Você está na página 1de 1

L10 LINK SEGUNDA-FEIRA, 9 DE FEVEREIRO DE 2009

O ESTADO DE S.PAULO

VIDA DIGITAL: RAFAEL SICA, 28 anos, quadrinista


■■■ Comabordagemdepressiva e mal humorada do homem moderno, o gaúcho Rafael Sica chama a atenção na web
tulos também porque bebem
:LUCAS PRETTI em muitas fontes. Artistas hoje
em dia só não são multitarefa se
não quiserem – vide a internet,
A maioria dos quadrinhos cria- a informação por toda parte e o
dosporRafaelSicanãotempala- bombardeio de novas coisas to-
vras.Tentamcriticar,impressio- dos os dias. Não é o caso de Sica
nar, amarrar a garganta apenas eoutrosparceirosdeHQ.Adife-
comtraçosmeiotoscosempreto rença é a visão crítica sobre es-
e branco. O Link pediu que ele se mundão conectado.
criasse algo para resumir seu “Idiota tem em qualquer lu-
pensamento sobre a relação da gar,imbecilháemqualquercan-
internet com a comunicação e to. Na internet isso só aparece
eventuaisneurosescontemporâ- deformagigante”,dizSica.“Te-
neas. Saiu um bando de anôni- nho uma visão infantil, de quem
mos às vezes enforcados, às ve- está ali sentado se esforçando
zes acolhidos, ora isolados, ora para mover uma coisinha. Mas
abraçados, mas sempre mescla- essa coisinha não é nada, tem
dosesufocadosporumgigantes- cada vez menos importância.”
co cabo branco. Em última ins- Como se vê, Rafael Sica man-

Retrato da internet em
tância,porém,estãoconectados. tém um distanciamento saudá-
O quadrinista gaúcho, de 28 vel da internet. “É uma mídia
anos, tem uma relação de mão que aproxima afastando.”
duplacom a internet.Ao mesmo O pai de Sica é bancário e a
tempoquecriticaaexposiçãoba- militância sindical acabou in-

desenho sem palavras


rata, usa a rede para trazer visi- fluenciando o garoto. De um la-
bilidade às HQs. Desde 2004, Si- do, a carga crítica; de outro, a
ca apoia sua atividade profissio- mãe que desenhava por hobby.
nal num blog que concentra a Não por acaso, o resultado foi o
parte autoral – e portanto não quadrinista de 18 anos que es-
“encomendada” (se quiser, adi- treou na profissão publicando
cioneoadjetivo “melhor”aqui) – NECO VAREELA/AE histórias no jornal do Sindicato
daatividade.Oendereçoérafael- dos Bancários de Pelotas (RS).
sica.zip.net. O primeiro reconhecimento
Antes de digitar no seu nave- veio alguns anos depois, quan-
gador, é bomsaber o queencon- do venceu um concurso de tiri-
trará na URL. São tirinhas com nhas do jornal Folha de S. Paulo
temática absurda e depressiva. e passou a publicar quadrinhos
Homens perseguidos e ator- juvenis semanalmente. Foi a
mentados. Muitas pessoas sem chance para jornais gaúchos
saída,semamigos,semdignida- maiores, como o Diário Gaúcho
de. Traços um pouco toscos e e o Zero Hora, convidarem Sica
contemplativos.Nenhumapala- para colaborar. Logo os pam-
vra. “Procuro situações sur- pas não deram conta de seu ím-
preendentes ou corriqueiras, peto artístico – e Sica embar-
mas expostas de maneira no- cou para São Paulo.
va”, afirma o autor.
Além da temática contempo-
rânea dos desenhos, cabe uma Contemplativo:
discussão estética sobre o for-
mato escolhido para publica- Sica retrata pessoas
ção: ele desenha para a internet sozinhas, sempre
e não abandonou a tirinha hori-
zontal, criada para veiculação
sem cores ou falas
em jornais, nos idos do século 19.
Édepropósito,segundoele.“Te- Coincidiu com a viagem a
mos uma máfia nas HQs. Um ti- criação do blog, em 2004. Era o
po de acordo para não perder- meio encontrado para disponi-
mos totalmente a referência do bilizar o portfólio rapidamente
queestamosfazendo”, diz. “Ena e ser visto por possíveis interes-
internetcola legalporque entre- sados nos desenhos. A nova ci-
tém rapidamente pelo desenho, dade e a convivência com ou-
sem abrir janela, baixar nada.” tros ilustradores contribuiu pa-
Certas obras de arte, dizem, ra a lapidação do estilo de Sica.
nãodevemserentendidasoura- “São Paulo abriu muito minha
cionalizadas. Alguns quadri- cabeça, foi uma experiência
nhos de Sica talvez entrem nes- EXPOSIÇÃO - Rafael Sica expôs seu trabalho em Porto Alegre pela primeira vez no ano passado: ‘Todo quadrinho é underground por natureza’ muitointensa.Éumacidadefan-
sa categoria. Pequenos deta- tástica”, afirma o gaúcho. Até
lhes saltam aos olhos e cunham que, como diz, conheceu “uma
sensações no cérebro do espec- OUTRAS HQs NA WEB mulher”, “engravidaram” e vol-
tador. Ele busca talvez a mes- taram para a terra natal.
ma reação que teve na infância Faça uma forcinha e enume-
ao ver, pela primeira vez, o tra- re quantos gaúchos um tanto
balho de Glauco. Imagine o cho- combativosenacionalistas (crí-
que de um garoto na frente do ticos no mínimo) já aportaram
personagem Geraldão quando em São Paulo para lapidar sua
tudo o que conhecia sobre HQs arte. Clarah Averbuck, André
se resumia a Turma da Mônica e Czarnobai (o Cardoso), Grace
Superman. Gianoukas e Larissa Maciel são
“Não tenho uma influência alguns nomes contemporâ-
clarado Glauco.Foi maisotrau- neos. Alguma coisa farroupilha
ma de ver o quadrinho adulto liga todos eles?
pela primeira vez. Comecei “O Rio Grande do Sul tem
criando coisas parecidas, de- BLOG | ALLAN SIEBER BLOG | MALVADOS BLOG | GABRIEL RENNER BLOG | RAFAEL SALIMENA
uma grande produção de cultu-
pois fugi disso”, afirma Sica. “E ra popular, mas conservadora e
até hoje procuro aprimorar tradicionalista. É por isso que
meu traço, que não é muito rico. WEB | talktohimselfshow.zip.net WEB | www.malvados.com.br WEB | www.estudiopinel.com WEB | linhadotrem.blogspot.com queremos contestar a ordem”, é
Não sei desenhar direito.” DETALHES | O pessimista Sieber DETALHES | Clássicos da inter- DETALHES | Os desenhos de DETALHES | Os desenhos bem a resposta de Sica. “E queremos
Tanto ele como outros qua- está fazendo sucesso com a série net, as HQs de André Dahmer Renner são baseados em perso- finalizados de Salimena sur- mostrar que nem tudo que vem
drinistas de sua geração (veja ‘Faça você mesmo!’ ironizam o ‘establishment’ nagem e têm humor ácido preendem pela pegada ‘cretina’ deláestáemcimadeumcavalo.”
algunsabaixo)nãogostamderó- Certamente que não. ●