Casa do Alentejo...

5 6 8

Camões fora do local

JORNAL DE GRANDE CIRCULAÇÃO NO ONTÁRIO
PORTUGAL MAIS PERTO

...mais rica

Lusitânia rumo ao Futuro

PORTUGUESE CANADIAN NEWSPAPER
Segunda-feira, 18 de Março 2013 Ano III N.º144 www.pcnewsnetwork.com
DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

Toronto viu passar “devotos” de St. Patrick

10

Luso-Can em festa

“Irreversível” o descongelar dos glaciares Canadianos
Segundo um estudo agora publicado, é “irreversível” o descongelar perene de muitos dos glaciares Canadianos. As geleiras no Ártico canadiano representa o maior repositório de água congelada no planeta - depois da Antártida e da Groenlândia - e um novo estudo sugere que estes glaciares enfrentam um degelo irreversível devido às mudanças climáticas. Ou, como alguns sustentam, originando essas mesmas mudanças.

Vamos ajudar 21 o pequeno Tristen

Rende um milhão

4

Carla Tavares
Mortgage Planner
Lic # M090000105

Cell: 647-283-6737
Hipotecas ... Obtenha uma segunda Opinião!
Longtime Friends Serving ...Longtime Customers Peel Region: 14 Queen Street South – Mississauga – On – L5W 1S6 GTA : 2888 Dufferin Street – Toronto – On – M6B 3S6

2 . Nossa gente / Editorial

O que esperar...?
Pedro Jorge Costa B. de Barros pedrojorgeri@gmail.com
Na semana que passou ficamos a conhecer o rosto do novo Papa. Pessoalmente eu não fiquei espantado de ter demorado pouco tempo na escolha. Os cardiais, depois de considerarem as suas opções, e de ou não ouvirem os fieis e os criticos, tomaram uma decisao. Essa decisão, que já não importa, pois já temos Papa, vai influenciar a igreja nas próximas décadas. No ainda jovem seculo XXI, o mundo conheceu um novo Papa. Este é o primeiro homem da América Latina a ocupar o lugar, algo que não deve deixar de ser tido em conta. Alguns fieis, mas essencialmente os meios de comunicação, dizem que estamos na altura de um novo concilio. Não sei se é verdade, não tenho a sapiência para me pronunciar sobre isso, mas o ultimo decorreu há menos de 100 anos, nos anos de 1960s o segundo concilio do Vaticano. Deste Papa muito se espera. Contudo, temos de entender o mundo em que vivemos, um mundo global onde o valor do ouro foi substituido pelo valor da informação. Neste mundo, os assuntos de uma igreja não são apenas assuntos dos fiéis. Os assuntos são agora assuntos de toda uma comunidade global. Se é certo ou errado, não será nem aqui, nem agora que se vai tratar disso. Eu fico sim e feliz pelo facto do processo ter decorrido de forma rapida e serena. Tambem fico feliz por centenas de milhões terem aplaudido a escolha. Agora muito trabalho há a fazer. E sobre este assunto voltaremos a falar. ATÉ PARA A SEMANA.

Uma luz de esperança acende-se no mundo
A eleição do Cardeal Bergoglio marca a abertura de uma nova era para o mundo. Francisco foi o nome escolhido e que evoca fraternidade, pobreza, simplicidade, humildade, amor a Deus, à natureza e às criaturas. Um nome capaz de transmitir ao mundo a mensagem de esperança e de grande e necessidade da renovação da Igreja. A Igreja Católica precisa de transformação e de mudanças tranquilas e serenas, de busca das raízes e fontes do Evangelho, de diálogo entre os povos, culturas e religiões e do exercício do poder como serviço como legado cristão por execlência.

18 Março 2013

António Pedro Costa Ponta Delgada

preocupação pelas causas sociais, dedicando-se a ações de evangelização junto dos bairros mais pobres. O facto de deixar os aposentos sumptuosos do Palácio Episcopal em Buenos aires e viver num apartamento reduzido, de evitar viajar em viaturas oficiais e usar o metropolitano e o autocarro nas suas deslocações, mostram bem o seu carácter simples e humilde. O Papa Francisco é considerado um intelectual moderado e um académico mas não teórico, e apreciado como um verdadeiro líder na América Latina, a região do mundo com a maior percentagem de católicos. O novo Papa tem uma noção muito própria de pobreza, dando-se como exemplo o facto de quando ele foi nomeado cardeal, convenceu centenas de argentinos a não o acompanharem a Roma para celebrar a ordem cardinalícia e, em vez disso, incitouos a doarem esse dinheiro aos pobres. Este gesto simbólico volta a constituir um apelo veemente, pois já pediu aos católicos do seu país para doarem o valor do custo da deslocação ao Vaticano a algumas instituições de solidariedade. O ex-Cardeal Bergoglio teve um papel fundamental na modernização da Igreja da Argentina, embora apesar de moderado e flexível, as suas posições doutrinais e espirituais vão ao encontro dos legados de João Paulo II e Bento XVI, gozando de grande prestígio entre os seus seguidores, que apreciam a sua total disponibilidade e a sua forma vida, longe de qualquer ostentação. Foi comovedor ver o Papa escapar um sinal de proximidade com o povo: inclinou-se para pedir à multidão que orasse pelo seu pontificado. Habemus Papam.

O Papa Francisco é o pontifício 266º e trouxe consigo, desde o primeiro minuto que apareceu na varanda central da Basílica de S. Pedro, uma imensidade de detalhes importantes, destacando-se desde logo o facto de ser o 1º latino-americano, vindo do fim do mundo, como ele próprio declarou. Trata-se de uma novidade, já que também é o primeiro a utilizar o nome Francisco e o primeiro jesuíta a sentar-se na Cadeira de S. Pedro. O mundo novo que milhões de católicos estão à espera, com este pontificado, passa necessariamente por uma igreja renovada e aberta aos nossos tempos, e depositam grande esperança nas mãos do Papa Francisco. Ele representa a expectativa de uma nova era, para o catolicismo e para o mundo, neste pontificado que começa oficialmente, hoje 19 de março, de 2013, dia de S. José. Tido como um homem de fé, que esta Igreja tanto precisa para conseguir ultrapassar os desafios que tem atualmente pela frente, pois enquanto ele foi arcebispo no seu país aproximavase das pessoas, sobretudo dos mais necessitados e demonstrava

Ao ponto a que nós chegámos…
A última história portuguesa que se tornou viral nas redes sociais e que está a comover Portugal tem a ver com um triste episódio de furto de alimentos… para alimentar os filhos. Em determinado dia, durante o mês que está a decorrer, foi a polícia solicitada para um supermercado sito na cidade do Porto. Chegados ao dito supermercado, foram os elementos policiais informados pelo vigilante do estabelecimento que determinada pessoa tinha sido travada à saída na posse de artigos furtados. Questionado sobre a tipologia dos artigos furtados, a gerente do supermercado e o vigilante referiram tratar-se de 4 iogurtes, 6 pães e 2 pacotes de leite. Os agentes, dirigiram-se então ao autor do acto ilícito e este, a chorar compulsivamente, lá foi dizendo que, tanto ele como a esposa, estão desempregados, têm 2 crianças em casa e nem leite tinha para lhes dar. Este acto visava apenas levar pão à boca dos seus filhos que ainda não tinham comido nada durante todo o dia. De volta à gerente, esta, depois de passar os artigos pela caixa, lá mostrou o talão, com um valor monetário pouco acima dos 4 euros. Nesse momento, o agente, tirou dinheiro do bolso, perguntou se a casa aceitava o pagamento e após este ter sido efectuado ainda questionou se pretendiam procedimento criminal. Uma vez que os artigos estavam pagos e nada mais restava a fazer, foi o autor do furto chamado à parte, onde lavado em lágrimas, ouviu o conselho de que pedir não é crime, pedir é ser humilde e que se for detido, com toda a certeza, não vai conseguir levar seja o que for para a boca dos filhos. “Não volte a furtar mais nada pois para a próxima pode não ter a sorte que teve hoje”, aconselhou-o no final o agente, mandando-o, de seguida, embora com os iogurtes, o pão e o leite. Cristina Alves jornalista (Lisboa) Existem Homens assim nestas fileiras que dia após dia, noite após noite presenciam homens, mulheres e crianças com fome, sem nada para comer, que o último recurso é pedir ou furtar. Note-se que não estou a falar de criminosos, de delinquentes que passam os seus dias a mandriar, a viver à custa de RSI (Rendimento Social de Inserção), estou a falar de pessoas de bem, que sempre trabalharam, sempre pagaram os seus impostos e que agora se vêem privados de tudo e incapazes sequer de alimentar os seus filhos. E assim se vive actualmente em Portugal, num país que está a ser conduzido para o abismo por uma geração de políticos entroykados…

Propriedade:

Ficha técnica

ABC Portuguese Canadian Newspaper Ltd
Conselho Empresarial: Fernando Cruz Gomes, Presidente; Paulo Fernando, Vice-Presidente; Carlo Miguel, Tesoureiro; e Lara Ingrid, Secretária.

Director: Fernando Cruz Gomes Redacção e Cronistas:

António Pedro Costa (Ponta Delgada), António dos Santos Vicente, Carlo Miguel, Conceição Baptista, Cristina Alves (Lisboa), Custódio António Barros, Edgar Quinquino (Hamilton), Fernando Cruz Gomes, Fernando Jorge, Filipe Ribeiro (ABC Turismo), Guida Micael, Helder Freire (Lisboa), Humberto Costa (Luanda), Lara Ingrid, Luis Esgáio, Luky Pedro ,Maria João Rafael (Lisboa), Pedro Jorge Costa Baptista, Sérgio Alexandre, Sónia Catarina Micael.

Cambio

Secretária de Redacção:
Sérgio Alexandre

Chefe Gráfico:

Lara Ingrid

Telefones: 416 995-9904 * 647 962-6568 * 416 828 6568. E-mail: admin@abcpcn.com director@abcpcn.com advertising@abcpcn.com
725 College St. PO Box 31064 TORONTO ON M6G 1C0

18 Março 2013 EDITORIAL * O Papa do fim do mundo
O Papa. Falemos do Papa. Francisco Primeiro, o Papa “do fim do Mundo”, como a si próprio se chamou, chorou há oito anos para não ser eleito. De facto, já poderia ter sido sumo pontífice, em 2005, quando foi o segundo mais votado no conclave que elegeu Bento XVI. À data, Jorge Bergoglio pediu, em lágrimas, que não o escolhessem. Humildade. Sabedoria. Foi o primeiro Jesuita (por norma os Jesuitas são demasiadamente estudiosos) a ser eleito. A partir da varanda da Basílica, convidou os fiéis “a tomarem o caminho da fraternidade e do amor”. E antes de lançar a bênção “urbi et orbi”, pediu à massa humana congregada na praça: “Rezem por mim e dêem-me a vossa bênção”.

Material Editorial . 3
Bergoglio viajava de autocarro e tem uma visão prática da pobreza. Nomeado Cardeal, pediu aos argentinos para não irem a Roma. Em vez de irem ao Vaticano, pediu que dessem o dinheiro da viagem aos pobres. Recorda-se, agora, que Francisco Primeiro foi um dos mais ferozes opositores a certas leis que as autoridades argentinas levavam a cabo. Para ele, “o aborto nunca é solução. Ao falar de uma mãe grávida, falamos de duas vidas e ambas devem ser preservadas e respeitadas, pois a vida é de um valor absoluto”. O novo Papa é um reconhecido adepto de futebol e manifestou por diversas ocasiões ser seguidor do San Lorenzo de Almagro, tendo celebrado mesmo a Eucaristia que assinalou os cem anos do clube. Falando no dinheiro, o então Cardeal acentuava que “o império do dinheiro, com os seus efeitos demoníacos como as drogas, a corrupção, o tráfico de pessoas (incluindo de crianças), juntamente com a miséria material e moral são frequentes”. Para ele “a escravidão está ainda na ordem do dia. O que é facto é que, para o agora Papa, “a destruição do trabalho digno, as emigrações dolorosas e a falta de um futuro também se unem nesta sinfonia”. É – ou pelo menos era - um lutador contra as injustiças. “A distribuição desigual de bens continua, criando uma situação de pecado social que clama aos céus e limita as possibilidades de uma vida mais plena para muitos dos nossos irmãos”. Palavras. Emoções. O novo Papa parece disposto a dar o seu contributo para uma Igreja mais de acordo com os ditames de Cristo. Escolheu o nome do “Poverello” e está directa ou indirectamente ligado a nomes que dizem muito aos Portugueses, como é o caso de Francisco Xavier e Inácio de Loyola. É esperar para ver a sua acção.

a t n Co ente r r o C
Segunda-feira Pela surra

Helder Freire Jornalista(Lisboa)

Uma das medidas que causou, na altura acesa polémica, foi o corte no número de fundações que beneficiavam de dinheiros públicos. Feitas as contas, sabe-se agora que há 1180 administradores num universo de 213 fundações que surgiram como cogumelos. Neste levantamento foram ainda detectados 748 titulares de cargos em órgãos de fiscalização. O universo avaliado representava 25 138 colaboradores, dos quais 3,8% desempenhavam cargos dirigentes. Não se sabe que tipo de poupança o Estado fez com a eliminação de algumas delas, mas nota-se, à vista desarmada, que aqui havia marosca e da grande. Então há mais de 25.000 colaboradores nas fundações e na maior parte delas, ninguém sabe para que servem? Eis um exemplo de um a boa medida. Mas resta saber quem e porquê, licenciou isto tudo pela surra

Para o ministro, foi o trabalho efetuado até agora pelo Governo que permitiu manter o SNS: Se não tivessem sido adotadas as medidas de emergência logo em 2011, a sustentabilidade do SNS não estaria assegurada no curto prazo. Conseguimos a sustentabilidade no curto e médio prazo, mas ainda não no longo prazo. O Serviço Nacional de Saúde tem sido, desde o 25 de Abril, a bandeira com a qual Portugal se tem apresentado ao mundo como um país moderno e inovador. A sua sustentabilidade é portanto um preceito constitucional a crédito do PS que não quer nem ouvir falar na sua diminuição, muito menos no risco de este ser posto em causa. Mas, para alguns observadores e profissionais da saúde, a exiguidade de verbas para fazer funcionar o sistema, põe em causa, não só a qualidade dos cuidados médicos prestados aos portugueses, com poderá fazer disparar, as taxas de mortalidade infantil e regredir a própria esperança de vida dos cidadãos.

que admitem que a dívida nunca será paga sem um perdão. Os portugueses estão exaustos e agora, mais estas medidas e alongamentos dos prazos, batem no osso, uma vez que a carne já se foi.

Sábado Atração do abismo
No final de quase três semanas de negociações, troika e Governo reviram quase todos os objectivos para o programa português. A economia vai cair mais, reconhecem, e por isso terá de haver mais margem para deixar subir mais os défices. Questionado por um jornalista sobre se reconhecia algum erro na forma como o Governo e a troika definiram a estratégia de ajustamento para Portugal e a passaram à prática, Vítor Gaspar não foi capaz de identificar um. Preferiu falar antes de um “grande desapontamento”: a subida do desemprego. Mas se há coisa que é difícil ao olhar para os resultados da sétima avaliação da troika a Portugal, apresentados na sexta-feira, é deixar de ver erros, erros de previsão. O governo não acertou, até hoje, nenhuma das previsões e, de reforma em reforma, limita-se a apresentar aos portugueses, a conta-gotas, mas com uma regularidade inquietante, cenários cada vez mais negros. É a luz ao fundo do túnel, que não se vislumbra. Caminhamos, nem sequer alegremente, mas com segurança, para o abismo.

