Você está na página 1de 5

A Essência de Deus

Pastor Alcenir Oliveira


5/9/2008
Atlanta

Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o
metal que soa ou como o címbalo que retine. (1Co 13:1)

Tinhorão
Eu tive um colega de trabalho que, como eu, graduou-se em Administração, eu pela
Universidade de Brasília e ele pela AEUDF. Esse meu colega era muito conversador e
orgulhoso de ter um diploma de curso superior. Ele tinha um sem número de idéias e
filosofias retiradas de livros de auto-ajuda e positivismo. Um outro colega pouco
escrupuloso deu lhe o apelido de Doutor Tinhorão. Ele, sem perguntar, achava que certa
forma era uma brincadeira elogiosa. Creio que todos nós sabemos que essa planta é da
família do inhame, porém dos grandes. Certo dia, depois de muito tempo sendo chamado
desse apelido, perguntou de maneira simpática porque seu colega tinha lhe dado esse
apelido. O colega perguntou-lhe se sabia o que era o tinhorão, ao que respondeu
negativamente. Então ele explicou cientificamente que o tinhorão é um tubérculo de folhas
largas com a cabeça plantada no chão. Não se deve explicar piada, mas nesse caso sim, pois
ele, como o tinhorão tinha folhas largas, vistosas, sendo admirado por todos pela exposição
de si como graduado e cheio do saber. Entretanto, como o tinhorão, sua cabeça estava fora
da realidade, plantada no chão.

Os dons espirituais se anulam se não forem regados de amor

É este teor que Paulo quer transmitir quando diz que, mesmo que eu seja o maior
poliglota do mundo, fale todas as línguas dos homens e até as dos anjos, se não tiver amor,
serei como o metal ou bronze que faz uma barulheira tremenda quando se bate nele com um
macete, ou como o címbalo quando é tocado. Embora todos ouçam, quando o som acaba
nada resta, não acrescenta nada a ninguém. É zero.
Paulo, ao fazer poeticamente essa alegoria do amor, está na realidade interpretando
para a prática os ensinos de Jesus Cristo com relação à Lei, quando diz “conhece e praticas
os mandamentos?” (Mc 10:17-22)
Ele manda ir e praticar o amor. O jovem rico acreditava que a prática da lei
pela vida toda tinha lhe dado crédito no céu e portanto o passaporte para o paraízo. O
crédito dele estava inflacionado, pois não tinha amor, compaixão pelos que sofrem.
Sua caderneta de poupança espiritual era como os títulos podres do setor
imobiliário americano nesta época de crise do setor financeiro. Não valia nada.

Folhas largas como o tinhorão


Muitas vezes nós temos folhas largas, ou seja, muitas práticas e valores sem
utilidadade, mas o nosso amor, como a cabeça do tinhorão, está plantada na terra
Nosso bronze e nosso címbalo muitas vezes fazem sons vibrantes e
maravilhosos que se acabam quando as ondas sonoras se vão, não restando nada. Na
realidade, o som do nosso amor mais parece o som de uma moeda caindo ao chão, poucos
ouvem.
Jesus Cristo pede que invertamos os valores, que as folhas largas e viçosas do
tinhorão, os sons estremecedores do bronze e do címbalo representem a intensidade do
nosso amor uns pelos outros, assim cumprindo o seu mandamento em João 15 ... “que vos
ameis uns aos outros”, pois o maior de todos os mandamentos é o amor (Mt 22:37-40).

