Você está na página 1de 1

CYAN MAGENTA AMARELO PRETO TAB SAÚDE, CIÊNCIA & VIDA 30

Vida
Saúde&Ciência
Carruagem dos
trácios é escavada
O arqueólogo Veselin Ignatov
analisa uma carruagem dos trá-
cios, depois incorporados aos ro-
manos, encontrada próxima à ci-
A30 DOMINGO dade búlgara de Nova Zagora, a
22 DE ABRIL DE 2007 260 km de Sofia. A carruagem es-
JORNAL DO BRASIL saude@jb.com.br
tava junto aos esqueletos de três
cavalos e data do fim do século 3.

ECOLOGIA I Produção do etanol exige cuidado para não comprometer alimentação ou natureza
Fontes de produção de etanol

trituração
mosto
rico em sacarose
(um tipo de açúcar)
Cana de açúcar

trituração
fitomassa hidrólise fermentação
rico em amido adição de ácidos ou enzimas, adição de leveduras, Etanol
(um tipo de carboidrato) compostos responsáveis por
Milho transformar o amido em açúcar
microorganismos responsáveis CH CH OH
por quebrar a sacarose em 3 2
açúcares ainda mais simples
como a frutose e glicose

trituração
fitomassa hidrólise
Celulose rico em celulose adição de ácidos ou enzimas,
(bagaço e palha da cana (um tipo de compostos responsáveis por
casca do milho, gramíneas, carboidrato complexo) transformar a celulose
resíduos agrícolas e madeira) em açúcar

Alternativa verde traz armadilhas REUTERS


Juliana Anselmo da Rocha migrou para outras regiões. Ao
contrário, conseguimos criar os ISuspeito de
Apresentado como alternativa animais com maior eficiência em
energética limpa, o etanol – ou ál-
cool, para os brasileiros – traz ar-
regime de piquetes e aumentar a
produção de carne e leite.
contribuir
madilhas que podem comprome-
ter sua vocação verde. Teme-se
Jair Ramalho, diretor da UFRRJ
em Campos do Goytacazes, reforça para mortes
que a ampliação das áreas de culti- a posição de Strapasson e diz que
vo de cana-de-açúcar, principal “hectares desocupados e subutiliza- De acordo com Mark Jacob-
fonte para produção no país, amea- dos servem tanto ao plantio de olea- son, da Universidade Stanford,
ce regiões ricas em biodiversidade ginosas, para gerar biodiesel, como aos 4.700 mortos ao ano nos EUA
como a Amazônia e o Pantanal e ao de cana, para gerar álcool, sem por problemas respiratórios se-
traga falta de alimentos. risco à produção de alimentos”. riam somados mais 200 pessoas
– A vantagem de renovabilidade Dados do ministério da Agricul- se a frota do país rodar só com eta-
desaparece em caso de desrespeito tura e Pecuária mostram que exis- nol em 2020.
ao meio ambiente no ciclo produtivo tem 90 milhões de hectares usados – Os poluentes vêm da parte
– observa Gilberto Brasil, do Núcleo em atividades agrícolas no Brasil. do etanol que não é consumida pe-
de Energia e Mudanças Climáticas Desses, 6,5 milhões são ocupados lo motor e lentamente se trans-
do ministério do Meio Ambiente. – por plantações de cana. As pasta- forma em acetaldeído, formaldeí-
Se as áreas de cultivo forem expan- gens cobrem 220 milhões de hecta- do e outros hidrocarbonetos – ex-
didas às custas do desmatamento, res do território nacional. plica Jacobson. – A luz favorece
aumentaremos as emissões de gás Frederico Durães, chefe-geral sua conversão e também aumenta
carbônico em vez de reduzi-las. da Embrapa Agroenergia, explica a concentração de ozônio.
Autor de Globalização da na- que cada região deve funcionar Brasil alerta que “o ozônio é be-
tureza e natureza da globalização, como um pólo de desenvolvi- néfico nas camadas altas da atmos-
o professor da UERJ Carlos Wal- mento: as que tiverem potencial fera por reter a radiação solar, mas
ter Porto-Gonçalves argumenta energético podem comprar ali- nas baixas é prejudicial à saúde”.
que a suspeita do aumento da mentos das que não o tem. – Rio e São Paulo sofreriam tanto
produção de etanol ameaçar o De acordo com o ministé- ou mais que Nova York pela lumino-
cultivo de alimentos surgiu de- rio de Minas e Energia, no ano sidade – diz Jacobson.
pois da subida de 40% no preço da passado o Brasil produziu 17 Luciene Lara, professora de físi-
tortilha, base da dieta mexicana, bilhões de litros de etanol – 14 ca da atmosfera na USP, discorda e
em dezembro. O país direciona bilhões consumidos no mer- diz que os níveis de hidrocarbonetos
sua colheita de milho para a pro- cado interno e os 3 bilhões liberados na atmosfera pelo consu-
dução de etanol e a população in- restantes exportados. mo do etanol são baixíssimos.
satisfeita com a falta do grão para – Para dobrar a produ- Para Antonio Ponce de Leon, co-
o preparo das tortilhas tomou as ção não precisamos de ordenador do programa Ares-Rio do
ruas, obrigando o presidente Fe- muito mais cana – expli- Instituto de Medicina Social da
lipe Calderón a intervir na econo- ca Durães. – Temos tec- UERJ, o problema está nas áreas
mia e tabelar os preços. nologia para extrair etanol produtoras de cana-de-açúcar.
– Não é uma abstração. É um te- não só do gomo, mas do baga- – Quando não há mecanização,
mor baseado em exemplos práticos ço e da palha, aumentando a pro- queima-se a plantação para facilitar
– garante. – Em São Paulo, o au- dutividade de etanol por hectare. o corte, aumentando a poluição do ar
mento da demanda do etanol tem Porto-Gonçalves alerta que o no campo – completa. – Não só os
forçado à plantação da cana em áreas lobby para o uso amplo do etanol trabalhadores, mas a população, es-
de pastagens. Para onde irá o gado? vem de produtores de combustíveis pecialmente crianças e idosos, so-
Alexandre Strapasson, coor- fósseis, que buscam alternativas pa- frem com irritação dos pulmões.
denador-geral de açúcar e álcool ra um futuro com menos petróleo. Fernando Calmon, colunista do
do ministério da Agricultura e Pe- – Basta olhar o Oriente Médio. caderno Carro&Moto do JB pon-
cuária, garante que a expansão Toda região que se torna estratégica dera que Jacobson parte de pre-
não ameaça o meio ambiente ou a para a energia não vive em paz. missas equivocadas e, por isso,
segurança alimentar brasileira. Durães argumenta que “qual- tem conclusões inconsistentes.
– A cana realmente ocupou quer empreendimento envolve ris- – Esqueceu que a tecnologia
áreas de pastagens, especialmente cos e possível crescimento”. evolui e usou dados antigos. Se fos-
em São Paulo, onde está concentra- – O mapeamento do potencial se de uma universidade menor não
da 60% da produção de etanol na- produtor das regiões e o conhe- atrairia atenção – critica. – Além dis-
cional – concorda. – Mas eram cimento da produção de etanol so, ninguém almeja substituir com-
áreas sub-aproveitadas. O número minimiza as chances do erro – pletamente a frota. O petróleo não
de cabeças de gado não diminuiu ou tranqüiliza. morrerá de um dia para o outro.
Queima para colheita e para novas áreas libera gás do efeito estufa