Quinta-feira A crise e o suicídio
Portugal é o terceiro país da Europa onde o suicídio mais cresceu nos últimos 15 anos. No nosso país, as doenças mentais comuns afetam quase 23 por cento dos portugueses adultos (mais de dois milhões por ano) e a depressão afeta 7,9% dos adultos (400 mil pessoas), sendo o suicídio uma complicação médica resultante destas perturbações mentais, em particular da depressão. Esta situação preocupante, reflete a situação e desespero provocada pela crise e que está a levar ao esgotamento muitas famílias, sobretudo devido ao peso dos impostos, ao desemprego e aos cortes nos salários e pensões. Ainda há dias, foi notícia em vários meios de comunicação social, o suicídio de um jovem pai que se atirou a um poço, levando consigo um filho de tenra idade. O homem estava desempregado e não resistiu à pressão, cometendo este ato de desespero.

Terça-feira A vez da indignação
Em tempos, Mário Soares lançou o grito, garantindo que os portugueses têm direito à indignação. Agora, sessenta personalidades de diferentes quadrantes políticos e profissões, como economia, ensino, arquitetura, advocacia ou investigação subscrevem um manifesto no qual defendem a reconstrução de um regime democrático e o fim da concentração do poder político nos partidos. Os subscritores começam por chamar a atenção para a tragédia social, económica e financeira a que vários governos conduziram o país e para um executivo que governa sem grandeza, sem ética e sem sentido de Estado. No manifesto, os signatários dizem ser urgente mudar Portugal, dando conteúdo positivo à revolta e à crescente indignação dos portugueses, demonstrada através das manifestações dos últimos meses. Passo a passo, está assim a construir-se uma opinião pública exterior aos partidos políticos que perdem adeptos em Portugal, em favor de organizações supra partidárias e outras inorgânicas que através das redes sociais têm conseguido congregar as maiores manifestações populares de indignação contra as medias de austeridade impostas pela troika e executadas de uma forma cega pelo governo.

Domingo Bancarrota
O ex-ministro da Economia Daniel Bessa defendeu neste domingo uma solução governativa que inclua o Partido Socialista, afirmando que esse pode ser um contributo para evitar a bancarrota de Portugal. «O que estou a propor (envolvimento do PS no Governo) parece-me ser um contributo para evitar esse momento de anúncio de bancarrota, disse. Porque há uma coisa que os portugueses têm de saber. É que, se esse momento chegar, será muito pior do que aquilo que vivemos hoje. Quem vende o incumprimento da dívida como uma salvação está também a vender uma ilusão. Ninguém julgue que Portugal sai incólume e sem uma penalização muito maior do que temos hoje se tiver de chegar ao incumprimento assumido», disse Daniel Bessa. São muito graves estas palavras do economista próximo do PS. Mas parece que os políticos, incluindo o Presidente da República, não entendem onde a falta de consenso nos pode levar. Com efeito, sobem cada mais de tom, as críticas dos socialistas a esta governação e, por outro lado, o governo teima em não envolver o PS, nas principais medidas que tem de tomar e que afetam todos os portugueses. Com as portas cada vez mais fechadas e com a subida de tom da contestação nas ruas, não se aguardam boas notícias para os próximos tempos.

Sexta-feira No osso
O secretário de Estado Carlos Moedas disse, numa conferência de imprensa, que os cortes estruturais de quatro mil milhões de euros vão ser feitos durante mais um ano, até 2015. Já para este ano, o Governo quer reduzir adicionalmente a despesa pública em 500 milhões de euros através de cortes sectoriais e rescisões por mútuo acordo com os funcionários públicos, revelou o secretário de Estado. As rescisões amigáveis com os funcionários públicos vão iniciar-se ainda em 2013, esperando o Governo que contribuam para parte das poupanças de 500 milhões de euros, associadas à reforma do Estado que se pretende realizar em 2013, mas as medidas de austeridade em vigor, como o corte de salários e pensões e o aumento de impostos, mantêm-se até 2015. Ou seja, a austeridade vai continuar muito para além da troika e não se sabe quando poderá ser aliviado o sacrifício imposto aos portugueses, havendo alguns observadores,

Quarta-feira Vidas em perigo
A sustentabilidade económica do SNS a longo prazo, além de 2015, não está garantida, e por isso é necessário avançar com reformas adicionais, afirmou Paulo Macedo, durante a apresentação do estudo O Setor da Saúde: Da Racionalização à Excelência.

4 . Comunidades

Bieber rende um milhão em Lisboa *Cantor correspondeu às expectativas e levou
fãs portugueses ao delírio.
Conta o “Correio da Manhã”, de Lisboa, que, se estava cansado não se notou: Justin Bieber entrou em cena, segunda-feira, no Pavilhão Atlântico, em Lisboa, de forma triunfal, descendo até ao palco por um cabo de aço, vestido de branco e com umas enormes asas, para arrancar o concerto a cantar e a dançar como se não houvesse amanhã. O espetáculo, que, com bilhetes entre os 40 e os 65 euros, estima-se ter rendido cerca de um milhão de euros, foi acolhido por mais de 18 mil fãs em euforia absoluta, ao que o canadiano correspondeu prometendo - e realizando - um “espetáculo único”. Elogiou a beleza das raparigas, tocou na mão de algumas, cantou-lhes uma serenata do alto de um guindaste e foi ao ponto de levar uma fã para o palco embora não conseguisse pronunciar-lhe o nome. Apesar de protagonizar um show impressionante a nível estético (com jogo de luzes e fogo de artifício), o que mais pareceu excitar as fãs foi mesmo a presença do jovem ídolo. Cada vez que Bieber tirava um casaco ou olhava mais demoradamente para o público o resultado era um coro de gritos que atingiam decibéis impressionantes. Algumas fãs chegaram a lacrimejar quando cantou ‘As Long as You Love Me’. Bieber encerrou o concerto com dois temas de encore.

18 Março 2013

É de carro Que vem? A pé?! Pare No

Porto Novo
Verá que vale a pena!

A DIFERENÇA QUE CONTA
1474 St Clair Av W 416 652 7777

Estamos em todo o lado a acompanhar o dia-a-dia das comunidades

E o busto de Camões?

18 Março 2013

Comunidade . 5 “Amadurecimento financeiro”?

Conversa puxa conversa, fomos chegando à conclusão de que há a ideia de tirar o busto de Camões daquela zona fronteira ao edifício, passando-o para outro local, na zona do prédio, dando-lhe até outras honras e outra dignidade. Chegam mesmo a dizer-nos que o passo seguinte será como que dar maior ânimo ao programa dos 60 anos da Emigração Portuguesa no Canadá. Tudo visto, chega a parecer que se trata – ou se tratou, se quiserem... – de uma falta de comunicação. Por muito que o busto seja deste ou daquele, por muito que um vereador esteja mesmo a acompanhar a ideia... ninguém pode esquecer que o busto é principalmente um marco da Pátria Portuguesa. É, afinal, algo que nos acenava sempre que ali passávamos. Escondê-lo da zona principal da área, tirá-lo da College... parece-nos pouco digno. Mais do que isso, não entendemos – cada vez entendemos menos... – que se faça toda a mudança e se estude uma nova localização nas costas do público em geral. Que ninguém tenha dito à Informação comunitária. Que não houvesse uma palavra a explicar as razões. Nós, infelizmente, não sabíamos – não sabemos ainda – a resposta a dar aos que nos faziam a pergunta. Foi, pelo menos, imprudência dos que decidiram... a mudança, se é que de mudança se trata. Ignorar a comunidade... é mau! Já depois desta nota ter sido dada também na CIRV Radio, chegounos às mãos um comunicado de um Comité do Espaço Praceta Camões – assim mesmo – dizendo que iniciou trabalhos de reconstrução e revitalização na Praceta. Diz-nos, entretanto, que o busto de Luis Vaz de Camões “foi temporariamente removido para evitar que sofra danos durante o período de obras em curso. O busto será reinstalado antes ou até o dia 2 de Junho do ano corrente. Nunca mais tarde”. Assina a nota Manuel DaCosta. Assim sendo, e se assim é, percebe-se mal por que é que, atempadamente, não foi avisado o público em geral.

Canadianos têm mais dinheiro

O “património líquido doméstico” dos Canadianos atingiu uma alta recorde no quarto trimestre de 2012, impulsionada pelo aumento dos preços domésticos e cargas de estabilização da dívida, que os economistas dizem que é um sinal de” amadurecimento financeiro. “ O valor de mercado do patrimônio líquido do agregado familiar canadiano aumentou 1,4 por cento, de acordo com uma análise dos últimos dados da Statistics Canada, divulgados sexta-feira. “Isso representa o mais alto nível de valor agregado líquido no registo”, disse a economista Laura Cooper. Cooper observou que o ganho de património líquido refletiu o aumento de 108 biliões em valores ativos domésticos (subindo para 8,7 triliões), parcialmente compensado pelo aumento de 14 biliões nos passivos domésticos. O valor per capita foi de 199.700 no trimestre, o que era acima de $ 197.400 no trimestre anterior, também uma alta de todos os tempos, disse Cooper. Enquanto os canadianos “rácio dívida-renda” tiveram um recorde de 165 por cento no quarto trimestre, e da dívida das famílias cresceu 5,5 por cento no período de outubro a dezembro-, foi o ritmo mais lento registado desde 2002. “Os preços das casas não caíram, os mercados financeiros subiram e os empréstimos estão a abrandar”, disse Benjamin Tal, economistachefe adjunto do CIBC World Markets Inc. De qualquer modo, o nível de endividamento das famílias continua a ser uma preocupação no Canadá, mas o economista do TD, Jonathan Bendiner, observou que o crescimento moderado, ao longo dos últimos trimestres, parece ser para “incentivar e - ressalta o Banco - dizer que as famílias estão a gerir as suas vidas com mais moderação.” “Os preços mais altos para muitos ativos fez o avanço”, disse StatsCan no seu relatório. “A diminuição do endividamento líquido do Canadá aos estrangeiros também contribuiu para os ganhos no patrimônio líquido nacional”. “A economia canadiana está a olhar para o setor empresarial como um pilar de força em 2013 e usar a sua posição de saudável equilíbrio para aumentar os gastos com investimentos e contratação”, disse Bendiner.

Para nós, o busto de Camões é um dos símbolos da Pátria. Por cá, nas ruas mais nossas (digamos assim...) aquele busto postado na College, mesmo ao lado do prédio que foi sede do First Portuguese, era esse símbolo. Um símbolo onde, por norma, nas celebrações do “10 de Junho” a Comunidade, através dos seus clubes e associações, ali se reunia. Ali cantava as virtualidades da Pátria. Ali enaltecia o Poeta maior da Lusitanidade, Luis Vaz de Camões. Há dias, porém, o busto desapareceu do local. Quando por lá passámos, estava por lá, apenas e só, a peanha. E mesmo essa picada pelo camartelo. Como que a dizer-nos que o monumento vai sair dali, que não haverá mais, naquela área da College Street (uma das nossas ruas, digamos), o busto ali postado, há umas quantas décadas. Oferecido por um dos pioneiros – ou quase pioneiro – Frank Silva, que o doou, afinal, à sede do primeiro clube das comunidades e, por ele, à comunidade e à cidade de Toronto. Ninguém dizendo nada à Informação,chegámos a pensar que seria algo parecido com vandalismo, tanto mais que a primeira pessoa a avisar-nos dizia mesmo que “estavam a destruir o monumento”.

Graciosa Community Centre com sala cheia
Casa cheia no Graciosa Community Centre, facto que tem tem sido apanagio da associacao lusa localizada no 279 da Dovercort Road, perto da Dundas. Aquela casa acolheu mais uma matanca do porto, realizada no passado sabado, com socios e amigos a fazerem que a sala ficasse pequena, tal foi a boa adesão, um factor positivo para criar um ambiente ainda de maior confraternização e de amizade. O novo presidente da direção, Fernando Espinola, referiu durante a iniciativa, em declaracoes a ABC, que “esta matança do porco é já uma tradição, duas vezes por ano, há já 32 anos de casa”. Este tipo de eventos, nomeadamente jantares que decorrem quase todos os sabados, permitem que o Graciosa “mantenha as suas portas abertas”, pois tem “bastantes despesas”.

Acidente mortal de trabalho
Um operário da construção civil, Mark Norman, membro do Sewer & Watermain Sector, faleceu, na terça-feira, devido a um acidente no local de trabalho, em Toronto. No início, pensava-se que a vítima era de nacionalidade portuguesa, mas as autoridades já rectificaram essa informação. Tony Vella, um dos porta-vozes da polícia de Toronto, disse que a maioria dos operários no estaleiro eram portugueses, tendo sido mesmo necessário enviar um tradutor para o local, mas que a vítima era de outra nacionalidade. O acidente ocorreu, terça-feira, perto das 11:45 horas, quando parte da estrada em que o operário trabalhava sofreu uma derrocada. O homem morreu no local do acidente e o Ministério do Trabalho canadiano está a investigar as circunstâncias da morte, adiantou o portavoz policial. O trabalhador terá caído duma altura de cerca de quatro metros, ficando preso debaixo de uma placa de cimento, adiantou a mesma fonte. Os serviços de emergência deslocaram meios para o local para tentar removê-lo, mas sem sucesso. O inditoso trabalhador em causa era casado com uma cidadã de origem portuguesa. Tanto quanto sabemos, a Direcção Executiva da Local 183 está a acompanhar a família de Mark Norman, a quem, de resto, apresenta sentidas condolências, convidando mesmo membros e comunidade em geral a acompanhar os serviços fúnebres que hoje terão lugar. Já ontem e hoje houve visitas no Glen Oaks Memorial, no 3164 Ninth Line, em Oakville. A Missa de Funeral ocorre, hoje, à 1 hora da tarde, na capela do Glen Oaks Memorial. À família enlutada, ABC apresenta condolências.

Em termos de objectivos, para este mandato, o elenco “pretende manter a tradição criada pelos mais antigos, mantendo as portas abertas do Graciosa Community Center, o melhor possivel, da melhor maneira”. No proximo dia 6 de Abril, havera mais um evento,com a colectividade a comemorar mais um aniversario.

Um Jantar de Gala na Casa do Alentejo que está mais “rica”

6. Comunidades

18 Março 2013

Foi um Jantar de Gala. Daqueles que marca um aniversário... que vale bem a pena ser enaltecido. É que nestes 30 anos, a Casa do Alentejo marcou bem o seu percurso neste emaranhado da vida associativa. Contam-se, de vez em quando, os muitos passos em frente dados, nesta comunidade, e por esta comunidade... mas pelas mãos (digamos assim) desta Casa do Alentejo, que tem vindo a enaltecer os valores mais sólidos da vida portuguesa. E se é verdade que o Passado conta, não é menos verdade que o Presente aponta o Futuro. O Futuro que todos queremos risonho e continuador do muito que já se fez por cá.

Uma Direcção coesa, que está a “descobrir”, sempre, novos motivos de valorização e de preservação da nossa maneira de ser e estar no mundo. As Semanas Culturais, o aprumo com que se tomam atitudes, um ex-libris já famoso que se chama Grupo Coral. Tudo, enfim, a provar que a Casa do Alentejo, mais do que do Alentejo... é de Portugal. E tem vindo, ao longo dos tempos, a cantar a grandeza cultural de um Povo como o nosso.

presença de Rodrigo Costa Félix e a guitarrista Marta Costa Pereira. Da prata da casa – e boa prata da casa, entenda-se, Tony Gouveia, Jennifer Bettencourt e Elizabete.

