Você está na página 1de 17

Ana Carvalho e Bianca Galhano

A OUTRA FACE POLICIAL

O que há por trás de um balcão de Delegacia

FACE POLICIAL O que há por trás de um balcão de Delegacia Escudo humano para proteger-nos,

Escudo humano para proteger-nos, faz-se desprovido de sentimentos e emoções em uma missão onde o resgate da verdade será a recompensa do dever cumprido com honra e glória.

uma missão onde o resgate da verdade será a recompensa do dever cumprido com honra e

Rio de Janeiro – 2008

Copyright © 2007 por Ana Carvalho e Bianca Galhano

A Outra Face Policial

Ana Carvalho e Bianca Galhano

1 a Edição

1 a tiragem – setembro de 2008 – 1.000 exemplares

Capa: Jefferson Borges Coordenação Editorial: Jefferson Borges Diagramação: Magaly Lirangi Copidesque e Revisão de Originais: Décio Martins e Nemezio Figueiras

ISBN – 978-85-98213-48-4

CIP – (Cataloguing-in-Publication) – Brasil – Catalogação na Publicação Ficha Catalográfica feita na editora

AXXXg

Carvalho, Ana, Galhano Bianca A Outra Face Policial / O que há por trás de um balcão de Delegacia ; [projeto gráfico Jefferson Borges ]. – 1 ed. Rio de Janeiro : Livre Expressão , 2008.

168 p. : 21cm (broch.)

ISBN 978-85-98213-48-4

1.

Serviço de Polícia. 2. Serviço Policial. 3. Força Policial Regional e Estadual.

4.

Polícia Militar. 5. Polícia Civil. 6. Delegacia. I. Título.

CDD 363.2

CDU 351741

351745

355.02

Índice para catálogo sistemático

1. Serviço de Polícia - 363.2

2. Serviço Policial - 351741

3. Força Policial Regional e Estadual - 351745

4. Polícia Militar - 355.02

Conheça a página das autoras: www.aoutrafacepolicial.com.br

E-mails das autoras: contato@aoutrafacepolicial.com.br aoutrafacepolicial@yahoo.com.br

Telefones:
Telefones:

• Belo Horizonte: (31) 3231-5686

• São Paulo: (11) 3717-4302

• Curitiba: (41) 3941-4714

• Rio de Janeiro: (21) 3521-5497 e 3474-4415

• Brasília: (61) 3717-1280

• Porto Alegre: (51) 3251-5387

E-mail: sac@livreexpressao.com.br www.livreexpressao.com.br

Rua Evaristo da Veiga, 16 (anexo), sala 5 Centro - Rio de Janeiro RJ - CEP 20785-130

REG. 1207-523

“Um livro é como uma janela. Quem não lê é como alguém que ficou distante da janela e só pode ver uma pequena parte da paisagem”.

Kahlil Gibran

Dedicamos este livro aos delegados, policiais civis e militares, equipe do balcão com os quais vivenciamos situações difíceis, emocionantes. Lembramos até termos tra- balhado em carnavais, natal, ano novo e aniversários. – Deus abençoe todos nós!

Sumário

Agradecimentos

9

Agradecimentos

11

Introdução

13

Origem do Projeto Delegacia Legal¹

15

Balcão de Atendimento

17

I mpor tância de Ter Tr einamento

27

Grupo Executivo x Balcão de Atendimento

32

O

Desejo de Ser um Simples Robô

34

O

Grande Encontro

38

Como o Balcão Interage com a Equipe Policial

42

Problemas mais Freqüentes no Balcão

56

Ser ou Estar?

61

Instalações

69

Polícia x Sociedade?

75

Super Homens?

85

Desmistificando a Figura do Policial

89

Ser Policial

94

Ataque à DP

115

Heróis ou Vilões?

121

Interação Entre as Equipes

132

Policial Civil x Policial Militar

137

O

Assédio

Feminino

142

Promoção da Saúde

147

Resistência x Qualidade de Vida

149

Projeto Qualidade de Vida

151

Homenagem aos Policiais Mortos

158

Conclusão

163

Notas das Autoras

166

Agradecimentos

“ A glória da amizade não é a mão estendida, nem o sorriso carinhoso, nem mesmo a delícia da companhia. É a inspiração espiritual, que vem quando você descobre que alguém acredita e confia em você.”

Ralph Waldo Emerson

A gradeço a Deus porque sem Ele nada disto seria possível. Agra-

deço à minha família, pais (Dalva Graciana e Helio Victorino e em especial a minha irmã Veronica Aparecida),

amigos, entre eles Igor José Bento (em memória) e principalmente à minha avó Geralda Graciana De Carvalho (em memória), que sempre acreditou em mim e deu-me forças para prosseguir. Sou grata às pessoas, que fizeram ou fazem parte desta his- tória e que contribuíram, de certa forma, com o desenvolvimen- to e evolução de cada capítulo, cada tópico, cada alegria, cada tristeza, cada luta, cada desafio; e olha que não foram poucos! Estendo meu agradecimento à Renata, que conheci quando estagiava na delegacia e com quem tive o prazer de conviver. Come- çou o projeto conosco, não podendo dar continuidade ao mesmo. A Anastácia, estudante de psicologia, que foi minha estagi- ária durante um período, mostrou ser uma profissional compe- tente e ter uma visão clara das coisas. Sua contribuição foi muito valiosa neste livro. Os depoimentos destes estagiários enriqueceram o livro. Uma amizade que começou por trás de um balcão de atendimen- to hoje ultrapassa barreiras e estende-se ao mundo.

A OUTRA FACE POLICIAL

Ah! Não posso esquecer de uma pessoa muito importante que me aturou em nossos encontros e brindava-nos com seus deliciosos lanches: a mãe da minha amiga com quem divido este momento de alegria marcado de muita luta e persistência. Não poderia deixar de mencionar meus amigos da classe policial civil e militar que deram suas contribuições para este li- vro tornar-se real. Muito obrigada! Seus nomes trago guardado em meu coração. À Joana, também meu agradecimento pela sua contribui- ção dando seu depoimento e por acreditar em nosso trabalho e a Andrea Gomes por sua colaboração. Estendo meu agradecimento ao Wagner Montes, por ser justo com a classe policial e também por ter sido citado em um depoi- mento. Não há como falar da classe policial sem citar seu nome; hoje ele é um ícone para a classe. Ele é o que é; e afirmo, porque tive o prazer de conhecê-lo e posso dizer que não usa máscara. Agradeço a todos que conheci durante os dois anos que trabalhei na delegacia; alguns ficaram, outros foram-se, mas, de alguma forma, todos contribuíram para que este livro fosse feito. Deus os Abençoe!!! Paz e muita luz!

Ana Carvalho

10

AGRADECIMENTOS

Agradecimentos

Não fiz o melhor, mas fiz tudo para que o melhor fosse feito. Não sou o que deveria ser, mas não sou o que era antes.”

Martin Luther King

E especial à minha mãezinha que, com carinho, preparava

refeições e lanchinhos, quando nos reuníamos em minha residência para elaborar esse livro e ao meu pai, Braz Galhano

(em memória). As duas pessoas mais importantes da minha vida que muito me ensinaram, e carrego com orgulho o que deixaram de mais importante: a honestidade e o caráter. Agradeço à amiga Renata Gralatto, pedagoga que iniciou esse projeto conosco quando ainda era nossa estagiária, mas devi- do a outros compromissos não pôde dar seqüência embora tenha dado sua contribuição com igual valor e dedicação.

Sou grata aos amigos Jorginho, Anastácia Cristina, Andréa Gomes, Ronaldo Vieira, Rodolfo Roara, Paulo Roberto de Oliveira, Cláudia Basílio e minhas primas Flávia Cristina e Danielle Peçanha, que sempre me apoiaram e acreditaram no meu trabalho.

A toda equipe do balcão de atendimento por onde passei.

