.

condiz. . o processo inclusivo resplandeceu aos olhos da sociedade. com efeito. foram quem impulsionaram Na Década de 80. de incluir. somar ou agregar. INTEGRAÇÃO: Termo advindo do Latim “integratione”. INCLUSÃO:Do Latim. que condiz com a ação de integrar. assimilar ou reunir. As pessoas com deficiência maciçamente a luta por direitos.Considerações iniciais A luta pela inclusão existe desde que há excluídos. O conceito de inclusão é igualado e/ou confundido com o conceito de integração.

sejam classes regulares ou especiais. tendo este que assimilar e se integrar às normas do sistema educacional. INCLUSÃO: Condiz com o ideal de que os alunos venham somar e agregar no ambiente educacional.INTEGRAÇÃO X INCLUSÃO INTEGRAÇÃO: Inserir educandos com necessidades especiais no espaço físico de sala de aula. sendo a escola responsável por favorecer condições para seu melhor aprendizado. .

A educação militar e uma iniciação do jovem nos mistérios da tribo. -PERÍODO NEOLÍTICO: O homem tornou-se sedentário.História da educação especial PRÉ HISTÓRIA  A exclusão se apresentava na seleção imposta pelas condições geográficas onde os mais “fortes” sobreviviam e os mais “fracos” eram excluídos. . surgindo a necessidade de aprender técnicas de cultivo. espontânea e inconsciente por meio da convivência. sendo basicamente familiar. como relatou Darwin na lei da “seleção natural”. caracterizando uma educação profissional. -PERÍODO PALEOLÍTICO: A educação ocorria de forma natural. A religiosidade era característica da educação. fenômenos meteorológicos e a domesticação de animais.

-EDUCAÇÃO CÍVICA: Educação militar. e no desejo de sobressair. . Visava a totalidade e compunha –se do aprendizado do manejo de armas. Educação nas mãos do Estado. sendo consideradas um mau agouro a família. no espírito de luta e sacrifício. esportiva e musical. força e divindade dos deuses. além da arte musical e oratória. -EDUCAÇÃO CLÁSSICA: Formação militar. -EDUCAÇÃO HERÓICA: Essencialmente guerreira e senhoril. Baseada nos conceitos de honra e de valor. As crianças com deficiência eram sacrificadas. A formação era moral e estética além do aspecto militar. prática de esportes.ANTIGUIDADE CLÁSSICA Ideal de Perfeição seguindo a beleza.

ÍNDIA ANTIGA: Deficientes eram atiradas em águas do Rio Grande. além de mutilação aquele que a provocou em outrem.  LEI DAS XII TÁBUAS: Os filhos nascidos “monstruosos” fossem mortos imediatamente. ATENAS: Sua lei condenava a morte dos “inúteis”para aumentar a chance de sobrevivência dos “perfeitos”. . com suas bocas e narinas tapadas com lama do rio sagrado.-EDUCÃO HELENÍSTICA: A educação era pública sob a responsabilidade das cidades. O intelectual era a ênfase educacional CÓDIGO DE MANU: Negava o direito a sucessão a pessoas com qualquer deficiência física ou moral. PLATÃO: Recomendava que os “Defeituosos se unissem as defeituosas” e que seus filhos não fossem criados.

26-27). “Eram portadoras de doenças contagiosas ou estavam possuídas pelo demônio” (LIMA.Idade média Educação predominantemente cristã. vivendo isoladas. Deficientes castigados.  Deficientes eram consideradas castigo de Deus por algum pecado cometido por seus pais. . p. eram considerados seres diabólicos e deveriam ser Posteriormente as pessoas com deficiência passaram a ser utilizadas como bobos da corte. 2006.27).  Ser humano como imagem e semelhança de Deus “imagem e semelhança de Deus” (Gênesis 1.  Mantidas à margem da sociedade.

A educação das pessoas com deficiência só iniciou após 1500. Século XVI. sob justificativa da necessidade de “proteção” dos mesmos. em atendimento domiciliar.Idade moderna Primórdio da educação especial. . Surgimento do primeiro hospital psiquiátrico da Europa. mas não oferecia tratamento especializado e nem educacional. com o surgimento dos primeiros preceptores das crianças que tivessem condições financeiras. Considerados “anormais” que não pudessem se desenvolver. Deficientes permaneciam isoladas em abrigos e asilos.

