Você está na página 1de 8

TEORIA DE ESTRUTURAS II

ENGENHARIA CIVIL
ANO LECTIVO: ANO/REGIME: SEMESTRE:
ENGENHARIA CIVIL
3.º / DIURNO 1º

TEXTO DE APOIO MEMÓRIA DE COMANDOS DO SAP 2000 – (Rascunho)

INSTRUÇÕES BÁSICAS DO SAP 2000

PRÉ-PROCESSAMENTO

ÍNICIO

FILE > NEW MODEL ou - Inicia uma nova estrutura abrindo um menu de criação uma
grelha tridimensional de apoio à definição da estrutura.
FILE > NEW MODEL FROM TEMPLATE - Definição de uma estrutura a partir de um conjunto
de estruturas tipo.
EDIT > ADD TO MODEL FROM TEMPLATE - As estruturas tipo podem ser adicionadas ao
modelo que estamos a construir em qualquer altura

UNIDADES

Definem-se na janela inicial, no campo inferior direito , as unidades fundamentais a


utilizar (por exemplo kN - m)

GRELHA AUXILIAR
OPTIONS>SET COORDINATE SYSTEMS…- Permite adicionar e gerir grelhas e sistemas de
eixos suplementares
OPTIONS>#D VIEW UP DIRECTION>X, Y ou Z _ indica qual o eixo vertical da vista 3D
DRAW>EDIT GRID ou clicando duas vezes na grelha – Edita as linhas de grelha.
VIEW>SHOW GRID – Activa/desactiva a grelha.

GESTÃO DE VISTAS DE VISUALIZAÇÃO


No início aparecem duas vistas de visualização, uma plana e outra tridimensional, e uma janela de
referência (Aerial View). A AERIAL VIEW representa a totalidade da vista activa (para activar
uma vista basta clicá-la com o rato).
Na AERIAL VIEW pode-se seleccionar com o rato as partes a visionar na vista activa.
Em todas as vistas aparece o sistema de eixos global.

Pág. 1 de 8
Teoria de Estruturas II

OPTIONS > WINDOW – Permite definir o número de janelas de trabalho.


OPTIONS>SHOW AERIAL VIEW - activa/desactiva a Aerial View
VIEW>SHOW AXES - activa/desactiva o sistema de eixos.

VIEW>REFRESH WINDOW ou - Redesenha os elementos da janela activa


VIEW>REFRESH VIEW – Redesenha os elementos da vista activa
OPTIONS>AUTO REFRESH – Activa/desactiva a função de redesenho automático

VIEW>SET ELEMENTS… – Permite filtrar as propriedades que aparecem nas grelhas, por
exemplo, podemos ter sempre presentes os apoios ou não

VIEW>SHOW SELECTION ONLY – Mostra apenas os elementos incluídos na selecção.

Apontando um ponto da grelha de referência, este aparece assinalado com um ponto vermelho, em
todas as vistas. Na barra inferior aparecem as coordenadas do ponto.
DRAW>SNAP TO - Define o modo da função SNAP (também acessível
através dos últimos 5 ícones da coluna esquerda).

Na barra de podemos escolher alguns planos típicos de visualização da


vista activa. As vistas segundo planos principais da grelha auxiliar podem ser
mudadas para planos paralelos através dos comandos .

Também os comandos VIEW > SET 2D VIEW permite efeito semelhante. No caso de vistas
tridimensionais o comando VIEW>SET 3D VIEW permite especificar a vista em perspectiva.

Um outro conjunto de comandos para controlo das vistas são (associados ao ícone

“lupa”):
RUBBER ZOOM BAND – Selecciona uma parte da vista a ampliar
RESTORE FULL VIEW – Apresenta a vista completa
RESTORE PREVIOUS VIEW – Apresenta a vista anterior
RESTORE PREVIOUS VIEW – Apresenta a vista anterior
ZOOM IN ONE STEP – Aumenta a vista um passo
ZOOM OUT ONE STEP – Aumenta a vista um passo
PAN – Para mover a vista pela tela
Pág. 2 de 8
Teoria de Estruturas II

INTRODUÇÃO DA ESTRUTURA

OPTIONS>LOCK MODEL ou - Bloqueia/desbloqueia a alteração da estrutura


EDIT>CUT – apaga as entidades seleccionadas
EDIT>COPY …. PASTE – permite copiar os elementos seleccionados fixando valores de translação
EDIT>DELETE – permite apagar as entidades seleccionadas
EDIT>MOVE – permite impor translações das entidades seleccionadas seleccionadas
EDIT>SHOW DUPLICATES – Assinala elementos e nós sobrepostos. Quando se tenta seleccionar
um dos elementos sobreposto aparece uma janela para indicarmos qual pretendemos
EDIT>CHANGE LABELS – permite mudar o numero de uma entidade, associar um prefixo ao
número, indicar o incremento da numeração,…

DRAW>RESHAPE ELEMENT ou – Permite mudar um nó ou um elemento de posição

• MATERIAIS
DEFINE>MATERIALS – Define o material. Existem 2 materiais default: betão e aço

• NÓS
DRAW>ADD SPECIAL JOINT ou - Clicando com o rato cria-se um nó no ponto desejado.