O QUE REALMENTE É AMOR

Para entendermos o propósito de Paulo no texto básico e porque João


Alexandre chama o amor de a essência de Deus, é necessário refletirmos um pouco sobre
amor.
Não esperem que eu venha com significados da palavras gregas, ou
mesmo hebráicas para amor, já se falou tanto sobre essas palavras e nunca nos satisfizeram
com as explicações. Nos faz mais intelectuais: ágape, storgê, filía, eros. Não. Eu quero
buscar aqui um entendimento da essência do amor.
Qual é a essência do amor? Aquele amor de que é a espinha dorsal das
escrituras e que Jesus Cristo no final diz que é o resumo da lei. Um novo mandamento.
Esse amor de que Paulo trata aqui não parece ter relação com qualquer outro
conceito. É um amor a que não se compara a qualquer atitude ética, de ação social, de
movimento filantrópico; a esse amor não se compara qualquer ato de caridade ou de
espiritualidade. Que amor esse?

O ser humano foi criado com a capacidade de perceber a realidade de


forma muito superior à dos animais. Porque além da capacidade interagir com os nossos
sentidos, podemos verbalizar a realidade identificando as coisas através da linguagem.
Portanto, além de sentir o mundo, podemos internalizar o que
apreendemos, processar a realidade com o nosso cérebro e dar uma resposta a ela. Nós
sempre reagimos de alguma forma quando nossos sentidos identificam alguma coisa.
- para o frio procuramos agasalho,
- um cheiro bom nos atrai,
- uma coisa bonita nos alegra os olhos,
- uma coisa perigosa nos alerta para a defesa e assim por diante.
Isso nos leva uma outra característica nossa que é muito mais complexa do
que os demais animais – os nossos sentimentos e emoções.
Nós somos seres emocionais. “Dizem que os nossos sentimentos são reações
mais particulares, mais íntimas, só prá nós. Da mesma forma, dizem que as emoções são
mais públicas, externas”.
Por exemplo, o amor romântico é só nosso, escondido, meio confidencial,
até que ele se torna em emoção e o coração explode – as mulheres e os homens se dividem
com relação a isto. Os homens sabem o que é, como é, mas às vezes fica só para ele; se não
se concretizar, ninguém nunca vai saber. As mulheres são mais óbvias – pelo menos duas
ou três vão ficar sabendo – e vem a público muito mais rápido.
São reações causadas no nosso sistema nervoso, através da relação de
nossos sentidos com objetos, pessoas ou fatos. Assim, alguma coisa pode nos gerar um
sentimento de tristeza ou alegria. Mas dependendo da intensidade do significado daquilo
para nós, vamos chorar, gritar, rir, desmaiar – é a emoção – é como a folha do tinhorão, ou
o som do címbalo e do bronze.
É a riqueza dos nossos sentimentos e emoções que torna as pessoas
dotadas de compaixão, misericordiosos ...
“Ter compaixão significa colocar-se incondicionalmente ao lado do outro, sem
qualquer tipo de julgamento quanto à situação que ele está vivenciando, sem nenhum outro
sentimento que não seja o de propiciar alívio à situação na qual aquele ser se encontra”.
O salmista diz que Deus é misericordioso, compassivo; que a misericórdia de Deus
se renova a cada manhã, e a sua misericórdia dura para sempre.
Os milagres de Jesus Cristo eram sempre movidos por compaixão,
ou seja, a demonstração de amor movido por uma reação de tristeza pelo sofrimento da
pessoa, de tal magnitude que o leva a fazer alguma coisa. Como diz a definição, Jesus
Cristo agia, não julgava, e propiciava alívio do sofrimento pelo qual estava passando.
Jesus se compadece movido pela compaixão dos amigos do paralítico que
o passa pelo telhado.
No pacto que Deus faz com Israel, os mandamentos que têm mais força são: amar a
Deus e depois ao próximo. Paulo mais tarde diz que é o resumo da lei.
A Bíblia estabelece a maneira concreta de praticar este amor:
1) amparo ao pobres (Lev 19:9-10)
2) honestidade na medida e interação social (v. 11)
3) pagamentos justo e correto dos trabalhadores
4) Justiça nos tribunais não favorecendo ricos ou pobres
5) Repeito pelos idosos (vv 13, 15, 32)

Paulo quando lida com os Gálatas os incentiva a ser “servos uns dos outros através
do amor (agape) porque toda a lei se cumpre em uma única palavra: amar ao próximo
como a ti mesmo. (Gal 5:13-14)

Jesus Cristo estabelece um mandamento transformador: “Eu lhes dou este novo
mandamento: amem uns aos outros. Assim como eu os amei, amem também uns aos outros.
Se tiverem amor uns pelos outros, todos saberão que vocês são meus seguidores”. Jo
13:34,35.
O crente, ou Cristão, que quer dizer pequeno Cristo, reflete a imagem e
caráter de Cristo que é a “essência do amor” a “essência de Deus”. O amor não é
um estilo de vida opcional, é um estilo de vida natural.
Aquele que é transformado pelo poder do Espírito Santo, tem traços
da essência de Deus que é o amor. Você não escolhe se vai amar ou não. Se você é um
crente, isto vai erradiar naturalmente.
Mas ainda estamos na nossa condição original, esse amor ainda é
imperfeito. A compaixão está em nós, o sofrimento ou privação alheios nos incomoda, mas
muitas vezes não temos amor suficiente.
Por Isso Jesus disse que isto é um mandamento, um guia - “assim como eu vos
amei”. Jesus é o nosso modelo. Entretanto, eu não consigo amar do jeito que Jesus amou,
porque Ele é perfeito. Por isso que precisamos de Jesus em nossa vida. Somente Ele pode
amar através de nós. Nós não podemos fazer isso por nós mesmos.
Nós só podemos expressar a “Essência de Deus” em nossas vidas através do poder
de Deus nós. Só Jesus Cristo é assim e só Ele pode fazer isto em nós.
Rick Warren dia “Amor é a coisa principal da vida. A coisa principal da vida é
praticar a coisa principal, que é o amor. Vida menos amor é igual a zero”.
A gente costuma ver muitos símbolos de Cristão por aí: um peixe nos
parachoques, uma cruz ou crucifixo. Mas a marca do Cristão é o amor. Ele diz “Se tiverem
amor pelos outros, todos saberão que vocês são meus seguidores”.
Quantas pessoas sabem que você é cristão por causa do seu jeito de
amar?
É essa atitude que levou Francisco de Assis a dizer “pregue o
evangelho sempre. Quando for necessário use palavras”, isto é, se o amor, a compaixão
a “essência de Deus”, se sua atitude convertida em atos não foi suficiente para convencer
sobre Cristo, então use palavras.

Paulo em Romanos 12:9-21 começa dizendo “O amor seja não


fingido” e termina dizendo “Antes, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver
sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça.
21 Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem”.
O amor essência de Deus é o amor sem barreiras, sem
discriminação, sem raças ... é o amor por todos os homens. Em João 3:16 ele diz
“porque Deus amou o mundo de tal maneira ...
O amor essência de Deus é o maior mandamento, muito bem
interpretado por João Alexandre assim:
O mundo há de passar e toda profecia
Os dons, as línguas e tudo mais que existir
Porém como Aquele que foi, hoje é
E pra sempre há de ser
O amor é a essência de Deus
E pra sempre também vai viver
Bondoso e sem rancor, fiel e consciente
Humilde e sofredor, espera tão somente
Justo e verdadeiro, tudo suporta e tudo crê
Tão puro e perfeito é o amor
Não busca interesse ou favor
Mistério, expressão, vida e luz do Senhor

Se eu pudesse saber destinos ou futuros


Fazer mover as montanhas com a minha fé
Se eu pudesse falar qualquer língua
Em qualquer lugar
E desse os meus bens ao mais pobre
Ou morresse em favor de alguém

Se não tivesse amor, de nada valeria


Se não tivesse amor, proveito algum teria
Fria e sem razão, a vida então passaria
Vazio seria ao falar
Um sino que insiste a tocar
Se dentro de mim não valesse o amor

Que a essência do amor esteja presente em sua vida!