Você está na página 1de 3

Lista de exercı́cios 2 - argumentos e provas

Prof. Ricardo J. Pinheiro


24-09-2008

UniverCidade - Unidade Bonsucesso - Tecnologia em Sistemas de Informação - Lógica Matemática

1 Em cada um dos argumentos abaixo, verifique se há alguma regra


de inferência ou equivalência, e destaque-a:
1. Se Dom Pedro I foi o primeiro imperador do Brasil, então Dom Pedro II foi o segundo. Dom Pedro I foi o
primeiro imperador. Logo, podemos concluir que Dom Pedro II foi o segundo.
2. Se ela é a autora do livro, então o livro é de ficção. O livro não é de ficção. Logo, ela não é a autora.
3. Se o cão escapar, ele perseguirá o gato. Se o gato for pego, eu estarei em apuros. Logo, se o cão escapar, eu
estarei em apuros.

4. O cão tem um pelo macio e gosta de latir. Portanto, o cão gosta de latir.
5. Se a firma falir, todos os seus bens serão confiscados. A firma faliu. Logo, todos os bens tem que ser
confiscados.

2 Em cada um dos argumentos abaixo, faça:


• Destaque as proposições simples que compõem as premissas e as conclusões;
• Construa a expressão lógica com base nas proposições identificadas;

• Verifique qual é a regra de inferência ou equivalência, e escreva-a.

1. Se eu trabalhar com vontade, terminarei a obra da casa. Se eu não ficar enrolando o serviço, trabalharei com
vontade. Eu não terminei a obra da casa. Podemos concluir que fiquei enrolando o serviço.

2. O funcionário usa o mouse com a mão direita, mas, se o arquivo não tiver sido apagado, então ele usa o mouse
com a mão esquerda. O arquivo foi apagado.
3. Se eu comer agrião todos os dias, eu viverei mais do que 90 anos. Eu não como agrião todos os dias.
Lamentavelmente eu não chegarei aos 90 anos.

4. Se as taxas de juros caı́rem, o mercado financeiro vai se aquecer. Ou a taxa SELIC cai, ou o mercado financeiro
vai desaquecer. As taxas de juros vão cair, logo a SELIC vai cair também.
5. Se, ao dirigir o meu carro, eu não ultrapassar os 80 km/h, eu não provocarei acidentes. Eu dirijo meu carro
a 100 km/h. Portanto, eu provocarei acidentes.

6. Se a conta fosse mandada hoje, você seria pago amanhã. Você será pago amanhã.
7. Se fizer tempo bom, dará praia. Se eu levar minha bola de vôlei, Beltrana ficará feliz. Deu praia, mas Beltrana
não ficou feliz. Podemos concluir que eu esqueci a minha bola de vôlei.
8. Se o programa é eficiente, executa rapidamente. Ou o programa é eficiente ou tem algum problema. No
entanto, o programa não executa rapidamente. Logo, ele tem problemas.

1
9. Se Fulano vier, Beltrana virá. Se Sicrana não vier, Beltrana não virá. Podemos concluir que, se Fulano vier,
Sicrana virá.
10. A colheita é boa, mas não há água suficiente. Se Fulana souber poupar seu dinhero, ela ficará rica. Se ela ficar
rica, comprará um carro novo. Ela comprou um carro novo. Logo, podemos concluir que ela soube poupar o
seu dinheiro.

11. Marechal Deodoro da Fonseca proclamou a República. Dom Pedro I proclamou a Independência. Logo,
podemos concluir que todo dia tem 24 horas.
12. Se o anúncio for bom, a as vendas irão aumentar. Ou o anúncio é bom, ou a loja vai fechar. As vendas não
vão aumentar. Logo, a loja vai fechar.

13. Não é verdade que, se as tarifas de energia elétrica subirem, o uso diminuirá, nem é verdade que ou novas
usinas elétricas serão construı́das ou as contas não serão pagas em atraso. Portanto, o uso não vai diminuir e
as contas serão pagas com atraso.
14. Todas as pessoas inteligentes gostam de Matemática. Fulana é uma pessoa. Fulana não gosta de Matemática.
Portanto, ela não é inteligente.

15. Se Sicrano come lagosta, ele ficará feliz. Sicrano come lagosta. Podemos concluir que ele está feliz.

3 Use lógica proposicional para provar que o argumento abaixo é


válido:
Dicas:

• Use o método dedutivo ilustrado abaixo, se for preciso para facilitar a demonstração. Algumas só saem com
o uso desse método:

P1 ∧ P2 ∧ . . . ∧ Pn → (R → S)= P1 ∧ P2 ∧ . . . ∧ Pn ∧ R → S

• Modus ponens (método direto) é a regra de inferência mais intuitiva. Tente usá-la muito.
• Argumentos do tipo: (p ∧ q)0 ou (p ∨ q)0 dificilmente são úteis para uma demonstração. Use as leis De Morgan
são muito úteis nesse momento.
• Argumentos da forma p ∨ q dificilmente são úteis para demonstrações. Uma idéia é usar a dupla negação,
deixando o argumento na forma (p0 )0 ∨ q, e depois usar a regra da condicional, deixando na forma p0 → q, o
que facilita a resolução.

1. (p ∨ q) ∧ q 0 ∧ (p → r) → r
2. [A ∧ (B → C)] → [B → (A ∧ C)]
3. [(p → q 0 ) ∧ (r → p) ∧ q] → r0

4. [A → (B ∨ C)] ∧ B 0 ∧ C 0 → A0
5. [(p ∨ q 0 ) ∧ p0 ∧ (p ∧ r)0 ] → (q → r)
6. A0 ∧ B ∧ [B → (A ∨ C)] → C
7. [(p → (q ∨ r)) ∧ (p0 )0 ∧ r0 ] → q

8. A0 ∧ (B → A) → B 0
9. [(p ∧ q)0 ∧ (q 0 → r) ∧ (p0 → r) ∧ (s → r0 )] → s0
10. (A → B) ∧ [A → (B → C)] → (A → C)

11. (p ∨ q) ∧ p0 → q

2
12. A0 ∧ (A ∨ B) → B
13. [(p ∧ q) → r] → [p → (q → r)]
14. (A ∧ B) → (A → B 0 )0
15. [A → (B → C)] ∧ (A ∨ D0 ) ∧ B → (D → C)

16. (p → q) ∧ (p0 → q) → q
17. (A0 → B 0 ) ∧ B ∧ (A → C) → C
18. (A0 → B 0 ) ∧ (A → C) → (B → C)

19. (A0 → B) ∧ (B → C) ∧ (C → D) → (A0 → D)


20. A0 → (A → B)
21. (A ∨ B) ∧ (A → C) ∧ (B → C) → C