Você está na página 1de 54

31/3/2011

ANATOMIA DO SISTEMA CARDIOVASCULAR Profº David Mota Enfermeiro
ANATOMIA DO SISTEMA
CARDIOVASCULAR
Profº David Mota
Enfermeiro
31/3/2011 ANATOMIA DO SISTEMA CARDIOVASCULAR Profº David Mota Enfermeiro 1

31/3/2011

 

INTRODUÇÃO

A função básica do sistema cardiovascular é a de levar material nutritivo e oxigênio às células. O

sistema circulatório é um sistema fechado, sem

comunicação com o exterior, constituído por tubos, que são chamados vasos, e por uma bomba percussora que tem como função impulsionar um líquido circulante de cor vermelha

por toda a rede vascular.

 

INTRODUÇÃO

O

sistema cardiovascular consiste no sangue, no

coração e nos vasos sangüíneos. Para que o

sangue possa atingir as células corporais e trocar materiais com elas, ele deve ser, constantemente, propelido ao longo dos vasos sangüíneos. O coração é a bomba que promove

circulação de sangue por cerca de 100 mil quilômetros de vasos sangüíneos.

a

31/3/2011

31/3/2011 CIRCULAÇÕES  Circulação Pulmonar - leva sangue do ventrículo direito do coração para os pulmões
CIRCULAÇÕES  Circulação Pulmonar - leva sangue do ventrículo direito do coração para os pulmões
CIRCULAÇÕES
 Circulação Pulmonar - leva sangue do ventrículo
direito do coração para os pulmões e de volta ao
átrio esquerdo do coração. Ela transporta o
sangue pobre em oxigênio para os pulmões,
onde ele libera o dióxido de carbono (CO²) e
recebe oxigênio (O²). O sangue oxigenado,
então, retorna ao lado esquerdo do coração para
ser bombeado para circulação sistêmica.

31/3/2011

CIRCULAÇÕES  Circulação Sistêmica - é a maior circulação; ela fornece o suprimento sangüíneo para
CIRCULAÇÕES
 Circulação Sistêmica - é a maior circulação; ela
fornece o suprimento sangüíneo para todo o
organismo. A circulação sistêmica carrega
oxigênio e outros nutrientes vitais para as
células, e capta dióxido de carbono e outros
resíduos das células.
oxigênio e outros nutrientes vitais para as células, e capta dióxido de carbono e outros resíduos

31/3/2011

SANGUE

As células de nosso organismo precisam constantemente de nutrientes para manutenção

do seu processo vital, os quais são levados até

elas pelo sangue.

Estes elementos nutritivos são constituídos por proteínas, hidratos de carbono e gordura, desdobrados em suas moléculas elementares

(protídeos, lipídeos e glicídios) e ainda sais

minerais, água e vitaminas

SANGUE

Ao sangue cabe também a função de transportar

oxigênio para as células, e servir de veículo para que

elementos indesejáveis

como gás carbônico,

que

deve ser expelido pelos pulmões, e uréia, que deve

ser

eliminado

pelos

rins.

31/3/2011

31/3/2011 SANGUE  O sangue é composto por uma parte líquida, o plasma , constituído de

SANGUE

O sangue é composto por uma parte líquida, o

plasma, constituído de substâncias nutritivas e

elementos residuais das reações celulares. O

plasma também possui uma parte organizada, os elementos figurados, que são os glóbulos

sangüíneos e as plaquetas.

31/3/2011

SANGUE

Os glóbulos dividem-se em vermelhos e bancos. Os glóbulos vermelhos são as hemácias, células

sem núcleo contendo hemoglobina, um pigmento

vermelho do sangue responsável pelo transporte

de oxigênio e de gás carbônico. Os glóbulos brancos são os leucócitos, verdadeiras células nucleadas, incumbidas da defesa do organismo.

São eles: neutrófilos, basófilos, eosinófilos,

monócitos e linfócitos.

incumbidas da defesa do organismo. São eles: neutrófilos, basófilos, eosinófilos, monócitos e linfócitos. 7

31/3/2011

31/3/2011 SANGUE  Hemácias são de 5 milhões por milímetro cúbico.  Leucócitos são de 5

SANGUE

Hemácias são de 5 milhões por milímetro cúbico.

Leucócitos são de 5 a 9 mil por milímetro cúbico.

Plaquetas são fragmentos citoplasmáticos de células da medula óssea, implicadas diretamente no processo de coagulação sangüínea. São em número de 100 a 400 mil por milímetros cúbicos.

31/3/2011

31/3/2011 SANGUE  O sangue está contido num sistema fechado de canais (vasos sangüíneos), impulsionados pelo

SANGUE

O sangue está contido num sistema fechado de canais (vasos sangüíneos), impulsionados pelo

coração. Sai do coração pelas artérias que vão

se ramificando em arteríolas e terminando em capilares que por sua vez se continuam em

vênulas e veias, retornando ao coração.

31/3/2011

SANGUE

Ao nível dos capilares o plasma é acompanhado de alguns linfócitos e raramente hemácias, pode extravasar para o espaço intersticial, constituindo a linfa, que posteriormente é reabsorvida pelos capilares linfáticos passando aos vasos linfáticos e então as veias, sendo reintegrada à circulação.

O

coração

é

o

ponto

central

da

circulação.

Partindo

dele

temos

dois

circuitos

fechados

distintos:

SANGUE  Circulação pulmonar ou direita ou pequena circulação : vai do coração aos pulmões
SANGUE
 Circulação pulmonar ou direita ou pequena
circulação : vai do coração aos pulmões e retorna ao
coração. Destina-se à troca de gases (gás carbônico
por oxigênio).
 Circulação sistêmica ou esquerda ou grande
circulação : vai do coração para todo o organismo e
retorna ao coração. Destina-se à nutrição sistêmica
de
todas
as
células.

31/3/2011

CORAÇÃO

Apesar de toda a sua potência, o coração, em forma de cone, é relativamente pequeno,

aproximadamente do tamanho do punho

fechado, cerca de 12 cm de comprimento, 9 cm

de largura em sua parte mais ampla e 6 cm de espessura. Sua massa é, em média, de 250g, nas mulheres adultas, e 300g, nos homens

adultos.

CORAÇÃO

O coração fica apoiado sobre o diafragma, perto da linha média da cavidade torácica, no mediastino, a massa de tecido que se estende do esterno à coluna vertebral; e entre os revestimentos (pleuras) dos pulmões. Cerca de 2/3 de massa cardíaca ficam a esquerda da linha média do corpo. A posição do coração, no mediastino, é mais facilmente apreciada pelo exame de suas extremidades, superfícies e limites.

31/3/2011

CORAÇÃO

A extremidade pontuda do coração é o ápice, dirigida para frente, para baixo e para a esquerda. A porção mais larga do coração, oposta ao ápice, é a base, dirigida para trás, para cima e para a direita.

A porção mais larga do coração, oposta ao ápice, é a base, dirigida para trás, para

31/3/2011

31/3/2011 LIMITES DO CORAÇÃO  A superfície anterior fica logo abaixo do esterno e das costelas.

LIMITES DO CORAÇÃO

A superfície anterior fica logo abaixo do esterno e das costelas. A superfície inferior é a parte do coração

que, em sua maior parte repousa sobre o diafragma,

correspondendo a região entre o ápice e aborda direita. A borda direita está voltada para o pulmão direito e se estende da superfície inferior à base; a borda esquerda, também chamada borda pulmonar,

fica voltada para o pulmão esquerdo, estendendo-se

da base ao ápice. Como limite superior encontra-se

os grandes vasos do coração e posteriormente a traquéia, o esôfago e a artéria aorta descendente.

31/3/2011

31/3/2011 14
31/3/2011 14

31/3/2011

CAMADAS DA PAREDE CARDÍACA  Pericárdio: a membrana que reveste e protege o coração. Ele
CAMADAS DA PAREDE CARDÍACA
 Pericárdio: a membrana que reveste e protege o
coração. Ele restringe o coração à sua posição
no mediastino, embora permita suficiente
liberdade de movimentação para contrações
vigorosas e rápidas. O pericárdio consiste em
duas partes principais: pericárdio fibroso e
pericárdio seroso.

CAMADAS DA PAREDE CARDÍACA

O pericárdio fibroso superficial é um tecido conjuntivo irregular, denso, resistente e inelástico. Assemelha-se

a um saco, que repousa sobre o diafragma e se

prende a ele. O pericárdio seroso, mais profundo, é uma membrana mais fina e mais delicada que forma uma dupla camada, circundando o coração. A camada parietal, mais externa, do pericárdio seroso está fundida ao pericárdio fibroso. A camada visceral, mais interna, do pericárdio seroso, também chamada epicárdio, adere fortemente à superfície do coração.

31/3/2011

31/3/2011 16
31/3/2011 16

31/3/2011

31/3/2011 CAMADAS DA PAREDE CARDÍACO  Epicárdio: a camada externa do coração é uma delgada lâmina
CAMADAS DA PAREDE CARDÍACO  Epicárdio: a camada externa do coração é uma delgada lâmina
CAMADAS DA PAREDE CARDÍACO
 Epicárdio: a camada externa do coração é uma delgada lâmina
de tecido seroso. O epicárdio é contínuo, a partir da base do
coração, com o revestimento interno do pericárdio, denominado
camada visceral do pericárdio seroso.
 Miocárdio: é a camada média e a mais espessa do coração. É
composto de músculo estriado cardíaco. É esse tipo de músculo
que permite que o coração se contraia e, portanto, impulsione
sangue, ou o force para o interior dos vasos sangüíneos.
Endocárdio: é a camada mais interna do coração. É uma fina
camada de tecido composto por epitélio pavimentoso simples
sobre uma camada de tecido conjuntivo. A superfície lisa e
brilhante permite que o sangue corra facilmente sobre ela. O
endocárdio também reveste as valvas e é contínuo com o
revestimento dos vasos sangüíneos que entram e saem do
coração.

31/3/2011

31/3/2011 18
31/3/2011 18

31/3/2011

CONFIGURAÇÃO EXTERNA DO CORAÇÃO O CORAÇÃO APRESENTA 3 FACES E 4 MARGENS FACES:  Face
CONFIGURAÇÃO EXTERNA DO
CORAÇÃO
O CORAÇÃO APRESENTA 3 FACES E 4 MARGENS
FACES:
 Face
Anterior
(Esternocostal)
-
Formada
principalmente pelo ventrículo direito.
 Face Diafragmática (Inferior) - Formada
principalmente pelo ventrículo esquerdo e
parcialmente pelo ventrículo direito; ela está
relacionada principalmente com o tendão central do
diafragma.
 Face Pulmonar (Esquerda) - Formada principalmente
pelo ventrículo esquerdo; ela ocupa a impressão
cárdica do pulmão esquerdo.
CONFIGURAÇÃO EXTERNA DO CORAÇÃO  Margem Direita - Formada pelo átrio direito e estendendo- se
CONFIGURAÇÃO EXTERNA DO
CORAÇÃO
 Margem Direita - Formada pelo átrio direito e estendendo-
se entre as veias cavas superior e inferior.
 Margem Inferior - Formada principalmente pelo ventrículo
direito e, ligeiramente, pelo ventrículo esquerdo.
 Margem Esquerda - Formada principalmente pelo
ventrículo
esquerdo
e,
ligeiramente,
pela
aurícula
esquerda.
 Margem Superior - Formada pelos átrios e pelas aurículas
direita e esquerda em uma vista anterior; a parte
ascendente da aorta e o tronco pulmonar emergem da
margem superior, e a veia cava superior entra no seu lado
direito. Posterior à aorta e ao tronco pulmonar e anterior à
veia cava superior, a margem superior forma o limite
inferior do seio transverso do pericárdio.

31/3/2011

CORAÇÃO

Externamente os óstios atrioventriculares correspondem ao sulco coronário, que é ocupado por artérias e veias coronárias, este sulco circunda o coração e é interrompido anteriormente pelas artérias

aorta e pelo tronco pulmonar.

O septo interventricular na face anterior corresponde ao sulco interventricular anterior e na face diafragmática ao sulco interventricular posterior.

O sulco interventricular termina inferiormente a alguns centímetros do à direita do ápice do coração, em correspondência a incisura do ápice do coração.

CORAÇÃO

O sulco interventricular anterior é ocupado pelos vasos interventriculares anteriores.

O sulco interventricular posterior parte do sulco coronário e desce em direção à incisura do ápice do coração.

Este

posteriores.

vasos

sulco

é

ocupado

pelos

interventriculares

31/3/2011

31/3/2011 CONFIGURAÇÃO INTERNA DO CORAÇÃO  O coração possui quatro câmaras: dois átrios e dois ventrículos.

CONFIGURAÇÃO INTERNA DO CORAÇÃO

O coração possui quatro câmaras: dois átrios e dois ventrículos. Os átrios (as câmaras superiores) recebem sangue; os ventrículos

(câmaras inferiores) bombeiam o sangue para

fora do coração. Na face anterior de cada átrio existe uma estrutura enrugada, em forma de saco, chamada aurícula (semelhante a orelha do cão). O átrio direito é separado do esquerdo por uma fina divisória chamada septo interatrial; o ventrículo direito é separado do esquerdo pelo septo interventricular.

31/3/2011

31/3/2011 22
31/3/2011 22

31/3/2011

ÁTRIO DIREITO

O átrio direito forma a borda direita do coração e recebe sangue rico em dióxido de carbono (venoso) de três veias: veia cava superior, veia cava inferior e seio coronário. A veia cava superior, recolhe sangue da cabeça e parte superior do corpo, já a inferior recebe sangue das partes mais inferiores do corpo (abdômen e membros inferiores) e o seio coronário recebe o sangue que nutriu o miocárdio e leva o sangue ao átrio direito. Enquanto a parede posterior do átrio direito é lisa, a parede anterior é rugosa, devido a presença de cristas musculares, chamados músculos pectinados.

ÁTRIO DIREITO

O sangue passa do átrio direito para ventrículo direito através de uma válvula chamada tricúspide (formada por três folhetos - válvulas ou cúspides).

Na parede medial do átrio direito, que é constituída pelo septo interatrial, encontramos uma depressão que é a fossa oval.

Anteriormente, o átrio direito apresenta uma expansão piramidal denominada aurícula direita, que serve para amortecer o impulso do sangue ao penetrar no átrio.

31/3/2011

ÁTRIO DIREITO

Os orifícios onde as veias cavas desembocam têm os nomes de óstios das veias cavas.

O orifício de desembocadura do seio coronário é

chamado de óstio do seio coronário e encontramos também uma lâmina que impede que o sangue retorne do átrio para o seio coronário que é denominada de válvula do seio

coronário.

ÁTRIO ESQUERDO

O átrio esquerdo é uma cavidade de parede fina, com paredes posteriores e anteriores lisas, que

recebe o sangue já oxigenado; por meio de

quatro veias pulmonares. O sangue passa do átrio esquerdo para o ventrículo esquerdo, através da valva bicúspide (mitral), que tem apenas duas cúspides.

O átrio esquerdo também apresenta uma

expansão piramidal chamada aurícula esquerda.

31/3/2011

VENTRÍCULO DIREITO

O ventrículo direito forma a maior parte da superfície anterior do coração. O seu interior apresenta uma série de feixes elevados de fibras musculares

cardíacas chamadas trabéculas carnosas.

No óstio atrioventricular direito existe um aparelho denominado valva tricúspide que serve para impedir que o sangue retorne do ventrículo para o átrio direito. Essa valva é constituída por três lâminas membranáceas, esbranquiçadas e irregularmente triangulares, de base implantada nas bordas do óstio e o ápice dirigido para baixo e preso ás paredes do ventrículo por intermédio de filamentos.

VENTRÍCULO ESQUERDO

O ventrículo esquerdo forma o ápice do coração. No óstio atrioventricular esquerdo, encontramos a valva atrioventricular esquerda, constituída apenas por duas laminas denominadas cúspides (anterior e posterior). Essas valvas são denominadas bicúspides. Como o ventrículo direito, também tem trabéculas carnosas e cordas tendíneas, que fixam as cúspides da valva bicúspide aos músculos papilares.

31/3/2011

VENTRÍCULO ESQUERDO

O sangue passa do átrio esquerdo para o ventrículo esquerdo através do óstio atrioventricular esquerdo onde localiza-se a valva bicúspide (mitral). Do ventrículo esquerdo o sangue sai para a maior artéria do corpo, a aorta ascendente, passando pela valva aórtica - constituída por três válvulas semilunares:

direita, esquerda e posterior. Daí, parte do sangue flui para as artérias coronárias, que se ramificam a partir da aorta ascendente, levando sangue para a parede cardíaca; o restante do sangue passa para o arco da

aorta e para a aorta descendente (aorta torácica e

aorta abdominal). Ramos do arco da aorta e da aorta

descendente levam sangue para todo o corpo.

VENTRÍCULO ESQUERDO

O ventrículo esquerdo recebe sangue oxigenado do átrio esquerdo. A principal função do ventrículo esquerdo é bombear sangue para a circulação sistêmica (corpo). A parede ventricular esquerda é mais espessa que a do ventrículo direito. Essa diferença se deve à maior força necessária para bombear sangue para a circulação sistêmica.

31/3/2011

31/3/2011 27
31/3/2011 27

31/3/2011

CICLO CARDÍACO

Um ciclo cardíaco único inclui todos os eventos associados a um batimento cardíaco. No ciclo

cardíaco normal os dois átrios se contraem,

enquanto os dois ventrículos relaxam e vice versa. O termo sístole designa a fase de contração; a fase de relaxamento é designada como diástole.

CICLO CARDÍACO
CICLO CARDÍACO

31/3/2011

CICLO CARDÍACO

Quando o coração bate, os átrios contraem-se primeiramente (sístole atrial), forçando o sangue

para os ventrículos. Um vez preenchidos, os dois

ventrículos contraem-se (sístole ventricular) e forçam o sangue para fora do coração.

vez preenchidos, os dois ventrículos contraem-se (sístole ventricular) e forçam o sangue para fora do coração.

31/3/2011

CICLO CARDÍACO

Para que o coração seja eficiente na sua ação de bombeamento, é necessário mais que a contração rítmica de suas fibras musculares. A direção do fluxo sangüíneo deve ser orientada e controlada, o que é obtido por quatro valvas já citadas anteriormente: duas localizadas entre o átrio e o ventrículo - atrioventriculares (valva tricúspide e bicúspide); e duas localizadas entre

os ventrículos e as grandes artérias que

transportam sangue para fora do coração - semilunares (valva pulmonar e aórtica)

VASCULARIZAÇÃO

A irrigação do coração é assegurada pelas artérias coronárias e pelo seio coronário. As artérias coronárias são duas, uma direita e outra esquerda. Elas têm este nome porque ambas percorrem o sulco coronário e são as duas originadas da artéria aortas. Esta artéria, logo depois da sua origem, dirige-se para o sulco coronário percorrendo-o da direita para a esquerda, até ir se anastomosar com o ramo circunflexo, que é o ramo terminal da artéria coronária esquerda que faz continuação desta circundado o sulco coronário.

31/3/2011

VASCULARIZAÇÃO

A artéria coronária direita: da origem a duas artérias que vão irrigar a margem direita e a parte

posterior do coração, são ela artéria marginal

direita e artéria interventricular posterior.

A artéria coronária esquerda, de início, passa por um ramo por trás do tronco pulmonar para atingir o sulco coronário, evidenciando-se nas

proximidades do ápice da aurícula esquerda.

do tronco pulmonar para atingir o sulco coronário, evidenciando-se nas proximidades do ápice da aurícula esquerda.

31/3/2011

VASOS SANGUÍNEOS Formam uma rede de tubos que transportam sangue do coração em direção aos
VASOS SANGUÍNEOS
Formam uma rede de tubos que transportam sangue
do coração em direção aos tecidos do corpo e de
volta ao coração. Os vasos sangüíneos podem ser
divididos em sistema arterial e sistema venoso:
 Sistema Arterial: Constitui um conjunto de vasos que
partindo do coração, vão se ramificando, cada ramo
em menor calibre, até atingirem os capilares.
 Sistema Venoso: Formam um conjunto de vasos que
partindo dos tecidos, vão se formando em ramos de
maior
calibre
até
atingirem o coração.
conjunto de vasos que partindo dos tecidos, vão se formando em ramos de maior calibre até

