Você está na página 1de 35

SOB O SIGNO DA DANCETERIA

De Plínio Marcos
(Cenário: Um pequeno apartamento que está sendo pintado. Vêem-se escada, latas de tinta, pincel, rolo de pintor e outros apetrechos de serviço. O chão junto a parede está forrado de jornal. Há também num dos cantos algumas garrafas vazias e uma cheia, roupas sujas e um chapéu feito de saco de papel. Ao abrir o pano, vão entrando Zé das Tintas e Luis) Música alta de danceteria

Zé das Tintas - É aqui ó! Luis - Isso aqui? Zé - Não tá bom? Luis - E a cama? Zé – Não tem. Luis – Não tem? Zé – Se tivesse is sujar de tinta. Luis – Porra, mas não tem cama? Zé – Pois é, não tem. Luis – Isso você já falou. Zé – Tem Jornal. A gente se estica no jornal. Luis – Que sujeira! Zé – Não esquenta Luis. Pra trepar qualquer lugar serve. Basta não ter ninguém enchendo. Pra mim aqui tá legal.
1

Luis – Pode estar pra você. Pra mim não. Não tem cama e tem esse puta cheiro de tinta que me enjoa o estômago. Zé – Porra! Você se invoca com tudo. É todo cheio de luxo. Pra dar uma trepadinha precisa de cama. Cheiro de tinta enjoa...Qual é? Tudo te grila. Luis – Não é luxo. Gosto de conforto, tá? Trepar em cama é legal. No chão duro é uma escrotidão. E tem mais, cheiro de tinta me enjoa mesmo. Zé – Pra mim não. Luis – Claro você tá acostumado. Olha, Zé das Tintas, você falou que o apê era joinha. Senão não tinha trato. Zé – O que tem é esse. Luis – Bela merda! Zé – Melhor do que nenhum. (Começa a tirar a roupa) Luis – Que é que você tá fazendo? Zé – Tirando a roupa não tá vendo? Luis – Pra que? Zé – Ora, pra que? Pra por a roupa suja. Você não vai querer que eu pinte a parede com a roupa nova, né? (Zé das Tintas fica só de calção de jogador, depois começa a vestir roupa de pintor) Luis – Era só o que faltava! Você vai pintar essa merda agora? Zé – Claro porra! Senão amanhã o meu chefe chega aqui não vê nada feito, vai me ralar. Aí o que eu digo? Que passei o dia aqui trepando? Sabe o que ele me faz? Come o meu rabo! PAUSA

2

(Luis anda de um lado pra outro chateado) Zé – (Já vestido com o chapéu de pintor na cabeça) Não se chateia Luisinho. O que conta é que a gente aqui vai ficar a vontade. No sossego. E tem mais: esse prédio inteiro é só apartamentinho pra trepar. O dono desse aqui tem grana paca. Quer esse aqui no capricho só pra trazer o mulherio. Sabe como é tem grana, tá cheio de mulher. Luis – Tá cheio de mulher, mas não tem cama. Zé - Mas é claro que vai ter cama! Você queria que ele botasse a cama aqui pra sujar de tinta? O cara não é otário não! Luis - Você deveria esperar ele trazer a cama dele, pra depois a gente usar essa merda. Zé - Porra Luis! Você às vezes parece otário! Depois que eu pintar essa merda, não entro mais aqui. Se fizer serviço cagado, não me deixam passar nem na porta do prédio. E vê se não fica secando o mocó. Pra gente dar uma trepada tá legal. PAUSA (Luis continua invocado, com a boca faz ruído de desagrado) Zé – Agora o que é? Luis – Essa merda. Zé – Que merda? Luis – É pequeno. Zé – O quê que é pequeno? Luis – O apê. Zé – E daí? Luis – E daí?

3

Luis – Mas como “deixa chiar” ? Zé – Entrando aqui dentro chiam mais vão ter que arriar as calcinhas. sei lá! Qualquer canto tá bom. e daí? Você não precisa ficar rolando de um lado pro outro. eu no outro? Zé – É! Luis – Assim não vai dar. Luis – Não é isso. Cada um trata de si. Luis – E as mina! Zé – (Suspira aliviado) Porra até que enfim você falou nelas. ferro nelas! Comigo não vai ter mas-mas. ali. Luis – Nós vamos ficar de olhos fechados? Zé – De olhos fechados não. Luis – Onde você vai ficar? Zé – Aqui. Claro que não vou ficar rolando pra lá e pra cá? Zé – Então explica de uma vez o grilo. E aí. Luis – Você num canto. Desempenho com chiado ou sem chiado. Já tava cabreiro. Do principal você não falava. Zé – Um não olha pro que o outro tá fazendo. Luis – Vão chiar. pq eu gosto de ver o que eu estou fazendo. Onde quiser. 4 . As mulher vão entrar na nossa.Zé – É. Luis – E eu? Zé – Por aí. Zé – Deixa chiar.

nem em comer. dei um trato na mina. aí eu falei com ela pra vir aqui. psiu psiu. Elas tem que ser comidas na manha. Zé – O peitinho dela era durinho? Luis – Claro! É gatinha nova. Ou você acha que eu ia me ligar num dragão? Ó. Eu fui numa danceteria e conheci a gatinha que to afim de transar. Zé – Ai meu catiço! E se a amiga se invocar comigo.Senão elas se invocam e não vão querer dar. lembra? Você disse que tinha um apê da hora.Luis – Porra. Então eu assim como quem não quer nada dei um alô. deixei ela doidinha Zé. ela estranhou o papo. Elas não falaram nada. falei contigo. com romance. tal tal. não for com a minha cara? Não quiser dar pra mim? 5 . Luis – Tá certo eu explico. Zé – Aí. Luis – Elas não falaram que iam dar. É papo. falei pra adiantar seu lado. Aí levamos um papo e eu falei pra ela marcar um aponto comigo. não sei mas o quê? Luis – Não é nada disso. vamos conversar. Moral: ela se fiou em mim. Não são nenhuma biscatinha escrota. Leva uma amiga sua. Dei uns beijos. Ninguém falou em dar. meu catiço! Eu não vou prometer casamento pra piranha nenhuma! Luis – Não tem que prometer nada. Se liga Zé. Falou que tava certo que vinha com a amiga. Zé – Você não falou romance. Zé das Tintas vê se te manca. conversa mole. Zé – Como não vão querer dar? Elas não falaram que iam dar? Então vão ter que dar! Pra papo não precisa trazer aqui. paparico. Tudo bem. se liga! Aí. Entende? Zé – Não entendo. Zé das Tintas! As minas são gente fina.

