Você está na página 1de 84

www.embalagemmarca.com.

br

FALSIF IC AÇÃO
Os piratas não dão sossego às marcas.
Saiba como as embalagens podem combatê-los

MARCAS PRÓPRIAS BISNAGAS


Cosméticos do Pão de Açúcar Selagens diferentes podem
apostam em visual sofisticado mudar a cara do mercado

ENTREVISTA: Presidente da Abimaq fala dos problemas e dos projetos do setor de máquinas
eDITorIal }}} A ESSÊNCIA DA EDIçãO DO MÊS, NAS PALAVRAS DO EDITOR

Coisas que fazem a diferença


a fase de encerramento A intenção é que fornecedores, trans-

N
dos trabalhos da presente formadores e usuários de embalagens
edição da revista, fazen- troquem experiências e informações, num
do um balanço preliminar clima ameno e festivo. A fim de que tal
do andamento do PrÊmIO objetivo seja alcançado, atrações artísti-
EmbalagEmmarca – graNDES caSES DE cas não entram na programação. Entende-
EmbalagEm, cujo encerramento de inscri- mos que o tempo de todos é curto e, por
ções ficou estabelecido para 22 de agosto, isso, procuramos otimizá-lo, promovendo
tivemos mais um motivo para acreditar uma celebração focalizada efetivamente
em nosso trabalho. Embora a data final na homenagem e no incentivo ao for-
para inscrições ainda estivesse distante, o talecimento do packaging brasileiro. O
número de cases apresentados era muito Prêmio é hoje uma importante ferramenta
expressivo. Parece ser uma agradável na missão de transformar informação em
tendência, que vai na mão contrária do conhecimento, que a Bloco de Comuni-
velho hábito brasileiro de deixar as coisas cação se impôs já em sua fundação, 21
para a última hora. anos atrás. Outro instrumento desse alvo
Ainda que sejamos daquele tipo de são os Seminários Estratégicos integran-
otimistas que levam ao pé da letra a tes do cIclO DE cONHEcImENTO, do qual
máxima de que cautela e caldo de galinha o próximo, em 14 de outubro, será o de “Levamos ao pé da
não fazem mal a ninguém, permitimo-
nos acreditar que esta edição do Prêmio
Sustentabilidade em Embalagens.
Trabalhar pelo fortalecimento dessa
letra a máxima de que
superará o êxito da edição inaugural. cadeia, não custa reiterar, é um dos com- cautela e caldo de
Dadas as consultas que vêm recebendo, promissos a que dedicamos o melhor de
os organizadores do evento prevêem que nosso empenho nos últimos dois decê- galinha não fazem mal
o amplo auditório da Fecomercio, em São
Paulo, será completamente ocupado pelos
nios. Assim, embora sendo EmbalagEm-
marca a mais nova – e mais inovadora
a ninguém, mas
interessados em assistir à apresentação – das revistas da área, o corpo jornalístico acreditamos que esta
da editora é o que há mais tempo atua
dos cases escolhidos pelos jurados. Para
que a festa não se limite à cerimônia de efetivamente na especialidade. É uma edição do PRÊMIO
premiação, ao coquetel e ao jantar, estão experiência acumulada que, acreditamos, EMBALAGEMMARCA
tomando providências para que ela seja também contribui para fazer a diferença.
uma reunião o mais produtiva possí- Até setembro. superará o êxito da
vel entre empresários e profissionais da
cadeia produtiva de embalagem. Wilson Palhares
edição inaugural”

Diretor de Redação:
EMBALAGEMMARCA é Wilson Palhares | palhares@embalagemmarca.com.br Público-Alvo
uma publicação mensal da Reportagem: redacao@embalagemmarca.com.br EMBALAGEMMARCA é dirigida a profissionais que
Bloco de Comunicação Ltda. Adilson Augusto | adilson@embalagemmarca.com.br
Rua Arcílio Martins, 53 Flávio Palhares | flavio@embalagemmarca.com.br ocupam cargos de direção, gerência e super-
CEP 04718-040 Guilherme Kamio | guma@embalagemmarca.com.br visão em empresas integrantes da cadeia de
São Paulo, SP Marcella Freitas | marcella@embalagemmarca.com.br embalagem. São profissionais envolvidos com
Tel.: (11) 5181-6533 Departamento de arte: arte@embalagemmarca.com.br o desenvolvimento de embalagens e com poder
Fax: (11) 5182-9463 Diretor de arte: Carlos Gustavo Curado | carlos@embalagemmarca.com.br de decisão colocados principalmente nas indús-
assistente de arte: José Hiroshi Taniguti | hiroshi@embalagemmarca.com.br
www.embalagemmarca.com.br trias de bens de consumo, tais como alimentos,
Administração:
Filiada ao Eunice Fruet | eunice@embalagemmarca.com.br bebidas, cosméticos e medicamentos.
FOTO dE CAPA: STudIO AG – ANdré GOdOy

Marcos Palhares | marcos@embalagemmarca.com.br


Departamento Comercial: comercial@embalagemmarca.com.br O conteúdo editorial de EMBALAGEMMARCA é
João Tichauer | tichauer@embalagemmarca.com.br
resguardado por direitos autorais. Não é
Juliana Lenz | juliana@embalagemmarca.com.br
Karin Trojan | comercial@embalagemmarca.com.br permitida a reprodução de matérias editoriais
Filiada à Wagner Ferreira | wagner@embalagemmarca.com.br publicadas nesta revista sem autorização
Circulação e Assinaturas (Assinatura anual: R$ 99,00): da Bloco de Comunicação Ltda. Opiniões
assinaturas@embalagemmarca.com.br expressas em matérias assinadas não refletem
Ciclo de Conhecimento: necessariamente a opinião da revista.
Ivan Darghan | ivan@embalagemmarca.com.br
sumário }}} Nº 108 }}} agosto 2008

10 Cinco perguntas para Higiene Pessoal 14


Karoline Lankoski, modelo e A linha de lenços de papel Kleenex
apresentadora de programa estréia caixas que servem
ambiental que criou uma linha de também como porta-retratos
cosméticos naturais e chás

Reportagem de
Artigo 16 capa: Pirataria 22
Enquanto a pirataria se globaliza, também se
Para Sterling Anthony, embalagem acentuam os avanços nos métodos antifalsificação
é o componente mais tangível da de embalagens, para proteger as marcas
Budweiser, comprada pela InBev

Prêmio Entrevista:
EmbalagemMarca 30 32 Luiz Aubert Neto
Segunda edição do prêmio concedido Presidente da Abimaq, do setor de
aos grandes cases de embalagem máquinas, questiona a sobrevivência da
ultrapassa as 170 inscrições indústria nacional de bens de capital

40 Cervejas Higiene
Com garrafa retornável de
1 litro, Skol busca avançar
pessoal e beleza 48
no consumo doméstico Embalagens de nova linha infantil da Natura se
transformam em brinquedos “ecologicamente corretos”

52 Plásticas Marcas próprias 62


Ciclo de
Conhecimento 70
Cada vez mais diferenciado,
o corte das selagens vem dar A Taeq, do grupo
Apontar caminhos, o
personalidade às bisnagas Pão de Açúcar, lança
objetivo do Semi-
uma linha de
nário Estratégico de
beleza com
Sustentabilidade na
fórmulas

66
área de Embalagem,
exóticas e
Lynn Dornblaser embalagens
preparado para
outubro
exclusivas
Pesquisadora do Mintel
pinça exemplos de
apresentações inovadoras

Internacional 72
71 Internacional Inovação inglesa para leite
junta garrafa feita com polpa
Garrafa de PET para azeite
de papel reciclado e bolsa
procura imitar garrafa de vidro
biodegradável

4 EmbalagemMarca agosto 2008


Editorial 3
A essência da edição do mês, nas palavras do editor

Espaço aberto 6
Opiniões, críticas e sugestões de nossos leitores

Só na web 8
O que a seção de notícias de www.embalagemmarca.com.br
e a e-newsletter semanal levam aos internautas

Panorama 44
Movimentação do mundo das embalagens e das marcas

Painel gráfico 56
Produtos e processos da área gráfica para a produção de
rótulos e embalagens

