 1110 0010 1111 0011 0000 0011 0001 0011 0010 0011 0011 0011 0100 D H 32 20 33 21 34 22 35 23 36 24 37 25 38 26 39 27 40 28 41 29 42 2A 43 2B 44 2C 45 2D 46 2E 47 2F 48 30 49 31 50 32 51 33 52 34 G Binário vazio 0100 0000 ! " # $ % & ' ( ) * + . / 0 1 2 3 4 0100 0001 0100 0010 0100 0011 0100 0100 0100 0101 0100 0110 0100 0111 0100 1000 0100 1001 0100 1010 0100 1011 0100 1100 0100 1101 0100 1110 0100 1111 0101 0000 0101 0001 0101 0010 0101 0011 0101 0100 D 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 H 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 4A 4B 4C 4D 4E 4F 50 51 52 53 54 G @ A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T Binário 0110 0000 0110 0001 0110 0010 0110 0011 0110 0100 0110 0101 0110 0110 0110 0111 0110 1000 0110 1001 0110 1010 0110 1011 0110 1100 0110 1101 0110 1110 0110 1111 0111 0000 0111 0001 0111 0010 0111 0011 0111 0100 D 96 97 98 99 100 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 113 114 115 116 H 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 6A 6B 6C 6D 6E 6F 70 71 72 73 74 G ` a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t Arquitetura e Organização de Computadores Página 30 . .

br/~francis/Organizacao. 1984.htm (4) Gonick.0011 0101 0011 0110 0011 0111 0011 1000 0011 1001 0011 1010 0011 1011 0011 1100 0011 1101 0011 1110 0011 1111 53 35 54 36 55 37 56 38 57 39 58 3A 59 3B 60 3C 61 3D 62 3E 63 3F 5 6 7 8 9 : . L. 2ª Edição.users.htm (3) Acessado em: http://icea. Introdução Ilustrada à Computação. (6) Acessado em: http://www.inf.br/rmano/comp1inf. Introdução à Organização de Computadores. < = > ? 0101 0101 0101 0110 0101 0111 0101 1000 0101 1001 0101 1010 0101 1011 0101 1100 0101 1101 0101 1110 0101 1111 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 55 56 57 58 59 5A 5B 5C 5D 5E 5F U V W X Y Z [ \ ] ^ _ 0111 0101 0111 0110 0111 0111 0111 1000 0111 1001 0111 1010 0111 1011 0111 1100 0111 1101 0111 1110 117 118 119 120 121 122 123 124 125 126 75 76 77 78 79 7A 7B 7C 7D 7E u v w x y z { | } ~ Referências Bibliográficas: (1) Acessado em: http://www. Editora Harper & Row do Brasil.br/ead/anexo/index.html (2) Acessado em: http://www.ufpa.htm Arquitetura e Organização de Computadores Página 31 . M. (5) Monteiro.puc-rio.br/dicas/progra/arq-asc.rdc.puc-rio. Editora LTC.gov.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful