Você está na página 1de 20

ZEPTO Treinamento, Comércio e Serviços Industriais Ltda.

Rua José Bonifácio, 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol.com.br

ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS E ARREDONDAMENTOS
1 – Qual o resultado da divisão de 3,85 por 9, considerando a regra dos algarismos significativos? a) 0,428 b) 0,42 c) 0,4278 d) 0 e) 0,4 2 – Qual o resultado da soma das parcelas: 0,05; 234,6; 42,65, considerando a regra dos algarismos significativos? a) 277,2 b) 277,3 c) 277,305 d) 277,31 e) 277 3 – Arredondar para a segunda casa decimal o número 23,4050001? a) 23 b) 23,4 c) 23,40 d) 23,41 e) 23,405 4 – Qual o resultado da soma das parcelas: 17; 0,49 ; 2,011, considerando a regra dos algarismos significativos? a) 19,50 b) 19,5 c) 19,501 d) 19 e) 20 5 – Qual o resultado da multiplicação de 2,50 por 3, considerando a regra dos algarismos significativos? a) 7,50 b) 7,5 c) 7 d) 8,0 e) 8 6 – Quantos algarismos significativos têm o número 0,7000? a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 7 – O valor de 5/8" equivale a a) 0.6" b) 0.62" c) 0.63"

e) 5

d) 0.625"

e)0.6250"

8 – O valor 15/16" equivale em milésimos de polegada a a) 0.9" b) 0.938" c) 0.937" d) 0.9375"

e)0.937500000"

9 – Arredondar para a segunda casa decimal o número 23,405000? a) 23 b) 23,4 c) 23,40 d) 23,41 e) 23,405 10 – Quantos algarismos significativos têm o número 100,700? a) 2 b) 3 c) 4 d) 5 e) 6

ÂNGULOS
1 – O ângulo de 60 graus, 20 minutos e 20 segundos convertido em radianos vale a) 1,528 radianos b) 0,526 radianos c) 1,047 radianos d) 1,053 radianos 2 – O ângulo de 15 graus, 10 minutos e 28 segundos convertido em grados vale a) 13,657 b) 16,860 c) 0,265 d) 33,721 3 – Qual o valor do resultado da soma de 32 graus 22 minutos e 28 segundos com 15 grados 20c 10cc? a) 45 graus 03 minutos 19 segundos b) 46 graus 2 minutos 19 segundos c) 46 graus 3 minutos 19 segundos d) 45 graus 4 minutos 28 segundos 4 – O ângulo de dois minutos em uma medição de inclinação corresponde a a) 0,3 mm/m b) 0,6 mm/m c) 1,0 mm/m d) 3,0 mm/m e) 6,0 mm/m 5 – Uma inclinação medida com um nível de bolha de 0,005 mm/m equivale a um desvio angular de a) 1’ b) 5’ c) 10’ d) 1” e) 5” 6 – O ângulo de 2grados 5c 8cc convertido em radianos vale a) 0,040 radianos b) 0,032 radianos c) 0,041 radianos

d) 1,846 radianos

1

ZEPTO Treinamento, Comércio e Serviços Industriais Ltda.
Rua José Bonifácio, 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol.com.br

7 – O ângulo de 2rad convertido em graus, minutos e segundos vale a) 127° 19’ 26” b) 360° 00’ 00” c) 114° 35’ 30”

d) 120° 00’ 00”

8 – Qual o valor do resultado da soma de 0,82rad com 5grados 25c 8cc? a) 0,902rad b) 0,903rad c) 52,233rad d) 6,071rad 9 – O ângulo de cinco minutos em uma medição de inclinação corresponde a a) 0,3 mm/m b) 0,6 mm/m c) 1,5 mm/m d) 3,0 mm/m

e) 6,0 mm/m

10 – Uma inclinação medida com um nível de bolha de 0,8 mm/m equivale a um desvio angular de a) 1’ b) 2’ c) 3’ d) 160” e) 120”

ESTATÍSTICA
1 – O tempo de vida útil de uma lâmpada num teste industrial é a) uma variável aleatória contínua b) uma medida de dispersão populacional c) uma medida de dispersão amostral d) uma medida de tendência central e) uma variável aleatória discreta 2 – O controle de qualidade de pintura de carro através do tom da cor é a) uma medida de dispersão amostral b) uma medida de dispersão populacional c) uma variável aleatória contínua d) uma medida de tendência central e) uma variável aleatória discreta 3 – O desvio padrão “sigma” representa a) uma medida de dispersão populacional c) uma medida de tendência central

b) uma medida de dispersão amostral d) uma variável aleatória contínua

4 – Assinale a alternativa que possui um parâmetro associado à dispersão de uma amostra. a) média b) mediana c) mediatriz d) variância e) pareto 5 - Assinale a alternativa que possui um parâmetro associado à medida de tendência central de uma população. a) Módulo b)Amplitude c)Mediatriz d)Desvio padrão e) Moda 6 – Uma amostra cujas medidas são 5; 8; 6; 5; 7; 5; 6 podemos afirmar que a) desvio-padrão = 1,155 b)desvio-padrão = 1,069 c) média geométrica = 6 7 - O gráfico que representa como os dados comportam-se com o passar do tempo é a) gráfico de pareto b) gráfico setorial c) histograma d) gráfico temporal

d) média geométrica = 5

e) gráfico seqüencial

8 – O gráfico que representa as freqüências das várias causas de um defeito ou problema em ordem decrescente chama-se a) gráfico de pareto b) gráfico setorial c) histograma d) gráfico temporal e) gráfico seqüencial 9 – A altura de uma população possui média de 1,66 m com um desvio padrão de 0,06m. Qual a percentual da população estaria na faixa entre 1,60 m e 1,72 m a) 50% b) 68% c) 75% d) 95% e) 99% 10 – A medição da altura de um tanque resultou em uma média igual a 2000 mm com um desvio padrão de 2 mm. Considerando um percentual de 95% de confiança qual o intervalo de aceitação correspondente a) 1998 a 2002mm b) 1990 a 2010mm c)1994 a 2006mm d)1996 a 2004mm e) 2000 a 2002 mm

CURVAS CÔNICAS
2

Comércio e Serviços Industriais Ltda. O eixo maior mede a) 8 b) 10 c) 15 d) 21 e) 25 11 – Uma falsa elipse possui um eixo menor de 60 m.231 m² e) 798. Rua José Bonifácio.32 m² d) 798.2210 m² 2 – O volume de um cone regular de altura 3m e raio da base de 2m vale a) 16m³ b) 14m³ c) 13m³ d) 12m³ 3 .com.4 m² c) 798. uma mediatriz e uma bissetriz 3 .ZEPTO Treinamento. Como se deve escrever o valor da área do terreno? a)798 m² b) 798. TRIGONOMETRIA.O encontro de três mediatrizes de um triângulo é conhecido como a) baricentro b) incentro c) ortocentro d) circuncentro e) altura 4 – A localização do centro de uma circunferência que passa por três pontos não colineares é feita através a) do encontro de três bissetrizes b) do encontro de três mediatrizes c) do encontro de 2 mediatrizes e uma bissetriz d) do encontro de duas bissetrizes e) do encontro de uma altura. MATEMÁTICA. FÍSICA E ERROS INSTRUMENTAIS 1 – A área de um terreno foi medida com uma trena em mm. 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol. O eixo menor mede a) 40 b) 50 c) 60 d) 80 e) 100 10 – Uma elipse possui um eixo menor de 12 m e uma distância focal de 9 m. 20 x 40. Qual o valor do eixo maior? a) 50 b) 60 c) 80 d) 85 e) 100 GEOMETRIA.br 1 – Uma curva aberta que possui os pontos eqüidistantes do foco e da diretriz chama-se a) Hipérbole b) Parábola c) Elipse d) Circunferência 2 – A curva onde a diferença das distâncias de qualquer de seus pontos aos focos é constante chama-se a) Hipérbole b) Parábola c) Elipse d) Circunferência e) Assíntota 3 – A curva onde a soma das distâncias de qualquer de seus pontos aos focos é constante chama-se a) Hipérbole b) Parábola c) Elipse d) Circunferência e) Assíntota 4 – Uma curva aberta que possui dois focos é a a) Elipse b) Parábola c) Hipérbole d) Assíntota e) Helicoidal 5 – Uma curva fechada que possui dois focos é a a) Assíntota b) Parábola c) Hipérbole d) Elipse 6 – Uma curva que possui um foco é a a) Elipse b) Parábola c) Hipérbole 7 – Uma curva que possui ramos é a a) Elipse b) Parábola e) Helicoidal d) Assíntota e) Helicoidal c) Hipérbole d) Assíntota e) Helicoidal 8 – A equação de segundo grau representa uma curva chamada de a) hipérbole b) reta c) elipse d) circunferência e) parábola 9 – Uma elipse possui um eixo maior de 100 m e uma distância focal de 60 m.

a) 80m³ b) 257.69 m² b) 23.pi. um em graus celsius e outro em Fahrenheit.pi m² c) 2. b) a altura é igual a média geométrica dos dois segmentos.br 5 .Centro de um círculo que toca três lados de um triângulo qualquer a) do encontro de duas bissetrizes externas b) do encontro de três mediatrizes c) do encontro de 2 mediatrizes e uma bissetriz d) do encontro de duas bissetrizes internas e) do encontro de uma altura. indicam valores iguais. a) 11. uma mediatriz e uma bissetriz 6 – O encontro de três alturas de um triângulo é conhecido como a) baricentro b) incentro c) ortocentro d) circuncentro e) mediatriz 7 .4m³ c) 250. a) 9. c) a altura é igual a média harmônica dos dois segmentos.385 m³ d) 16.5m³ d) 199.83. Que valor é esse a) 40 b) 80 c) -40 d) -80 4 .1m e) 3.000 m e comprimento total de 4. A distância PA vale 2. Qual a área do hexágono.875 m³ b) 10. Qual a área do círculo. a corda CD tem 5m e o ponto P a intercepta no centro.ZEPTO Treinamento.453 m³ 14 – Duas cordas AB e CD se cruzam numa circunferência num ponto O sendo que AO=6. Qual o volume do silo? Desprezar as espessuras das chapas. Qual o valor do comprimento da corda AB? a) 2.m² d) 2.76 m² d) 50 m² e) 75 m² 12 – Um silo cilíndrico de diâmetro igual a 5m. d) a altura é igual a média ponderada dos dois segmentos.com. Qual o valor da inclinação? a) 0° 31’ b) 0° 18’ c) 0° 41’ d) 0° 59’ e) 1° 18’ 10 – O volume do espaço ocupado entre uma esfera de raio 12 m e outra esfera de raio 6 m inscrita na primeira esfera é de a) 7/8 da esfera maior b) 3/4 da esfera maior c) 5/8 da esfera maior d) 1/2 da esfera maior e) 1/4 da esfera maior 11 – Um hexágono está inscrito num círculo de diâmetro 6 m. com comprimento total do corpo cilíndrico de 10m. Rua José Bonifácio. 16 – Qual a área do triângulo inscrito nos pontos médios dos lados de um triângulo eqüilátero de lado igual a 2m? a) raiz quadrada de 3 b) raiz quadrada de 2 c) raiz quadrada de 2 dividida por 2 d) raiz quadrada de 3 dividida por 2 e) raiz quadrada de 3 dividida por 4 17 – Num círculo existe duas cordas AB e CD que se entrecortam num ponto P. Calcule o volume do vaso. com um tampo cônico de ângulo do cone igual a 60° e outro tampo semiesférico.A temperatura de 2 termômetros. Pode-se dizer a) a altura é igual a média aritmética dos dois segmentos.6m³ e) 261.755 m³ e) 20.pi m² 9 – O erro de verticalização de uma torre foi medido em uma diferença de altura de 5 m e os valores lidos foram 59 mm no topo e 86 mm na base da torre.41.pi m² e) 3. Comércio e Serviços Industriais Ltda.000 m.Qual a área de um quadrado circunscrito em um circunferência de diâmetro 2m? a) 2m² b) 4m² c) 8m² d) 12m² e) 16m² 8 – Um quadrado de lado 2 m está inscrito num círculo. quanto vale DO=? a) 8 b) 6 c) 5 d) 4 15 – A altura num triângulo retângulo divide o lado maior em dois segmentos. BO=4 e CO=3.8m³ 13 – Um vaso cilíndrico com tampos semi-esféricos tem diâmetro interno de 2. a) pi m² b) 1.5m b) 2. 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol.472 m³ c) 14.1m 18 .5m d) 5.0m c) 4.38 m² c) 46.

101 m. seção da fita de 2.80 e) 31.870 m c) 19. tensão de 5 kg.46 b) 5.05 mm/m b) 0.432 m b) 240.br 19 – Uma trena suspensa apresentou uma medida de 20.24mm em milésimos de polegada é a) 0. 20 °C.1043 20 .75 d) 31. b) não tem importância no uso c) é necessário para fazer medições com a face externa do gancho d) é uma característica para evitar o efeito da dilatação térmica da trena 7 .79685” c) 0. Isso indica que a) é um problema de fabricação da trena.904 m 21 – Uma trena apresentou uma medida de 19.A distância numa inclinação de 6% deve ser medida com uma trena que é 8 mm mais curta que o seu valor nominal. temperatura de calibração e força de tração para calibração e medição b) Comprimento nominal da trena.ZEPTO Treinamento. Se a distância horizontal real for de 240 m.79685” b) 0.869 m b) 19.461 d) 5. Comércio e Serviços Industriais Ltda. Rua José Bonifácio. calibrada a 20 °C. 100 m d) 20.102 m c) 20. Qual o valor indicado se a trena fosse tracionada com 10 kgf? Seção da fita igual a 6 mm².082 m 22 – Uma trena de 20m. a) 19.com.096 m d) 240.4610 2 – Converter 1 1/4” em mm a) 31.528 m e) 239.870 m. estando a peça e a trena a 20 °C.5 mm/m d) 2 mm/m e) 3 mm/m 8 – Qual o erro devido ao operador na leitura do paquímetro a) Paralaxe b) Divisão do nônio c) Folga do cursor 9 – O erro de paralaxe se deve ao fato de d) Erro de seno 5 . mas solto.971 m d) 20.797” 4 – Qual a força que se faz na medição da trena? a) Tração b) Compressão c) Torque d) Normal d) 0.7 c) 5. Qual a medida correta da trena? a) 20.336 m c) 240. 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol. sabendo que o peso da fita é de 20 g/m.797” e) 0. temperatura de medição e força de tração para medição d) Comprimento de trabalho da trena. foi empregada apoiada para medir uma peça onde aplicou-se uma tensão de 10 kg e a medição resultou em 18854 mm. Quanto mede essa peça? a) 18858 mm b) 18850 mm c) 18854 mm d) 18856 mm e) 18852 mm INSTRUMENTOS DE CALDEIRARIA 1 – Converter 0.750 3 – A conversão de 20. temperatura de calibração e força de compressão para calibração c) Comprimento de trabalho da trena. temperatura de medição e força de compressão para medição 6 – O gancho de uma trena é rebitado.8 b) 31.5 c) 31.796850” 5 – Uma trena que possui a indicação 15m.1 mm/m c) 0. à 20 °C e tracionada com 5 kgf. 50 N quer dizer a) Comprimento nominal da trena.5 mm².658 m e) 19. qual será o valor indicado na trena na medição da distância inclinada? (valor nominal da trena é 20 m) a) 240.101 m b) 20. à 20 °C e tracionada com 10 kg.O erro dimensional da trena usada em caldeiraria é da ordem de a) 0.215” em mm a) 5.

