Você está na página 1de 7

MICROBIOLOGIA AMBIENTAL

Capacitar o aluno no entendimento dos processos microbiológicos que ocorrem no meio ambiente natural e artificial e no conhecimento da biologia dos principais grupos de microrganismos. Capacitar o aluno no entendimento dos procedimentos técnicos usados no estudo de microrganismos no meio ambiente natural e artificial.

algas. protozoárias Nutrição microbiana e os ciclos biogeoquímicos Crescimento Processos microbiológicos no tratamento de esgoto .Revisão de microbiologia essencial: bactéria. fungos.

bactérias. e nutrientes inorgânicas. algas. protozoárias. fungos. ovos e cistos de parasitas – vírus. alguns metazoárias .• Tratamento de água e esgoto • Remoção de organismos.papel dos principais grupos de organismos – bactérias. principalmente N e P . vermes • Tratamento biológica de esgoto – remoção de matéria orgânica.

• Avaliação • Prova 1 + Prova 2 2 .

Reatores anaeróbios. 1997. B. • BRITTO. Estudos e modelagem da qualidade da água de rios. SÃO PAULO: ATHENEU.R. ABES. Lodo de esgotos: tratamento de disposição final. BAPTISTA TORRES.. Microbiologia Básica.Introdução a qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. • SPERLING.. Belo Horizonte.C.R.S. M.. Introdução à biologia sanitária. RJ. . 1994. H. 1999. I & II. M. FURLANETO. DESA. E. Lagoas de estabilização. São Paulo: Makron.• BARBOSA. Lodos ativados.C. Microbiologia. E.. UFMG. von E OUTROS AUTORES 1995-2007. Volumes 1-7 .. • PELCZAR. M. CHAN.. Princípios básicos do tratamento de esgotos. REID. R. Princípios do tratamento biológico de águas residuárias.

Rio de Janeiro: ABES. F. CETESB. 1998. 1997.R. Microbiologia do solo. E. A. 2004. S... TSAI & M.. Microbiologia. Introduccion a la Botanica. Sociedade Brásileira de Ciência do Solo.. Campinas. Rio de Janeiro: Ed.• • • • • • • • APHA.M. Barcelona. . 1978.B. Microbiologia. Hidrobiologia Aplicada à Engenharia Sanitária. GOODHEART. C. AWWA.N. M.. CRONQUIST.. Washington. S. PIRES. FROBISHER.J. C.. Standard Methods for the Examination of Water and Wastewater. BRANCO. 2 ed.M. 1986.D. E. CARDOSO. et al.C. R. ESTEVES. E. São Paulo. Fundamentos de Limnologia. Salvat Editores. CHAN. Interciência. 1998. NEVES 1992. Mexico: CECSA. HINSDILL.. São Paulo: Pearson Education do Brasil. KELLNER. K. CRABTREE.T. Lagoas de estabilização: Projeto e operação.. 1992. E.C.P.A. 19th ed. S.

BARNES. Microbiologia ambiental. R. S. 1998. Campina Grande. New York: McGraw Hill.F. & Klein´s Microbiology 7a ed.D. Ecologia microbiana.M.• • • • • • • • • LACAZ-RUIZ. MAIA. J. 1997. M.. Prescott.M. CANDEIAS J. SHERWOOD.. I.. PB. São Paulo: Editora Roca Ltda. MELO.. Água Microbiologia e tratamento. 1994... SOARES.J. Tratamento anaeróbio de esgotos. J. Manual prático de microbiologia básica.C. EMBRAPA.N. E. Zoologia dos Invertebrados. WILLEY.C. Atheneu 3a ed. Jaguariúna. Microbiologia. I..B. Microbiologia de lodos ativados. 2008. G. L. VAZOLLÉR.A. F..R. 1989.C. GOMPERTZ O. R. 1999. Rio de Janeiro. GARCIA. Jaguariúna: EMBRAPA.. 1996. J..F. São Paulo: Edusp. R.R. VAN HAANDEL..E. L. A. GARCIA JR. & WOOLVERTON. . J. 2000.. Harley. L.. MELO. L.. LETTINGA. RUPPERT. C. & NETO.. A. A..A. de & AZEVEDO.D. J. UFC Edições Fortaleza. São Paulo: CETESB. TRABULSI. 1999. ALTERTHUM.F. de & AZEVEDO. S.