EDIT>MERGE JOINTS – permite juntar nós sobrepostos ou próximos dentro de uma certa
tolerância

EDIT>DISCONNECT – extremidades com as mesmas coordenadas passam a ser nós


independentes
EDIT>CONNECT - extremidades geometricamente coincidentes mas relativas a nós independentes
passam a ser o mesmo nó (ver também edit>merge joints)

Apontando o nó e clicando com o RIGHT BUTTON edita-se as propriedades do nó: numeração,


coordenadas, restrições, massas, cargas, deslocamentos impostos, flexibilidade de molas, …

NÓS DE APOIO, LIGAÇÕES FLEXÍVEIS, MASSAS EM NÓS, EIXOS LOCAIS


Após seleccionar um nó podemos definir diversas condições de movimento:

ASSIGN>JOINT>RESTRAINTS ou - permite caracterizar nós de apoio

Pág. 3 de 8
Teoria de Estruturas II

ASSIGN>JOINT>CONSTRAINTS faz um nó pertencer a um corpo rígido em conjunto com


outros… (ver mais desenvolvimentos no help)
ASSIGN>JOINT>SPRINGS – permite introduzir a flexibilidade de molas associadas aos nós.
ASSIGN>JOINT>MASSES – permite associar massas a nós
ASSIGN>JOINT>LOCAL AXES – permite definir eixos locais associados aos nós.

ASSIGN>CLEAR DISPLAY OF ASSIGMENTS – Limpa as vistas dos atributos introduzidos


através do conjunto de comandos ASSIGN

DISPLAY>SHOW LOADS>JOINT – Desenha as cargas nodais e deslocamentos impostos nodais


para um dado carregamento.
DISPLAY>SHOW LOADS>NONE – Limpa as vistas da representação das cargas e deslocamentos
impostos.

• ELEMENTOS LINEARES

DRAW>DRAW FRAME ELEMENT ou - Clicando com o rato em dois pontos ou dois nós
sucessivos cria-se um elemento linear. Se não existirem, os nós das extremidades são criados.
Apontando o elemento e clicando com o RIGHT BUTTON edita-se as propriedades do elemento:
numeração, nó final e inicial, …

DRAW>QUICK DRAW ELEMENT ou – Transforma os segmentos de grelha clicados em


elementos.

EDIT>REPLICATE – permite duplicar várias vezes um elemento seleccionado impondo-lhe


translações ou rotações sucessivas (ver também edit>copy/paste, edit>move)

EDIT>DIVIDE FRAME- permite dividir um elementos em várias partes ou pelas intersecções com
outros elementos

DRAW>CONSTRAIN DRAWING TO ou carregando na tecla x,y ou z– permite introduzir o nó


final de um elemento sem permitir a variação de uma das coordenadas x,y ou z em relação ao nó
inicial

DEFINE>FRAME SECTIONS ou – Define secções a atribuir a elementos lineares. O material


está associado à secção. São assumidos os eixos locais 2 e 3, sendo o eixo 1 o da barra.
Pág. 4 de 8
Teoria de Estruturas II

A secção default é rectangular. É possível importar um conjunto de secções tabeladas ( as


dimensões não podem ser alteradas) ou adicionar novas secções tipo (as dimensões podem ser
alteradas).

ASSIGN> FRAME>SECTIONS – Permite atribuir secções aos elementos lineares seleccionados.

DEFINE>HINGE PROPERTIES – Define tipos de libertações para introduzir num ponto das
barras. As libertações são definidas em relação aos eixos locais.
ASSIGN>FRAME>HINGES(PUSHOVER) – Introduz um tipo de libertação escolhido na barra
seleccionada indicando a percentagem da distância ao nó inicial

ASSIGN>CLEAR DISPLAY OF ASSIGMENTS – Limpa as vistas dos atributos introduzidos


através do conjunto de comandos ASSIGN

CARREGAMENTOS

DEFINE>STATIC LOADS CASES – Permite originar casos de carregamentos


DEFINE>LOAD COMBINATIONS – Permite definir combinações de carregamentos

• CARGAS CONCENTRADAS E DESLOCAMENTOS IMPOSTOS EM NÓS


Após seleccionar um nó podemos definir diversas condições de carregamento para os diversos casos
de carga:

ASSIGN>JOINT STATIC LOADS>FORCES ou - permite definir cargas nodais referidas a


eixos globais
ASSIGN>JOINT STATIC LOADS>DISPLACEMENTS - permite definir deslocamentos impostos
nos nós

• CARGAS CONCENTRADAS E DISTRIBUÍDAS EM BARRAS


Após seleccionar um elemento linear podemos definir diversas condições de carregamento para os
diversos casos de carga:

ASSIGN>FRAME STATIC LOADS>GRAVITY – Atribui peso aos elementos

ASSIGN>FRAME STATIC LOADS>POINT AND UNIFORME ou - Cargas pontuais e


uniformes no elemento
ASSIGN>FRAME STATIC LOADS>TRAPEZOIDAL- Cargas poligonais definidas em 4 pontos
ASSIGN>FRAME STATIC LOADS>TEMPERATURE – Permite definir variação uniforme de
temperatura e variações diferenciais de temperatura segundo eixos locais 2 e 3.
Pág. 5 de 8
Teoria de Estruturas II

ASSIGN>FRAME STATIC LOADS>PRESTRESS

ASSIGN>CLEAR DISPLAY OF ASSIGMENTS – Limpa as vistas dos atributos introduzidos


através do conjunto de comandos ASSIGN.

