Você está na página 1de 2

PSICOLOGIA ANALITICA 10 de Fevereiro de 2009

O Aparelho
Psiquico
Todos nós possuímos um aparelho psiquico ou psi-
que. Dentro da psique (essência) há potênciais
(aquilo que pode ser realizado) que são afetados ou
influênciados por outros psiques. A essência não
muda, não é hemogêneo. Dentro de nós, a três ins-
Quadro sobre as inconstâncias das forças da Psique

C C
tâncias que chamamos de:

lComplementares
lCompensatórias onsciência onsciênte
lConflitos

Podemos imaginar como um computador que vem


de fábrica com diversos softwares (potencialidades)
e que pode acontecer de nunca precisarmos usar ou
até mesmo desconhecer sua utilidade no HD.
I nconsciência P essoal

Consciência = EGO u
Estrutura da Psique Conciênte Pessoal = COMPLEXO v
Consciênte Coletivo = ARQUÉTIPOS w
Consciência Coletiva ( exterior) - Coisas que eu sei
ou tenho conhecimento. Várias pessoas comparti- w “ Arquivo na memória” - Estarão todos os conhe-
lham, seja ela cultura, moral, valores que as pessoas cimentos que eu sei sobre mim. As relações pessoais,
nascem aprendendo. o conteúdo aprendido . Exemplo: estudei e agora faço
a prova, lembro do que estudei.
Convensão = Todos nós temos sabemos e compar- Ninguém esqueçe quem somos. Porém não estão
tilhamos. Exemplo: paramos o carro por causa do fixo nas nossa memória (eternamente) pode ser es-
sinal vermelho. quecido, ou seja, guardado em nosso inconsciênte até
o dia que voltamos a lembra-lo. Aí se torna consciên-
Necessidade de grupo social e cultural ( espaço e te novamente.
tempo influência potencialmente no indivíduo, dan-
do razão para sua vida) vai influênciar no tanto de v É biográfico - só começo a constituir a partir do
potênciais para este indivíduo. momento que tenho um ego. “ Construo ao longo da
vida”, exemplo: para se tornar o que sou hoje, tive
Vamos morrer dentro deste sistema simbólico, porém que descartar de certas potencialidades que não usei.
ele ficará lá. É imutável, pois não depende de nós “Sou produto das potencialidades que busquei ao
que acontece uma mudança significativa. longo da vida ( as coisas coexistem em nós). Não sou
um ser humano inteiramente bom, assim como não
Na teoria de Carl Jung, não existe o pré-inconsciên- sou inteiramente mau - não correspondo a tudo que
te. É no inconsciênte que havera 3 bases importân- sou ( até o que eu me nego)”. Exemplo: “fiquei fora
tes na teoria de Jung: de mim” - Você é consciênte por seus atos (Jung).
PSICOLOGIA ANALITICA 10 de Fevereiro de 2009

É aquele que você não quer aceitar.

A Fronteira entre Consciênte e o Consciênte Pessoal,


“brigam” para ocupar o espaço de cada um. Duas
forças, a conciência manifesta ás potencialidades
que eu quero ter. O pessoal quer manifestar outras
potencialidades irrelevantes no momento, mas não
tem forças para assumir.

O Rebaixamento da nossa inconsciência (dormir,


relaxamentos, drogas, alcóol, meditações) pode vir
a tona as potencialidades que estão reprimidos no
nosso inconsciênte e que não usamos no consciênte. plo: sonhar correndo em camêra lenta.
Exemplo: Tímido que bebe em demasia, fica um
~
galanteador compulsivo ou um sonho na qual o fun-
cionário xinga o patrão que na vida real o maltrata
A Grande Contribuiçao
no serviço. de Carl Gustav Jung
Consciência (EGO) Inconsciênte coletivo - não sabe sobre ele e todos nós
o temos (nascemos com um). O que nos faz e torna
------------------- (entre essa linha, há o rebaixamento) humanos é o Inconsciênte coletivo.

Consciência Pessoal ( COMPLEXO) O homem não nasce vazio, nasce com potencialida-
des herdadas por nossos antepassados. Nascemos
O Rebaixamento está inserido na cultura e na rela- iguais, mas ninguém nasce como uma animal ( Evo-
ção pessoal (pai e mãe) de cada um de nós. Por isso lução das espécies - Darwin). Exemplo: o bebê em
somos diferentes, indivíduos ímpares, únicos. dado momento, procura ficar de pé, quer vocalizar
para dar início a fala, logo desenvolver a linguagem.
O consciênte pessoal - algumas coisas existem no Nós herdamos estes potenciais, também herdamos
meu inconsciênte que não tem força de aparecer no comportamentos fundamentais do ser humano.
meu EGO, exemplo: Um mal estar que não se sabe a Exemplo: início da humanidade, o homem anda
causa, pode ser física ou mental ( está na percepção em grupo, não necessariamente criando um vínculo
pessoal - percepção que não tem força). Outro exem- inicialmente. Todos nós temos potencialidades para
plo: Comenta sobre uma cidade que visitou com criar vínculos. Exemplo: o bebê que sorri para a mãe,
detalhes, mas não lembra qual é o nome da cidade. A querendo assim ganhar vínculo maternal.
famoosa perda de memória.
Como vou me víncular? De forma emocional ( no
Seleciona o que queremos usar (EGO), também geral) - pode mudar dependendo da cultura exposta.
seleciona o que queremos esquecer (TRAUMAS). Como vou preencher o conteúdo? - Claro pelas
As potencialidades que não usei estão lá. Reflexos minhas vivências culturais. Pelas formas repetitivas
em imposição ao EGO, tem carga suficiênte para ao longo do tempo, isso damos o nome de ARQUÉ-
substituir o EGO, sendo este, ter contato com o TIPOS.
COMPLEXO, pois é ele que se é interpretado por
simbólos (SONHOS) que dá ao EGO as realizações O desenvolvimento da humanidade repetidos incon-
(POTENCIAL). távies vezes entre as gerações ( potencias herdadas)
significam ARQUÉTIPOS.
Complexo - não tem tempo e espaço (sonho), exem-