Uma Gala de Fado que a todos honra
No sábado, era um Jantar à maneira daqueles que são servidos na Casa do Alentejo. Depois, a Grande Gala do Fado com a Muitos convidados de honra, designadamente o deputado federal Andrew Cash e o deputado provincial, John Shein. Tudo a dar-nos a dimensão de quão conhecida é a Casa do Alentejo e o trabalho que vai sendo feito. Armando Viegas, o timoneiro da casa, estava, de resto, eufórico. Satisgfeito. Certo de que, assim, vale a pena. Fazer coisas que são, de resto, bem entendidas por quem de direito.

Religião e Fé

O novo Papa
A resignação do Papa Bento XVI há algumas semanas atrás apanhou todos de surpresa, pois ele foi o primeiro Papa na história da Igreja Católica a demitirse do seu encargo. Muitos Católicos não ficaram contentes com a sua decisão, porque nas suas ideias tradicionais, que nada tem a ver com os ensinamentos da Bíblia, ele devia ficar no seu posto até à morte. Outros, acharam que a decisão dele foi uma inovação radical mas necessária para o bem da Igreja. Afinal o Papa é um ser humano, como as outras pessoas, e se ele vê que não pode continuar no seu posto, devido a circunstâncias fora do seu controle, ele tem o direito de demitir-se e dar lugar a outra pessoa. Seja como for, ninguém pode obrigar uma pessoa a fazer uma coisa que esta não deseje fazer. Portanto, todos aqueles que ficaram descontentes com a resignação do Papa Bento XVI não têm outro remédio do que aceitar a situação e compreender que existe muita coisa na Igreja Católica que não está certa e precisa de ser mudado. De facto, segundo aquilo que entendo das Sagradas Escrituras, nem devia existir a posição do Papa. Um dos próprios famosos teológos da Igreja Católica, Has Kung, o qual ainda é vivo, chegou à conclusão que a doutrina da infalibilidade do Papa está errada. Devido a ele ter a audácia de ensinar aquilo que a Bíblia claramente ensina, “não há um justo, nem um sequer” (Romanos 3:10), e que muitos leigos Católicos concordam, que nenhuma pessoa é infalível, incluíndo os Papas, ele foi proibido de ensinar a teologia Católica dentro de instituições da Igreja. No entanto, ele é um espinho porque insiste ser membro da Igreja Católica, ensinando na Universidade de Tubingen na Alemanha, e continuando a lutar para que haja reformas doutrinais na Igreja. Has Kung não tem sido o primeiro teológo Católico a criticar a doutrina da infalibilidade do Papa. Outros, no passado têm feito o mesmo, mas têm sido silenciados pela burocracia do Vaticano e alcunhados de serem herejes e falsos profetas.

Rev. João Duarte
Devido à resignação do Papa Bento XVI, os cardeais de todos os países, incluíndo do Canada, reuniram-se no Vaticano, cuja sede está na Itália, não muito longe da cidade de Roma, para escolherem o novo Papa. Finalmente, após muita consideração pelos cardeais, na Quarta-feita, Março 13, 2013, o cardeal Jorge Mario Bergoglio, filho de pais italianos que imigraram para a Argentina, foi escolhido para ser o Novo Papa Francisco. Muitos têm esperança que o novo Papa que herdou um rebanho de cerca de 1.2 biliões de pessoas, cuja maioría, têm nome de Católico mas é raro entrar numa igreja Católica, faça reformas. Uma dessas reformas seria repudiar o decreto do Papa Gregório VII, o qual, no ano 1079 depois de Cristo, forçou o celibato nos sacerdotes e freiras. Tal reforma ajudaria a limpar a imoralidade de certos membros do clero que têm relações sexuais às escondidas. Deus nunca condenou o casamento, pois está escrito: “Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher” (I Timóteo. 3:2). Ora, repudiar qualquer decreto dos papas anteriores é a mesma coisa que admitir que a doutrina da infalibilidade dos Papas afinal é falsa. Não somente isso, isto significa que teria que haver um decreto explicando que os teológos Católicos, como Has Kung, que foram excomunicados por terem criticado os erros doutrinários da Igreja Católica, afinal estavam ensinando a verdade e os Papas a falsidade. Como estão vendo, as reformas não vão ser fácieis. Só um homem humilde e muito corajoso estaria pronto a confessar, como David o fez perante o profeta Natan: “Pequei contra o Senhor” (II Samuel 12:13). Isto é, o Novo Papa teria que admitir que pelo menos alguns dos Papas anteriores erraram nos seus decretos. Deus perdoou David porque ele se humilhou e reconheceu o seu erro.

EUROPA DUCT CLEANING

Alergias e doencas são provocadas pelo pó, por pelos de animais, ou por bacterias e fungos que permanecem no sistema...

EUROPA DUCT CLEANING
(Uma divisão de EUROPA HEATING & AIR CONDITIONING) Email - info@europaair.net europa@rogers.com Webpage - www.europaair.net

telf: (416) 536 3828 (416) 537 4296

A MELHOR SOLUÇÃO SERÁ Contactar Manuel ou Mike

Deslocações a várias cidades do Ontário

Historia do Fado contada por quem sabe
O Fado começa a ganhar as esporas de Cavaleiro, na parte maior das manifestações artísticas. Considerado “Património Imaterial da Humanidade”, entende-se como a expressão de um Povo, que deu novos mundos ao mundo, como diz o Poeta. E que soube guardar os reflexos desse mesmo Povo, ao longo dos séculos. Sexta-feira, na Casa do Alentejo – agora a completar trinta anos de bons serviços – houve inauguração da exposição “História do Fado”, a anteceder, de resto, o espectáculo “Gala do Fado”, que aconteceu, sábado. no salão principal da comunidade. A exposição é composta por 20 cartazes, com texto e imagens que permitem criar uma narrativa histórica sobre esta expressão artística. A exposição é uma parceria entre o Instituto Camões e o Museu do Fado. Começou a dar-se a conhecer mais, quando, em 2011, a UNESCO considerou o Fado como Património Imaterial da

18 Março 2013

Comunidade . 7

* Inter-acção entre quem canta e quem ouve...

toda uma série de considerações interessantes. Humanidade. Depois do cônsul de Portugal, Júlio Vilela, ter tecido considerações explicativas, coube a Nuno Cristo abrir o livro de

Um produto cultural de peso
Já no fim, Nuno Cristo vai dando ideias do que se passa, aqui e agora, no que toca ao Fado. “Eu acho que o Fado, como é um produto cultural, e que estamos agora no século XXI... vai continuar, até por ser uma indústria que já envolve muita gente.

Porto Novo – um Restaurante com um ano bem medido...
Não sabemos... se já foi lá acima, ao 1474 da St Clair Av W, ao Porto Novo? Um Restaurante diferente. Com um sistema de refeições... diferente. Pelo menos, o estilo de serviço é, de facto, diferente. Para já, está a completar o primeiro ano de existência, numa zona que não está necessariamente no coração da comunidade portuguesa, mas que tem vindo a ganhar as esporas de... bom andamento. Manuel Pinto, o proprietário, diz-nos, desde logo, que não pode dizer que não valeu a pena. “A verdade é que, quando apostamos numa coisa, é quase na certeza de que vale a pena. Às vezes demora o seu tempo. O progresso não foi assim tão rápido. Esta casa esteve fechada, durante uns tempos... mas, graças a Deus, a casa está estável e vai ficar ainda melhor...”

Há muitos novos talentos, que apareceram nos últimos tempos e cada vez há mais procura, mesmo a nível internacional”. Nuno Cristo entende que “o Fado se vai modificando, musicalmente, e as letras também se vão moficando. De qualquer modo, essa modificação é que vai dar continuidade”. Reconhecendo algumas alterações, nos últimos tempos, refere que fez um ensaio sobre a comunidade fadista, aqui e agora. Mencionou, aí, que já houve duas vagas. A primeira vaga era constituida por pessoas que já vinham com a bagagem do Fado lá de Portugal. Depois, na sua óptica, houve uma renovação. E por volta do ano 2 000 “começaram a aparecer novos fadistas, aqui na comunidade. Alguns já desistiram e outros mantêm-se a cantar o Fado”. De qualquer modo, entende que “o Fado, desde há tempos, tem abrandado um pouco, em termos da actividade a que a gente se habituou...” A verdade é que Nuno Cristo tem vindo a espalhar o culto do Fado também por cá, mesmo por entre pessoas e entidades que não o conheciam.

Uma Família de sucesso
Assim sendo, tudo aquilo é para continuar. É até para melhorar. “Os meus acreditam no esforço que estamos a fazer”. Para além disso, diz-nos, desde logo, que ajudam muito. “Devemos grande parte do sucesso à minha mulher e à minha filha. A minha filha, por exemplo, é excepcional na feitura de bolos de baptizados e casamentos... e estamos a fazer aqui coisas espectaculares. A minha mulher – foi assim que ela me apanhou pelo estômago... – é uma excelente cozinheira. E eu... eu também sou boa pessoa. De qualquer maneira, estou satisfeito e a família também...”

A diáspora entende o Fado
Rodrigo Costa Félix, que sábado à noite, esteve em foco na Gala do Fado, tem conceitos muito seus face à emigração e aos que compõem a diáspora. “Visitar as comunidades portuguesas e termos a felicidade de cantar para os Portugueses que vivem fora de Portugal... é uma experiência incrível, por que eu acho que os Portugueses, cá fora, sentem o Fado de uma forma excepcional”, porque “o Fado é como que emoção, já que canta a vida e canta as emoções. Cá fora, sentem, assim, o Fado de uma forma mais especial. Sentem cada palavra que nós cantamos e isso, para nós, é um reconhecimento fantástico”. Até porque –é ainda Rodrigo a dizer-nos – “o Fado tem muito dessa inter-acção entre quem canta e quem ouve...” A Guitarrista Marta Costa Pereira – a única mulher que faz da guitarra um instrumento de trabalho, digamos assim – também nos dá uma versão interessante dos sentimentos e da forma de os entender. E diz-nos até que os filhos – do casal que faz com Rodrigo – já vão como que trauteando palavras e “entendendo” os sons. “O que nota por cá é que as pessoas gostam muito de receber, ouvem o Fado e aderem em absoluto a todas as correntes do Fado”. No sábado à noite... era a Gala do Fado. Que teve uma casa cheia... na Casa do Alentejo.

Numa zona como esta, em plena St Clair, a dois passos da Caledonia, não será uma área de grande densidade populacional portuguesa. “Sinceramente, e isto é do coração, os clientes portugueses que temos aqui... são excelentes clientes, não tenho a mínima razão de queixa, já que têm aderido, e bem, ao meu restaurante e posso mesmo dizer que, não sendo apenas clientes, são sobretudo amigos”. E insiste que “a clientela é praticamente uma família”.

8. Comunidades Nova Direcção no Sport Clube Lusitânia

18 Março 2013

Um clube que está a construir o futuro
O Sport Clube Lusitânia, já com tantos e tão bons serviços prestados à comunidade, está a andar em frente. Com cerca de 37 anos, aqui há tempos era a dificuldade em arranjar nova Direcção. Hoje, a direcção então encontrada – com mulheres e jovens – está a fazer coisas. A tentar avançar ainda mais. No sábado, era a apresentação da nova Direcção. Nova Direcção. Ambiente de festa e muita animação. Um dos mais antigos clubes da nossa comunidade apresentou a sua nova direcção para 2013-2014, tendo lugar na sua própria sede, situada nas instalações da “Casa dos Açores do Ontário”. Nesse dia, celebrou-se também o Terceiro Aniversário do Grupo Folclórico “Alma da Terceira” e fez-se ainda a apresentação da equipa de futebol da casa, vencedora do troféu 2012. As apresentações da noite ficaram a cargo de Jonathan Silva, que, depois do jantar, deu inicio às apresentações dos novos corpos directivos deste clube.

Jessica de Sousa; Primeiro Tesoureiro, Brian Brasil; Segundo Tesoureiro, Steve Homem; Folclore, Pres. Mário Aguiar; Secretária, Manuela Sequeira; Tesoureiro, Brian Brasil; Directores, Teresa Silva, Filomena Nunes, Evelina Machado, Gabriela Aguiar, Manuel Machado, Isidro Sousa, Mário Aguiar, José Adriano Homem, Gary Fraga; Grupo da Juventude, Ashley Garcia, Verónica Aguiar, Sarah Sequeira, Brian Brasil e Ronaldo Homem: Mordomos do Espirito Santo. Fernanda Godinho e Judite Machado.

Presidente “orgulhosa”
Assembleia Geral: Presidente, Jonathan Silva; VicePresidente, Mário Aguiar; e Secretária, Teresa Silva. Conselho Fiscal – Presidente, Brian Silva; VP, Kelly Machado Homem; Sec. Kelly Homem. Direcção Executiva – Presidente, Manuela Sequeira; V. P., Connie Garcia; V.P. Act. Rect., Fernanda Godinho; V.P. Act. Desp. David Homem; V.P. Act. Cult. Maria de Fátima Freitas; Secretária Relações Públicas, Sarah Sequeira; Primeira Secretária, Judite Machado; Segunda Secretária, Depois de feita a apresentação, Manuela Sequeira, no seu pequeno discurso, deu as boas vindas a todos naquela noite de festa. “Orgulhosa”, como disse, apresentava uma direcção na sua maioria jovens onde o mais novo membro conta com 14 anos de idade. Manuela Sequeira disse ainda que o futuro deste clube está nas mãos da nossa juventude, mas que para isso necessitam de apóio das nossas gentes, na participação de eventos ali levados a efeito. Seguiu-se o corte do bolo e música para dançar ao som do grupo musical “Ritmo Show” e ainda a actuação do grupo folclórico “Alma da Terceira”. É mesmo uma satisfação entrar numa colectividade de prestígio na comunidade portuguesa de Toronto... e ver tantos jovens. Mesmo na Direcção, onde até pontifica, já como presidente da Assembleia-Geral, Jonathan da Silva, um jovem que é, afinal, filho de um dos dirigentes lusitanistas de outros tempos. Acredita-se, assim, que o Lusitânia, de tantas e tão boas tradições, vai andar em frente. Manuela Sequeira o diz a toda a hora. . Há como que um novo fôlego para uma colectividade que tem vindo a ser, desde há muito, um paladino da defesa das tradições da terra de onde a maioria dos sócios é oriunda. Sport Clube Lusitânia. Uma colectividade a andar em frente.

Os próximos tempos vão ser do maior interesse para a colectividade. Texto e fotos: Natividade e Carlos Ledo

Agente da Polícia de Guelph morre em acidente de viação
Uma agente da Polícia de Guelph, faleceu quinta-feira de madrugada, vítima de um acidente de viação. Jennifer Kovach, de 26 anos, acabou por sucumbir no hospital devido aos ferimentos graves. O acidente resultou de uma colisão entre o veículo da vítima e um autocarro, por volta da 12:30 h, perto do cruzamento da Imperial com a Paisley Rd. O condutor do

autocarro também foi levado para o hospital, e encontrase a recuperar de ferimentos ligeiros. De acordo com as autoridades, na altura do acidente, o autocarro não transportava passageiros. Kovach é filha de uma vereadora, em Guelph, Gloria Kovach, e é a terceira agente a morrer, num acidente de viação, durante o serviço. Outros dois agentes faleceram, em 1922 e 1964, respectivamente.

Campanha da Primavera do Banco de Alimentos
Não está fácil a situação. Pelos vistos, há cada vez mais necessidade de obter alimentos para os mais necessitados. Assim, a Unidade do Banco de Alimentos “Daily Bread”, começou na quinta-feira a sua campanha anual de Primavera. O Daily Bread aceita donativos em dinheiro online, ou então, por telefone, através do 416203-0050. Havendo sempre a possibilidade de se dirigir ao centro de recolha de alimentos, localizado no 191 do New Toronto St., perto do cruzamento da Islington Ave. com a Lake Shore Boulevard, para doações em bens essenciais, ou seja, produtos alimentícios.