Display 74
Lançamentos e novidades – e seus sistemas de embalagens

Almanaque 82
Fatos e curiosidades do mundo das marcas e das embalagens

www.embalagemmarca.com.br
espaÇo aberTo }}} OPINIÕES, CRÍTICAS E SUGESTÕES DE NOSSOS LEITORES

no varejo começou com o lançamento, América Latina. Sigam em frente.


pela AmBev, do pack de 18 latas da Skol Natalia Diaz
em 2007. Na verdade, o processo teve Rochester, Nova York (EUA)
inicio no segundo semestre de 2006. A
Ladal (fornecendo o filme) e a BR Ind. Design de Chronos
e Com. de Embalagens Plásticas Ltda.
(co-packer) possibilitaram o projeto que, A reportagem intitulada “Com travas
naquele momento, consistiu em proporcio- móveis”, sobre a linha Chronos, Flavo-
nar ao cliente que mensurasse os resultados nóides de Passiflora, da Natura (Embala-
sem nenhuma alteração em suas linhas de gEmmarca nº 106, junho de 2008), traz a

produção. Aliás, naquela ocasião a AmBev informação inverídica de que a Nó Design


lançou simultaneamente packs de 15 e de foi quem criou o design da embalagem.
18 latas, todos feitos por Ladal e BR. De Na verdade, essa agência não participou
acordo com a receptividade do consumidor, de nenhuma fase do projeto. O design
a AmBev optou por promover adaptações da embalagem e a solução técnica foram
Robôs nas suas linhas para o item com 18 unida- 100% desenvolvidos pela Natura, em par-

Com relação ao artigo “A lógica versus a des. Ou seja, foi um tiro certeiro, conforme ceria com a Incom. Isso se trata de uma
mostrou a matéria da edição de julho. apropriação indevida dos créditos de cria-
situação”, gostaríamos de informar que a Roberto A. Lacerda ção. Gostaria de saber como esta informa-
Pavax é pioneira na distribuição oficial dos Diretor ção chegou a vocês.
robôs Fuji-Ace para o Brasil. Ladal Plásticos e Embalagens Ltda. Rômulo Zamberlan
A Fuji não trabalha com representantes Rio Claro, SP Coordenador de
exclusivos, e temos um contrato de distri- Inovação em Embalagens
buição assinado com eles desde 2007. Dife- Viajar impreciso Natura

Vimos, por meio desta, agradecer à equi-


rentemente de outros no mercado, a Fuji Cajamar, SP
somente fabrica os robôs, não fazendo inte-
gração. Somos responsáveis tecnicamente pe de redação e edição da Revista Emba- Na reportagem está dito que o mérito do
pelos sistemas, inclusive desenvolvendo lagEmmarca sobre a excelente matéria desenvolvimento da embalagem é dividido
atuadores e transportadores na maioria dos publicada na reportagem de capa da edição entre a agência e a empresa. Literalmente:
casos. 106 (junho 2008) com o título “Viajar “O projeto da embalagem foi criado pela
Marcos V. X. da Silveira Impreciso – Embalagens compactas de Nó Design em conjunto com a Natura”.
Diretor – Pavax produtos de higiene pessoal e beleza têm A informação de que a Nó Design teria
Barueri, SP amplo espaço para crescer no Brasil”. A participado do desenvolvimento foi obtida

Sou espanhol, de Barcelona, e traba- equipe da C-Pack parabeniza a revista por no site daquela empresa (www.nodesign.
sua postura transparente, focando o merca- com.br).
lho para a empresa norte-americana RAM do e seus fornecedores em geral.
Mechanical Inc. Fabricamos linhas de pro- Janice Minef da Silveira Vitacarta

G
dução automatizadas principalmente para a Assessora Executiva de Marketing
indústria de engarrafamento. Utilizamos os C-Pack Creative Packaging S.A. ostamos muito da reportagem “Fácil
robôs para as aplicações de paletes de gar- São José, SC de guardar e de visualizar”, publicada na
rafas. Leio EmbalagEmmarca mensalmen- edição número 107 de EmbalagEmmarca.
te e desejo parabenizá-los pela reportagem Sempre atual As novas embalagens dos cereais matinais

S
de capa da edição 107 (“A lógica versus a Kellness ficaram bonitas, com sistema de
situação”). Excelente! ou venezuelana e vivo em Rochester, fechamento criativo e eficiente. O papel
Gervasio López Nova York. Escrevo para felicitá-los pela cartão utilizado nas embalagens é o Vita-
Barcelona, Espanha revista EmbalagEmmarca, que leio desde carta 350g/m², da Papirus Indústria de
que é publicada a versão em espanhol. Tra- Papel S/A. Na reportagem o produto saiu
Multipacks balho em uma indústria de embalagens e com o nome de Vidacarta. Solicito a cor-

Q
sou gerente de produção. A revista é muito reção.
uero parabenizar a revista pela matéria didática e muito informativa. É algo com Amando Varella
sobre multipacks econômicas para cervejas que hoje não posso deixar de contar para Diretor Comercial
e fazer uma observação. Foi citado que a poder me atualizar sobre o que acontece Papirus Indústria de Papel S/A
inovação no sistema de venda de cerveja no mercado de embalagens do Brasil e da São Paulo, SP

6 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


só na web
Uma amostra do que a seção diária de notícias de www.embalagemmarca.com.br e a e-newsletter semanal da
revista levam aos internautas

internacional

Garrafas temáticas de alumínio


A Coca-Cola, uma das empresas patrocinadoras das Olimpíadas,
apresenta uma série limitada de embalagens em comemoração
aos Jogos Olímpicos. A novidade, batizada de WE8 – União de
Dois Mundos, é composta por oito garrafas de alumínio com os
temas Felicidade, Perseverança, Paz Mundial, Momentos Alegres,
Otimismo, Mundo Saudável, Harmonia Global e Solidariedade.
Cada versão circula em um país. O Brasil recebe a variante
Harmonia Global, com design da chinesa Xiao Xue.
Leia mais em www.embalagemmarca.com.br/we8

Normas
Display
Anvisa discute corantes em embalagens
Elegê lança polpa de frutas
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) abriu con-
A Elegê apresenta ao mercado a Polpa Elegê nos sabores
sulta pública para atualização de resolução que estabelece os
mix de mamão com laranja com morango e ameixa e morango.
critérios para os corantes utilizados em embalagens e equipa-
O design das embalagens é da Packing Design. As bandejas de
mentos plásticos que entram em contato com alimentos. As
poliestireno (PE) são fornecidas pela PLM Plásticos e os selos
contribuições para a consulta pública podem ser enviadas até o
de alumínio pela Graffo Paranaense.
dia 20 de outubro pelo e-mail gacta@anvisa.gov.br
Leia mais em Leia mais em
www.embalagemmarca.com.br/elegepolpa www.embalagemmarca.com.br/anvisacorantes

Panorama

Polo Films estréia novo site


A Polo Films, empresa fabricante de filme de polipropileno bio-
rientado (BOPP), estréia novo site (www.polofilms.com.br). A
empresa, que faz parte da Unigel Química S/A, possui duas uni-
dades fabris e é a única produtora de BOPP na América Latina
a dominar duas tecnologias de produção, tubular e plana.
Leia mais em www.embalagemmarca.com.br/novositepolo

RECEBA A E-NEWSLETTER
SEMANAL DE EMBALAGEMMARCA
Visite www.embalagemmarca.com.br/newsletter
e cadastre seu e-mail.
Nosso boletim eletrônico, gratuito, é
publicado todas as quintas-feiras.

