Você está na página 1de 32
Adestramento de cães
Adestramento de cães

Adestramento de cães

Expediente Presidente do Conselho Deliberativo Adelmir Santana Diretor-Presidente Paulo Tarciso Okamotto Diretor

Expediente

Presidente do Conselho Deliberativo Adelmir Santana Diretor-Presidente Paulo Tarciso Okamotto Diretor Técnico Luiz Carlos Barboza Diretor de Administração e Finanças Carlos Alberto dos Santos Gerente da Unidade de Capacitação Empresarial Mirela Malvestiti Coordenação Nidia Santana Caldas Autor Paulo César Borges de Sousa Projeto Gráfico Staff Art Marketing e Comunicação Ltda. http://www.staffart.com.br

Apresentação do Negócio O adestramento de cães é o treino para se obter o controle

Apresentação do Negócio

O adestramento de cães é o treino para se obter o controle do seu comportamento e obediência.

Os cães acompanham os homens desde os tempos mais remotos. Há registro nas cavernas da associação, para trabalho mútuo, dos nossos ancestrais com os lobos. A utilização de cães, como auxiliares de trabalho, começou com os caçadores ingleses e criadores de cavalos no final do século XVIII, quando começaram a utilizar os “foxhounds” e os “beagles” nas caçadas imperiais.

Na 2ª Grande Guerra Mundial (1939-1945) os alemães, que já treinavam cães para caça, tiveram a idéia de utilizar a habilidade e a “devoção” desses animais aos seus “proprietários” ou “treinadores”, em prol das atividades militares, principalmente na identificação de esconderijos de inimigos e também para auxiliar nas investigações e identificação de elementos considerados proibidos em um período de guerra. Assim transformaram os cachorros da raça pastor alemão como cães de guerra.

Com o encerramento da guerra e passada a fase crítica do pós-guerra, nos anos 60 a economia européia retomou o seu equilíbrio. Inicia-se então uma grande “encruzilhada” para toda a população, tanto a civil quanto a militar, que era o destino a ser dado ao grande número de “cães policiais” que existia, principalmente porque tais animais foram perdendo suas funções.

Os amantes desses animais organizaram algumas competições, um dos critérios de pontuação era a obediência. Surgiu esporte de adestramento de cães de guarda, bem como, as entidades promotoras desses eventos como a VDH (Verrein für das Deutsche Hundewesen), ocorrendo um grande desenvolvimento desse esporte e também o

surgimento de diversas associações nesse segmento. O interessante é que uma competição que iniciou basicamente

surgimento de diversas associações nesse segmento.

O interessante é que uma competição que iniciou basicamente como

solução para preservar os “cães policiais” acabou por se transformar em uma “coqueluche” mundial. Isto incitou a inserção de outras raças de cães em tais competições, o que traduz, na atualidade, a possibilidade de praticamente todas as raças poderem competir, seja em uma ou outra especialidade.

Nos anos 70, os treinadores alemães começaram a utilizar conhecimentos de etologia no treinamento de cães de guarda, conseguindo sensíveis progressos. Esse conhecimento levou os treinadores à preocupação com a autoconfiança dos cães que fossem participar de provas de ataque, tornando o adestramento de cães de guarda um esporte.

A Inglaterra levou essas idéias mais além e, com base nos concursos

hípicos, Peter Lewis lançou, em 1978, através do seu livro “The Agility Dog International”, uma nova modalidade de adestramento: o Agility, no qual sequer se utilizavam coleiras e guias. O cão teria que realizar um percurso sozinho, sem o menor auxílio do ser humano, como o fazem os cães de circo.

Aqui no Brasil, devido à cultura latino-machista, essa mudança foi lenta, relutante e persistente.

Mercado

O mercado de adestramento de cachorros está em franco crescimento

no Brasil, tanto assim que atualmente o nosso País é o segundo maior mercado de adestramento no mundo.Isto l abre espaço para inserção de novas empresas e profissionais nesse segmento.O empreendedor

desse segmento de negócio deve ser altamente qualificado pois o mercado de adestramento é altamente

desse segmento de negócio deve ser altamente qualificado pois o mercado de adestramento é altamente seletivo.

Localização

A definição da localização do empreendimento deve basear-se na

formatação que o empreendedor queira e espera dar à sua empresa de adestramento de cães, tanto no que tange a capacidade do volume de recepção de cães para adestramento de uma única vez, quanto a sua forma de atuação perante os clientes.

A facilidade e localização do endereço, o acesso ao estabelecimento ,a

identificação da empresa ,a oferta de estacionamento para a clientela, a

agilidade nos deslocamentos de sua equipe na coleta dos cães e devolução de tais animais nas residências dos proprietários dos cães/clientes são aspectos que deverão ser avaliados.

O empreendedor deverá procurar o órgão específico da Prefeitura

Municipal visando levantar a possibilidade de instalar esse tipo de empresa na localidade escolhida. Isto se faz necessário uma vez que normalmente todos os municípios brasileiros têm o Plano Diretor Urbano – PDU, no qual é definido que tipo de negócio pode ou não ser instalado em determinadas áreas, bairros, etc.

Para a instalação desse negócio deverá ser escolhido um espaço amplo, se possível em forma de chácara, pois além das autorizações a serem concedidas pela Prefeitura Municipal, será necessária também a aprovação/autorização da ANVISA para instalação desse novo empreendimento. Deve-se ainda atentar ao possível desconforto que irá gerar aos vizinhos, já que a atividade de adestramento de cães gera bastante poluição sonora.

Exigências legais específicas O empreendedor de uma empresa de adestramento de cães deverá cumprir algumas

Exigências legais específicas

O empreendedor de uma empresa de adestramento de cães deverá

cumprir algumas exigências iniciais e somente poderá se estabelecer depois de cumpridas, quais sejam:

Etapas do Registro:

1ª Etapa:

a) Registro da empresa nos seguintes órgãos:

- Junta Comercial;

- Secretaria da Receita Federal (CNPJ);

- Secretaria Estadual de Fazenda;

- Prefeitura do Município para obter o alvará de funcionamento;

- Enquadramento na Entidade Sindical Patronal (empresa ficará

obrigada a recolher por ocasião da constituição e até o dia 31 de janeiro de cada ano, a Contribuição Sindical Patronal);

- Cadastramento junto à Caixa Econômica Federal no sistema “Conectividade Social – INSS/FGTS”.