. um aumento das escolas residenciais. baseadas no modelo europeu. De 1817 a 1850. surgem as primeiras escolas para “cegos. No final do Século XIX programas de externato. De1850 a 1920 houve. sob o pressuposto da superioridade da raça ariana. nos Estados Unidos.Idade contemporânea Do século XVIII aos anos 2000. surdos e retardados mentais”. Começou o desenvolvimento de Durante o nazismo houve uma regressão pois recomeçou a eliminação das pessoas com deficiência.

começaram a se organizar em defesa dos direitos dos filhos. que até antes da guerra não podiam se expressar.  O Movimento dos pais e deficientes gerou a ampliação dos serviços educacionais para os mesmos. surgem tratados e declarações internacionais para defender os direitos das pessoas com deficiência. Os pais das pessoas com deficiências. algo que não acontecia anteriormente. . Nos anos 80 e 90. possibilitando à sociedade perceber e vivenciar a realidade dessas pessoas. A Segunda Guerra Mundial ocasionou o aumento das pessoas com deficiência.

Instituto Nacional de Surdez) e cegas (Instituto Benjamin Constant).595 surdos. convocado por D.História da educação especial no brasil De 1854 a 1956 iniciativas oficiais e particulares isoladas. a educação de pessoas com deficiência. Pedro II. que abordou. com instituições para o atendimento de pessoas surdas(INES. No ano de 1850. dentre outros temas do evento. inicia-se o atendimento as pessoas com deficiência.848 cegos e 11. sugerindo-se currículo e formação de professores para cegos e surdos.  Em 1883.  Em 1872 havia uma população de 15. o 1º Congresso de Instituição Pública. mas os institutos atendiam 35 cegos e 17 surdos apenas. .

De 1957 à 1993 Iniciativas Oficiais Nacionais. 14 instituições que prestavam serviço especializado a alunos com outras deficiências (01 federal. . No início do Século XX as ações que demonstravam o interesse social quanto à educação das pessoas com deficiência eram os trabalhos científicos e técnicos desenvolvidos no início do século XX. Até 1950 as escolas destinadas à educação das pessoas com deficiência totalizavam 54 escolas de ensino regular e 11 instituições especiais. 40 instituições públicas de ensino regular (01 federal e 39 estaduais) que prestavam atendimento especial a deficientes mentais. 03 escolas especializadas destinadas ao atendimento das pessoas com deficiência mental (01 estadual e 02 particulares). 08 escolas especializadas no atendimento de outras deficiências (03 estaduais e 05 particulares). 09 estaduais e 04 particulares).

com o objetivo de integrá-los na comunidade. Em 1972. através da portaria de 25 de maio. O Grupo Tarefa de Educação Especial era composto por Nise Pires do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (INEP) e pelas diretoras executivas da Campanha Nacional de Educação de Cegos e da Campanha Nacional de Educação e Reeducação de Deficientes Mentais além de outros educadores. que continha proposta para a estruturação da educação especial. o especialista em Educação Especial norte-americano James Gallagher veio ao Brasil e apresentou o Relatório de Planejamento para o Grupo-Tarefa de Educação Especial do Ministério da Educação e Cultura do Brasil. ocorra no sistema regular. Em 1972 é constituído.Em 20 de dezembro de 1961 é fixada a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB nº 4024/61). quando possível. o Grupo-Tarefa de Educação Especial cujo objetivo era traçar a política e as linhas gerais de ação do Governo na educação dos “excepcionais”. . que a educação de “excepcionais”. estabelecendo. no artigo 88.

55). .613 de 21 de novembro de 1986 o Centro Nacional de Educação Especial foi transformado em Secretária de Educação Especial (SESPE). Com a criação da SESPE. teve sua coordenação geral transferida do Rio de Janeiro para Brasília. 2005. com “a finalidade de promover.O relatório integrou os estudos do Grupo-Tarefa e os resultados propiciaram a criação de um órgão responsável pelo atendimento dos excepcionais no Brasil: o Centro Nacional de Educação Especial (CENESP). Através do decreto nº 93. em todo o território nacional. O CENESP foi criado através do decreto nº 72. do Presidente Emílio Garrastazu Médici. a educação especial de nível nacional. p.425 em 3 de julho de 1973. a expansão e a melhoria do atendimento aos excepcionais” (apud MAZZOTTA.

a nova Constituição garante atendimento educacional especializado aos “portadores” de deficiência. Por meio do decreto nº 99. .678. Em 1996 a Constituição e o direito dos deficientes é reforçado pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional nº 9394 de 20 de dezembro de 1996. o Departamento de Educação Supletiva e Especial (DESE). agora responsável pelas atribuições e competências referentes à Educação Especial. preferencialmente na rede regular de ensino. é incluído como órgão da SENEB. após a queda do Presidente Collor. Em 1992. houve nova reorganização dos Ministérios e na nova estrutura reapareceu a Secretaria de Educação Especial (SEESP) como órgão do Ministério da Educação e do Desporto. Em 1988.Em 1990 o Ministério da Educação é reestruturado e a SESPE é extinta. As atribuições referentes à Educação Especial passaram a ser de responsabilidade da Secretaria Nacional de Educação Básica (SENEB).

baseando-se em ações voltadas para a capacitação de recursos humanos. destinadas ao atendimento de pessoas com deficiência auditiva.História da educação especial no estado do pará Em 1950 tem início a história da educação especial no Pará. onde o aluno „portador‟ de deficiência está sendo integrado” (PARÁ. Essa modalidade atendia cegos e surdos. Em 1966 é criada a primeira classe braille. particulares e públicas. com objetivo de desenvolver os alunos atrasados. p. “ele se desenvolve pela presença do professor especializado. . é implementada as classes especiais. mental ou visual. através de cursos realizados em outras unidades da federação. O processo de integração se amplia e surge a modalidade de Ensino Itinerante. nas escolas de ensino regular. Em 1961 a LDB 4024/61 incentivou as primeiras ações de integração da pessoa com deficiência no ensino regular. 1996. Em 1968. 13). ligadas as primeiras instituições. dentro de suas possibilidades. integrando-os na escola e na sociedade por intermédio de técnicas e métodos especiais.

congressos. Escolas Profissionais da Comunidade. possibilitando respectivamente. p. deficiência mental e deficiência auditiva além do serviço de avaliação e triagem Em 1972 por meio da Lei nº 4398/72 é criado o Centro de Educação Especial (CEDESP). a abertura de vagas para deficientes mentais – DM. são criadas novas salas de recurso. o que permitiu na área de surdos e de cegos a terminalidade do processo educativo (PARÁ. seminários e outros eventos. 1996.  Foram firmados convênios entre instituições do governo e particulares para o atendimento dos alunos com necessidades especiais Algumas intituições conveniadas foram: Fundação Pestalozzi do Pará.  É implantado o primeiro pólo de interiorização de educação especial. Em 1968 inclui-se a educação especial no Sistema Estadual de Educação. Departamento Regional do SENAI.e a criação do Setor de Adaptação Profissional de Cegos. . através da Lei nº 4093/68. responsável por gerenciar a política do governo na área da educação especial.15) Em 1971 foi criada pela Secretaria de Educação a Assessoria de Educação dos “Excepcionais” que era responsável pelos serviços de educação nas áreas de deficiência visual. há a expansão do ensino itinerante e amplia-se a capacitação de recursos humanos por meio de cursos. o treinamento ocupacional para surdos.

Em 1973aconteceu o Curso de formação de professores ao nível de 2º grau aconteceu em 1973. responsável pela normatização e execução da Política de Educação Especial no Estado . deficiência auditiva e deficiência mental. para o atendimento de superdotados.COEES). através do decreto nº 6069/89. Em 1989. Em 1972 aconteceu o 1° Curso para formação de professores de 1° Grau nas áreas de deficiência visual. a Secretaria de Educação é reestruturada. para setenta professores dos Estados do Amazonas. Pará. pioneiro na Região Norte. e a coordenação da educação especial ganha um departamento denominado Departamento de Educação Especial (DEES)( Atualmente a Coordenadoria de Educação Especial. Maranhão e do Território Federal do Amapá. Em 1976 inicia-se um projeto experimental.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful