Você está na página 1de 1

Jornal Correio do Povo - Nosso Colaborador ANO 116 N 208 - PORTO ALEGRE, TERA-FEIRA, 26 DE ABRIL DE 2011

Quem no sabe copia e cola


Jaurs Palma Tem sido destaque o poder da Internet como eficiente meio de mobilizao capaz de viabilizar levantes populares contra ditaduras de mais de 40 anos. De fato, a circulao incontrolvel dos contedos postados na rede mundial se presta at mesmo interveno e ao controle social pelos cidados comuns. Por outro lado, isto me faz lembrar que, no prximo 17 de junho, a extino da exigncia de diploma para o exerccio do jornalismo completar dois anos. Alis, esta foi uma das minhas duas nicas razes de constrangimento como jornalista; a outra foi quando a profisso foi regulamentada em pleno regime de exceo. Mas o que tem a ver isso com o poder da Internet? que, se nada mais perigoso se pudesse observar depois da queda do diploma, pelo menos uma consequncia se revela devastadora: antes, os charlates tinham na regulamentao motivo para algum freio contra o exerccio indevido do jornalismo em blogs e sites e, agora, se movimentam sem qualquer escrpulo, livres para chafurdar na lama da cpia integral e descarada, na multiplicao viral de textos no s mal escritos, mas sem qualquer critrio de clareza, iseno e equilbrio. evidente que jornalistas e jornais, rdios e TVs tambm erram ou at praticam mau jornalismo, mas so problemas de fcil identificao e, quase sempre, as causas e as consequncias ficam restritas sua origem. Ao contrrio, nos ltimos tempos, como profissional especializado em gesto da comunicao e assessoria de imprensa tenho assistido, sem muita margem para reao, a prticas inominveis. Outro dia, certo "conteudista" de site especializado, deu-se ao desplante de copiar e publicar, sem identificar a fonte, matria postada na pgina de uma emissora de rdio da Capital. Em pouco tempo, a ferramenta de rastreamento de temas localizou 23 cpias da mesma matria, em oito estados. E o que mais grave, o texto, na origem, continha dois erros capitais altamente prejudiciais entidade em foco. Foi muito fcil solicitar e obter a correo por parte da emissora de rdio, mas, quanto aos sites e blogs, perderam-se os rumos entre indiferenas, dificuldades de identificao de origem e simples deletar de texto sem antes republic-lo com as devidas correes e crditos. No caso dos levantes populares, a Internet mostrou poder ao se prestar causa justa. No caso da extino do diploma de jornalista, a rede muitas vezes tem sido usada de forma irresponsvel e destrutiva, tanto quanto foi equivocada a deciso da Justia ao liberar geral. O diploma nunca significou restrio ao direito de expresso. Ao contrrio, pelo menos no que diz respeito a contedos que circulam na Internet travestidos de jornalismo, tirou-se da sociedade uma boa parte de seu direito informao de qualidade e isenta para entreg-la aos aventureiros de planto. jornalista

Você também pode gostar