0mm c) 1.01 mm c) 2. 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol. Comércio e Serviços Industriais Ltda.ZEPTO Treinamento. uma distância máxima de a) 20 m b) 30 m c) 70 m d) 200 m e) 1000 m 21 .5 mm por 100 mm d) 1.2 mm/m c) 0.5 mm/m e) 6 mm/m 20 – O nível ótico pode medir em uma única vez.28mm e) 1.5 mm/m d) 1.A resolução de um nível de bolha de pedreiro é na ordem de a) 0. A alternativa que melhor representa esta medição é a) 2 mm b) 2.21mm 16 – Um paquímetro apresenta uma escala dividida em 1/16” e o nônio de 4 divisões.1 mm por 100 mm c) 0.024 mm e) 2.Qual o instrumento de caldeiraria que é possível realizar medidas em segundos a) goniômetro b) clinômetro c) transferidor d) nível de bolha 6 .15mm d) 1.01mm 18 – Qual o instrumento utilizado para verificar o nivelamento da base da esfera de GLP? a) mangueira de água b) teodolito c) nível ótico d) nível de bolha e) clinômetro 19 .O erro dimensional do paquímetro de resolução 0. Rua José Bonifácio.02 mm 13 – Os paquímetros são feitos de aço inox por quê? a) melhor acabamento superficial b) baixo coeficiente de dilatação térmica c) elevada estabilidade dimensional d) ótima resistência à corrosão 14 – O paquímetro é mais suscetível aos seguintes erros de medição a) erro de paralaxe e erro de coseno b) erro de pressão de medição e erro de folga do cursor c) erro de paralelismo e erro de coseno d) erro de paralaxe e erro de pressão de medição 15 – A espessura de uma chapa foi medida com um paquímetro com vernier (nônio) de 50 divisões.br a) O nônio ficar num plano superior ao da escala prinicipal b) O nônio ficar num plano inferior ao da escala prinicipal c) O nônio ficar num plano igual ao da escala prinicipal d) O nônio ficar num plano muito inferior ao da escala prinicipal 10 .05 mm/m b) 0.1mm c) 1mm d) 0.10 mm d) 2.05 mm é de a) 10 µm b) 20 µm c) 30 µm d) 50 µm e) 80 µm 11 – O erro de pressão de medição na utilização do paquímetro pode ser minimizado a) medindo-se próximo a escala b) medindo-se afastado da escala c) não pode ser minimizado d) utilizando um dinamômetro adaptado ao paquímetro 12 . sendo a resolução de a)1/4” b) 1/8” c) 1/16” d) 1/64” e) 1/128” 17 – a menor resolução de uma escala metálica é a) 0. sem interferência da curvatura terrestre.5mm b) 0.O prumo deve ser utilizado para alturas não maiores que a) 3 metros b) 5 metros c) 10 metros d) 20 metros e) 50 metros 22 – A medição de nível com mangueira de água não pode ser feita em distâncias entre pontos superiores a a) 1m b) 5m c) 10m d) 20m e) 30m 23 – O erro de perpendicularidade de um esquadro de carpinteiro é da ordem de a) 0.com.A espessura de uma chapa foi medida com um paquímetro com um nônio de 20 divisões. A alternativa que melhor representa esta medição é a) 1mm b) 1.0 mm por 100 mm 24 .05 mm por 100 mm b) 0.

com. 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol. Comércio e Serviços Industriais Ltda. a resolução do instrumento é a) 2. Rua José Bonifácio.ZEPTO Treinamento.5 minutos b) 5 minutos c) 10 minutos d) 12 minutos 28 – Qual dos instrumentos não mede ângulos a) teodolito b) goniômetro c) mesa de seno e) teodolito e) 5 segundos d) clinômetro e) esquadro 29 – A mangueira de nível deve possuir um diâmetro interno maior que a) 1mm b) 5mm c) 10mm d) 20mm 30 – A calibração do paquímetro quadrimensional é feita com o(s) seguinte(s) padrão(ões) a) bloco-padrão e anel-padrão b) bloco-padrão c) anel-padrão e)50mm d) padrão angular AMOSTRAGEM 1 – A descrição correta para amostra é a) número total de elementos em produção b) quantidade definida de unidades de produto em produção ou produzida sob condições uniformes c) uma ou mais unidades de produto retiradas ao acaso do lote de inspeção d) lote a ser amostrado para verificação de conformidade com requisitos específicos e) máxima porcentagem defeituosa 2 – O exame visual de produtos é usado para realizar a) inspeção por atributos b) inspeção por variáveis d) medições projetadas e) a definição do tamanho da amostra c) inspeção de dimensões lineares 3 – Pode-se afirmar corretamente que a) A inspeção por variáveis é mais rápida que a inspeção por atributos b) A inspeção por variáveis é mais simples que a inspeção por atributos c) A inspeção por atributos é mais econômica que a inspeção por variáveis d) A inspeção por variáveis requer um tamanho de amostra maior que a inspeção por atributos 4 – A medição de características de produtos é usado para realizar a) inspeção por atributos b) inspeção por variáveis d) medições projetadas e) a definição do tamanho da amostra c) inspeção de dimensões lineares 5 – Qual das afirmações abaixo não pode ser considerada como variável na inspeção por amostragem? a) comprimento de tubos numa refinaria b) peso de sacos de cimento c) cor de armários numa fábrica de móveis d) tempo de vida útil de uma lâmpada incandescente ` 6 – A inspeção por amostragem através de atributos está relacionada ao conceito de a) utilização de calibradores passa .não passa b) aspectos quantitativos da inspeção c) tolerância d) medição 7 – Qual das afirmações abaixo pode ser considerada como inspeção por variáveis? 7 .br 25 – A resolução de um clinômetro é na ordem de a) 1 segundo b) 10 segundos c) 1 minuto d) 10 minutos e) 1 grau 26 – A medição de verticalidade em torres industriais é realizada com o emprego de a) fio de prumo b) clinômetro c) esquadro e régua d) nível ótico 27 – Um goniômetro possui um nônio de 12 divisões.

significa: a) QL b) NQA c) LQMR d) NQI e) QMR 10 – Assinale a alternativa falsa a) na produção seriada e não seriada é feita amostragem b) a produção não seriada dá ênfase no controle dimensional aos procedimentos c) na produção não seriada se faz controle amostral de elementos d) na produção seriada é feita amostragem de componentes de conjuntos 11 – Lote é a) quantidade definida de unidades de produto em produção ou produzidas sob condições uniformes.com. 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol. significa: a) Defeito crítico b) NQA c) QL d) Não-conformidade e) Porcentagem defeituosa 9 . geralmente tendo a mais alta qualidade metrológica disponível em um dado local ou em uma dada organização.br a) o tipo de metal dos tubos numa refinaria b) peso de sacos de cimento c) cor de armários numa fábrica de móveis d) quantidade de lâmpadas que queimam ao serem ligadas pela primeira vez 8 – O não atendimento a requisitos especificados. assinale a alternativa que corresponde a essa descrição a) medição b) ajuste c) calibração d) validação e) detecção 2 – A descrição do padrão.Marque a alternativa que estabelece a relação correta a) exatidão com variância b) exatidão com média d) precisão com média e) resolução com média c) exatidão com desvio médio 8 . Comércio e Serviços Industriais Ltda. NQA c) tamanho da amostra e número de aceitação d) tamanho do lote e nível de inspeção 13 – O plano de amostragem deve definir a) risco do fornecedor e tamanho do lote c) tamanho da amostra e número de aceitação b) tamanho do lote. NQA d) tamanho do lote e nível de inspeção 14 . nível de inspeção.Conforme descreve o VIM “Conjunto de operações que estabelece a relação entre os valores indicados por um instrumento de medição e os valores correspondentes das grandezas estabelecidos por padrões. para qualquer característica de qualidade estabelecida. significa: a) defeito crítico b) porcentagem defeituosa c) inspeção defeituosa d) não-conformidade VIM 1 . Rua José Bonifácio. b) uma ou mais unidades de produto retiradas do conjunto de produtos c) número total de elementos do conjunto d) quantidade total de produtos produzidos em um dia sob condições variadas 12 – Para elaborar um plano de amostragem por variáveis é necessário a) risco do fornecedor e tamanho do lote b) tamanho do lote. nível de inspeção. a partir do qual as medições lá executadas são derivadas refere-se a a) padrão internacional b) padrão nacional c) padrão primário d) padrão secundário e) padrão de referência 3 – Marque a alternativa que estabelece a relação correta a) exatidão com variância b) exatidão com amplitude c) exatidão com desvio médio d) precisão com média e) precisão com desvio padrão 4 .O não atendimento a requisitos especificados.ZEPTO Treinamento.”. para qualquer característica de qualidade estabelecida.O nível de qualidade aceitável expresso em percentual que determina o número máximo de defeitos por cem unidades.

baseada no Vocabulário Internacional de Termos Fundamentais e Gerais de Metrologia. b) Instituto de Metrologia. b) padrão cujo valor é estabelecido por comparação ao padrão primário. 6 .A definição de “Padrão Primário”. descreve a) calibração b) rastreabilidade c) erro de medição d) reprodutibilidade e) repetitividade SI 1 – Qual a única unidade de base que é materializada no SI a) o metro b) o segundo c) o ampère 2 – No SI a unidade derivada de ângulo plano é d) o quilograma e) o kelvin 9 . d) Resultado de uma medição menos o valor verdadeiro do mensurando. Normalização e Qualidade Industrial.ZEPTO Treinamento. c) Resultado de uma medição menos a média que resultaria de um infinito número de medições do mesmo mensurando efetuadas sob condições de repetitividade. 9 . e) padrão utilizado como intermediário para comparar padrões.com.”. d) Instituto Nacional de Metrologia. b) Valor menos seu valor de referência.Conforme descreve o VIM “Grau de concordância entre os resultados de medições sucessivas de um mesmo mensurando efetuadas sob as mesmas condições de medição.Elemento de um instrumento de medição ou de uma cadeia de medição que é diretamente afetado pelo mensurando é a definição de a) indicador b) transdutor c) sensor d) mostrador e) registrador 7 .br 5 – O erro de medição é a) Valor adicionado algebricamente ao resultado não corrigido de uma medição para compensar umerro sistemático. e) Instituto de Normalização e Metrologia. Rua José Bonifácio. é entendida como a) padrão reconhecido por um acordo internacional. 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol. Normalização e Qualidade Industrial. c) Instituto Nacional de Metrologia. 8 – A sigla INMETRO significa a) Instituto de Metrologia. c) padrão reconhecido por uma decisão nacional. d) padrão cujo valor é aceito sem referência a outros padrões de mesma grandeza. Comércio e Serviços Industriais Ltda. assinale a alternativa que corresponde a essa descrição a) exatidão de medição b) repetitividade c) reprodutibilidade d) indicação de medição e) calibração 10 – A precisão de uma medição: a) é caracterizada pela variabilidade do processo de medição b) é caracterizada pela exatidão da medição c) é igual ao valor verdadeiro convencional do objeto medido d) independente da variabilidade dimensional do objeto medido 11 – A sensibilidade de um instrumento de medição está relacionada com a) a capacidade de medição do instrumento b) a resolução do instrumento c) a incerteza de medição do instrumento d) o grau de exatidão do instrumento 12 – O grau de concordância entre os resultados das medições feitas de um mesmo mensurando utilizando-se condições variadas de medição.

para uso em vários países 5 . padrão de referência d) Padrão nacional. padrão de referência. A leitura na trena foi de 1000 mm e a leitura da escala foi de 1000 mm.10 mm b) +0. 2 x 19. padrão nacional c) Padrão nacional .05 mm e) -0. padrão de referência.05 um diâmetro 19. 2 x 19.10 mm 4 – A ISO e a IEC fazem a) Normas internacionais. A correção de indicação da trena é de a) +0.10 mm 3 – Na calibração de uma trena utilizou-se uma escala metálica de valor nominal 1000 mm e que possui um erro de +0.1 mm d) 1 mm e) 0.05 mm.00 mm d) -0. O erro de indicação da trena é de a) +0. Qual a resolução que o instrumento deve ter para atender esta exigência? a) 0.ZEPTO Treinamento. para uso em apenas um país b) Normas internacionais. 19.01 mm b) 0. para uso em vários países d) Normas nacionais. padrão de trabalho 7 – Os requisitos necessários para se ter um garantia da qualidade no controle dimensional é 10 .05 mm c) 0.70.10 mm b) +0. Comércio e Serviços Industriais Ltda. padrão internacional .05 mm e) -0. 19.com.50.02 mm 2 – Na calibração de uma trena utilizou-se uma escala metálica de valor nominal 1000 mm e que possui um erro de +0.75.00. padrão de trabalho b) Padrão internacional . Rua José Bonifácio.00 mm d) -0.br a) grau b) radiano c) grado d) esterradiano e) segundo 3 – O símbolo SI em metrologia siginifica a) Sistema inglês b) Sistema Internacional 4 – O Sistema Métrico possui como base o sistema a) binário b) fracionário c) sexagesimal c) Sistema Internacional de Unidades d) Sem Indicação d) decimal e) em polegadas 5 – A unidade de base de massa no Sistema Internacional de Unidades é a) o quilograma b) o grama c) a tonelada d) a libra e) a onça 6 – Qual a alternativa que possui uma unidade pertencente ao Sistema Internacional de Unidades (SI) a) libra b) polegada c) pé d) segundo e) onça 7 – Qual a unidade que não pertence ao Sistema Internacional de Unidades? a) grama b) metro c) grau d) grau Celsius 8 – A unidade de força no Sistema Internacional de Unidades é a) grama b) quilograma força c) quilograma e) newton d) newton e) libra força 9 – A unidade de base de temperatura no Sistema Internacional de Unidades é a) grau Celsius b) kelvin c) newton d) ampère e) fahrenheit CONFIABILIDADE METROLÓGICA 1 – A fabricação de tubos deve ser feita com uma tolerância do diâmetro de +/-1 mm. 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol.5 mm c) 0. qual das alternativas abaixo é a correta: a) Padrão nacional .Quando verificarmos com um paquímetro resolução 0. 19.05 mm. levando em consideração do maior para o menor. padrão de trabalho e) Padrão de referencia . A leitura na trena foi de 1000 mm e a leitura da escala foi de 1000 mm.75 o instrumento é: a) impreciso b) preciso e inexato c) impreciso e inexato d) preciso e exato e) inexato 6 – Com relação aos padrões.05 mm c) 0. para uso em apenas um país c) Normas nacionais.65.55. e encontrarmos as seguintes dimensões: 3 x 19. padrão nacional . padrão internacional .60. 19.

