Compostagem, na natureza, nada se perde, tudo se transforma

A Mãe Natureza, reaproveita todo e qualquer resíduo seja ele de fonte animal ou vegetal, como uma fonte de nutrientes que vai realimentando e mantendo todo o Ecossistema em perfeito funcionamento. A compostagem, por definição, é o processo de tratamento dos resíduos orgânicos, que são transformados pela ação de microrganismos presentes nos próprios materiais, gerando como produto final um composto estável que é utilizado na preparação do húmus. A composteira é o recipiente ou lugar onde se faz a compostagem da matéria orgânica.

A compostagem tem múltiplas funções A compostagem cria um material super nutritivo que auxilia as plantas no seu desenvolvimento e crescimento, evita o surgimento de pragas e doenças, além de fornecer nutrientes importantes para o solo. O composto aumenta a capacidade da terra filtrar água, reduz a erosão, estimula o desenvolvimento das raízes, que se tornam capazes de absorver uma quantidade maior de água e nutrientes; e equilibra a temperatura e o nível de acidez do solo. A prática dificulta ou impede a germinação de sementes de plantas invasoras (daninhas) e prolonga a vida do solo, favorecendo a reprodução de microorganismos benéficos às culturas agrícolas. Em terrenos argilosos, o composto auxilia a sua drenagem. Já nos arenosos, ela ajuda a reter a humidade. Uma pilha de material composto garante adubo de primeira qualidade. Fungos, minhocas e triliões de bactérias estarão trabalhando para ti, decompondo o material. Pilhas de compostagem A pilha de compostagem não deve ficar exposta directamente ao sol ou ao vento, para que não seque, nem à chuva, para não ficar sujeita à lixiviação de nutrientes. Um local levemente ensombrado e com cortinas contra o vento pode ser conveniente para não

a textura macia e o cheiro deve ser de terra. verduras. Para avaliares se está pronto. podem tornar-se demasiado quentes e matar os microrganismos responsáveis pela compostagem e ficar muito compactas diminuindo o arejamento no seu interior. A medida que adicionas novas matérias orgânicas e remexes o composto. frutas e alimentos não cozinhados. O volume do material também deve estar reduzido. galhos de poda. Usar o composto . É aí que deverás retirar o composto pronto. Poderá ser necessário ter água perto pois a chuva pode não ser suficiente para humedecer a pilha convenientemente. esterco. O material quase acabado assentará no fundo porque as partículas são menores. nos locais muito frios pode ser preferível pilhas com mais de 1. Um pequeno bastão serve para arejar a pilha entre as reviradas. flores de galho e cascas de árvores.deixar secar demasiado a pilha. estarás a misturar o lixo intacto com camadas parcialmente decompostas. a cor dever ser castanho escuro ou preto. Pelo contrário. caixas para ovos e jornal. papel de cozinha.5 metros. com 2. Uma pilha muito baixa não composta bem e não aquece rapidamente. com aproximadamente 1. penas e cabelos. as pilhas demasiado altas.5 m. Rega regularmente para manter o composto humedecido e remexe o material regularmente para assegurar o fornecimento adequado de oxigénio. filtros e borra de café.5 m a 3 m. Alterna os materiais orgânicos com terra ou adubo pronto até que a pilha fique bem alta. palha. O local escolhido para a compostagem deve ser próximo daquele em que o composto irá ser utilizado. O que pode ser compostado Restos de legumes. cascas de ovos e saquinhos de chá. Por isso. é melhor esperar mais um pouco). verifica se a temperatura está adequada (deve estar à volta de 38ºC) e se ainda é possível visualizar algum material parecido com o lixo que foi depositado (neste caso.

Duche com aquecimento de água. O ideal é que o material seja utilizado assim que recolhido da composteira.Mistura-o com o solo antes de plantar ou aplica-o sobre a superfície do vegetal. Quanto mais rápido. através do composto . mais nutrientes ele terá.

Interesses relacionados