8 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


perguntas
para Karoline Iankoski
á cerca de quatro anos, o êxito e a relativa fama

H
que vinha obtendo como modelo fotográfico
da agência Mega abriu para a jovem Karoline
Iankoski a oportunidade de tornar-se apresen-
tadora do programa sobre ecologia e esportes
radicais Eco Brasil, gravado pela TV Sul em Florianópolis e
transmitido para os Estados do Sul do país. Na tevê Karoline
ia igualmente bem, mas o acúmulo de duas carreiras obrigou-a
a trancar matrícula no curso de Arquitetura da Universidade
Unisul, quando se encontrava a um ano e meio da conclusão.
A inclinação natural que tinha por conhecer temas relacio-
nados ao bem estar, acentuada nas entrevistas do programa
ambiental e no obrigatório contato com produtos de beleza em
viagens como modelo pelo Brasil e pelo exterior, aguçou-se
quando conheceu mais a fundo as propriedades cosméticas
da soja. Isso se deu quando conheceu aquele que hoje é
seu marido, o empresário Rodolfo Rohr Neto, diretor da
SóSoja, uma produtora de leite e alimentos derivados
daquela leguminosa, localizada em Caldas Novas,
Goiás.
Não demorou para que Karoline, com o auxílio
de cientistas e especialistas da área de cosméticos,
decidisse desenvolver produtos no mínimo seme-
lhantes àqueles que tinha de usar para posar para
as fotos ou para maquiar-se ao enfrentar as câme-
ras da TV Sul. Recentemente ela lançou a marca
Clini, iniciando com uma linha de cuidados
pessoais (cremes, xampus e condicionadores) e
acaba de lançar uma linha de chás, todos pro-

foto: studio ag – andré godoy


duzidos de forma terceirizada pela Naturelle.
Aqui ela diz fazer questão de acentuar que
“o Brasil é um país de empreendedores
porque é um país de oportunidades”.
Com base em sua experiência, Karoline
diz que “vale a pena ousar”.

10 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


complementos, e pronto. Nos meus produtos tem óleo de

1
O que a leva a apostar macadâmia, óleo de soja, proteína hidrolisada de soja, tem
no sucesso dos produtos Clini? vitamina E, ou seja, é um produto consistente, bem forte,
que funciona. Quem usa sente a maciez e o brilho na pele
ou no cabelo.
É a falta de oferta no mercado de produtos que realmente
funcionem. Trabalhei como modelo. Quando uma modelo

3
Além dos ingredientes, existe algum ponto
vai fazer um comercial, passam aquela chapinha, aquela forte que a leve a acreditar tanto em seus
escova, aqueles sprays que detonam o cabelo. Depois disso produtos?
é necessário algo para hidratar. Sempre fui apaixonada
por cosméticos. Nas minhas viagens, sempre compro os Sim. É a embalagem. Com a ajuda da Sara (de Paula Souza),
melhores produtos, mas muitas vezes eles não funcionam, da Hi Design, escolhi uma bisnaga standard, porque ela pode
não mudam nada. A partir daí disse para mim mesma: “Vou me atender tanto para o xampu quanto para o condicionador,
atrás; nem que demore um tempo para ficar pronto, vou ter com rótulo auto-adesivo no-label look – aquele que simula a
meu produto, mas tem de ser uma coisa que eu possa usar”. impressão feita diretamente sobre a superfície da embalagem
– e detalhe em hot stamping. Como a Clini começa com a
O que observou lá fora serviu de base para produção de lotes reduzidos em cada linha, até porque ainda

2
a elaboração dos produtos que está lan- não é bem conhecida no mercado, houve um problema no
çando? Ou você procura fazer produtos fornecimento, pois os lotes eram pequenos. Assim, ou paga-
diferentes tanto das marcas internacionais va um pouco mais caro ou fazia um lote maior. Preferi pagar
quanto das nacionais? um pouco mais caro, mas lançar um produto bom em um
lote menor. Conseguimos fazer uma embalagem bonita, que
Basicamente, procuro fazer diferente. A maioria das marcas transmite qualidade, a idéia de um bom produto. A aceitação
foca só em um ingrediente – por exemplo, um creme à base do público está sendo muito boa.
de óleo de macadâmia, onde colocam apenas aquilo, uns

4
Onde os produtos
“Preferi pagar um pouco estão sendo colocados?

mais caro, mas lançar um Por enquanto, no Museu da Soja, uma estrutura que fica
no mesmo terreno da fábrica da SóSoja. O Museu da Soja
produto bom em um lote tornou-se um ponto turístico da cidade de Caldas Novas.
Passam por lá de 300 a 700 pessoas por dia. É um ponto
no qual realmente pude fazer um teste e teve aceitação. As
menor. Conseguimos fazer pessoas voltam e estão pedindo por telefone e por e-mail.

uma embalagem bonita, Você está lançando uma linha de chás e já

5
anunciou que pretende lançar uma linha de
tratamento corporal, para prevenir o enve-
que transmite qualidade, a lhecimento e as rugas e também um creme
para celulite, à base de óleo de café. Além do

idéia de um bom produto. princípio dos ingredientes naturais, que atributos desta-
caria nesses produtos?

A aceitação do público As embalagens. O que busquei foi que tivessem a pro-


priedade de agregar valor sem, necessariamente, aumentar

está sendo muito boa.” muito o preço unitário para o consumidor final. Sem boas
embalagens não adianta oferecer o melhor produto do
mundo.

www.embalagemmarca.com.br agosto 2008 EmbalagemMarca 11


Se você se preocupa com a saúde do planeta
e dos negócios, não pode ficar de fora.

Seminário Estratégico de Sustentabilidade


na Área de Embalagem.

O que é ser Sustentável no mundo corporativo

Em um futuro bem próximo não haverá lugar para empresas e negócios isolados dos conceitos
de sustentabilidade, de preocupação com os grupos de interesse e dos conceitos básicos de
sustentação da governança. A cadeia de embalagens não foge a essa nova realidade.
A pressão vinda de várias fontes – consumidores, organizações não-governamentais
e órgãos oficiais – faz com que a adoção de práticas sustentáveis nos negócios
seja uma necessidade, e não mais um conceito abstrato.
A pergunta muda de “quando” para “como trabalhar com essa nova realidade”.
O seminário apresentará formas de abordar a sustentabilidade, na indústria de embalagens,
como elemento de geração de negócios, mostrando que ações que usam o assunto
meramente como elemento de comunicação hoje são, na verdade, insustentáveis.
Dia 14 de outubro de 2008, na Amcham Brasil, em São Paulo.

Palestrantes confirmados:
Programação
• Martin Bunce, designer da 08h00 - 08h45 - Credenciamento e Welcome Coffee
TinHorse Design Limited 08h45 - 09h00 - Abertura
09h00 - 10h00 - O que é ser sustentável no mundo corporativo
• Paulo Pompilio, diretor de
10h00 - 10h30 - Coffee Break
responsabilidade sócio-ambiental
10h30 - 11h30 - Varejo: Pressões sobre as embalagens
do Grupo Pão de Açúcar
11h30 - 12h30 - A Sustentabilidade, a empresa e o consumidor
12h30 - 14h00 - Almoço
• Victor Fernandes, diretor de
14h00 - 15h00 - Case de coleta e reciclagem
desenvolvimento da Natura
15h00 - 16h00 - Ecodesign e inovação no desenvolvimento de embalagens

• Eduardo Vaz, diretor industrial 16h00 - 16h30 - Coffee Break

da Bertin Higiene & Beleza 16h30 - 17h30 - Painel de Usuários - A sustentabilidade na cadeia de suprimentos

www.embalagemmarca.com.br/ciclo
Informações sobre
• Palestras e palestrantes • Como patrocinar o evento • Como participar do seminário
ciclo@embalagemmarca.com.br

O Ciclo de Conhecimento é um programa abrangente e permanente de análise, estudo e difusão de informações


relacionadas à cadeia de embalagens, desde o fornecimento de matérias-primas até a indústria usuária e o varejo.
Trata-se de uma ação contínua para promover eventos que podem ser classificados como “de transformação”.
Sua missão é contribuir para o desenvolvimento de profissionais e empresas do setor.
O que oferecemos ao setor é mais informação com valor agregado.

