Você está na página 1de 20
UniversidadeUniversidade EstadualEstadual dodo SudoesteSudoeste dada BahiaBahia DepartamentoDepartamento dede
UniversidadeUniversidade EstadualEstadual dodo SudoesteSudoeste dada BahiaBahia
DepartamentoDepartamento dede SaúdeSaúde
Disciplina:Disciplina: FisiologiaFisiologia dodo ExercícioExercício
BIOENERGÉTICABIOENERGÉTICA
Prof. M.S.c Raildo da Silva Coqueiro
Jequié - 2012
ASPECTOSASPECTOS CONCEITUAISCONCEITUAIS METABOLISMOMETABOLISMO –– ConjuntoConjunto dede reaçõesreações
ASPECTOSASPECTOS CONCEITUAISCONCEITUAIS
METABOLISMOMETABOLISMO –– ConjuntoConjunto dede reaçõesreações
químicasquímicas queque ocorreocorre emem todotodo oo
organismoorganismo aa cadacada minutominuto
AAnanabboolilismosmo::
ViViasas
ququíímmiicascas
queque
resultamresultam nana síntesesíntese dede moléculasmoléculas;;
CatabolismoCatabolismo:: ViasVias químicasquímicas queque
resultamresultam
nana
degradaçãodegradação dede
moléculasmoléculas
Powers & Howley. Manole, 2009
ASPECTOSASPECTOS CONCEITUAISCONCEITUAIS BIOENERGÉTICABIOENERGÉTICA –– CapacidadeCapacidade dede converterconverter
ASPECTOSASPECTOS CONCEITUAISCONCEITUAIS
BIOENERGÉTICABIOENERGÉTICA –– CapacidadeCapacidade dede
converterconverter nutrientesnutrientes alimentaresalimentares
(gorduras,(gorduras, proteínasproteínas ee carboidratos)carboidratos)
emem energenergiiaa bibioollogogiicamencamenttee uutilitilizzáávevell
ProcessoProcesso
moduladomodulado
porpor
catalisadorescatalisadores (enzimas).(enzimas).
Powers & Howley. Manole, 2009

26/05/2012

ESTRUTURAESTRUTURA CELULARCELULAR ELEMENTOSELEMENTOS DODO CORPOCORPO HUMANOHUMANO OxigênioOxigênio ((6565%%))
ESTRUTURAESTRUTURA CELULARCELULAR
ELEMENTOSELEMENTOS DODO CORPOCORPO HUMANOHUMANO
OxigênioOxigênio ((6565%%))
CarbonoCarbono (18(18%%))
HidrogênioHidrogênio (10(10%%))
NitrogênioNitrogênio (3(3%%))
+ 95%
AdicionaisAdicionais
(sódio,(sódio,
ferro,ferro,
zinco,zinco,
potássio,potássio, magnésio,magnésio, cloretocloreto ee cálcio)cálcio)
Powers & Howley. Manole, 2009
ESTRUTURAESTRUTURA CELULARCELULAR ELEMENTOSELEMENTOS DODO CORPOCORPO HUMANOHUMANO LigaçõesLigações
ESTRUTURAESTRUTURA CELULARCELULAR
ELEMENTOSELEMENTOS DODO CORPOCORPO HUMANOHUMANO
LigaçõesLigações químicasquímicas
ElementoElemento AA ++ ElementoElemento BB
MoléculasMoléculas ouou compostoscompostos
ComCom carbonocarbono →→ orgânicosorgânicos
SemSem carbonocarbono →→ inorgânicosinorgânicos
Powers & Howley. Manole, 2009
ESTRUTURAESTRUTURA CELULARCELULAR FábricaFábrica dosdos compostoscompostos químicosquímicos →→ célulacélula
ESTRUTURAESTRUTURA CELULARCELULAR
FábricaFábrica dosdos compostoscompostos químicosquímicos →→ célulacélula
Powers & Howley. Manole, 2009

