Você está na página 1de 22

Misturas gás-vapor e condicionamento do ar

• A análise anterior ficou muito simplificada dado não se ter considerado a possibilidade de um dos gases condensar durante um dado processo

• No entanto, para misturas gás-vapor, o vapor pode condensar durante o processo mistura de duas fases análise mais complexa

• Em engenharia tratam-se várias misturas gás-vapor …

• … aqui vamos estudar a mistura ar-vapor de água, que é a mais comum na prática, e analisaremos a sua principal aplicação: o condicionamento do ar

Ar seco e ar atmosférico

• O ar é uma mistura de N 2 , O 2 e outros gases em pequenas quantidades; o ar da atmosfera (ar atmosférico) contém normalmente vapor de água (ou humidade)

• O ar que não contém vapor de água é designado por ar seco

• Frequentemente, é conveniente tratar o ar como uma mistura de vapor de água e de ar seco, uma vez que a composição do ar seco se mantém aproximadamente constante, variando a quantidade de vapor de água como resultado da condensação e da evaporação dos oceanos, lagos, rios, etc …

• Apesar da quantidade de vapor de água presente no ar ser pequena, ela desempenha um papel

importante para o conforto do corpo humano, sendo um elemento importante em aplicações de ar

condicionado

• Em aplicações de ar condicionado, a temperatura do ar

varia desde -10 ate 50 ºC. Nesta gama, o ar seco pode ser tratado como um gás ideal com um valor de c p = 1,005 kJ/(kg K)

-10 ate 50 ºC. Nesta gama, o ar seco pode ser tratado como um gás ideal

Ar seco e ar atmosférico

• Além do ar seco, seria conveniente tratar o vapor de água presente no ar também como um gás perfeito

• … felizmente, podemos usufruir dessa simplificação sem grande erro (a 50 ºC, a pressão de saturação da água é 12,3 kPa para pressões abaixo deste valor, o vapor de água pode ser tratado como um gás perfeito com um erro inferior a 0,2%, mesmo quando está no estado de vapor saturado)

• Assim, o ar atmosférico pode ser tratado como uma mistura de gases perfeitos, cuja pressão, P, é:

P = P

ar sec o

+

P

vapor de água

Nota: pressão parcial do vapor de água = pressão de vapor

• Sendo tratado como gás perfeito, h = h (T)

vapor • Sendo tratado como gás perfeito, h = h ( T ) Abaixo de 50

Abaixo de 50 ºC, as linhas da entalpia constante coincidem com as linhas de temperatura constante

assim h vapor de água no ar (T) = h vapor saturado (T)

de temperatura constante → a s s i m h vapor de água no ar (

Ar seco e ar atmosférico

• Na gama de temperaturas -10 a 50 ºC, a entalpia do vapor de água pode ser determinada aproximadamente através de:

h vapor de água

(T )

(T em º C)

= 2501,3 + 1,82T
=
2501,3
+
1,82T

Humidade absoluta e humidade relativa do ar

• A quantidade de vapor de água no ar pode ser expressa de vários modos

Humidade absoluta (ou específica):

m

ω vapor de água

=

(kg vapor de água/kg ar seco)

 

m

ar sec o

m

ω vapor de água

=

=

(

PV / R T

v

v

)

=

P

v

/ R

v

= 0 662

P

v

m

ar sec o

P V /

a

(

R T

a

)

P

a

/ R

a

,

P

a

ω =

P

P

v

(kg vapor de água/kg ar seco)

0 622

,

P

v

P é a pressão total

Ar seco ωωωω ==== 0000

ωωωω aumenta à medida que se adiciona humidade até ao ponto em que o ar não suporta mais humidade ar saturado

A partir daqui qualquer humidade adicional introduzida condensar-se-à

o ar não suporta mais humidade → ar saturado A partir daqui qualquer humidade adicional introduzida

Humidade absoluta e humidade relativa do ar

• A quantidade de humidade no ar tem um efeito notório ao nível do conforto que sentimos num dado ambiente

• Contudo, o grau de conforto depende mais da quantidade de humidade (m v ) no ar relativamente à quantidade máxima de humidade que o ar pode suportar à mesma temperatura (m g )

Humidade relativa:

 

m

(

PV / R T

)

)

P

v

=

P

g

φ =

 

v

=

v

P V /

g

v

(

R T

g

m

g

em que P g = P sat@T

• Combinando esta equação com a última do acetato anterior:

φ

=

 

e ω

=

 

(

 

ω )

 

0 622 +

,

P g

P

φ P

g

ω P

0 , 622

φ P

g

• A humidade relativa varia desde 0, para ar seco, até 1, para ar saturado. Note que a quantidade de humidade que o ar pode suportar depende da temperatura …

• … logo, a humidade relativa altera-se com a temperatura, mesmo quando a sua humidade absoluta permanece constante

Humidade absoluta e humidade relativa do ar

ω =

m vapor de água

m ar sec o

(kg vapor de água/kg ar seco)

m φ = v m g
m
φ =
v
m
g
e humidade relativa do ar ω = m vapor de água m ar sec o (kg

Humidade absoluta e humidade relativa do ar

• Na maioria das aplicações práticas, a quantidade ar seco na mistura ar-vapor de água permanece constante, variando a quantidade de vapor de água …

• … assim, a entalpia do ar atmosférico é expressa por unidade de massa de ar seco (em vez de unidade de massa de mistura ar-vapor de água)

H

m

m

a m

a

H =

H

a +

H

v

=

m h

a

a

+

m h

v

v

/ m

→

a

H = H a + H v = m h a a + m h v
H = H a + H v = m h a a + m h v

h

=

=

h

a +

v

h

v

=

h

a

+ ω

h

v

• ou, dado que h v h g :

h = h

a

+ ω h

g

(kJ/kg ar seco)

≈ h g : h = h a + ω h g (kJ/kg ar seco) •

• Note-se que a temperatura do ar atmosférico é frequentemente referida como temperatura de termómetro seco

seco) • Note-se que a temperatura do ar atmosférico é frequentemente referida como temperatura de termómetro

Temperatura de orvalho

• A temperatura de orvalho, T orv temperatura à qual a condensação se inicia quando o ar é arrefecido a pressão constante

• … por outras palavras, T orv é a temperatura de saturação da água correspondente à pressão de vapor

T

orv

= T

sat

Θ P

v

à pressão de vapor T orv = T sat Θ P v Formação de gotas (orvalho)
à pressão de vapor T orv = T sat Θ P v Formação de gotas (orvalho)

Formação de gotas (orvalho) à superfície de uma lata fria indica que a sua temperatura é inferior à temperatura de orvalho do ar circundante

• A T orv do ar ambiente pode ser facilmente determinada arrefecendo progressivamente água dentro de um copo metálico, por adição de pequenas quantidades de gelo, e agitando a temperatura da face externa do copo, quando começa a formar-se orvalho, é a T orv do ar

Temperatura de saturação adiabática e temperatura de termómetro húmido

• Uma vez que ω e φ são quantidades frequentemente utilizadas em engenharia (e ciências da atmosfera)

é desejável relacioná-las com grandezas facilmente mensuráveis, tais como a temperatura e a pressão

• Um modo simples de calcular φ é determinar T orv , que nos permite conhecer P v , e, assim, calcular φ … mas este é um método pouco prático

• Outro método de determinar ω e φ recorre a um processo de saturação adiabática

ω e φ recorre a um processo de saturação adiabática  ω = ? 1 
ω e φ recorre a um processo de saturação adiabática  ω = ? 1 
 ω = ? 1   T < T 2 1   Se
ω
= ?
1
  T
< T
2
1
  Se o tubo for suficientemente longo
φ
=
100 %
2

Tubo longo e isolado

Temperatura de saturação adiabática e temperatura de termómetro húmido

Análise

Balanço de massa:

m&

m&

ω m&

1

a

1

v1

= m&

a

+ m&

f

+ m&

a

f

2

= m&

a

= m&

v2

= ω m&

2

a

logo:

m&

f

=

(

ω

2

ω

1

)

m&

a

m & 2 a logo: m & f = ( ω 2 − ω 1 )

Balanço de energia:

&

m

a

m& h

i

i

1

h

1

+

=

&

m

f

h

f

m& h

e

e

2

=

&

m

a

2

h

2

m h

&

a

1

+

&

m

a

(

ω ω

2

1

)

h

1

(

+ ω

2

ω

1

(

c T

p

1

+ω

1

h

v1

)

h

f

2

=

)

(

+ ω

2

h

f

2

=

h

2

ω

1

)

m h

&

a

2

h

f 2

=

= ) ( + ω 2 h f 2 = h 2 − ω 1 )

(

c T

p

2

+ω

2

h

v2

)

c

p

(

T

T

1

)

+

ω

2

h

v

2

 

v

1

h

f

2

ω 2

=

1 h

  v 1 − h f 2 ω 2 = 1 h ω 2 = 2

ω

2

=

2

2

0 622

,

2

P

P

g

P

g

2

… porque φφφφ 2 = 100%

Temperatura de saturação adiabática e temperatura de termómetro húmido

• O processo de saturação adiabática permite determinar ω e φ do ar, mas exige um tubo longo (ou um dispositivo com um spray para atingir as condições de saturação à saída do tubo)

• Um procedimento mais prático consiste em utilizar um termómetro cujo bolbo está coberto com um pedaço de gaze saturado de água e sujeito a uma corrente de ar

A temperatura medida desta maneira é designada por temperatura de termómetro húmido e é frequentemente
A temperatura medida desta maneira é designada
por temperatura de termómetro húmido e é
frequentemente utilizada em aplicações de ar
condicionado
O princípio básico subjacente é semelhante ao de
saturação adiabática
→ passagem de ar não saturado pela gaze origina a
evaporação de alguma água …
→ … a temperatura da água diminui …
→ … passado algum tempo, o calor perdido pela água
por evaporação iguala o calor ganho pelo ar e a
temperatura da água estabiliza…
→ temperatura lida neste ponto é a temperatura de
termómetro húmido
pelo ar e a temperatura da água estabiliza… → temperatura lida neste ponto é a temperatura

Temperatura de saturação adiabática e temperatura de termómetro húmido

• Avanços na electrónica tornaram possível medir a humidade directamente, de um modo rápido e viável

• … de forma que os termómetros de gaze húmida vão tornar-se objectos do passado

• Actualmente, aparelhos de medição electrónicos são capazes de medir a humidade relativa com erros inferiores a 1%, dando o resultado num visor digital em poucos segundos

capazes de medir a humidade relativa com erros inferiores a 1%, dando o resultado num visor
capazes de medir a humidade relativa com erros inferiores a 1%, dando o resultado num visor
capazes de medir a humidade relativa com erros inferiores a 1%, dando o resultado num visor

Exemplos de aplicação

• É possível obter ar saturado a partir de ar não saturado sem se incorporar humidade? Explique.

• A humidade relativa do ar saturado é necessariamente 100%?

• Como compara a entalpia do vapor de água a 20 ºC e 2 kPa com a entalpia do vapor de água a 20 ºC e 0,5 kPa?

• Como varia (a) a humidade absoluta e (b) a humidade relativa do ar contido numa sala estanque à medida que é aquecido?

• O ar de uma sala encontra-se a 20 ºC, 98 kPa e à humidade relativa de 85%. Determine:

a pressão parcial do ar seco,

a humidade absoluta do ar,

a entalpia por unidade de massa de ar seco.

Exemplos de aplicação

• Quando é que as temperaturas de termómetro seco e de termómetro húmido são idênticas?

• O ar de uma casa está a 25 ºC e 65% de humidade relativa. Ocorrerá condensação na superfície interior dos vidros das janelas quando a temperatura destas desce para 10 ºC?

• O ar de uma sala apresenta temperaturas de termómetro seco e de termómetro húmido de 22 e 16 ºC, respectivamente. Considerando uma pressão de 100 kPa, determine:

a humidade absoluta,

a humidade relativa,

a temperatura de orvalho.

Carta psicrométrica

• O estado do ar atmosférico a uma dada pressão fica completamente especificado através de duas

propriedades intensivas independentes; as restantes propriedades podem ser calculadas recorrendo

às expressões vistas anteriormente

O projecto de um aparelho de ar condicionado vulgar exige inúmeros desses cálculos …

• … sendo conveniente efectuar esses cálculos

apenas uma vez e apresentar os resultados na forma de gráficos – as cartas psicrométricas

os resultados na forma de gráficos – as cartas psicrométricas Carta psicrométrica para a pressão de

Carta psicrométrica para a pressão de 1 atm

Carta psicrométrica

Características básicas

Carta psicrométrica Características básicas Algumas cartas representam a pressão no eixo vertical, uma vez que a

Algumas cartas representam a pressão no eixo vertical, uma vez que a uma dada pressão total fixa, existe uma relação unívoca entre ω e P v

Volume específico m 3 /kg ar seco Entalpia kJ/kg ar seco

Linhas de entalpia constante são quase paralelas às linhas de temperatura de termómetro húmido constante por isso, em alguns gráficos, as linhas de temperatura de termómetro húmido constante são usadas como linhas de entalpia constante

Carta psicrométrica

Características básicas

• Para ar saturado, as temperaturas de termómetro seco, termómetro húmido e de orvalho são coincidentes

• Por conseguinte, a temperatura de orvalho do ar

atmosférico em qualquer ponto da carta pode ser determinada traçando uma linha horizontal (ω = constante ou P v = constante) desde o ponto até à curva de saturação a temperatura no ponto de intersecção é a temperatura de orvalho

• A carta psicrométrica é também muito útil para visualizar os processos de ar condicionado

temperatura de orvalho • A carta psicrométrica é também muito útil para visualizar os processos de

Carta psicrométrica

Carta psicrométrica

Carta psicrométrica

Carta psicrométrica

Relative Humidity φφφφ

Relative Humidity φφφφ Humidity Ratio ωωωω ASHRAE “Comfort Zone” HUMID HOT COLD DRY Dry Bulb Temp.
Humidity Ratio ωωωω ASHRAE “Comfort Zone” HUMID HOT COLD DRY Dry Bulb Temp.
Humidity Ratio
ωωωω
ASHRAE “Comfort Zone”
HUMID
HOT
COLD
DRY
Dry Bulb Temp.

Carta psicrométrica

Utilização da carta psicrométrica

Uma sala que contém ar a 1 atm, 35 ºC e 40% de humidade relativa. Utilizando a carta psicrométrica, determine:

a) a humidade absoluta

ω =

0 0142 kg H O/kg ar seco

,

2

b) a entalpia (em kJ/kg ar seco)

h = 71,5 kJ/kg ar seco

c) a temperatura de termómetro húmido

T wb

= 24 º C

d) a temperatura de orvalho

T orv =

19,4 º C

e) o volume específico do ar (em m 3 /kg ar seco)

v =

3

0 893 m /kg ar seco

,

T orv = 19 , 4 º C e) o volume específico do ar (em m