Apoio Realização
}}} HiGieNe pessoAl

Lenços e lembranças
Kleenex tem coleção de embalagens
que funcionam como porta-retratos

Há quatro opções de
cubos com espaço
para fotos: três com
desenhos para jovens e
adultos e uma para as
crianças (à esquerda)

P
eriodicamente a linha de lenços de vaninhas e criados-mudos, as caixas – produzidas em
papel Kleenex, da Kimberly-Clark, papel cartão com verniz pela Ibratec – acondicionam
estréia novas embalagens. O destaque 100 lenços duplos. Em uma das faces há uma janela
agora fica com a variante cubo, que onde pode ser encaixada uma foto. Basta o consumi-
recebeu uma janela para ser usada tam- dor inserir a fotografia por um vão na aresta superior
bém como porta-retrato. e a embalagem torna-se uma moldura para a imagem.
A idéia de se criar uma embalagem que tam- São três modelos com orifícios quadrados de 7,2 x
bém fosse um porta-retratos foi de um funcionário 7,2 centímetros e um – o infantil – com formato oval.
da empresa, que a incluiu no programa interno “Queríamos fazer da embalagem algo ainda mais
“Caçadores de Oportunidades”, em que os trabalha- atrativo, bonito de expor e personalizado”, comenta
dores dão sugestões de novos produtos. O processo Mario Loor, diretor da divisão de Cuidados com a
de criação dos cubos porta-retratos Kleenex “foi Família da Kimberly-Clark. A empresa espera que as
conduzido em estreita relação entre a DBox Design, novas embalagens aumentem as vendas em aproxima-
a Kimberly-Clark e a gráfica Ibratec”, conta André damente 5%.
Ianni, diretor de criação da DBox. “A idéia foi apro- As embalagens que têm como público-alvo as
veitar ao máximo o conceito de um produto perso- crianças têm o rosa como cor predominante. Os cubos
nalizável, com grande apelo decorativo e compatível dirigidos aos jovens apostam no contraste do fundo
DBox Design
custo de produção, e isso exigiu uma grande pesquisa branco com cores vibrantes das estampas. “A idéia (11) 3721-4509
conceitual e testes para aplicação destes conceitos aos foi aproveitar ao máximo o conceito de um produto www.dboxdesign.com.br
diversos públicos do produto”, relata Ianni. O desen- personalizável, com grande apelo decorativo e com-
Ibratec
volvimento do projeto demandou três meses. patível com o custo de produção”, assinala Ianni, da (11) 4772-8277
Idealizadas para serem colocadas em mesas, escri- DBox. (MF) www.ibratecgrafica.com.br

14 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


ARTIGO }}} STERLING ANTHONY

Esta Bud é nossa


A compra da Anheuser-Busch pela InBev alerta novamente a
indústria de bens de consumo sobre as realidades do mercado global

O
trono da Rainha das Cervejas (1) componente seu que seja mais tangível que
foi transferido para a Europa, a embalagem. Em muitas instâncias, as dife-
onde a realeza é bem-recebida renças funcionais entre produtos concorrentes
há séculos. A Rainha foi com- não é grande, e a embalagem é o fator diferen-
prada. Longa vida à Rainha. A ciador. A embalagem apresenta e representa,
aquisição da Anheuser-Busch pela cervejaria fisicamente, aspectos que a marca cria na
belgo-brasileira InBev cria a quarta (talvez mente dos consumidores.
terceira) maior empresa de bens de consumo A embalagem é uma construidora de mar-
do mundo. O negócio, visto em seu escopo, cas e, por isso, deve ser um fator a ser consi-
Por Sterling Anthony* é uma mina de ouro para análise e reflexão derado pela parte interessada numa estratégia
que extrapolam as partes envolvidas. E, como de aquisição. Isso é igualmente verdadeiro
sempre que se fala de indústrias de bens de na estratégia pós-aquisição, considerando-se
consumo, a embalagem constitui uma rica que as aquisições são efetuadas para trans-
inspiração. formar sinergias em crescimento e lucros.
O que a InBev desejava era a marca Estratégias importantes para conseguir isso
Budweiser. Independentemente de como se incluem foco no mercado global, no mercado
queira definir o que é marca, não há um local ou na criação de marca, cada um cons-

“O que a InBev
desejava era a
marca Budweiser,
da qual não há um
componente mais
tangível que a
embalagem”

(1) Em inglês, King


of Beers, ou o Rei das
Cervejas.

16 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


tituindo uma reação a influências culturais, seus efeitos fragmentadores sobre uma estra-
políticas e econômicas. tégia global de marca. Além disso, o dono da
marca não deve se expor a desgastes exploran-
Mercado global do mercados onde a legislação é frouxa. Ao
Um produto com marca internacional é dis- contrário, a estratégia global de marca deve
tribuído, sem alterações em sua essência, em mostrar um compromisso forte e consistente
vários mercados ao redor do mundo. Isso sig- com a sustentabilidade das embalagens, ainda
nifica que um consumidor acostumado com que a implantação específica possa ter de
aquela determinada marca a reconhecerá por variar entre mercados.
sua aparência e função em qualquer parte do
globo. A Coca-Cola – aquela da fórmula uni- Mercado local
versal e secreta – é o exemplo clássico. Também ocorre, freqüentemente, de os donos
Mas o fato de um produto não passar por de marca precisarem modificar o produto,
mudanças substantivas de lugar para lugar não mas não a embalagem; depois, a embalagem
diminui a importância de todas as variáveis “O fato de precisa desempenhar todas as suas funções de
específicas que impactam a embalagem em um produto proteção, comunicação e utilidade. Todos os
mercados específicos. A infra-estrutura de McDonald’s ao redor do mundo são instanta-
transporte, por exemplo, pode requerer que a não passar neamente reconhecíveis, apesar de a mesma
embalagem seja mais reforçada. Essa maior por mudanças uniformidade não ser aplicável aos cardápios.
proteção deve estar na embalagem primária, No que se refere às embalagens, a tarefa é
na secundária, na terciária, ou distribuída substantivas de como manter certos componentes constantes,
entre as três? mais notadamente o nome da marca e o logoti-
lugar para lugar
Fatores relacionados ao uso/consumo de po, enquanto se mexe em outros componentes
um produto com marca global podem variar não diminui a para atender as demandas do mercado. Um
em cada mercado, afetando questões funda- em particular, a cor, pode ter conotações e
importância de
mentais como o tamanho das embalagens e associações diferentes em função de normas
a viabilidade do uso de multipacks. Não são todas as variáveis sociais.
necessários muitos exemplos para mostrar que Normas culturais podem também interferir
o conceito de produtos globais é relativo, e
que impactam na forma com que o produto é mostrado na
que variações nas embalagens não podem ser a embalagem embalagem, e também quando se vai retratar
totalmente descartadas. pessoas, caso o gênero faça diferença. Textos
Uma discussão envolvendo estratégias em mercados promocionais também podem ser afetados,
globais de marca e de embalagem precisa específicos” pois culturas diferentes podem interferir na
obrigatoriamente ao menos aludir à questão pertinência das mensagens. Além disso, um
da sustentabilidade. E por um bom motivo. fator como o nível médio de educação impacta
Por mais diversos ou similares que sejam os na compreensão de instruções, bem como no
mercados ao redor do mundo, é o mesmo equilíbrio entre palavras e símbolos.
mundo. Esse fato, bem como as suas impli-
cações, faz da embalagem sustentável um dos Criação da marca
maiores desafios/oportunidades de hoje. Às vezes, o melhor – se não o único – recurso
As regulamentações sobre embalagens é criar uma nova marca para um mercado
sustentáveis variam de país para país, indo específico. Apesar de, obviamente, tomar o
das mais restritivas às inexistentes, assim nome da marca como ponto de partida, a nova
como mudam os focos relativos colocados marca pode ser parecida ou completamente
em redução, reciclagem e reutilização. Mas diferente da original, conforme as circunstân-
a questão é mais complexa do que obedecer cias específicas indicarem. Qualquer que seja
às várias regulamentações e tentar minimizar o grau de semelhança, contudo, a embalagem