01 mm b) 0.6mm. 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol.2mm.ZEPTO Treinamento. d) O treinamento e a qualificação das pessoas envolvidas no processo de confiabilidade metrológica são fundamentais para a sua sustentação. b) As calibrações dos instrumentos de medição visam garantir a qualidade e a confiabilidade metrológica.1 mm d) 0.5 mm. é chamada de a) conversibilidade eletro-mecânico b) anisotropia c) entropia d) efeito Hall e) efeito piezoelétrico 11 . c) O conceito de cliente interno tem o intuito de manter a qualidade durante os processos intermediários de produção de um produto. e) Numa produção não seriada não é necessário a utilização dos conceitos de garantia da qualidade e confiabilidade metrológica.02 mm 11 – Um eixo de mancal tem a especificação de projeto de 50 ± 0.br a) inspetor qualificado. a) O objetivo da garantia da qualidade é garantir que um produto tenha qualidade assegurada durante todo o seu processo de fabricação. Qual a resolução que o instrumento deve ter para atender esta exigência? a) 0. Qual o percentual de peças produzidas que estão fora da especificação de projeto? a) 32% b) 5% c) 1% d) 68% e) 99% 12 – Com respeito a garantia da qualidade e confiabilidade metrológica. Rua José Bonifácio. assinale a alternativa falsa.com. 13 – A confiabilidade metrológica é a confiança ou certeza no(a) a) padrão de medição b) instrumento c) resultado da medição d) objeto medido 14 – A definiçao de cliente interno é a) não existe a definição de cliente interno b) cliente interno é o cliente que compra produtos no seu país c) cliente interno é a empresa que fabrica o produto e cliente externo é o consumidor d) é o colaborador ou setor da organização que recebe um produto ou serviço de outro colaborador ou setor da mesma organização MEDIÇÃO DE ESPESSURA POR ULTRA-SOM 1 – A propriedade que certos materiais possuem de transformar energia elétrica em mecânica e vice-versa. No controle de qualidade da produção verificouse que o desvio padrão medido de um lote produzido foi de 0. Comércio e Serviços Industriais Ltda. instrumento calibrado b) inspetor qualificado.2 mm e) 0. instrumento novo c) controle de temperatura e procedimento de medição d) procedimento de medição e registros de medição 8 – Um procedimento de caldeiraria deve ter a) tolerância dos instrumentos empregados b) resolução e incerteza de medição dos instrumentos empregados c) sensibilidade dos equipamentos a serem examinados d) periodicidade de calibração dos instrumentos empregados e) padrão de calibração dos instrumentos empregados 9 – Numa sala de calibração de instrumentos devem-se observar quais variáveis ambientais a) pressão atmosférica e temperatura b) gravidade local e umidade relativa do ar c) temperatura e vibração d) pressão atmosférica e campos magnéticos e) temperatura e umidade relativa do ar 10 – A fabricação de tubos deve ser feita com uma tolerância do diâmetro de 0.5 mm c) 0.

sentido do fluxo e válvula soldada b) flange cego. 10 e 7 na figura 6 do caderno de consulta E-QP-ECD-011 referem-se. 11 e 25 na figura 6 do caderno de consulta E-QP-ECD-011 referem-se.Linha traçada em tubulação na qual se realiza as medicões? a) Geratriz b) Mediatriz c) Linha de centro d) Linha de medição 2 – As numerações 6. redução concêntrica e válvula flangeada d) flange cego. curva e redução excêntrica b) curva 90°.br 2 – A velocidade de propagação do ultra-som é menor a) na água b) no aço c) no alumínio d) no cobre e) no ar 3 – Quanto às ondas usadas em ultra-som pode-se afirmar que a definição “número de ondas completas que passam em um ponto numa unidade de tempo” está relacionada com a) amplitude b) freqüência c) comprimento de onda d) acoplante 4 – As ondas de cisalhamento ou corte também chamam-se a) longitudinais b) transversais c) superficiais 5 – As ondas de compressão também chamam-se a) longitudinais b) transversais c) superficiais d) de Lamb e) eletromagnéticas d) de Lamb e) eletromagnéticas 6 – A propriedade que certos materiais possuem de transformar energia elétrica em mecânica e vice-versa. é chamada de a) conversibilidade eletro-mecânico b) anisotropia c) efeito Hall d) efeito piezoelétrico 7 – O material acoplante recomendado para medição de espessura por ultra-som é a) água b) carboxi-metil-celulose c) óleo vegetal d) graxa 8 . respectivamente. a a) flange cego. curva 90° e redução excêntrica 3 – As numerações 3. a a) tubo curvado.com. 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol. sentido do fluxo e válvula flangeada 12 . respectivamente. sentido do fluxo e válvula (haste horizontal) c) tampão. curva 90° e redução c) tubo curvado. curva e redução concêntrica d) curva.ZEPTO Treinamento.No aço qual o tipo de onda que tem uma maior velocidade de propagação: a) longitudinais b) transversais c) de cisalhamento d) conjugadas 9 – As ondas usadas em ultra-som. Rua José Bonifácio. Comércio e Serviços Industriais Ltda. nas quais o movimento das partículas de um meio possui a mesma direção de propagação das ondas chamam-se: a) longitudinais b) transversais c) superficiais d) de Lamb e) eletromagnéticas 11 – A superfície de uma peça com carepa fina e aderente que será medida por ultra-som deve sofrer a seguinte preparação a) remoção da carepa que estiver solta b) usinagem mecânica da superfície c) lavagem com água d) limpeza total da camada de óxido metálico da superfície 12 – Material usado entre o cabeçote de medição e a peça para poder realizar a medição de espessura por ultra-som a) lubrificante b) emulsificante c) acoplante d) resina DESENHO TÉCNICO E DE TUBULAÇÕES 1 . nas quais o movimento das partículas de um meio ocorre num plano normal ao sentido de propagação das ondas chamam-se: a) longitudinais b) transversais c) superficiais d) de Lamb e) eletromagnéticas 10 – As ondas usadas em ultra-som.