31/3/2011

VASOS SANGUÍNEOS

Os vasos sanguíneos que conduzem o sangue para fora do coração são as artérias. Estas se ramificam muito, tornam-se progressivamente menores, e terminam em pequenos vasos determinados arteríolas. A partir destes vasos, o sangue é capaz de realizar suas funções de nutrição e de absorção atravessando uma rede de canais microscópicos, chamados capilares, os quais permitem ao sangue trocar substâncias com os tecidos. Dos capilares, o sangue é coletado em vênulas; em seguida, através

das veias de diâmetro maior, alcança de novo o

coração. Esta passagem de sangue através do coração e dos vasos sanguíneos é chamada de CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA.

coração. Esta passagem de sangue através do coração e dos vasos sanguíneos é chamada de CIRCULAÇÃO

31/3/2011

ESTRUTURA DOS VASOS  Túnica externa: é composta basicamente por tecido conjuntivo. Nesta túnica encontramos
ESTRUTURA DOS VASOS
 Túnica externa: é composta basicamente por tecido
conjuntivo. Nesta túnica encontramos pequenos
filetes nervosos e vasculares que são destinados à
inervação e a irrigação das artérias. Encontrada nas
grandes artérias somente.
 Túnica média: é a camada intermediária composta
por fibras musculares lisas e pequena quantidade de
tecido conjuntivo elástico. Encontrada na maioria das
artérias do organismo.
 Túnica íntima: forra internamente e sem interrupções
as artérias, inclusive capilares. São constituídas por
células endoteliais.
internamente e sem interrupções as artérias, inclusive capilares. São constituídas por células endoteliais. 34

31/3/2011

31/3/2011 35
31/3/2011 35

31/3/2011

SISTEMA ARTERIAL

CONCEITO

Conjunto de vasos que saem do coração e se ramificam sucessivamente distribuindo-se para todo o organismo. Do coração saem o tronco pulmonar (relaciona-se com a pequena circulação, ou seja leva sangue venoso para os pulmões através de sua ramificação, duas artérias pulmonares uma direita e outra

esquerda) e a artéria aorta (carrega sangue

arterial para todo o organismo através de suas

ramificações).

ARTÉRIAS IMPORTANTES PARA O CORPO  1 - Sistema do tronco pulmonar: o tronco pulmonar
ARTÉRIAS IMPORTANTES PARA O
CORPO
 1 - Sistema do tronco pulmonar: o tronco pulmonar
sai do coração pelo ventrículo direito e se bifurca em
duas artérias pulmonares, uma direita e outra
esquerda. Cada uma delas se ramifica a partir do hilo
pulmonar em artérias segmentares pulmonares.
 Ao entrar nos pulmões, esses ramos se dividem e
subdividem até formarem capilares, em torno
alvéolos nos pulmões. O gás carbônico passa do
sangue para o ar e é exalado. O oxigênio passa do
ar, no interior dos pulmões, para o sangue. Esse
mecanismo é denominado HEMATOSE.

31/3/2011

ARTÉRIAS IMPORTANTES PARA O CORPO  2 - Sistema da artéria aorta (sangue oxigenado): É
ARTÉRIAS IMPORTANTES PARA O
CORPO
 2 - Sistema da artéria aorta (sangue oxigenado):
É a maior artéria do corpo, com diâmetro de 2 a 3
cm. Suas quatro divisões principais são a aorta
ascendente, o arco da aorta, a aorta torácica e
aorta abdominal. A aorta é o principal tronco das
artérias sistêmicas. A parte da aorta que emerge
do ventrículo esquerdo, posterior ao tronco
pulmonar, é a aorta ascendente.
A parte da aorta que emerge do ventrículo esquerdo, posterior ao tronco pulmonar, é a aorta

31/3/2011

O começo da aorta contém as válvulas semilunares aórticas. A artéria aorta se ramifica na
O começo da aorta contém as válvulas semilunares aórticas. A
artéria aorta se ramifica na porção ascendente em duas artérias
coronárias, uma direita e outra esquerda que vão irrigar o coração.
na porção ascendente em duas artérias coronárias, uma direita e outra esquerda que vão irrigar o

31/3/2011

ARTÉRIA CORONÁRIA ESQUERDA

Passa entre a aurícula esquerda e o tronco pulmonar. Divide-se em dois ramos: ramo interventricular anterior (ramo descendente anterior esquerdo) e um ramo circunflexo. A ramo interventricular anterior passa ao longo do sulco

interventricular em direção ao ápice do coração e supre ambos os ventrículos. O ramo circunflexo segue o sulco coronário em torno da margem

esquerda até a face posterior do coração,

originando assim a artéria marginal esquerda que supre o ventrículo esquerdo.

até a face posterior do coração, originando assim a artéria marginal esquerda que supre o ventrículo

31/3/2011

ARTÉRIA CORONÁRIA DIREITA

Corre no sulco coronário ou atrioventricular e dá origem ao ramo marginal direito que supre a

margem direita do coração à medida que corre

para o ápice do coração. Após originar esses ramos, curva-se para esquerda e contínuo o sulco coronário até a face posterior do coração, então emite a grande artéria interventricular

posterior que desce no sulco interventricular

posterior em direção ao ápice do coração, suprindo ambos os ventrículos.

que desce no sulco interventricular posterior em direção ao ápice do coração, suprindo ambos os ventrículos.

31/3/2011

31/3/2011 ARTÉRIA CORONÁRIA  Logo em seguida a artéria aorta se encurva formando um arco para

ARTÉRIA CORONÁRIA

Logo em seguida a artéria aorta se encurva formando um arco para a esquerda dando origem a três artérias (artérias da curva da aorta) sendo

elas:

1 - Tronco braquiocefálico arterial

2 - Artéria carótida comum esquerda

3 - Artéria subclávia esquerda

O tronco braquiocefálico arterial origina duas artérias:

4 - Artéria carótida comum direita

5 - Artéria subclávia direita

31/3/2011

31/3/2011 ARTÉRIAS DO PESCOÇO E CABEÇA  As artérias vértebrais direita e esquerda e as artérias

ARTÉRIAS DO PESCOÇO E CABEÇA

As artérias vértebrais direita e esquerda e as artérias carótida comum direita e esquerda são responsáveis pela vascularização arterial do pescoço e da cabeça. Antes de entrar na axila, a artéria subclávia dá um ramo para o encéfalo, chamada artéria vertebral, que passa nos forames transversos da C6 à C1 e entra no crânio através do forame magno. As artérias vertebrais unem-se para formar a artéria basilar (supre o cerebelo, ponte e ouvido interno), que dará origem as artérias cerebrais posteriores, que irrigam a face inferior e posterior do cérebro.

Na borda superior da laringe, as artérias carótidas comuns se dividem em artéria carótida externa e artéria carótida interna.

31/3/2011

ARTÉRIAS DO PESCOÇO E CABEÇA

A artéria carótida externa irriga as estruturas externas do crânio. A artéria carótida interna

penetra no crânio através do canal carotídeo e

supre as estruturas internas do mesmo. Os ramos terminais da artéria carótida interna são a artéria cerebral anterior (supre a maior parte da face medial do cérebro) e artéria cerebral média

(supre a maior parte da face lateral do cérebro).

maior parte da face medial do cérebro) e artéria cerebral média (supre a maior parte da

31/3/2011

31/3/2011 ARTÉRIAS DOS MEMBROS SUPERIORES 44
ARTÉRIAS DOS MEMBROS SUPERIORES
ARTÉRIAS DOS MEMBROS
SUPERIORES

31/3/2011

31/3/2011 ARTÉRIAS DOS MEMBROS INFERIORES 45
ARTÉRIAS DOS MEMBROS INFERIORES
ARTÉRIAS DOS MEMBROS
INFERIORES

31/3/2011

31/3/2011 SISTEMA VENOSO  É constituído por tubos chamados de veias que tem como função conduzir

SISTEMA VENOSO

É constituído por tubos chamados de veias que tem como função conduzir o sangue dos capilares para o coração. As veias, também como as artérias,

pertencem a grande e a pequena circulação.

