NEGÓCIO EDUCAÇÃO

Por Mariana Branco

L

AUTONOMIA E LIDERANÇA

iderança é a capacidade de influenciar, motivar, integrar pessoas e grupos, para que todos trabalhem para os mesmos objetivos. É preciso que se consiga, entre os membros da equipe, o compartilhamento de ideias, valores e interesses canalizados para o mesmo resultado. Essa é a opinião de Márcia Regina do Carmo Claro Oliveira, mantenedora e gestora das unidades de Santos e Guarujá (SP) do Colégio Ômega. Para ela, os líderes que pensam grande são visionários. “Entre os educadores há reatores e atores: os reatores esperam os acontecimentos e os atores usam a imaginação, ou seja, dirigem e controlam os acontecimentos. O pensar grande precede à grande realização”, afirma Márcia Regina, que também estuda o tema Liderança nas Escolas. Veja, a seguir, outras orientações da gestora sobre liderança. Um líder é mestre em mudança Cabe ao gestor aceitar as mudanças, mesmo que, quase sempre, elas impliquem em abrir mão do passado, além de também ser capaz de “processar” as mudanças nos outros, acompanhando o crescimento da equipe. Um líder corre risco O risco pode induzir ao erro, mas o líder que tem a responsabilidade pelos erros e falhas ganha credibilidade. Além disso, o gestor precisa ajudar os outros a se arriscarem e, ao mesmo tempo, aceitar que as outras pessoas também podem cometer erros. Um líder sabe se comunicar Para o gestor se diferenciar, há a necessidade de promover uma comunicação eficiente, que aumente e melhore o relacionamento entre as pessoas. É o poder da comunicação que certamente aumenta a liderança.
Divulgação

COMO DISSEMINAR A CULTURA DE SEGURANÇA

N

a edição passada, esta seção da Gestão Educacional analisou a importância da cultura de segurança nas escolas. Desta vez, a pedagoga Yara Regina Gonçalves Dias, consultora em segurança com MBA em Gestão Estratégica de Segurança Empresarial, explica em detalhes como as instituições de ensino podem vencer as diversas barreiras que dificultam a disseminação da cultura de segurança. Ao final, Yara apresenta um checklist que pode ser usado para o gestor verificar se a sua escola está realmente segura. Gestão Educacional: É preciso fazer com que toda a comunidade escolar entenda que ela também faz parte da cultura de segurança? Como fazer isso? Yara Regina Gonçalves Dias: Conscientizando as pessoas e as chamando para esta “batalha”. Aliás, esta é a minha maior luta hoje em dia: conscientizar as pessoas de que segurança não se faz só com homens de preto usando rádios-comunicadores e falando em código, ou policiais na porta da instituição de ensino. Segurança é um processo do qual todos fazem parte, sobretudo nas instituições de ensino; ela se faz com interação, inteligência e estratégia. Gestão Educacional: De que forma a escola pode disseminar a cultura de segurança? Yara Regina: Treinamentos e

Márcia Regina do Carmo Claro Oliveira: “O líder que tem a responsabilidade pelos erros e falhas ganha credibilidade”

cursos de capacitação em segurança com foco em instituições de ensino são fundamentais. É necessário, ainda, que se divulguem as informações sobre os procedimentos de segurança para que estes sejam seguidos também pelos pais. E a elaboração de campanhas de endomarketing para primeiro empenharmos os funcionários da instituição também são outra ótima opção. Além disso, ter uma gestão democrática e com foco na qualidade é outro ponto importante. A instituição de ensino deve ter um canal de comunicação aberto e ágil para responder aos questionamentos dos pais e alunos, seja pessoalmente ou por e-mail. O que deve ficar claro é que não devemos deixar ninguém sem a resolução de seu problema. Muitas vezes, por esta “falta de conversa”, acabamos por presenciar animosidades no ambiente escolar em qualquer um dos níveis de ensino. Palestras, fóruns e grupos de discussão sobre os assuntos que mais causam problema no ambiente escolar também são interessantes como forma de socializar as informações. Não adianta enviar no começo do ano um comunicado explicando como a escola segue os procedimentos ou como é o regimento interno se de tempos em tempos não reavivarmos o que foi elaborado e não revermos nossa realidade para adaptar o que não está funcionando bem.

12

GESTÃO Educacional® maio de 2012

PARA ASSINAR: www.gestaoeducacional.com.br

Faça o checklist Verifique se a sua escola está realmente segura. Em ordem de prioridade, veja o que deve ser observado:
Divulgação

Yara Regina Gonçalves Dias: “Segurança se faz com interação, inteligência e estratégia”

Gestão Educacional: Quais as principais dificuldades para se realizar esse trabalho? Yara Regina: Entendo que o maior problema seja o empenho das pessoas que trabalham naquela instituição. As pessoas acreditam no mito de que “Isto nunca acontece aqui!”. Outras pensam “O problema é da segurança e quando acontecer eles resolvem”, quando na verdade não é assim, pois todos são agentes da segurança, todos têm seu papel na grande engrenagem que é a segurança. Em seguida, a falta de comprometimento de muitos pais que entendem que procedimentos de segurança são formas de burocratizar a entrada, saída e permanência do aluno na escola. A única saída para resolver o problema é que as pessoas entendam que é fundamental uma postura ética, transparente e de respeito às regras da instituição, ou seja, conscientização é fundamental!

Temos planejamento de segurança? Temos um manual de procedimentos impresso? Todos os funcionários têm acesso a ele? Como é controlado o acesso à instituição de ensino? Há controle rigoroso? Abrimos exceções? Quais meios usamos para controlar o acesso? Como está o regimento interno da instituição? Ele é claro quanto a direitos e deveres de pais, alunos, professores e demais profissionais da instituição? O documento é entregue a todos no início do ano? Está disponível para consulta? Como reavivamos a necessidade de seguir o que manda o regimento no decorrer do ano letivo? Como é a gestão da instituição? Ela é democrática e acessível ou autoritária? Como é a postura de nossos professores e coordenadores? Eles são reflexivos e abertos ao diálogo? Levam em consideração os questionamentos dos alunos ou os ignoram? No horário de entrada, saída e lanche, quem monitora as áreas comuns da instituição de ensino? Há coordenadores ou supervisores circulando nos pátios? Há inspetores? Estes têm treinamento em gestão de crises no ambiente escolar? Escalonamos entrada, saída e lanche de acordo com faixa etária ou todos entram e saem na mesma hora? Nos últimos seis meses, fizemos treinamento para evacuação de instalações? Nos últimos seis meses, os funcionários que fazem a segurança da instituição de ensino fizeram algum curso ou assistiram palestras com Na próxima edição:

foco na segurança de instituições de ensino (tanto a segurança orgânica quanto a terceirizada)? Nos últimos seis meses, os professores e coordenadores fizeram algum curso ou assistiram palestras com foco na segurança de instituições de ensino? Fazemos periodicamente palestras com foco específico nos professores, coordenadores, pais e alunos sobre violência no ambiente escolar, sobre os temas bullying e ciberbullying, por exemplo? Como são os procedimentos no estacionamento da instituição? Quantas pessoas estão lá nos horários de pico para organizar o trânsito? Somos muito permissivos abrindo espaços para estacionamento em locais proibidos ou seguimos sempre a regra? Após o horário de saída dos alunos, fazemos vistoria nas salas de aulas, quadras, ginásios e banheiros para checar se realmente estão vazios? Temos equipamentos de segurança eletrônica e proteção perimetral? Se sim, de qual tipo? Estão posicionados corretamente? A manutenção está em dia? Eles foram indicados por um consultor de segurança especialista com base em um diagnóstico de segurança ou adquiridos de uma empresa que vende produtos para circuito fechado de televisão? Há câmeras? Quem as monitora? Há sistema de gravação de imagens? De quanto em quanto tempo fazemos backup desses arquivos? Onde este material está armazenado? Está em local seguro?

Conheça as principais falhas nos sistemas de segurança das escolas. 13

PARA ASSINAR: www.gestaoeducacional.com.br

GESTÃO Educacional® maio 2012