18 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


precisa incorporá-la efetivamente. pode recair desproporcionalmente sobre a
Uma condição que pode justificar a estraté- embalagem.
gia de criação de uma nova marca é o idioma.
O nome original pode ser de difícil pronúncia. É um mundo pequeno, afinal
Ou o nome traduz uma idéia na melhor das Aquisições, grandes ou pequenas, envolvendo
hipóteses cômica ou ridícula – basta lembrar partes internacionais, são manifestações da
o desastre da Chevrolet com o Nova nos globalização: compras, produção, marketing
mercados sul-americanos, onde “no va”, em e distribuição de produtos feitos com base
espanhol, significa “não anda”. Ou, ainda, o nas vantagens comparativas de vários países.
mercado local utiliza um alfabeto diferente. Nenhuma companhia de capital aberto pode
Ou a marca não está disponível, pois foi regis- se blindar a isso, seja como parte compradora
trada por outra empresa. Qualquer que seja o ou comprada. Há uma ironia intrínseca no fato
motivo, nenhuma transferência “no atacado” de que, quanto mais bem-sucedida for uma
deve ser feita para a embalagem, sem que marca, mais atraente ela será para aquisições,
se considerem as circunstâncias de mercado e mais bem-posicionada estará para adquirir
“Há uma ironia
mencionadas acima. outras marcas. E, como mencionado no início,
no fato de que, marca, produto e embalagem estão intima-
Não aposte em ufanismos mente ligados.
A maior parte das aquisições de marcas
quanto mais Profissionais de embalagem precisam ter
americanas por empresas estrangeiras rece- bem-sucedida for conhecimento – pelo menos conceitual –
beu bem menos atenção que a cobertura do sobre mercados globais e globalização. Por
negócio entre a InBev e a A-B. A compra da uma marca, mais isso, visitar feiras internacionais, tais como
Miller Brewery Company pela South Africa atraente ela será a Interpack (Düsseldorf, Alemanha) e a Pack
Brewery foi bem menos alardeada. Na ver- Expo (Chicago e Las Vegas, Estados Unidos),
dade, algumas marcas tradicionais nos lares para aquisições, é um investimento proveitoso.
americanos são estrangeiras. Entre elas estão e mais bem- A análise final é que uma aquisição é
Gerber, Woolite, Ben & Jerry’s e Clearasil. como um casamento, com o sucesso estan-
Apesar disso, é prudente que marcas posicionada do ligado ao tipo correto de pensamento e
domésticas e estrangeiras considerem se, e estará para julgamento durante o namoro, e, depois, à
como, uma aquisição vai afetar o mercado combinação de personalidades individuais
doméstico. A marca é tão intrincada no mer- adquirir outras e à fuga daquelas assustadoras diferenças
cado local que se pode mensurar o número irreconciliáveis. Podem, então, duas gigantes
marcas”
de consumidores que sentirão algum conflito do mercado de cerveja encontrarem o amor
entre a lealdade à marca e patriotismo? AA-B, verdadeiro? Teremos de esperar para ver o que
definitivamente, é um caso desses, e possivel- está por vir.
mente há outros.
Trazendo a discussão para embalagens, * O americano Sterling Anthony é consultor
como se deve proceder se, por exemplo, os em embalagem, tendo trabalhado em grandes
consumidores começarem a imaginar alte- empresas de alimentos, saúde e do mercado
rações numa marca adquirida? Num cenário automobilístico. Também lecionou packaging
desses, uma campanha de comunicação pode em universidades nos Estados Unidos. Seu
ser necessária; porém aquisições geralmente e-mail é Sterlinganthony1@sbcglobal.net, e
são acompanhadas por cortes para eliminar seu site é o www.pkgconsultant.com.
custos. Portanto, se propaganda, relações-
públicas e outros componentes do mix de COPyrIGHT 2008 SuMMIT PuBLISHING COMPANy. TOdOS OS dIrEITOS rESEr-
vAdOS. ESSE ArTIGO, PuBLICAdO OrIGINALMENTE EM 25 dE JuLHO dE 2008 NA
comunicação ficarem espremidos, a obriga- NEWSLETTEr PACKAGING INSIGHTS, dA PACKAGING WORLD (WWW.PACKWOrLd.
COM), é rEPrOduZIdO COM AuTOrIZAçãO dA SuMMIT PuBLISHING COMPANy. PA-
ção de comunicar percepções equivocadas CKAGING WORLD é uMA MArCA rEGISTrAdA dA SuMMIT PuBLISHING COMPANy.

20 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


}}} reportAGem de CApA

Proteger para não


A indústria da pirataria encontra cada vez mais facilidade
para copiar produtos. Para as marcas fortes, a boa notícia
é que existem avançadas tecnologias para combatê-la
Por Guilherme Kamio

A
globalização expandiu admiravel- Resultado: perdas que extrapolam a sangria ime-
mente as oportunidades de negó- diata dos caixas, já que colocam em risco as
cios para as indústrias. Mas, numa reputações das marcas.
de suas facetas mais amargas, tam- “Se a noção de que as marcas são
bém fortaleceu a pirataria. O con- bens valiosíssimos já está largamente
trabando e a contrafação são atividades cada vez assimilada pelas empresas, nem tanto
mais poderosas na economia mundial. “Produtos está a de que, como qualquer patrimônio,
falsificados já chegam a gerar um prejuízo anual elas devem ser protegidas”, diz Jack Walsh,
da ordem de 630 bilhões de dólares às mar- gerente de marketing da divisão de Soluções de
cas genuínas”, calcula o jornalista venezuelano Proteção de Marcas (Brand Protection Solutions)
Moisés Naím em seu livro Ilícito – o Ataque da da americana Videojet, fabricante de equipamen-
Pirataria, da Lavagem de Dinheiro e do Tráfico tos para codificação e marcação de embalagens.
à Economia Global. Com essa cifra, a indústria De acordo com Walsh, a codificação pode ser
da falsificação ocuparia um destacado 61º lugar uma aliada no combate à pirataria, pois, ao con-
no ranking do Fundo Monetário Internacional trário do que ocorria até a década de 90, quando
(FMI) que avalia os PIBs de 180 nações. somente permitia identificar lotes, hoje permite
Réplicas de baixa qualidade, caricatas, facil- o controle unitário de produtos. Para legitimar Tecnologia Authentica
esconde marcas de
mente identificáveis, são definitivamente coi- produtos, uma das propostas da Videojet é a originalidade em cartuchos
sas do passado. Dinâmico e emancipado do aplicação de códigos invisíveis nas embalagens,
controle dos Estados como nunca, o comércio gravados por codificadoras inkjet com tinta ultra-
internacional garante fácil acesso a sofisticadas violeta (UV), identificável somente por leitores
tecnologias de falsificação, dedicadas em amplo especiais.
grau à reprodução de embalagens – o que não Há diversas opções de dispositivos anticópia
surpreende, na medida em que elas são as perso- ocultos para embalagens, apenas detectáveis por
nificações dos produtos (para não dizer que elas filtros, leitores ou análises laboratoriais. A Inno-
são os produtos). Persuadido por embalagens vapack, por exemplo, começa a disponibilizar no
falsas, o consumidor pode adquirir bens de con- Brasil papéis cartão para a produção de invólu-
sumo cuja qualidade fatalmente deixa a desejar. cros dotados de “impressões digitais”. A tecnolo-
Mas, no caso de alimentos e, principalmente, de gia, chamada Authentica, permite a autenticação
medicamentos, os embustes podem ocasionar do material com o uso de scanners. “Um dos
problemas de saúde pública, ameaça intitulada leitores tem forma de caneta, para facilitar as
nos Estados Unidos de “terrorismo de varejo”. inspeções de campo, como as feitas em ambiente

22 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


remediar

de varejo”, comenta Helio Kikuchi, da área de plásticas flexíveis do chocolate Milka, da Kraft
marketing e vendas da Innovapack. Foods, na Europa.
Outra solução, recém-lançada pela alemã
Microglyph, propõe códigos “camuflados”, inte- Nas mãos do consumidor
grados a elementos do design gráfico das emba- Além das tecnologias furtivas, outra grande cate-
lagens. A solução já é utilizada nas embalagens goria de sistemas de segurança para embalagens
é aquela dos mecanismos de segurança visíveis,
como hologramas e tintas reativas. Os mais
populares artefatos desse gênero são os selos de
segurança conhecidos como OVDs – ou disposi-
tivos ópticos variáveis, vertendo-se do inglês os
componentes da sigla. Referência mundial nessa
área, a alemã Kurz lançou recentemente uma
nova coleção de sofisticados efeitos para seus
selos Trustseal, a fim de evitar replicações por
falsários. “As principais novidades são selos com
imagens de finíssima resolução, somente percep-
tíveis com lupas especiais, e efeitos de figuras
superpostas sobre hologramas que aparecem em
movimento sob determinado ângulo”, detalha

www.embalagemmarca.com.br agosto 2008 EmbalagemMarca 23


Fernando Mota, gerente da
divisão de segurança da Kurz
para a América Latina.
Dispositivos de segurança
visíveis geralmente são fru-
tos de tecnologias comple-
xas, guardadas a sete chaves,
e certamente podem formar
uma barreira à falsificação.
No entanto, eles se baseiam
na autenticação pelos consu-
midores, que muitas vezes
não sabem distinguir se os
hologramas ou tintas nas
Microglyph propõe códigos
embalagens são legítimos. Isso acaba facilitando “camuflados” nos designs
o trânsito dos produtos piratas. “Infelizmente, de embalagem. As áreas
contendo códigos são
muitos clientes que investem em dispositivos de destacadas na foto ao lado
segurança não fazem campanhas de informação
ao público”, admite Mota.
Os sistemas de proteção ocultos, por sua vez,
dependem de programas de confidencialidade e
muitas vezes são desconsiderados por aquilo que,

24 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


em teoria, seria uma blindagem contra os piratas: apresentou o conceito de um cartucho de papel
o custo de adoção. A Suzano Papel e Celulo- cartão para medicamentos com seis (!) elementos
se, por exemplo, desenvolveu recentemente um de segurança integrados (veja a reprodução na
papel cartão antipirataria com fibras especiais e próxima página). “Esse approach está se conso-
outros elementos escamoteados formadores de lidando na Europa, mas no Brasil as empresas
uma espécie de DNA, mas o projeto, pelo o que ainda costumam empregar uma tecnologia em
se sabe extra-oficialmente, foi engavetado por detrimento de outra, sob alegadas questões de
baixo interesse do mercado. inviabilidade de custo”, comenta Mota, da Kurz.
O fato é que, como não poderia deixar de ser,
cada sistema antipirataria tem seus pontos fortes RFID é uma promessa
e fracos. Por isso, a cada dia ganha força a reco- Uma outra classe de elementos de segurança para
mendação de colocar nas embalagens sistemas embalagens compreende os sistemas de seriali-
antipirataria complementares e até redundantes, zação, como os códigos de barras. Nesse ramo,
isto é, múltiplas camadas de proteção. Na Drupa, a grande aposta é a tecnologia de identificação
feira do setor gráfico realizada na Alemanha por radiofreqüência (RFID), na forma de eti-
entre o fim de maio e o início de junho deste quetas inteligentes, dotadas de chips capazes de
ano, uma aliança entre empresas de diferentes armazenar dados. “A grande finalidade do RFID
competências (a provedora austríaca de sistemas é auxiliar a logística da cadeia de suprimentos,
de autenticação Jura JSP, a fabricante de vernizes mas suas possibilidades se desdobram e incluem Tecnologia da Kurz permite
a superposição de imagens
Weilburger Graphics, a Kurz, a fabricante de a segurança contra a pirataria, já que a velocida- em selos de segurança:
impressoras offset MAN Roland e as produto- de na captura de informações permite verificar barreira contra cópias
ras de tintas gráficas Merck e Sun Chemical) a autenticidade de um produto sem nem sequer

www.embalagemmarca.com.br agosto 2008 EmbalagemMarca 25


abrir sua caixa”, explica Roberto Matsubayashi, Marcador invisível
de segurança
gerente de soluções da GS1 Brasil (Associação
Brasileira de Automação).
Mais que atestar a originalidade de produtos,
funcionando como um pedigree eletrônico (ou
e-pedigree, como já se convencionou chamar
lá fora), o RFID também pode, quando operado
com homologações ao longo de todos os está-
gios antecessores ao ponto-de-venda, denunciar Detalhe em cold
culpados por eventuais desvios de produtos de foil holográfico
aplicado em linha
suas malhas oficiais de distribuição. Uma solu-
ção com essas virtudes, alicerçada em etiquetas Selo OVD
RFID não só capazes de serem validadas in-loco, (dispositivo
óptico variável)
por leitores, mas também através da conferência
de códigos na internet, acaba de ser propos-
ta pela empresa franco-americana eProvenance
para proteger vinhos de primeira linha das ame-
aças das falsificações e do mercado negro (veja
EmbalagemMarca nº 106, junho de 2008).
Mas, não obstante seja promissora, essa moda- Tinta com
pigmento
lidade avançada de codificação ainda não deslan- reativo
chou. Motivo: o alto custo de implantação e de
monitoração em grau unitário. “Cabe registrar,
porém, que o preço vem caindo bastante”, assinala
Wagner Bernardes, diretor de marketing e vendas
Tinta com
da Seal Sistemas, especializada em processos elemento
de automação com código de barras, redes sem oculto
fio e RFID. “Uma etiqueta que em 2005 custava Aliança de empresas de diferentes competências apresentou, na
1,50 real hoje chega a custar 50 centavos.” Drupa, embalagem conceito com seis de segurança integrados
Na vanguarda dessa tendência de rastreamen-
to unitário de produtos com RFID está a Pfizer, Unidos”, informa João Fittipaldi, diretor médico
que aplica etiquetas inteligentes em cada um dos do braço nacional do laboratório. No Brasil, ele
cartuchos de seu medicamento contra disfunção detalha, a segurança das embalagens das famosas
erétil Viagra – “mas, por enquanto, só nos Estados pílulas azuis do produto fica a cargo de um dispo-
sitivo de autenticação friccional com tinta reativa
(vulgarmente conhecido como “raspadinha”) e de
um selo holográfico trocado periodicamente (o
atual foi adotado no fim de 2007).

Validação por quem compra


Paralelamente ao RFID e aos sistemas híbridos,
também são promissoras na luta contra a pira-
taria as ferramentas que buscam transformar o
consumidor em parte crucial da validação de
produtos. A Bosch, por exemplo, vem utilizando
nas caixas de suas ferramentas comercializadas
na Europa um sistema desenvolvido pela alemã
Schreiner que, através de códigos impressos em
Sistema eProvenance utiliza etiquetas RFID para proteção e possibilidade de rastreamento selos de segurança, permite rápida aferição da

26 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


Caixa do Viagra
tem RFID nos
EUA. Aqui, selo
holográfico e
“raspadinha”

legitimidade dos itens num espaço dedicado de


seu portal na internet. As consultas são gravadas
num banco de dados de modo a impedir valida-
ções duplicadas.
Já a fabricante americana de cartuchos de
papel cartão Chesapeake Corporation lançou há
cerca de dois meses uma tecnologia chamada
Pro-tex que permite verificar a autenticidade de
suas embalagens através do serviço de mensagens
de texto dos telefones celulares. Ao enviar um
“torpedo” com o código alfanumérico estampado
na embalagem, o consumidor recebe, como texto
de resposta, um endosso, caso a embalagem seja
original e conste do banco de dados da empresa,
ou um alerta, caso o código seja inverídico.
Ainda incomuns, mas engenhosas para se
coibir a pirataria e os desvios para o mercado
negro, são as embalagens já projetadas com dis-
positivos de segurança. No Brasil, um exemplo
é o do frasco criado pela 3D Modeling para uma
vacina veterinária da Fort Dodge. O molde da
embalagem foi criado de modo a incorporar um
elemento intercambiável: uma cara estilizada
de boi, postiça, que pode ser trocada a qualquer
momento para evitar um fácil padrão de cópia.
“Esse tipo de trabalho ainda é raro”, diz Reginal-