Com essas nem sonho. PAUSA (Zé começa a pintar a parede e logo pára. Você não é o Zé das Tintas? Canta ela. Vou na mais mixuruca. Luis – Uma vez por mês? Zé – É a vida anda custando os olhos da cara. É só receber o salário que vou visitar o mulherio. Zé – É mas até agora só me dei mal. das boas mesmo. se você vai com esse chapéu e essa roupa é ruim hein? Zé – Quando estiver na hora delas chegar. Zé? Que difícil? Não tem mulher difícil.Luis – Você canta ela. PAUSA Zé – Acho que não sei cantar mulher. Luis – Que difícil. Só que vale a pena. Cantando direitinho qualquer uma dá. Ou você não sabe cantar mulher? Zé – Mas ele pode ser difícil. Vira-se para Luis) 6 . Tem mulher mal cantada. Luis – Não vai me dizer que você nunca trepou na tua vida?! Zé – Trepo todo mês. quer uma grana sonora. eu mudo de roupa. assim mesmo dói nos bolsos. Luis.(Luis ri) Luis – Bom. E o mulherio não quer saber. O hotel tá cobrando uma nota. Luis – Então não tem erro. Uma mulher das boas. Que é? Tá pensando o quê? Sou é trepador. Nenhuma que eu cantei deu pra mim.

eu não. Sabe. Você também conhece ele. Se falou que vem é porque vem. Zé – Por que? Luis – Sei lá. Só da gente ficar olhando pro bruto ele já não consegue nem mijar.Ele joga com a gente lá no Flamengo da Vila Maria É o Carlão. Se precisar trepar. Zé – Vai ver que é e você não quer dizer. Pra você tem? Se alguém ficar te olhando você brocha? Luis – Que besteira! Não é isso. Comigo não! Luis – Como você sabe? 7 .Todo mundo no mesmo quarto. Luis – Não é o meu caso. (Vê Luis pensativo) Que é que você tem agora? Você acha que elas não vem? Luis – Não... Luis – Não vai adiantar. É que acho que não vai dar certo. Zé – Você já trepou com alguém te espiando? Luis – Não. eu trepo. E não tem nem cama! Zé – Eu dou uma varrida no chão. Essa mina é da hora..Pode ter a maior torcida. Se eu precisar mijar eu mijo.Elas são gatinhas. mas não é isso. Mas to sabendo que não tem problema.Zé – Pombas! Não tá dando pra firmar a cabeça no trampo. Luis – Você já trepou com alguém te olhando? Zé – Bom. Zé – Pra mim não tem problema. não vão gostar dessa sujeira.. desse fedor de tinta. Zé – Besteira não! Tem cara que é assim.. Eu conheço um que assim.sei de chiquê..

Aí já viu! Todo mundo se tratando e eu no prejuízo? Não quero nem saber. Peladinhas.Sei lá. Que é que você quer? Vejo a televisão e é só mulher beijando os caras.. Zé das Tintas. Vou no cinema é só mulher pelada. Zé – Como não leva a mal? As mulheres vem aí. Cada coxa. (Zé começa a pintar. Zé – Diga. e só no sacolejo do buzão já gozo. todas elas. PAUSA Zé – Não trepando a porra sobe pra cabeça. Você que marcou com elas.... se esfregando e tal. Uma mais gostosa que a outra. Luis – Você encoxa mulher em ônibus.Não leva a mal. Compro revista e o mulherio tá ali. Tá por fora ou não é muito chegado em mulher.. vão embora. Zé – Claro! Todo mundo faz isso. trepação e os cambaus. Elas chegam aí não te vêem. Luis – E você é um puta tarado. eu entro no buzão. Cria calo. até gozar.. pode tá assim de gente que eu não quero nem saber.Mas eu acho que eu vou me arrancar. Zé – Você é você. cada puta peito e tá na cara que eu nunca vou comer elas. Zé – Quem. eu? Você tá por fora. Me encosto numa bunda e não to nem aí. 8 . cada bundão. Luis – Eu não..Só na mão não dá. Virou a lomba pro meu lado.Logo fico com o bruto duro. pô! Ó... Luis – (Vacila) Olha.Zé – Sabendo. Luis fica pensativo) Luis – Ó. chincho mesmo. Luis – É acho que é.

tá tratado. Luis – É. vai em pé. blá-blá-blá.Luis – Eu fico esperando elas lá em baixo. Me arrisco.Dou um grupo nelas. Zé fumando.) Zé – Você já comeu muita mulher? Luis – (Sem dar muita importância) Sei lá. Hoje eu vou comer alguém. 9 . E daí você quer mijar pra trás? Sem essa! Eu não vou passar o domingo inteiro aqui de brocha na mão. pra cima e pra baixo. Quer pegar de grota? Pegar firme. (Luis suspira fundo) Zé – Qual é a tua Luis? Porra! Você chega ni mim.. falo que hoje não deu. É esse cheiro de tinta que me deixa enjoado. PAUSA Zé – Olha. dispenso. Zé – Sem essa! Sem essa. Luis – Não querem. vai. Se achar o chão imundo. (Zé da a cachaça pra Luis e acende cigarro de maconha. Aí quando as gatas chegarem nós já estamos no embalo. tem um fuminho.. arrumo pra vir trabalhar no domingo. Zé – Ih. dá essa pinga. hoje você tá cheio de frescura! Luis – Não é frescura. Luis! E eu vou fazer o que? Luis – Você fica aí pintando o apartamento.. Nem por um decreto! Vou trepar. Zé – No cu pardal! Tratou. Zé – Tem uma cachaça da boa aí.. não. Luis vai bebendo.Um monte. Eu to precisando mesmo tomar um puta porre. o empreiteiro até desconfiou. Quer um gole? A gente se serve dela pra cortar o veneno da tinta.. Pausa longa. não quero nem saber. Mas que vai.Arrumo esse mocó. Não tem cama? Vai no chão..

