Você está na página 1de 5
Período socrático ou antropológico Profª Sônia M. T. Xavier (org.)
Período socrático ou antropológico
Profª Sônia M. T. Xavier (org.)

Com o desenvolvimento das cidades, do comércio, do artesanato e das artes militares, Atenas tornou-se o centro da vida social, política e cultural da Grécia, vivendo seu período de esplendor, conhecido como o Século de Péricles - época de maior florescimento da democracia.

A democracia grega possuía, entre outras, duas características de grande importância para o futuro da Filosofia:

1. A democracia afirmava a igualdade de todos os homens adultos perante as leis e o direito de todos de

participar diretamente do governo da cidade, da polis.

2. Como consequência, a democracia, sendo direta e não por eleição de representantes, garantia a todos a

participação no governo, e os que dele participavam tinham o direito de exprimir, discutir e defender em

público suas opiniões sobre as decisões que a cidade deveria tomar.

Surgia, assim, a figura política do cidadão( estavam excluídos da cidadania o que os gregos chamavam de dependentes: mulheres, escravos, estrangeiros, crianças e velhos)

Para conseguir que a sua opinião fosse aceita nas assembleias, o cidadão

de persuadir. Com isso, uma mudança profunda vai ocorrer na educação grega.

precisava saber falar e ser capaz

Quando não havia democracia, o poder pertencia às

era a Arete (excelência ou

afirmava que o homem ideal era o guerreiro belo e bom:

famílias aristocráticas

-senhoras das terras; a virtude

melhores, os aristoi 1 . Esse padrão

virtude e superioridade), própria dos

Belo seu corpo era formado pela ginástica, pela dança, e pelos jogos de guerra, imitando os heróis da guerra de Tróia( Aquiles, Heitor, Ulisses etc.);

Bom - seu espírito era formado escutando Homero e Hesíodo aprendendo as virtudes admiradas pelos deuses e praticadas pelos heróis, a principal delas sendo a coragem diante da morte, na guerra.

A DEMOCRACIA SE INSTALA

Aristocratas perdem o poder - o ideal educativo ou pedagógico também vai sendo substituído por outro.

ou pedagógico também vai sendo substituído por outro. O ideal da educação do Século de Péricles

O ideal da educação do Século de Péricles é a formação do cidadão. A Arete é a virtude cívica.

O cidadão exerce sua cidadania - quando opina, discute, delibera e vota nas assembleias. Padrão

O cidadão exerce sua cidadania - quando opina, discute, delibera e vota nas assembleias.

Padrão ideal da nova educação - formação do bom orador - aquele que saiba falar em público e persuadir os outros na política;

Substituição da educação antiga dos poetas - os sofistas, que são os primeiros filósofos do período socrático o que diziam:

Proposta - A consciência da própria ignorância como começo da Filosofia.

Ideias divulgadas por Xenofonte e Platão; divulgadas por Xenofonte e Platão;

Tema - essência da natureza humana. - essência da natureza humana.

da alma

Que os ensinamentos dos filósofos cosmologistas ( os pré-socráticos) estavam repletos de erros e contradições e que não tinham utilidade para a vida da polis.

Apresentavam-se como mestres de oratória ou de retórica, afirmando ser possível ensinar aos jovens tal arte para que fossem bons cidadãos.

A arte da persuasão.

SÓCRATES Discorda dos antigos poetas, dos antigos filósofos e dos sofistas propunha que:

antes de querer conhecer a Natureza e antes de querer persuadir os outros, cada um deveria, primeiro e antes de tudo, CONHECER A SI MESMO.

um deveria, primeiro e antes de tudo, CONHECER A SI MESMO. Imagem – A morte de

Imagem A morte de Sócrates- Domínio público

Período socrático - é antropológico

SÓCRATES 470 (399 a.C.)

Principal pressuposto- “ só sei qu e nada sei” - inicia a busca pelo saber. - “ só sei que nada sei” - inicia a busca pelo saber.

Método utilizado:

1ª etapa:

Ironia =

Perguntar - quando alguém se dizia conhecedor de alguma coisa ele afirmava nada saber.a busca pelo saber. Método utilizado: 1ª etapa : Ironia = Desmontava as certezas do outro

Desmontava as certezas do outro até que reconhecesse a própria ignorância;se dizia conhecedor de alguma coisa ele afirmava nada saber. 2ª etapa – maiêutica = parto

2ª etapa maiêutica = parto - ele se propunha a dar a luz às ideias novas.

Ou seja: por meio de perguntas desconstroi o saber constituído para reconstruí-lo na busca da definição do conceito. Obs. Nem sempre é ele quem consegue a resposta.

Privilegia as questões morais.conceito. Obs. Nem sempre é ele quem consegue a resposta. Principais perguntas: em que consiste a

Principais perguntas: em que consiste a coragem, a covardia, a piedade, a justiça etc.

Utiliza o termo LOGOS - que na linguagem comum significava palavra, no âmbito filosófico passa a significar a razão que se dá a algo = o conceito.

Atenas: que lhe

deem o LOGOS da justiça, da coragem ou o

Sócrates pede aos cidadãos de

CONCEITO. Não a mera opinião que têm de si mesmos, das coisas, das idéias e dos valores.

Aparece nos Diálogos de Platão como o principal interlocutor.

Acusado de não crer nos deuses da cidade e de corromper a juventude

Consequência condenado à morte.

Para pensar: porque Sócrates preferiu acatar/aceitar a condenação a fugir?