18 Março 2013

Mensagens . 9

Eu apoio apoio um um Desenvolvimento Desenvolvimento Integrado Integrado para Toronto! Toronto!

Um desenvolvimento integrado criará 6.000 empregos de construção em 3 anos Um desenvolvimento integrado criará 10.000 postos de trabalho permanentes Um desenvolvimento integrado trará milhões de novos turistas e mais de 1 bilião de dólares em gastos anuais, bem como uma nova fonte de impostos para a cidade de Toronto... Que será usado para conduzir novos projetos de ainda mais infraestruturas. Um desenvolvimento integrado irá criar muitas oportunidades para novos investimentos e atividades económicas, impulsionadas por um novo centro de convenção e casino. Um desenvolvimento integrado vai ser duradora e melhorar e enriquecer a área de entretenimento de Toronto Envie uma mensagem de apoio ao seu vereador da câmara, visitando estas paginas de Internet

Para obter mais informações envie o seu email para

10. Comunidades

18 Março 2013

Tradições (e os jovens) marcam quinze anos de existência

Guida Micael
As nossas tradições estão espalhadas pelo mundo fora e aos jovens deve-se muito desse trabalho e reconhecimento. Aqui pela nossa terra, Toronto, orgulhamo-nos com um grupo em que a alma e a canção fazem grande parte de sua existência. A Luso Can Tuna (da Universidade de Toronto) podemos dizer que sua alma apôs quinze anos de existência está viva e com garra para continuar as tradições de estudantes universitários em que aquela capa negra faz e continuará sempre a fazer grande parte de sua vida. Este sábado, no Renaissance By The Creek, a Luso Can Tuna da Universidade de Toronto celebrou, não só o seu aniversário de quinze anos, mas também a gravação de seu primeiro CD oficial. Nada de normal existe na gravação deste CD pois foi gravado ao vivo com mais de quinhentas pessoas como testemunhas nesse mesmo salão. Porque decidiram gravar o CD desta forma? Porque assim juntavam todas as pessoas que, ao longo dos anos, não só formaram o grupo mas tambem o apoiram. Assim, velhos membros (veteranos), pais de membros existentes e daqueles que já lá não se encontram, patrocinadorers e todos aqueles que tanto os têm apoiado foram convidados para fazer parte deste CD, assim mostrando mais uma vez o quanto é importante não só apoiar mas tambem manter um grupo com tal destinção na nossa comunidade. Não só se encontrará nesta gravação duas das suas canções originais mas tambem uma adptação de uma canção de Bonga com raizes Angolanas intitulada “Olhos Molhados”. Com vinte e cinco membros e uma variedade de instrumentos, eles mostram não só por cá os seus talentos musicais mas tambem por outros mares... Em Maio deste ano irão participar em competição com outras Tunas num festival em Leiria. Com entretenimento não so providenciado pela Luso Can Tuna, o grupo Mexe Mexe tambem fez questão de fazer parte das festividades sendo apoiadores deste grupo já há muito tempo. A vereadora Ana Bailão não deixou de marcar presença neste evento sendo ela um dos membros iniciais da Luso Can Tuna. Katia Karamujo e Tania juntaram-se ao grupo em 2009 e hoje dizem com muita alegria que têm orgulho de fazer parte de um grupo tão distinto. As duas referem-se a si próprias como “As gémeas da Tuna” mantendo a organização deste evento e do sexto festival de Tunas no Canada, o ano passado, que teve lugar no “Queen Elizabeth Theater” em Toronto. Agradecem a todos os que os têm apoiado ao longo dos anos. A seus pais, a todos os veteranos que continuam a ajudar em tudo o que é preciso, e a todos os patrocinadores com quem podem contar para todos os seus eventos. Esperam que a comunidade portuguesa adira ao seu CD e que tenham tanto orgulho deles com eles têm de fazer parte deste grande grupo. ABC aqui deixa a todos os membros da Luso Can Tuna os votos de felicidades e boa sorte em sua participação no festival em Leiria e ca estaremos continuamente a apoiá-los com amor e alegria.

Águia consolida liderança com goleada
quebraram o enguiço e podem ter dado um passo importante para o título. O resultado foi construído depois da expulsão de Kanú, após uma primeira parte em que o V. Guimarães complicou a tarefa da águia. O Benfica sentiu algumas dificuldades no primeiro tempo, mas chegou à vantagem de grande penalidade, a punir falta de El Adoua sobre Lima. Cardozo não perdoou. Com duas faltas duras, uma sobre Cardozo, outra sobre Melgarejo, Kanú foi expulso e o Benfica cresceu. Pouco depois, Garay fez o segundo golo. O Vitória atacou sempre que pôde e até construiu uma soberana ocasião para marcar, mas Amido Balde, por duas vezes, não conseguiu bater Artur. As águias sentiram o toque e resolveram o encontro pouco depois, através de Salvio, depois de uma assistência de Enzo Pérez. Em descontos, Rodrigo consumou a goleada. Vitória indiscutível dos encarnados, embora talvez por números exagerados, sobretudo pela réplica do V. Guimarães na primeira parte.

18 Março 2013

Desporto . 11

O Benfica venceu o Vitória de Guimarães, no Estádio D. Afonso Henriques, por 4-0, no encontro que encerrou a 23.ª jornada. Com este triunfo, as águias passam a ter quatro pontos de vantagem sobre o

FC Porto, segundo classificado. Marcaram Cardozo, Garay, Salvio e Rodrigo. Há duas épocas consecutivas que o Benfica perdia em Guimarães. Os encarnados

FC Porto não passa nos Barreiros
Depois de ter sido eliminado pelo Málaga da Liga dos Campeões, na quarta-feira, o FC Porto voltou a não conseguir vencer, ontem, domingo, na visita ao Estádio dos Barreiros. Vítor Pereira tinha dito que a ressaca da eliminação nas competições europeias só podia durar um dia mas a verdade é que, ontem, o FC Porto deixou mais dois pontos na Madeira. Quatro dias de ressaca que podem dar outras desvantagens... De resto, o FC Porto até foi a primeira equipa a marcar. Defour, que mereceu a confiança de Vítor Pereira apesar da expulsão diante do Málaga, ganhou espaço na esquerda do ataque, bateu Briguel e cruzou para James Rodríguez, na grande área, rematar cruzado e inaugurar o marcador. O Marítimo, porém, cedo se viu que não iria fazer figura de corpo presente num Estádio dos Barreiros com a única bancada disponível totalmente cheia. Quatro minutos depois do golo de James, e no segundo remate à baliza, o sulcoreano Suk, aproveitando uma escorregadela de Mangala, correspondeu da melhor maneira a um cruzamento de Mangala, antecipando-se a Helton. Na segunda parte Vítor Pereira lançou Castro e Izmailov para os lugares de Defour e Varela - o internacional português entrou no primeiro tempo para o lugar do lesionado Atsu mas esteve desinspirado - e foi mesmo o FC Porto a ter a melhor oportunidade de golo: David Simão derrubou Danilo na grande área mas Jackson Martínez, na marcação da grande penalidade, permitiu a defesa a Salin. A partir daí o FC Porto arriscou, subiu as linhas mas foi

12 . Desporto

18 Março 2013

Dragões disseram adeus à Champions FC Porto não conseguiu superiorizar-se ao Málaga no La
Rosaleda e diz adeus à Champions, com 16,6 milhões de euros nos cofres. Limitações no plantel e no modelo de jogo evidenciaram-se em demasia. Festa azul e branca no La Rosaleda, mas não aquela com que os portistas sonhavam. É o Málaga, em ano de estreia, quem celebra o apuramento para os quartos-de-final da Liga dos Campeões, depois de ter derrotado o FC Porto por 2-0, invertendo a desvantagem com que tinha regressado do Estádio do Dragão. Os dragões, depois de cinco eliminatórias sempre a eliminar equipas espanholas, não conseguiram bater a sexta e despedem-se da Liga dos Campeões com 16,6 milhões de euros nos cofres e de forma inglória. O plano traçado por Vítor Pereira parecia claro: a entrada de Defour para a ala, em detrimento de James Rodríguez, tinha como objetivo “encher” o meio-campo e formar uma teia que prendesse o Málaga e conservasse a bola. O FC Porto não entrou mal e até pareceu, nos primeiros 20 minutos, pronto para controlar a eliminatória. Mas a passividade e falta de agressividade portistas, com muitas pernas cansadas, falou mais alto no último quarto de hora da primeira parte. O Málaga deu um primeiro aviso, com um golo que só foi anulado porque Helton, após perder a bola para Saviola encostar, tropeçou em Júlio Baptista, o suficiente para ser considerada falta. Mas a resposta não tardou e Isco aproveitou de bom grado a autoestrada aberta à entrada da grande área do FC Porto para meter a bola na “gaveta” e empatar a eliminatória. Era imperativo melhorar na segunda parte, mas cedo se percebeu que tal seria difícil, porque João Moutinho não regressou dos balneários. James Rodríguez entrou em campo, mas Steven Defour foi expulso logo em seguida e tudo se complicou: a defesa, que custou qualquer coisa como 40 milhões de euros, foi insegura, o meio-campo esteve a meio gás (ou sentiu, simplesmente, a falta de Moutinho) e já não há um Hulk para limitar as lacunas no jogo pelas alas (pouco ou nada justifica a titularidade de Varela), sobretudo quando Alex Sandro não teve ‘pilhas’ para mais de 60 minutos. E Jackson, forçado até à exaustão ao “sobe e desce” pela zona central, para apoiar uma equipa muito limitada ao futebol direto e com pouquíssima criatividade, pouco mais poderia fazer. O colombiano teve o golo do apuramento nos pés, aos 75 minutos, na primeira ocasião de golo digna de registo em todo o jogo do FC Porto, mas falhou. Do outro lado, o Málaga não perdoou, por Roque Santa Cruz. Bastaria um golo para o FC Porto se apurar, mas tal não aconteceu, pois quando Maicon e Jackson colocaram a bola no fundo das redes estavam em fora de jogo. Estava ditada a centésima derrota da história dos dragões nas competições europeias e um possível adeus de Vítor Pereira à UEFA com o FC Porto. Só vencer o campeonato poderá salvar o destino do técnico, depois de uma eliminatória em que, apesar das adversidades, o FC Porto só conseguiu fazer um golo (e em fora de jogo) ante um Málaga que deveria ter ficado “arrumado” na primeira mão.

atrás que teve de suar para não sair dos Barreiros com um resultado ainda mais penalizador. É que Otamendi borrou a pintura, perdeu uma bola controlada para Héldon e teve de ser Mangala, num corte providencial, a tirar o pão da boca a Suk.

18 Março 2013 Leãozinho desperdiça goleada

Desporto . 13

Sporting marca dois golos em 21 minutos
Apesar do muito desperdício, dois golos chegaram para o Sporting vencer sábado à noite o V. Setúbal por 2-1 e manter vivo o sonho de chegar a um lugar europeu. O jogo foi de domínio quase total da equipa leonina, com futebol alegre, vistoso a espaços e do mais ofensivo que se viu esta temporada em Alvalade. Os dois golos da equipa orientada por Jesualdo Ferreira, no espaço de 21 minutos, marcados por Amoreirinha na própria baliza, a meias com Wolfswinkel, e Labyad, de grande penalidade, foram resultado de uma entrada muito forte, mas também de uma enorme apatia dos sadinos, literalmente a ver jogar um adversário cheio de ganas e que numa comparação, pareceu ir de mota, enquanto a equipa de Setúbal ia num triciclo sem motor, como dizia o “Correio da Manhã”, de Lisboa.. O golo de Makukula a centro de Pedro Santos ainda foi como uma espécie de efeito vitamínico para um Vitória em estado anémico até então. Mas antes como depois, houve muito mais Sporting no jogo, com muitos lances bem construídos, mas mal finalizados - alguns devido ao chamado excesso de pontaria - Capel, Labyad e Ricky van Wolfswinkel (este na segunda parte) acertaram nos postes da baliza do V. Setúbal. O avançado holandês, aliás, teve mais um par de ocasiões para faturar, que desperdiçou. Às vezes parece mesmo ter um pacto com o diabo... perante a baliza.

Jorge Jesus diz que Newcastle não tem surpresas

Jorge Jesus considera prematuro pensar já no embate com o Newcastle nos quartos-de-final da Liga Europa, mas sempre vai dizendo que a equipa inglesa não deverá encerrar muitos segredos. «Ainda não me debrucei muito em relação à equipa do Newcastle, vou ter tempo para isso. Mas não há muita coisa que possamos desconhecer, todos nós vemos os jogos da Premier League», referiu, frisando que o foco da águia está, afinal, no jogo que vem a seguir (o Vitória de Guimarães). Para chegar aos títulos é preciso vencer muitas coisas Jorge Jesus não se envergonha do número de títulos que conquistou ao serviço do Benfica desde que, no verão de 2009, assumiu o comando da equipa encarnada. O Vitória de Setúbal cresceu um pouco no jogo no segundo tempo - Jorginho também acertou no poste e Cristiano (um regresso a Alvalade) falhou isolado. O Sporting, no entanto, teve sempre a voz mais audível no jogo e acabou, justamente, a cantar a vitória. «Faltam-me os títulos? Falta-me ser campeão europeu, ganhar o Campeonato do Mundo pela Seleção. Esses títulos faltam-me. Só veem a árvore, não veem a floresta. Para chegares aos títulos tiveste de ganhar muita coisa no Benfica», argumentou, atirando, convicto: «Vocês [dirigindo-se aos jornalistas] são os primeiros a referir os recordes que temos batido. Eu nem sei quais são. Isso diz tudo em relação ao meu passado no Benfica. Contra factos não há argumentos».

Nata & Espresso
Aproveite
Até 24 de Março

$ 00

2

Experimente a Nata com Canela!

14 . Actualidade Amigos para Safehaven

18 Março 2013

Uma boa causa para ajuda aos que mais necessitam
Amigos para Safehaven é como que uma missão. Uma missão de ajuda a uma boa causa. No nosso caso... começou há quatro anos. E tem muitos e bons resultados. As crianças que por ali são ajudados – naquilo que bem pode ser considerado um “porto de abrigo” – carecem de toda a ajuda possível. Eles e os respectivos pais que podem, assim, ter uma vida quase normal. No 1173 da Bloor Street, uma conferência de Imprensa deu a conhecer algo do próximo passo que somos chamados a dar. A verdade é que são muitos os que dizem terem sido tocados, no mais fundo do coração, por uma visita a uma das agências “Safehaven”. São muitos os que indo lá... de lá saem mais enriquecidos, intimamente, na sua própria vida e até na vida da sua família. Linda Correia, que na parte portuguesa, começou tudo aquilo, sente-se “tocada”. Foi por aí que tudo começou e nasceu a ideia de “Amigos para Safehaven. Uma ideia que tocou outros, muitos outros... Joe Eustáquio, por exemplo, é hoje um dos mais activos.

Os Portugueses são agora chamados a fazer a sua parte. E há quem acredite na generosidade dos Portugueses. Como é o caso de Beverley Gordon, da organização. Um jantar de gala para angariar fundos vai ter lugar agora – a 13 de Abril – no salão da Local 183. E os Amigos para Safehaven não vão faltar. Joe Eustáquio faz mesmo um apelo

para que todos compareçam. Na ajuda ao que bem pode ser considerado um oásis de paz e de harmonia. Marque no seu calendário. 13 de Abril. Salão da Local 183. Muitos dos utentes não conseguem falar, ver ou ouvir. Temos de ser nós todos a fazer isso.

DOCE MINHO
Pão quente de hora a hora Broa de milho como se faz na terra

Pastelaria Fina

Agora tambem em Bradford!