Zé – Qual a diferença? Luis – Eu poderia estar lá. Mas já fui na praia grande numa excursão. Luis – Você é você. você não. Em pé é ruim. PAUSA 10 . A gente sai sempre pra pegar mulher. PAUSA Zé – Cadê? Luis – Cadê o que? Zé – Ele. gostei. A gente fica de perna bamba. sou bem enturmado cara.Zé – Todas elas encostadas no muro? Luis – No muro não é legal. o teu chapa do carro! Luis – (Suspira) Ah! Foi pra praia.Tem que trabalhar aí de pintor. Luis – Ele quem? Zé – Parece louco. Me arrumo com monte de mina. tá todo mundo curtindo férias. Zé – Só você e eu que não. Eu quando vou é outro caso. Luis – Turma da farofa só tem que olhar mesmo. Eu sou eu. Curti numa boa só olhando o pernão do mulherio de biquíni. Zé – Então onde você comeu elas? Luis – Tem um carinha que é meu amigo que tem um carango. Zé – Que eu tenho que trampar tenho mesmo.

Zé – Onde entrou areia? Luis . (Bebe) Olha eu aqui. Zé – Então é que você é burro mesmo.No vestibular. Luis – (Estoura) Burro é a puta que te pariu! Burro não seu filho da puta! Se você me chamar de burro outra vez te afogo nessa lata de tinta. Danço na porra do vestibular. Zé das Tintas. Meu coroa prometeu que me dava um carango zerinho e um apê se eu entrasse na medicina. E bum! Bum! Tomei bomba. Luis – Pois é. As mulheres pulam dentro. Podia estar lá na praia e não estou. Zé – Quem manda não estudar? Luis – Acontece que eu estudei. Um otário. Estudei como um condenado. Pau. Estou me danando. Dei azar. Não entrei nessa merda de 11 . seu punheteiro de merda! Você dobra essa língua quando falar comigo. Terceiro ano seguido que danço. Luis em posição agressiva) Luis – Olha aqui. Eu podia estar com tudo e estou com nada. Estudei paca na primeira vez. Tomei pau. De carro é baba de quiabo.d. Muito azar. (Pausa. Eu não sou burro porra nenhuma. Zé – De carro até eu. To nessa pior. Se dou uma sorte estava de carango novo e na praia. Luis bebe) Luis – Tomei pau. na segunda enrolei. Já melhorou o lance. (Zé fica assustado. Zé – Vai ter mulher na parada.Zé – Com toda essa embaixada você preferiu ficar aqui? Luis – Não preferi porra nenhuma! Você acha que alguém prefere ficar nessa merda em vez de curtir uma praia. Era só de uma pra subir outra. porque dei azar. Luis – E lá na praia você acha que não ia ter? Ainda mais eu de carro novo. O velho ficou uma arara. Um puta azar.f. Mas esse ano fui o maior c.

eu to aqui pra fuder. em Sorocaba. Catanduva.. Lá é dureza. Luis – Mas não tem mulher. Zé – Que horas você marcou com elas? Luis – Quatro e meia. É a mãe.. O Luis não quer nada.E eles não querem ter um filho burrão. E é pau em todo o canto. minha mãe. faço essa merda de cursinho. 12 . o avô. (Pausa. Sou burrão mesmo. Santo André. Mas eu estudei! Estudei! Estudei! Por essa luz que me ilumina que estudei! Mas não entrei. vinte mil mães.. (Luis bebe) Zé – Elas não vem? Luis – Devem vir. Bebe) Se eles reconhecessem que eu estudei. Acontece que eu estou encanado com esse vestibular. Passar na merda do vestibular e ser doutor. a avó. Santos. um puta de um funil. Campinas. Luis. Ele quer porque quer que e seja médico. Uma porrada de caras. Não dizem que eu me esforcei. Não estuda. a tia. Mil.. Vinte mil pais. Aí ficam enchendo nossa cuca pra gente ser doutor. cinco horas. todo mundo. disputando uma vaga.Vou na USP. Três anos que eu tento. O meu pai. Entendeu? É um funil. eu não falei por mal. Isso aí é que é broca. Aí pega no meu pé. o vizinho. Enquanto elas não vem você fode a minha paciência. na casa do caralho. Ribeirão Preto. Te enche esse papo Zé? Zé – Porra. (Bebe) Já falei por velho: não dá pra mim. querem ter filho doutor. Mil caras se comendo por uma vaga. mas não reconhecem. tá sabendo? São mil caras. o tio. Dureza. Um entra e novecentos e noventa e nove se fodem..São obrigados a confessar que eu sou burrão. Vinte mil. Zé – Porra. PAUSA Luis – To sabendo que você não falou por mal. Não estuda.. todos sabem que eu estudei. o cachorrinho. Zé – Tá. estudo. estudo.Entendeu? Eles querem ter um filho doutor. na Paulista.faculdade porque não deu. É todo mundo pegando no meu pé. Bragança.