001 mm 2 – A medição da rotação de um flange apresentou que o primeiro furo encontra-se 4 mm deslocado a esquerda do eixo vertical e o segundo furo está deslocado 22 mm a direita deste eixo vertical. respectivamente. Comércio e Serviços Industriais Ltda. a a) tubo horizontal em elevação mais alta. tubo vertical e tubo horizontal em elevação mais baixa d) tubo superior. tubo inclinado e tubo horizontal em elevação mais baixa b) tubo horizontal em elevação mais baixa. tubo inferior e tubo superior 7 – As codificações A. tubo vertical e tubo horizontal em elevação mais baixa d) tubo superior. A rotação do flange é a) 5 mm b) 6 mm c) 9 mm d) 13 mm e) 18 mm 3 – A aplicação do equipamento “holiday detector” em tubulações de aço com revestimento anticorrosivo serve para a) medir a espessura do revestimento b) determinar a granulometria da tinta c) verificar a existência de perda das características isolantes do revestimento d) verificar a existência e a localização de falhas no revestimento 4 – Os tubos galvanizados devem ser unidos por a) flange b) solda c) rosca d) cola 13 .1 mm d) 1 mm e) 0. 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol.0001 m b) 0. Rua José Bonifácio. B e C na figura 9 do caderno de consulta E-QP-ECD-011 refere-se. tubo inclinado e tubo horizontal em elevação mais alta c) tubo horizontal em elevação mais alta.com. tubo inclinado e tubo horizontal em elevação mais baixa b) tubo horizontal em elevação mais baixa.ZEPTO Treinamento.A diferença de altura entre A e D na figura 8 do caderno de consulta E-QP-ECD-011 vale a) 0 b) 320 c) 385 d) 160 e) 65 TUBULAÇÕES E VÁLVULAS 1 – A tolerância de fabricação de passarela metálica é de a) 0. respectivamente. a a) tubo horizontal em elevação mais alta. tubo inclinado e tubo horizontal em elevação mais alta c) tubo horizontal em elevação mais alta. B e C na figura 11 do caderno de consulta E-QP-ECD-011 refere-se. tubo inferior e tubo superior 8 – Os desenhos isométricos são feitos a) em escala e sem perspectiva isométrica b) em escala e em perspectiva isométrica c) sem escala e sem perspectiva isométrica d) sem escala e em perspectiva isométrica 9 – A planta de tubulações da figura 13 do caderno de consulta E-QP-ECD-011 é um desenho feito a) em escala e sem perspectiva isométrica b) em escala e em perspectiva isométrica c) sem escala e sem perspectiva isométrica d) sem escala e em perspectiva isométrica 10 .01 mm c) 0.br 4 – A diferença de altura entre B e C na figura 7 do caderno de consulta E-QP-ECD-011 vale a) 90 b) 190 c) 280 d) 68 e) 77 5 – A diferença de altura entre A e D na figura 7 do caderno de consulta E-QP-ECD-011 vale a) 90 b) 190 c) 280 d) 80 e) 77 6 – As codificações A.

espelho flutuante e chicanas 4 – A medição de verticalidade em torres industriais é realizada com o emprego de a) fio de prumo b) clinômetro c) esquadro e régua d) nível ótico 5 .5mm b) +3mm e -3mm c) +0mm e -3mm d) +10mm e -10mm VASOS DE PRESSÃO 1 – As numerações 3. espelho flutuante e chicanas 2 – As numerações 1. a a) cabeçote estacionário.5mm e -1. espelho estacionário e bocal do casco d) flange do cabeçote estacionário. respectivamente. rotação e perpendicularismo da face do flange 8 – O traçado da geratriz superior de uma tubulação é feito com os seguintes instrumentos de medição a) duas réguas c) um esquadro e uma régua b) uma régua e um nível de bolha d) um esquadro e um nível de bolha 9 – A verificação do perpendicularismo da face do flange e o tubo é feita com os seguintes instrumentos de medição a) duas réguas c) um esquadro e uma régua b) uma régua e um nível de bolha d) um esquadro e um nível de bolha 10 – A norma Petrobras que estabelece as tolerâncias dimensionais para spool é a) N-269 b) N-1852 c) N-115 d) N-271 e) N-293 11 – A tolerância dimensional segundo norma Petrobras para distância centro a centro de flanges em spool é de a) +3mm e -0mm b) +3mm e -3mm c) +0mm e -3mm d) +10mm e -10mm 12 – A tolerância dimensional segundo norma Petrobras para rotação de flanges em spool é de a) +1. rotação e perpendicularismo da face do flange c) comprimentos de trechos retos. comprimentos de trechos retos. 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol. a a) calota inferior. equador e trópico superior c) calota superior. 8 e 12 na figura 15 do caderno de consulta E-QP-ECD-011 referem-se. 15 e 28 na figura 14 do caderno de consulta E-QP-ECD-011 referem-se. comprimentos de trechos retos. a a) cabeçote estacionário. casco e bocal do casco c) flange do cabeçote flutuante. rotação da face do flange e ângulos entre furos do flange d) ângulos entre trechos das tubulações. tubo e flange do casco b) cabeçote estacionário boleado. espelho estacionário e espaçadores d) flange do cabeçote estacionário. tronco e cinturão inferior 3 – As numerações 2. respectivamente. respectivamente. equador e trópico inferior b) calota inferior. casco e junta de expansão c) flange do cabeçote flutuante.com. espelho estacionário e chicanas b) tubos. 3 e 4 na figura 16 do caderno de consulta E-QP-ECD-011 referem-se.br 5 – A união entre tubos que permite a melhor estanqueidade é a) flange b) solda c) rosca d) cola 6 – A união entre tubos de materiais não soldáveis é feita por a) flange b) brasagem c) rosca d) cola 7 – Quais os desvios e dimensões que devem ser verificadas dimensionalmente num spool a) ângulos entre trechos das tubulações. equador e trópico inferior d) calota.ZEPTO Treinamento.A seqüência de montagem da esfera é e) teodolito 14 . rotação e retilineidade da face do flange b) ângulos entre trechos das tubulações. Rua José Bonifácio. diâmetro do flange. Comércio e Serviços Industriais Ltda.