Seria injusta se citasse nomes agora porque, com certeza, esquece-

ria de alguém, ainda mais porque foram quase quatro anos de projeto e, na condição de curinga, conheci muitas pessoas que contribuíram igualmente para elaboração deste livro.

m

A OUTRA FACE POLICIAL

Meu carinho especial ao amigo Wagner Montes, que aprendi

a admirar quando trabalhava na delegacia, onde, por alguns mo-

mentos, os policiais paravam o trabalho para assisti-lo (principal- mente quando faziam alguma apreensão ou captura), porque sa- bem que Wagner sempre apoiou a classe e a olhou com admira-

ção, sendo sempre justo. Amigo que tive a oportunidade de co- nhecer pessoalmente e saber que é exatamente a mesma pessoa que aparece na televisão, sem máscara.

Minha gratidão e reconhecimento a toda a classe policial, sobretudo aos colegas de trabalho que tive a oportunidade de co- nhecer e aprender a admirar e que participaram, de alguma forma, na concepção deste livro. Embora tenha que preservar seus nomes para segurança deles, muito me orgulho de tê-los como amigos.

A Robson Moraes, professor de português de um curso

que fiz para a área policial, uma nota especial pois fez-me refletir sobre meu papel, que pode ser bem maior do que se estivesse na área policial. Ao relatar sua história, que tinha muita vontade de ser militar, mas por força do destino não conseguiu e o fez ver que seu destino seria muito maior: preparar pessoas para a carreira militar e outras áreas. Pensando nisso vi que talvez esse fosse o meu caminho também: ajudar a classe policial fazendo com que

a sociedade saiba um pouco da vida deles e da instituição, resga- tando, assim, a imagem do policial.

A Raphael, meu grande amor.

Salve Jorge!

12

Bianca Galhano

AGRADECIMENTOS

Introdução

“O que pensamos é menos do que sabemos. O que sabemos é menos do que amamos. O que amamos é muito menos do que existe. E, até esse ponto, somos muito menos do que somos”.

R. D. Laing

A idéia de escrever este livro surgiu a partir de questionamentos

e trocas de informações entre técnicos e estagiários diante do funcionamento de uma Delegacia Legal, sobre o papel

que exercíamos enquanto trabalhávamos nessa instituição e o que poderia ser feito para melhorar nosso serviço a fim de que pudésse- mos ajudar, não só as pessoas que buscavam algum tipo de esclare- cimento fora do âmbito policial como, também, aos policiais. Durante nossos plantões pudemos constatar a carência de um atendimento psicossocial diferenciado aos usuários (estes defi- nidos como as pessoas que procuram a delegacia em busca de solu- ção imediata para resolverem seus problemas (conflitos). Estes usu- ários ao chegarem à instituição são recepcionados por profissionais da área de ciências humanas, isto é, formados ou cursando. Devido à demanda dos usuários ser maior que a idéia do projeto Delegacia Legal, instaurou-se um conflito entre os profis- sionais da área de ciências humanas no sentido de ampliar nosso trabalho para podermos atender às pessoas que, muitas vezes, não possuem recursos financeiros para irem a determinadas instituições, quando as encaminhamos. Que fazer diante desse conflito?

A OUTRA FACE POLICIAL

Quanto a classe policial que infelizmente foi esquecida nesse projeto tão importante desenvolvido por nossos governantes, ser policial hoje em dia, no Rio de Janeiro, passou a ser uma profis- são muito arriscada e complexa. Visto que a criminalidade cresce assustadoramente, fazendo com que muitos fiquem felizes quando chegam às suas casas após um dia exaustivo de trabalho e, ao mes- mo tempo, reflitam se vale a pena continuar com todo esse esfor- ço, que muitas vezes é esquecido pela sociedade, pois temos o hábi- to de só lembrar os fatos desabonadores da conduta de alguns. Através de relatos, histórias verídicas e depoimentos, mos- traremos como é o dia-a-dia na delegacia, a difícil vida desses pro- fissionais: seus anseios, angústias, vida privada, medo de morrer em serviço ou ser morto por ser identificado como policial. E o lazer?! Será que eles ainda sabem o que significa essa palavra? Pensando em proporcionar aos profissionais (policiais) um encontro com o seu EU e evitar sua possível fragmentação como ser humano; foi desenvolvido um projeto voltado para reflexão de cada um com a compreensão do todo, trabalhando o estresse e os conflitos internos para uma melhor qualidade de vida, projeto que será comentado no decorrer deste livro. Pretendemos, com este livro, tentar desmistificar o papel do policial perante a sociedade e impulsioná-lo a respeito de seus direitos, a partir de experiências vivenciadas por profissionais (po- liciais, técnicos e estagiários) e a sociedade dentro de uma delega- cia sob o olhar clínico de profissionais; que atuaram na área de atendimento social do Projeto Delegacia Legal.