. Zé – Entrei no meu horário pro porteiro me ver. Podes crer. Zé – Porra. só faltava levar cano de uma bunda suja qualquer. Porém mulher não cai no vestibular.. Zé pelas costas de Luis concorda com um gesto) Porra! E essas minas que não chegam! Cacete.Podia. Zé – As veis. Luis – A gente veio pra cá muito cedo. Zé das Tintas. (Zé pinta e Luis bebe) Zé – Luis. Luis – Você vê? De mulher eu entendo. Me viu chegar. Ainda é cedo.. que tinta é uma boa. A gente inventa pra elas que tamos aqui pra curtir cheiro de tinta.Passar no vestibular. Luis bebe) Luis – Sabe..Zé – Então vem.. Zé – Isso não vai grudar. Não sei como você não consegue entrar na faculdade.. Vou aproveitar pra adiantar essa parede um pouco. Luis – Você é esperto paca! O único burrão do mundo sou eu. Conheço minha galera. Você viu a minha manha? Até perguntei pro bruto que hora era. Amanhã se o empreiteiro vier com bronca tem um cara aí de testemunha. que dá um puta barato.. Luis – Gruda. eu acho que sou burrão mesmo. e se a minha for cabaço? 13 . (Zé começa a pintar.. Luis! Você é sabido paca com mulher. Zé – Elas vem. (Pausa. ainda não tá na hora. você acha que a amiga dela vai me topar? Luis – Tem que topar.. Luis – Essas minas entram em qualquer embalo. Zé – Ô Luis.

Zé – E a minha como é que é? Luis – A sua nem vi. Luis – Mulher mergulho? Zé – É um misto de merda com bagulho. Ela não vai me aparecer com nenhum dragão. A minha mina é beleza. me ensinou três coisas certas. Belezinha. melhor. estraçalho. Zé – Você falou que a tua gata era menininha legal. Zé – Você dispensa bagulho Luis? Luis – Depende. E viado é um lixo. 14 . toda mulher tem um racho igual. Luis – É isso aí. Menina bacana anda com bacana. Se a minha for mulher mergulho não to nem ai. Fim. Sabe como é. Sabe se vestir. Se ela mexer. Sou fogo. e vai aparecer junto com uma piranha? Luis – Qual é Zé? Legal de corpo.Luis – Só se for na orelha. Luis – Ah! Que é que teu avô te ensinou? Zé – Ele me ensinou que foda transferida é foda perdida. Zé – Bom. de cara. Tempero de comida é fome. Depois dos panos arriados. Amor de pica onde bate fica. Zé – Não viu? Luis – Já te falei mil vezes. Por isso não dispenso mulher de jeito nenhum. Mandei a minha mina trazer um amiga. bacaninha. Mas é biscatinha. Caiu na rede é peixe. Beleza não anda com bagulho. Zé – Meu avô mestre Zagaia. Se estiver quente. Bagulho é que anda com bagulho. também tem um detalhe.

não tem grilo pode falar. Luis – Comigo não tem grilo não. você é um cara legal. Ela ficava que nem um repolho e aí ele mandava ver. não tem grilo. Olha se você se invoca de trepar na frente dos outros. As bagulhosas ele comia à moda repolho. eu fico com a minha trancada no banheiro. (Para de pintar. Zé – Aquele sabia mesmo. Daí. ele amarrava o vestido dela na cabeça. Só na perfumaria. Zé – Pois é. entesando ela. Zé – Sem essa! Vou encoxando ela encostada na pia.Luis – ( Ri e bebe) Porra. vai pra lá e eu venho pra cá. você acaba aqui. Era só tomar umas a mais que ficava um barato. bolinando. Não vou contar nada pro pessoal do time. da hora. Pode botar fé em mim. Ele dizia que com ele não tinha dispensa. Vou por você. dando uns beijinhos. (Zé volta a pintar. PAUSA 15 . teu avô sabia de tudo. Mas se tivesse? Onde você ia ficar? (Pausa. Zé pensa) Zé – Bom enquanto você trepa. Ele dizia: às vezes. vê Luis triste) Ô Luis. seu avô devia ser um coroa legal. Luis bebe) Luis – Pena que não tem cama. Luis – Porra. Zé – Ele era. que eu fico noutro. se perde um chochotão. por causa de uma cara feia. Luis – Você senta na privada e ela no bidê e vão levando um papo. Luis – Muita mão de obra. Luis – À moda repolho? Que moda é essa? Zé – Se a dona era bagulho. Sabe como é. Só falava besteira. Fica num canto.

é outro repressor filho da puta. Não morro enquanto não te ver formado em medicina. não quero ser doutor nem nada. Zé. (Luis faz ginástica) Zé – Você tá numa puta forma. qualquer merda. Tinha um canudo pra você sentar em cima. Zé das Tintas? Todo mundo no meu e eu no de ninguém? Não dá. eu já tinha entrado e saído da faculdade. Tenho que dar uma trepada. você tem certeza que elas vem? Luis – Ela não é nem louca de me dar cano. que podia ser que nem o seu. Eu queria. letras. que era legal que te ensinou paca. Vai ser hoje. Sabe Zé. Vou tomar essa pinga toda. Zé – Aí meu catiço. Sabe quando ele vai morre Zé? Zé – Nunca Luis – É isso aí. Medicina. Tá com o pé na cova e fica resmungando. Qual é. eu queria um dia chegar bêbado na cara do meu coroa e dar um esculacho nele. Ia ser um puta treineiro. Olha aqui. vou lá. Vai ficar pra sempre. Mandar meu coroa a merda. dar uma puta trepada. Já ando bronqueado com essa porra de vestibular. Zé – Só ia. Não quero ganhar dinheiro. Quero que você vá pra puta que te pariu com teus papos de futuro e o cacete! Se você. Nunca. velho repressor eu não quero ser médico de merda nenhuma. Luis – Mas aí vem o coroa repressor e pisa na bola: quero te ver formado em medicina. Você é um bolão. Técnico com diploma. 16 . Uma puta trepada pra esvaziar a cabeça. Luis – E jogo paca! Sei tudo de futebol. Meu único filho vai ser medico. Zé. E a besta do meu avô. era fazer Educação Física. Aí eu ia cuidar da minha vida. coroa repressor me deixasse fazer comunicação. Luis – To ficando bebum. filosofia.Luis – Elas estão demorando. Olha aí. Passar o dia cheirando tinta é dose. Até bêbado eu entrava naquela bosta de faculdade. Zé – Não dá mesmo. Assim não dá. um animal. Porra! Era só o que me faltava.

