Você está na página 1de 4

INSTITUTO FEDERAL DO NORTE DE MINAS GERAIS – IFNMG POLO DE EaD ARINOS

DO NORTE DE MINAS GERAIS – IFNMG POLO DE EaD ARINOS PLANO DE ENSINO CURSO UNIDADE

PLANO DE ENSINO

CURSO

UNIDADE

Pós-Graduação em Docência do Ensino Superior

Polo de Ensino a distância - Arinos

DISCIPLINA

PROFESSOR

Metodologia do Ensino a Distância

Pedro Paulo Pereira Brito

ANO

PERÍODO

CARGA HORÁRIA TOTAL

2013

05/02/2013 a 08/06/2013

80h

EMENTA

Análise histórica e conceitual da EAD; Componentes e Recursos da EAD; Política e legislação brasileira de EAD; A arte de estudar a distância.

OBJETIVOS

Gerais

Repensar a prática educativa, identificando possíveis contribuições da Tecnologia Educacional, aplicando os recursos da tecnologia disponíveis, tendo como pressuposto a relação dinâmica e interativa dessa atividade em prol da qualidade do processo ensino e aprendizagem.

Específicos

Reconhecer a importância das Novas Tecnologias Educacionais para a formação do sujeito.

Utilizar as Novas Tecnologias Educacionais em prol do desenvolvimento e formação sócio cultural do cidadão inserido no mundo globalizado;

Conhecer e utilizar os recursos oferecidos pelas NTIC no ensino aprendizagem;

Analisar, criticar, indicar e orientar na escolha dos recursos assim como conhecer sua aplicabilidade nas atividades pedagógicas;

Aplicar, criar, intervir e integrar a TIC às diferentes áreas do conhecimento.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

I – Visão Histórica da Educação a Distância

 

1. O que é a EAD?

2. Histórico da EAD

 

2.1.

EAD no Brasil

II – Teoria e Prática Tutorial em EAD

 

1. A Cultura Docente da Educação a Distância

2. O Professor Tutor e a Tutoria

3. Desenvolvimento da Ação Tutorial

4. Programação da Ação Tutorial

III – Planejamento em Educação a Distância

 

1. O Planejamento em Educação a Distância

 

1.1. O papel do Planejamento

1.2. A Concepção do Curso

1.3. O tratamento Pedagógico

1.4. O processo de Avaliação

 

2. O Planejamento de um CA (Centro Associado): visão geral

IV – Componentes e Recursos da EaD

 

1. O Material Didático

2. O uso de Tecnologias na EAD

3. Usos Pedagógicos do Material Didático e das Mídias em EaD

V – Política e Legislação Brasileira de EAD

VI

- A arte de estudar a distância

 

METODOLOGIA DE ENSINO

A disciplina dar-se-á de forma que permita maior interação e numa perspectiva dialógica, com atividades a distância realizadas no Ambiente Virtual de Aprendizagem e um encontro presencial para apresentação da disciplina promovendo assim uma interação mais intensa entre os cursistas.

Também será utilizado o telefone celular para troca de mensagens que promovam a interação entre cursistas/cursistas, professor/cursista.

O professor formador poderá se utilizar das atividades que constam no caderno didático ou poderão propor outras atividades. O fórum de discussão das atividades ficará aberto durante todo o estudo.

As atividades incluirão:

 
 

Participação nos Fóruns de discussão, não apenas respondendo aos questionamentos mas também enviando perguntas e questionando aos colegas e professores.

Seminário, durante o(s) encontro(s) presencial (ais);

Avaliação escrita, durante o(s) encontro(s) presencial (ais);

Avaliação on-line;

Participação nos Chats.

Envio de atividades no Ambiente Virtual de Aprendizagem.

Envio de e-mail para a tutora presencial que ficará responsável pelo reenvio ao responsável pela disciplina.

RECURSOS DIDÁTICOS

Módulo Didático;

Hipertextos disponibilizados no AVA;

Vídeos diversos;

Computador conectado à Internet.

Aparelho telefônico celular

PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO

Aspecto a ser avaliado:

Domínio do conteúdo abordado na disciplina.

Interação do cursistas com outros cursistas e também a interação destes com tutores e

professores.

Instrumentos de avaliação:

Exercícios avaliativo segundo Caderno Didático. – 20 pontos

Avaliação a distância com prioridade para a Participação nos fóruns – 20 pontos

Avaliação Escrita presencial – 50 pontos

Apresentação de seminário – 10 pontos.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

BORTOLINI, Neide das graças de Souza. SICA, Fernando Cortez. Educação e Informática: um diálogo essencial. Ouro Preto: UFOP, 2007

BRASIL. Casa Civil. Lei nº 9394 de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, 1996. Disponível em <www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm>. Acesso em: 27 fev. 2013.

BRASIL. MEC. SEED. Projeto TV Escola. Disponível em http://www.mec.gov.br/seed/tvescola.shtm. Acesso em: 27 fev. 2013.

BRASIL. MEC. SEED. Projeto PROFORMAÇÃO. Disponível em http://www.proform/default.shtm. Acesso em: 27 fev. 2013

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 19. ed. São Paulo:Paz e Terra, 1996.

GIL, Carlos Antônio. Metodologia do ensino superior. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

LANDIM, Cláudia Maria das Mercês Paes Ferreira. Educação à distância: algumas considerações. Rio de Janeiro: s.n.1997.

LIBÂNEO, José Carlos. Didática. São Paulo: Cortez, 1994.

MOURA, Tânia Maria de Melo. Metodologia do ensino superior: saberes e fazeres da/para a prática docente. 2. ed. Maceió: EDUFAL, 2009.

FERREIRA, Naura Syria Carapeto (org). Formação continuada e gestão da educação. São Paulo:

Cortez. 2003

SARTORI, Ademilde; ROESLER, Jucimara. Redação de textos para EAD: do impresso ao on-line. In:

Educação Superior a distância: gestão da aprendizagem e da produção de materiais didáticos impressos e on-line. Tubarão: Unisul, 2005.

SILVA, Eurides Brito da (Org.). A educação básica Pós LDB. São Paulo: Pioneira Educação, 1998.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

BARROS, D.M.V. Educação a distância e o universo do trabalho. Bauru: EDUSC, 2003.

CITELLI, Adilson (coord.). Outras linguagens na escola: publicidade, cinema e TV, rádio, jogos, informática. São Paulo: Cortez, 2000. Coleção Aprender e ensinar com textos; v.6

PERRENOUD, Philippe. A prática reflexiva no ofício de professor: profissionalização e razão pedagógica. Porto Alegre: Artmed, 2002.