26/05/2012

ESTRUTURAESTRUTURA CELULARCELULAR BiologiaBiologia molecularmolecular ee ciênciaciência dodo exercícioexercício
ESTRUTURAESTRUTURA CELULARCELULAR
BiologiaBiologia molecularmolecular ee ciênciaciência dodo exercícioexercício
Powers & Howley. Manole, 2009
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA ENERGIAENERGIA DeDe ondeonde éé origináriaoriginária
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA
ENERGIAENERGIA
DeDe ondeonde éé origináriaoriginária todatoda bioenergiabioenergia terrestre?terrestre?
RespostaResposta:: SolSol
 FFormasormas ddee energenergiiaa::
 ElétricaElétrica
 MecânicaMecânica
Todas são intercambiáveis
 QuímicaQuímica
 EtcEtc
Ex: Músculo
Energia química → energia mecânica
Powers & Howley. Manole, 2009
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA ENERGIAENERGIA ReaçõesReações químicasquímicas
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA
ENERGIAENERGIA
ReaçõesReações químicasquímicas celulares:celulares:
EndergônicasEndergônicas →→ exigemexigem energiaenergia
ExergônicasExergônicas →→ liberamliberam energia.energia.
AcopladasAcopladas →→ reaçõesreações endergônicasendergônicas estãoestão
acopladasacopladas asas exergônicasexergônicas (uma(uma desencadeiadesencadeia
aa outra)outra)
Powers & Howley. Manole, 2009

26/05/2012

TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA ENERGIAENERGIA ReaçãoReação exergônicaexergônica →→
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA
ENERGIAENERGIA
ReaçãoReação exergônicaexergônica →→ energiaenergia liberadaliberada
Powers & Howley. Manole, 2009
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA ENERGIAENERGIA ReaçãoReação acopladaacoplada Powers &
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA
ENERGIAENERGIA
ReaçãoReação acopladaacoplada
Powers & Howley. Manole, 2009
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA ENERGIAENERGIA ReaçõesReações dede
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA
ENERGIAENERGIA
ReaçõesReações dede óxidação-óxidação-reduçãoredução (acopladas):(acopladas):
OxidaçãoOxidação::
processoprocesso
dede
remoçãoremoção
dede
umum
elétronelétron dede umum átomoátomo ouou moléculamolécula
ReduçãoRedução:: adiçãoadição dede umum elétronelétron aa umum átomoátomo
ouou moléculamolécula
** ImportanteImportante:: reaçõesreações dede oxidaçãooxidação--reduçãoredução nasnas célulascélulas
frequentementefrequentemente envolvemenvolvem aa transferênciatransferência dede átomosátomos
dede hidrogêniohidrogênio aoao invésinvés dede elétronselétrons
Powers & Howley. Manole, 2009

26/05/2012

TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA ENERGIAENERGIA ReaçõesReações dede
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA
ENERGIAENERGIA
ReaçõesReações dede óxidoóxido--reduçãoredução (acopladas):(acopladas):
MoléculasMoléculas importantesimportantes nana transferênciatransferência dede
hidrogêniohidrogênio::
 NADNAD:: niacinaniacina (vitamina(vitamina BB 33 ))
 FADFAD:: riboflavinariboflavina (vitamina(vitamina BB 22 ))
Powers & Howley. Manole, 2009
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA ENERGIAENERGIA ReaçõesReações dede
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA
ENERGIAENERGIA
ReaçõesReações dede óxidoóxido--reduçãoredução (acopladas):(acopladas):
Powers & Howley. Manole, 2009
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA ENERGIAENERGIA EnzimasEnzimas:: DefiniçãoDefinição::
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA
ENERGIAENERGIA
EnzimasEnzimas::
DefiniçãoDefinição::
proteínasproteínas
queque
atuamatuam
comocomo
cacattaalilisasaddoresores ddee reaçreaçõõeses ququíímmiicascas
** NãoNão fazemfazem comcom queque aa reaçãoreação ocorra,ocorra, masmas
regularegula aa taxataxa ouou velocidadevelocidade comcom queque estaesta sese
desenroladesenrola →→ reduzreduz aa energiaenergia dede ativação.ativação.
Powers & Howley. Manole, 2009