-

Corpo de Bombeiros Militar.

b)

Visita à prefeitura da cidade onde pretende montar a sua empresa de

adestramento de cães para fazer a consulta de local e emissão das certidões de Uso do Solo e Número Oficial.

2ª Etapa

a) Antes de iniciar as atividades, o empreendedor deverá obter o

Alvará de licença sanitária. Para obter essa licença o estabelecimento deve estar adequado às exigências do Código Sanitário (especificações legais sobre as condições físicas).

O empreendedor deverá ainda obter o Alvará de Licença Sanitária, o

qual , para ser obtido, irá requerer que o estabelecimento esteja

adequado às exigências do Código Sanitário (especificações legais sobre as condições físicas). Em âmbito

adequado às exigências do Código Sanitário (especificações legais sobre as condições físicas). Em âmbito federal, a fiscalização cabe à Agência Nacional de Vigilância Sanitária, estadual e municipal fica a cargo das Secretarias Estadual e Municipal de Saúde.

Estrutura

A estrutura mínima para a instalação de uma empresa de adestramento de cães deverá contar com uma área em torno de 1.000m2. Nesse espaço deve ser instalado o campo de treinamento e também todas as demais áreas inerentes ao canil, administrativa, financeira, comercia,l dentre outras requeridas para o segmento.Os principais espaços a serem contemplados no layout são:

1) Recepção; 2) Escritório; 3) Vestiário, onde o (s) funcionário (s) responsável (eis) pelo adestramento de cães possa se paramentar adequadamente para iniciar

o treinamento dos cães e também para se higienizar após o trabalho com os animais; 4) Estoque dos materiais e equipamentos relacionados ao

adestramento;

5) Área para o canil; 6) Campo de adestramento.

Todos os espaços indicados acima devem ser dotados de layout

adequado, respeitando a facilidade de movimentação dos funcionários

e clientes.

Pessoal

O quadro de pessoal de uma empresa de adestramento de cães irá variar de acordo

O quadro de pessoal de uma empresa de adestramento de cães irá variar de acordo com o tamanho do empreendimento e o nível de capacidade de recepção de animais para adestramento de uma única

vez, no entanto poder-se-á iniciar as atividades operacionais com um número aproximado de 5 (cinco) funcionários, sendo:

• 1 – Auxiliar administrativo, que será responsável pela parte de

recepção e serviços de escritório;

• 2 – Na área de adestramento;

• 1 – Para atuar no “leva e traz” dos animais;

• 1 – Na parte de limpeza e higienização da empresa como todo, tanto

na área administrativa, campo de adestramento, canil e demais áreas da empresa.

Ressalta-se que o(s) proprietário(s) do negócio deverá estar presente em todas as operações da empresa, principalmente acompanhando o atendimento aos clientes e acima de tudo o adestramento dos cães, bem como a parte de gestão administrativo-financeira da empresa.

Equipamentos

Os equipamentos básicos necessários para a montagem de uma empresa de adestramento de cães, considerando uma empresa de porte médio, são os seguintes:

1. Equipamento da área de adestramento:

1.1 Macacão;

1.2 Manga;

1.3 Manga Profissional;

1.4 Vara flexível;

1.5 Salsichão;

1.6 Cambão;

1.7 Bola de Borracha;

1.8 Obstáculo Regulável; 1.9 Objeto para faro. 2. Materiais para escritório: 2.1 Mesa; 2.2 Cadeira;

1.8 Obstáculo Regulável;

1.9 Objeto para faro.

2. Materiais para escritório:

2.1 Mesa;

2.2 Cadeira;

2.3 Computador;

2.4 Impressora;

2.5 Fax;

2.6 Telefone.

Em relação à parte tecnológica, havendo possibilidade o empreendedor deverá dotar sua empresa de adestramento de cães de todo o aparato tecnológico disponível no mercado, principalmente no que se refere ao controle de entrada e estada de animais, e ainda registrar e acompanhar o desenvolvimento de cada um dos animais sob a sua responsabilidade em adestramento. Isto visa aprimorar as atividades aplicadas e também tem o intuito de fazer um acompanhamento “pós-venda” (pós-adestramento) perante aos clientes, visando inclusive possibilidade de oferecer serviços complementares e até mesmo reciclagem do adestramento feito com cada animal. Além do controle dos pontos citados acima, tem ainda todo o processo de gestão administrativo-financeira, gestão comercial, enfim, a gestão geral do negócio.

Matéria Prima / Mercadoria

Esse tipo de empresa tem como produto principal a prestação de serviços de adestramento. E dentro dessa categoria de serviço cita-se abaixo alguns tipos de adestramento:

Básico – é aquele que pode ser iniciado pelo dono do cão em casa, é na fase que o cão não deve sair de casa e ir para um centro de

adestramento, pois corre o risco de pegar algum vírus, pois ainda não tomou todas as

adestramento, pois corre o risco de pegar algum vírus, pois ainda não tomou todas as vacinas. Nesse caso a empresa de adestramento de animais deverá prestar assessoria ao dono do animal, visando dotá-lo de conhecimentos mínimos para aplicar esse nível de adestramento.

Caçar – nesse modo de treinamento o cão é ensinado a procurar, buscar pessoas, objetos e etc., ou seja, apanhar qualquer coisa indicada.

Pastorear – nesse tipo de treinamento o cão é ensinado a cuidar de rebanhos, ou seja, de guiar ovelhas, gados e etc.

Proteção – nesse modo de treinamento o cão é ensinado a guardar locais, objetos e pessoas, ou seja, permanecer em um local e evitar que estranhos entrem, se aproximem ou peguem algo, pessoa ou objeto.

Conduzir – nesse modo de treinamento, o cão é ensinado a guiar as pessoas em qualquer local, mesmo em locais aonde ele não iria sozinho.

Salvamento – nesse modo de treinamento, o cão é ensinado a resgatar pessoas do perigo, seja na água, escombros ou ainda perdidas em matas fechadas.