O circuito que termina no átrio esquerdo através das quatro veias pulmonares trazendo sangue arterial dos pulmões chama-se de pequena circulação ou circulação pulmonar. E o circuito que termina no átrio direito através das veias cavas e do seio coronário retornando com sangue venoso chama-se de grande circulação ou circulação sistêmica.

31/3/2011

VEIAS IMPORTANTES DO CORPO HUMANO  Veias da circulação pulmonar (ou pequena circulação): As veias
VEIAS IMPORTANTES DO CORPO
HUMANO
 Veias da circulação pulmonar (ou pequena
circulação): As veias que conduzem o sangue que
retorna dos pulmões para o coração após sofrer a
hematose (oxigenação), recebem o nome de veias
pulmonares.
 São quatro veias pulmonares, duas para cada
pulmão, uma direita superior e uma direita inferior,
uma esquerda superior e uma esquerda inferior.
 As quatro veias pulmonares vão desembocar no átrio
esquerdo. Estas veias são formadas pelas veias
segmentares que recolhem sangue arterial dos
segmentos pulmonares.
VEIAS IMPORTANTES DO CORPO HUMANO  Veias da circulação sistêmica (ou da grande circulação): duas
VEIAS IMPORTANTES DO CORPO
HUMANO
 Veias da circulação sistêmica (ou da grande
circulação): duas grandes veias desembocam no
átrio direito trazendo sangue venoso para o
coração. São elas: veia cava superior e veia cava
inferior. Temos também o seio coronário que é
um amplo conduto venoso formado pelas veias
que estão trazendo sangue venoso que circulou
no próprio coração.

31/3/2011

31/3/2011 Veia cava superior:  A veia cava superior tem o comprimento de cerca de 7,5cm
Veia cava superior:  A veia cava superior tem o comprimento de cerca de 7,5cm
Veia cava superior:
 A veia cava superior tem o comprimento de
cerca de 7,5cm e diâmetro de 2cm e origina-se
dos dois troncos braquiocefálicos (ou veia
braquiocefálica direita e esquerda).
 Cada veia braquiocefálica é constituída pela
junção da veia subclávia (que recebe sangue do
membro superior) com a veia jugular interna (que
recebe sangue da cabeça e pescoço).

31/3/2011

31/3/2011 Veia cava Inferior:  A veia cava inferior é a maior veia do corpo, com
Veia cava Inferior:  A veia cava inferior é a maior veia do corpo, com
Veia cava Inferior:
 A veia cava inferior é a maior veia do corpo, com
diâmetro de cerca de 3,5cm e é formada pelas
duas veias ilíacas comuns que recolhem sangue
da região pélvica e dos membros inferiores.

31/3/2011

31/3/2011 VEIAS DA CABEÇA E PESCOÇO 50
VEIAS DA CABEÇA E PESCOÇO
VEIAS DA CABEÇA E PESCOÇO

31/3/2011

31/3/2011 VEIAS DO MEMBRO SUPERIOR 51
VEIAS DO MEMBRO SUPERIOR
VEIAS DO MEMBRO SUPERIOR

31/3/2011

31/3/2011 VEIAS DOS MEMBROS INFERIORES 52
VEIAS DOS MEMBROS INFERIORES
VEIAS DOS MEMBROS
INFERIORES

31/3/2011

31/3/2011 As veias profundas dos membros inferiores seguem o mesmo trajeto das artérias dos membros inferiores.
As veias profundas dos membros inferiores seguem o mesmo trajeto das artérias dos membros inferiores.
As veias profundas dos membros inferiores seguem o
mesmo trajeto das artérias dos membros inferiores.
As
veias
superficiais
dos
membros
inferiores:
Veia safena magna: origina-se na rede de vênulas da
região dorsal do pé, margeando a borda medial desta
região, passa entre o maléolo medial e o tendão do
músculo tibial anterior e sobe pela face medial da
perna e da coxa.

31/3/2011

A veia safena parva: origina-se na região de vênulas na margem lateral da região dorsal do pé, passa por trás do maléolo lateral e sobe pela linha mediana da face posterior da perna até as proximidades da prega de flexão do joelho, onde se

aprofunda para ir desembocar em uma das veias

poplíteas.

A veia safena parva comunica-se com a veia safena magna por intermédio de vários ramos

anastomósticos.