26/05/2012

TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA ENERGIAENERGIA EnzimasEnzimas:: Powers & Howley. Manole,
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA
ENERGIAENERGIA
EnzimasEnzimas::
Powers & Howley. Manole, 2009
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA ENERGIAENERGIA EnzimasEnzimas:: Grandes moléculas Formato
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA
ENERGIAENERGIA
EnzimasEnzimas::
Grandes moléculas
Formato tridimensional
Modelo chave e
fechadura
Powers & Howley. Manole, 2009
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA ENERGIAENERGIA EnzimasEnzimas:: ValorValor
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA
ENERGIAENERGIA
EnzimasEnzimas::
ValorValor
diagnósticodiagnóstico
dada
mensuraçãomensuração
dada
atividadeatividade enzimáticaenzimática nono sangue:sangue:
Powers & Howley. Manole, 2009

26/05/2012

TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA ENERGIAENERGIA

EnzimasEnzimas::

ClassificaçãoClassificação dasdas enzimasenzimas::

1. Oxidorredutases catalizam reações de óxido-redução;

2. Transferases catalizam a transferência de elementos de uma molécula para a outra;

3. Hidrolases catalizam reações nas quais a clivagem de ligações é realizada pela adição de H 2 O;

4. Liases catalizam reações nas quais grupos de elementos (ex: H 2 O, CO 2

e NH 3 ) são removidos para formar uma ligação dupla ou são adicionados

a uma ligação dupla existente;

5. Isomerases catalizam reações que resultam no rearranjo da estrutura de moléculas;

6. Ligases catalizam a formação de ligação entre duas moléculas de substrato.

Powers & Howley. Manole, 2009

TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA ENERGIAENERGIA EnzimasEnzimas:: ClassificaçãoClassificação
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA ENERGIAENERGIA
EnzimasEnzimas::
ClassificaçãoClassificação dasdas enzimasenzimas::
Powers & Howley. Manole, 2009
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA ENERGIAENERGIA EnzimasEnzimas:: FatoresFatores queque
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA
ENERGIAENERGIA
EnzimasEnzimas::
FatoresFatores queque alteramalteram aa atividadeatividade enzimáticaenzimática::
 TemperaturaTemperatura
PrincipaisPrincipais
 pHpH
Powers & Howley. Manole, 2009

26/05/2012

TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA ENERGIAENERGIA EnzimasEnzimas:: FatoresFatores queque
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA
ENERGIAENERGIA
EnzimasEnzimas::
FatoresFatores queque alteramalteram aa atividadeatividade enzimáticaenzimática::
Powers & Howley. Manole, 2009
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA ENERGIAENERGIA EnzimasEnzimas:: FatoresFatores queque
TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO BIOLÓGICABIOLÓGICA DADA
ENERGIAENERGIA
EnzimasEnzimas::
FatoresFatores queque alteramalteram aa atividadeatividade enzimáticaenzimática::
Powers & Howley. Manole, 2009
SUBSTRATOSSUBSTRATOS PARAPARA OO EXERCÍCIOEXERCÍCIO CarboidratosCarboidratos GordurasGorduras ProteínasProteínas
SUBSTRATOSSUBSTRATOS PARAPARA OO EXERCÍCIOEXERCÍCIO
CarboidratosCarboidratos
GordurasGorduras
ProteínasProteínas
Powers & Howley. Manole, 2009

26/05/2012

SUBSTRATOSSUBSTRATOS PARAPARA OO EXERCÍCIOEXERCÍCIO

CARBOIDRATOSCARBOIDRATOS (~4(~4 kcal)kcal)

FormasFormas::

Monossacarídeos,Monossacarídeos,

dissacarídeosdissacarídeos ee polissacarídeospolissacarídeos;;

GlicogênioGlicogênio:: EstoqueEstoque animalanimal dede glicoseglicose;;