Exibições – nesse modo de treinamento o cão é ensinado a atuar, ou seja, executa uma série de truques, como sentar, rolar, fingir de morto, rugir, latir e etc.

No adestramento canino existem três comandos principais, quais sejam:

Comandos básicos: andar junto, parar, sentar, fica e deita.

Comandos Avançados: rastejar, rolar, pular, cruzar, morto e vivo.

Correção de maus hábitos: não pular nas pessoas, parar de roer, latidos indesejados e correr

Correção de maus hábitos: não pular nas pessoas, parar de roer, latidos indesejados e correr atrás de carros.

Organização do processo produtivo

A organização do processo produtivo de uma empresa de adestramento canino, não tem uma formatação pré-definida ou a ser seguida como “receita”, no entanto será extremamente importante ter critérios e processos definidos, visando dotar a empresa de uma estrutura operacional, de um roteiro/rotina e conceitos devidamente estabelecidos.

Espera-se que com a estruturação de rotinas e conceitos sobre adestramento canino, possa ser refletida uma melhor interação entre o prestador de serviços, o animal e principalmente o proprietário do animal que com certeza irá querer conhecer a forma de trabalho da empresa de adestramento.

Sendo assim, poder-se-á adotar como organização do processo produtivo os seguintes pontos:

1) Recepção de clientes e animais de forma individual, visando não deixar os cães “agitados” pela presença de outros no mesmo ambiente e sem as devidas proteções; 2) Encaminhamento dos cães para o canil, antes passando por uma rigorosa avaliação das condições físicas (vistoria) e estado de cada animal, buscando com isto não receber animais com machucados ou marcas pré-existentes, o que irá reduzir possíveis desconfortos com o proprietário do animal, seja por ocasião de visitas periódicas à empresa de adestramento ou mesmo quando houver a “devolução” do referido animal; 3) Posterior à recepção do animal, deverá ser realizada uma higienização de cada um dos cães, buscando com isto eliminar a

possibilidade de entrada de pragas caninas no canil, o que poderia provocar a contaminação dos

possibilidade de entrada de pragas caninas no canil, o que poderia provocar a contaminação dos outros animais custodiados à empresa de adestramento; 4) Deslocar os animais para o campo de treinamento de forma ordenada e extremamente controlada, pois nesse momento também poderá ocorrer agitação de animais com a presença de outros. Por isso deverá ser feito o treinamento de animais por “lotes”, buscando separar os cães segundo o seu temperamento; 5) Ter rigor em horário de treinamento e também com as refeições dos animais, pois esse será um ponto extremamente positivo tanto para simplificar as atividades da empresa quanto para o bem-estar dos animais e ,acima de tudo, agradar os proprietários dos cães custodiados sob sua responsabilidade; 6) Quando a empresa atuar com a prestação de serviços de “leva e traz” de animais, deverá estar preparada para transportar os animais, se possível, de forma individual, o que ensejará em redução da agitação do animal tanto na chegada ao centro de adestramento quanto na devolução do animal ao seu proprietário e, principalmente, ter veículo especialmente dotado para executar esse transporte.

Inclusive orienta-se ao proprietário de empresa de adestramento que caso não consiga prestar um serviço de excelência no contexto de “leva e traz”, seria melhor não ter um prestação desse serviço em baixo nível, pois com certeza esse procedimento será um grande limitador de qualidade profissional e, por conseqüência, distanciamento da clientela.

Automação

O nível de automação não é tão expressivo .Os serviços prestados por uma empresa de adestramento de cães, operacionalmente, são relativamente simples.

O empreendedor deve investir na implantação de controle de entrada de animais no centro de

O

empreendedor deve investir na implantação de controle de entrada

de

animais no centro de treinamento e o adestramento dos cães, na

elaboração de um cadastro detalhado do animal e de seu proprietário, nível de adestramento a ser aplicado, tempo de estada do animal sob a custódia da empresa de adestramento, no controle de apontamentos dos resultados obtidos no adestramento, no registro da saída do cão para entrega/devolução ao seu proprietário e nos controles das áreas administrativa, financeira, comercial e operacional. Inicialmente com três microcomputadores será possível viabilizar uma gestão automatizada.

O ideal é que se tenha um software para auxiliar na gestão. Caso o

empreendedor queira deixar esta opção para um segundo momento, será necessário realizar tais controles em planilhas eletrônicas construídas segundo as necessidades e expectativas do empreendedor.

Esse processo deve ser provisório. Futuramente será necessário que o empresário identifique no mercado , com o auxílio de um profissional

de informática, um sistema integrado capaz de auxiliar em todo o

processo produtivo, administrativo, financeiro, comercial e operacional.

Canais de distribuição

A

forma de atuação deste segmento normalmente é o de atendimento

de

balcão, geralmente com procura direta dos clientes, no entanto o

empresário que tem interesse em ampliar os horizontes de seu empreendimento deverá adotar outros pontos que culminem com a prospecção de novos clientes. Como exemplo, pode citar-se o oferecimento desse tipo de serviço com venda em feiras de animais, lojas que comercializam rações, pet shop, dentre outros.

Investimentos Seguem os valores referenciais para o investimento inicial, quais sejam: Área de serviço de

Investimentos

Seguem os valores referenciais para o investimento inicial, quais sejam:

Área de serviço de adestramento:

Normalmente, como indicado no item Estrutura, será requerida uma área física com aproximadamente 1.000m², garantindo um amplo espaço em forma de campo aberto para desenvolvimento das atividades operacionais de adestramento.

No espaço definido como sendo o local para instalar a empresa de adestramento de cães, deverá ter espaço suficiente para as demais áreas que envolvem o complemento empresarial desse segmento, como área para escritório para gestão administrativo-financeira, recepção, vestiário, espaço para guarda dos equipamentos utilizados no adestramento e canil.

O valor da locação ou aquisição não pode ser previsto pois varia muito de Estado para Estado e local escolhido para o investimento

Segue descritivo do investimento em equipamentos necessários à estruturação de uma empresa de adestramento de cães:

1. Macacão de couro: 1 = R$ 1.185,00 - em couro Bufalado ou em

coro Nobuk, todo acolchoado em feltro e lona com espessura de

12mm e 10mm. Utilizado para adestramento de cães domésticos e para guarda residencial.