Salão de chá Ambiente acolhedor

Uma casa com a tradição de bem servir porque sabe produzir melhor!

Para encomendas ligue-

416 - 652 - 8666
2189 Dufferin St. Toronto (Entre a Rogers e Eglinton)

18 Março 2013

Actualidade . 15

Depois das férias de Março...
O March Break terminou agora. Há que pensar num bom começo de volta ao trabalho. Esta é uma boa época do ano para fazer um balanço de como se sente no seu local de trabalho, e como fazer melhorias para tornar a sua carreira mais agradável. Depois de qualquer período de férias, pense numa nova fase, como se fosse de volta para um novo trabalho. Durante esta altura em particular os períodos de stress ou mesmo de depressão sazonal no seu local de trabalho, também existem. Este é um bom momento para fazer um balanço do seu ambiente de trabalho e talvez até mesmo mudar para melhor. Uma boa forma de fazer a transição de volta ao trabalho mais fácil, segundo conselheiros de emprego e especialistas em felicidade no trabalho, é bom começar antes mesmo de estar de volta. Se não fez durante estas míni férias, faça na próxima vez o seguinte: Deslige o telefone celular, longe do laptop, e nao verificar o correio de voz quando em férias. Umas férias que não incluem o trabalho serão muito mais agradáveis. Trabalhar não deve drenar você de energia que apenas finais de semana e feriados pode repor. O melhor ambiente de trabalho atende às necessidades específicas do empregado, de acordo com um estudo encomendado pela Workopolis. Os trabalhadores entrevistados dizem que os factores mais importantes são as oportunidades de desenvolver novas habilidades. E que os bónus monetários oferecidos trazem sentimentos de serem apreciados. Os funcionários devem lembrar-se que o equilíbrio é a chave para o sucesso e para a felicidade durante todo o ano. Tenha em mente que o tempo de trabalho não deve infringir sobre a sua vida pessoal.

Asas do Atlântico

Luis Esgaio

No Asas do Atlântico... a festa foi a tradicional Matança do Porto. E a verdade é que esteve muito anuimada e cheia. Com todos a trabalhar... para que nada faltasse. Na foto, ali ao lado, até o Presidente, José dos Santos, trabalhava a bom trabalhar. E até tentou tirar o avental... com que estava equipado. Mas lá que trabalhou... trabalhou. E a tradição manteve-se... E mesmo no bar, os voluntários lá estavam para o que desse e viesse. Claro que todos deram o seu pèzinho de dança... É muito importante de deixar o seu trabalho no trabalho e dedicar o seu tempo pessoal com os seus familiares, amigos ou outras actividades agradáveis como hobbies ou Ginásio.

Na Casa das Beiras
Sábado, na Casa das Beiras... uma casa cheia. Estava marcada uma noite de Convívio e Folclore abrilhantado por Five Star Productions. E a verdade é que a animação foi em grande. Até com a actuação do Rancho Folclórico do Académico de Viseu e grupo de concertinas do Arsenal do Minho. Não estivemos até ao fim... mas vimos, por exemplo, que era de muito entusiasmo a assistência. Pensa-se já nas próximas eleições e... no já habitual Almoço de Domingo de Páscoa. Mas a tudo isso havemos de nos referir numa outra oportunidade.

16 . Mensagens

18 Março 2013

LIUNA - De 7 em 7
Iniciamos esta série de trabalhos de modo a que fosse criada uma progressão que nos permitisse chegar à entrevista com o líder da Local 183 com depoimentos que refletem a transparência existente entre mais de 40,000 mil trabalhadores que reconhecem a importância de serem membros daquele que é o melhor e maior ramo sindical da LIUNA no continente norte-americano. Para o efeito, depois de uma apresentação que se impunha, registámos os depoimentos de membros da Local 506, da Local 183, assim como deixámos a imagem dos pensionistas através das declarações de Mário Cirillo, provas de que não deverá existir qualquer duvida no que concerne a preferência de toda e qualquer Local que esteja sob a cúpula da LIUNA, o que agora acaba por ser confirmado através de uma interessante conversa que tivemos com Jack Oliveira, o Business Manager da Local 183, que apesar de insistir no êxito do sindicato que lidera como sendo de todos os seus membros, bem sabemos como o mesmo partiu da excelente equipa de responsáveis que Jack Oliveira lidera. São sete elementos, Jack Oliveira, Luís Câmara, Nelson Melo, Bernardino Ferreira, Marcello Di Giovanni, Jaime Cortez e Patrick Sheridan. Todavia, Jack Oliveira é o porta-voz, o líder que não hesita ao insistir que a Local 183 não é de quem a dirige, mas sim dos mais de 40,000 membros que possui atualmente. Homem simples, modesto, da Vila de Pardelhas, Concelho da Murtosa, Distrito de Aveiro, região Centro e sub-região do Baixo Vouga. É sede de um pequeno município com 73,65 km² de área e 10 585 habitantes, subdividido em 4 freguesias. Um município que é dividido em dois pelo braço norte da ria de Aveiro. O território principal, onde se localiza a vila, é limitado a nordeste pelo município de Estarreja e a sul liga-se aos municípios de Albergariaa-Velha e Aveiro através da ria de Aveiro, que também o rodeia a ocidente. O concelho foi criado em 1926 por desmembramento de Estarreja e foi onde Jack Oliveira nasceu em 1960, criado até aos

18 Março 2013

Actualidade . 17

“A Local 183 é aquilo que os seus membros querem que seja!” -Jack Oliveira
12 anos, altura em que emigrou para o Canadá (mais concretamente em Dezembro de 1972), onde de mãos dadas com os seus estudos, aos 14 anos, seguia as peugadas do seu pai, o qual já na altura era membro da Local 183. “O meu primeiro trabalho foi no Prince Hotel. Estudava e trabalhava. Mas, aos 23 anos, quando me casei, passei ao trabalho em full time. Em Outubro de 1984 registei-me como membro da Local 183, quando o sindicato ainda era na Dupont e Dufferin, onde hoje é a Casa do Alentejo. E nessa altura fui trabalhar para Peterborough, na auto estrada 115 com a 28. Estive com a mesma companhia 15 anos. Tirei uns cursos no Centro de Formação da Local 183 e dois anos depois, na Ambro, o superintendente lá viu que eu tinha jeito para conviver com as pessoas e convidou-me para capataz (Foreman). E daí para a frente, nunca mais parei... O meu último trabalho no exterior foi na fase derradeira da 407, de mãos dadas com muitos outros membros da Local 183. Até que vim para Organizador da Local 183.” Foi então que passámos para a atualidade. “Possuímos uma equipa responsável, desde o Executivo até aos representantes organizadores e a todos os membros. Sempre estive envolvido em contratos coletivos, com responsabilidades na área civil. E todos os membros são muito militantes. Tendo essa sido a minha base de trabalho, depois de ter sido eleito Business Manager. Na altura, constatámos que eram muitos os problemas existentes. Felizmente a correção desses problemas trouxe um grande número de sócios novos para o sindicato. Muitos deles, já deviam ter sido sócios há muito tempo. Até nós ficámos surpreendidos. Sabíamos que as coisas não estavam como queríamos, mas nunca pensámos que depois de modificarmos o que tinha que ser modificado tivéssemos uma aderência tão grande de membros, como a que tivemos.” “Quando assumimos a gerência, encontrámos a Local 183 muito pior do que pensávamos. O resultado do facto de termos resolvido os problemas que encontrámos, foi o que fez com que o número de sócios subisse tão maravilhosamente.” Neste complexo momento que se atravessa, o “raiding period”, parece inacreditável como a Local 183 continua a aumentar o seu número de sócios perante o assédio de que os mesmos são vítimas por parte de outras organizações. “Acho que qualquer outro sindicato está a perder o seu tempo nesse assédio. Não é preciso muito para os membros do Local 183 concluírem que pertencem a um sindicato que lhes oferece uma reforma com mais de 3,2 biliões de dólares, indubitavelmente a melhor que qualquer sindicato possui. Os trabalhadores sabem que 95% das companhias têm contratos com a 183 ou com a LIUNA.” “Durante este período tivemos pessoas que foram vítimas de tentativas de engano por parte de pessoas que no passado trabalharam na Local 183, mas através de reuniões e de cartas que lhes enviámos, chegaram à conclusão que tinham sido enganados, concluindo que não tinham assumido a decisão certa.” Estamos constantemente em contacto com os sócios, que sabem que é à Local 183 que devem pertencer, um sindicato que toma conta dos seus membros e das suas famílias.” “É difícil compreender como é que sindicatos com meia dúzia de membros, ou até mesmo com seis ou sete mil membros, possam fazer frente à LIUNA que tem mais de 80,000 e onde a Local 183, sozinha, tem mais de 40,000.” “As pessoas, hoje em dia, sabem quem lhes dá mais benefícios. Sabem que os outros sindicatos não podem oferecer as reformas que a Local 183 oferece.” “Ainda recentemente um membro me disse: “Eles vieram oferecerme trabalho e pediram-me para assinar um cartão. E eu acho que eles estavam era a pedir-me para eu arranjar trabalho para eles.” “Isto só demonstra que os membros da Local 183 são inteligentes, são trabalhadores e não farão qualquer mudança.” “Isto acontece de três em três anos. O sucesso da LIUNA e da Local 183 foi sempre muito grande. Nunca houve grande alteração na quantidade de membros. Na minha opinião, julgo que o Governo devia interferir e eliminar este período totalmente. Ou, no máximo colocá-lo em duas semanas ou um mês. Isto porque tudo quanto acontece durante este período é nas primeiras duas semanas, quanto muito no primeiro mês.” “Tudo isto causa muito transtorno, não só aos sócios, como às companhias. E são gastos milhões de dólares, por vezes apenas para a mudança de meia dúzia de membros de um sindicato para o outro.” “Acho que os sindicatos e o governo deveriam examinar esta situação, para que esses milhões de dólares que se gastam durante esse período de três meses, fossem investidos nos sócios.” “Particularmente com melhores benefícios para os nossos pensionistas (reformados) que foram as pessoas que fizeram os alicerces deste sindicato.” “Por esse motivo, a LIUNA e a Local 183, assim como deveriam fazer todos os sindicatos, tudo farão para que este “raiding period” seja eliminado.” “São milhões de dólares que se gastam, sem necessidade nenhuma.” (Continua na próxima semana)

Chama-a P... antes que chame a ti!
Esta era uma expressão muito conhecida nas aldeias Serranas das Beiras, no tempo da minha infância. Quando surgiam arengas entre pessoas e se acusavam mutuamente, usavam este dito para dar mais ênfase a sua defesa. Na época, eu pensava que esta maneira baixa de acusar, só era usada nas pessoa da classe inferior, menos instruídas e cultivadas. Mas finalmente este tipo barato de arguir é usado em todos os níveis da sociedade, em especial na política

António dos Santos Vicente
estes males, ou parte deles? Não! A preocupação deste opositor, não é o bem estar do povo, mas antes sim tirar vantagens dos seus problemas, pondo neles palavras de falsa piedade, para conseguir trunfos eleitorais. - Não se iludam meu povo! Será que já está esquecido que foi o seu partido que assinou a Troika, quando o dinheiro se esgotou? Que foi o seu partido que esbanjou milhões desnecessários, numa má gestão governativa? Que tudo o que se está a passar é produto do seu partido? Mas ainda assim, acusa o Mr. Coelho! Claro... ” Chama-a P... antes que te chame a ti!” A política sempre foi porca e nojenta... devido aos “Políticos sem Princípios” que o povo nunca deveria eleger! Acredito que o presente executivo não esteja a fazer um trabalho excelente, mas não tem pano para fazer melhor. E quando nos entram no bolso... até os milionários berram! Administrar-se um país rico não é difícil, mas pobre e de tanga... não sei se é melhor governar... que ser governado! E quando não há pão... todos ralham e ninguém tem razão! Os donos do mundo, os Globalísticos quando se reúnem à porta fechada nas suas conferências, não é a tentar resolver os problemas da pobreza e o bem estar humano, mas sim estudar a maneira de mais nos tirarem e menos darem. Estas crises são os frutos dos seus intentos... ao nível global. Se não recuarem do seu egoísmo selvagem, o Mundo entrará no espiral do abismo, onde não haverá pão para pobres, nem para ricos, porque o braço humano deixará de produzir! As demostrações até são necessárias, quando ordeiras, afim de mostrar aos nobres da avareza, de que estão errados... e a voz da razão está no povo! Mas por favor... não lutem contra Portugal, porque ele está tão pobre quanto vós. As greves neste caso, só agravam a situação daqueles que mais sofrem. E como se diz, “que o povo unido jamais será vencido...” é altura de usar essa união, para que Portugal não seja vencido! E depois cantar a Vila Morena.

Nunca em Portugal estive ligado a qualquer partido político, apenas uma simpatia pelo P.S. e se acaso ali estivesse em tempo de eleições, era para eles o meu voto. - Á direita, cheira-me ainda a Salazar, de quem tenho amargas recordações! Claro, hoje há uma direita democrata, que nada tem a ver com o passado! Mas só que a minha mente mantêm-se cautelosa! Contudo, reconheço que em todos os partidos há bons e maus políticos, que devem ser medidos pelo seu caracter pessoal... e não pela linha partidária. É nessa base que eu me pronuncio: Nos últimos tempos a administração governativa portuguesa tem sido gerida pelo P.S. – Não vou acusa-los de total responsabilidade pela presente situação. Mas não se deviam por de fora, lavando as mão ... acusando o presente executivo, de serem eles, e apenas eles, os únicos culpados daquela instabilidade! E ainda incitando aos protestos e demostrações, pondo mais achas numa fogueira já tão ateada! Não me parece que este caminho seja a melhor solução, pois o país nada mais tem para dar! Assim, a fragilidade aumenta e a situação complica-se. Este problema não é corporativo contra patrões, mas sim nacional, num país a pedir esmola! Costuma-se dizer, que a memória do povo é curta... e não dura mais de três dias! Concordo com esta versão! Se recuarem uma página atrás, verão que esta situação foi criada pelo Mr. Socratas e companhia, deixando o país em ruína, o povo em rebuliço e entregue à Troika. - Agora, o mau e ladrão é o Passos Coelho! Como que ainda lá haja dinheiro para roubar! É pena que nem todos reconheçam, que se não fossem tomadas estas medidas indesejáveis, entraríamos em banca rota! E então seria um descalabro total. O Mr. Seguro sabe bem que o arquitecto desta obra demolidora não foi o Passos Coelho, mas sim o seu antecessor! Então, porque ao invés de acusa-lo de todos males e desgraças do país e do povo, não tenta colaborar com ele, a fim de abolir

18 . Ler e contar

O Futuro está nas suas pequenas mãos...
Conceição Baptista
Há dias, observando a actividade de vários jovens no seio do nosso associativismo comunitário, fiquei a pensar, por largas horas, que seria justo louvar e enaltecer o seu trabalho e a sua participação. Bem como todo o comportamento e empenho de muitos luso-descendentes que fazem a nossa comunidade mais participada, mais integrada, com os olhos postos no futuro. E louvar a sua acção... até porque, quando algo de mal acontece, com eles, todos se aprestam a criticar. O que nem é justo... se não enaltecermos o que de bom eles fazem. Os jovens trazem na voz a palavra do futuro, a ressonância de novas formas de olhar e de pensar a vida. Trazem sempre no olhar a coragem e a vontade de mudar o que não está bem na sociedade. Temos, por isso, o dever de os apoiar e compreender os seus anseios e sonhos. Quase sempre que se fala da juventude de hoje é num tom crítico e comenta-se que não sabem respeitar, que não nos compreendem, que não sabem isto e que não entendem aquilo, que estes tempos estão perdidos e que no “nosso” tempo era diferente... que éramos respeitadores, trabalhadores, etc, etc. Um completo rosário de qualidades, inventadas no esquecimento do tempo... E é sempre aqui... que contradigo. É que eu não vejo assim. Nós fomos jovens como os de hoje, com as mesmas contradições, as mesmas ansiedades e as mesmas teimosias. A sociedade, feita e estabelecida pelos adultos, é que era diferente. Sem tantos perigos, crimes e vícios. Mas as pessoas... eram feitas da mesma matéria, com as mesmas forças e fraquezas, com os mesmos sentimentos e receios. Se lermos um dos magníficos livros de Jane Austen, escrito há mais de 200 anos, lá encontramos os mesmos conflitos humanos de hoje, os mesmos medos, a mesma dor, os mesmos sonhos e o mesmo amor... Na minha “defesa”, a favor dos jovens, afirmo, que a imagem que lhes é vendida não é exactamente a realidade que podem comprar. Porque há uma política de constantes promessas que não resulta na solução dos seus problemas. Como dificuldades de acesso ao ensino superior, o alto custo de propinas, necessidade de trabalhar para ajudar a família, falta de empregos. Sim... é mesmo um mundo cheio de dificuldades. Mas há muitos e muitos jovens que lutam, que enfrentam os maiores problemas, que estudam, que trabalham à noite para poder frequentar a escola, que ainda arranjam tempo para participar nos nossos lindos Grupos Folclóricos, nos nossos Clubes e Associações. Que respondam às mais dificeis questões que a sociedade lhes apresenta! E pouco falamos deles... passam despercebidos muitas vezes. E eu penso que é, inteiramente, da nossa responsabilidade, dos pais, dos avós, dos mais velhos, louvar e incentivar o exito dos objectivos dos nossos jovens! E só mobilizando esforços e empenho, conseguiremos. E vai valer a pena! juntos,

O Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada desafiou as crianças a protegerem hoje o ambiente para oferecer ao futuro. “Cada um deve cuidar do que é de todos. Assim, criamos o caráter que nos torna amigos da natureza e teremos condições para oferecer o património natural que nos legaram às novas gerações” - disse.