GlicogênóliseGlicogênólise::

glicoseglicose;;

DisponibilizaçãoDisponibilização

EstoqueEstoque:: PequenoPequeno

Powers & Howley. Manole, 2009

dede

SUBSTRATOSSUBSTRATOS PARAPARA OO EXERCÍCIOEXERCÍCIO GORDURASGORDURAS (~9(~9 kcal)kcal) FormasFormas:: ácidosácidos
SUBSTRATOSSUBSTRATOS PARAPARA OO EXERCÍCIOEXERCÍCIO
GORDURASGORDURAS (~9(~9 kcal)kcal)
FormasFormas:: ácidosácidos graxos,graxos, triglicerídeos,triglicerídeos,
fosfolipídeosfosfolipídeos ee esteróidesesteróides;;
TTrriigglilicercerídídeoseos::
EEssttoqueoque corporacorporall ddee
ácidosácidos graxos;graxos;
LipóliseLipólise::
DisponibilizaçãoDisponibilização dede ácidosácidos
graxosgraxos;;
EstoqueEstoque:: GrandeGrande
Powers & Howley. Manole, 2009
SUBSTRATOSSUBSTRATOS PARAPARA OO EXERCÍCIOEXERCÍCIO PROTEÍNASPROTEÍNAS (~4(~4 kcal)kcal) AlaninaAlanina
SUBSTRATOSSUBSTRATOS PARAPARA OO EXERCÍCIOEXERCÍCIO
PROTEÍNASPROTEÍNAS (~4(~4 kcal)kcal)
AlaninaAlanina
GlicoseGlicose (Fígado)(Fígado)
BCAABCAA
IntermediáriosIntermediários
metabólitosmetabólitos (uso(uso direto)direto)
Powers & Howley. Manole, 2009

26/05/2012

FOSFATOSFOSFATOS DEDE ALTAALTA ENERGIAENERGIA ATPATP –– FonteFonte imediataimediata dede energiaenergia Ligação de
FOSFATOSFOSFATOS DEDE ALTAALTA ENERGIAENERGIA
ATPATP –– FonteFonte imediataimediata dede energiaenergia
Ligação de
alta energia
Powers & Howley. Fisiologia do exercício. Manole, 2009
FOSFATOSFOSFATOS DEDE ALTAALTA ENERGIAENERGIA ATPATP –– DoadorDoador universaluniversal dede energiaenergia Powers
FOSFATOSFOSFATOS DEDE ALTAALTA ENERGIAENERGIA
ATPATP –– DoadorDoador universaluniversal dede energiaenergia
Powers & Howley. Fisiologia do exercício. Manole, 2009
universaluniversal dede energiaenergia Powers & Howley. Fisiologia do exercício. Manole, 2009 26/05/2012 10

26/05/2012

BIOENERGÉTICABIOENERGÉTICA ATPATP 33ss dede energiaenergia SISTEMASSISTEMAS ENERGÉTICOSENERGÉTICOS
BIOENERGÉTICABIOENERGÉTICA
ATPATP
33ss dede energiaenergia
SISTEMASSISTEMAS ENERGÉTICOSENERGÉTICOS
UtilizaçãoUtilização dede viasvias
SISTEMASISTEMA FOSFAGÊNIOFOSFAGÊNIO OUOU ATP-ATP-CPCP
SISTEMASISTEMA FOSFAGÊNIOFOSFAGÊNIO OUOU ATP-ATP-CPCP

SISTEMASISTEMA FOSFAGÊNIOFOSFAGÊNIO OUOU ATP-ATP-CPCP

ANAERÓBIOANAERÓBIO ALÁTICOALÁTICO

MÁXIMOMÁXIMO 1010 aa 1515ss

ALTÍSSIMAALTÍSSIMA POTÊNCIAPOTÊNCIA EE PEQUENAPEQUENA CAPACIDADECAPACIDADE

26/05/2012

SISTEMASISTEMA FOSFAGÊNIOFOSFAGÊNIO OUOU ATP-ATP-CPCP

AA suplementaçãosuplementação dede creatinacreatina melhoramelhora oo desempenhodesempenho nono exercício?exercício?

IngestãoIngestão dede 2020 g/diag/dia porpor 55 diasdias →→ ↑↑ estoquesestoques dede creatinacreatina muscularmuscular

-- AtividadeAtividade dede altaalta intensidadeintensidade ee curtacurta duraduraççãoão emem laboratóriolaboratório (ciclismo)(ciclismo):: ↑↑ desempenhodesempenho;;

-- CorridaCorrida ee nadonado dede curtacurta duração:duração: ??????

-- SuplementaçãoSuplementação ++ TCRTCR:: ↑↑ forçaforça ee ↑↑ massamassa muscularmuscular;;

-- EfeitosEfeitos colateraiscolaterais:: ??????

-- RiscoRisco aa saúdesaúde:: CurtaCurta duraçãoduração ((≤≤ 88 semanas)semanas) →→ nãonão LongaLonga duraçãoduração →→ ??????

-- RecomendaçõesRecomendações:: sósó parapara atletasatletas sobsob indicaçãoindicação

Powers & Howley. Manole, 2009

SISTEMASISTEMA DADA GLICÓLISEGLICÓLISE ANAERÓBIAANAERÓBIA OUOU GLICOLÍTICOGLICOLÍTICO Hexocinase Fase de
SISTEMASISTEMA DADA GLICÓLISEGLICÓLISE ANAERÓBIAANAERÓBIA
OUOU GLICOLÍTICOGLICOLÍTICO
Hexocinase
Fase de investimento
de energia
Fosfrutocinase
Triose-fosfato isomerase
Gliceraldeído-3-fosfato desidrogenase
Fosfoglicerato cinase
Fase de geração de
energia
Piruvato cinase
Produção: - 2 piruvatos ou 2 lactatos - 2 ATP (glicose) ou 3 ATP (glicogênio)
Produção:
- 2 piruvatos ou 2 lactatos
- 2 ATP (glicose) ou 3 ATP (glicogênio)
- 2 NADH
Powers & Howley. Manole, 2009

26/05/2012

SISTEMASISTEMA DADA GLICÓLISEGLICÓLISE ANAERÓBICAANAERÓBICA OUOU GLICOLÍTICOGLICOLÍTICO Powers & Howley.
SISTEMASISTEMA DADA GLICÓLISEGLICÓLISE
ANAERÓBICAANAERÓBICA OUOU GLICOLÍTICOGLICOLÍTICO
Powers & Howley. Manole, 2009
SISTEMASISTEMA DADA GLICÓLISEGLICÓLISE ANAERÓBIAANAERÓBIA OUOU GLICOLÍTICOGLICOLÍTICO ANAERÓBIOANAERÓBIO
SISTEMASISTEMA DADA GLICÓLISEGLICÓLISE
ANAERÓBIAANAERÓBIA OUOU GLICOLÍTICOGLICOLÍTICO
ANAERÓBIOANAERÓBIO LÁTICOLÁTICO
MÁXIMOMÁXIMO 3min3min
ALTAALTA
POTÊNCIAPOTÊNCIA
EE
MÉDIAMÉDIA
CAPACIDADECAPACIDADE

PRODUÇÃOPRODUÇÃO AERÓBIAAERÓBIA DEDE ATPATP

26/05/2012

Geração de Acetil-CoA Oxidação do Acetil-CoA Produção: + GTP NADH (2,5 ATP) = 3 FADH
Geração de
Acetil-CoA
Oxidação do
Acetil-CoA
Produção:
+ GTP
NADH (2,5 ATP) = 3
FADH (1,5 ATP) = 1
Fosforilação
oxidativa
Powers & Howley. Fisiologia do
exercício. Manole, 2009
PRODUÇÃOPRODUÇÃO AERÓBIAAERÓBIA DEDE ATPATP Powers & Howley. Manole, 2009
PRODUÇÃOPRODUÇÃO AERÓBIAAERÓBIA DEDE ATPATP
Powers & Howley. Manole, 2009
PRODUÇÃOPRODUÇÃO AERÓBIAAERÓBIA DEDE ATPATP Powers & Howley. Manole, 2009
PRODUÇÃOPRODUÇÃO AERÓBIAAERÓBIA DEDE ATPATP
Powers & Howley. Manole, 2009

26/05/2012

PRODUÇÃOPRODUÇÃO AERÓBIAAERÓBIA DEDE ATPATP Powers & Howley. Manole, 2009
PRODUÇÃOPRODUÇÃO AERÓBIAAERÓBIA DEDE ATPATP
Powers & Howley. Manole, 2009
PRODUÇÃOPRODUÇÃO AERÓBIAAERÓBIA DEDE ATPATP Powers & Howley. Manole, 2009
PRODUÇÃOPRODUÇÃO AERÓBIAAERÓBIA DEDE ATPATP
Powers & Howley. Manole, 2009
PRODUÇÃOPRODUÇÃO AERÓBIAAERÓBIA DEDE ATPATP Powers & Howley. Manole, 2009
PRODUÇÃOPRODUÇÃO AERÓBIAAERÓBIA DEDE ATPATP
Powers & Howley. Manole, 2009

26/05/2012

CONTAGEMCONTAGEM DADA PRODUÇÃOPRODUÇÃO AERÓBIAAERÓBIA DEDE ATPATP ** GlicogênioGlicogênio →→ 3333 ATPATP
CONTAGEMCONTAGEM DADA PRODUÇÃOPRODUÇÃO
AERÓBIAAERÓBIA DEDE ATPATP
** GlicogênioGlicogênio →→ 3333 ATPATP
Powers & Howley. Manole, 2009
EFICIÊNCIAEFICIÊNCIA DADA FOSFORILAÇÃOFOSFORILAÇÃO OXIDATIVAOXIDATIVA 11 molmol == 11 gramagrama dede pesopeso
EFICIÊNCIAEFICIÊNCIA DADA
FOSFORILAÇÃOFOSFORILAÇÃO OXIDATIVAOXIDATIVA
11
molmol == 11 gramagrama dede pesopeso molecularmolecular
11
molmol dede ATPATP == 77,,33 kcalkcal
11
molmol dede glicoseglicose == 686686 kcalkcal
EficiênciaEficiência dada respiraçãorespiração ==
3232 molesmoles ATP/molATP/mol dede glicoseglicose xx 7,37,3 kcal/molkcal/mol dede ATPATP
686686 kcal/molkcal/mol dede glicoseglicose
xx 100100
RespostaResposta == 3434%%

SISTEMASISTEMA AERÓBIOAERÓBIO

AERÓBIOAERÓBIO

TEMPOTEMPO ILIMITADOILIMITADO

PEQUENAPEQUENA POTÊNCIAPOTÊNCIA EE ALTÍSSIMAALTÍSSIMA CAPACIDADECAPACIDADE

26/05/2012

CONTROLECONTROLE DADA BIOENERGÉTICABIOENERGÉTICA  RealizadoRealizado porpor enzimas:enzimas: ↑↑
CONTROLECONTROLE DADA BIOENERGÉTICABIOENERGÉTICA  RealizadoRealizado porpor enzimas:enzimas: ↑↑
CONTROLECONTROLE DADA BIOENERGÉTICABIOENERGÉTICA
 RealizadoRealizado porpor enzimas:enzimas:
↑↑ ssubstratoubstrato →→ ↑↑ enzimasenzimas →→ ↑↑ reaçõesreações
** AA maioriamaioria dasdas viasvias metabólicasmetabólicas possuipossui umauma
enzimaenzima “limitadora“limitadora dada velocidade”velocidade”
Powers & Howley. Manole, 2009

CONTROLECONTROLE DADA BIOENERGÉTICABIOENERGÉTICA

 ComoComo aa enzimaenzima limitadoralimitadora dada velocidadevelocidade ageage parapara controlarcontrolar asas reações?reações?

11 AsAs enzimasenzimas limitadoraslimitadoras sãosão encontradasencontradas nono inícioinício dede umauma viavia;;

22 AA atividadeatividade dasdas enzimasenzimas limitadoraslimitadoras éé reguladaregulada porpor

moduladoresmoduladores (substâncias(substâncias queque estimulamestimulam ouou inibem).inibem).

ControleControle metabólicometabólico::

PrincipalPrincipal inibidorinibidor →→ ATPATP PrincipaisPrincipais estimuladoresestimuladores →→ ADPADP ee PP ii

Powers & Howley. Manole, 2009

26/05/2012

CONTROLECONTROLE DADA BIOENERGÉTICABIOENERGÉTICA Powers & Howley. Manole, 2009
CONTROLECONTROLE DADA BIOENERGÉTICABIOENERGÉTICA
Powers & Howley. Manole, 2009
CONTROLECONTROLE DODO SISTEMASISTEMA ATP-ATP-CPCP Creatina cinase Powers & Howley. Manole, 2009
CONTROLECONTROLE DODO SISTEMASISTEMA ATP-ATP-CPCP
Creatina cinase
Powers & Howley. Manole, 2009
CONTROLECONTROLE DADA GLICÓLISEGLICÓLISE AMP, ADP, P i , ↑pH ATP, CP, citrato, ↓pH * Enzima
CONTROLECONTROLE DADA GLICÓLISEGLICÓLISE
AMP, ADP, P i , ↑pH
ATP, CP, citrato, ↓pH
* Enzima importante → Fosforilase
Moduladores: Ca ++ e AMP
Powers & Howley. Manole, 2009

26/05/2012

CONTROLECONTROLE DODO CICLOCICLO DEDE KREBSKREBS EE DADA CADEIACADEIA DEDE TRANSPORTETRANSPORTE DEDE ELÉTRONSELÉTRONS
CONTROLECONTROLE DODO CICLOCICLO DEDE KREBSKREBS EE DADA
CADEIACADEIA DEDE TRANSPORTETRANSPORTE DEDE ELÉTRONSELÉTRONS
ADP, Ca ++ , NAD
Isocitrato desidrogenase
ATP, NADH
ADP, P i
Citrocomo oxidade
ATP
Powers & Howley. Manole, 2009
CONTROLECONTROLE DADA BIOENERGÉTICABIOENERGÉTICA Powers & Howley. Manole, 2009
CONTROLECONTROLE DADA BIOENERGÉTICABIOENERGÉTICA
Powers & Howley. Manole, 2009
INTERAÇÃOINTERAÇÃO ENTREENTRE ASAS PRODUÇÕESPRODUÇÕES AERÓBIA/ANAERÓBIAAERÓBIA/ANAERÓBIA DEDE ATPATP 
INTERAÇÃOINTERAÇÃO ENTREENTRE ASAS PRODUÇÕESPRODUÇÕES
AERÓBIA/ANAERÓBIAAERÓBIA/ANAERÓBIA DEDE ATPATP
 AA maioriamaioria dasdas atividadesatividades físicasfísicas exigeexige umauma
combinaçãocombinação dede sistemassistemas energéticos.energéticos.
 NaNa maioriamaioria dasdas atividadesatividades físicasfísicas existeexiste
predominânciapredominância dede umum sistemasistema sobresobre osos demaisdemais
IntensidadeIntensidade
DuraçãoDuração
Powers & Howley. Manole, 2009

26/05/2012

INTERAÇÃOINTERAÇÃO ENTREENTRE ASAS PRODUÇÕESPRODUÇÕES AERÓBICA/ANAERÓBICAAERÓBICA/ANAERÓBICA DEDE ATPATP
INTERAÇÃOINTERAÇÃO ENTREENTRE ASAS PRODUÇÕESPRODUÇÕES
AERÓBICA/ANAERÓBICAAERÓBICA/ANAERÓBICA DEDE ATPATP
Powers & Howley. Manole, 2009

26/05/2012