Selo das ferramentas da Bosch: validação pela internet

www.embalagemmarca.com.br agosto 2008 EmbalagemMarca 27


do Miranda, gerente de projetos da 3D Modeling. Frasco da 3D Modeling
Fort Dodge: (11) 5031-4500
“Pelo custo envolvido, é mais fácil de ser ado- elemento www.3dmodeling.com.br
tado por indústrias verticalizadas, que fabricam cambiável
GS1 Brasil
suas próprias embalagens”. (11) 3068-6229
O caso da Fort Dodge evidencia um recado www.gs1brasil.org.br
que pode ser estendido a qualquer empresa preo- Innovapack
cupada com a pirataria de seus produtos: quanto (11) 4646-4466
www.innovapack.com.br
mais utilizado é um atributo de segurança, mais
Jura JSC
atraente ele se torna para o falsário tentar burlá- www.jura.at
lo. “Não existe panacéia, uma solução mágica, Kurz
para o problema da contrafação”, alerta Moisés (11) 3871-7340
Naím em seu livro sobre pirataria. “Às empresas, www.kurz.com.br

resta nunca deixar a guarda baixa.” MAN Roland


(Colaborou Adilson Augusto) (11) 5522-5999
www.manroland.com
Sistema da
Chesapeake: Merck
autenticação 0800 727 7292
pelo celular www.merck.com.br
Microglyph
www.microglyphs.com
Weilburger
www.weilburger-graphics.de
Seal
(11) 2134-3829
www.seal.com.br
Sun Chemical
(11) 6462-2500
www.sunchemical.com
Videojet
(11) 4869-8800
www.videojet.com

Os principais dispositivos antipirataria para embalagens


Sistemas aparentes
Dispositivos visíveis a olho nu que comprovam a originalidade das embalagens. Os mais comuns são os selos
holográficos e os chamados dispositivos ópticos variáveis (OVD, na sigla em inglês). São baseados em tecnologias
de custo acessível e com variada oferta, mas alguns selos são fáceis de replicar e muitas vezes o consumidor não
sabe distinguir os autênticos dos falsos.

Sistemas ocultos
Dispositivos escondidos nas embalagens, que dependem de filtros, leitores eletrônicos ou análises laboratoriais
para serem detectados. Os mais comuns são gerados com tintas invisíveis (reativas), desenhos com padrões
microscópicos (“impressões digitais” ou DNA) e marcadores químicos. É virtualmente impossível replicá-los – a não
ser quando a cadeia de fornecimento possui “vazamentos”. Não garantem autenticação pelo consumidor final.

Codificação inteligente
Designação de identidades únicas para cada embalagem unitária, de modo a poder rastreá-las com precisão ao
longo da cadeia de abastecimento. O sistema mais conhecido nessa área é o de códigos de barras, mas suas
possibilidades são limitadas. Uma promessa é a identificação por radiofreqüência (RFID), segura, porém ainda cara
para a implantação em nível unitário.

28 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


}}} prÊmio emBAlAGemmArCA

O sucesso explicado
Credibilidade, visibilidade e diferenciação estimulam inscrições

P
aris vale uma inscrição – mas Outro estímulo citado para as inscrições foi
outros bons motivos além das atra- o sorteio de uma passagem de ida e volta a Paris
ções da Cidade-Luz contribuíram entre os ganhadores, mais hospedagem por qua-
para que o número de concorren- tro noites e ingressos para o Emballage, uma das
tes ao PrÊmIO EmbalagEmmarca – mais importantes feiras mundiais de embalagem,
graNDES caSES DE EmbalagEm ultrapassasse, em a realizar-se entre 17 e 21 de novembro na capital
sua segunda edição, o expressivo número de 170. francesa.
Consultados informalmente, responsáveis pelas Esse pacote, um brinde oferecido pelo
inscrições nas empresas responderam ter sido Emballage através de seu escritório de represen-
fortemente motivados pelas seguintes razões: tação no Brasil, o Promosalons, tem um atrativo
• a maneira diferenciada, abrangente, com que adicional: o sorteio do case dá direito à empresa
os cases são analisados pelo júri; ou seja, consi- usuária ou à que fez a inscrição, em decisão por
derando os resultados que o conjunto dos atribu- comum acordo, de apresentá-lo no Pack.Vision.
tos da embalagem propiciam ao bom desempe- Este evento é um simpósio internacional de ten-
nho dos produtos, dos pontos de vista industrial, dências e novidades em embalagem organizado
ambiental, logístico, mercadológico, do design, pelos responsáveis pela feira e ao qual compare-
da inovação etc. cem profissionais, scholars e empresários ligados
• a visibilidade oferecida na forma de ampla ao campo da embalagem no mundo inteiro.
cobertura – sem custos – dada por EmbalagEm- O brinde, na verdade, compreende o sorteio
marca, pelo site e pela newsletter eletrônica da de dois pacotes. Como o salão Emballage ocorre
revista, e ainda pela exposição dos cases vence- a cada dois anos, e o PrÊmIO EmbalagEmmarca,
dores no Centro Universitário Belas Artes de São anualmente, o patrocinador decidiu sortear um a
Paulo (e, a partir desta edição, em eventos relacio- cada edição. Na primeira, a empresa escolhida
nados com a cadeia produtiva de embalagem) foi a Amazon Comércio Importação e Exporta-
• A credibilidade da premiação ção, com o case da tampa Massucap para pote

patrocínio premium patrocínio master

patrocínio especial

organização Apoio operacional

30 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


de vidro, do Palmito Equador. A apresentação
no Pack.Vision será feita por representantes do
fabricante da tampa, a Massucato (veja esse e os
“Aproximar a cadeia é o nosso objetivo”
demais cases vencedores em EmbalagEmmarca Nós trabalhamos no início da cadeia pro-
nº 98, outubro de 2007). dutiva, mas entendemos que temos de
Razões semelhantes, reforçadas pela ampla cuidar não apenas dos nossos clientes
visibilidade que é oferecida aos parceiros apoia- diretos. Se não nos preocuparmos com
dores do Prêmio, igualmente contribuíram para o que a indústria usuária de embalagens
estimular os patrocínios à iniciativa. Assim, em precisa, entendendo as suas reais neces-
agosto adquiriram cotas a P. E. Latina Labelers sidades, não conseguiremos atender
(Patrocínio Máster), a Rotatek e a Suzano Papel adequadamente os convertedores, que
e Celulose (Patrocínios Especiais). No entendi- são nossos clientes diretos.
Como a revista EmbalagemMarca
mento dos organizadores do Prêmio, esse suporte
tem boa penetração entre usuários e
adensa a confiabilidade que já vinha sendo pro-
fabricantes de embalagens, vimos no
piciada ao Prêmio pelos patrocínios da Quat-
patrocínio ao Prêmio EmbalagemMarca
tor (Premium), do Programa Embala, do Salão - Grandes Cases de Embalagem uma Sérgio Quemel
Emballage (Máster), da Brasilcote e da Tupahue ótima oportunidade para estreitarmos Diretor – Tupahue Tintas
(Especiais), além do apoio operacional do Centro relações com toda a cadeia.
Universitário Belas Artes. A coroação de tudo Nesse sentido, acreditamos que os obje-
isso ocorrerá na cerimônia de premiação, dia 1º tivos do Prêmio estão bastante alinhados
de outubro próximo, no Centro Fecomercio de com os nossos.
Eventos, em São Paulo.

www.embalagemmarca.com.br agosto 2008 EmbalagemMarca 31


ENtREVIsta }}} luiZ AuBert Neto

Ou investe ou fica para trás

FOTO: dIvuLGAçãO
Luiz Aubert Neto,
presidente da
Associação Brasileira da
Indústria de Máquinas e
Equipamentos (Abimaq),
diz que a desoneração
total de investimentos e
a inovação tecnológica
são fundamentais para
a sobrevivência da
indústria nacional de
bens de capital

N
a década de 80, a indús- PIB. Por último, mas não menos grave, cadeia produtiva do setor no país. Luiz
tria brasileira de bens de Aubert cita o processo de desindustria- Aubert Neto se alinha com aqueles
capital ocupava o quinto lização ocorrido em vários segmentos que não se encantam com as perspec-
posto no ranking mun- da indústria na década de 1990, sobre- tivas das vastas jazidas de petróleo em
dial. Hoje está em 14o tudo no período de valorização do real solo brasileiro. Ao contrário, ele res-
lugar. Luiz Aubert Neto, presidente da a partir de 1995. Esse fato, segundo salta que todos os países que baseiam
Associação Brasileira da Indústria de ele, levou a uma queda expressiva da suas exportações em commodities,
Máquinas e Equipamentos (Abimaq), participação da indústria de transfor- com destaque para o petróleo, “são
atribui esse desabamento a três fato- mação no PIB, de quase 36% em 1985 países pobres e onde a distribuição
res. O primeiro é a estagnação do PIB para cerca de 18% em 2006. A cadeia de renda é péssima”. A exceção é a
brasileiro por mais de vinte anos, resul- produtiva de embalagem está incluída Noruega, que aplicou os ganhos com
tando na baixa demanda de bens de nesse imbróglio. petróleo em educação e na indústria.
capital. O segundo é a queda acentuada Tal quadro pouco animador é Vale dizer que o recado é claro: se o
de formação bruta de capital fixo: caiu agravado pelo expressivo aumento da Brasil não investir em educação e tec-
de 24% em 1980 para cerca de 17% em importação de máquinas e insumos, a nologia, para poder exportar produtos
2007, com investimentos do governo maioria dos quais apenas substitui a com valor agregado, vai ficar cada vez
federal reduzidos a menos de 1% do produção nacional, enfraquecendo a mais para trás.