Crianças “desafiadas” a proteger o meio ambiente

18 Março 2013

José Manuel Bolieiro falava no sábado, na abertura do seminário “Cidadania e Sustentabilidade para o século XXI”, no Centro Cívico e Cultural de Santa Clara, e congratulou-se com a iniciativa do Conselho Nacional de Educação, que tem a parceria da autarquia, departamentos governamentais, escolas e muitos outros organismos. O Presidente destacou o facto de a escola ter saído do seu espaço e decidir mostrar o trabalho que desenvolve à comunidade, mostrando que “está com a natureza e que a vida é para viver, mais do que para ouvir falar”.

Já na inauguração da exposição de fotografia “Caminhos da Sustentabilidade”, da autoria de alunos da Escola Básica de Arrifes e da Escola Secundária Antero de Quental, sexta-feira no Centro de Estudos Natália Correia, o Presidente da Câmara tinha alertado para a necessidade de cada um proteger o que é de todos, referindo ao ambiente e ao património edificado. Elogiou o trabalho dos alunos que está patente no Centro de Estudos Natália Correia, considerando o mesmo como “a diferença entre um simples olhar e a observação do que é nosso, do património natural e edificado. Assim, também se consegue corrigir o que está mal, aperfeiçoar e proteger o legado que nos deixaram para o futuro”. A anteceder a inauguração da exposição, um grupo de alunos das duas escolas evocou a poetisa, declamando excertos de “Manhã Cinzenta”, e executou um breve momento musical. “Esta é a verdadeira missão política. Esta é mais uma prova de que estamos ao serviço da nossa comunidade e o sinal de que o betão, os edifícios, têm utilidade para as pessoas e para o conhecimento e o saber para formar o caráter os homens e as mulheres do futuro, amigos da natureza, do ambiente” - sustentou. Neste sentido, deixou uma mensagem aos alunos das escolas de Ponta Delgada: “Desafiem sempre a Câmara Municipal para vos ajudar a sair da escola, vivendo a vida mais do que ouvindo falar dela”. Na sessão de abertura do seminário “Cidadania e Sustentabilidade para o século XXI”, que contou com a presença de várias entidades, a Presidente do Conselho Nacional de Educação, Conceição Bettencourt, agradeceu a parceria da Câmara de Ponta Delgada e referiu que o projeto em questão, que envolve várias escolas dos Açores, “nasce muito da necessidade de valorizar as nossas ilhas”. Este projeto, adiantou a mesma responsável, pretende transformar os alunos de várias idades cidadãos mais implicados e mais responsáveis, com vista a melhorar o estado do planeta. O projecto envolve 125 professores, cerca de 450 alunos de 9 escolas do ensino básico e secundário, 15 formandos de vários organismos governamentais e não governamentais, bem como três consultoras e 30 parceiros de âmbito regional e nacional.

PSD é o único a subir mas PS mantém vitória
Apesar de as sondagens continuarem a dar a vitória ao PS, o partido dos sociais-democratas é o único a subir nas intenções de voto, de acordo com o barómetro do Diário de Notícias (DN). O PSD reúne assim 28% de votos favoráveis, enquanto o PS se mantém nos 31%. O PSD subiu quatro pontos percentuais nas intenções de voto das sondagens de Março do DN, face ao barómetro anterior, que data de Setembro. Ainda assim, o PS ganharia as eleições legislativas se estas se realizassem agora, com 31% dos votos. A percentagem dos socialistas foi igual à das últimas sondagens, ou seja o PSD teve de ir buscar os quatro pontos

percentuais que conquistou a outras facções políticas. Por outro lado, os restantes partidos com assento parlamentar registaram uma quebra, sendo o Bloco de Esquerda aquele que teve a queda mais significativa: dos 11% que reunia em Setembro, desceu para 8%. Já quanto ao CDS, de 7% passou para 5%, e a CDU perdeu um ponto percentual, ficando nos 12%. Em relação à percentagem de votos brancos ou nulos, os números continuam elevados, rondando os 11%, o mesmo valor do que em Setembro, o que traduz a desconfiança e desmotivação dos portugueses em relação à classe política em geral.

18 Março 2013

Ler e contar . 19

15 de Março... foi agora (e ainda há pranto no coração) Será o seu telemóvel, o seu A “grande hecatombe” novo médico? já entrou na História
Fernando Cruz Gomes

*Aplicação para smartphone analisa urina.
Diogo Fresco

Estátua viva agride turista
Um homem estátua numa rua da Austrália agrediu a soco um turista que o estava a provocar. Um artista de rua não resistiu à provocação de um turista numa rua da Austrália e agrediu o homem com um soco. A cena foi publicada sextafeira, dia 15, no Youtube, num vídeo que mostra várias pessoas a observarem a atuação

Caro leitor, imagine-se ir à casa de banho e analisar a sua própria urina através do seu smartphone! Acha impossível?! Já esteve mais longe… Um investigador indiano desenvolveu uma aplicação para smartphone que é capaz de analisar a presença de mais de 10 marcadores na urina, os quais cobrem mais de 25 condições clínicas diferentes. Esta aplicação denominada por uChek foi apresentada recentemente na conferência Technology, Education and Design 2013, nos EUA. A tecnologia, desenvolvida por Myshkin Ingawale, utiliza a câmara do smartphone e tira fotografias às tiras químicas colocadas numa amostra de urina. Posteriormente, é comparado com um mapa de cores codificado e em alguns segundos revela os resultados. No ecrã do smartphone pode ser visualizado, em forma de gráfico, os níveis de glucose, bilirrubina, proteínas, cetonas, leucócitos e mais cinco variáveis diferentes. A informação é apresentada num formato de fácil compreensão, utilizando resultados positivos ou negativos, podendo-se clicar em palavras-chave como “leucócitos” para obter mais informações. Os resultados do teste uChek podem ajudar no controlo da diabetes, bem como problemas associados à bexiga, rins e fígado. Adicionalmente, este também pode indicar a presença de uma infeção urinária. A aplicação está atualmente a ser testada num hospital em Mumbai, Índia, e em aprovação pela Apple. O investigador espera que em breve esta aplicação esteja disponível para o iPhone, estando também prevista uma versão para Android. Myshkin Ingawale revelou que em testes iniciais realizados em 1200 amostras, a utilização desta aplicação apresentou resultados mais precisos comparativamente com os resultados obtidos com a visão humana. O uChek não é a primeira aplicação desenvolvida por Myshkin Ingawale. No ano passado o investigador apresentou, na mesma conferência, um exame sanguíneo capaz de ajudar no diagnóstico de anemia e que não necessita de tirar sangue. “Quero trazer para as mãos dos utilizadores os exames médicos. Há um potencial enorme para trazer o mundo da bioquímica para a mão dos utilizadores através de aplicações. Estou a tentar democratizar a saúde”, revelou, em comunicado de imprensa, Myshkin Ingawale. Até para a semana!

de um artista de rua. Enquanto simulava uma estátua viva, o ator foi confrontado com a chegada de um turista que, decidido a provocar uma reação, chegou a enfiar um dedo no ouvido do artista. Apesar dos pedidos para que parasse, o homem continuou a provocação até que o ator o derrubou com um soco.

52 anos. Passaram-se, agora, 52 anos sobre o início da “grande hecatombe”. Na madrugada de 15 de Março de 1961, começava a reescrever-se a História de um País portentoso, que a teimosia dos homens e a pequenês dos que mandam... está a tornar pequeno. O cérebro ainda regista factos. Mas o coração ainda os sofre. Sobretudo agora que faz também anos em que alguém me fez chegar a notícia da morte, com 93 anos, do Mesquita Lemos, jornalista que me atendeu em Luanda, no então Rádio Clube de Angola, quando – jovem que eu era – pedia conselho sobre a forma de actuar em toda aquela miséria. Dele ouvi eu palavras serenas. Sensatas. Experientes. - Com o cuidado que puderes... deves dar a notícia! Tens de dar a notícia que a isso somos obrigados pela nossa condição de Jornalista. Mesquita Lemos sabia. Mesquita Lemos deu-me o “norte”. Anteriormente, dirigia-me para o Jornal local. Ia até um pouco mais cedo já que tinha de efectuar uma chamada telefónica para a capital. Na redacção do pequeno jornal, peguei no telefone - por essa altura ainda manual - e esperei que a telefonista atendesse. Só que as habituais longas esperas multiplicavam-se naquele dia por muitas mais. E enquanto esperava... talvez por os canais telefónicos estarem abertos, fruto da azáfama que na repartição dos correios ia... chegaram-me ao ouvido várias vozes e várias frases. Algumas delas meio em surdina. Outras bem audíveis e com relatos horripilantes... - Na Caipemba... parece que morrerarm todos... - Ao Hospital já chegaram, pelo menos, 30 feridos... - E no Quitexe... parece que ninguém escapou. A crueza dos factos não tardou Era preciso ir ao hospital. E uma vez ali, a crueza dos factos vinha até mim. Era, efectivamente, o começo da grande hecatombe. De todas as partes do ainda chamado Congo Português chegavam notícias e feridos. As notícias vinham pelos roufenhos P-19, enquanto os feridos começavam a amontoar-se nos corredores dos hospitais. A maioria era constituida por brancos, mas havia também muitos negros. A “Hora H” estava a chegar. Os avisos de várias fontes estavam a concretizar-se. Na primeira oportunidade que tive, foi ao Rádio Clube (do Congo Português) que abria as emissões às 9 horas. Liguei os emissores e fiquei à espera de começar a emissão. Pensava. Pensava sobre se haveria ou não de dar a notícia do morticínio, a despeito dos poucos pormenores que tinha. Na mente e no coração tinha eu a formação do jornalista. “Se não quer que noticiemos... não deixe que aconteça”, era a frase de ordem que me incutiram no cérebro desde que, deixando a escola, entrei num Jornal. Por sobre tudo isto, a palavra do “velho” Mesquita Lemos. “Ainda que te custe, que o coração chore... tens de dar a notícia”. Instantes antes das 9 horas, já tinham entrado na estação de rádio dois elementos directivos. Ambos eram de opinião que nada se deveria dizer, a não ser que o Governo mandasse ordens expressas. Calma mas seguramente, disse de chofre: - Eu vou dar a notícia! - Ai isso é que não vai – berraram os outros. - Senhor... quem sabe fazer informação sou eu... - Mas quem manda sou eu! E um deles: - Eu dou um tiro ao primeiro que puser essa notícia no ar... - Pois bem... - disse eu, sem pestanejar, ainda que com o coração a doer... – sou eu o primeiro a apanhar o tiro, porque eu vou mesmo dizer todo o pouco que sei. Fá-lo-ei com as devidas cautelas... mas darei a notícia. Passava 10 minutos da hora normal de abrir e a notícia foi para o ar. Não houve tiros. A única coisa que houve foi, afinal, a angústia de estar a escrever uma História terrível. Que estava só a começar... Nesse mesmo dia, o comandante militar haveria de enviar, secção após secção, quase todos os seus efectivos para as vilas e povoações que tinham sido atacadas. Pensava ele que o Uige (cidade) não deveria ser atacada. Se o fosse... já o teria sido, na madrugada de 14 para 15, como acontecera um pouco por todo o (então) distrito. No Quitexe, a vilória mais perto do Uige, era um pandemónio. Tudo o que era branco foi autênticamente degolado, à catanada. Os que escaparam... foi porque não estavam na vila. Aparentemente, os negros em revolta chegavam-se às lojas comerciais e pediam este ou aquele artigo. Quando o dono da loja ou a esposa se virava para satisfazer o pedido, era atacada, pelas costas, com catanas enormes. Quando cheguei à vila mártir... só havia que confirmar. Fora com um pelotão militar que, depois, se deveria subdividir em secções que iriam para outras partes da zona. O que havia... era apenas destruição e morte. O meu “baptismo de fogo”