14

o olhar clínico de profissionais; que atuaram na área de atendimento social do Projeto Delegacia Legal.

INTRODUÇÃO

Origem do Projeto Delegacia Legal¹

O Programa Delegacia Legal foi concebido para modificar radicalmente a forma como a Polícia Civil vem desenvol- vendo suas atividades através da transformação de todas as

delegacias em Delegacias Legais. As modificações implantadas nas Delegacias Legais envolvem desde a divisão do espaço físico até as rotinas da unidade policial interna.

Balcão de Atendimento

Balcão de Atendimento com universitários da área de ciên- cias humanas; como psicologia, serviço social e comunicação, es- pecialmente treinados e em regime de estágio profissional, libe- rando os policiais para as tarefas específicas de policial.

Síndico

Para reduzir o envolvimento dos policiais em atividades de natureza administrativa foi criada a função de “síndico de delega- cia”, um técnico não policial para cuidar da manutenção predial do estoque de materiais e de funcionamento de equipamentos.

Sala de reconhecimento

Ambiente adequado para a identificação de autores de crimes, com painel de vidro espelhado que garante total segurança às vítimas.

1. Fonte site da polícia civil: http://www.delegacialegal.rj.gov.br/

Notas das Autoras

Ana Carvalho, nascida no Rio de Janeiro, formada em psi- cologia pelo Centro Universitário Celso Lisboa, professora e atua na área de Recursos Humanos. Bianca Galhano, nascida no Rio de Janeiro, formada em psicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e funcio- nária pública. Durante algumas entrevistas, as autoras ouviram de delega- dos e inspetores o quanto são audaciosas por terem escrito algo com que ninguém se preocupou e o quanto são “perigosas” por não terem deixado escapar nenhum detalhe. Ainda foi dito que nada passava despercebido e que são muito observadoras, saben- do de tudo que acontecia ao redor.

166

REG. 1207-523

Miolo: Off-set, 90g, branco de alta qualidade. Impressão em off-set na cor preto escala. Tipos:

Textos do autor: Agaramond, corpo 12, entrelinha 15. Citações: Agaramond, corpo 11, entrelinha 13,2. Rodapés: Agaramond, corpo 10, entrelinha 12. Título: Swiss 911 XCm BT. corpo 24, entrelinha 29. Subtítulo: Swiss 911 XCm BT. corpo 14, entrelinha 17. Cabeçalhos e números de páginas: Agaramond corpo 8 e (fólio) corpo 14.

Capa: Cartão Supremo, 250g, Impressão em off-set no padrão CMYK.

Produzido pela
Produzido pela

Produzindo Livros com Profissionalismo, qualidade e confiança.

“O conhecimento é o único bem não transitório do ser humano.”

Belo Horizonte: (31) 3231-5686 São Paulo: (11) 3717-4302 Curitiba: (41) 3941-4714

Telefones:

Rio de Janeiro: (21) 3521-5497 e 3474-4415 Brasília: (61) 3717-1280 Porto Alegre: (51) 3251-5387

e-mail: sac@livreexpressao.com.br www.livreexpressao.com.br

Rua Evaristo da Veiga, 16 (anexo), sala 5, Centro Rio de Janeiro RJ CEP 20031-040

Quer saber sobre livros, visite a nossa página:

www.livreexpressao.com.br.

168