Você está na página 1de 38

A Companhia de Jesus no Brasil

Cena da 1a missa realizada no Brasil (abril de 1500) Com os descobrimentos ultramarinos, a Igreja Católica do Renascimento estava demasiadamente imersa nos problemas seculares para promover uma expansão missionário tão grandiosa como a que se exigia. Tornava-se igualmente irrealizável deixar nas mãos dos colonos a conversão do gentio. Possibilidade que se aventou, mas que logo foi abandonada, uma vez que o trabalho apostólico, por mais que se quisesse, representava sempre uma limitação aos propósitos predatórios e mercantis daqueles que viam o indígena meramente como força de trabalho a ser explorada. Para isso desenvolviam as racionalizações mais arbitrárias. Basta-nos ver o exemplo de Cortês, que pedia ao imperador e ao papa o direito de castigar os da terra que não se submetiam, apresentando-os "como inimigos de nossa santa fé". Teriam, portanto, que sair da Igreja os esforços para a difusão do Cristianismo no ultramar. Foram as ordens religiosas que se propuseram a esse movimento missionário. Coube à dos franciscanos a precedência sobre todas as outras. As notícias de muitos povos pagãos recém-descobertos despertaram o zelo apostólico entre os frades de toda a Europa, oferecendo-se numerosos deles para predicar o Evangelho aos indígenas. Acorreram à América espanhola imediatamente após a conquista do México e se estenderam a todo o império espanhol no Novo Mundo. Seguiram-se a eles os dominicanos, cuja obra missionária, inspirada num rigorismo ético, chocava-se com a resistência dos colonos espanhóis que se recusavam a ver outra possibilidade no indígena que não fosse a sua exploração no trabalho escravo. Já em 1511 abria-se o conflito entre missionários dominicanos e colonos, com um sermão pronunciado pelo dominicano Antônio de Montesinos. Tendia a missão, enquanto impulso expansivo da Igreja Católica, a exercer uma influência mais além do eclesiástico, atacando um sistema colonial fundado na superposição de uma camada de senhores e na exploração do indígena. Não demorou para que alguns discípulos da Companhia de Jesus mostrassem grande interesse em serem enviados ao Novo Mundo. Não contaram, entretanto, com a aquiescência do Papa, a quem o fundador da Companhia havia jurado obediência absoluta. Consideravam-se mais necessários os trabalhos dos jesuítas dentro da própria Europa, onde tanto havia que fazer, como os teólogos mais qualificados da igreja, para deixá-los dispersarem-se pelas missões na conversão de infiéis. Somente por volta de 1565 vieram os primeiros jesuítas para a América espanhola, numa expedição orientada para combater os huguenotes franceses alojados na Flórida. "Se simplifica em demasia o fato histórico, quando se faz derivar exclusivamente da Contra-reforma a expansão mundial da Igreja Católica da Época Moderna, e igualmente quando se supõe que essa expansão foi desencadeado pelos jesuítas. A revivescência e ativação das forças missionários da cristandade ocorreram na Idade Média tardia, por obra das ordens mendicantes, e a reforma desses institutos monásticos, em fins do século XV e começos do século XVI, reavivou o ardor apostólico em suas comunidades. A Companhia de Jesus não só apareceu mais tarde, senão que primeiro teve que fortalecer-se internamente e superar fortes resistências do governo espanhol, antes de poder cumprir sua grande obra de evangelização ." Em Portugal a Companhia de Jesus havia sido favorecido desde 1540, durante o reinado de D. João III, e graças a ele puderam os jesuítas estabelecer-se na América portuguesa sem encontrar os impedimentos colocados aos jesuítas espanhóis por Filipe 11 e pelo Conselho das Índias. Junto com o primeiro

governador-geral vieram para o Brasil os primeiros jesuítas: os padres Manuel da Nóbrega, Leonardo Nunes, Antônio Pires, Aspicuela Navarro, Vicente Rodrigues e Diogo Jácome. Nóbrega, que viera à frente dos demais, tornou-se Provincial com a fundação da província jesuítica brasileira, em 1553. Apesar de não ter sido a primeira ordem a aqui se instalar (aos franciscanos coube também no Brasil essa precedência), tomou-se a mais importante e a que maior influência teve na vida colonial brasileira. O Sentido das Missões e da Catequese - A ação da Contra-reforma na Europa revestiu-se de dois aspectos principais: procurou por um lado reconquistar pelas armas os territórios protestantes; e por outro, onde a vitória militar lhe permitia, procurou converter as massas protestantes por toda uma série de meios. Nesse segundo aspecto, visando a reconquistar as almas onde a situação política o permitia, a Igreja romana empregou os métodos mais diversos: multiplicou as dioceses, construiu ou reconstruiu igrejas, sobretudo criou seminários, universidades e colégios, utilizando o fanático devotamente das ordens religiosas. Foram os jesuítas e capuchinhos os agentes por excelência dessa reconquista. Ligou-se a esse movimento um outro, que vinha há mais tempo, mas que ganhou novo ímpeto com a reação à Reforma protestante, que pretendia não só a cristianização dos povos do Novo Mundo, mas a "conquista dessas almas" para a Igreja Católica. Os propósitos confessionais das ordens religiosas que se dirigiam às terras descobertas eram impregnados de ambições políticas. Em nome de intenções piedosas compunha-se a luta pela restauração do poder político da Igreja de Roma, abalado pela Reforma. Trazer os povos das novas terras para o seio da Igreja Católica; impedir nelas a penetração das seitas "heréticas", dando-lhes combate e lançando as bases da Igreja romana; e mantendo a vigilância sobre os colonos de forma a que não se desgarrassem dos preceitos católicos, tais eram as funções outorgadas às ordens religiosas, particularmente à Campanha de Jesus. Foi quanto ao primeiro particular, a catequese, que se revelou o maior conflito com os colonos. Para os jesuítas tanto tinha importância a conversão das almas quanto a utilização econômica daquela mão-deobra disponível; ao passo que aos colonos não interessava mais que a exploração da força de trabalho indígena, sem que se interpusesse a isso o empecilho da catequização. O que propunham os jesuítas na verdade, ao mesmo tempo em que visavam realizar aqueles objetivos político-religiosos, era uma forma "mais racional" de colonização em confronto com uma atitude puramente predatória dos colonos, apesar de mais condizentes com os termos da política mercantil. As missões geralmente acompanharam as migrações dos indígenas à medida que estes fugiam dos principais centros de colonização, tentando escapar da escravização a que os colonos os submetiam. Dessa forma fixaram-se principalmente no sertão, em regiões que não apresentavam atrativos de exploração imediata, o que não quer dizer que estivessem isentas de investidos, que não formassem elas mesmas um alvo de cobiça dos colonizadores, pela quantidade de índios domesticados que aldeavam. Seus principais redutos localizaram-se no deserto do norte do México, nas orlas da floresta amazônica e no interior da América do Sul. Pela forma com que se organizaram, evoluíram como economias voltadas para a produção de excedentes comercializáveis pelos religiosos. Vale a pena citar um trecho de um estudo recente sobre o assunto: "Este modo de produção subsiste teve uma gravitação decisiva na extensa região que atualmente compreende a República do Paraguai, grande parte das províncias argentinas de Missões, Corrientes, Santa Fé, Chaco e Formosa, o Estado brasileiro do Paraná e os departamentos de Artigas, Salto, Paissandu, Rio Negro e Tacuarembo na República Oriental do Uruguai. Como se pode apreciar, a difusão geográfica deste modo de produção foi bastante ampla. Com relação a suas características geográficas, chegou a compreender, durante o século XVIII, a uns 130 000 indígenas, cifra muito alta se recordarmos as da população total da região." Este modo de produção, chamado despótico-aldeão ou despótico-comunitário, teve como fenômeno fundamental a recriação por parte do branco de uma comunidade indígena organizada em "pueblos" (aldeias) tendo em vista uma exploração mais racional da mão-de-obra índia. "Neste tipo de organização econômica se notam as conseqüências, de um modo específico, do impacto conquistador-colonizador sobre a anterior estrutura produtiva indígena. O fato distintivo será a férrea condução dos sacerdotes jesuítas, a minuciosidade administrativa e organizativa da Companhia, mais o zelo que em todo momento pôs essa instituição para evitar todo contato entre suas reduções e os espanhóis. Isto permitiu que os "pueblos" funcionassem até à expulsão em 1768 , como unidades produtivas relativamente autárquicas, que, embora mantivessem certa comunicação entre si, viviam totalmente separadas do resto da sociedade branca, com a qual se relacionavam economicamente apenas por meio da rede administrativa da Companhia de Jesus. ... Porém não devemos nos enganar sobre o sentido final dessa subtração de mãode-obra efetuada pelos jesuítas aos 'encomenderos'. Obviamente a organização jesuítica significou também para os indígenas um sistema de exploração, na medida em que teve ela como resultado uma destruição quase total de seus valores culturais, além da pura espoliação econômica."

O Ensino Jesuítico - O padrão para o ensino jesuítico em Portugal e nas terras descobertas na América, Ásia e África foi dado pelo Real Colégio das Artes de Coimbra, cuja direção fora concedida à Companhia de Jesus em 1555, um dos mais altos estabelecimentos de ensino não superior do reino. Os mestres dos colégios ultramarinos, de fundação real, eram subsidiados pela Coroa, a título de "missões", quer dizer, formar sacerdotes para a catequese da nova terra, de modo a preparar num futuro quem substituísse os padres enviados da metrópole, no trabalho da evangelização. Entretanto, não cuidaram esses colégios apenas da formação de missionários, mas abriram suas portas àqueles que buscavam o ensino em suas aulas públicas, ou para simplesmente se instruírem, ou para irem continuar o aprendizado em medicina ou direito na Universidade de Coimbra. A importância da Companhia de Jesus para a cultura colonial foi no campo da educação. Os primeiros colégios fundados no Brasil foram os de São Vicente, por Leonardo Nunes, e o de Salvador, por Nóbrega. Logo, acompanhando a expansão dos trabalhos de catequese (entre 1548 e 1604 cerca de 28 expedições de missionários foram enviadas à colônia], uma vasta rede de colégios espraiou-se pelo nosso litoral: São Paulo (1554), Rio de Janeiro (1568), Olinda (1576), Ilhéus (1604), Recife (1655), São Luís, Paraíba, Santos, Belém, Alcântara (1716), Vigia (1731), Paranaguá (1738), Desterro (1750), "Nas aldeias, vilas e cidades, as escolas intitulavam-se 'de ler, escrever, e contar'; e nos colégios, o mestre ora se chamava 'Alphabetarius' (1615), ora 'Ludi-Magister' (mestre-escola), e umas vezes se dizia 'Escola de Rudimentos', outras 'Escola Elementar'. Estava aberta durante cinco horas diárias, repartidas em duas partes iguais, metade de manhã, metade de tarde." A organização do ensino jesuítico baseava-se no Ratio Studiorum, que, ao mesmo tempo em que era um estatuto e o nome de seu sistema de ensino, estabelecia o currículo, a orientação e a administração. O currículo dividia-se em duas seções distintas (inferiores e superiores), chamadas classes, de onde derivou a denominação "clássico" a tudo o que dissesse respeito à cultura de autores greco-latinos. As classes inferiores, com duração de 6 anos, compunham-se de Retórica, Humanidades, Gramática. Já as superiores, com duração de 3 anos, compreendiam os estudos gerais de Filosofia, para a época, abrangendo Lógica, Moral, Física, Metafísica e Matemática. Tanto num grau como no outro todo estudo era vazado no Latim e Grego e no Vernáculo. O sentido desse ensino Fernando de Azevedo descreveu-o bem: "Ensino destinado a formar uma cultura básica, livre e desinteressada, sem preocupações profissionais, e igual, uniforme em toda a extensão do território... A cultura "brasileira", que por ele se formou e se difundiu nas elites coloniais, não podia evidentemente ser chamada "nacional" senão no sentido quantitativo da palavra, pois ela tendia a espalhar sobre o conjunto do território e sobre todo o povo o seu colorido europeu: cultura importada em bloco do Ocidente, internacionalista de tendência, inspirada por uma ideologia religiosa, católica, e a cuja base residiam as humanidades latinas e os comentários das obras de Aristóteles, solicitadas num sentido cristão. Tratando-se de uma cultura neutra do ponto de vista nacional (mesmo português), estreitamente ligada à cultura européia, na Idade Média,. . .-é certo que essa mesma neutralidade (se nos colocarmos no ponto de vista qualitativo) nos impede de ver, nessa cultura, nas suas origens e nos seus produtos, uma cultura especificamente brasileira, uma cultura nacional ainda em formação." O ensino jesuítico, tanto em Portugal quanto no Brasil, era público e gratuito. A Companhia tinha mesmo como dever o cumprimento do voto de pobreza, que foi reafirmado por uma determinação oficial de 1556, proibindo aos padres acrescentar qualquer forma de poder material ao religioso. No Brasil, porém, dado não haver um amparo direto da Coroa, como acontecia em Portugal, impôs-se a necessidade de encontrar fontes de recursos para a manutenção de suas instituições. Já o Padre Manuel da Nóbrega utilizara-se deste pretexto perante o delegado da Companhia no Brasil, Luís da Grã, a fim de permitir o estabelecimento de propriedades territoriais, inclusive com a utilização do braço escravo, em contradição com o voto de pobreza. Isso não se restringiu à Companhia de Jesus; o interesse pela propriedade, escravos e bens materiais foi comum às outras ordens religiosas que para cá vieram. Tal fato não deixou de preocupar a Coroa. Neste sentido foi que D. Sebastião, a fim de melhorar a situação, instituiu, em 1564, uma taxa especial para a Companhia, a redízima, descontada sobre todos os dízimos e direitos da Coroa. Mesmo assim, isso não era suficiente para arcar com as despesas, sustentadas, sem dúvida, através das fontes próprias de subsistência: as missões, verdadeiras empresas agro-extrativas da Companhia, os colégios ou suas próprias propriedades particulares. As Visitações - Cabia também à Companhia de Jesus na colônia a vigilância sobre seus habitantes, de forma a mantê-los dentro dos estritos preceitos da religião católica, controlando os seus modos de vida e suas crenças, tanto combatendo as práticas tidas por pecaminosas como a penetração das seitas heréticas. Já no final do século XVI os jesuítas se ressentiam da liberalidade dos costumes demonstrada pelos colonos, que respiravam com alívio, uma vez longe da Inquisição, de seus atos de fé e

formado pelos padres Manuel da Nóbrega. mais a principal tareja dos religiosos foi evangelizar os indígenas das regiões recém-descobertas. línguas. pesquisas exegéticas e teológicas. Em 1534. que tinha seu próprio superior. ou então. Leonardo Nunes. Durante quatro anos percorreu as Capitanias da Bahia e Pernambuco.queimadeiros. sendo enviados para o reino a fim de serem julgados pelo Conselho do Santo Ofício. humanidades. sobretudo na Itália e na Espanha. e mais concretamente. e fundaram a Província do Brasil da Companhia de Jesus. seus combativos integrantes tinha uma organização quase militar: consideravam-se soldados da Igreja e achavam que deviam infiltrar-se em todas as atividades sociais e culturais. holandeses e franceses. que chegou aqui em meados de 1591. agrupadas de acordo com critérios geográficos e linguísticos. a Companhia de Jesus recebeu a aprovação oficial do Papa Paulo III. acusados de praticar o judaísmo às escondidas. o cavaleiro espanhol Inácio de Loyola criou a Companhia de Jesus. que nos colégios denominava-se como reitor. A Coroa limitava-se a enviar comissários especiais para a realização de processos por causa de fé. em províncias que. A igreja atual foi . e o supremo poder da companhia pertencia ao superior-geral eleito pela congregação geral que era formada pelos delegados das diversas provincías. Antônio Pires e mais os irmãos Vicente Rodrigues e Diogo Jácome. presos. No Brasil não se chegou à fundação de tribunais inquisitoriais permanentes. passou a ser chamado de Terreiro de Jesus. Decidiu-se Lisboa a promover uma primeira visitação na colônia. tornava real a ameaça ao monolitismo católico que se pretendia assegurar na terra. a tentativa de Villegaignon de fundar uma colônia no Rio de Janeiro com franceses calvinistas . leis e medicina. onde se fundaria a nova cidade. as quais foram sucessivamente sendo reconstruídas e ampliadas. a primeira dos Jesuítas no Brasil. Mas a divisão da Companhia Ad Majorem Dei Gloriam (Para a Maior Glória de Deus) — mostra a intensidade de seu apostolado.. cumprindo sua missão com tal exagero e prepotência que coube ao próprio Inquisidor-Geral e ao Conselho do Santo Ofício reprimir-lhe os excessos impondo moderação ao fanático Visitador: "Convém ter muita advertência nas prisões que fizer nas pessoas que hão de sair ao auto público. Além de sua intensa atividade na Inquisição e na luta contra o protestantismo. que passou a ser a sede e cabeça da Ordem Inaciana na América Portuguesa e perto da Câmara Municipal os padres da Companhia escolheram um lugar para construir seu colégio. Quantidades deles foram condenados a sair em "auto público" (para serem humilhados e esconjurados pelo populacho) sem serem ouvidos seus protestos de inocência. Tais fatos levavam os inacianos a reclamar com insistência. por atos heréticos que atingiam a autoridade da Igreja. para "atalhar este fogo da Heresia". estão as inúmeras arbitrariedades contra os "cristãos-novos". A Companhia de Jesus. chegou ao Brasil em Março de 1549 com o primeiro contingente de Jesuítas. que se faça tudo com muita justificação pelo muito que importa à reputação e crédito do Santo Ofício e a honra e fazenda das ditas pessoas. em um terreiro. enviando Heitor Furtado de Mendonça. chegando mesmo a haver sacrifício em fogueira pública. a fim de eliminar aqueles que pusessem em risco os princípios do catolicismo. que por causa deles. aonde os seus membros deviam presar voto especial de obedência ao sumo pontífice e dependiam diretamente dele. por crimes de bigamia e de "pecado nefando" (práticas sexuais consideradas anômalas). neste caso. que aportaram na Bahia. esta igreja. João de Azpilcueta Navarro. tiveram seus bens confiscados. e no dia 27 de setembro de 1540. etc. por diminuírem. com o objetivo principal de combater o protestantismo através do ensino religioso dirigido. alguns sofreram violências maiores. chamada do Salvador. na bula Regimini Militantis ecclesiae. em conversas. direção de retiros espirituais.. aonde os religiosos consagravam-se pelas pregações. aonde os superiores de cada província governavam todas as casas. tinham o ensino em colégios (o curso secundário autônomo foi criado pelos jesuítas) e universidades. a companhia era dividida." Muitos foram nas capitanias os acusados e condenados por blasfêmias. nome que até hoje conserva e que passou a ser o ponto central da antiga cidade e fundaram uma igreja de taipa coberta de palha que dedicaram a Nossa Senhora da Ajuda. que acompanhando Tomé de Sousa. primeiro Governador Geral do Brasil. foi cedida posteriormente ao clero secular. A Companhia de Jesus não era uma ordem religiosa como as outras. e da formação dos jesuítas fazem parte estudos de religião. as quais depois de presas e sentenciadas não se lhe pode restituir o dano que se lhes der. A presença estrangeira no Brasil de protestantes. como ingleses. e a influência crescente das reformas que cada vez mais preocupava a Igreja católica e a aristocracia européia. além de outras precárias instalações iniciais. missões. Estes funcionários viajavam para os lugares onde eram exigidos e eram conhecidos como "Visitadores". a vinda de um Visitador do Santo Ofício que cuidasse da grave situação. o valor da Paixão de Cristo. junto à Companhia.

a redízima. que. situadas em terras mais distantes. a catequese das crianças e jovens. Alcântara (1716). Olinda (1576). e a grande importância que a Companhia de Jesus dava para a cultura colonial foi a causa da fundação dos colégios de São Vicente. impôs-se a necessidade de encontrar fontes de recursos para a manutenção de suas instituições. Colégio e . o mestre ora se chamava 'Alphabetarius' (1615). mosteiros e colégios que ocuparam o lugar de maior destaque. as de El-Rei e as de Repartição. Vigia (1731). respectivamente. as escolas intitulavam-se 'de ler. e o de Salvador. inaugurou a igreja. biblioteca e enfermaria. No Brasil. e ainda farmácia (botica). através das fontes próprias de subsistência: as missões. e no primeiro século de colonização apenas três colégios foram criados no Brasil que foram o colégio da Bahia. São Luís. que dispunha de uma notável biblioteca. para o Rei e para particulares. de onde saíram as levas de soldados para seus exércitos e após duzentos e dez anos no Brasil e ao longo deste período expandiram seus estabelecimentos e seus trabalhos desde o Amazonas até aos limites extremos do sul do Brasil quando acabaram sendo banidos dos territórios portugueses em 1759. que eram então reunidos em aldeias de três tipos: as dos Colégios. e suas obras entre todas. no final do século XVII contava com cerca de 3000 livros o colégio do Rio de Janeiro e o de Pernambuco. nas brenhas e nas selvas". O ensino jesuítico. Isso não se restringiu à Companhia de Jesus. proibindo aos padres acrescentar qualquer forma de poder material ao religioso. para a época. Moral. cozinha. acompanhando a expansão dos trabalhos de catequese entre 1548 e 1604 quando cerca de 28 expedições de missionários foram enviadas à colônia. por Nóbrega. por Leonardo Nunes. escrever. inclusive com a utilização do braço escravo. embrenhavam-se pelos sertões. Tanto num grau como no outro todo estudo era vazado no Latim e Grego e no Vernáculo. a orientação e a administração. se de um lado atendia aos interesses da Igreja. chamadas classes. em 1914 e nela esta o púlpito onde o Padre Antônio Vieira pregou o famoso Sermão contra a Holanda. A Companhia tinha mesmo como dever o cumprimento do voto de pobreza. Luís da Grã. atendia também. tanto em Portugal quanto no Brasil. são as mais significativas nos núcleos primitivos das cidades. ao mesmo tempo em que era um estatuto e o nome de seu sistema de ensino. Belém. que foi reafirmado por uma determinação oficial de 1556. nos colégios. compreendiam os estudos gerais de Filosofia. isso não era suficiente para arcar com as despesas. as quais forneciam índios para a própria Companhia. às exigências do patriarcado de cana de açúcar. não ficavam apenas nas cidades ou vilas principais. tal fato não deixou de preocupar a Coroa. os colégios ou suas próprias propriedades particulares. abrangendo Lógica. Santos. Do ponto de vista arquitetônico. Mem de Sá . vilas e cidades. sem dúvida. e no contexto urbano da Cidade de Salvador. copa. em contradição com o voto de pobreza. Finalmente em 1572. As classes inferiores. verdadeiras empresas agro-extrativas da Companhia. Gregório de Matos Guerra. a fim de melhorar a situação. assim.Igreja. Já as superiores. refeitório. repartidas em duas partes iguais. Gramática. e contar'. descontada sobre todos os dízimos e direitos da Coroa. compunham-se de Retórica. ao contrário. as principais cidades coloniais brasileiras os religioso estabeleceram suas igrejas. e menos de cinqüenta anos depois da chegada ao Brasil os jesuitas já haviam se espalhado pelo litoral. Metafísica e Matemática. uma vasta rede de colégios espraiou-se pelo nosso litoral: São Paulo (1554). Recife (1655). Já o Padre Manuel da Nóbrega utilizara-se deste pretexto perante o delegado da Companhia no Brasil. ora 'Ludi-Magister' (mestre-escola). outras 'Escola Elementar'. além das dependências internas de uso privativo possuiam celas. dado não haver um amparo direto da Coroa. escravos e bens materiais foi comum às outras ordens religiosas que para cá vieram. de pedra e cal. que. porém. que atendiam também ao público externo. O objetivo dos Jesuítas no Brasil era a catequese de adultos e através da educação. a fim de permitir o estabelecimento de propriedades territoriais. "Nas aldeias. Basílio da Gama. e umas vezes se dizia 'Escola de Rudimentos'. uma taxa especial para a Companhia. de norte a sul. Desterro (1750). Mesmo assim. ou grandes aldeamentos. estabelecia o currículo. o então Governador Geral . Paraíba. estava aberta durante cinco horas diárias. instituiu. Havia também as Missões. que mesmo tendo sido desfalcada pelos holandeses. Ilhéus (1604). Logo." A organização do ensino jesuítico baseava-se no Ratio Studiorum. Alvarenga Peixoto e outros mais. conventos. como acontecia em Portugal.construída no mesmo local. desbravando os matos em busca dos índios. em 1564. com duração de 3 anos. o interesse pela propriedade. Humanidades. Frei Vicente do Salvador. Física. era público e gratuito. de onde derivou a denominação "clássico" a tudo o que dissesse respeito à cultura de autores greco-latinos. os colégios da Companhia transmitiam uma cultura humanística de caráter acentuadamente retórico. metade de tarde. Rio de Janeiro (1568). oficinas também havia horta e pomar. metade de manhã. nos "sertões. com muitas incursões. com duração de 6 anos. que foi concluída em 1585. os mais importantes intelectuais da Colônia estudaram nestes colégios como Bento Teixeira. O currículo dividia-se em duas seções distintas (inferiores e superiores). o conjunto arquitetônico dos estabelecimentos da Companhia de Jesus . Paranaguá (1738). sustentadas. e nos colégios. Sebastião. e neste sentido foi que D.

hoje a antiga Igreja dos Jesuítas é a Catedral Basílica da Cidade do Salvador. Francisco Xavier. pela formação e produção intelectual do Brasil nos primeiros séculos. cujas doutrinas se tornavam cada vez mais conhecidas através da Europa. na escultura. Devotaram-se inicialmente a pregar e em obras de caridade em Itália. Jacob Laines. Veneza. Inácio e seis outros estudantes (Pedro Faber. das aldeias e das missões jesuíticas. Inácio viajou até Roma em Outubro de 1538. Foram ordenados em Veneza pelo bispo de Arbe (24 de Junho). na arquitetura. e em 27 de Setembro de 1540. permanecendo em silêncio enquanto atendendo a palestras e submetendo-se a exercícios para se tornarem pessoas melhores. em parte graças à recente invenção da imprensa. A congregação de cardeais deu um parecer positivo à constituição apresentada. nas palavras de Inácio). e também através das casas. O Papa Paulo III concedeu-lhes uma recomendação e autorizou que fossem ordenados padres. adoptadas em 1554. o papa e os Turcos (Seljuk). no teatro quer na música. . A guerra reatada entre o imperador. Ele enviou os seus companheiros e missionários para vários países europeus.Convento . e Nicolau Bobedilla . se a hierarquia da igreja assim o tiver determinado" Uma das principais ferramentas dos Jesuítas era o retiro espiritual de Inácio. e foi a ideologia dos inacianos a responsável. O número dos seus membros foi no entanto limitado a 60.impõe-se e ultrapassa as dimensões das demais construções religiosas. O seu grande princípio tornou-se o lema dos jesuítas: "Ad Majorem Dei Gloriam" (tudo por uma maior glória de Deus) Obra inicial Os jesuítas foram fundados no seguimento da reforma Católica (também chamada Contra-Reforma).Espanhóis. Neste. tornava qualquer viagem até Jerusalém pouco aconselhável. Os Jesuítas pregaram a obediência total às escrituras e à doutrina da igreja. disciplinado como um cadáver. Inácio de Loyola foi escolhido para servir como primeiro superior-geral. que integra a "Fórmula do Instituto" onde está contida a legislação substancial da nova Ordem. quer dos Franciscanos. sem questionar".para "desenvolver trabalho de acompanhamento hospitalar e missionário em Jerusalém. tendo Inácio de Loyola declarado: "Eu acredito que o branco que eu vejo é negro. Paulo III confirmou a ordem através da Bula "Regimini militantis Ecclesiae". e por sua grandeza. para pedir ao papa a aprovação da nova ordem. irradiava-se toda a vida cultural da colônia. enfatizando a absoluta auto-abnegação e a obediência ao Papa e os superiores hierárquicos (perinde ac cadaver. um movimento reaccionário à Reforma Protestante. Esta limitação foi porém posteriormente abolida pela bula Injunctum nobis de 14 de Março de 1543. com o fim de criar escolas. Também pregaram que as decorações e a ostentação em geral nas cerimónias do catolicismo (desprezadas pelos Luteranos) deviam ser acentuadas e abundantemente financiadas.um Português) encontraram-se na Igreja de Sta. Montmartre e fundaram a Companhia de Jesus .geocities. que deram origem a uma organização rigidamente disciplinada.com COMPANHIA DE JESUS Em 15 de Agosto de 1534. de maneira absolutamente marcante. e Simão Rodrigues . e por meio dessas imponentes expressões arquitetônicas. Inácio de Loyola escreveu as constituições jesuítas. Maria. Fonte: www. dos Carmelitas ou dos Beneditinos. Em 1537 eles viajaram até Itália em busca de aprovação papal da sua nova ordem. Alfonso Salmeron. Na companhia de Faber e Lainez. ou para ir aonde o papa nos enviar. houve uma conferência e meditações acerca das nossas mortes iminentes. e o antigo colégio e a maior parte das dependências restantes das antigas construções inacianas abrigam museus e estão sob a guarda da Universidade Federal da Bahia. entre outras. quer na literatura. liceus e seminários. na poesia. várias pessoas reúnem-se sob a orientação de um padre durante uma semana ou mais. Por exemplo.

(Ver D. Nessa altura havia 5 assistências. os Jesuítas já tinham sidos expulsos do país pelo Marquês de Pombal. as missões dos jesuítas impressionam pelo espírito de inculturação (adaptação à cultura do povo a quem se dirigem). Na China do século XVIII. Expansão As missões iniciais ao Japão otiveram como resultado a concessão aos jesuítas do enclave feudal em Nagasaki em 1580. nos novos mundos que se abrem à actividade missionária da época. o que lhes permitiu uma certa flexibilidade operacional. São Francisco Xavier percorre a Índia. eram já 46. em parte devido à sua estrutura relativamente livre (sem os requerimentos da vida entre a comunidade nem do ofício sagrado). A actividade educativa tornou-se logo a principal tarefa dos jesuítas. em 1661. chegaram a Lhasa. Alguns jesuítas latino-americanos adoptaram uma visão esquerdista do catolicismo ao desenvolver a Teologia da Libertação. no Tibete. por exemplo). 335 residências missionárias. 237 casas de formação. 39 províncias. Japão e chega às portas da China. contrária às orientações do Vaticano. chamada Missões ou Missiones no sul do Brasil. No final do século XVI. à morte de Santo Inácio. Dois jesuítas missionários. a palavra "Jesuíta" adquiriu a conotação de "hipócrita". Sebastião de Portugal. Indonésia. no entanto. Os jesuítas opuseram-se várias vezes à escravatura. As Reduções do Paraguai e a adoção dos ritos malabares e chineses são os exemplos mais significativos. contribuindo para a repressão de quaisquer revoltas inspiradas pela doutrina de Martinho Lutero. os jesuítas estiveram envolvidos na chamada questão dos ritos chineses. Em 1556. 273 missões e 22589 membros. A experiência pedagógica dos jesuítas . cidades que apesar de iniciais simpatias por Lutero. no Paraguai. é restaurada a Companhia no mundo inteiro pelo Decreto do Papa Pio VII "Solicitudo omnium Ecclesiarum". Os Jesuítas de hoje A companhia de Jesus continua activa no trabalho missonário e na educação.Os jesuítas conseguiram obter grande influência na sociedade nos períodos iniciais da idade moderna (séculos XVI e XVII) porque os padres jesuítas foram por muitas vezes os educadores e confessores dos reis dessa altura. onde a liderança da igreja ortodoxa refusou reconhecer a autoridade papal). As missões jesuítas na América Latina foram controversas na Europa. Eles fundaram uma liga de cidades-estado. devido a receios crescentes da sua crescente influência. A gratuidade do ensino da antiga Companhia favoreceu a expansão dos seus Colégios. os jesuítas foram suprimidos em todos os países (excepto a Rússia. Manoel da Nóbrega e José de Anchieta ajudam a fundar as primeiras cidades do Brasil (Salvador. este privilégio foi abolido em 1587. ou ainda reducciones. Jesuítas famosos Os jesuítas estão presentes. hoje em dia. onde eram vistas como uma interferência com a acção dos reinos governantes. Ver Munique ou Bona por exemplo. Acima das inevitáveis ambiguidades. Em várias línguas. na sequência do caso Távora em 1758. permaneceram um bastião católico. etc. que eram povoações organizadas de acordo com o ideal católico mais tarde destruída por espanhóis e principalmente portugueses à cata de escravos . Este tipo de opção política continua a ser um tema controverso dentro da igreja católica. Em 1814. São Paulo. em grande parte pelo empenho de jesuítas. o número de Colégios elevou-se a 372. Períodos agitados Na sequência de uma série de decretos assinados pelo papa Clemente XIV. Gruber e D'Orville. No entanto. incluindo o Breve "Dominus ac Redemptor" assinado em 21 de Julho de 1773. Em Portugal. Os jesuítas foram uma força líder da Contra-Reforma. Rio de Janeiro). por exemplo. João Nunes Barreto e Andrés de Oviedo empreendem a fracassada missão da Etiópia. desde a primeira hora. os jesuítas tiveram um papel batalhador. especialmente em Espanha e em Portugal. Em cidades alemãs. 669 colégios.

A Companhia de Jesus não era uma ordem religiosa como as outras. Entre os nomes de crateras da Lua há mais de 30 nomes de jesuítas. humanidades. a catequese das crianças e jovens.. a companhia era dividida. que atendiam também ao público externo. refeitório. etc.. Mas a divisão da Companhia — Ad Majorem Dei Gloriam (Para a Maior Glória de Deus) — mostra a intensidade de seu apostolado. além de outras precárias instalações iniciais. Física. oficinas também havia horta e pomar. Fonte: pt. missões. que por causa deles. e fundaram a Província do Brasil da Companhia de Jesus. inaugurou a igreja. e o supremo poder da companhia pertencia ao superior-geral eleito pela congregação geral que era formada pelos delegados das diversas provincías. e da formação dos jesuítas fazem parte estudos de religião. de acordo com a fé e a cultura daquele tempo. O objetivo dos Jesuítas no Brasil era a catequese de adultos e através da educação.wikipedia. copa. mais a principal tareja dos religiosos foi evangelizar os indígenas das regiões recém-descobertas. nome que até hoje conserva e que passou a ser o ponto central da antiga cidade e fundaram uma igreja de taipa coberta de palha que dedicaram a Nossa Senhora da Ajuda. aonde os seus membros deviam presar voto especial de obedência ao sumo pontífice e dependiam diretamente dele. chamado a "Ratio Studiorum" (Ordem dos Estudos). aonde os religiosos consagravam-se pelas pregações. aonde os superiores de cada província governavam todas as casas. no final do século XVII contava com cerca de 3000 livros o colégio do Rio de Janeiro e o de Pernambuco. que nos colégios denominava-se como reitor. No Concílio de Trento. Na Arquitetura. primeiro Governador Geral do Brasil. em províncias que. que acompanhando Tomé de Sousa. Mem de Sá . em um terreiro. assim. Leonardo Nunes. Desejando levar a fé a todos os campos do saber. Além de sua intensa atividade na Inquisição e na luta contra o protestantismo. os mais importantes intelectuais da Colônia estudaram nestes colégios como Bento Teixeira. destacaram-se dois companheiros de Santo Inácio (Laínez e Salmerón). que passou a ser a sede e cabeça da Ordem Inaciana na América Portuguesa e perto da Câmara Municipal os padres da Companhia escolheram um lugar para construir seu colégio. A Companhia de Jesus. Os primeiros jesuítas participaram activamente do esforço de renovação teológica da Igreja Católica. às exigências do patriarcado de cana de açúcar. combinando o estilo barroco da época com um estilo mais funcional. chamada do Salvador. que. passou a ser chamado de Terreiro de Jesus. Suarez e seus discípulos desenvolveram a doutrina da origem popular do poder. os colégios da Companhia transmitiam uma cultura humanística de caráter acentuadamente retórico.sintetizou-se num conjunto de normas e estratégias. e no dia 27 de setembro de 1540. a primeira dos Jesuítas no Brasil. com o objetivo principal de combater o protestantismo através do ensino religioso dirigido. formado pelos padres Manuel da Nóbrega. nos colégios. A igreja atual foi construída no mesmo local. cozinha. atendia também. frente à Reforma Protestante. e ainda farmácia (botica). Frei Vicente do Salvador. destacaram-se muitos irmãos jesuítas. tinham o ensino em colégios (o curso secundário autônomo foi criado pelos jesuítas) e universidades. os jesuítas dedicaram-se às mais diversas ciências e artes: Matemática. agrupadas de acordo com critérios geográficos e linguísticos. línguas. Finalmente em 1572. e a influência crescente das reformas que cada vez mais preocupava a Igreja católica e a aristocracia européia. chegou ao Brasil em Março de 1549 com o primeiro contingente de Jesuítas. direção de retiros espirituais. que dispunha de uma notável biblioteca. biblioteca e enfermaria. . se de um lado atendia aos interesses da Igreja. que tinha seu próprio superior. pesquisas exegéticas e teológicas. foi cedida posteriormente ao clero secular.org COMPANHIA DE JESUS Em 1534. em 1914 e nela esta o púlpito onde o Padre Antônio Vieira pregou o famoso Sermão contra a Holanda. sobretudo na Itália e na Espanha. que aportaram na Bahia. seus combativos integrantes tinha uma organização quase militar: consideravam-se soldados da Igreja e achavam que deviam infiltrar-se em todas as atividades sociais e culturais. onde se fundaria a nova cidade. João de Azpilcueta Navarro.. esta igreja. na bula Regimini Militantis ecclesiae. além das dependências internas de uso privativo possuiam celas. a fim de eliminar aqueles que pusessem em risco os princípios do catolicismo. de pedra e cal. o cavaleiro espanhol Inácio de Loyola criou a Companhia de Jesus. Antônio Pires e mais os irmãos Vicente Rodrigues e Diogo Jácome. que mesmo tendo sido desfalcada pelos holandeses. as quais foram sucessivamente sendo reconstruídas e ampliadas. a Companhia de Jesus recebeu a aprovação oficial do Papa Paulo III. que foi concluída em 1585. leis e medicina. o então Governador Geral . Astronomia. e no primeiro século de colonização apenas três colégios foram criados no Brasil que foram o colégio da Bahia.. Gregório de Matos Guerra. No campo do Direito. que visa à formação integral do homem cristão.

repartidas em duas partes iguais. hoje a antiga Igreja dos Jesuítas é a Catedral Basílica da Cidade do Salvador. conventos. era público e gratuito. as principais cidades coloniais brasileiras os religioso estabeleceram suas igrejas. quer dos Franciscanos. Olinda (1576). na arquitetura. quer na literatura. as escolas intitulavam-se 'de ler. que. Rio de Janeiro (1568). para a época.geocities. Paraíba. os colégios ou suas próprias propriedades particulares. Sebastião. e também através das casas. Moral. as quais forneciam índios para a própria Companhia. são as mais significativas nos núcleos primitivos das cidades. a orientação e a administração. de maneira absolutamente marcante. respectivamente. não ficavam apenas nas cidades ou vilas principais. e a grande importância que a Companhia de Jesus dava para a cultura colonial foi a causa da fundação dos colégios de São Vicente. e por meio dessas imponentes expressões arquitetônicas. inclusive com a utilização do braço escravo. e o de Salvador. isso não era suficiente para arcar com as despesas. que foi reafirmado por uma determinação oficial de 1556. Belém. e contar'. Havia também as Missões. tal fato não deixou de preocupar a Coroa. vilas e cidades. As classes inferiores. com duração de 6 anos. abrangendo Lógica. na escultura. estabelecia o currículo. nas brenhas e nas selvas". e foi a ideologia dos inacianos a responsável. o mestre ora se chamava 'Alphabetarius' (1615). por Nóbrega. escrever. nos "sertões. estava aberta durante cinco horas diárias. como acontecia em Portugal. metade de manhã. embrenhavam-se pelos sertões. e umas vezes se dizia 'Escola de Rudimentos'. São Luís. metade de tarde. no teatro quer na música. Alvarenga Peixoto e outros mais. chamadas classes. ao mesmo tempo em que era um estatuto e o nome de seu sistema de ensino. desbravando os matos em busca dos índios. e neste sentido foi que D. na poesia. porém. a fim de permitir o estabelecimento de propriedades territoriais. e menos de cinqüenta anos depois da chegada ao Brasil os jesuitas já haviam se espalhado pelo litoral. através das fontes próprias de subsistência: as missões. Alcântara (1716). das aldeias e das missões jesuíticas.Igreja. mosteiros e colégios que ocuparam o lugar de maior destaque. sem dúvida. Metafísica e Matemática. o conjunto arquitetônico dos estabelecimentos da Companhia de Jesus . de onde saíram as levas de soldados para seus exércitos e após duzentos e dez anos no Brasil e ao longo deste período expandiram seus estabelecimentos e seus trabalhos desde o Amazonas até aos limites extremos do sul do Brasil quando acabaram sendo banidos dos territórios portugueses em 1759. em contradição com o voto de pobreza. Humanidades. proibindo aos padres acrescentar qualquer forma de poder material ao religioso. Física. a redízima. Recife (1655). em 1564. Isso não se restringiu à Companhia de Jesus. por Leonardo Nunes. e no contexto urbano da Cidade de Salvador. escravos e bens materiais foi comum às outras ordens religiosas que para cá vieram. Mesmo assim. Colégio e Convento . tanto em Portugal quanto no Brasil. O currículo dividia-se em duas seções distintas (inferiores e superiores). compreendiam os estudos gerais de Filosofia. O ensino jesuítico. dado não haver um amparo direto da Coroa. outras 'Escola Elementar'. Vigia (1731). A Companhia tinha mesmo como dever o cumprimento do voto de pobreza. descontada sobre todos os dízimos e direitos da Coroa. ora 'Ludi-Magister' (mestre-escola). No Brasil. Desterro (1750). as de El-Rei e as de Repartição. Logo. e suas obras entre todas. Santos. e o antigo colégio e a maior parte das dependências restantes das antigas construções inacianas abrigam museus e estão sob a guarda da Universidade Federal da Bahia. Luís da Grã. de norte a sul. com muitas incursões. instituiu. "Nas aldeias. Ilhéus (1604). dos Carmelitas ou dos Beneditinos. sustentadas. Já as superiores. o interesse pela propriedade. de onde derivou a denominação "clássico" a tudo o que dissesse respeito à cultura de autores greco-latinos. irradiava-se toda a vida cultural da colônia. acompanhando a expansão dos trabalhos de catequese entre 1548 e 1604 quando cerca de 28 expedições de missionários foram enviadas à colônia. para o Rei e para particulares. e nos colégios. ao contrário. que eram então reunidos em aldeias de três tipos: as dos Colégios.com . verdadeiras empresas agro-extrativas da Companhia. a fim de melhorar a situação. uma taxa especial para a Companhia. compunham-se de Retórica. Fonte: www. situadas em terras mais distantes. impôs-se a necessidade de encontrar fontes de recursos para a manutenção de suas instituições." A organização do ensino jesuítico baseava-se no Ratio Studiorum. Do ponto de vista arquitetônico. pela formação e produção intelectual do Brasil nos primeiros séculos. Tanto num grau como no outro todo estudo era vazado no Latim e Grego e no Vernáculo. uma vasta rede de colégios espraiou-se pelo nosso litoral: São Paulo (1554). Já o Padre Manuel da Nóbrega utilizara-se deste pretexto perante o delegado da Companhia no Brasil.impõe-se e ultrapassa as dimensões das demais construções religiosas. Gramática. Paranaguá (1738). ou grandes aldeamentos.Basílio da Gama. e por sua grandeza. com duração de 3 anos.

Ilhéus. na resolução do Marquês de Pombal : valendo-se do argumento de que os jesuítas passaram a interferir excessivamente nas áreas de atuação política que deveriam ser restringidas ao próprio Estado. a mais famosa no campo das ciências jurídicas e teológicas. o evidente apoio dos missionários à resistência dos indígenas frente aos colonizadores levaram a conflitos mais graves. e no curso de Filosofia estudava·se Lógica. a mais procurada na área da medicina. atual Anchieta. sob os desígnios da Contra Reforma. de nível superior. na Universidade de Coimbra. vinte e um anos após a chegada. para a melhor compreensão dos indígenas e. em 1597. Anchieta tornou·se mestre·escola do Colégio de Piratininga. Todas as escolas jesuítas eram regulamentadas por um documento. contando apenas 21 anos. chamado abreviadamente de Ratio Studiorum. De Salvador a obra jesuítica estendeu·se para o sul e em 1570. na Capela de Montmartre. incluindo batalhas empreendidas pelas Entradas e Bandeiras às aldeias sob o poder missionário. tendo como mestre o Irmão Vicente Rodrigues. que angariou grande prestígio tanto entre colonos quanto entre os povos indígenas na região amazônica. considerados secundários. Moral. A instituição religiosa. o Ratio atque Instituto Studiorum.COMPANHIA DE JESUS Tendo por objetivo a disseminação da fé para as novas terras de além-mar. foi missionário em São Vicente. Rio de Janeiro e Espírito Santo. em Paris. Metafísica. Outra tarefa da Companhia no Brasil era a educação religiosa dos colonos. Tome de Souza. em 1534. No Brasil os jesuítas se dedicaram a pregação da fé católica e ao trabalho educativo. portanto. na França. para formação de sacerdotes. acabou por ser perseguida: os missionários faziam oposição aos colonos quanto à exploração da mão-de-obra indígena. além do curso elementar eles mantinham os cursos de Letras e Filosofia. a partir do movimento da Reforma protestante de Lutero. Comandados pelo Padre Manoel de Nóbrega. e na Universidade de Montpellier. em Salvador. No curso de Letras estudava·se Gramática Latina. com objetivos catequéticos. Uma das figuras principais neste contexto da catequização foi o padre Antônio Vieira. Outras funções iniciais são atribuídas a esta ordem religiosa: a fundação das primeiras instituições educacionais no país. Matemática e Ciências Físicas e Naturais. nascido na Ilha de Tenerife e falecido na cidade de Reritiba. Mais tarde. no ano de 1534. Irmão Vicente tornou·se o primeiro professor nos moldes europeus e durante mais de 50 anos dedicou·se ao ensino e a propagação da fé religiosa. O processo de catequização indígena no Brasil foi um dos alvos da Companhia: os jesuítas valiam-se de associações da cultura religiosa nativa aos elementos cristãos. em Portugal. Os jesuítas não se limitaram ao ensino das primeiras letras. portanto a manutenção da fé e do poder da Igreja romana no território. . a Companhia de Jesus foi uma ordem missionária fundada por Santo Inácio de Loyola. São Vicente. O catolicismo no período sofria a oposição de novas doutrinas cristãs "desviantes". Pernambuco e Bahia). no ano de 1759. e o curso de Teologia e Ciências Sagradas. em função da Reforma Protestante e a expansão do luteranismo na Europa. já era composta por cinco escolas de instrução elementar (Porto Seguro. O mais conhecido e talvez o mais atuante foi o noviço José de Anchieta. Além disso foi autor da Arte de gramática da língua mais usada na costa do Brasil. a Companhia de Jesus deu combate à expansão de doutrinas antagônicas ao catolicismo e ao próprio poder da Igreja. passando gradualmente a possuir grande poder político sobre os seguidores religiosos. Os que pretendiam seguir as profissões liberais iam estudar na Europa. Os primeiros jesuítas chegaram ao território brasileiro em março de 1549 juntamente com o primeiro governador·geral. quinze dias após a chegada edificaram a primeira escola elementar brasileira. onde escreveu na areia os "Poemas à Virgem Maria" (De beata virgine Dei matre Maria). Tais conflitos culminaram por sua vez.br COMPANHIA DE JESUS A Companhia de Jesus foi fundada por Inácio de Loiola e um pequeno grupo de discípulos. Espírito Santo e São Paulo de Piratininga) e três colégios (Rio de Janeiro. Humanidades e Retórica. no litoral sul do Estado do Espírito Santo. melhor persuasão na conversão destes povos. escrito por Inácio de Loiola.historiaonline. Provincial da Companhia de Jesus de 1579 a 1586 e reitor do Colégio do Espírito Santo. Fonte: www. missionário em Piratininga. Perceberam que não seria possível converter os índios à fé católica sem que soubessem ler e escrever. Portanto.pro. determinou objetivamente a expulsão dos jesuítas de Portugal e do Brasil.

A Companhia de Jesus surgiu com o objectivo missionarista de espalhar a fé cristã. existente na Capela do Centro Universitário P. Manoel da Nóbrega e José de Anchieta ajudam a fundar as primeiras cidades do Brasil ( S. João Nunes Barreto e André de Oviedo empreendem a fracassada missão da Etiópia. António Vieira. vivenciou uma grande ruptura histórica num processo já implantado e consolidado como modelo educacional. 36 missões e 17 colégios e seminários. Os jesuítas então pensaram em afastar os índios dos interesses dos colonizadores e criaram as reduções ou missões. XVII . No momento da expulsão os jesuítas tinham 25 residências. Pascássio Broet. quando foram expulsos de todas as colônias portuguesas por decisão de Sebastião José de Carvalho. Em 1539 decidiram criar uma Ordem religiosa e Inácio de Loiola começou a escrever as Constituições que só ficaram prontas 16 anos mais tarde. primeiro-ministro de Portugal de 1750 a 1777. Escola Portuguesa. puseram-se à disposição do Papa e dedicaram-se a obras de caridade. juntaram-se a este grupo três novos companheiros. Séc. os jesuítas perceberam que é pela educação das crianças que se pode fazer a renovação do mundo. Em 1537. com isso. até 1759. capturar tribos inteiras nestas Missões. o marquês de Pombal. e aproveitando o esforço expansionista dos dois maiores impérios da altura. Dirigiram-se a Roma. os índios. pela Bula "Regimini Militantis Ecclesiae". S. Francisco Xavier percorre a Índia. também são orientados ao trabalho agrícola. o que contribuiu decisivamente para facilitar a captura deles pelos colonos. além de passarem pelo processo de catequização. Lovaina e Pádua. os jesuítas desejavam convertê·los ao cristianismo e aos valores europeus. pensaram abrir "Casas" ou "Residências" junto das Universidades onde se formariam os novos membros da Companhia. além de seminários menores e escolas de primeiras letras instaladas em todas as cidades onde havia casas da Companhia de Jesus. que conseguem. a Indonésia. no interior do território. Na impossibilidade de converter a população adulta. Nestas Missões. João Codure e Cláudio Jay. Os jesuítas permaneceram como mentores da educação brasileira durante duzentos e dez anos. As Missões acabaram por transformar os índios nômades em sedentários. Rio de Janeiro ). Salvador. e posteriormente em Coimbra. os jesuítas vão estar presentes nos novos mundos desde o início da colonização.Com a descoberta os índios ficaram à mercê dos interesses alienígenas: as cidades desejavam integrá·los ao processo colonizador. não estando então previsto que fosse uma ordem religiosa especialmente consagrada ao ensino. Lisboa. Assim aconteceu em Paris em 1540. Em 27 de Setembro de 1540. às vezes. Santo Inácio de Loiola Quadro de autor desconhecido. Como Inácio de Loiola e os outros membros da Companhia tinham frequentado a Universidade. que garantiam aos jesuítas uma de suas fontes de renda. o Japão e chega às portas da China. aprova a constituição da nova Ordem também denominada Companhia de Jesus. então contando apenas 10 membros. . o Papa Paulo III. os colonos estavam interessados em usá·los como escravos. o português e o espanhol.XVIII. A educação brasileira. Nesse sentido. São Paulo. Só mais tarde é que essas "Residências" se transformaram em "Colégios".

tinham em comum o facto de terem estudado na Universidade de Paris. Em 1773. já com algumas centenas de alunos. lutando contra as potências colonizadoras. Em 1759. Apesar de inicialmente os Colégios aceitarem apenas alunos que eram candidatos a jesuítas. através da Bula Sollicitudo Omnium Ecclesiarum. quando os governos eram liberais. os jesuítas eram perseguidos e expulsos. quando a Companhia foi extinta. na Europa. Para o Colégio de Messina foram escolhidas pessoas com uma excepcional preparação. Para além dos alunos externos. Uma doação de Francisco de Bórgia. os jesuítas eram chamados e exaltados. fora da Europa. professores respectivamente das 3ª. mas nos anos 80 passou a 26000. começasse a funcionar em 1551. .000 e os Colégios eram 372. Portugal. seu contemporâneo na Universidade. contava com 23. FRANCISCO XAVIER Em 1545. Francisco Xavier. Tendo por base este importante centro pedagógico. mais tarde Universidade Gregoriana. eram admitidos gratuitamente nos Colégios estudantes pobres e também filhos de ricos e de nobres ficando no entanto a cargo destes o pagamento dos seus estudos. restaurou a Companhia de Jesus. aquele que inspirou todos os outros. Em 1814 o Papa Pio VII. mas só 35 é que estavam em funcionamento. duque de Gandía. A vocação docente da Companhia acentuar-se-á com o decorrer dos anos de tal maneira que passará a ser a característica principal das actividades da Companhia. que em 1548 Inácio de Loiola abriu o primeiro Colégio da Companhia. todos estes professores. a Filosofia e a Teologia. convida-o a aderir à Companhia de Jesus. Em 1615. entre 1962 e 1965. estudavam ali os futuros jesuítas oriundos de Itália. Dois anos mais tarde. Assim. Em dez anos. No século XX a Companhia acompanhou de perto os grandes conflitos internacionais: duas guerras mundiais. Quando Inácio de Loiola morreu em 1556. Quando os governos eram conservadores. Pedro Canísio professor de retórica. Espanha. Durante todo século XIX. sendo a de Portugal a primeira a ser criada.000 membros e dirigia. na Sicília. Isidoro Bellini professor de lógica. . O triunfo de Mao-Tsé-Tung na China arrasou a estrutura missionária construída durante um século de trabalho. distribuídos em 110 Casas e 13 Províncias. 123 Colégios e 48 Seminários. o número de professores elevou-se a mais de 200. À excepção de Pedro Canísio que havia estudado em Colónia. esse Colégio começou a ensinar. O êxito do Colégio de Messina levou Inácio de Loiola a pensar na criação de um Colégio em Roma que servisse de modelo aos outros e onde se podessem formar os futuros professores da Companhia. A Companhia tinha cerca de 1000 membros. se bem que se devessem vestir de maneira diversa e residissem numa parte diferente do Colégio. A pressão das monarquias destes países foi-se intensificando e o Papa Clemente XIV dissolveu a Companhia de Jesus no ano de 1773 em todo o mundo. Foi em Messina. a vida da Companhia foi muito atribulada. o número de jesuítas era de 36.000. quando Acquaviva faleceu. André des Freux professor de grego. com excepção da Prússia e da Rússia Branca. em 1553. os jesuítas eram mais de 13. num total de 845 estabelecimentos de ensino. Aquando do Concílio do Vaticano II. em carta dirigidada Índia a Jerónimo Nadal. razão que explica a adopção pela Companhia do Modus Parisiensis. Jerónimo Nadal vai ter uma grande influência na definição da vocação docente da Companhia na medida em que é ele que vai ser incumbido de introduzir nos Colégios Jesuítas o Modus parisiensis e de elaborar os primeiros programas de ensino. Bélgica e da Alemanha. com o pretexto de um atentado contra o rei D. permitiu que o Colégio Romano. o Marquês de Pombal. 2ª e 1ª classes de gramática. a revolução russa e sua expansão nos países da Europa oriental que abalou dez vice-províncias da Companhia. S. 546 Colégios e 148 Seminários e. expulsou os jesuítas de Portugal e das colónias. Os seus esforços dirigiam-se preferencialmente para França e Alemanha onde os movimentos protestantes iam tendo uma maior penetração. de várias nacionalidades. passaram posteriormente a aceitar também alunos que não pretendessem seguir a vida religiosa. além da Gramática e da Retórica. da Ratio Studiorum. Giovanni Battista Passerino. Tanto uns como outros se deveriam sujeitar às mesmas regras dos candidatos a jesuítas. os jesuítas empreenderam uma implementação sistemática da sua actividade docente cuja lei orgânica é consagrada na publicação. José.S. em 1599. Hannibal du Coudret e Benedetto Palmio. criou dificuldades para os missionários estrangeiros. O nacionalismo dos povos de África e da Ásia. Jerónimo Nadal era o reitor e professor de hebreu. existiam 40 Colégios aprovados. A Companhia de Jesus foi também expulsa de França em 1764 e da Espanha e das suas colónias em 1767.