permutadores de calor 7 – No caso de um vaso de pressão tratado termicamente deve-se a) realizar o teste de estanqueidade antes do tratamento térmico b) realizar o teste de estanqueidade após o tratamento térmico c) não é necessário realizar o teste de estanqueidade antes do tratamento térmico d) realizar o teste de estanqueidade antes ou após o tratamento térmico 8 – Como é medido o diâmetro interno de um vaso de pressão? a) Mede-se o perímetro do vaso com uma trena e calcula-se o diâmetro externo. trópico superior. a) I e II são falsas.A largura das bases de anel de concreto deve ser verificada no mínimo a cada 10 m ou 30° ( o menor dos dois). d) Mede-se com uma trena a parte interna do vaso de pressão. a) Após a montagem do tanque e antes do teste hidrostático. decorrente de algum vazamento. Comércio e Serviços Industriais Ltda. espelho fixo e tubos da figura 14 do caderno de consulta E-QP-ECD-011: a) 35. 6 e 28 c) 35. deve ser reparado o grauteamento nos pontos danificados. tanques b) equador. ao longo do perímetro da base.Assinale a alternativa falsa. b) I e II são verdadeiras. 6 e 7 d) 35. c) A coluna-guia do teto flutuante deve estar no prumo antes do teste hidrostático.ZEPTO Treinamento. calotas c) trópico inferior. torres.Deve ser verificado se a orientação da linha de centro e as dimensões do rebaixo da porta de limpeza estão de acordo com o projeto. trópico superior. permutadores de calor. trópico inferior. 3 – Assinale a alternativa falsa. mantendo espaço para possível drenagem da água sob o fundo. 9 – O tratamento térmico dos vasos de pressão deve ser feito a) antes do processo de soldagem b) após o processo de soldagem c) após o controle dimensional d) não dever ser feito de forma alguma 10 – Qual alternativa corresponde as respectivas desiginações: berço. d) Somente III é verdadeira. sendo a tolerância de ± h/1. trópico inferior. sendo h a altura da coluna.com. b) Utiliza-se o catálogo do fornecedor. desconta o valor de duas espessuras de parede utilizando um aparelho de medição de espessura por ultra-som para medir essa espessura. torres. a) Os furos de teste e respiros das chapas de reforço devem ser feitos antes da montagem das mesmas. calotas b) tanques e esferas d) esferas. trópico inferior. 2 . trópico superior. d) Os parafusos empregados na montagem devem ser apenas os especificados no projeto e não precisam estar identificados. tanques c) esferas. equador. calotas d) trópico superior. c) Confere-se no projeto o valor nominal. b) Os sistemas de aquecimento devem ser montados antes do teste hidrostático do tanque. III – Somente o nivelamento da base. equador. Rua José Bonifácio. torres. 18 e 28 b) 8. 6 e 27 TANQUES 1 – N verificação da base de um tanque de armazenamento deve-se conferir: I . em mm. c) Somente I é verdadeira.br a) equador. 15 . II . 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol.200. calotas 6 – São considerados vasos de pressão a) esferas. O teste hidrostático das serpentinas deve ser feito antes do teste do tanque.

resistência a tração do concreto. diâmetro da base c) diâmetro da base. d) Os flanges das conexões devem ser montados nos tanques independentemente se as ranhuras estão em bom estado ou não. Comércio e Serviços Industriais Ltda. sem anel de concreto (“ring wall”).br b) O grauteamento deve ser feito com argamassa comum ou especial. Rua José Bonifácio. 16 . b) Os flanges devem ser instalados de forma que o eixo vertical passe pelo meio do intervalo entre dois furos. os pinos devem ser fixados em cantoneiras de aço.As cotas do teto. no caso de fundação direta sobre terreno muito compressível e no caso de fundação mista. soldadas no costado do tanque a cerca de 200 cm acima do fundo. III .A declividade mínima é de 1/1200. 4 – Assinale a alternativa verdadeira. devem ser fixados à base do tanque pinos para controle de recalques. a) Devem ser chumbados no concreto. b) No caso de tanques em fundação direta. c) Não é necessário tratamento térmico de alívio de tensões.O concreto da laje deve ter um acabamento fino. II – A elevação e a locação dos acessórios do teto. b) Em cada medição de nivelamento devem ser efetuadas duas seqüências completas de nivelamento dos pinos. em doze pontos igualmente espaçados. II e III são verdadeiras TESTE HIDROSTÁTICO EM TANQUES E VASOS DE PRESSÃO 1 . altura da base b) nível da base.A distância entre o costado do teto e o do tanque. 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol. a) Devem ser instaladas referências de nível profundas (“benchmark”). por exemplo. deve ser verificado se a base do tanque atende aos seguintes requisitos: I . III . nível de base. c) II e III são verdadeiras d) I. na periferia da fundação ou estrutura. c) Todos os tanques devem ser testados hidrostaticamente.com.ZEPTO Treinamento. a) I e II são falsas b) I e II são verdadeiras. c) O número de pinos a serem colocados depende do equipamento.Antes e após a soldagem do teto flutuante de um tanque devem ser medidas e registradas as seguintes dimensões: I . d) Pode ser necessária a medida de recalque com um número maior de pinos. da estrutura e do tipo de fundação. diâmetro da base. O valor da leitura de cada pino deve ser a média aritmética dos nivelamentos respectivos.A base deve estar no mínimo 150 mm acima do greide do terreno. II e III são verdadeiras 9 . espessura da camada de concreto da base.Antes do início da montagem. a) I e II são falsas b) I e II são verdadeiras. d) Antes do teste hidrostático. 5 – A melhor disposição das chapas do costado de um tanque de teto flutuante é a) disposição simétrica b) disposição com alinhamento pela face interna c) disposição assimétrica b) disposição com alinhamento pela face externa 6 – Na verificação da base do tanque deve-se conferir a) espessura da camada de concreto da base.Assinale a alternativa falsa. a) Os furos de teste e respiros das chapas de reforço do tanque devem ser feitos após a montagem das mesmas. II . sendo dispostas de maneira a minimizar os erros provindos de transportes sucessivos de leituras. 2 – Assinale a alternativa falsa. declividade da base d) declividade da base. quando em posição de manutenção. pinos de referência. medida no mínimo. c) II e III são verdadeiras d) I. coordenadas geodésicas do centro do tanque 7 – A tolerância de nivelamento do costado do tanque é a) 3mm para pontos não consecutivos b) 6mm para pontos não consecutivos c) 12mm para pontos não consecutivos d) 24mm para pontos não consecutivos 8 .