O major Abreu – muito maltratado pelos “media” e por alguns orgãos do (então) Poder – não tinha soldados no seu eufemisticamente chamado “Batalhão” de Caçadores. De resto, a maioria dos efectivos era constituida por negros. Teve de distribuir armas que tinha. A mim entregou-me uma “Enfield” da guerra de 14-18 - para defesa pessoal e para uma nascente milícia. Nessa noite, fui fazer o meu quarto de sentinela. Era no Grande Hotel – que de Grannde Hotel só tinha o nome. Cerca de um quarto de hora antes da meia-noite, já eu estava no meu posto. Fumando intermináveis cigarros, ia conversando com dois ou três colegas de guarda àquela zona. Haveria de ficar a saber que nenhum deles percebia nada de armas. O que era sintomático para a defesa em causa... se algo acontecesse. - São centenas deles, dizia um. A despeito de tentar descortinar as tais centenas... não conseguia ver mais do que uns 10 ou 20... a rastejar. De qualquer modo, fui aprontando a arma para o que desse e viesse. Nunca dera um tiro na minha vida e até estava curioso sobre como é que reagiria a este género de perigo. Olhei para os outros e, de repente, reparei que todos se aprestavam para fazer fogo. - Todos para aqui! Desse lado, não vem ninguém. É aqui pelo Norte... Ainda as palavras não eram ditas e fez-se ouvir um tiro. A este outros - muitos outros - se seguiram. Decerto que as munições iam escassear, se todos continuassem a fazer fogo para vultos que ainda mal se viam. Eu, na pele de defensor do ataque, ainda não dera um único tiro. Tinham-me dito que tinha não sei quantas balas na camara... se as gastasse todas, de uma vez, onde aquilo tudo iria parar?! Se fosse ataque a sério, e com a defesa tão pouco profissional, entendia que poucos ficariam para contar. Mais tiros partiram. Mais armas vomitavam fogo. Experimentei também. Puxei do gatilho e... apanhei o safanão habitual (para quem sabia) com que não contava. Mal me tive de pé. E os negros continuavam a avançar... Quis dar o segundo tiro. Puxei, de novo, o gatilho. A arma não respondeu. Voltei a puxar. Nada. Os suores frios começaram a aparecer por sobre a face do jornalista feito militar. Nova insistência e, de novo, nada a acontecer. Era preciso tomar uma atitude. A primeira foi virar a arma ao contrário. Se eles viessem - pensava - ia defender-me à coronhada. Só à coronhada porque mais nada podia fazer, já que a arma, pelos vistos, encravara. Mesmo assim... vou olhando para os outros. E vi a “mecânica”. Naquelas armas... era preciso meter a bala na camara, o que fiz, e, depois do primeiro tiro, meter de novo outra bala... e assim sucessivamente. O ataque à cidade gorou-se. Do lado dos atacantes partiram alguns tiros. Não muitos, mas alguns. Eram de duas ou três armas mais ou menos artesanais a que chamavam canhangulos. Usavam sal e cabeças de pregos, como munições. Mas a maior parte dos atacantes, pelos vistos, nem armas tinham. O ataque e mais do que o ataque... a defesa durou pouco mais de 15 minutos. De longe, viam-se alguns dos assaltantes a fugir, levando consigo mortos e feridos. Poucas horas depois, quando o dia clareou e foi possível ir ao local... só se viam rastos de sangue e mais nada. Da refrega, visìvelmente, não havia vestígios mortais. Nesse mesmo dia... o Rádio Clube abriu mais tarde. Instalado num autêntico posto de vigia - já que o prédio em que o instalaram era na parte mais alta da rua central e era mais alto que os outros - ali chegavam imagens e sons. Naquele dia, a cidade era um pandemónio. Tiros a toda a hora, apenas para experimentar pontaria. Às 9 e 30... ouve-se uma grande algazarra. Era um homem negro que, ou por não saber do acontecido ou por qualquer outro motivo, vinha paulatinamente para a cidade onde normalmente trabalhava. De longe ou de perto... várias vozes gritaram: - Pára! Mãos ao ar... O homem parou e pôs as mãos no ar. Mesmo assim... uns 30 tiros partiram. O negro caiu ao chão. Quando alguém se chegou a ele... só via estampado nos seus olhos o terror. Só que dos 30 tiros... nem um o tinha atingido. Era fraca a pontaria. Não havia qualquer estratégia de defesa. Era um pandemónio. Soube-se mais tarde que aquele homem era, afinal,contínuo do Banco de Angola. Dois dias mais tarde, a Polícia foi buscar uns 6 ou 7 trabalhadores negros da instituição bancária. O rapaz dos tiros foi um deles. Ficaram amarrados numa parede que estava a ser erguida naquilo que viria a ser a sede de um clube. Deveriam ser, depois, enviados para Luanda porque, segundo a Polícia, “tinham culpas no cartório”. Durante a noite, porém, nunca se soube quem, alguém se entreteve a asssassinar a todos, a golpe de sabre. - Mas isso é bárbaro - dizia alguém. - Bárbaro é tudo isto de um lado e do outro - acentuava eu, rilhando os dentes para não chorar, já que a tragédia começava, entretanto, a alastrar. As faúlhas da grande fogueira ainda se vêem, a despeito de já terem passado 52 anos.

20 . Automobilismo Novo Range Rover Sport a descoberto

18 Março 2013

Uma vitória fácíl da Audi
A Audi venceu facilmente as 12 Horas de Sebring, a última vitória na prova americana, pois no próximo ano os carros da categoria LMP1 não vão poder participar. O triunfo sorriu a Benoit Tréluyer, Marcel Fässler e Oliver Jarvis, embora a Audi tenha autorizado os dois R18 e-tron quattro a lutar pela vitória. Mesmo assim, na última hora, Tom Kristensen deixouse ficar a cerca de 10 segundos de Tréluyer. O terceiro lugar foi para o Lola-Toyota da Rebellion, uma questão arrumada a quatro horas do fim com uma penalização ao Honda da Muscle Milk, que assim perdeu uma volta. Marino Franchitti, Scott Tucker e Ryan Briscoe venceram a categoria LMP2 num dos dois Honda da Level 5. A equipa de Tucker herdou o triunfo logo a meio da corrida, com o abandono do carro da Extreme Speed. Em LMPC, venceu o carro da PR1 Mathiasen, após uma luta até ao final com a BAR1 Motorsports. Oliver Gavin, Richard Westbrook e Tommy Milner foram os melhores na categoria GT, no Corvette ZR1.R oficial, herdando o triunfo a dez minutos do fim devido a dois erros consecutivos de Matteo Malucelli no Ferrari da Risi. Pedro Lamy foi apenas 9º na classe depois do Aston Martin ter perdido 25 voltas nas boxes a reparar o cabo do acelerador.

12 horas de Sebring

Paulo Alves – Carlos Moreira

Primeira imagem do modelo foi revelada na internet à revelia dos dirigentes ingleses.

Surgiu quarta-feira no Facebook, a abrilhantar a página “VMax 200”, mas houve alguém que não gostou nada da brincadeira e tentou inclusive removê-la, de acordo com o site do Automotive News Europe. Tudo porque a apresentação oficial do novo Range Rover Sport tem data marcada para 26 de Março, durante o Salão Automóvel de Nova Iorque. E nestas coisas, já se sabe, o secretismo impõe-se! A imagem revela um desenho da carroçaria inspirado no Range Rover Evoque, visível na grelha dianteira e no acabamento a negro dos vidros e pilares. O design mais aerodinâmico promete melhorar a economia de combustível e contribuir para o que será “o mais rápido, desportivo e ágil Range Rover Sport de sempre”, de acordo com a própria marca. Enquanto ele não é revelado, aproveite para ver esta produção em vídeo que serve de “teaser” do novo modelo e que com certeza terá custado alguns milhares de euros à Land Rover.

Red Bull em grande
A par da Lotus, também a Ferrrari esteve bastante bem, com Fernando Alonso a ser segundo, na frente de Sebastian Vettel, que não conseguiu mais do que defender o terceiro lugar face a Felipe Massa, que esteve igualmente muito bem na corrida, especialmente na primeira metade. A estratégia de duas paragens e uma gestão perfeita dos pneus deu à Lotus a 20º vitória da equipa na F1, e a primeira na Austrália. Lewis Hamilton foi quinto com o Mercedes, na frente de Mark Webber, que voltou a arancar mal, condicionando logo aí o seu resultado final. O australiano partiu mal, caiu para sétimo, e só conseguiu recuperar até ao sexto lugar. O ritmo que a Red Bull sempre mostrou nos treinos e qualificação nunca teve paralelo na corrida, e a razão disse-a Vettel no pódio: “Os pneus ‘foram-se’ num instante, e são muito difíceis de gerir”. No pólo oposto, a Lotus mostrou que é uma séria concorrente aos lugares cimeiros, pois com um carro

e-up! Volkswagen aposta num eléctrico puro

Confirmou-se exatamente o esperado. Os Red Bull são os carros mais rápidos do plantel, mas em corrida, a degradação dos pneus baralhou por completo as contas e foi Kimi Raikkonen e a Lotus a darem muito boa conta de si, com uma estratégia de apenas duas paragens, vencendo com todo o merecimento a prova de abertura do Mundial de F1. O grupo alemão vê neste segmento uma oportunidade de negócio, embora poucos europeus tencionem adquirir veículos novos. E menos ainda se forem eléctricos. A velha Europa não é toda igual. Uma insustentável divida nos países mediterrânicos -- e não só -- tornou apenas mais profunda esta heterogeneidade. Numa realidade todos convergem: o futuro da indústria automóvel deixou o eixo franco-alemã e rumou finalmente a oriente. Os gigantes deste sector, como o grupo Volkswagen, não deixaram de vender no território europeu; vendem menos. Os gigantes deste sector, como o grupo Volkswagen, não deixaram de produzir no território europeu; produzem menos. Alguns mudaram-se de armas e bagagens para o Extremo Oriente do mundo, onde a China ergue fábricas de raiz, garante mão-de-obra qualificada e produz veículos a metade do preço. Às vezes menos. Os lucros aumentaram de imediato e foram batidos recordes de outros tempos. Talvez por existir um desafogo financeiro, inimaginável quando a crise do subprime pôs o mundo financeiro em sobressalto, o grupo Volkswagen tenha apostado num eléctrico puro, apesar de ninguém os fazer mais, apesar de ninguém os comprar mais. O novo e-up! será apresentado em Setembro, durante o salão automóvel de Frankfurt. O novo Volkswagen e-up! deve chegar em Setembro ao mercado europeu.

Uma parceria entre a Nokian e a Audi resultou num novo recorde de velocidade máxima sobre o gelo. É ver para crer. Já em 2011 tinham estabelecido um recorde, na altura de 331 km/h, mas a Nokian decidiu que estava na altura de superar a marca estabelecida em Agosto desse ano. Recorrendo ao mesmo carro e piloto, um Audi RS6 conduzido por Janne Laitinen, a marca de pneus nórdica conseguiu assim elevar ainda mais a fasquia, garantindo que o feito permaneça no Livro do Guiness durante mais alguns anos. A prova foi realizada numa pista de gelo situada no Golfo de Botnia, na Finlândia, de 12 km de comprimento, e tinha de cumprir com determinadas condições para fazer parte de um dos livros mais famosos do mundo. Uma delas é a qualidade do gelo, que deve ser totalmente natural e não conter químicos que aumentem a sua espessura.

Recorde: um Audi RS6 atinge 335 km/h sobre o gelo!

Além disso, os pneus têm de ser dirigidos ao público convencional e não à competição, algo que a Nokian aproveita obviamente para efeitos de marketing.

Vamos ajudar o pequeno Tristen a Triunfar no combate a Leucemia
Próxima fase bastante complicada para os pais
Neste momento, Tristen encontra-se na terceira de cinco fases com a quimio-terapia, já com oito transfusoes, aproxima-se um momento complicado para o seus pais: “A proxima fase é a que vai ser mais difícil para nós, não só para ele, mas também para nós...” Será a partir de 17 de Abril, que ele vai perder o cabelo, vai ficar muito magro, vai vomitar muito, e para falar com qualquer pessoa terá que utilizar uma máscara na cara” explica. Problemas que os pais vão ter de encarar, tendo de fazer modificacoes em casa, nomeadamente, tirar as carpetes, e adaptá-las ao menino, num espaço de pelo meno três anos, terão que ter uma boa saude financeira. Alguns medicamentos são financiados a cem por cento, mas outros não. Por exemplo, na semana passada, só num remédio

18 Março 2013

Comunidades . 21

Sérgio Mourato

tiveram que pagar “280 dolares”, e onde alguns amigos que ja passaram pelo mesmo problema tiveram de pagar por cada injecção “dois a três mil dolares”. “Estou habituado a ajudar a comunidade, onde tenho ido, sempre que posso a algumas angariacoes de fundos, mas agora... sou eu a pedir ajuda” reconhe humildemente. No dia 24 de Marco, domingo, tera lugar uma “Open House” na Liuna Local 183, Gerry Gallagher Hall, 1263 Wilson Avenue (Toronto), entre as 12h e as 20h, uma campanha, onde alem de actuacoes de alguns grupos e artistas da comunidade, haverá serviço de refeições, com um espaço destinado para as crianças, com diversões e palhaços. Não haverá bilhetes de entrada, será ao criterio de cada um o donativo a entregar para ajudar o pequeno Tristen nesta luta.

“Tristen’s Triumph” é a denominação de uma campanha que pretende angariar verbas para ajudar um menino de quatro anos que está a lutar contra a leucemia. Tristen Silva já recebeu oito transfusões de sangue, encontrando-se neste momento na terceira de cinco fases de tratamento com a quimio-terapia, num processo que pode demorar três ou mais anos. Filho de um cantor luso-canadiano, Reno Silva, foi no dia 18 de Dezembro de 2012, que os pais comecaram a viver este pesadelo. “Há dois dias que ele (Tristan) ja apresentava alguns sintomas, com dores na barriga e tambem estava muito palido” comecou por explicar o seu pai. O progenitor e a mãe, Pearl, resolveram ir ao médico, que os enviou directamente para o hospital em Mississauga “onde lhe fizeram alguns exames”. Mais tarde, quando foram conhecidos os resultados, veio o choque, pois disseram-lhes que “havia uma grave complicação no sangue”, facto que constituiu para eles (Reno e Pearl) algo de novo, complicado, e a que não estavam habituados. A mae, desde o dia 19 de Dezembro de 2012, que não trabalha, dando apoio ao pequeno Tristem. Reno lamenta o facto do Natal, data bastante importante para as criancas, “ter sido passado no Sick Kids Hospital”. “Ele teve tambem de desistir por agora, da escola, do hoquei, da natação, e se calhar, só este Dezembro é que pode voltar, mas nada é certo, depende tudo dos resultados de novos examos a efectuar” frisa.

1209-A DUNDAS ST.WEST TORONTO ON M6J 1X3 416 537 8988

a r o g a á e Ej t n e m i r e a i r exp a ç o d a s s a no

ABERTO 7 DIAS POR SEMANA 24 HORAS POR DIA

Jack’s Bakery

Faça ainda hoje as suas compras para a Época da PÁSCOA!

mo o c e Hoj em ont EM B R I V R E S ÉO MA E L O S S O N

TENTE ENCONTRAR NO MERCADO LOCAL UMA AMÊNDOA QUE NÓS NÃO TENHAMOS!

Jack´s Bakery Faz-lhe um desafio:

352 Oakwood Ave, Toronto, ON

(416) 651-1780

22 . Actualidade

18 Março 2013

“Novos Tempos” na Igreja Católica
Francisco é o nome escolhido para o sucessor de Bento XVI. O novo Papa é um jesuíta, tem 76 anos e é filho de uma família de operários de caminho-de-ferro na Argentina. Tornou-se padre em 1969. Trata-se do primeiro Papa das Américas e de fora da Europa. Francisco nasceu em Buenos Aires, era arcebispo da sua cidade e em 2001 foi ordenado cardeal por João Paulo II. Francisco I é o 266º Papa da História.

*Cardeal argentino Jorge Mário Bergoglio eleito Papa *Francisco é seu título papal e foi eleito a quinta ronda de votação do Conclave
O português, que vive há mais de 50 anos na Argentina, adiantou que os argentinos foram apanhados de surpresa com a eleição do cardeal-arcebispo de Buenos Aires, Jorge Mário Bergoglio, como novo papa. A imprensa argentina dá grande destaque à eleição de Jorge Bergoglio como papa, notícia que “comoveu o país”, mas também lembra a relação “áspera” de Néstor e Cristina Kirchner com o antigo líder da Igreja católica no país. Na versão eletrónica do diário Clarín pode ler-se que a notícia comoveu aquele país e o mundo. No mesmo texto recorda-se que o hoje papa foi antes, “durante muito tempo”, chefe da igreja Católica ali, e “teve uma relação áspera” com os governos de Néstor e Cristina Kirchner. “O ex-presidente chegou a identificar o então cardeal-arcebispo como ‘verdadeiro representante da oposição’. Na mesma altura, Bergoglio queixou-se das declarações de Kirchner”, escreve o jornal.

Na sexta-feira, às 10.00, o Papa recebeu os cardeais do Colégio Cardinalício na Sala Clementina, no Vaticano. No sábado, foi a vez de receber os jornalistas e os responsáveis da comunicação do Vaticano, na sala de audiências Paulo VI. As duas votações de terça-feira para a eleição do sucessor de Bento XVI tinham sido inconclusivas, tal como as duas da manhã de quarta-feira. O anúncio seria feito mais tarde pelo cardeal Jean-Louis Tauran, da França, e o mundo viveu cerca de uma hora com os olhos postos na varanda do Vaticano. Como manda a tradição, depois de eleito, o novo Sumo Pontífice foi até à Sala da Lágrimas vestir as vestes papais, dirigindo-se depois à Capela Paulina, antes de se apresentar aos fiéis na varanda da Basílica de São Pedro. No domingo, Francisco I recitou a tradicional oração do Angelus, a partir da janela dos apartamentos papais, diante de uma multidão. Hoje, segunda-feira, parece ser o primeiro dia de “folga” do novo Papa, que retoma a sua agenda na terça-feira. Às 8.30 tem início a missa inaugural, na presença de dignatários estrangeiros. Quarta-feira, uma semana depois da sua eleição, Francisco participa na audiência para os delegados fraternos, representantes de outras igrejas cristãs e comunidades eclesiásticas.

Novo Papa gosta de futebol
Bergoglio, que será conhecido como papa Francisco I, é um intelectual jesuíta, que viaja de autocarro e tem uma visão prática da pobreza: quando foi nomeado cardeal, conveceu centenas de argentinos a não viajarem para Roma, de acordo com um pequeno perfil publicado pelo jornal inglês The Guardian. Em vez de irem ao Vaticano celebrar a nomeação, Bergoglio pediu que dessem o dinheiro da viagem aos pobres. Foi um dos mais ferozes opositores à decisão das autoridades argentinas de legalizar o casamento homossexual em 2010, argumentando que as “crianças precisam de ter o direito a ser criadas e educadas por um pai e uma mãe”. No entanto, de acordo com o The Guardian, é um moderado, tendo recebido a dignidade cardinalícia de João Paulo II, a 21 de fevereiro de 2001. O novo papa é um reconhecido adepto de futebol e manifestou por diversas ocasiões ser um seguidor do San Lorenzo de Almagro, clube fundado pelo padre Lorenzo Massa em 1908, tendo celebrado mesmo a eucaristia que assinalou os cem anos do clube.

Devoção a Nossa Senhora
O papado de Francisco começou com uma deslocação à Basílica de Santa Maria Maior, em Roma, para rezar à Virgem Maria, na quinta-feira. Missa inaugural é na próxima terça-feira, dia 19 de março, Dia de São José, o padroeiro da Igreja Católica. Na quinta-feira, a partir das 16.00, o novo Papa presidiu a uma missa na Capela Sistina, onde estiveram presentes os 114 cardeais que o elegeram, ao segundo dia de Conclave.

Discrepância com políticas do governo
O presidente do Conselho das Comunidades Portuguesas na Argentina disse que o novo papa é visto em Buenos Aires como um homem com alguma discordância com as políticas do Governo. A imprensa local lembra o mesmo. “É visto como um homem lutador, defensor da igreja e com alguns problemas com o Governo. Aparentemente não está muito de acordo com a política deste Governo”, disse à agência Lusa Analido Mendes Amaro.

Quando for grande... quero ser pequeno!
Lemos Caldas diz-se... um “avô babado”. E atira aos ares essa sua condição. Que muitos de nós gostaríamos de ter também... Pelo que essa condição, pelos vistos, representa (ou deveria representar...) Vale a pena ler: “Hoje sou um avô “babado”! Como tal, não resisto a partilhar convosco um “escrito” de um dos meus netos, o Bernardo, que está em Londres, no Imperial College, a fazer o mestrado em engenharia informática e que tem 21 anos. Estudou no Colégio de São João de Brito, em Lisboa e no IST. Disse ele sobre o Papa Francisco:    “ Há pessoas que são grandes. Grandes homens, grandes políticos, grandes activistas, grandes pelo que fazem e pelo que dizem. Pessoas que admiramos pelo seu poder, pela sua influência, pela sua inteligência, pelo seu sucesso. Admiramo-las e queremos ser como elas, quando formos grandes.  

Papa Francisco

“Foram buscar-me ao fim do mundo”
Cardeal Jorge Bergoglio é o Papa das estreias: é o primeiro Francisco, o primeiro sul-americano, o primeiro jesuíta, o primeiro a rezar com o povo na sua apresentação.
Veio do outro lado do Atlântico. O  recémeleito Papa Francisco, o jesuíta argentino Jorge Mario Bergoglio, foi a supreendente escolha do colégio cardinalício. Da varanda da Basílica de São Pedro, no Vaticano, foi o próprio  que o  reconheceu.  “Irmãos e irmãs, boa noite. Como sabeis, o dever do Conclave era dar um Bispo a Roma, mas os meus irmãos cardeais foram buscá-lo quase ao fim do mundo”, afirmou. “Agradeço-vos o acolhimento. À comunidade diocesana de Roma, agradeço. Antes de mais, gostaria de fazer uma oração pelo Bispo Emérito Bento XVI. Façamo-lo todos juntos para que o Senhor o abençoe e Nossa Senhora o proteja”, disse. Depois, surgiu algo  inédito na primeira aparição pública de um Papa: rezou um Pai Nosso e uma Avé Maria em conjunto com os milhares de fiéis que o aclamavam na Praça. “Agora começamos este caminho, Bispo e povo, Bispo e povo, pelo caminho da Igreja de Roma que preside na  caridade a todas as igrejas, um caminho de fraternidade, amor e confiança entre nós”, referiu o Papa Francisco antes de começar a orar. “Rezemos uns pelos outros, pelo mundo, para que exista uma grande fraternidade. Que este caminho da Igreja que começamos hoje seja um impulso para a evangelização desta tão bela cidade”, referiu, num apelo à união da Igreja. “Gostava de vos dar a bênção, mas peço-vos primeiro que rezem ao Senhor para que me abençoe, que abençoe o seu Bispo. Façamos silêncio neste momento de oração de vós por mim”, acrescentou, inclinando-se para a multidão. Depois, a Praça de São Pedro fez então silêncio. Uns momentos depois, o Papa abençoou os fiéis com a oração “Urbi et Orbi”, que concede a indulgência plenária não só aos fiéis presentes, mas a todos que acompanham pela rádio ou televisão. “Agora dou vos a bênção e a todo o mundo, a todos os homens e mulheres de boa vontade. Que os Santos Apóstolos Pedro e Paulo, em cujo poder e autoridade temos confiança, intercedam por nós junto ao Senhor. Amen.” De seguida, deixou um “até já”. “Agradeçovos muito. Rezem por mim, vemonos brevemente. Vou rezar a Nossa Senhora. Boa noite e bom descanso”. Por fim, o novo Papa, que até então se tinha mantido sério, esboçou um grande sorriso.

Mas, às vezes, trazido de quase do fim do mundo, aparece uma pessoa que é grande sendo pequena. Alguém que, perante uma multidão que anseia por um discurso, sorri e diz “Boa noite!”; alguém que prefere um autocarro a uma limusina; alguém que, depois de ser eleito para um dos cargos mais influentes do nosso mundo, graceja dizendo “Que Deus vos perdoe pelo que acabaram de fazer!”; alguém que diante de uma multidão curvada perante si, se curva ainda mais pedindo a bênção daqueles que esperavam ser abençoados.   Hoje agradeço a vida do Papa Francisco. Por ser capaz de destruir os meus sonhos de grandeza, de poder, de influência. Por me dar vontade de responder aos que me perguntam o que quero ser quando crescer: “quando for grande, quero ser... pequeno”.  Bernardo Lemos Caldas

 Um abraço do Lemos Caldas

Urtiga - Branca
António Custódio Barros (RNhP 7132) Tel. 416 533-8907
A Urtiga-Branca, planta muito comum na Europa, é muito bem conhecida em Portugal. Também tem o nome de urtiga-morta, devido a não possuir espinhos mas sim pêlos que não danificam a pele de quem lhes mexe e é inofensiva. Possui um cheiro agradável e suave como o mel, tendo um sabor bastante agradável. As folhas e as flores são as partes mais utilizadas, as suas utilizações na medicina natural. É usada como expectorante em chás de mistura, assim como no tratamento de distúrbios das senhoras, corrimentos, problemas inflamatórios ginecológicos, perdas abundantes menstruais. Outras utilizações são em misturas de chás para diabetes, tratamento das hemorróidas, vaginites, infecções nas gengivas e tratamento de lesões da pele tais como feridas e queimaduras. Usa-se em champôs e loções para tratamento da queda capilar e como tratamento em casos de comichão do couro cabeludo, melhorando a descamação e a caspa. É usado como tratamento erradicante do ácido úrico em excesso evitando a progressão da gota úrica. Pode tomar-se sob a forma de chá, cápsulas e extracto ou ainda tintura-mãe. Uma Boa Semana.

18 Março 2013

Coisas e loisas . 23 Clubes e Associações
ARSENAL DO MINHO - Domingo, 31 de Março, Almoço Pascal com baile, às 13h00. Informações: 647-8884616. ASSOCIAÇÃO CULTURAL DO MINHO - Domingo, 31 de Março, Almoço de Páscoa. Lithuanian Hall, 1573 Bloor St. W., com início às 12h30. Haverá o tradicional beijar da Cruz. Actuação do conjunto Mexe-Mexe e do Rancho Folclórico da ACMT. Som a cargo de TNT Productions. Informações: 647-404-9501. ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOS DE RABO DE PEIXE - Sábado, 23 de Março, Festa do Chicharro. Casa das Beiras, com início às 18h30. Música por DJ All Star. Informações: 416-654-9313. CASA DO ALENTEJO Quarta-feira, 20 de Março, Ciclo de Cinema Portugal/ Brazil, “A felicidade Suprema” na Galeria Alberto de Castro, às 18h30. Sexta-feira, 22 de Março: Jantar de confraternização e entretenimento “Abrigo”, no salão nobre, às 19h30. CASA DA MADEIRA Sábado, 30 de Março, Festa da Páscoa, às 18h00. Jantar abrilhantado pelo conjunto Ritz, às 19h00. Informações: 416-604-4075. CASA DOS AÇORES Sábado, 23 de Março, 3.º Jantar do Divino Espírito Santo, abrilhantado por Mário Marinho e DJ. Informações: 289-997-8946. CASA CULTURAL DE VILA DO CONDE - Domingo, 31 de Março, Almoço da Páscoa e benção pascal a realizar-se no Europa Catering, às 13h00. Informações: 905-629-9179. CENTRO CULTURAL PORTUGUÊS DE MISSISSAUGA - Sábado, dia 23 de Março, Baile do socio, conjunto Unique touch; Sexta-feira Santa, 29 de Março, Rodízio de Peixe e ensaio de dança. sabado Cantorias ao desafio, 6 e 7 de Abril. Reserve com antecedência. FIRST PORTUGUESE – Sábado, 23 de Março, Noite Açoriana, às 19h00, com jantar e actuações de Raça Latina e António Cordeiro. FUTEBOL CLUBE DO PORTO - Domingo, 24 de Março: Assembleia-geral, às 14h30. IRMANDADE PICOENSE DO D.ESPRITO SANTO Sábado, 23 de Março, 25.º aniversário. Jantar e baile abrilhantado por Tony Câmara e os Sonhos. Clube Português de Cambridge, às 18h00. Informações, 416-654-9932. LUSITÂNIA - Sábado, 30 de Março, Danças de Páscoa com as tradicionais danças pascais. Informações: 416-603-1143. PARÓQUIA DE SANTA MARIA DOS ANJOS – Sábado, dia 13 de Abril, Baile da Primavera. Salão Paroquial, às 7 horas da tarde. Baile abrilhantado por Katy Alves. Informações, 416 656 4170. PENICHE COMMUNITY CLUB - Sábado, 23 de Março, 32.º Aniversário. Jantar de Gala no Ambiance Banquet Hall, às 19h00. Actuações de Inês Henriques e Diana Araújo. Presença do Presidente do Clube de Futebol “Os Belenenses”, António Soares. PORTUGUESE CULTURAL CLUB OF VAUGHAN Sexta-feira, 22 de Março, 2.º Aniversário. Porto de Honra, às 19h00, no Vellore Village Community Centre #2. Domingo, 24 de Março, Almoço de celebração com DJ TNT e actuações dos Ranchos Folclóricos As Estrelas do Norte e Os Antigos, às 12h00. Ambiance Banquet Hall, Informações: 416-319-7545. SPORT CLUBE ANGRENSE - Sábado, 23 de Março, Jantar e baile com o DJ Martins, às 19h00. Sábado, 30 de Março: Baile da Páscoa abrilhantado pelo DJ All Stars, às 19h00.

São muitas as vantagens do xarope Dizemos algumas
e Mostr io núnc A e t s e – Terá 20% nto Desco

NEERA

RECEITA ORIGINAL – O processo de fabrico continua a seguir a receita concebida pelo criador da Cura com sumo de Limão. * Mistura de dois tipos de seiva: seiva de palma (rica em potássio e sódio); seiva de ácer (rica em manganês e zinco); Seivas de Grau C – o grau mais rico em cálcio, zinco, manganês e ferro. * Tecnologia de “Hot-Filling”, embalada a quente, não necessitando de conservantes. Sem aditivos químicos – 100% natural, sem corantes nem conservantes.

O Xarope de NEERA permite:

Promover Bem-Estar

3-5 years experience as a Framer Carpenter. $27 hr/plus vacation pay 10%. Basic English required/ Portuguese speaking for conversation with coworkers. 14 calendar days. - Portugalia Carpentry Inc., 416 677 9166.

OFERTAS DE EMPREGO Help wanted

Anna procura trabalho para restaurante ou cuidar de criancas. Pessoa com experiência. Ligue para 416 284-2034.
CRISTINA PROCURA:
TRABALHO PARA LIMPEZA OU RESTAURANTE PESSOA COMPETENTE 647 761 2842 -Costureira com experiência e fluente em inglês, para a área de Mississauga. Contactar Frances, 647-968-3598. -Homem com alguma experiência em drywal e com transporte próprio. Contactar Carlos, 647-406-7511.

Desintoxicar •Acção drenante •Acção diurética •Acção anti-toxinas Reduzir eficazmente o peso •Acção Lipolítica •Acção anti-gorduras localizadas Reduzir o volume e ventre mais liso •Acção anti-Retenção de Líquidos •Acção Anti-celulítica

* Acção Auto-Regenerante * Acção de Auto-regulação * Acção estimulante * Acção tonificante * Obtenção de um aspecto mais juvenil * Obtenção de maior elasticidade do corpo
Esta dieta não se destina apenas ao emagrecimento mas também para desintoxicar o organismo promovendo o seu bem-estar. A cura com xarope NEERA e sumo de limão é um meio eficaz para desintoxicar o organismo se for feito de acordo com as instruções correctas (aconselhamos a leitura do livro “A cura com sumo de limão”, de K.A.Beyer) e com os ingredientes apropriados. Verificou-se em vários casos que uma alteração de um ingrediente pode provocar efeitos indesejáveis. O uso de produtos de imitação (por vezes contendo conservantes e/ ou aditivos) pode ser prejudicial para esta dieta.

1227 Dundas St. W. Toronto, M6J 1X6 Email: ervanaria@bam-internacional.com www.florauniversal.com

FLORA UNIVERSAL /Lagoa Azul

FACTO - Peixe é incrivelmente bom para nossa saúde. Rico em nutrientes, os vários benefícios mostraram ser extremamente benéficos para nossa saúde e bem estar em geral. Escolha ter peixe a sua mesa pelo menos 4 dias por semana. Seu corpo vai agradecer.

PARA ENCONTRAR PEIXE MAIS FRESCO... SOMENTE NO MAR.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful