Você está na página 1de 2

O que a Bblia diz sobre a dana?

Publicado em 01/02/2012 por Blog Stimo Dia

Uma anlise das referncias bblicas dana revela o fato de que as danas israelitas consideradas como apropriadas eram de natureza litrgica, sendo acompanhadas por hinos de louvor a Deus. Elas eram geralmente praticadas entre grupos de pessoas do mesmo sexo e sem quaisquer conotaes sensuais (ver x 15:20; Jz 11:34; 21:21-23; I Sm 18:6; II Sm 6:14-16; I Cr 15:29). A Bblia fala tambm de pelo menos duas ocasies em que pessoas estavam envolvidas em danas inadequadas. A primeira delas foi a dana idoltrica dos israelitas no contexto da adorao do bezerro de ouro (x 32:19). A segunda foi a dana da filha de Herodias para agradar o rei Herodes e seus convidados, no banquete em que Joo Batista foi executado (Mt 14:6; Mc 6:22). Embora os judeus nos dias de Jesus continuassem praticando a dana (ver Lc 15:25), no encontramos nenhuma evidncia no Novo Testamento de que a igreja crist primitiva perpetuasse tal costume. H quem sugira que esse rompimento cristo com a dana deve-se degenerao desde j no tempo de Cristo. Em contraste com as danas litrgicas do perodo bblico, a maioria das danas modernas so praticadas sob o ritmo sensual das msicas profanas, que desconhecem completamente o princpio enunciado em Filipenses 4:8: Finalmente, irmos, tudo o que verdadeiro, tudo o que respeitvel, tudo o que justo, tudo o que puro, tudo o que amvel, tudo o que de boa fama, se alguma virtude h e se algum louvou existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento. Grande parte das danas de hoje tem-se transformado em um dos maiores estimuladores do sensualismo. Mesmo no se envolvendo diretamente em relaes sexuais explcitas, seus participantes geralmente se entregam ao sensualismo mental (ver Mt 15:19-20), desaprovado por Cristo em Mateus 5:27-28: Ouvistes que foi dito: No adulterars. Eu, porm, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com inteno impura, no corao, j adulterou com ela. H aqueles que endossam as danas particulares entre cnjuges unidos pelos laos matrimoniais. Embora tais prticas paream inocentes primeira vista, elas representam o primeiro passo rumo a estilos mais avanados de dana, integrando eventualmente o casal a grupos danantes. Seja como for, o cristo dispe hoje de outras formas de integrao e entretenimento sociais mais condizentes com os princpios bblicos de conduta do que a excitao e o sensualismo promovidos pela maioria das danas modernas.

Texto de autoria do Dr. Alberto Timm, publicado na Revista Sinais dos Tempos, novembro de 1997, p. 29.
About these ads