Roberto Belarmino (Casa de Escritores). Foi graças a alguns benfeitores. 639 em 1639. Em 1559. visitavam hospitais. Angra. hoje Sé Nova e edifícios universitários. à direita o famoso Colégio das Artes (que foi a primeira Faculdade de Filosofia dirigida pela Companhia de Jesus em Portugal) e o Noviciado. Portalegre. Os jesuítas em Portugal chegaram a dirigir cerca de 30 estabelecimentos de ensino que formavam a única rede escolar orgânica e estável do País. O primeiro partiu no ano seguinte para a Índia enquanto que o segundo ficou encarregue de criar a Província de Portugal. foi fundada pelo Cardeal D. Portimão. Setúbal. Bragança. assistiam os condenados à morte e. que o crescimento da Companhia de Jesus em Portugal se deu de uma maneira extremamente rápida. os jesuítas acompanharam a sua expansão. Então Inácio de Loiola enviou para Portugal o navarro Francisco Xavier e o português Simão Rodrigues. os jesuítas não estavam só ligados à educação. excediam-se em generosidade por ocasião de epidemias e calamidades. indiferentes aos perigos. Uma das prioridades da Companhia de Jesus era a actividade missionária. João III a quem Diogo de Gouveia indicara a existência de um grupo de clérigos capazes de converter a Índia. Mas. Assim. que foi criada em 1546 tendo sido a primeira província da Ordem. Funchal. UNIVERSIDADE DE ÉVORA Fotografia existente no Arquivo da Cúria Provincial da Prov. Em 1542. Beja e Gouveia. Também davam catecismo e entregavam-se aos ministérios sacerdotais e a obras de caridade. esteve em Malaca e nas Molucas. ia também aumentando o número de jesuítas: 400 em 1560. chegando ao Japão em 1549. Lisboa. 620 em 1603. 662 em 1615. Francisco Xavier desembarcou em Goa com dois companheiros e. com especial destaque para a família real. À medida que iam aumentando o número de casas. Foi no entanto em Lisboa no ano de 1553 que foi inaugurado o primeiro Colégio no qual os jesuítas deram aulas públicas: O colégio de Santo Antão. O ensino era gratuito e aberto a todas as classes. em Portugal. foi fundado o Colégio de Jesus em Coimbra que tinha como objectivo a formação dos membros mais novos da Ordem. Faial. Ocupavam-se dos presos. Em 1542. Santarém. 770 em 1709. o número total de alunos rondava os 20000 numa população de 3000000 de habitantes. À esquerda o antigo Colégio de Jesus ou das "11 mil Virgens". Elvas. Veio a falecer em 1552 quando . Faro. 861 em 1749 e 789 em 1759. da Companhia de Jesus. Port.PRIMEIRO PERÍODO ( 1540 a 1759 ) A vinda dos jesuítas para Portugal deve-se ao rei D. depois de percorrer várias regiões da Índia. Com o decorrer do tempo. Ponta Delgada. Porto. a acção pedagógica dos jesuítas foi-se espalhando a outras cidades do país como Braga. à medida que os portugueses foram chegando cada vez mais longe. Simão Rodrigues Pintura a óleo sobre tela existente na Residência de S. Henrique a Universidade de Évora e entregue à Companhia de Jesus. Em meados do século XVIII.

chegaram a Lisboa oito jesuítas que traziam como superior o belga P. Apesar disso. Miguel entregou-lhes o Colégio das Artes. eles constituíam um motivo mais do que suficiente para se tornarem uma ameaça para a implementação do sistema. Miguel. mas devido à guerra civil as aulas só se iniciaram no ano seguinte. As causas desta decisão foram sobretudo de ordem ideológica e política. ao Sião e ao Laos.estava prestes a entrar na China. as missões continuaram e os jesuítas chegaram a Macau. na Etiópia e em Moçambique. Mais tarde iniciaram uma missão que passava por Cabo Verde e que os levaria depois à Guiné e à Serra Leoa. Para A Companhia de Jesus constituía um obstáculo à implementação do seu projecto político iluminista e centralizador. os jesuítas só regressaram a Portugal em 1829. Julião da Barra donde partiram para Itália. Planta do Forte de S. a Tonquim. Em 1832. Em 1834 o exército liberal ocupou Coimbra e os jesuítas foram presos e escoltados até Lisboa tendo ficado presos no forte de S. o número de jesuítas foi de 24 e para além de terem retomado as actividades escolares. A primeira expedição ao Brasil deu-se em 1549 e. ao império do Grão Mogol. a partir daí. a Bengala. Por intermédio do rei D. D. TERCEIRO PERÍODO ( 1848 a 1910 ) . à Cochinchina. em Coimbra. estiveram também empenhados em dar assistência aos feridos da guerra civil e às vítimas da epidemia de cólera que ocorreu em 1833. No entanto. Abriram um noviciado e iniciaram actividades apostólicas entre a população de Lisboa e dos arredores. ao Tibete. à China. em Angola. Em África. Julião da Barra. SEGUNDO PERÍODO ( 1829 a 1834 ) Em 1814 a Companhia de Jesus foi restaurada pelo Papa Pio VII. Toda esta actividade foi bruscamente interrompida por decisão do Marquês de Pombal em 1759 ao decretar a expulsão dos jesuítas de todos os territórios portugueses. Foi então que o Marquês de Pombal iniciou uma campanha anti-jesuítica tendo feito uma série de acusações contra os jesuítas que foram espalhadas por toda a Europa. Filipe José Delvaux. Do "Catalogus Provinciae Lusitana 1892" Nesta curta passagem por Portugal. ao Cambodja. MARQUÊS DE POMBAL Uma vez que os jesuítas dominavam o sistema de ensino em Portugal e no Ultramar e tinham um património cultural invejável. verificaram-se numerosas levas de missionários. os jesuítas estiveram no Congo. a Pegu.

os principais centros da presença dos jesuítas adquiriram o estatuto que ainda mantêm. Os dois Colégios. tendo tido a colaboração de mais dois jesuítas. Em 1863. Os jesuítas da Província de Portugal estiveram também presentes na Índia. conservar na Europa o núcleo central da Província de Portugal.O principal responsável por este regresso a Portugal foi Carlos João Rademaker. Em Outubro de 1910 a Companhia de Jesus foi pela terceira vez expulsa e espoliada dos seus bens em Portugal. Apesar do exílio. constituído pelas casas de formação e algumas residências. deu início ao Colégio de Campolide. Ainda em 1863. Em relação à actividade missionária. mas foi depois da revolução republicana que o governo provisório da República restaurou a lei pombalina de 1759. reforçar as missões na Índia que. QUARTO PERÍODO ( DO EXÍLIO À ACTUALIDADE ) Depois de consumada a expulsão. No início de 1880. Rademaker veio para Portugal com o intuito de restaurar a Província de Portugal. Miguel e um espanhol. foram locais de intensa actividade científica. Macau e Timor. no lado espanhol do rio Minho. dirigida pelos professores do Colégio. Port. procurar novos campos de actividade. um português ainda dos tempos de D. o juniorado e filosofado em Santa Maria de Oya. CARLOS RADEMAKER Fotografia existente no Arquivo da Cúria Provincial da Prov. a política seguida teve duas vertentes: em primeiro lugar. Em 1925 eram 380. a Missão contava nove comunidades com 137 jesuítas. Os membros da Província de Portugal eram nessa altura 360. o Colégio para os alunos portugueses em La Guardia. A partir de 1923. os jesuítas tomaram conta do Orfanato de S. A Constituição de 1933 aboliu as leis de excepção por motivos religiosos. foi constituída oficialmente a Missão Portuguesa que teve como primeiro superior o italiano P. Durante os anos quarenta e cinquenta. Nos anos seguintes juntaram-se mais jesuítas principalmente vindos de Itália e abriu-se um noviciado no lugar do Barro. simultaneamente. por se encontrarem em território inglês. em 1846. principalmente no Brasil. foi criada a revista Brotéria que. Nos anos setenta. da Companhia de Jesus. Fiel. apesar de terem diminuído o número de efectivos. Francisco Xavier Fulconis. O ambiente de perseguição existia desde os últimos anos da monarquia. Campolide e S. publicava artigos de investigação nomeadamente nas áreas da botânica e da zoologia. podiam ser mantidas e. Martinho de Trebejo e a redacção da revista Brotéria e do Mensageiro do Coração de Jesus em Pontevedra. que reconhecia a Companhia de Jesus como corporação missionária. as principais casas estabeleceram-se em Espanha: o noviciado. a Escola Apostólica em S. além de outros importantes estabelecimentos de ensino. a Província de Portugal aumentou os seus efectivos. em 1902. os jesuítas tiveram uma difícil missão na Zambézia para onde foram enviados entre 1880 e 1910. Em S. Estavam reunidas então as condições para ser restaurada a Província de Portugal da Companhia de Jesus. Fiel. permitiram normalizar a situação jurídica dos jesuítas em Portugal. e o decreto de 12 de Maio de 1941. na Galiza. abriram algumas residências em Portugal. Em 1858. . 179 sacerdotes. Em segundo lugar. que tinha entrado para a Companhia de Jesus em Itália. As casas de formação e o Colégio de La Guardia regressaram em 1932. 84 irmãos e 117 estudantes. Depois de temporariamente se terem instalado na Holanda e na Bélgica. Fiel que transformaram em Colégio.

cerca de 10 faleceram em conseqüência dessa guerra. próximo à atual Porto Alegre. em 1560 e 1567 expulsa os franceses do Rio de Janeiro e com seu sobrinho Estácio de Sá funda definitivamente a cidade. No séc. Outros 12 missionários jesuítas que vinham para o Brasil sofreram o mesmo martírio um ano depois (1571). Quando voltaram em 1720. Gabriel Malagrida. Em 1638. Expulsos da Índia. Para esconder os fracassos da execução do Tratado de Limites da Colônia do Sacramento.Manuel da Nobréga. mortos pelos carijós em Cananéia. Timor e Angola. os jesuítas foram acusados de alta traição. Preparado o terreno. os jesuítas estiveram sempre presentes na Índia portuguesa. quando foram expulsos. foi condenado publicamente pela Inquisição como herege. os jesuítas foram censurados por pregarem a penitência ao povo e ao governo. . Do Pará e de outros portos. o velho e santo missionário do Nordeste brasileiro. José I. apesar de seus triunfos oratórios e políticos. XVII. e queimado vivo em praça pública de Lisboa. o Pe. Aprendeu logo a língua dos índios. Em 1749 já estavam em Goiás. Episódio heróico é o desterro de Iperuí (atual Ubatuba) em que Nóbrega e Anchieta são feitos reféns de paz dos índios Tamoios. onde ajudaram na fundação da cidade de Salvador. acusado e preso pela Inquisição. Antônio Vieira. culpou os jesuítas desencadeando contra eles uma propaganda terrível. Quando Mariana (MG) foi elevada a diocese (1750). Até o fim do séc. transformaram-se com o tempo em grandes colégios e em centros de expansão missionária para inúmeras aldeias indígenas espalhadas pelo Amazonas. A descolonização abalou profundamente a actividade missionária tendo muitos missionários. fundadas em São Luís (1622) e em Belém (1626). na expedição de Tomé de Souza. resultou da colaboração entre a editorial Verbo e as instituições culturais da Companhia de Jesus. Moçambique. Com o 2º Governador Geral Duarte da Costa (1553). principalmente em zonas pobres e pertencentes à classe operária. já então se tratava do tratado de permuta entre a Colônia do Sacramento e os territórios das missões jesuíticas espanholas sediadas no Rio Grande. maltratados e levados para a Holanda. liderados pelo conde Maurício de Nassau. XVI. quando da descoberta das minas e do povoamento do sertão. rei de Portugal. visitada pelos jesuítas já desde 1635. Nesta ocasião Anchieta escreveu seu célebre Poema à Virgem Maria. O Governador Geral Mem de Sá. mais de 20 foram capturados. dicionário e doutrina. Na ilha de Santa Catarina. Para além da educação. em 1961 de Goa. Em 1554. os jesuítas continuaram a publicação regular da Brotéria e surgiram novas revistas de investigação como a Revista Portuguesa de Filosofia e Economia e Sociologia. Rio de Janeiro. tendo como Superior o Pe. chega o jovem José de Anchieta. Paranaguá tornou-se centro de atividades sacerdotais e pedagógicas. Atendiam aos portugueses também fora da Bahia. Mártires do Brasil. Por ocasião do atentado (1757) contra D. funda em Piratininga um Colégio. o qual sustentaria durante dez anos. foram afogados no mar pelos calvinistas perto das ilhas Canárias (1570). As duas casas. os jesuítas passavam periodicamente por esses locais em missão volante. se fundou a residência dos jesuítas (1749) e um colégio (1751). os missionários chegaram à aldeia de Caibi. fundando aldeias. veio a lei de expulsão dos jesuítas dos domínios de Portugal. A Enciclopédia Luso-Brasileira de Cultura. foi expulso pelos colonos do Pará. Piauí. tido que regressar à Europa. percorrendo as Capitanias próximas. Supressão da Companhia de Jesus No Brasil (1760-1843) Aparece nesta altura da história dos jesuítas o Marquês de Pombal. Dos 33 jesuítas de Pernambuco. A publicação da Verbo. Em 1635. Os jesuítas trabalharam na Colônia do Sacramento desde 1678 até 1758. No grande terremoto de Lisboa (1755). vítimas de inúmeras perseguições. os jesuítas foram para Macau. Foram postos incomunicáveis. condenados e privados de todo o direito de defesa. Maranhão. XVIII. Nesse tempo deram seu sangue por Cristo o Irmão João de Souza e o escolástico Pedro Correia (1554). Pernambuco. através de uma residência (1708) e do Colégio em 1755. Ab-roga todo o poder temporal exercido pelos missionários nas aldeias indígenas. Os jesuítas chegaram ao Brasil em 1549. foram chamados para dirigir e ensinar no seminário. Em todas essas empresas estavam presentes os jesuítas. Em fim. os jesuítas firmam sua ação através dos seus três maiores colégios: Bahia. Desembarcam na Bahia. da qual escreveu a primeira gramática. em defesa da liberdade dos indígenas. Em relação à actividade missionária. No princípio do séc. Pernambuco é tomada por holandeses protestantes. XVII os jesuítas chegam ao Ceará.aumentaram a sua presença a Sul do Tejo. até à anexação pela União Indiana. Chegaram a ter uma residência de ministérios apostólicos e um próspero colégio por vários anos. Damão e Dio. no dia da conversão de São Paulo. A resistência se organiza numa aldeia jesuítica. No séc. o Beato Inácio de Azevedo e 39 companheiros. Pará e daí para toda a Amazônia.

Ginásio Gonzaga (1895) de Pelotas. muitos professores e auxiliares. Mais tarde ainda vieram os Colégios Medianeira em Curitiba.) O Papa Pio VII restaurou a Companhia de Jesus em 1814. As três antigas Missões (Alemã. Em 1858 começaram a chegar jesuítas alemães em S. confiada aos jesuítas da Bahia. Fundaram logo o Colégio Antônio Vieira (1911) em Salvador e o Instituto S. que conseguiram a pacificação paulatina de várias tribos. Em 1847 abriram uma escola de latim em Porto Alegre. fundaram-se Casas de Exercícios Espirituais. o Colégio Nóbrega (1917) no Recife. José de Campos Lara. o Marquês de Pombal foi processado e condenado. Só escapou à prisão e à morte por respeito à sua idade e achaques. onde brilhou a santidade do Pe. José (Olinda). foi a de Ponta de Pedras na ilha de Marajó. Desde a fundação do Colégio Pio-Brasileiro em Roma (1934) para a formação de sacerdotes. que preparou a atual Universidade Católica de Pernambuco. Os jesuítas se destacam também no apostolado intelectual. Neste século. começaram a ter dificuldades com o ditador Rosas. Também vieram alguns padres jesuítas italianos. por diversas circunstâncias. Paulo. Restauração da Companhia e Nova Vitalidade no Brasil (1843. Em 1845. Com a Missão Alemã no sul do Brasil surgiram diversos Colégios: Anchieta (1890) em Porto Alegre. a UNISINOS (S. Vila Manresa (Porto Alegre). onde o Papa Clemente XIII os recebeu com afeto e hospedou em antigas casas romanas. Francisco Xavier e a dos russos e lituanos em S. principalmente no ensino universitário. Em 1849 constituíram residência entre os índios Bugres. mais tarde transferida para S. De Portugal alguns foram transladados para os Estados Pontifícios. A partir daí surgiram o colégio Anchieta (Nova Friburgo/RJ) e o Santo Inácio do Rio de Janeiro. começa o Colégio S. em S. o Pe. Trabalharam aí cerca de quarenta missionários. Ocupando o grande prédio do Colégio Anchieta. Leopoldo. no Ceará. pouco a pouco. tornou-se centro de ensino e cultura científica. perto de Belo Horizonte. Ao mesmo tempo fundavam-se Residências importantes em Belém do Pará e S. Luiz de Caiteté. Em 1865 funda-se de novo o colégio de Florianópolis. Mas a empresa que vingou foi a Missão de Diamantino em Mato Grosso (1927). Italiana e Portuguesa) . entre os colonos alemães.foram embarcados e encarcerados em Lisboa. nas questões religiosas de então. Distinguiu-se o Pe. Salientemos ainda a tarefa da formação do Clero. Leopoldo e outras vilas do interior gaúcho. Alguma influência exerceu no ânimo do Papa a amizade de um jesuíta brasileiro. como a do Padre Anchieta no Rio. não vingou. os jesuítas do Brasil fornecem seus dirigentes. hoje Diocese. José I em 1777 e a subida ao poder de Dona Maria I. Novas gerações de jesuítas são formadas na casa de formação de Pareci Novo e no Colégio Cristo Rei (S. o Pe. uma das primeiras preocupações foi restaurar as missões do Rio Grande do Sul (1848-52). Merece especial atenção o apostolado social através de cooperativas. Alguns jesuítas trabalham também em Universidades do Governo e em algumas Faculdades próprias ou de outras entidades. expulsos da Argentina. Para a formação de novos jesuítas construíram-se a Escola Apostólica e o Noviciado de Baturité no Ceará. Razzini. Mais tarde a missão dos japoneses com seu Colégio S. Desde 1894 fundara-se o Noviciado de Campanha em Minas. considerado o restaurador da Companhia de Jesus no Brasil. que. Paulo. Luiz. Os religiosos se retiraram. que profetizara sua eleição papal. para Nova Trento. Coroados e Botocudos. abriram um colégio em Florianópolis. Em 1867 funda-se o Colégio S. Mais tarde fundou-se o Colégio Santo Inácio de Fortaleza. Morro das Pedras. Vital. Com a morte de D. João B. que prosperou rapidamente. Dois movimentos religiosos foram especialmente promovidos pelos jesuítas do Brasil: o Apostolado da Oração e a Congregação Mariana. formando assim a Missão Portuguesa. a de Mar Grande na Bahia. S. Réus. Campos Lara. Francisco Xavier do Recife. Naquele momento havia no Brasil 670 jesuítas. fundava-se ao mesmo tempo a Faculdade de Filosofia. Outras. fechado em 1873 por causa das perseguições da Maçonaria. hoje também Diocese. Neste ínterim. Em 1911 os jesuítas portugueses voltam ao território norte do Brasil. Sagrado Coração de Jesus na cidade do Rio Grande. perto de Florianópolis. Em 1842 os jesuítas espanhóis que trabalhavam na Argentina. Santo Inácio em Salvador do Sul e o Ginásio de Itapiranga. Outra missão. como o Centro de Espiritualidade de Itaicí (SP) e o Centro de Espiritualidade Cristo Rei. pois os jesuítas apoiavam o bispo D. que sofreu o martírio em 1976. fundadas por toda parte. João Bosco Penido Burnier. Vila Fátima. Rio de Janeiro e ultimamente em Belo Horizonte (1981). são adaptações de antigas casas. Quanto à obra das missões indígenas. Leopoldo). vencendo todas as oposições. a de Baturité. Leopoldo) e a UNICAP (Recife). Outra tentativa foi feita em Goiás com os índios Apinagés (1888-91) e no Mato Grosso (1923). Diversas Universidades do país são dirigidas pelos jesuítas: a PUC (RJ). terra habitada por colonos italianos. na cidade de Itú. O Ginásio Catarinense (1906). Luís do Maranhão. onde se fixara o Pe. Em 1862 chega outro grupo de padres italianos e alemães.

. em regiões que não apresentavam atrativos de exploração imediata. tomou-se a mais importante e a que maior influência teve na vida colonial brasileira. Dessa forma fixaram-se principalmente no sertão. Aspicuela Navarro. desmembrando da Província do Sul os estados do Mato Grosso e Rondônia. Amapá e Acre.br JESUÍTAS NO BRASIL Ruínas da igreja de São Miguel. A Vice-Província do Norte tornou-se a Província do Nordeste. Pará. Em 1973. Anchieta. fundada pela Província Central foi atribuída à Província do Sul. uma Região e um Distrito. João III. Leonardo Nunes. Em 1995 foi criado o Distrito Missionário da Amazônia. nas orlas da floresta amazônica e no interior da América do Sul. um rapagão de dezenove anos. Os guarani participaram como mão-de-obra na construção e muitas vezes eram os autores das esculturas e dos frisos decorados. Atualmente os jesuítas no Brasil estão distribuídos em 4 Províncias. ao passo que aos colonos não interessava mais que a exploração da força de trabalho indígena.passaram a ser Vice-Províncias e posteriormente Províncias. Em 1999 foi criada a Região do Mato Grosso. Em Portugal a Companhia de Jesus havia sido favorecido desde 1540. Por seu lado. pela quantidade de índios domesticados que aldeavam. edificada pelos arquitetos jesuítas. tornaram-se a reunir as duas Províncias Central e Vice-Província Goiano-Mineira. Maranhão. Espírito Santo e Goiás constituíram a Vice-Província Goiano-Mineira. Seus principais redutos localizaram-se no deserto do norte do México. Pará. A Missão de Diamantino. Pela forma com que se organizaram. em 1553. As missões geralmente acompanharam as migrações dos indígenas à medida que estes fugiam dos principais centros de colonização. Amazonas à Província da Bahia. que não formassem elas mesmas um alvo de cobiça dos colonizadores. e graças a ele puderam os jesuítas estabelecer-se na América portuguesa sem encontrar os impedimentos colocados aos jesuítas espanhóis por Filipe II e pelo Conselho das Índias.jesuitas.com. desmembrando da Província da Bahia os estados do Amazonas. Antônio Pires. Para os jesuítas tanto tinha importância a conversão das almas quanto a utilização econômica daquela mão-de-obra disponível. durante o reinado de D. Junto com o primeiro governador-geral vieram para o Brasil os primeiros jesuítas: os padres Manuel da Nóbrega. Piauí. Vicente Rodrigues e Diogo Jácome. confiada à Província espanhola de León. a Província do Nordeste foi ajudada por jesuítas do Canadá francês. Rio Grande do Sul. tinha por modelo a igreja de Gesú em Roma. Em 1952 os estados de Minas Gerais. evoluíram como economias voltadas para a produção de excedentes comercializáveis pelos religiosos. que viera à frente dos demais. sem que se interpusesse a isso o empecilho da catequização. tentando escapar da escravização a que os colonos os submetiam. Apesar de não ter sido a primeira ordem a aqui se instalar (aos franciscanos coube também no Brasil essa precedência). cedendo os estados da Bahia. Roraima. formando a Província Centro-Leste. Nóbrega. constituída em grande parte por jesuítas italianos da Província de Veneza. Fonte: www. tornou-se Provincial com a fundação da província jesuítica brasileira. o que não quer dizer que estivessem isentas de investidos. veio na leva seguinte. Essa igreja.

como foi o caso de repetidas epidemias de varíola. Rio Negro e Tacuarembo na República Oriental do Uruguai. suas andanças pela mata. apesar da copiosíssima legislação garantidora da liberdade dos índios. A Companhia seria também a maior proprietária urbana. mas o resultado de sua política não podia ser mais letal se tivesse sido programada para isso. Então. ainda. a servir a esta Coroa contra índios aguerridos que a defendê-los efiscazmente diante dela. por exemplo. No segundo século. contemplados com a propriedade das terras e dos índios pela gente de Pombal. serrarias e muitos outros bens. os contaminavam. os seminários. Salto. cuja base material eram engenhos de açúcar (dezessete). primeiro. substituindo suas crenças e cerimônias pelos ritos católicos. a uns 130 000 indígenas. porém. Mesmo os já incorporados à vida colonial . . de São Paulo e. um índio livre. Confinados em populosos aldeamentos. obrigavam esses povos a abandonar seu modo tradicional de vida." A ação dos missionários A atitude dos jesuítas e de outras ordens missionárias foi dúbia em relação à questão indígena. Em 1562. por isso. Também foi nefasto o papel dos jesuítas. por outro confinaram os indígenas nos chamados aldeamentos cristãos.Vale a pena citar um trecho de um estudo recente sobre o assunto: "Este modo de produção subsiste teve uma gravitação decisiva na extensa região que atualmente compreende a República do Paraguai. Anchieta escreve que 30 mil indígenas morreram em menos de 3 meses em decorrência de doença. chegou a compreender. Isso sobretudo no primeiro século. em Belém e por toda a parte. e muitas mais no Maranhão. Só na Bahia. expulsos. e são presos e recolhidos à Europa. eles possuíam 186 casas. dezenas de criatórios de gado. na pessoa do marquês de Pombal. já enriquecidos de seu triste papel e também representados por figuras mais capazes de indignação moral. os jesuítas assumiram grandes riscos no resguardo e na defesa dos índios. quando a ordem foi revogada. pelo número de casas nas cidades que abrigavam os colégios. eram facilmente vitimados pelas pragas de que eles próprios. onde. decide acabar com aquela experiência socialista precoce. se funda na própria ambigüidade de sua dupla lealdade frente aos índios e à Coroa. os hospitais. suas lideranças. caíram aobre as missões jesuíticas e dos 12 mil catecúmenos sobraram apenas mil. Se de um lado se posicionaram contra a escravização indígena. A atuação mais negativa dos jesuítas porém. quando sua função principal foi minar as lealdades étnicas dos índios. Como se pode apreciar. Recife. Estendia-se de norte a sul do país. depois. como Antônio Vieira. apelando fortemente para o seu espírito religioso. na forma de missões e concessões territoriais concedidas pela Coroa. O Patrimônio jesuítico O vulto do patrimônio jesuítico. Afinal. expulsando-os do Brasil. Foram. Os padres entregam obedientemente as missões aos colonos ricos. É evidente que nos dois casos o propósito explícito dos jesuítas não era destruir os índios. no Rio setenta e em São Paulo lhes restava ainda cerca de seis. com base nessa ordm de vingança. além de servirem aos padres e não a si mesmos e de morrerem nas guerras dos portugueses contra os índios hostis. retirando os índios de suas aldeias dispersas para concentrá-los na reduções.como ocorreu com os recolhidos às missões . Com relação a suas características geográficas. para amargar por décadas o triste papel de sujigadores que tinham representado. do estado do Maranhão e GrãoPará pelos colonos. com rebanho avaliado em 150 mil reses. a fim de fazer com que se desgarrassem das tribos e se atrelassem às missões. quando Mem de Sá autorizou uma guerra de vingança para escravizar os índios Caeté por haverem comido o bispo Fernandes Sardinha.das quais fluíam altas rendas de aluguel. través da catequeses. cifra muito alta se recordarmos as da população total da região. o Estado brasileiro do Paraná e os departamentos de Artigas. regidos por 649 padres e irmãos leigos. Paissandu. além de engenhos. Chaco e Formosa. os retiros. onde instalavam suas cinqüenta missões de catequese. durante o século XVIII. Os colonos. onde. os noviciados. A rigor. ao tempo do seu confisco (1760). A eficácia que alcançam nesse papel alienador é tão extraordinário quanto grande a sua responsabilidade na dizimação que dela resultou. sem querer. Santa Fé. os indígenas estavam sujeitos com mais freqüência às doenças trazidas pelos brancos. ocorre o mais triste. Corrientes. a própria Coroa.inúmeras vezes foram assaltados e aacossados. a difusão geográfica deste modo de produção foi bastante ampla. grande parte das províncias argentinas de Missões. se pode afirmar que o único requisito indispensável para que o índio fosse escravizado era ser. era enormíssimo. mais predispostos. Isso foi o que sucedeu.

Mas somente. poeta. educador. no Brasil Colônia. a Companhia de Jesus tornouse a maior educadora e missionária do Brasil. O sonho dos burocratas e dos colonos acabou por alcançar-se e alguns deles se locupletaram como "contemplados" com os bens dos padres e dos próprios índios. Afonso e João. de Portugal e de Nápoles. em certos casos. o santo da terra brasileira. de fato. 55 missões entre os índios. 340 residências religiosas. que deu origem a atual cidade de São Paulo (SP). em 1854. igrejas. após ter vitimado 6 jesuítas e 3 alunos. Eles também participaram ativamente da expulsão dos franceses que invadiram a Baía da Guanabara e ajudaram a fundar a cidade do Rio de Janeiro. no Brasil. escolas. rei de Portugal. Anchieta e Nóbrega fundaram o Colégio de São Paulo. submetidos ao cativeiro. A restauração da Companhia de Jesus se deu em 7 de agosto de 1814. É também importante destacar a presença jesuíta no sul do Brasil. .A cobiça que provocou tamanha riqueza era.000 índios cristianizados. proporcional a ela. Em 1553 chegou ao Brasil o Pe. Primeiro Ministro de D. Manoel da Nóbrega e mais 4 companheiros. Foram fundados colégios. então.542 igrejas e 271 missões em todo o mundo foram proibidos de viver em comunidade e. de tantos bens. sem dúvida o maior orador sacro do século XVII. Havia. pelo menos. até de exercer o seu ministério sacerdotal. Antônio Vieira. certamente o grande gênio das reduções guaranis. A Companhia de Jesus teve que permanecer oculta e inativa durante 41 anos. Antônio Sepp. cedendo a pressões principalmente dos governos da França. e a Companhia de Jesus foi supressa em todo o mundo em 1773 pela Bula "Dominus ac Redenptor". a Província dos Jesuítas no Brasil contava com 131 casas. com esperança de apropriar-se. Foi de pouca duração. colonizador. Fonte: geocities. os primeiros Jesuítas: o Pe. em 61 noviciados. revoltada contra o privilégio fiscal de não pagar impostos nem dízimos. eles próprios. No ano de 1750. que foram mortos em 15 de novembro de 1628 e o missionário tirôles Pe. A 25 de setembro de 1845 abriram o primeiro Colégio da Companhia de Jesus. nos quais viviam mais de 100. No atual Rio Grande do Sul encontram-se as ruínas de Sete Povos.com JESUÍTAS NO BRASIL A Companhia de Jesus foi aprovada pelo Papa Paulo III em 27 de setembro de 1540. pelo Marquês do Pombal. sendo a mais importante São Miguel das Missões. A necessidade dessa desapropriação era defendida peal burocracia. do Papa Clemente XIV. Outro jesuíta historicamente importante. aldeamentos indígenas. Os jesuítas foram expulsos do Brasil em 1759. vindos da Argentina. missionário. Encerrou-o a febre amarela. após a sua Restauração.onde os nativos e descendentes de portugueses recebiam instrução e formação. nesse início de vida brasileira. da Espanha. Deste grupo missionário de origem espanhola são os Santos Mártires Roque. declarados livres. Já em 1549 desembarcavam. tão rígido como a escravidão dos negros.589 jesuítas que trabalhavam em 669 Colégios e Universidades. Em 200 anos de desenvolvimento pacífico. foi o Pe. Até 1734 haviam sido fundadas 21 reduções. fazendo crescer a cada dia os que exigiam sua desapropriação. falecido em 13 de janeiro de 1733. Em 1843 se dirigiram à cidade de Desterro (hoje Florianópolis/SC) onde constituíram sua Comunidade. 1. sendo delas 17 colégios. Os 22. José I. em 1842 os jesuítas entraram novamente no Brasil (via Porto Alegre). mas. capelas . José de Anchieta. bandeirante. 171 seminários. Atribui-se a ele a introdução da fundição do aço e do ferro no sul do Brasil para a fabricação de instrumentos de trabalho e de sinos.

Iñigo López de Oñaz y Loyola nasceu em 1491 no castelo de Loyola.. As provações por que passou o ajudariam a dar linhas definitivas ao livro dos Exercícios Espirituais. com a leitura de história de Santos e "Uma Vida de Cristo". Já despojado de todos os seus bens. Inácio vai aos poucos trocando a imaginação dos feitos dos cavalheiros. fazendo penitência. iriam se colocar à disposição do Papa para que os enviasse onde fossem mais necessários.já com 33 anos de idade . mas é ferido nas pernas por uma bala durante o cerco francês à cidade.Inácio de Loyola Cinco séculos já se passaram. Percorrer por um ano os lugares onde Cristo viveu e sentir a influência da Terra Santa deram a Inácio a certeza de ter ido de encontro ao seu destino. esmolando e rezando.. após haver passado pelas Universidades de Alcalá (1526) e Salamanca (1527).não se envergona de dividir com meninos as aulas de latim. A vontade do grupo de constituir uma ordem religiosa recebe aprovação do Papa Paulo III. De volta à Espanha . sabe-se que aos 15 anos . em 20 de maio de 1521.já alimentava o sonho de tornar-se um cavalheiro capaz de feitos notáveis. Sua peregrinação em busca de um caminho de vida. foi ao santuário de Nossa Senhora de Monserrate. Diogo Lainez e outros. mas o gênio do Fundador da Companhia de Jesus ainda se revela atual. Desde sua infância. e mais tarde ao projeto de fundar uma ordem religiosa. Estava finalmente fundada a Ordem dos Jesuítas. A CONVERSÃO Submetido a várias cirurgias. ocupa-se durante o longo reestabelecimento no castelo de Loyola. próximo a Barcelona. passa um ano em um lugarejo chamado Manresa. afinal este era um passo necessário para atingir o sacerdócio só conseguido de fato em Paris. São Francisco Xavier. A PEREGRINAÇÃO Tão logo sentiu-se recuperado. Já em Paris latiniza seu nome para Inácio no ano de 1529. depois do tempo que passou em Roma. para atingir a purificação. Em sete anos de estudos na capital francesa. atingia a última e mais importante etapa de sua peregrinação. em 27 de setembro de 1540.trabalhando como pajem do "contador-mor" do Rei de Castela. fazem votos de pobreza e de peregrinar em Jerusalém. Efetivamente já aos trinta anos empenha-se com valentia na defesa da praça de Pamplona. Com a sua chegada em Jerusalém. Também decidiram que se não fosse possível a peregrinação à Terra Santa. Depois de várias tentativas no ano de 1534 Inácio consegue reunir em torno de si um grupo de companheiros do qual faziam parte o Beato Pedro Fabro. A ORIGEM Filho de família numerosa da nobreza rural. . província basca de Guipúzcoa ao norte da Espanha. para depositar suas armas diante do altar e assumir definitivamente a função de "soldado de Cristo". Juan Velázquez de Cuéllar . o levaria ainda mais longe. Este seria para ele o princípio de um mergulho pofundo. deixando em seus Exercícios Espirituais a luz de uma mensagem sugestiva e misteriosa. assimilando seus propósitos de vida e se identificando cada vez mais com eles. e em Montmatre (Paris). pelas realizações dos santos. os sonhos começam a tomar forma.

fca. em 12 de março de 1622. Como superior é encarregado de redigir as Constituições da Ordem. refletia a nobreza da família. Antônio Henrique. ao norte da Espanha.Conduzido ao cargo de primeiro Superior Geral da Companhia em 19 de abril de 1941. De família nobre. apesar de resistir longamente antes de aceitar sua indicação.nasceu em 1491 em Azpeitia. pode vê-la crescer antes de falecer em 31 de julho de 1556 na cidade de Roma. Santa Teresa de Jesus e São Felipe Neri. Inácio vê sua vida transformar-se e confundir-se com a Companhia nascente.já alimentava o sonho de tornar-se cavaleiro. Inácio de Loyola Em 1517 torna-se cavaleiro e se coloca a serviço do Duque de Nájera e vice-rei de Navarra. em ambiente da corte de Castilha. escreve mais de 7000 cartas e distribui instruções detalhadas às províncias que começam a se espalhar. Inigo. ficou órfão de mãe aos 8 anos de idade e de pai aos 14 anos. seu auxiliar direto. Ferido em Pamplona . Foi declarado "Celeste Padroeiro dos Exercícios Espirituais" pelo Papa Pio XI. Fonte: www. que o encarregou de algumas tarefas militares e diplomáticas. Juan Velázquez de Cuéllar . O "Solar dos Loyolas". Acompanhado a cada momento da vida da nova ordem religiosa. no castelo de Loyola. erguido com suntuosidade e largueza junto à cidade de Azpeitia.br Inácio de Loyola Iñigo López de Oñaz y Loyola -nome de batismo . caçula de 11 irmãos. em 1922. BIOGRAFIA Muito ativo. O próprio Inácio eleva o Brasil à categoria de província jesuíta em 1553 e nomeia Manuel da Nóbrega provincial e Luis de Grã.org. região basca. Santo Inácio de Loyola foi canonizado pelo Papa Gregório XV juntamente com São Francisco Xavier. trabalhou como pajem do "contador-mor" do Rei de Castela.

para matar o tempo e descobriu. em junho de 1521. e depois é levado ao castelo dos Loyola. se submeter por uma dolorosa cirurgia para corrigir um trabalho grosseiro que havia sido feito em sua perna estraçalhada em combate. sofrendo um grave fratura na perna direita e tendo a esquerda esmagada. sua atenção estava voltada para o testemunho heróico os santos. Resistir era impossível. Alto e elegante em sua juventude. como símbolo de renúncia. Ainda que sua moral nessa fase estivesse longe de ser irrepreensível. no castelo de Loyola." Aos poucos. que estava gostando. as vaidades do mundo entravam facilmente.Em 20 de maio de 1521. Inácio vive como tantos outros jovens de seu tempo dominado pelas paixões do jogo. cujo principal prazer consistia nos exercícios de guerra. Inácio começa a encontrar sua liberdade espiritual e mudança interior que é notada por todos de casa. deposita espada e punhal aos pés da imagem da Virgem Maria. das mulheres e das armas. Passou a noite de 24 de março numa "vigília de armas" em oração. dois livros: a "Vita Christi" (foto). de Rodolfo da Saxônia. Ele passa nesse local de peregrinação e faz uma confissão geral dos pecados de toda sua vida. durante o qual foi. Começou a leitura sem gosto. Durante o período de sua convalescença. isto é. Essa visão da vida atraiu profundamente Inácio. mas Inácio não se rende e é atingido por uma bala de canhão. mantém uma abundante cabeleira pintada de vermelho. Depois de muita reflexão. pois eu tenho de o fazer também.. mosteiro beneditino nos arredores de Barcelona. passa por um um curto período de tratamento em Pamplona. São Francisco fez aquilo. com surpresa. Refletindo sobre o que se passava no seu íntimo. Inácio despede-se de sua família e vai a Monserrat. pois eu vou fazer outro tanto. ele decide imitar a vida austera dos santos e começa a refletir: "São Domingos fez isto. defende a cidadela de Pamplona numa batalha contra os franceses. Inácio começou então a ter a experiência de "discernimento espiritual". O Peregrino Já totalmente recuperado. ele passava o tempo recordando também narrativas de guerra e em pensamentos sobre uma grande dama que ele admirava. por vaidade. mas depois deixavam-no contente e com muita paz. . Enquanto lia os livros.. Pelo contrário. no castelo. foi caindo na conta de que os pensamentos sobre Deus e sobre os santos custavam a entrar no seu coração. Inácio é antes um homem orgulhoso do que ligado à vida sensual. cuja versão continha prólogos às várias histórias escritos por um monge cisterciense que considerava o serviço de Deus como uma ordem cavalheiresca sagrada. Esse fato irá marcar o fim do primeiro período de sua vida. que pratica com o grande e fútil desejo de ganhar renome". na moda da época. no nordeste da Espanha. Aprecia muito música. Nos primeiros estágios de sua leitura. a saber distinguir a ação de Deus nele e a influência do mal e da própria fraqueza humana. Inácio. O resultado disso foi uma convalescência longa. Sofre dores terríveis e passa um mês inteiro entre a vida e a morte. ser "um homem dado às vaidades do mundo. e a Vida dos Santos. conforme ele mesmo confessou em sua autobiografia. em fevereiro de 1522. Inácio pede livros de cavalaria para passar o tempo. decide. especialmente os hinos sacros. Conversão Gravemente ferido em batalha. Só encontram. mas depois o deixavam frio e descontente. vestido unicamente um roupa bem tosca e áspera de saco como faziam os peregrinos penitentes. Até os trinta anos de idade. e.

passando por Roma. Tudo lhe pareceu novo e diferente. às margens do rio Cardoner. Certo dia.De madrugada retira-se para Manresa para uma gruta nos arredores de Barcelona. voltando por Chipre e Veneza e chegando a Barcelona em março de 1524. mas o superior franciscano que custodiava os santuários da Igreja latina não lhe permitiu seguir seu plano. Em Manresa. em setembro de 1522 a sua mística Igreja Primitiva. Até sonhaem morrer lá. O resultado desse período decisivo foi a resolução de fazer uma peregrinação a Jerusalém. . Inácio deixou a Palestina em 3 de outubro. mas enquanto não estiver certo de que lhe pede outra coisa. próximo a Manresa. atingiu Jerusalém em 4 de setembro. o Monte da Quarentena e todos os lugares sagrados do programa preestabelecido aos peregrinos. como ele a chamava. na qual costumava meditar e orar. Inácio de Loyola deixou Barcelona em março de 1523 e. enquanto estava sentado num dos diques do rio Cardoner. o Monte das Oliveiras. como se estivesse vendo coisas pela primeira vez. Ele gostaria de ter-se estabelecido ali permanentemente. Veneza e Chipre. Belém. O peregrino entrega-se a Deus. Depois de visitar Betânia. o Jordão. segundo o relata da sua autobiografia "os olhos de seu discernimento começaram a se abrir. em Manresa. Sob esta luz continua a escrever os Exercícios Espirituais. disposto a seguir suas inspirações a cada momento. assim como por regozijo e iluminação interior. Deus. Iluminação Espiritual Tempo dos Estudos Numa das grutas. irá a Jerusalém. anunciando aos infiéis o Evangelho. Não sabe aonde estas o levarão. o tratou como um professor trata seu aluno: ensinavao a servir-lhe como ele desejava. sem poder ver qualquer outra coisa. coisas do espírito e coisas da fé". Segudo ele. ele compreendeu e conheceu muitas coisas. Inácio anotou os sentimentos que experimentava durante as orações e esses registros tornaram-se a base de um seu pequeno livro chamado Exercícios Espirituais (foto).. como Cristo. A permanência em Manresa foi marcada por julgamentos espirituais e provações que Inácio impunha a si mesmo. Inácio experimenta.

forma um novo grupo de discípulos cujos hábitos de vida provoca tantos e tão efusivos comentários que ele precisa novamente explicar-se às autoridades religiosas. Em 1546. uma em Portugal e duas além-mar. Vive de esmolas e. De qualquer forma. Em 1540. de forma a estar preparado para salvar almas". pareceu-lhe ter visto o Cristo com a cruz em seus ombros e. Quando Inácio morre. Inácio e a maior parte de seus companheiros são ordenados sacerdotes. Novamente ele logra obter a absolvição. fazendo um voto de obediência a um superior eleito por eles mesmos. chamadas províncias: três na Itália. Seguem-se dezoito meses durante os quais eles adquirem experiência no ministério enquanto também dedicam muito tempo às orações. castidade e obediência ao Sumo Pontífice romano que já haviam feito anteriormente. vai a Flanders mendigar dos mercadores espanhóis. Durante esses meses. durante uma prece na capela de La Storta. em adição aos votos de pobreza. Essa proibição levou Inácio a deixar seus discípulos e a Espanha. a quem prega suas idéias de piedade e fé e aplica os Exercícios Espirituais.. Inácio tem uma das mais decisivas experiências de sua vida." E Jesus o tomou e disse: "É minha vontade que Nos sirva." Em 1539. masé proibido de ensinar até que tivesse terminado os estudos. escreve na Autobiografia relatando sua decisão de adquirir uma educação tão boa quanto as circunstâncias lhe permitissem. Companheiros de Jesus Em 24 de junho de 1537. Talvez sua carreira militar lhe tenha ensinado o valor que tem a preparação cuidadosa em qualquer empreendimento. o Papa Paulo III aprova o plano de uma nova ordem e Loyola foi escolhido entre os companheiros para o cargo de Superior Geral. Reflete "em seu coração sobre o que deveria fazer e finalmente decide dedicar-se por um tempo aos estudos. percebe que era a vontade de Deus que ele não ficasse em Jerusalém. Inácio de Loyola recebe secretamente Francisco Bórgia na Sociedade. apesar de ainda não ter ministrado missa. ele troca Alcalá por Salamanca. Mas Inácio logo cai suspeito de heresia. Durante esse tempo. ao lado dele. Esse episódio finalmente o convence de que se deveria abster de fazer pregações religiosas públicas até que obtivesse o sacerdócio. três na Espanha. Inácio e companheiros decidem formar uma união permanente. na Índia e no Brasil. duque de . que disse: "É minha vontade que tomes esse homem como Teu servidor. duas na Alemanha. Ele relata a seus companheiros como. Inácio de Loyola ocupa-se muito com a Alemanha e a Índia. há cerca de mil jesuítas espalhados por doze unidades administrativas. e seu pequeno grupo passa a usar uma vestimenta característico. Inácio está convencido de que um homem bem instruído poderia realizar em curto tempo o que outro sem instrução nunca realizaria.Inácio de Loyola. certo dia. A Companhia de Jesus desenvolve-se rapidamente. uma na França. adquire seguidores. Em Paris. éi aprisionado e julgado. mas todos os seus companheiros. Ele provavelmente poderia ter alcançado o sacerdócio em poucos anos. Mesmo tendo sido declarado inocente. para onde manda seus famosos seguidores Pedro Canisius e Francisco Xavier. Em 1526 ele se transfere para Alcalá. o Pai Eterno. nos anos de 1528 e 1529. perto de Roma. Ele também envia missionários para o Congo e para a Etiópia. Em 1530 vai à Inglaterra com o mesmo propósito. Estuda em Barcelona por aproximadamente dois anos. Nos últimos anos de sua vida. Em Paris Inácio chega a Paris em 2 de fevereiro de 1528. e permanece lá como estudante até 1535. mas escolhe protelar essa meta por mais de doze anos e passar pela dificuldade de enfrentar uma sala de aulas na idade em que a maioria dos homens já havia terminado a muito tempo sua instrução. Lá não apenas Inácio é preso.

A partir daí. Inácio vai aos poucos trocando a imaginação dos feitos dos cavalheiros.. Submetido a várias cirurgias. um seminário para candidatos alemães ao sacerdócio. peregrinando pelo mundo. a fim de ganhar honras e prestígio. Santo Inácio de Loyola foi canonizado pelo Papa Gregório XV juntamente com São Francisco Xavier. Ele também estabelece uma casa para auxiliar e salvar as almas de mulheres decaídas e outra para judeus convertidos. Na experiência do homem reside um potencial imenso de experiência de Deus. Ele funda o Colégio de Roma. mergulhando fundo em si mesmo e atingindo os limites da sinceridade e da transparência. Quando esse fato se torna público quatro anos depois.org. Sua rica interioridade não é solitária. Filho de uma família da nobreza rural. embrião da Universidade Gregoriana. durante uma batalha em defesa de Pamplona. Santa Teresa de Jesus e São Felipe Neri. com o envio das missões jesuíticas. em 12 de março de 1622. ocupa-se durante o longo reestabelecimento no castelo de Loyola. incluindo o Brasil. torna-se um soldado de Cristo. Bórgia organizou as províncias espanholas e se tornou o terceiro Geral da Ordem. há alguma reação. Este seria para ele o princípio de um mergulho profundo. . orientando pessoas e reunindo companheiros. e o Germanicum. Santo Inácio de Loyola é o autor dos Exercícios Espirituais e o fundador da Campanhia de Jesus. Desde sua infância já alimentava o sonho de tornar-se um cavalheiro capaz de feitos notáveis. Inácio é ferido nas pernas por uma bala durante o cerco francês à cidade. Ordem dos Jesuítas. Aos 30 anos. onde Deus se manifesta.. pelas realizações dos santos.br Inácio de Loyola Inácio de Loyola Quem foi Santo Inácio de Loyola? A experiência de Deus vivida por Santo Inácio de Loyola (Iñigo López de Oñaz y Loyola) fez dele um revolucionário! Na origem de sua experiência está a inquietude de "sair" e ir aos extremos. Na fronteira de si mesmo encontrou o "espaço sagrado". província basca ao norte da Espanha. mas é habitada pela presença Divina e pelo desejo de realizar "grandes coisas" para os outros. em 20 de maio de 1521. em primeiro lugar. Inácio de Loyola deixa sua marca em Roma. ali se encontrou com os sonhos escondidos e os projetos ocultos.jesuitas. Inácio nasceu em 1491 no castelo de Loyola. assimilando seus propósitos de vida e se identificando cada vez mais com eles e com o próprio Deus. um caminho interior que nos ensina muitas coisas: ele caminhou para as fronteiras de seu próprio interior. escrevendo o livro dos Exercícios Espirituais. Na pessoa de Inácio há.Gandía e vice-rei da Catalônia. Fonte: www. até fundar a Companhia de Jesus e evangelizar centenas de países. com a leitura de livros sobre a vida dos santos e a vida de Cristo.

O Papa Pio VII restaurou a Companhia. Santo Isaac Jogues e São João Brebéuf semearam o cristianismo nos povos indígenas e Jacques Marquette acompanhou a expedição de Joliet do Rio Mississipi até o Golfo do México.A mudança radical de vida de um cavaleiro basco. Quando Inácio morreu em 1556. trabalhavam em educação. As atividades missionárias foram maciças nas Américas. são variadas. Com tanta ênfase em educação. Os futuros missionários recebiam treinamento especial. contando então com 24000 membros. durante o primeiro século de sua existência. excluindo Irmãos e Escolásticos. o Pai. A jovem Companhia cresceu rápida. durante dois séculos. quando. além das 24 universidades que eram total ou parcialmente controladas pela Companhia. Foi um período heróico. 75% dos jesuítas disponíveis. na educação do clero. e. Em 1710. 79 colégios e 16 seminários. foi a instituição mais famosa e o primeiro seminário moderno. Três anos mais tarde. e. na Europa Central e Oriental. com a Bula "Sollicitudo". Houve cerca de 100 delas e as mais conhecidas foram aquelas dos 30 povos Guaranis. Na América Espanhola os jesuítas se estabeleceram no Peru e no México. no entanto. como aquele oferecido pelo Colégio de Coimbra onde passou a maior parte dos 1700 missionários portugueses. E no fim de seu generalato. Neles. principalmente. Inácio não o tinha previsto. Sentiu-se sua influência no Concílio de Trento pela atuação de Diogo Laynez e Afonso Salmerón e. em 1749. Portanto. fez com que a Companhia se incorporasse na colonização deles. Em outubro de 1537. depois. Nesse momento. Nos territórios franceses. o seu número contava 938 e em 1910. com o Breve "Dominus ac Redemptor". na América Espanhola. o nome da Companhia de Jesus foi confirmado e a própria Companhia começou a existir espiritualmente. nas Américas e na Ásia. as humanidades predominaram e suas atividades e produções dramáticas influenciaram o desenvolvimento do teatro moderno. acompanhado por Pedro Fabro e Diogo Laynez. Desde o início. sempre existiu um pequeno grupo de cerca de 200 Jesuítas. A orientação do pensamento iluminista. só permitiu a divulgação da ordem da supressão. 2 universidades. Aprendiam línguas e como se adaptar às culturas diferentes. no Paraguai. na sua forma mais radical. da Prússia. eles eram 1768 e na metade do século XVIII a Companhia tinha. Ela se revelou na Contra-Reforma. na Igreja Universal. porém. da Europa. em 1804. em 1814. deu início a uma caminhada árdua e variada para a criação da Companhia de Jesus. numa pequena capela em La Storta. também. nem sempre agradou às autoridades eclesiásticas. rico de personalidades excepcionais no campo da ação. Desse número. A maioria dos colégios jesuíticos foram para externos e seus alunos vieram de todas as classes. até a restauração em 1814. mas os pedidos de papas. São Roberto Bellarmino e Francisco Suárez. hoje Canadá e o nordeste e meio-oeste dos Estados Unidos. 176 seminários e 61 casas de estudos jesuíticos. pelo Papa Clemente XIV. avivando o catolicismo. Inácio estava viajando para Roma. nos seus reinos. Os trabalhos da Companhia foram interrompidos pela expulsão dos jesuítas dos territórios de Portugal decretada em 1759 pelo Marquês de Pombal. 3276 jesuítas se encontravam distribuídos em cinco continentes. inicialmente. Seu êxito. 90% estavam trabalhando nos territórios controlados pela Espanha e Portugal. Um outro trabalho famoso foram as reduções de índios. Os Jesuítas se destacaram. 19998. em 1521. da Rússia. não é surpreendente que se desenvolvesse a "Ratio Studiorum". espiritual e intelectualmente na França. As razões para a supressão da Companhia. porém. nos Países Baixos. pelas nações católicas de Espanha e Portugal. Em 1749. O Colégio Romano. os Jesuítas tinham 669 colégios. inaugurado em 1551 e desde o tempo de Gregório XIII conhecido como a Gregoriana. Essa expulsão foi apenas o primeiro capítulo da campanha contra a Companhia. localizadas. bispos e leigos para estabelecer escolas modificaram sua opinião. Não houve anuidades porque os colégios eram patrocinados pelo sistema fundacional. nunca a permitiu. o Papa Paulo III conferia à Companhia sua vida canônica com a Carta Apostólica "Regimini militantis eclesiae". na teologia pastoral e dogmática. de Nápoles e da Áustria. um sistema pedagógico para todas essas entidades. hoje situada na área metropolitana romana. dizendo a Jesus: "Quero que tomes este por teu servidor". A Companhia nasceu depois das grandes descobertas no fim do século XV e no início do século XVI. Mais tarde. teve uma visão de Cristo carregando sua cruz. Os primeiros tempos da Companhia de Jesus restaurada assemelham-se bastante aos primórdios dos anos da fundação. Esse método de aculturação foi realizado brilhantemente por Matteo Ricci e Roberto de Nobili na Ásia e Indonésia. foi o grande culpado. como fica claro através das controvérsias dos Ritos Malabares e Chineses. a educação se tornou o trabalho principal da Companhia. Depois da educação. querendo eliminar o cristianismo e o catolicismo da vida cultural da Europa. no Reino das Duas Sicílias. Frederico II. o apostolado das missões tem ocupado o maior número de jesuítas. em 1780 e Catarina II. faziam pressões tão intensas que Clemente XIV foi quase obrigado a decretar a supressão da Companhia. Tudo terminou com sua supressão. principalmente. em 1773. com os trabalhos de São Pedro Canísio. As casas reais influenciadas pelo Regalismo da França. e a aquisição de territórios enormes. Inácio de Loyola. Na falta de pessoal para atender todas as .

em 1850 na Colômbia e no Equador. A velha obra das Congregações Marianas. A nova Companhia teve progressos bem maiores que a antiga. . Áustria e Galízia. em 1834 e 35 foram expulsos de Portugal e da Espanha. na Síria (1859-60) ou em Madagascar (1883 e 1896). fundado no escolasticado da Companhia de Vals. O Concílio aceitou o desafio de estabelecer um diálogo com este mundo. não só nas missões. Acrescenta-se outros meios de comunicação social em que damos os primeiros passos. continuando uma das principais atividades da Companhia de Jesus. Em 1873 viram o confisco de muitas casas na Itália. como todas as outras Ordens e Congregações religiosas. no serviço da fé que busca a justiça. e de Portugal (1910). na qual foi eleito Geral o Pe. tornaram-se. mas ainda em Roma com a Universidade Gregoriana e os Institutos Bíblico e Oriental. em 1847 da Suíça. O ministério dos Exercícios Espirituais tomou novo e imponente desenvolvimento. Daí surgiu também a Cruzada Eucarística para crianças e jovens. na Coréia e no Vietnã. A Companhia participou solidariamente dos sofrimentos derivados das duas Guerras Mundiais (1914 e 1939). Em muitos países. o serviço da fé e a promoção da justiça. Repôs em funcionamento pleno e normal as instituições inacianas. Os Exercícios Espirituais a operários não são senão uma parte do apostolado social. custou à Companhia de Jesus muitos mártires e um esforço intelectual muito forte para debelar sua ideologia em todo o mundo. e da Alemanha (1872). Desde o princípio. procurando remediar seus resultados funestos de fome. Os jesuítas foram expulsos da Bélgica (1818) e da Rússia (1820). Viu também as perseguições golpear repetidamente a maioria das Províncias. no México (1927). na França (1844) se espalhou prontamente por todo o mundo. dissolvidos na Espanha (1932 a 1936). A 32ª Congregação Geral (1974) destacou como dimensão fundamental da Companhia hoje. Esse fenômeno universal para os sacerdotes e religiosos da Igreja. não só pela ação de seus bispos missionários mas também pelo aporte brilhante de seus teólogos. cerca de 5. destacamos o padre Teilhard de Chardin. Em 1848 foram dispersos e expulsos na Itália.000 divididos em oito Assistências e 50 Províncias. expulsos do Equador novamente (1879). Aos colégios se ajuntaram numerosas universidades. Desde a restauração a Companhia de Jesus apresenta um desenvolvimento numérico e uma complexidade de obras: em 1940 os jesuítas eram mais de 26. Entre escritores de obras que se tornaram universais. os jesuítas cooperaram para seu pleno êxito. 1932-35). como nas províncias. urgindo a mútua colaboração entre os estudiosos da Companhia e os membros da pastoral. No campo da imprensa a Companhia dispunha de 1. Nas missões. O Concílio veio responder à necessidade de renovação interna da Igreja e de abertura para um mundo em processo de rápidas transformações.000 jesuítas trabalhavam nas missões. Os jesuítas preocupam-se em adaptarem-se aos novos tempos zelando em recolher as tradições. sangrentas: na Espanha (1822. sentiu pela primeira vez em toda a sua existência um decréscimo constante de vocações. As perseguições. Peter-Hans Kolvenbach.100 periódicos nos mais variados ramos do saber. Durante o Concílio Ecumênico Vaticano II (1962-65). renovou o estudo dos Exercícios Espirituais de Sto. cientista de grande influência entre os intelectuais modernos. doenças. Em 1828 foram fechados os colégios na França. Deu forte apoio ao apostolado intelectual. para não falar dos mártires das missões na China (1860. o esforço educativo atingiu também a formação do clero. o ministério da educação se desenvolveu como importância de primeira ordem. 34ª Congregação Geral (1995) reafirmou a missão do jesuíta como servidor da missão de Cristo. representa uma purificação e um convite para um trabalho de seleção e de formação mais acurada e condizente com os tempos atuais. 1836. Nesse período de restauração. dialoga com outras tradições religiosas e evangeliza as culturas. Inácio e da pedagogia inaciana e retomou a atividade missionária. convocado por João XXIII e encerrado por Paulo VI. Pedro Arrupe (1965-1983). particularmente a formação dos religiosos. O Apostolado da Oração. se apresentou na primeira metade do século como uma das formas mais desenvolvidas da Ação Católica. provincial do Japão. Os jesuítas foram de novo dispersos na França (1880 e 1901). geralmente oficiais. os Superiores Gerais residiram em Fiésole de 1873 a 1892. Em 1950. A 33ª Congregação Geral (1983) elegeu Superior Geral o Pe. especialmente em Roma. degradações morais.necessidades. o desafio do conflito de gerações entre os jesuítas da antiga Companhia e os novos está muito presente. correm para satisfazer o mais urgente.1900-02). realizando a sua 31ª Congregação Geral (1965-66). em Paris (1871). expulsos novamente da Espanha (1868). adaptada às condições modernas. O surto do comunismo na Rússia e em todo o leste europeu. muitas vezes. amarguras e desesperos. Posteriormente. A Companhia de Jesus se esforçou para acompanhar o movimento de renovação da Igreja. procurando iluminar a busca de soluções com a luz do Evangelho. deparam-se com uma seara abundante de perseguições e expulsões. a Companhia de Jesus.

75% dos jesuítas disponíveis. na sua forma mais radical. As casas reais influenciadas . Desde o início. mas os pedidos de papas. A jovem Companhia cresceu rápida. 90% estavam trabalhando nos territórios controlados pela Espanha e Portugal. Quando Inácio morreu em 1556. São Roberto Bellarmino e Francisco Suárez. teve uma visão de Cristo carregando sua cruz. 2 universidades. Depois da educação. querendo eliminar o cristianismo e o catolicismo da vida cultural da Europa. quando. avivando o catolicismo. com o Breve "Dominus ac Redemptor". pelas nações católicas de Espanha e Portugal. Sentiu-se sua influência no Concílio de Trento pela atuação de Diogo Laynez e Afonso Salmerón e. Tudo terminou com sua supressão.br JESUÍTAS NO MUNDO A mudança radical de vida de um cavaleiro basco. inaugurado em 1551 e desde o tempo de Gregório XIII conhecido como a Gregoriana. 176 seminários e 61 casas de estudos jesuíticos. principalmente. principalmente. contando então com 24000 membros. Os futuros missionários recebiam treinamento especial. hoje situada na área metropolitana romana. na teologia pastoral e dogmática. Os Jesuítas se destacaram. na América Espanhola. como aquele oferecido pelo Colégio de Coimbra onde passou a maior parte dos 1700 missionários portugueses. Mais tarde. numa pequena capela em La Storta. no entanto. Neles. Seu êxito. em 1749. A Companhia nasceu depois das grandes descobertas no fim do século XV e no início do século XVI. localizadas. porém. Na América Espanhola os jesuítas se estabeleceram no Peru e no México. um sistema pedagógico para todas essas entidades. Com tanta ênfase em educação. deu início a uma caminhada árdua e variada para a criação da Companhia de Jesus. espiritual e intelectualmente na França. E no fim de seu generalato. hoje Canadá e o nordeste e meio-oeste dos Estados Unidos. Em outubro de 1537. Os trabalhos da Companhia foram interrompidos pela expulsão dos jesuítas dos territórios de Portugal decretada em 1759 pelo Marquês de Pombal. nos Países Baixos. Inácio não o tinha previsto. além das 24 universidades que eram total ou parcialmente controladas pela Companhia. e a aquisição de territórios enormes.jesuitas. são variadas. nem sempre agradou às autoridades eclesiásticas. o nome da Companhia de Jesus foi confirmado e a própria Companhia começou a existir espiritualmente. também. 3276 jesuítas se encontravam distribuídos em cinco continentes. Aprendiam línguas e como se adaptar às culturas diferentes. eles eram 1768 e na metade do século XVIII a Companhia tinha. bispos e leigos para estabelecer escolas modificaram sua opinião. pelo Papa Clemente XIV. O Colégio Romano. as humanidades predominaram e suas atividades e produções dramáticas influenciaram o desenvolvimento do teatro moderno. Desse número. o apostolado das missões tem ocupado o maior número de jesuítas. Ela se revelou na Contra-Reforma. com os trabalhos de São Pedro Canísio. trabalhavam em educação. A maioria dos colégios jesuíticos foram para externos e seus alunos vieram de todas as classes. Inácio de Loyola. Santo Isaac Jogues e São João Brebéuf semearam o cristianismo nos povos indígenas e Jacques Marquette acompanhou a expedição de Joliet do Rio Mississipi até o Golfo do México. na Europa Central e Oriental. em 1773. As razões para a supressão da Companhia. Esse método de aculturação foi realizado brilhantemente por Matteo Ricci e Roberto de Nobili na Ásia e Indonésia. Houve cerca de 100 delas e as mais conhecidas foram aquelas dos 30 povos Guaranis. A orientação do pensamento iluminista. no Paraguai. foi o grande culpado. excluindo Irmãos e Escolásticos. nas Américas e na Ásia. foi a instituição mais famosa e o primeiro seminário moderno. na educação do clero. Um outro trabalho famoso foram as reduções de índios. o Papa Paulo III conferia à Companhia sua vida canônica com a Carta Apostólica "Regimini militantis eclesiae". durante o primeiro século de sua existência. não é surpreendente que se desenvolvesse a "Ratio Studiorum". os Jesuítas tinham 669 colégios. fez com que a Companhia se incorporasse na colonização deles. como fica claro através das controvérsias dos Ritos Malabares e Chineses. Nesse momento. 1999. o seu número contava 938 e em 1910.com. Essa expulsão foi apenas o primeiro capítulo da campanha contra a Companhia.Fonte: www. 79 colégios e 16 seminários. a educação se tornou o trabalho principal da Companhia. Inácio estava viajando para Roma. Três anos mais tarde. Não houve anuidades porque os colégios eram patrocinados pelo sistema fundacional. durante dois séculos. dizendo a Jesus: "Quero que tomes este por teu servidor". o Pai. As atividades missionárias foram maciças nas Américas. Em 1710. acompanhado por Pedro Fabro e Diogo Laynez. Em 1749. e. em 1521. Nos territórios franceses. depois.

o esforço educativo atingiu também a formação do clero. inicialmente. Desde a restauração a Companhia de Jesus apresenta um desenvolvimento numérico e uma complexidade de obras: em 1940 os jesuítas eram mais de 26. Desde o princípio. em 1847 da Suíça. em 1814. A nova Companhia teve progressos bem maiores que a antiga. Os Exercícios Espirituais a operários não são senão uma parte do apostolado social. Viu também as perseguições golpear repetidamente a maioria das Províncias. No campo da imprensa a Companhia dispunha de 1. geralmente oficiais. deparam-se com uma seara abundante de perseguições e expulsões. particularmente a formação dos religiosos. amarguras e desesperos. Os jesuítas foram expulsos da Bélgica (1818) e da Rússia (1820). nunca a permitiu. Os jesuítas preocupam-se em adaptar-se aos novos tempos zelando em recolher as tradições. correm para satisfazer o mais urgente. sentiu pela primeira vez em toda a sua existência um decréscimo constante de vocações. Frederico II. para não falar dos mártires das missões na China (1860. da Europa. destacamos o padre Teilhard de Chardin. da Prússia. de Nápoles e da Áustria. degradações morais. sempre existiu um pequeno grupo de cerca de 200 Jesuítas. Na falta de pessoal para atender todas as necessidades. no México (1927). na Síria (1859-60) ou em Madagascar (1883 e 1896). tornaram-se. no Reino das Duas Sicílias. O Papa Pio VII restaurou a Companhia. Em 1873 viram o confisco de muitas casas na Itália. procurando iluminar a busca de soluções com a luz do Evangelho. em 1850 na Colômbia e no Equador. Esse fenômeno universal para os sacerdotes e . em 1834 e 35 foram expulsos de Portugal e da Espanha. Daí surgiu também a Cruzada Eucarística para crianças e jovens. na França (1844) se espalhou prontamente por todo o mundo. Portanto. a Companhia de Jesus. Foi um período heróico. não só pela ação de seus bispos missionários mas também pelo aporte brilhante de seus teólogos.pelo Regalismo da França. o ministério da educação se desenvolveu como importância de primeira ordem. Em 1848 foram dispersos e expulsos na Itália. As perseguições. Em 1828 foram fechados os colégios na França. da Rússia. expulsos do Equador novamente (1879). rico de personalidades excepcionais no campo da ação. na Coréia e no Vietnã.100 periódicos nos mais variados ramos do saber. porém. e de Portugal (1910). Posteriormente. realizando a sua 31ª Congregação Geral (1965-66). sangrentas: na Espanha (1822. cientista de grande influência entre os intelectuais modernos. e. nos seus reinos. 1836. 1932-35). em 1780 e Catarina II. Entre escritores de obras que se tornaram universais. até a restauração em 1814. O Concílio veio responder à necessidade de renovação interna da Igreja e de abertura para um mundo em processo de rápidas transformações. com a Bula "Sollicitudo". doenças. mas ainda em Roma com a Universidade Gregoriana e os Institutos Bíblico e Oriental. na qual foi eleito Geral o Pe. Em muitos países.000 divididos em oito Assistências e 50 Províncias. O surto do comunismo na Rússia e em todo o leste europeu.1900-02). Pedro Arrupe (1965-1983). A velha obra das Congregações Marianas. especialmente em Roma. como nas províncias. se apresentou na primeira metade do século como uma das formas mais desenvolvidas da Ação Católica. não só nas missões. Repôs em funcionamento pleno e normal as instituições inacianas. A Companhia de Jesus se esforçou para acompanhar o movimento de renovação da Igreja. continuando uma das principais atividades da Companhia de Jesus. O ministério dos Exercícios Espirituais tomou novo e imponente desenvolvimento. como todas as outras Ordens e Congregações religiosas. Em 1950. fundado no escolasticado da Companhia de Vals. faziam pressões tão intensas que Clemente XIV foi quase obrigado a decretar a supressão da Companhia. Áustria e Galízia. Acrescenta-se outros meios de comunicação social em que damos os primeiros passos. Durante o Concílio Ecumênico Vaticano II (1962-65). Os jesuítas foram de novo dispersos na França (1880 e 1901). Nas missões. O Concílio aceitou o desafio de estabelecer um diálogo com este mundo. expulsos novamente da Espanha (1868). Aos colégios se ajuntaram numerosas universidades. adaptada às condições modernas. só permitiu a divulgação da ordem da supressão. o desafio do conflito de gerações entre os jesuítas da antiga Companhia e os novos está muito presente. custou à Companhia de Jesus muitos mártires e um esforço intelectual muito forte para debelar sua ideologia em todo o mundo. em 1804. procurando remediar seus resultados funestos de fome. O Apostolado da Oração. convocado por João XXIII e encerrado por Paulo VI. cerca de 5. Nesse período de restauração. em Paris (1871). A Companhia participou solidariamente dos sofrimentos derivados das duas Guerras Mundiais (1914 e 1939). renovou o estudo dos Exercícios Espirituais de Sto. os jesuítas cooperaram para seu pleno êxito. dissolvidos na Espanha (1932 a 1936). Os primeiros tempos da Companhia de Jesus restaurada assemelhamse bastante aos primórdios dos anos da fundação. na Igreja Universal. os Superiores Gerais residiram em Fiésole de 1873 a 1892. Inácio e da pedagogia inaciana e retomou a atividade missionária. e da Alemanha (1872). provincial do Japão( o Concilio Vaticano 2° concluira seu monumental trabalho em dezembro de 1965).000 jesuítas trabalhavam nas missões. muitas vezes.

dando a esta direitos exclusivos de navegação. mas a solução tornou-se mais negativa que positiva. A 32ª Congregação Geral (1974) destacou como dimensão fundamental da Companhia hoje. fez carreira e atuou em missões diplomáticas. feito até então pela Igreja. primeiro em Londres. no serviço da fé que busca a justiça. recebeu o título de conde de Oeiras e o de Marquês de Pombal. Sebastião José de Carvalho e Melo nasceu a 13 de Maio de 1699. e a partir do momento que se tornou o homem de confiança de Dom José I. dialoga com outras tradições religiosas e evangeliza as culturas. e isso valeu-lhe o apelido de "a Viradeira". foi apenas condenado a viver afastado de Lisboa por isto foi se exilar em Pombal. afastando todos os que se colocavam contra suas reformas.religiosos da Igreja. diminuindo o poder de algumas casas nobres. pois a expulsão da Companhia de Jesus trouxe enormes prejuízos. Com Pombal também. onde faleceu em 8 de maio de 1782 no seu palácio do Pombal. depois história. e a rainha anula a política pombalina. Em 1750. Entre 1738 e 1749. porque a sua influência na sociedade portuguesa e as suas ligações internacionais eram um entrave ao fortalecimento do poder régio. daí a expulsão da Companhia de Jesus de Portugal e seus domínios com o seqüestro dos seus bens em 13 de Janeiro de 1759. 80 anos. como das letras e filosofia. estas missões foram importantes para a formação política e econômica de Sebastião José de Carvalho e Melo. Pombal foi um dos representantes do despotismo esclarecido que justificava o poder absoluto do monarca. E devido à sua idade avançada. o que lhe valeu a antipatia e a criação de inúmeros inimigos. também empenhou-se fortemente no reforço do poder régio. . 34ª Congregação Geral (1995) reafirmou a missão do jesuíta como servidor da missão de Cristo. Em relação ao Brasil. iniciou-se a primeira abertura de Portugal à cultura européia. reformou o ensino. pois a metrópole até então servia apenas de entreposto dos produtos coloniais para o resto da Europa. Pombal reforçou os laços mercantilistas com a colônia quando criou a Companhia Geral do Comércio do Grão-Pará e Maranhão em 1755. a idéia de Pombal era laicizar o ensino. e no ano de 1759. nas finanças e no sistema militar com o fim de modernizar Portugal e suas colônias. foi a acusação de terem participado do atentado ao rei Dom José I em 1758. e a sua grande capacidade de trabalho e de chefia revelou-se na forma como encarou o trágico terramoto de 1755 que destrói a cidade de Lisboa. tráfico de escravos e compra e venda das drogas do sertão e da mesma forma. anteriormente nas mãos dos Jesuítas. transfere a capital da colônia de Salvador para o Rio de Janeiro. com a subida ao trono de Dona José. ou seja daqueles que se identificavam e estavam em sintonia como a nova mentalidade moderna européia. provocadas sobretudo pela interrupção na exploração do ouro brasileiro. e com os jesuítas expulsos. passou a implantar uma série de reformas na administração. e devido aos vários abusos do poder que cometeu. o serviço da fé e a promoção da justiça. e a ascensão de Dona Maria I. depois em Viena. primeiramente direito. ponto estratégico para o comércio da região amazônica e no ano de 1763. A 33ª Congregação Geral (1983) elegeu Superior Geral o Pe.com isto Pombal teve a oportunidade de reconstruir a cidade com feições mais modernas e racionais tirando-lhe a feição medieval. como para a educação e ensino na colônia. foi embaixador de Dom João V nas cortes inglesa e austríaca. à oposição ao marquês tornouse muito ativacom isto Pombal pede demissão e Dona Maria I mandou realizar uma sindicância aos seus atos. não pelo direito divino. representa uma purificação e um convite para um trabalho de seleção e de formação mais acurada e condizente com os tempos atuais. urgindo a mútua colaboração entre os estudiosos da Companhia e os membros da pastoral. estudou em Coimbra. e a nova administração abre um processo contra ele e em 1780 é considerado culpado. foi nomeado secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Guerra. tornando-se assim mais próxima dos centros mineradores e mais dinâmicos da economia colonial e também por motivos militares ocasionados pelos conflitos com os espanhóis na colônia de Sacramento e em Sete Povos das Missões. mas pelo princípio da racionalidade quando nenhuma contestação à autoridade do rei era tolerada. particularmente da Inglaterra quando adotou uma política de monopólios mais estreitos de comércio com a colônia. diminuiu a influência externa. tanto para os aldeamentos. seus colégios fechados e substituídos pelas "aulas régias". quando criou o grupo dos "estrangeirados". Com a morte de Dom José I em 1777. recebendo influência tanto do Iluminismo. Seu projeto de restaurar a economia portuguesa. as missões passam a ser administradas por civis através do Diretório dos Índios. Peter-Hans Kolvenbach. e um outro fato que também contribuiu para esta campanha de Pombal contra os jesuítas. embora sem significativo sucesso para Portugal. através de novos métodos pedagógicos e da criação de novas escolas como o Real Colégio dos Nobres. transferiu a capital de São Luís para Belém. Deu forte apoio ao apostolado intelectual.

Portugal logo percebeu que a educação no Brasil estava estagnada e era preciso oferecer uma solução. que não se encontravam sob a jurisdição jesuítica. a Escola de Artes e Edificações Militares. Fonte: www.. 1996: 37). a educação brasileira estava reduzida a praticamente nada. primeiro-ministro de Portugal de 1750 a 1777. o vinho. Pombal pensava em reerguer Portugal da decadência que se encontrava diante de outras potências européias da época. e os Seminários de São José e São Pedro. O sistema jesuítico foi desmantelado e nada que pudesse chegar próximo deles foi organizado para dar continuidade a um trabalho de educação. nunca foi cobrado com regularidade e os professores ficavam longos períodos sem receber vencimentos a espera de uma solução vinda de Portugal. os cursos tinham uma duração determinada e os estudantes eram reunidos em classe e trabalhavam de acordo com um plano de ensino previamente estabelecido" (Piletti. já que eram improvisados e mal pagos. ao mesmo tempo em que suprimia as escolas jesuíticas de Portugal e de todas as colônias.com Marquês de Pombal PERÍODO POMBALINO Com a expulsão saíram do Brasil 124 jesuítas da Bahia. Para isso instituiu o "subsídio literário" para manutenção dos ensinos primário e médio. Continuaram a funcionar o Seminário episcospal. na Bahia. no princípio do século XIX (anos 1800.Fonte: geocities. Eram nomeados por indicação ou sob concordância de bispos e se tornavam "proprietários" vitalícios de suas aulas régias. Cada aula régia era autônoma e isolada. A educação jesuítica não convinha aos interesses comerciais emanados por Pombal. 53 de Pernambuco. Ou seja. Pombal pensou em organizar a escola para servir aos interesses do Estado. no Rio de Janeiro.pedagogiaemfoco. em função de radicais diferenças de objetivos. Pombal criava as aulas régias de Latim. o Marquês de Pombal. por Dom Azeredo Coutinho. e do Seminário de Olinda. no Pará. Os professores eram geralmente mal preparados para a função. o vinagre e a aguardente.). Com eles levaram também a organização monolítica baseada no Ratio Studiorum.pro. e a Escola de Artilharia. Criou também a Diretoria de Estudos que só passou a funcionar após o afastamento de Pombal. em julho de 1776. O Seminário de Olinda "tinha uma estrutura escolar propriamente dita. no Rio de Janeiro. Os jesuítas foram expulsos das colônias por Sebastião José de Carvalho e Melo. governador interino e bispo de Pernambuco. em 1798. Criado em 1772 era uma taxação. ou um imposto. Além de exíguo. Enquanto os jesuítas preocupavam-se com o proselitismo e o noviciado. Esta situação somente sofreu uma mudança com a chegada da família real ao Brasil em 1808. em que as matérias apresentavam uma sequência lógica. com professor único e uma não se articulava com as outras. Pouca coisa restou de prática educativa no Brasil. Grego e Retórica. O resultado da decisão de Pombal foi que.br . 199 do Rio de Janeiro e 133 do Pará. que incidia sobre a carne verde.. De todo esse período de "trevas" sobressaíram-se a criação. se as escolas da Companhia de Jesus tinham por objetivo servir aos interesses da fé. Marquês de Pombal Marquês de Pombal Através do alvará de 28 de junho de 1759. de um curso de estudos literários e teológicos.

em 1759. ganhou o título de Conde de Oeiras. . Foi o rei D. mas todos o conheciam por este título. Apesar de pertencer a uma família nobre.Marquês de Pombal O nome do Marquês de Pombal era Sebastião José de Carvalho e Melo. Entre 1738 e 1749. mas na altura desagradaram a muitos. em 1699. depois. depois da morte de D. Marquês de Pombal Durante o seu trabalho como ministro. estudou na Universidade de Coimbra. que lhe foi dado pelo rei D. Sebastião José de Carvalho e Melo foi chamado de volta à corte de Lisboa para ser ministro deste rei. os seus pais não tinham muito dinheiro. José que lhe deu os dois títulos que teve. em 1769. que agradaram a alguns. Marquês de Pombal Sebastião José de Carvalho e Melo nasceu em Lisboa. o Marquês de Pombal fez muitas reformas. e. José subiu ao trono. Quando D. representou Portugal em Londres (Inglaterra) e em Viena (Áustria) em missões diplomáticas. Mesmo assim. o de Marquês de Pombal. José. Primeiro. João V.

criou companhias monopolistas. o Marquês ficou responsável pela reconstrução da cidade. É por isso que a baixa lisboeta é conhecida como "baixa pombalina".. Também mandou alterar o modo de construção das casas. Foi por isso que tomou uma série de medidas para lhe dar mais poder e retirá-lo a classes sociais como o clero. Maria I subiu ao trono. reformou a Universidade de Coimbra e reorganizou o exército. Tudo isto para dar mais poder ao rei. através do encerramento de vários colégios que eles tinham. o Marquês de Pombal tornou-se uma figura muito importante na História de Portugal por causa do terramoto de Lisboa.Marquês de Pombal Por exemplo. mas era o Marquês que tinha tudo nas mãos! Além das reformas que fez. O Marquês de Pombal defendia o absolutismo. O problema é que a maioria das pessoas (sobretudo nas classes altas. o Marquês foi afastado do seu trabalho na corte. em 1777. José morreu e a rainha D. Quando o rei D. para prevenir mais terramotos. que é a ideia de que todos os poderes devem estar nas mãos do rei. Depois do terramoto. foi ele o principal responsável pela expulsão dos Jesuítas (membros de uma ordem religiosa católica). que aconteceu em 1755. os nobres e o clero) não gostava das reformas que o Marquês estava a fazer. Foi ele que reconstruiu a baixa lisboeta com todas aquelas ruas paralelas e perpendiculares. protegeu o comércio português.. porque lhes retirava privilégios e os impedia de fazerem o que queriam. . Com esse objectivo.

então. Tornava-se igualmente irrealizável deixar nas mãos dos colonos a conversão do gentio. uma vez que o trabalho apostólico. Para isso desenvolviam as racionalizações mais arbitrárias. Possibilidade que se aventou. com um sermão pronunciado pelo dominicano Antônio de Montesinos. e a reforma desses institutos monásticos. como os teólogos mais qualificados da igreja. que pedia ao imperador e ao papa o direito de castigar os da terra que não se submetiam. a exercer uma influência mais além do eclesiástico. cuja obra missionária. apresentando-os "como inimigos de nossa santa fé". Acorreram à América espanhola imediatamente após a conquista do México e se estenderam a todo o império espanhol no Novo Mundo. o Marquês de Pombal foi condenado ao desterro! Como já era muito idoso. enquanto impulso expansivo da Igreja Católica. Teriam. para deixá-los dispersarem-se pelas missões na conversão de infiéis.Em 1779. O Marquês foi. não o obrigaram a ir para o estrangeiro. A Companhia de Jesus no Brasil Cena da 1a missa realizada no Brasil (abril de 1500) Com os descobrimentos ultramarinos. mas que logo foi abandonada. quando se faz derivar exclusivamente da Contra-reforma a expansão mundial da Igreja Católica da Época Moderna. Seguiram-se a eles os dominicanos. reavivou o ardor apostólico em suas comunidades. Não demorou para que alguns discípulos da Companhia de Jesus mostrassem grande interesse em serem enviados ao Novo Mundo. chocava-se com a resistência dos colonos espanhóis que se recusavam a ver outra possibilidade no indígena que não fosse a sua exploração no trabalho escravo. "Se simplifica em demasia o fato histórico. entretanto. que sair da Igreja os esforços para a difusão do Cristianismo no ultramar. A revivescência e ativação das forças missionários da cristandade ocorreram na Idade Média tardia. Somente por volta de 1565 vieram os primeiros jesuítas para a América espanhola. onde tanto havia que fazer. a Igreja Católica do Renascimento estava demasiadamente imersa nos problemas seculares para promover uma expansão missionário tão grandiosa como a que se exigia. e igualmente quando se supõe que essa expansão foi desencadeado pelos jesuítas. A Companhia de Jesus não só apareceu mais tarde. depois de uma queixa contra ele feita por um comerciante muito importante. Foram as ordens religiosas que se propuseram a esse movimento missionário. em fins do século XV e começos do século XVI. por obra das ordens mendicantes. atacando um sistema colonial fundado na superposição de uma camada de senhores e na exploração do indígena. onde viveu até ao dia da sua morte. Já em 1511 abria-se o conflito entre missionários dominicanos e colonos. . Tendia a missão. a quem o fundador da Companhia havia jurado obediência absoluta. Basta-nos ver o exemplo de Cortês. em 8 de Maio de 1782. Coube à dos franciscanos a precedência sobre todas as outras. Consideravam-se mais necessários os trabalhos dos jesuítas dentro da própria Europa. para Pombal. inspirada num rigorismo ético. por mais que se quisesse. com a aquiescência do Papa. numa expedição orientada para combater os huguenotes franceses alojados na Flórida. portanto. oferecendo-se numerosos deles para predicar o Evangelho aos indígenas. representava sempre uma limitação aos propósitos predatórios e mercantis daqueles que viam o indígena meramente como força de trabalho a ser explorada. Não contaram. As notícias de muitos povos pagãos recém-descobertos despertaram o zelo apostólico entre os frades de toda a Europa.

tomou-se a mais importante e a que maior influência teve na vida colonial brasileira. dando-lhes combate e lançando as bases da Igreja romana. cifra muito alta se recordarmos as da população total da região. e por outro. Santa Fé. a uns 130 000 indígenas. chamado despótico-aldeão ou despótico-comunitário. Leonardo Nunes. que não formassem elas mesmas um alvo de cobiça dos colonizadores. tais eram as funções outorgadas às ordens religiosas. sem que se interpusesse a isso o empecilho da catequização. embora mantivessem certa comunicação entre si. Apesar de não ter sido a primeira ordem a aqui se instalar (aos franciscanos coube também no Brasil essa precedência). em regiões que não apresentavam atrativos de exploração imediata.senão que primeiro teve que fortalecer-se internamente e superar fortes resistências do governo espanhol. durante o século XVIII. do impacto conquistador-colonizador sobre a anterior estrutura produtiva indígena. Foram os jesuítas e capuchinhos os agentes por excelência dessa reconquista. construiu ou reconstruiu igrejas. Ligou-se a esse movimento um outro. que viera à frente dos demais. que. nas orlas da floresta amazônica e no interior da América do Sul. Para os jesuítas tanto tinha importância a conversão das almas quanto a utilização econômica daquela mão-deobra disponível. durante o reinado de D. e mantendo a vigilância sobre os colonos de forma a que não se desgarrassem dos preceitos católicos. pela quantidade de índios domesticados que aldeavam. O Sentido das Missões e da Catequese . particularmente à Campanha de Jesus. Corrientes. como unidades produtivas relativamente autárquicas. mas que ganhou novo ímpeto com a reação à Reforma protestante.A ação da Contra-reforma na Europa revestiu-se de dois aspectos principais: procurou por um lado reconquistar pelas armas os territórios protestantes. Junto com o primeiro governador-geral vieram para o Brasil os primeiros jesuítas: os padres Manuel da Nóbrega. de um modo específico. que pretendia não só a cristianização dos povos do Novo Mundo. João III. visando a reconquistar as almas onde a situação política o permitia. Isto permitiu que os "pueblos" funcionassem até à expulsão em 1768 . tornou-se Provincial com a fundação da província jesuítica brasileira. viviam totalmente separadas do resto da sociedade . ao passo que aos colonos não interessava mais que a exploração da força de trabalho indígena. o Estado brasileiro do Paraná e os departamentos de Artigas. Antônio Pires. Nóbrega. teve como fenômeno fundamental a recriação por parte do branco de uma comunidade indígena organizada em "pueblos" (aldeias) tendo em vista uma exploração mais racional da mão-de-obra índia. antes de poder cumprir sua grande obra de evangelização . As missões geralmente acompanharam as migrações dos indígenas à medida que estes fugiam dos principais centros de colonização. O que propunham os jesuítas na verdade. Com relação a suas características geográficas. e graças a ele puderam os jesuítas estabelecer-se na América portuguesa sem encontrar os impedimentos colocados aos jesuítas espanhóis por Filipe 11 e pelo Conselho das Índias. Os propósitos confessionais das ordens religiosas que se dirigiam às terras descobertas eram impregnados de ambições políticas. era uma forma "mais racional" de colonização em confronto com uma atitude puramente predatória dos colonos. Seus principais redutos localizaram-se no deserto do norte do México. impedir nelas a penetração das seitas "heréticas". Aspicuela Navarro. a Igreja romana empregou os métodos mais diversos: multiplicou as dioceses. O fato distintivo será a férrea condução dos sacerdotes jesuítas. universidades e colégios. ao mesmo tempo em que visavam realizar aqueles objetivos político-religiosos. Dessa forma fixaram-se principalmente no sertão. o que não quer dizer que estivessem isentas de investidos." Este modo de produção. a minuciosidade administrativa e organizativa da Companhia. onde a vitória militar lhe permitia. "Neste tipo de organização econômica se notam as conseqüências. sobretudo criou seminários. Trazer os povos das novas terras para o seio da Igreja Católica. que vinha há mais tempo." Em Portugal a Companhia de Jesus havia sido favorecido desde 1540. a difusão geográfica deste modo de produção foi bastante ampla. mais o zelo que em todo momento pôs essa instituição para evitar todo contato entre suas reduções e os espanhóis. Vale a pena citar um trecho de um estudo recente sobre o assunto: "Este modo de produção subsiste teve uma gravitação decisiva na extensa região que atualmente compreende a República do Paraguai. que se revelou o maior conflito com os colonos. Como se pode apreciar. procurou converter as massas protestantes por toda uma série de meios. abalado pela Reforma. grande parte das províncias argentinas de Missões. Em nome de intenções piedosas compunha-se a luta pela restauração do poder político da Igreja de Roma. Paissandu. em 1553. mas a "conquista dessas almas" para a Igreja Católica. chegou a compreender. tentando escapar da escravização a que os colonos os submetiam. Chaco e Formosa. Vicente Rodrigues e Diogo Jácome. Nesse segundo aspecto. Foi quanto ao primeiro particular. Pela forma com que se organizaram. Rio Negro e Tacuarembo na República Oriental do Uruguai. utilizando o fanático devotamente das ordens religiosas. apesar de mais condizentes com os termos da política mercantil. Salto. evoluíram como economias voltadas para a produção de excedentes comercializáveis pelos religiosos. a catequese.

Isso não se restringiu à Companhia de Jesus. era público e gratuito. a orientação e a administração. Metafísica e Matemática. não cuidaram esses colégios apenas da formação de missionários. sustentadas. Os mestres dos colégios ultramarinos. como acontecia em Portugal. porém. compreendiam os estudos gerais de Filosofia. a fim de permitir o estabelecimento de propriedades territoriais. internacionalista de tendência. . escrever. Já as superiores.O padrão para o ensino jesuítico em Portugal e nas terras descobertas na América. de fundação real. Paranaguá (1738). Santos. livre e desinteressada. sem preocupações profissionais. acompanhando a expansão dos trabalhos de catequese (entre 1548 e 1604 cerca de 28 expedições de missionários foram enviadas à colônia]. proibindo aos padres acrescentar qualquer forma de poder material ao religioso. No Brasil. cuja direção fora concedida à Companhia de Jesus em 1555. Física. Gramática. Desterro (1750). estabelecia o currículo. São Luís. e nos colégios. Tal fato não deixou de preocupar a Coroa. com duração de 6 anos. inspirada por uma ideologia religiosa. nessa cultura. A cultura "brasileira". formar sacerdotes para a catequese da nova terra. e a cuja base residiam as humanidades latinas e os comentários das obras de Aristóteles. Mesmo assim. por Leonardo Nunes. descontada sobre todos os dízimos e direitos da Coroa. Belém.. em 1564. Luís da Grã. de onde derivou a denominação "clássico" a tudo o que dissesse respeito à cultura de autores greco-latinos. vilas e cidades. de modo a preparar num futuro quem substituísse os padres enviados da metrópole. As classes inferiores. metade de manhã. Ilhéus (1604). uniforme em toda a extensão do território. não podia evidentemente ser chamada "nacional" senão no sentido quantitativo da palavra. compunham-se de Retórica. Os primeiros colégios fundados no Brasil foram os de São Vicente. Tratando-se de uma cultura neutra do ponto de vista nacional (mesmo português). isso não era suficiente para arcar com as despesas. Logo. ora 'Ludi-Magister' (mestre-escola). Já o Padre Manuel da Nóbrega utilizara-se deste pretexto perante o delegado da Companhia no Brasil. instituiu. abrangendo Lógica. escravos e bens materiais foi comum às outras ordens religiosas que para cá vieram." A organização do ensino jesuítico baseava-se no Ratio Studiorum. a título de "missões". inclusive com a utilização do braço escravo. a redízima. Ásia e África foi dado pelo Real Colégio das Artes de Coimbra. ou para simplesmente se instruírem. . quer dizer. impôs-se a necessidade de encontrar fontes de recursos para a manutenção de suas instituições. chamadas classes. outras 'Escola Elementar'. uma vasta rede de colégios espraiou-se pelo nosso litoral: São Paulo (1554). Tanto num grau como no outro todo estudo era vazado no Latim e Grego e no Vernáculo. as escolas intitulavam-se 'de ler. uma cultura nacional ainda em formação. católica. uma cultura especificamente brasileira. por Nóbrega. Paraíba. que por ele se formou e se difundiu nas elites coloniais. Humanidades.. O currículo dividia-se em duas seções distintas (inferiores e superiores). A Companhia tinha mesmo como dever o cumprimento do voto de pobreza. "Nas aldeias. estreitamente ligada à cultura européia. a fim de melhorar a situação. em contradição com o voto de pobreza. além da pura espoliação econômica. Sebastião. através das fontes próprias de subsistência: as missões. nas suas origens e nos seus produtos. Vigia (1731). ao mesmo tempo em que era um estatuto e o nome de seu sistema de ensino. metade de tarde. os colégios ou suas próprias propriedades particulares.branca. uma taxa especial para a Companhia. que foi reafirmado por uma determinação oficial de 1556. Entretanto.-é certo que essa mesma neutralidade (se nos colocarmos no ponto de vista qualitativo) nos impede de ver. Porém não devemos nos enganar sobre o sentido final dessa subtração de mãode-obra efetuada pelos jesuítas aos 'encomenderos'. na Idade Média. sem dúvida. Obviamente a organização jesuítica significou também para os indígenas um sistema de exploração.. com duração de 3 anos. pois ela tendia a espalhar sobre o conjunto do território e sobre todo o povo o seu colorido europeu: cultura importada em bloco do Ocidente. repartidas em duas partes iguais. o interesse pela propriedade. Estava aberta durante cinco horas diárias. na medida em que teve ela como resultado uma destruição quase total de seus valores culturais. Olinda (1576). com a qual se relacionavam economicamente apenas por meio da rede administrativa da Companhia de Jesus. no trabalho da evangelização. O sentido desse ensino Fernando de Azevedo descreveu-o bem: "Ensino destinado a formar uma cultura básica." O ensino jesuítico. Recife (1655). tanto em Portugal quanto no Brasil. o mestre ora se chamava 'Alphabetarius' (1615). e umas vezes se dizia 'Escola de Rudimentos'. e igual.. dado não haver um amparo direto da Coroa. . eram subsidiados pela Coroa." O Ensino Jesuítico . Neste sentido foi que D. ou para irem continuar o aprendizado em medicina ou direito na Universidade de Coimbra. mas abriram suas portas àqueles que buscavam o ensino em suas aulas públicas. Alcântara (1716). Moral.. e contar'. e o de Salvador. para a época. . Rio de Janeiro (1568). verdadeiras empresas agro-extrativas da Companhia. um dos mais altos estabelecimentos de ensino não superior do reino. solicitadas num sentido cristão. que. A importância da Companhia de Jesus para a cultura colonial foi no campo da educação.

A presença estrangeira no Brasil de protestantes. por crimes de bigamia e de "pecado nefando" (práticas sexuais consideradas anômalas). No Brasil não se chegou à fundação de tribunais inquisitoriais permanentes. por diminuírem. a vinda de um Visitador do Santo Ofício que cuidasse da grave situação. holandeses e franceses. sendo enviados para o reino a fim de serem julgados pelo Conselho do Santo Ofício. que se faça tudo com muita justificação pelo muito que importa à reputação e crédito do Santo Ofício e a honra e fazenda das ditas pessoas. Estes funcionários viajavam para os lugares onde eram exigidos e eram conhecidos como "Visitadores". cumprindo sua missão com tal exagero e prepotência que coube ao próprio Inquisidor-Geral e ao Conselho do Santo Ofício reprimir-lhe os excessos impondo moderação ao fanático Visitador: "Convém ter muita advertência nas prisões que fizer nas pessoas que hão de sair ao auto público. as quais depois de presas e sentenciadas não se lhe pode restituir o dano que se lhes der. e mais concretamente. Tais fatos levavam os inacianos a reclamar com insistência. uma vez longe da Inquisição. a tentativa de Villegaignon de fundar uma colônia no Rio de Janeiro com franceses calvinistas . para "atalhar este fogo da Heresia". . de forma a mantê-los dentro dos estritos preceitos da religião católica. presos. ou então. em conversas. tiveram seus bens confiscados. controlando os seus modos de vida e suas crenças. de seus atos de fé e queimadeiros. estão as inúmeras arbitrariedades contra os "cristãos-novos". Decidiu-se Lisboa a promover uma primeira visitação na colônia. Durante quatro anos percorreu as Capitanias da Bahia e Pernambuco. tanto combatendo as práticas tidas por pecaminosas como a penetração das seitas heréticas. acusados de praticar o judaísmo às escondidas. enviando Heitor Furtado de Mendonça. que chegou aqui em meados de 1591. tornava real a ameaça ao monolitismo católico que se pretendia assegurar na terra. junto à Companhia. alguns sofreram violências maiores. neste caso. Já no final do século XVI os jesuítas se ressentiam da liberalidade dos costumes demonstrada pelos colonos. como ingleses.Cabia também à Companhia de Jesus na colônia a vigilância sobre seus habitantes. o valor da Paixão de Cristo. chegando mesmo a haver sacrifício em fogueira pública." Muitos foram nas capitanias os acusados e condenados por blasfêmias.As Visitações . A Coroa limitava-se a enviar comissários especiais para a realização de processos por causa de fé. por atos heréticos que atingiam a autoridade da Igreja. que respiravam com alívio. Quantidades deles foram condenados a sair em "auto público" (para serem humilhados e esconjurados pelo populacho) sem serem ouvidos seus protestos de inocência.