Um vai ser o campeão. Já estou encucado. Luis – Então não tem erro. como se fossem cavalos de corrida. Mas com essa porra de AIDS cortou o barato. fala. Zé. Luis – Não se afoba com ela. Burrão.. Vinte mil carinhas disputando uma vaga na faculdade. Luis – Burrão é ele.Burrão. Ele e todos os coroas (Pausa. Só não quer deixar eu viver minha vida. PAUSA Zé – Essas minas tão demorando. Luis – Também. querendo comprar resultado de exame.. Não seca. Uns merdas. Zé – Vira essa boca pra lá. Só to na minha. fala. Você fica gastando grana em cursinho.Zé – Falou. Tudo um lixo. Zé – Mas se ela não quiser me dar? Luis – Dá Zé – Como você sabe que dá? Luis – Depois que inventaram a porra da pílula o mulherio dá adoidado. O coroa fala. Estão à vontade. Só um pode ganhar.. Só quero saber como vou engrenar o papo com ela. Teu avô era da hora.Os outros vão ser burrões.. muito na delas. eu não to nem ter escutando. Afobado come cru ou queima a boca. se não vierem que se danem. Esse um que entra vira doutor. Zé – Não sou afobado. Quer comprar tudo com a merda do dinheiro.Burrão. Pra que? Pra ser um filha da puta que só pensa em dinheiro como meu pai repressor e corrupto. enche a boca pra falar em moral. Mas é um puta de um corrupto. vaga em faculdade. 17 . Só to pensando o que vou dizer pra minha gata quando ela chegar. para me enfiar lá dentro. Bebe) Menos teu avô. Em todo lugar é assim. Você fala.

18 . Zé – Essa vai ser uma boa. Puta curtição. se dane! Tá tudo certo. Luis – Trepar sem cama. Zé – E trepar. Luis – Porra.Zé – Não seja por isso. Luis – É isso aí. Luis – As gatas te ensinam. camisinha é o que não falta. Zé – Não tem tu. Sem cama e com cheiro de tinta era uma podre. se dane! Tem cheiro de tinta. Assim que tem que ser. Tava invocado. vau tu mesmo. Não passou no vestibular. PAUSA Zé – Onde você conheceu essa gatinha? Luis – Numa danceteria.Quando cheguei achei que não ia dar. Zé – Então deve ser uma fresquinha. Vamos de danceteria com radinho de pilha. Gosta de dançar. Luis – Mas essa merda não tem som Zé – Tem meu rádio de pilha aí. Agora que to de tanque cheio to achando tudo certo. Zé – Você dança? Luis – Você não? Zé – Gostaria de saber. no chão imundo. Luis – Moderninha. Zé das Tintas! Danceteria com radio de pilha é dose.

Zé – Um dia acerta. Luis – Um dia. Tinha uma bichona que era professor no cursinho. Meu coroa cortou a mesada.... Zé – Mas se não vier? Luis – Bom. Zé – Porra..Qual é. Luis bebe) Luis – Você já comeu viado? Zé – Claro. veio 19 . essas mulheres tão demorando! Você tem certeza que deu o endereço certo? Luis – Claro. tem um negócio. tava de cara limpa. Tava duro como agora.. Só não acerta a porra do vestibular.Os dois na mesma gata. Bêbado to agora. E você não? Luis – Comi uma vez. Foi na primeira vez que tomei pau no vestibular.É. Se só tem uma é nessa uma.. Zé – Tá combinado. Mas quando falei com ela.... Seria muita sacanagem da parte dele. O porteiro pode ter pregado elas lá em baixo. Zé – Ele não é nem louco.Zé – E se a minha gata não vier? Luis – Vem. Não tem erro. Me encontrou na rua. se não vier. Se ele me apronta uma dessa acabo é comendo a lomba dele. Não tava bêbado. Agora. (Os dois riem.Um dia.. Luis – A gente acerta todas as pontas.Os dois vão na minha gata. eu tava de cabeça quente.

To sujo. (Luis vai abrir) Zé – Espera aí Luis! Luis – Que é? Zé – Eu vou trocar de roupa. Batem na porta) Zé – É elas. Luis – Teu avó não falou que bicha é um lixo? Zé – Pra eu não ser bicha. Quem dá é bichona. Fica bicha também. tal. Zé – Só uma vez? Luis – Claro. Luis – Que se dane! Zé – Mas não vai me chamar de Zé das tintas na frente delas. pô! Falou pra eu volta lá. Zé – Mas. Zé – Conversa. Comer não tem nada. conversa vem. Me deu uma grana. enrabei ele no apartamento dele. não desgrudo. Luis – Fica assim. Conversa vai. Luis – Já vi que você é chegado a uma bicha. porra. 20 . Logo vai ficar nu mesmo.. Mas sem essa! Nunca mais pareci. Zé – Se eu arrumo uma moleza dessa.. acaba virando a mão.com conversas. Eu como bicha toda vez que pintar e não vou virar a mão nunca. tá mal. Zé – Tudo é melhor que punheta. Luis – Sem essa! Quem come bicha toda hora. (Os dois riem.

(Luis abre a porta..O.. Luis – Mas eu não falei pra você trazer uma amiga? Lina – Falou..Fala aí Luis. olha pra fora não vê ninguém. Não... Zé – Porra que mancada! Lina – (Virando pro Zé) Que foi? Borrou a parede? Zé – Não.. Lina – Legal.. E dá de cara com Lina) Lina – Oi! Luis – Entra. faz gestos negativos pra Luis e tranca a porta.Esse é o. É que.O.Luis – Deixa comigo. Estranha o apartamento vazio e a pintura e também Zé das Tintas) Luis – Tudo bem? Lina – Tá tudo bem Luis? Luis – Comigo tá.. (Zé vai a porta. Lina – O pintor. Mas eu achei que era besteira minha ter medo de vir sozinha. Luis – É o Zé das Tintas.Sei lá..... Lina – Que é Luis? Luis – Bom. (Lina entra espantada. 21 . Tira a chave e guarda no bolso) Luis – Você veio sozinha? Lina – Vim.

Quer dar uma bicada? (mostra a garrafa) Lina – (Dá um gole e cospe longe) Pô. Zé – Tava adivinhando que era fresquinha. Senta na escada... Não tem nada não.Zé – Eu pensei.. Da boa Luis – (Pegando a garrafa) É boa mesma! (Bebe) Lina – Você toma isso Luis? Luis – O que é que tem? Lina – Pô... Depois de uma pausa longa. eu. fica com bafo ruim. com os olhos interroga Luis) Luis – Bom. o que é isso torcida brasileira? Água ráz? Zé – É pinga.Fala aí Luis.Tamos numa boa.A gente pensou.. Lina – (Não entende a observação de Zé. Zé – Senta na escada.) Eu? E daí? Zé – Não a pinga. (Lina indaga Luis com expressão) Lina – Na escada? Luis – É.. Calma! Luis – Quer sentar? Lina – Não tem cadeira.... 22 .O Zé. (Lina. Senta firme Lina – Pro teu amigo das tintas não dizer que eu sou fresquinha vou sentar. É uma boa.

A velha é cheia de bronca. Dá um desconto. Acha a camisa nova do Zé examina com certo nojo. Zé – Eu sei fazer. Acha melhor. mas nasce. Lina – Esse pano aqui? Mas tava jogado aí no canto. A gente não pede pra nascer. É só pra refrescar as idéias. Zé – Você tem mãe? Lina – Porque? Você é filho de chocadeira? Zé – Pô qual é? Só perguntei. Zé – É minha camiseta de ir pra casa. Para Luis indiferente) Não to entendendo nada. É que se eu chegar suja de tinta em casa. Numa curtição diferente. fora o ultimo degrau.(Lina pega um pano no chão. E to afim de curtir uma diferente. Sabe. 23 . gata. penetrou? Lina – (Desconfiada) Não penetrei meu. Lina – Tenho mãe. Lina – Agora já sentei. (Zé ri) Lina – (Séria. eu tomei pau no vestibular. Todo mundo tem. você sentou na minha camisa. e senta-se na camisa) Zé – Pô. Não é luxo não. To de cuca quente. fervendo. E aí tem mãe? Zé – Você gosta de criança? Lina – (Dá de ombros) Gosto. O que a gente veio fazer aqui? (Luis bebe) Luis – O lance é que eu to muito invocado. Sobe alguns degraus da escada. eu não sabia tá legal. Não é nenhuma fissura. acha sujo e joga fora. minha mãe vai pegar no meu pé.

Luis – Também. nem meio dentro.Zé – A gente tamo aqui curtindo uma de cheirar tinta. se você pra se ligar. brava toma a garrafa dele. Zé – Tá. Para na frente dele zangada) Lina – Quer explicar Luis? (Luis não responde e vai beber. Eu to fora. Lina – Nem dentro. tem uma bagana de fumo aqui. Lina desce da escada e vem até ele. Lina – Sujeira. Você pode não estar sabendo. Porém. Lina. Lina – Sem essa o que? Zé – Você tá dentro. Lina – Eu acho que você tá arrumando um pilequinho muito escroto de cachaça ruim.) Lina – Quer responder? Luis – Responder o que? (Luis recupera a garrafa) Lina – Que palhaçada é essa? 24 . não quer tomar umas e outras. Zé – Sem essa. Zé – É só pra dar um embalo. (Ri) Não é isso Luis? Luis – Justamente. Lina – (Já ficando zangada) Qual é Luis? Quer me explicar porque você me chamou até aqui? (Luis não responde. Mas é melhor você se ligar. mas só que está.

. pô! Só fala pô! Pô! Mas pô o que. Mandei você trazer uma amiga e cadê ela? Você não trouxe amiga nenhuma. confessa.Bom. Só que você começou a fazer doce. E pensou certo. Tá sabendo? Até podia transar.... Lina – Pô. Mas numa boa.Pensei. Luis – Pô! Pô! Pô! Que pô? Mas. Lina – Mas. Pensou ou não? Lina – (Encabulada) Até podia.. Eu pensei que. Não pensou que a gente ia transar. transar... Você pensou que vinha aqui pra gente transar. Eu to de cabeça quente eu quero curtir. gatinha. Aqui ninguém deixa pra lá.... Luis – Transar. levar um papo. nunca pensei que você viesse com uma dessaLuis – Dessa o que? 25 . Se tocou? Se estamos nessa a culpa é sua. Pois é. Luis – Deixa pra lá não.. Luis – É isso aí. Não pensou isso? Fala.que eu ia te encontrar aqui. É uma curtição. É. Curtição diferente.. Aí bateu sujeira. PAUSA Zé – Diz aí. Aí que entrou areia. Você pensou o que? PAUSA Luis – Você pensou o que. não tá. pô? Lina – Curtir com esse cara aí? Zé – Vai me esculachar agora? Lina – Não é esculacho nenhum. gatinha? O que você pensou.Luis – Não é palhaçada nenhuma gatinha. diz? Lina – Pensei. pô. Dificilzinha.Deixa pra lá. Tá.

Luis – Eu sou. Os bichinhos da terra vão comer mesmo. já viu. Onde transa um transa outro. distribui. Já que vai desperdiçar. Que é que ela pode fazer com a chochota dela? PAUSA Luis – Dar pros amigos. Luis – E aí? Onde come um. Luis – Quer ir embora porque? Você veio pra ficar. Ela mesmo falou. Veio a fim de transar. Veio pra dar.Lina – Pensei que você era um carinha legal. Avacalha. Senão. 26 . Luis – Vai dar. Luis – Mas é charme. Zé – Assim é que tem que ser. Lina encabulada. encosta-se na escada) Zé – Porra Luis. (Ri) Luis – Ela tá invocadona. eu quero ir embora. acho que ela não vai querer dar pra gente. eu vim com meu camaradinha. Zé. Se você vinha com uma amiga. Zé – Falou. Só que não sou otário. Lina – (Vira-se suplicante) Olha Luis. Ela também não pode ir chegando e dando assim sem uma onda. Zé – Deu pressa nela. (Pausa. come dois. Vai transar Zé – Veio pra transar com você. Zé – Tá mesmo. Você acha que eu vim aqui pra levar papo furado? Sem essa.

Aqui tá barra.Não to afim. Luis – Ensina ele gatinha.. Zé.Eu. Eu manjo ele lá do time que a gente joga bola. eu disse pra ele que você era de danceteria.Lina – Eu tenho que ir. o carinha é meio devagar. Sabe tudo de bola. Ele é o craque. Só tem. 27 . Mas no resto é devagar. nela! Ela tem que ficar tesuda. Zé das Tintas! Cadê o som? A Lina vai te ensinar o balanço de danceteria. (Lina olha sem perceber onde está o som) Luis – Ô.. Tem grilo? Lina – Pô.) Zé – Tá aqui o bruto.aqui nem tem som. Zé – Mas do que eu já to? Se eu ficar com mais tesão ataco ela na moda bruta. É um carinha legal. Lina – Mas.. Gatinha fina.Não é isso. Aí. se enturmar. Juro. É isso aí. Luis cutuca Zé) Zé – Ai meu catiço! Luis – Deixa comigo. Zé – Sei. Luis – Nela Zé. Pô! Ele é chucro. mas é um carinha legal.. Luis. E que você tinha amiga.... Só que eu quero deixar ele da hora.aqui. Zé – Dançar? Luis – (Para Zé) É pra dar mais tesão. Caretão.... A gente se encontra outro dia e se fala. Seguinte gatinha.. (Zé vai no monte de pano e saca o radinho. Luis – Sem essa! Lina – Mas qual é a tua Luis? (Pausa. e que você e sua amiga podiam ensinar ele o balanço da danceteria pra ele entrar na onda.... Luis – Tem.

(Zé liga o rádio. Zé só olha) Lina – Ele não mexe. Zé – Mas é estrangeira.Lina – (Botando pra baixo) Esse é o som? Zé – Não tá legal? Lina – O Luis. Zé – E essa? Luis – Outra. Vamos lá gatinha! Vamos lá! (Luis bebe e se embala. Luis – Acha a quente. Lina – Não vai adiantar. 28 ... essa aí. Vamos lá gatinha. (Zé procura no rádio) Zé – Essa? Luis – Essa não. Manda ver. Luis – Firma o pensamento gatinha. Só pega música estrangeira) Zé – Essa tá legal? Luis – Essa não é de danceteria. Zé – Essa? Luis – Essa aí. (Luis começa a dançar) Luis – Aumenta isso Zé. Zé. Esse balanço ou a gente sabe ou não aprende nunca. assim não dá. Lina meio sem embalo começa a dançar.

gatinha. Luis – Então agarra. (Lina apavorada.. (Zé larga o rádio e agarra Lina. (Luis e Zé riem) Lina – Juro. Juro por Deus. Lina – Ele não tá com nada.. Luis – Vai. Nós dois vamos em você! O Luis e eu. Não me toca. Zé – É pra já. Zé – (Desliga o rádio) Olha aqui.Seu. Sua amiga não veio. Já encheu o saco.Seu nojento! Zé – Que frescura é essa? Lina – Não vem me agarrando. Então não adiantar remandiola. Eu e o Luis viemos aqui pra trepar com você e a sua amiga.Luis – Dá sim. Zé – Sem agarrar a mulher. com os olhos procurando apoio em Luis) Luis – É isso aí gatinha! Lina – Pelo amor de deus! Zé – Não mete Deus no lance. Ela se solta com violência e brava) Lina – Não põe a mão em mim. Eu juro que sou virgem. azar teu. Lina – Eu sou virgem. eu não sei dançar. Vai tirando a roupa e enquanto isso vamos tirar par ou impar pra ver quem vai te faturar primeiro. por essa luz. por tudo que é mais sagrado! 29 . Zé! Larga o radinho e entra nessa.. vamos lá gatinha. eu to afim de trepar tá sabendo..

todo mundo nu. Lina – Não! Não! Não chega perto de mim! Zé – Espera. gata! Luis – Rapidinho. (Zé pega a brocha de pintor. assustada) Zé – Tira a roupa. Caiadinha da cabeça aos pés. (Luis tira a camisa. Vai chegar toda caiada. Espera. Lina – Não Luis! Zé – Anda. biscate! Fica nua.Luis – Papo. gatinha. isso aí! Zé – Ela não queria chegar manchadinha de tinta em casa. gatinha. Luis! Luis – Se não tirar. Não vai dar pra enganar pra mãe dela que encostou na parede. deixa eu sair! (Corre pra porta) Zé – Tá fechada. Lina – Não! Eu. Luis. Luis ri) Luis – É. Eu vou fazer ela tirar. Tira essa merda de roupa! É melhor pra você. não! Por favor. eu vou arrancar. Zé – Você é biscatinha. molha na tinta e vai avançando devagar pra Lina. (Lina fica encostada na porta. A chave tá comigo. Legal. 30 . Vai toda caiada. O Luis falou. Lina – Por favor. Zé tira a calça e fica só com o calção de jogar futebol e o chapéu de cartucho) Luis – Você também.

Zé – Bateu lá embaixo. Tira. se você for boazinha. Essa é puta mesmo. não. Luis! Zé – Qual é a tua. sou balconista. Eu trabalho. veio pra faturar. Olha pra trás) Luis – Oitavo andar. Vai tirar ou não? Tira um. Lina – Eu não sou puta (Começa a chorar) Eu não sou puta! Eu não sou puta! Luis – É cabaço? Zé – Vive de que? De vento? Lina – Eu trabalho. Eu trabalho. eu te falei.. valeu! Luis – Você que sabe. Pra cafetina.Lina – Pelo amor de deus. Te contei tudo. Luis – Faturando homem na danceteria! Lina – Luis você tá bêbado. Eu não te contei? Não te contei? Luis – Cascata! Zé – Enganadora! Puta! Puta! Puta! Tira essa roupa ou eu te sujo! (Zé começa pintar Lina) Luis – E aí? Como é que você vai chegar em casa? O que vai contar pra mãe? Zé – Pra mãe. eu te dou uma grana. (Lina corre pra janela. 31 . biscate? Putinha sem vergonha! Puta enrustida. Eu trabalho numa loja.. Tira dois. Zé – Ou dá ou desce. fica nua! Olha. Eu trabalho.

Eu sou menor. Mas você bebeu. sem choro. Eu vim aqui porque tinha ido por você. Tá entendendo? Eu não quero drama. Luis olha meio temeroso pro Zé) Luis – É melhor a gente dispensar essa piranha. Luis. Vou falar pra minha mãe. Vai ser. covarde! Você não tá bêbado? Não bebeu o juízo né? Vem. Você e teu amigo. Depois a gente vai casar. Você e esse cara querem me usar. Zé – Que nada! Lina – Tá com medo filho da puta. Vocês vão ver. Vão ver que eu sou virgem. Na rua. 32 . Eu vim aqui pra desencucar. Sem choro. Você vai casar comigo! (Luis vacila) Zé – Grupo! Ela não tem mãe. Vou na policia. E isso que você quer machão? Tá! Eu sou virgem . Vem. mas tinha que ser numa boa. Sem choro. quero curtir. Depois a gente acerta.. Não importa se era virgem ou não. Tá na cara que ela é de maior. Lina começa tirar o sutiã. Pára essa choradeira! Chega o drama que eu tenho lá em casa com aquele velho repressor me enchendo o saco por causa de uma merda de vestibular.. Ela é maior. virgem! Luis – Pára com essa porra de choradeira! Isso tá me enchendo o saco. (Luis vacila. Começa a tirar o vestido) Lina – Tá bom machão! Você ganhou. Ele e Zé estão de costas pro publico. Vim.pra conversar. Você e esse cara nojento. sim. Lina pára de chorar. Vão me currar? Tá legal.(Lina começa a chorar convulsivamente e vai se arreando no chão do apartamento) Zé – Resolveu dar. Encara Luis com nojo. Luisinho. Tá bom! Eu sou virgem. Você vai me comer. (Luis ri) Lina – Meu Deus eu sou virgem. Levanta. Não passou no vestibular e vai descontar em mim. Agora eu quero que você saiba de uma coisa. pra transar até. gata! (Luis dá um pontapé em Lina.

33 . fui eu que fiz! Luis – Esse é meu. Zé agarra por outro. Ficam assim um bom tempo) Zé – Pronto acabou. muito meu. Luis – Eu só queria esquecer o meu grilo. Que foi suruba. entra um som de danceteria. Falo que ela deu pra mim e pronto.PAUSA Luis – Porra que grilo! Zé – Sem essa Luis! Eu sei que é grupo dela. Tadinho. alucinado. luz acende. Tão bonitinho e tão burro! Luis – Burro não. ela berra desesperada. Não viu que eu transava com você numa boa? Você é burro! Burro! Burro! Luis – (Jogando a garrafa longe) Cala essa boca! Cala essa boca! Eu não sou burro! (Luis agarra Lina por um braço. Larga essa garrafa e vamos comer ela. Lina está deitada num canto chorando. só de calção com cara diferente. (Cada um puxa Lina. sua piranha! Burro não! Lina – Burro sim! Burro sim! Você é muito burro Luis! Você não percebe nada. A luz apaga. Luis já vestiu a calça. Depois de um tempo longo. a puxa. Se ela for na policia eu sou testemunha. a puxa) Zé – Deixa eu ir na frente! Se for cabaço. está vestindo a camisa com cara contrariada e Zé. Lina – O vestibular que não deu pro filhinho do papai passar.

PAUSA Luis – Eu vou puxar. Olha pra fora. senão amanhã o empreiteiro vai estrelar. (Pausa) Tenho que dar uma pintadinha nesse apartamento. Luis – Até. Vai até a janela. (Pausa) Não dá pra ficar nessa de se sentir um burrão a vida toda. Zé – Até passar. Não falta nenhum pedaço. olha pro outro. se esforça para conter o choro. E depois. Pode ser que cole. se ele me der o carango. pega a chave no bolso da calça. Luis e Zé se entreolham. de qualquer jeito. (Zé se levanta. Se afasta e se encosta na escada. Sabe que eu acho que vou tentar dobrar meu coroa no papo? Juro pra ele que.) Luis – Não vai fazer besteira gatinha! Lina – Não (Pausa. para na porta. Zé – (Já pintando e sem dar muita atenção pro papo do Luis) E se não colar? Luis – Pega nada.PAUSA Zé – Vai mina! Para de chorar. Ele é doido pra pegar no meu pé. mas dá de ombros e sai) Zé – Pois é. abre a porta. Lina lentamente se levanta e veste a roupa. ano que vem eu vou ter que fazer essa merda de vestibular outra vez. Lina vai sair.Ela olha pra um e pro outro) Quero ir embora. ano que vem eu tento outra vez o vestibular. tenho que pensar no futuro. (não se mexe) Eu estive pensando Zé. Pensa que é meu dono. Ajeita o cabelo. Vai falar. 34 . olha pra um. (Pausa.

Zé pinta. sobe som de danceteria.Zé – É isso aí! Luis – Tchau mesmo. O pano fecha) FIM 35 . Zé – Tchau! (Luis sai.

Interesses relacionados