DISPLAY>SHOW LOADS>FRAME – Desenha as cargas nas barras para um dado carregamento.


DISPLAY>SHOW LOADS>NONE – Limpa as vistas da representação das cargas

SAÍDA FICHEIROS DE DADOS


FILE>PRINT INPUT TABLES – Cria um ficheiro com todos os dados introduzidos que se
pretendam

SELECÇÃO DE ENTIDADES
SELECT>SELECT>

>POINTER/WINDOW ou – selecciona elementos ou nós clicando-os


sucessivamente ou envolvendo-os completamente numa janela.

>INTERSECTING LINE ou - selecciona elementos ou nós intersectados por


uma linha que se traça na vista
>XY ou XZ ou YZ PLANE – selecciona elementos ou nós contidos no plano da
grelha clicado na vista 3D
>GROUPS – seleciona nós ou elementos que pertencem a um grupo
>FRAME SECTION – selecciona elementos lineares que possuem uma determinada
secção.
>SHELL SECTION –
>NLINK PROPERTIES –
>CONSTRAINTS –
>LABELS – selecciona tipos de elementos (joints, frames) com número de ordem
compreendido entre dois limites e incremento desde o elemento inicial definido.

>ALL ou – Selecciona tudo


SELECT>DESELECT - Os mesmos comandos que select agora com a função de desseleccionar.

SELECT>GET PREVIOUS SELECTION ou – volta à selecção anterior.

SELECT>CLEAR SELECTION ou – limpa a selecção


ELIMINAÇÃO DE ENTIDADES
EDIT>DELETE ou Delete – apaga o elemento ou nó seleccionado
Pág. 6 de 8
Teoria de Estruturas II

ANÁLISE

ANALYSE>SET OPTIONS…
Define tipos de análise: pórtico tridimensional, pórtico plano, grelha, treliça tridimensional.
Distinguem-se pelos graus de liberdade que caracteriza cada um destes tipos de análise
considerando deslocamentos lineares (U) segundo os eixos e rotações em torno dos eixos (R). A
correcta utilização desta potencialidade poderá representar um menor volume de cálculo.
Além disso permite optar por análises dinâmicas, P-delta, etc

ANALYSE>RUN ou
Cálculo da estrutura

POST-PROCESSAMENTO

FILE>PRINT OUTPUT TABLES – Cria um ficheiro com todos os resultados de cálculo


pretendidos

ESFORÇOS E DESLOCAMENTOS EM BARRAS SELECCIONADAS

DISPLAY>SHOW ELEMENT FORCES/STRESSES>FRAMES ou - Desenha nas vistas os


diagramas de momentos das barras
Podemos seleccionar o tipo de esforços pretendido considerando a convenção da figura seguinte:

Pág. 7 de 8
Teoria de Estruturas II

Nas vistas é editado o diagrama de esforços seleccionado. Escolhendo uma barra com o botão
direito editamos o diagrama detalhado dessa barra, no qual poderá ser visualizado o valor do
esforço em qualquer secção da barra.

DISPLAY>SET OUTPUT TABLE MODE … ou


Os esforços nas barras passam a ser apresentados em tabelas, as quais podem ser impressas. Basta
seleccionar uma barra com o botão direito do rato para editar a respectiva tabela. De igual forma
editamos a tabela dos deslocamentos de um nó, clicando-o com o botão direito do rato.

REACÇÕES DE APOIO

DISPLAY>SHOW ELEMENT FORCES/STRESSES>JOINTS ou - Desenha nas vistas as


reacções nos apoios.

RECOLHA DE RESULTADOS RELATIVOS A ELEMENTOS BIDIMENSIONAIS

DISPLAY>SHOW ELEMENT FORCES/STRESSES>SHELLS ou - Desenha nas vistas….

DEFORMADAS

DISPLAY>SHOW UNDEFORMED SHAPE ou - Mostra a geometria indeformada da


estrutura. Este comando também é acessível no pré-processamento.

DISPLAY>SHOW DEFORMED SHAPE ou - Mostra a geometria deformada da estrutura.


Clicando um nó com o botão direito do rato podemos conhecer os deslocamentos nessa posição.

GERAL
ASSIGN>CLEAR DISPLAY OF ASSIGMENTS – Limpa as vistas dos atributos desenhados na
fase de observação dos resultados de post-processamento.

Pág. 8 de 8