2. Manga: 2 = R$ 480,00 - revestida internamente por feltro e lona e

fabricada em rami, utilizada no adestramento dos cães no início.

3. Manga profissional: 2 = R$ 550,00 – revestida por couro e fabricada

em polipropileno, utilizada para provas de adestramento e em cães adultos. 4. Vara flexível: 2

em polipropileno, utilizada para provas de adestramento e em cães adultos.

4. Vara flexível: 2 = R$ 120,00 - confeccionada em poliéster ou

plástico e revestida por feltro, utilizada no adestramento de ataque e defesa.

5. Salsichão: 4 = R$ 140,00 - pode ser confeccionado em rami, juta ou

sisal, com comprimento de 1,10 metros, utilizada em adestramento de obediência, brincadeira e guarda.

6. Cambão: 4 = R$ 700,00 - confeccionado em dois canos de alumínio

de espessura 2,5mm, diâmetros de 22 a 28 mm e 1,40 de

comprimento. Utilizado para aqueles cães que apresentam agressividade no início do adestramento.

7. Bola de Borracha: 10 = R$ 50,00 - utilizada no treinamento tanto

em filhotes quanto em cães adultos, para brincadeiras programadas.

8. Obstáculo Regulável: 5 = R$ 1.325,00 - confeccionado em ferro e

madeira, com largura de 1,50m e altura de 1,00m. Utilizado para ensinar o cão a pular diferentes alturas.

9. Objeto para faro: 10 = R$ 800,00 - confeccionado em couro, com

tamanho de 10cm X 10cm. Utilizado para treinamento na invasão de domicilio e brincadeiras.

Total Equipamentos

R$ 5.350,00

MOBILIÁRIO PARA A ÁREA

ADMINISTRATIVA/OPERACIONAL

1. Microcomputador – 2 = R$ 2.600,00

2. Impressora laser – 1 = R$ 600,00

3. Mesa - 2 = R$ 500,00

4. Cadeira – 6 = R$ 720,00

5. Fax – 1 = R$ 450,00

6. Telefone – 4 = R$ 200,00

Total mobiliário

R$ 5.070,00

Total de equipamentos/mobiliário = R$ 10.420,00.

Adequação do imóvel

Adequação do imóvel Para este segmento empresarial, o ideal é que o espaço para funcionamento da

Para este segmento empresarial, o ideal é que o espaço para funcionamento da empresa de adestramento de cães seja concebido em um ambiente para o funcionamento da estrutura administrativa e operacional da empresa e a área de treinamento, de preferência gramada, em um amplo espaço.

Sendo assim, o ideal é a locação de um chácara ou uma casa com

grande área livre, que se dista razoavelmente de vizinhos, analisando

as disponibilidades operacionais da empresa. O custo de adequação

será bastante variável, pois dependerá de como será encontrada a estrutura atual, as condições das instalações elétricas, hidráulicas, área de escritório, espaço gramado para adestramento e treinamento dos cães. Mas estima-se que o custo para adequação do imóvel irá girar em torno de R$ 5.000,00 à R$ 10.000,00.

Capital de giro

Capital de giro é um montante de recursos financeiros que a empresa precisa manter para garantir a dinâmica do seu processo de negócio.

O capital de giro precisa de controle permanente, pois tem a função de

minimizar o impacto das mudanças no ambiente de negócios onde a empresa atua.

O desafio da gestão do capital de giro deve-se, principalmente, à

ocorrência dos fatores a seguir:

- Variação dos diversos custos absorvidos pela empresa;

- Aumento de despesas financeiras, em decorrência das instabilidades desse mercado;

- Baixo volume de clientes; - Aumento dos índices de inadimplência; - Pagamento das parcelas

- Baixo volume de clientes;

- Aumento dos índices de inadimplência;

- Pagamento das parcelas de possíveis financiamentos;

- Altos custos no desenvolvimento do adestramento.

O empreendedor deverá ter um controle orçamentário rígido de forma

a não consumir recursos sem previsão.

O empresário deve evitar a retirada de valores além do pró-labore

estipulado, pois no início todo o recurso que entrar na empresa nela deverá permanecer, possibilitando o crescimento e a expansão do negócio. Dessa forma a empresa poderá alcançar mais rapidamente sua auto-sustentação, reduzindo as necessidades de capital de giro e agregando maior valor ao novo negócio.

O empreendedor deverá proceder a um levantamento criterioso da

necessidade de Capital de Giro que seu empreendimento irá requerer em um determinado período pré-definido, por exemplo, 90 dias. Com

base nesse levantamento deverá ser multiplicada essa Necessidade de Capital de Giro para tantos quantos períodos similares entender que será necessário para suportar a movimentação operacional da empresa até que o negócio empresarial atinja sua auto-sustentação.

A necessidade de capital de giro para esse tipo de empreendimento

empresarial é de nível médio, girando em torno de 45% a 75% do valor investido para sua manutenção até que inicie a gerar renda suficiente para sua auto-sustentação.

Ressalta-se que se o empresário for um empreendedor pró-ativo, o tempo de retorno desse segmento empresarial poderá estar sendo atingido no intervalo entre o longo e médio prazo, pois trata-se de uma empresa que atua em um mercado de pouca concorrência direta, no entanto as empresas que estão estabelecidas e que tem profissionais altamente qualificados já tem uma considerável “fatia” de mercado, o que pode dificultar o nível de inserção no mercado, mas nada que desanime, pelo contrário, isso pode ser utilizado como fator motivador, por isso mesmo irá requerer muito desprendimento do

empresário.

empresário. Custos São todos os gastos realizados na produção de um bem ou serviço e que

Custos

São todos os gastos realizados na produção de um bem ou serviço e que serão incorporados posteriormente no preço dos produtos ou serviços prestados, como: aluguel, água, luz, salários, honorários profissionais, despesas de vendas de serviços, insumos consumidos no processo de adestramento de cães, depreciação de maquinário e instalações.