Para pensar: porque Sócrates preferiu acatar/aceitar a condenação a fugir?

Sócrates preferiu acatar/aceitar a condenação a fugir? Imagem – Escola de Atenas Domínio Público PLATÃO(428

Imagem Escola de Atenas Domínio Público

PLATÃO(428347 A.C.)

Viveu em Atenas Fundou a Escola chamada Academia.

Ele distingue o mundo sensível, dos fenômenos é ilusório , sombras do verdadeiro mundo; e o mundo inteligível - das ideias. Estas referem-se à essência íntima, invisível, verdadeira das coisas e só podem ser alcançadas pelo pensamento puro, que afasta os dados sensoriais, os hábitos adquiridos, os preconceitos, as opiniões.

Teoria das Ideias

Ex.

inúmeras

ideia

ser

verdadeira realidade.

Apesar

de

una

e

de

haver

abelhas, a

deve

abelha

imutável, a

Apesar de una e de haver abelhas, a deve abelha imutável, a Cria a palavra ideia

Cria a palavra ideia ( eidos) para referir-se à intuição intelectual, distinta da intuição sensível.

As ideias são hierarquizadas e no topo está a ideia do Bem: os seres e as coisas não existem enquanto senão enquanto participam do BEM.

O Bem Supremo é a suprema beleza é o Deus de Platão.

Teoria da reminiscência ele explica como os sentidos se constituem apenas na ocasião para

despertar na alma as lembranças adormecidas conhecer é lembrar.

Para ele, Aprender é rememorar a verdade percebida outrora.(RUSS, 362)

Método proposto

conhecimento autêntico:

por Platão para

alcançar o

Dialética afirmação de uma tese seguida de uma discussão e negação com o intuito de purificá-la dos erros e equívocos.

Diferença entre opinião e conhecimento “a opinião nasce da percepção da aparência e da diversidade das coisas; conhecimento elaborado quando alcança a ideia, que rompe com as aparências e a diversidade ilusórias.(COTRIM, 2000) Saída do mundo sensível para o racional.

Imaginemos um muro bem alto separando o mundo externo e uma caverna. Na caverna existe uma fresta por onde passa um feixe de luz exterior. No interior da caverna permanecem seres humanos, que nasceram e cresceram ali.

Ficam de costas para a entrada, acorrentados, sem poder locomover-se, forçados a olhar somente para a parede do fundo da caverna, onde são projetadas sombras de outros homens que, além do muro, mantêm acesa uma fogueira.

Os prisioneiros julgam que essas sombras sejam a realidade.

Um dos prisioneiros decide abandonar essa condição e fabrica um instrumento com o qual quebra os grilhões.

Referências

Aos poucos vai se movendo e avança na direção do muro e o escala, com dificuldade enfrenta os obstáculos que encontra e sai da caverna, descobrindo não apenas que as sombras eram feitas por homens como eles, e mais além todo o mundo e a natureza.

Platão não buscava as verdadeiras essências da forma física como buscavam Demócrito e seus seguidores. Sob a influência de Sócrates, ele buscava a verdade essencial das coisas.

Aquele que se libertou das correntes ao contemplar a verdadeira realidade e ter passado da opinião (doxa) à ciência (episteme) deve retornar ao meio dos outros indivíduos para orientá-los.

Análise do mito sob dois pontos de vista:

Epistemológico (relativo ao conhecimento) Político (relativo ao poder).

Análise Epistemológica – as formas do conhecimento: sensível e a intelectual: na teoria das idéias. as formas do conhecimento: sensível e a intelectual: na teoria das idéias.

A política surge da pergunta: Como influenciar as pessoas que não veem? A resposta está na tarefa do sábio, que deve ensinar e governar;sensível e a intelectual: na teoria das idéias. Idealização do rei-filósofo - para que o Estado

Idealização do rei-filósofo - para que o Estado seja bem governado é preciso que “os filósofos

que os reis se tornem

se

tornem

reis

ou

filósofos”.

Seriam pessoas capazes de atingir o mais alto grau de conhecimento do mundo das ideias consiste na ideia do bem.

Adaptação e organização do texto: professora Sônia Maia Teles Xavier

ARANHA, Maria Lucia de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando: introdução à filosofia. 3. ed. rev. São Paulo:

Moderna, 2003.

COTRIM, Gilberto. Fundamentos da Filosofia. São Paulo: Saraiva, 2000

CHAUI, Marilena de Souza. Os períodos da Filosofia Grega

SÓCRATES. Disponível em: http://www.mundodosfilosofos.com.br/socrates.htm Acesso: 20/08/2010.

Acesso: 20/08/2010. Link - vídeo - O Mito da Caverna, disponível em

Link - vídeo - O Mito da Caverna, disponível em http://www.youtube.com/watch?v=Lhy44UYK_nc&feature=related Acesso: 01/08/2010

1De fato, Aquiles encarna a areté e é na sua figura que se concretiza esse ideal. Para além do guerreiro valoroso, valente, corajoso

cavaleiro perfeito da época homérica, cortês, de boas maneiras, fino e delicado.

A areté é uma superioridade ou uma excelência própria da nobreza, um conjunto de qualidades físicas, espirituais e morais tais como a bravura, a coragem, a força, a destreza do guerreiro, a eloquência e a persuasão e, acima de tudo, a heroicidade, entendida como a fusão da força física com o sentido moral. - Péricles queria fazer de Atenas uma democracia equilibrada entre poderes do Estado e do cidadão.

e honrado, Aquiles é o protótipo do