Você está na página 1de 3

CONDUTIMETRIA - VERIFICAÇÃO DA LEI DE KOHLRAUSCH

1. Objectivo – Determinar experimentalmente a condutividade de soluções aquosas de KCl de diferentes concentrações e verificar se a variação da condutividade molar com a concentração da solução obedece à lei de Kohlraush para a gama de concentrações estudadas.

2. Introdução Teórica

Nas soluções electrolíticas, os iões positivos (catiões) e negativos (aniões) estão livres e movimentam-se, sendo os responsáveis pelo transporte de carga e consequentemente pelas propriedades condutoras das soluções electrolíticas. A capacidade que a solução tem para conduzir a corrente eléctrica é determinada pelo tipo e número de iões presentes na solução, bem como pela natureza do solvente. A resistência à passagem de corrente eléctrica (R) é definida de um modo análogo à dos condutores sólidos, isto é, pela Lei de Ohm. A resistência R é uma propriedade extensiva, e a grandeza intensiva correspondente é a

resistividade ou resistência específica (ρ). A resistividade ρ é uma característica do material. Quando nos referimos a soluções electrolíticas utilizam-se em geral os recíprocos destas

grandezas, a condutância (G) e a condutividade ou condutividade específica (χ). O valor de χ pode ser entendido como a condutância de um cubo de solução com o volume de 1 m 3 . Deste modo, o seu valor vai depender do n° de iões existentes nesse volume de solução e portanto da concentração desta. Atendendo a este facto a condutividade, não caracteriza as propriedades condutoras de uma solução electrolítica, uma vez que depende da sua concentração. Define-se assim uma outra grandeza,

a condutividade molar, Λ

  • m , correspondente à condutividade de uma mole de electrólito. A

condutividade molar de um dado electrólito varia com a concentração, podendo distinguir-se dois tipos de comportamentos, correspondentes a electrólitos fortes ou ionóforos e a electrólitos fracos ou ionogénicos, como se mostra na figura 1 a).

Para electrólitos fortes, em soluções diluídas, verifica-se uma relação linear entre Λ

  • m e a raiz

quadrada da concentração, estabelecida empiricamente por Kohlraush. O valor limite da condutividade molar para valores de concentração que se aproximam de zero, designa-se por condutividade molar a

diluição infinita,

Λ

  • 0 , e é uma grandeza característica de um dado electrólito. De acordo com a lei de

m

1

Electroquímica DQB, FCUL, 2012/2013

Kohlraush da migração independente de iões, a condutibilidade molar a diluição infinita é dada pelo somatório da condutibilidade molar de todos os iões em solução.

a)

Kohlraush da migração independente de iões, a condutibilidade molar a diluição infinita é dada pelo somatório
b)
b)

Fig. 1 – a)Variação da condutividade molar com a concentração para soluções aquosas de cloreto de potássio e ácido acético. b) Célula de Condutividade

A figura 1 b) mostra uma célula das mais utilizadas, em ensaios de rotina, na medição de condutâncias. Este tipo de célula é em geral constituído por 2 eléctrodos de Pt platinizados, de área

A, e separados pela distância . A razão ℓ/A é designada por constante da célula (a), e é

característica de cada célula. O seu valor é em geral fornecido pelo fabricante, podendo no entanto ser determinado por calibração da célula a partir de soluções de condutividade conhecida. São usadas em geral soluções de KCl de concentrações apropriadas.

3. Aspectos Experimentais

3.1-Material

Condutímetro, Célula de condutividade, Balões volumétricos, Pipetas de 10, 20 e 30 mL, Copos de

50 mL.

3.2-Reagentes

Água da torneira, Água destilada, Água tridestilada, Etanol, Acetona, Solução aquosa de cloreto de potássio 1 mol dm -3 , Solução etanóica de cloreto de potássio 10 -2 mol dm -3

2

Electroquímica DQB, FCUL, 2012/2013

3.3-Modo de proceder

  • 1. Certifique-se do funcionamento do condutímetro. A partir da solução 1 mol dm -3 de KCl prepare por diluição 100mL de soluções de concentração 10 -3 ; 3×10 -3 ; 5×10 -3 ; 7×10 -3 ; 9×10 -3 ; 10 -2 ; 10 -1 ; 1 mol dm -3 . Utilize água Millipore.

  • 2. Meça a condutância das amostras pela ordem indicada. Sempre que mudar de solução deve lavar a célula de condutividade com a solução cuja medição vai efectuar seguidamente. Água Millipore; Água destilada; Água da torneira Soluções aquosas de KCl: 10 -3 ; 3×10 -3 ; 5×10 -3 ; 7×10 -3 ; 9×10 -3 ; 10 -2 ; 10 -1 ; 1 mol dm Etanol; Solução etanóica de KCl; Acetona

-3

  • 4 - Análise e tratamento dos resultados

    • 1. A partir dos valores medidos adequados, determine a constante da célula. Compare os valores calculados com o marcado na célula. Justifique a escolha dos valores.

    • 2. Determine a condutividade de cada uma das amostras a partir dos valores medidos.

    • 3. Estude a variação da condutividade molar do KCl com a concentração. Comente a validade da lei de Kohlraush para a gama de concentrações estudada.

    • 4. Calcule o valor da condutividade a diluição infinita e compare o valor obtido com o calculado a partir da lei de Kohlraush da migração independente de iões.

  • 4 - Bibliografia

  • 1 – Maria de Lurdes S.S.Gonçalves,. Métodos Instrumentais para Análise de Soluções - Fundação

  • Calouste Gulbenkian, Lisboa, 1993

    • 2 - P.W. Atkins, Physical Chemistry, 3 rd ed, Oxford University Press, England, 1986

    • 3 – M.M. Gómez, M.J. Peña, R. Celdrán, Educ. in Chem, Sept, 140, 1991.

    3

    Electroquímica DQB, FCUL, 2012/2013