O cuidado na administração e redução de todos os custos envolvidos na compra, produção e venda de produtos ou serviços que compõem o negócio, indica que o empreendedor poderá ter sucesso ou insucesso, na medida em que encarar como ponto fundamental a redução de desperdícios, a compra pelo melhor preço e o controle de todas as despesas internas. Quanto menores os custos, maior a chance de ganhar no resultado final do negócio.

Os custos para abrir uma empresa de adestramento de cães devem ser estimados considerando-se os itens abaixo:

1. Salários e encargos;

2. Tributos, impostos, contribuições e taxas;

3. Aluguel, taxa de condomínio, segurança;

4. Água, Luz, Telefone e acesso a internet;

5. Produtos para higiene e limpeza da empresa e funcionários;

6. Fardamento para paramentar o(s) funcionário(s) envolvido(s) no

adestramento dos cães e higienização do canil;

7. Recursos para manutenções corretivas;

8. Valores para quitar possíveis financiamentos de máquinas e

construções;

9. Assessoria contábil;

10. Propaganda e Publicidade da empresa;

11. Aquisição de equipamentos aplicados no adestramento canino; 12. Despesas com vendas; 13. Despesas com

11. Aquisição de equipamentos aplicados no adestramento canino;

12. Despesas com vendas;

13. Despesas com transporte de animais.

Diversificação / Agregação de valor

Um dos elementos principais que poderá agregar valor a qualquer tipo de empreendimento, e que não é diferente para o segmento de uma empresa de adestramento de cães, é a atuação empresarial com

responsabilidade social, amor aos animais sob seus cuidados, além, é claro, do processo de valorização da marca e qualificação da empresa

e seus profissionais. Sendo estes fatores primordiais no aumento do potencial da empresa, tendo ainda a questão do marketing de relacionamento.

No que tange à parte de diversificação de mercado, o empreendedor de uma empresa de adestramento de cães deverá ser criativo e inovador, como exemplo poder-se-á citar algumas atitudes a serem adotadas nesta área.

• Elaboração de um cadastro do cão e de seu proprietário, na entrada

do animal na empresa e também sendo finalizado na saída do animal, mantendo um controle do desenvolvimento do animal, ressaltando o progresso obtido pelo animal durante o adestramento. Com isto será possível, periodicamente, contatar o cliente e oferecer serviços complementares ou mesmo re-educação do animal;

• Oferecer serviços de apoio ao proprietário de cães, de forma em domicílio, no nível de adestramento denominado básico;

• Prestação de serviço de “leva e traz” de animais. Este serviço quando prestado deverá ser encarado como uma forma de proporcionar ao cliente a maior comodidade possível.Este serviço poderá ser remunerado, sendo esta decisão íntima do empreendedor, pois isto poderá ensejar um grande diferencial para uma ou outra empresa;

• A empresa de adestramento, como instrumento de diversificação

poderá também oferecer o serviço de “passeios” com os animais de

estimação, buscando com isto possibilitar aos proprietários uma tranqüilidade na parte de lazer de seus

estimação, buscando com isto possibilitar aos proprietários uma

tranqüilidade na parte de lazer de seus pequenos e queridos animais de estimação. Este serviço tem a função de suprir o pouco tempo que os seres humanos tem na atualidade, pela vida atribulada de cada cidadão

e também pelos poucos e restritos locais destinados a lazer de animais. Esse serviço deverá ser oferecido como complementação de adestramento, naquele período, para o animal sob sua custódia;

• Tem ainda a prestação de serviços de hotelaria, concernente à oferta de instalações diferenciadas para a recepção de tais animais em

períodos de férias de seus proprietários (quando não é possível levar seus “bichinhos” juntos), como também em processos de redução/eliminação de estresses destes animais, provocado pela vida cotidiana ou ainda em descanso para proprietários e animais;

• Comercialização de planos de saúde para animais de estimação;

• Atuar na comercialização de produtos de higiene e embelezamento

de cães. Sendo que esse mercado tem crescido efusivamente e os produtos que podem ser oferecidos são: lenços umedecidos para limpeza ou sacolas com kits de viagem que incluem comida, água e produtos de limpeza e higiene do animal;

• Uma outra área de rápido crescimento é a de alimentos funcionais

para utilização geriátrica em cães. Como os animais domésticos estão com expectativa de vida maior, muitas empresas estão desenvolvendo

alimentos destinados a prevenir ou solucionar deficiências de saúde;

• Atuar na venda de produtos caninos tais como: rações, brinquedos,

vestimentas, focinheiras, coleiras, dentre outros itens que facilite a vida dos proprietários de cães. Desta forma terá clientes mais felizes e afáveis, pois terão atendidas suas necessidades de educação e treinamento adestrado de seus animais. Além de contratar o serviço de adestramento de cães, poderá também conseguir comprar os produtos e equipamentos a serem consumidos e aplicados em seus animais em um único local.

• O empreendedor de um empresa de adestramento canino deverá

implementar, como um dos principais pontos de diversificação e agregação de valor, o serviço de “leva e traz” entre a residência do

proprietário do animal e sua empresa, buscando com isto oferecer um maior “conforto” para os

proprietário do animal e sua empresa, buscando com isto oferecer um maior “conforto” para os proprietários, que por vezes não tem tempo suficiente para se deslocar até a empresa de adestramento, ou mesmo

se tiver tempo não entenda como interessante executar essa tarefa.

• Outro ponto importante nesse mesmo sentido de diversificar e agregar valor ao seu negócio é o de oferecer a prestação de alguns serviços de adestramento em domicilio, principalmente os inerentes ao nível básico de adestramento de cães, que seria uma tarefa do proprietário do animal, mas que poderá ser executada em conjunto pelo profissional de adestramento e o proprietário do animal. Estas são apenas algumas das possibilidades que podem ser oferecidas no intuito de diversificação de serviços para o segmento empresarial de adestramento de cães.

Divulgação

Aa maioria dos meios de comunicação para a divulgação de um negócio apresenta um custo bastante expressivo, por isso o empresário deverá se esforçar ao máximo para colocar sua empresa na maior quantidade de pontos de visualização pela sociedade como um todo, sem consumir grandes somas de recursos financeiros. Sendo assim poder-se-á utilizar algumas mídias com grande apelo e que poderá ser contratada com custos menores, tais como outdoor, folders e rádio.

O empresário da área de adestramento de cães deve estar sempre

atento ao processo de vincular a sua atividade ao bem estar dos animais e de seus proprietários, traduzindo esse serviço como elemento fundamental a saúde e ao comportamento dos cães, exaltando assim a qualidade de serviços prestados pela sua empresa de adestramento de cães.

O empresário de uma empresa de adestramento de cães deverá ficar

muito atento ao principal canal de divulgação que esse mercado está exposto, que é o

muito atento ao principal canal de divulgação que esse mercado está exposto, que é o do boca a boca, pois os proprietários de animais normalmente se reúnem ou mesmo encontram-se em parques e sempre estão trocando informações sobre empresas de prestação de serviços para cães, sendo que nesses comentários o que for bom será denotado

e aquilo que desagrada será ainda mais enaltecido.

Informações Fiscais e Tributárias

O segmento de serviço de adestramento de cães, assim entendido como os serviços de adestramento de animais domésticos, exceto cães de guarda, poderá optar pelo SIMPLES Nacional - Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, instituído pela Lei Complementar nº 123/2006, caso a receita bruta de sua atividade não ultrapassar R$ 240.000,00 (microempresa) ou R$ 2.400.000,00 (empresa de pequeno porte) e respeitando os demais requisitos previstos na Lei.

Nesse regime de tributação, o empreendedor poderá recolher os seguintes tributos e contribuições, por meio de apenas um documento fiscal – o DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional):

• IRPJ (imposto de renda da pessoa jurídica);

• CSLL (contribuição social sobre o lucro);

• PIS (programa de integração social);

• COFINS (contribuição para o financiamento da seguridade social);

• ICMS (imposto sobre circulação de mercadorias e serviços);

• INSS - Contribuição para a Seguridade Social relativa a parte da empresa (Contribuição Patronal Previdenciária– CPP)

Conforme a Lei Complementar nº 128/2008, as alíquotas do

SIMPLES Nacional, para esse ramo de atividade, vão de 6% até 17,42%, dependendo da receita

SIMPLES Nacional, para esse ramo de atividade, vão de 6% até 17,42%, dependendo da receita bruta auferida pelo negócio. No caso de início de atividade no próprio ano-calendário da opção pelo SIMPLES Nacional, para efeito de determinação da alíquota no primeiro mês de atividade, o empreendedor utilizará, como receita bruta total acumulada, a receita do próprio mês de apuração multiplicada por 12 (doze).

Se o Estado em que o empreendedor estiver exercendo a atividade conceder benefícios de isenção e/ou substituição tributária para o ICMS, a alíquota poderá ser reduzida conforme o caso. Na esfera Federal poderá ocorrer redução quando se tratar de PIS e/ou COFINS.

MICRO EMPREENDEDOR INDIVIDUAL – Se a receita bruta anual não ultrapassar a R$ 36.000,00, o empreendedor poderá se enquadrar como empreendedor Individual – MEI, ou seja, sem sócio. Neste caso, os recolhimentos dos tributos e contribuições serão efetuados em valores fixos mensais conforme abaixo:

O empresário não precisa recolher os tributos acima (nem pelo sistema

unificado), exceto: ISS e ICMS independente do faturamento, quando devido de acordo com o ramo de negócio, para este caso:

I - Sem empregado

• R$ 51,15 a título de contribuição previdenciária do empreendedor

• R$ 5,00 a título de ISS Imposto sobre serviço de qualquer natureza.

II - Com um empregado

Neste caso o empreendedor recolherá mensalmente, além dos valores acima, os seguintes percentuais:

• Retém do empregado 8% de INSS sobre a remuneração;

• Desembolsa 3% de INSS patronal sobre a remuneração do empregado.

Conclusão: Para este segmento, tanto como LTDA quanto MEI, a opção pelo Simples Nacional sempre

Conclusão: Para este segmento, tanto como LTDA quanto MEI, a opção pelo Simples Nacional sempre será muito vantajosa sobre o aspecto tributário, bem como nas facilidades de abertura do estabelecimento e para cumprimento das obrigações acessórias.

Fundamento Legal: Leis Complementares 123/2006, 127/2007, 128/2008 e Resoluções do CGSN – Comitê Gestor do Simples Nacional.

Eventos

Existem vários eventos com enfoques específicos, por isso é muito importante que o empreendedor esteja sempre atento aos conteúdos e informações que são disponibilizados nos diversos sites da área de cães e correlatos.

Como base de apoio às pesquisas, apresenta-se abaixo alguns pontos de busca e informação:

FEIRA PET 2006 - Curitiba – Paraná - Feira Nacional de Produtos e Serviços da Linha Pet e Veterinária, é dirigida a lojistas, atacadistas, distribuidores, importadores, pet shops, veterinários, tosadores, adestramento, representantes e profissionais ligados ao setor. Esta feira ocorre cada ano em uma cidade distinta. Maiores informações acesse: http://www.feirapet.com.br. Encontro Anual de Etologia - A Sociedade Brasileira de Etologia (SBEt) realiza há vinte e três anos o Encontro Anual de Etologia (EAE), um evento científico que congrega os pesquisadores nacionais e convidados internacionais que estudam o comportamento animal. Reunindo em torno de 400 a 500 participantes, cada ano o EAE ocorre em algum local diferente. O EAE é uma incubadora de talentos e um evento de alto nível científico, caracterizado por uma grande interdisciplinaridade.

Pet South America - Feira Internacional de Produtos e Serviços da Linha Pet Veterinária –

Pet South America - Feira Internacional de Produtos e Serviços da Linha Pet Veterinária – é a maior e principal feira internacional de produtos e serviços para a linha pet e veterinária da América Latina, voltada para lojistas, veterinários, produtores, adestradores e criadores, distribuidores, prestadores de serviços e importadores e exportadores. Durante a exposição, são apresentados lançamentos e novidades nas áreas de saúde animal, nutrição, laboratórios, informática, Pet Food, equipamentos, acessórios, especialidades veterinárias, publicações e serviços. O mais importante representante de cada um destes setores estará presente no evento. Maiores informações acesse:

http://www.petsa.com.br/. Rio Vet Trade Show e da Conferência Sul-Americana de Medicina Veterinária – evento direcionado a profissionais da área de Medicina Veterinária e também a criadores, expositores e lojistas, dentre outros. http://www.abma.com.br. Além destes eventos os empreendedores deverão sempre estar atentos aos eventos promovidos pela ANCLIVEPA - Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais – http://www.anclivepa-sp.org.br e também os do Kennel Club Net - http://www.kennelclub.com.br/, site que trata de exposições de animais de estimação.

Entidades em Geral

• AILA - ALIANÇA INTERNACIONAL DO ANIMAL -

Rua Pasquale Gallupi, 900 - Jd. Paraisópolis – São Paulo - SP - (11)3749-0800 CEP: 05660-000 - http://www.aila.org.br.

• PET BR – http://www.petbr.com.br.

• ASSOC AMIGOS SAÚDE BEM ESTAR ANIMAIS DO BRASIL –

Av. São Miguel, 3254 - Vl. Rio Branco – São Paulo - SP -

(011)61517322 CEP: 03870-000 -http://www.saudedosanimais.org.br.

• ASSOFAUNA - ASSOCIAÇÃO DOS REVENDEDORES DE PRODUTOS, PRESTADORES DE SERVIÇO E DEFESA

DESTINADOS AO USO ANIMAL – fone: TEL/FAX: (011)5051 – 3511. • IBAMA – http://www.ibama.gov.br .

DESTINADOS AO USO ANIMAL – fone: TEL/FAX: (011)5051 –

3511.

• IBAMA – http://www.ibama.gov.br.

• AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA – http://www.anvisa.gov.br.

• CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA – CFMV – http://www.cfmv.org.br.

• DEPARTAMENTO DE DEFESA ANIMAL DA SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA – http://www.agricultura.gov.br.

• MINISTÉRIO DA AGRICULTURA –

• RECEITA FEDERAL – http://www.receita.fazenda.gov.br.

Normas Técnicas

O empresário deverá estar atento a algumas legislações e normas que

regulamentam o seu segmento empresarial, que é o de uma empresa de adestramento de cães.

Sendo uma das principais a que segue abaixo:

PORTARIA Nº. 002/GCM/2005 - REGULARIZA AS INSTRUÇÕES

E NORMAS TÉCNICAS PARA ORGANIZAÇÃO E

FUNCIONAMENTO DA INSPETORIA DO CANIL. COMANDO DA GUARDA CIVIL METROPOLITANA Capitulo III Do Adestramento de Cães Seção I Dos adestradores Artigo 45 - Mediante a solicitação da Comissão Supervisora e autorização do Comando, serão realizados regularmente no Canil Central, cursos ou estágios de Cinofilia e Cinotecnia, com prioridade

de freqüência para GCM's pertencentes às Unidades que possuam Canil ou estejam em vias de

de freqüência para GCM's pertencentes às Unidades que possuam Canil ou estejam em vias de criá-lo. Artigo 46 - Os cursos ou estágios de Cinofilia poderão ser freqüentados por Guardas ou Servidores Públicos afins de outras localidades e Unidades, desde que autorizados, respeitadas as prioridades constantes no artigo anterior. Artigo 47 - A realização dos cursos poderá ser feita em parceria com Universidades e Instituições Públicas ou Privadas no interesse da Corporação e somente poderão conduzir cães da Corporação em via pública, GCM's que possuírem Estágio ou Curso de Cinofilia e Cinotecnia Oficial ou reconhecimento pela Comissão Supervisora. Artigo 48 - Nenhum GCM adestrador ou Condutor poderá ter sob seus cuidados o adestramento de mais de 2 (dois) cães simultaneamente. Seção II Dos Cães adestrados Artigo 49 - Todos os cães pertencentes ao efetivo dos Canis deverão ser adestrados para dar cumprimento às missões que lhes são afetas, com exceção apenas daqueles destinados à reprodução. Artigo 50 - Considera-se tecnicamente que o período máximo de trabalho de um cão em quaisquer modalidades de operações seja de até 8 (oito) horas, devendo ser substituído por outro, na necessidade de continuidade da operação. Artigo 51 - Todos os cães deverão ser alimentados obedecendo aos critérios técnicos e nutricionais emanados pelo Médico Veterinário de acordo com o desempenho operacional, programação e atividade de cada um. Artigo 52 - A programação de atividade e operação de cada cão deverá respeitar os limites de seu bom desempenho, de acordo com a avaliação do Médico Veterinário e de seu condutor. Artigo 53 - Em operações extraordinárias que demandem a participação excepcional dos cães deverão ser providenciados: local adequado de descanso, água e alimentação compatíveis. Artigo 54 - Com a finalidade de proporcionar extensão social de suas atribuições com maior segurança à população, a Inspetoria do Canil

poderá a critério da Administração Pública, oferecer serviços a Instituições, Entidades e proprietários de cães

poderá a critério da Administração Pública, oferecer serviços a Instituições, Entidades e proprietários de cães particulares mediante Programa específico aprovado e autorizado pela Comissão Supervisora e pelo Comando.

Glossário

1. Assepsia – conjunto de medidas adotadas para evitar a chegada de germes a local que não os contenha.

2. Canil - lugar onde se abrigam ou criam cães.

3. Etologia – estudo dos hábitos dos animais e da sua acomodação às

condições do ambiente.

Dicas do Negócio

Como em todo ramo de negócio, o empreendedor deverá atentar as pesquisas de mercado com vistas a conhecer melhor o seu público alvo, além de se familiarizar com as características do seu segmento.

Segundo dados a ASSOFAUNA – Associação dos Revendedores de Produtos, Prestadores de Serviço e Defesa Destinados ao uso Animal, 63% das famílias brasileiras de classe A e B já possuem animais de estimação e os consideram muito mais do que simples “bichinhos”, esses animais de estimação praticamente passam a integrar o grupo familiar. E esse número se torna ainda maior quando se estuda a classe C, que atualmente gira em torno de 64% o número de famílias que tem pelo menos um animal de estimação e fazem dele mais um membro da família.

Quanto mais a população humana cresce, maior será a tendência de crescimento da população de animais de estimação. E ainda os animais de estimação ganham a cada dia mais e mais espaço dentro das

residências familiares, sejam estas habitações casas, apartamentos, etc. Embasados nessa informação, o empreendedor

residências familiares, sejam estas habitações casas, apartamentos, etc.

Embasados nessa informação, o empreendedor do segmento de adestramento de cães deverá buscar identificar e angariar clientes segundo esse conceito, visando vender o seu produto que é o de adestramento canino, pois como os animais de estimação, guarda, guia e outros convivem diariamente no mesmo espaço físico que os membros da família proprietária de tais animais, torna-se imperioso que os cães desse grupo sejam devidamente adestrados para “cumprirem” determinadas regras, quase que similarmente aos humanos.

O empreendedor deverá ter ciência sobre o tempo médio de

adestramento de cães, mas existem algumas raças que levam menos tempo para aprender os comandos passados pelo adestrador, apresenta-se abaixo um ranking elaborado por Stanley Coren, partindo de respostas de mais de 200 juizes de provas de trabalho da AKC

(American Kennel Club), sobre um questionário sobre a inteligência e aceitabilidade de 133 raças de cães.

A classificação foi feita segundo a inteligência funcional e obediência

(facilidade em ser adestrado). Confira os 30 cães mais inteligentes:

1º: Border Collie; 2º: Poodle e Schnauzer Miniatura; 3º: Pastor Alemão; 5º: Doberman e Schnauzer Standard; 6º: Pastor de Shetland; 7º: Labrador Retriever, Golden Retriever; 8º: Pastor Belga-Tervuren; 9º: Rottweiler; 10º: Australian Cattle Dog; 11º: Welsh Corgi Pembroke; 13º: Springer Spaniel Inglês; 14º: Papillon; 15º: Schipperkee e Pastor Belga-Gronendael;

16º: Collie e Keeshund; 17º: Schnauzer Gigante; 18º: Flat-coated Retriever e Cocker Spaniel Inglês; 19º:

16º: Collie e Keeshund; 17º: Schnauzer Gigante; 18º: Flat-coated Retriever e Cocker Spaniel Inglês; 19º: Spaniel da Bretanha; 20º: Cocker Spaniel Americano; 21º: Weimaraner; 22º: Pastor Belga-Malinois e Bernese Mountain Dog; 23º: Lulu da Pomerânia; 24º: Irish Water Spaniel; 25º: Vizsla e Puli; 26º: Welsh Corgi Cardigan; 27º: Chesapeake Bay Retriever e Yorkshire Terrier; 28º: Pointer Alemão de pêlo curto e Cão d’Águas Português; 29º: Airedale Terrier e Bouvier des Flandres; 30º: Border Terrier. Fonte: “A Inteligência dos Cães”, de Stanley Coren (Ediouro). (ARN)

Características específicas do empreendedor

O empreendedor que pretender iniciar uma empresa de adestramento de cães, deve ter algumas características básicas, tais como:

1. Ter conhecimento específico sobre adestramento e treinamento de

cães, entender quais as técnicas e métodos a serem aplicados para cada nível de adestramento e também respeitando as especificidades de cada uma das raças;

2. Da mesma forma, precisa ter conhecimento específico sobre cada

uma das raças de cães, entendendo qual o adestramento que uma outra raça consegue assimilar e cumpri-las. Esse conhecimento poderá ser adquirido por intermédio de serviços prestados em empresas do segmento ou via participação em cursos e eventos sobre adestramento de cães;

3. Ser uma pessoa que sempre busca melhorar o nível de seu negócio, tanto com

3. Ser uma pessoa que sempre busca melhorar o nível de seu negócio,

tanto com a participação em cursos específicos sobre adestramento de cães, sejam feiras, congressos, fóruns, dentre outros encontros relacionados a treinamento de cães;

4. Ter conhecimento sobre gestão empresarial, pois não basta ter

conhecimento sobre cães e adestramento canino. É necessário também estar preparado para gerir o seu empreendimento;

5. Ter habilidade no tratamento com pessoas, tanto com seus

colaboradores quanto com clientes, fornecedores, enfim, com todos que de forma direta ou indireta tenha ligação com a empresa;

6. Ser empreendedor com visão prospectiva, atuando com antecipação

de tendências, ter visão de futuro no que tange o interesse e expectativa de mercado de adestramento de cães, além de estar sempre antenado com as inovações tecnológicas e de mercado. No entanto, ressalta-se que as possibilidades de variação desse tipo de empresa não é fácil, contudo com criatividade e capacidade empresarial sempre será possível encontrar novas opções;

7. Ser humilde o suficiente para entender que prestar serviços de

adestramento de cães, apesar de ser simples a sua aplicação nos cachorros, não significa ter um empreendimento desorganizado, que não atenda aos quesitos de higiene, controle rigoroso de assepsia de todos os equipamentos envolvidos no treinamento e adestramento dos cães, bem como de todos os espaços da empresa, tais como canil, veículo de “leva e traz” de cães e campo de adestramento. Mas ressalta-se que isso não é uma atitude extra, mais sim uma obrigação e respeito com os cães e seus proprietários;

8. Além destas características acima listadas o empresário de uma

empresa de adestramento de cães tem que ser uma pessoa

extremamente criativa, sempre com capacidade de criar formas inovadoras de adestramento e comercial, tendo como

extremamente criativa, sempre com capacidade de criar formas inovadoras de adestramento e comercial, tendo como foco e objetivo estar sempre a frente de seus concorrentes.

As características indicadas acima são apenas direcionamentos, isto não quer dizer que um empreendedor que talvez não se sinta com tais características tenha que desistir de investir neste novo negócio, contudo esse empresário terá que se esforçar um pouco mais do que aqueles que já contam com tais habilidades.

Bibliografia Complementar

UDE ANIMAL – CÃES CINOFILIA. Disponível em:

>.

Acesso em: 19

CAESGUIAS. Escola de cães guias Helen Keller. Disponível em:

<http://www.caoguia.org.br>. Acesso em: 19 fevereiro 2008.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO. Disponível em:

2008.

>.

Acesso em: 19 fevereiro