Você está na página 1de 3

UNIBAN - Sociologia

Origens e Definições da Sociologia

Prof. Lenir Viscovini

SOCIOLOGIA

• Surge após revoluções Burguesas (Inglesa/ industrial e Francesa: Por volta de


1830;
• O século XVIII constituiu um marco importante para a história do pensamento
ocidental e para o surgimento da sociologia: As profundas transformações
políticas, econômicas e culturais levam ao surgimento da Sociologia (Ciência
Social ou Ciência da Sociedade).
• As conseqüências da rápida industrialização foram trágicas: aumento da
violência, da prostituição, do alcoolismo, da criminalidade. Além da conflituosa
relação Capital x Trabalho.

Qual a importância desses acontecimentos para a Sociologia?

• Essas transformações colocavam a sociedade num plano de análise, a se


constituir em problema, em objeto que deveria ser investigado.

Sociologia: Ciência da Sociedade

• É a formação de uma estrutura social muito específica – a sociedade capitalista –


que impulsiona uma reflexão sobre a sociedade, sobre suas transformações, suas
crises e seus antagonismos de classe;

• Não é por mero acaso que a sociologia – enquanto instrumento de análise –


inexistia nas sociedades pré-capitalistas, uma vez que o ritmo e o nível das
mudanças que aí se verificam não chegavam a colocar a sociedade como “um
problema” a ser investigado.

• Assim sendo, o surgimento da sociologia prende-se em parte aos abalos


provocados pela revolução industrial, pelas novas condições de existência por
ela criadas e também devido as modificações que vinham ocorrendo nas formas
de pensamento: na forma de buscar conhecer a natureza e a cultura.

• Neste momento (que se iniciou com o renascimento) há uma renuncia da visão


sobrenatural, mítica, religiosa para explicar a realidade;

• Passa a prevalecer a busca por uma indagação racional: método da observação e


da experimentação – método científico;

• Pós revoluções burguesas, já no século XIX, a ênfase continuará sendo no


pensamento e explicação racional, porém, a interpretação crítica e negadora da
realidade, marca dos ideais iluministas que orientou o projeto revolucionário da
burguesia deveria ser superado em nome da organização da sociedade e
manutenção do status quo.

Diante desta nova realidade e das transformações sociais surge a sociologia:

1) Positivista
2) Dialética

Sociologia Positivista

• Ênfase na ordem, hierarquia e harmonia social;


• Não mais transformar a realidade mas organizar através de regras a sociedade:
Ordem e Progresso;
• Busca estado de equilíbrio numa sociedade dividida pelos conflitos de classe;
• Conteúdo estabilizador – reforma conservadora – leis imutáveis da vida social;
• Surge com um interesse prático: resposta a crise social da época(XIX); vai
pensar a ordem social enfatizando a importância das instituições burguesas: a
autoridade, a família, a hierarquia social;
• Procura criar um objeto autônomo “o social” independente dos fenômenos
econômicos, políticos, culturais. Teoria Social visa a manutenção da ordem
social.

Sociologia Crítica/Dialética

• Fenômenos sociais não são independentes dos fatores econômicos, políticos e


culturais;
• Realidade entendida como totalidade histórica: conhecimento crítico e negador
da sociedade capitalista, evidencia as contradições e antagonismos de classe
desta sociedade;
• Relação intrínseca entre teoria e prática;
• Luta de opostos: luta de classes como motor da história.
• Compreensão dialética da realidade: (tese – antítese – síntese – tese) oposição
sistemática: uma tese gera dentro de si uma antítese, do choque dialético entre
esses dois pólos sobrevém uma nova situação histórica (síntese) que ainda
carrega em si elementos do velho (tese) e do novo (antítese), que se instala, por
sua vez, como tese novamente. Teoria Social voltada à transformação da
realidade.

Importante Considerar:

• As explicações sociológicas sempre tiveram e têm intenções práticas: desejo de


interferir nos rumos da sociedade, tanto no que se refere a manter a ordem social
vigente como para contestá-la, mudá-la;
• O mundo, bem como as explicações sociológicas, se divide entre aqueles que
olhando a realidade querem mantê-la e aqueles que querem transformá-la; entre
o pensamento dialético e o pensamento positivista/conservador.
• A falta de um entendimento comum na sociologia (no estudo dos fenômenos
sociais) tem haver com o fato de vivermos numa sociedade dividida, marcada
pelos antagonismos e conflitos de classe;
• O caráter antagônico e contraditório da sociedade capitalista impediu um
entendimento comum por parte da sociologia em torno ao objeto e aos métodos
de investigação da nova ciência social.