quanto a ruptura. vazamentos ou deformações permanentes. óleo automotivo. stub e tronco c) virola. Comércio e Serviços Industriais Ltda. d) soldas em geral. tramo e virola b) tramo. c) soldas em geral.ZEPTO Treinamento. respectivamente. tronco e contraventamento 17 . quanto a vazamentos. quanto a ruptura. 8 – O teste hidrostático será considerado aprovado se a) não houver vazamento ou apenas um ponto de vazamento. juntas de vedação definitivas que já foram instaladas. 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol. juntas de vedação definitivas que já foram instaladas. quanto a ruptura. a a) nó. quanto a vazamento ou trincas. tramo e stub d) tramo.com. 2 e 7 na figura 2 do caderno de consulta E-QP-ECD-011 referem-se.5 a 4 vezes a pressão de teste 5 – A menor divisão da escala do manômetro usado no teste hidrostático deve ser a) 1% da indicação máxima da escala b) 2% da indicação máxima da escala c) 5% da indicação máxima da escala d) 10% da indicação máxima da escala 6 – Os manômetros usados no teste hidrostático devem ser calibrados a cada a) 3 meses b) 6 meses c) 12 meses d) 24 meses 7 – No teste hidrostático devem ser inspecionados os segunites itens: a) estado geral do casco. b) não houver vazamentos e permite algumas deformações permanentes na estrutura de até 2mm de desvio c) não houver deformações permanentes na estrutura e se não houver vazamentos d) não houver vazamento ou apenas um ponto de vazamento e permite algumas deformações permanentes na estrutura de até 2mm de desvio 9 – O teste hidrostático em tanques de armazenamento de petróleo pode ser realizado com os seguintes fluídos a) somente água b) somente ar comprimido c) água. juntas de vedação definitivas que já foram instaladas. estado geral do casco. Rua José Bonifácio. vazamentos ou deformações permanentes. 3 – No teste hidrostático de vasos de pressão deve-se usar no mínimo quantos manômetros? a) um b) dois c) três d) nenhum 4 – O valor máximo da escala do manômetro usado no teste hidrostático deve ser a) 2 a 10 vezes a pressão de teste b) 1 a 2 vezes a pressão de teste c) 1 a 5 vezes a pressão de teste d) 1. ar comprimido d) água ou fluído automotivo 10 – Num teste hidrostático onde o equipamento testado foi reprovado e a falha foi corrigida por soldagem deve-se a) fazer apenas ensaio visual da solda b) fazer apenas uma radiografia da solda c) fazer novo teste hidrostático d) não é necessário fazer nenhum novo ensaio 11 – O teste de estanqueidade de um vaso de pressão deve ser feito a) antes do processo de soldagem b) após o processo de soldagem e após o tratamento térmico c) antes do tratamento térmico d) não deve ser feito teste de estanqueidade ESTRUTURAS OCEÂNICAS 1 – As numerações 1. d) Os tanques de teto flutuante devem ser enchidos até 90% da elevação do teto e os de teto fixo até o topo da cantoneira de reforço da borda superior do costado.br c) O erro admissível para fechamento da RN é 2 mm (dois milímetros) e a diferença entre as leituras dos 2 (dois) nivelamentos deve ser no máximo 1 mm (um milímetro). quanto a vazamento ou trincas. b) soldas em geral. quanto a vazamento ou trincas. estado geral do casco. vazamentos ou deformações permanentes. quanto a vazamentos. quanto a vazamentos.

comprimento de stub. a a) junta longitudinal e junta tubular b) junta tubular sobreposta e junta circunferencial c) junta tubular e junta circunferencial d) junta circunferencial e junta longitudinal 3 – Os tubos que compõe uma estrutura oceânica devem ser verificados dimensionalmente. rotação da mesa. espessura.br 2 – As juntas soldadas 1 e 4 da figura 3 do caderno de consulta E-QP-ECD-011 referem-se. rotação da mesa. a a) junta longitudinal e junta tubular b) junta tubular sobreposta e junta circunferencial c) juntas tubulares e junta longitudinal d) junta circunferencial e junta longitudinal 6 – A verificação de perfis de estruturas oceânicas é feita nos seguintes aspectos: a) flecha. altura. respectivamente. concentricidade c) flecha. ângulo interno. excentricidade d) flecha. excentricidade. comprimento de can. 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol. respectivamente. ovalização.ZEPTO Treinamento. esquadro de biséis 4 – As numerações 6 e 7 na figura 2 do caderno de consulta E-QP-ECD-011 referem-se. excentricidade. inclinação da alma. a a) stub e tronco b) tronco e stub c) tramo e stub d) tramo e tronco 5 – As juntas soldadas 2 e 3 da figura 3 do caderno de consulta E-QP-ECD-011 referem-se. comprimento de can. comprimento. excentricidade 7 – A tolerância de comprimentos das ramificações e do tronco de uma junta tubular é de a) +10mm e -10mm b) +10mm e -0mm c) +20mm e -20mm d) +0mm e -10mm 8 – A tolerância de ângulo entre uma ramificação e o tronco de uma junta tubular é de a) ±1’ b) ±5’ c) ±30’ d) ±15’ 9 – A tolerância de excentricidade numa junta tubular é de a) +10mm e -10mm b) +10mm e -0mm c) +5mm e -5mm d) +0mm e -10mm 10 – Em juntas tubulares deve-se verificar os seguintes itens a) ângulos. ponto de trabalho c) ângulos. esquadro de biséis d) diâmetro. comprimento. ponto de trabalho GABARITOS ALGARISMOS SIGNIFICATIVOS E ARREDONDAMENTOS 1e 2a 3d 4d 5e 6d 7d 8b 9c 10e ÂNGULOS 1d 2b 3c 4b 5d 6b 7c 8a 9c 10d 18 . perpendicularismo da mesa. Rua José Bonifácio. Comércio e Serviços Industriais Ltda. espessura. ovalização. inclinação da alma. altura. ponto de trabalho d) ângulos.com. comprimento. Qual a alternativa falsa quanto aos tipos de verificação: a) diâmetro. excentricidade b) flecha. ovalização b) diâmetro. flambagem da mesa. respectivamente. rotação da mesa. espessura. comprimento de stub. inclinação da alma. inclinação da alma. altura. perpendicularismo da mesa. esquadro de biséis c) diâmetro. comprimento de stub. alinhamento das pernas b) ângulos.

FÍSICA E ERROS INSTRUMENTAIS 1c 12b 2c 13b 3d 14a 4b 15b 5d 16e 6c 17d 7b 18c 8c 19c 9b 20d 10a 21a 11b 22d INSTRUMENTOS DE CALDEIRARIA 1c 11a 21b 2c 12c 22c 3d 13d 23b 4a 14d 24d 5a 15d 25c 6c 16d 26e 7c 17a 27b 8a 18c 28e 9a 19e 29c 10d 20c 30a AMOSTRAGEM 1c 2a 3c 4b 5d 6a 7b 8d 9b 10b 11a 12b 13c 14d VIM 1c 2e 3e 4b 5d 6c 7d 8c 9b 10a 11b 12d SI 1d 2b 3c 4d 5a 6d 7c 8d 9b CONFIABILIDADE METROLÓGICA 1b 2b 3d 4b 5c 6d 7a 8b 9e 10c 11c 12e 13c 14d MEDIÇÃO DE ESPESSURA POR ULTRA-SOM 1e 2e 3b 4b 5a 6d 7b 8a 9b 10a 11d 12c DESENHO TÉCNICO E DE TUBULAÇÕES 1a 2a 3d 4b 5c 6c 7d 8d 9a 10e TUBULAÇÕES E VÁLVULAS 1d 2c 3d 4c 5b 6a 7b 8d 9c 10c 11b 12a 19 . Rua José Bonifácio. Comércio e Serviços Industriais Ltda. TRIGONOMETRIA. MATEMÁTICA. 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol.br ESTATÍSTICA 1a 2e 3a 4d 5e 6a 7e 8a 9b 10d CURVAS CÔNICAS 1b 2a 3c 4c 5d 6b 7c 8e 9d 10c 11d GEOMETRIA.com.ZEPTO Treinamento.

ZEPTO Treinamento. 204 Sala2 – Centro – São Leopoldo – RS CEP 93010-180 Fone/Fax: (51) 3568-8173 zepto@uol.br VASOS DE PRESSÃO 1d 2c 3b 4e 5b 6d 7a 8a 9b 10c TANQUES 1b 2d 3b 4b 5b 6c 7b 8d 9c TESTE HIDROSTÁTICO EM TANQUES E VASOS DE PRESSÃO 1b 2d 3b 4d 5c 6a 7d 8c 9a 10c 11c ESTRUTURAS OCEÂNICAS 1c 2b 3c 4b 5c 6a 7b 8d 9c 10d 20 .com. Rua José Bonifácio. Comércio e Serviços Industriais Ltda.