32 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


Em recente artigo o senhor disse que “somente em nada quem trabalha no lucro presumido,
o Brasil pratica o absurdo tributário que é one- que é a grande parte – quase 80% – da pequena
rar bens de capital” com impostos. Ao anun- e média empresa. Outro benefício pontual que
ciar a Política de Desenvolvimento Produtivo veio foi a compensação do PIS e da COFINS,
(PDP), o governo acenou com a compreensão que incidiam sobre a compra de bens de capital
de que isso precisaria ser corrigido. De lá para em 24 meses e agora se pode fazer em doze. De
cá houve algum passo concreto nesse sentido? todas as mudanças, a principal não está tanto na
Em qualquer país do mundo, fora o Brasil, parte tributária, mas na linha de financiamento
quem produz bens de capital não tem tributa- via Finame (Financiamento de Máquinas e
ção, muito pelo contrário. Os países incentivam Empresas) em dez anos – dois de carência e oito
a indústria a comprar máquina, porque assim para pagar. Antes eram no máximo cinco anos,
há geração de empregos e de competitividade, ou seja, dobrou o prazo. Só que há um grande
a rentabilidade das empresas aumenta, o fatura- entrave, que é a necessidade da Certidão Nega-
mento cresce e o governo arrecada mais. Então, tiva de Débitos (CND): 70% das empresas têm
tornar um investimento caro é uma política que problema com isso. São débitos de impostos,
podemos chamar, no mínimo, de não inteligen- “Na década tanto municipais quanto estaduais ou federais.
te. Voltemos um pouco no tempo. Na década de
80 éramos o quinto maior fabricante de bens de de 80 A nova política industrial do governo promete
capital do mundo, hoje somos o 14°. Por isso incentivos à inovação tecnológica. Isso suscita
nós – e quando digo “nós” me refiro tanto ao éramos o uma dúvida: na indústria existe uma queixa
setor industrial quanto ao governo – lançamos quanto à baixa qualificação da mão-de-obra.
o projeto Abimaq 2022. Esse projeto indica o quinto maior Na área gráfica esse problema seria uma bar-
que devemos fazer para que até lá possamos reira ao avanço da tecnologia de impressão.
estar novamente na primeira divisão do setor de fabricante Isso se aplica aos bens de capital em geral?
fabricação de bens de capital. As barreiras tecnológicas e educacionais são os
de bens maiores entraves que temos. Peguemos a Ale-
Na quinta posição novamente? manha como exemplo: em máquinas gráficas,
Na quinta não chegaremos mais. Achamos pos-
de capital ela dispensa comentários. É a maior fabricante
sível chegar talvez até a sétima. Para a quinta a de bens de capital do mundo – e em máquinas
distância está grande.
do mundo. gráficas é a melhor. A mágica do alemão para se
manter nesse negócio é inovação tecnológica.
Hoje, somos
Além disso entraram em cena players que não Veja-se o que se investe em inovação tecnológi-
estavam presentes, como a China... o 14º” ca, em pesquisa, em desenvolvimento. Na Ale-
Não só a China, mas todos os países asiáticos. manha, 80% dos pesquisadores estão dentro das
Tem a Coréia e o Vietnã, que não existiam. É indústrias, 20% estão no meio acadêmico. No
lógico que a China é de maior peso, mas há Brasil é o contrário, 20% estão nas empresas.
outros países que estão nos passando, como a Em que nó estamos! Precisamos inverter isso.
Índia e a Rússia. Nós estamos patinando. Agora,
o que o governo fez de lá para cá? Soltou Especificamente na preparação da mão-de-
algumas medidas pontuais que acenam para a obra, qual a dimensão do problema?
desoneração do setor, mas só em parte. Houve Qualquer pessoa hoje precisa ter, no mínimo,
o lançamento da PDP, houve a depreciação conhecimento de informática, ter cursado até
acelerada de bens de capital. Antes se fazia a a oitava série. Quando se faz uma análise para
depreciação de máquinas em cinco anos, hoje uma contratação, a primeira coisa que se obser-
é possível fazer isso em até dois. É um grande va é o conhecimento básico que a pessoa tem.
benefício para quem trabalha no lucro real, Quem não sabe usar computador, não sabe o
porque se abate do Imposto de Renda a pagar e que é Word, Excel, nem é contratado. Números
sobra mais para investir. Mas isso não beneficia apresentados em Davos mostram que, de 134

34 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


países pesquisados, o Brasil ficou na última indústria brasileira. O argumento básico é de
posição em investimento do PIB na educação. se está importando tecnologia de ponta embu-
É de doer na alma. Os números da indús- tida nas máquinas. Como a Abimaq vê essa
tria de máquinas evidenciam um crescimento corrente de pensamento?
forte e constante. Hoje o grande problema no A Abimaq não é contra a importação de máqui-
nosso setor não é capacidade instalada, pois as nas. Quando se importa uma máquina que vem
empresas estão comprando máquinas. O grande da Alemanha, dos Estados Unidos, do Japão e
gargalo é a mão-de-obra qualificada para operar ela traz aumento de produtividade, competitivi-
essas máquinas. A grande dificuldade é encon- dade, rentabilidade e, principalmente, se tiver
trar esse pessoal. Isso é reflexo do baixíssimo isonomia, caso haja fabricante nacional, não
investimento na educação. somos contra. O que somos contra, e que está
provocando estrago para nós, são as importa-
Os problemas, de fato, são muitos. Recentemente, ções da China a preços de 7, 8, 9, 10 dólares o
a Associação de Comércio Exterior do Brasil quilo de uma máquina. Hoje o imposto médio
(AEB) informou que cerca de 65% das receitas de importação do nosso setor está inferior a 8%.
das exportações brasileiras hoje são provenien- “Com o dólar Com o dólar do jeito que está, o risco que cor-
tes de commodities. Pela primeira vez desde remos de se substituir fabricantes nacionais por
1980 a fatia dos produtos manufaturados na do jeito que produtos importados é enorme. Temos vários
balança comercial é inferior a 50%. O vice- exemplos aqui na Abimaq de empresas que há
presidente da entidade, José Augusto de Castro, está, o risco dez anos tinham 100% da fabricação feita no
disse na ocasião que “estamos voltando ao pas- Brasil e que hoje importam da China. Elas man-
sado”. O senhor concorda com essa opinião? que corremos têm somente o nome e revendem no Brasil.
Não só concordo como acho que ele foi até
otimista. Se pegarmos os países que têm petró- de substituir Como combater essa concorrência, que pode-
leo, têm minério, todas as suas exportações mos chamar de desleal? Sabemos que a causa
são baseadas nessas commodities. São países fabricantes não pode ser imputada somente ao concorrente.
pobres onde a distribuição de renda é péssima. Há outros fatores que contribuem para isso,
A única exceção é a Noruega. O que fez a nacionais como a tributação elevada, que o senhor citou.
Noruega? Toda a receita do petróleo foi investi- Como combater ou reverter essa situação?
da em educação e na indústria. A Noruega não
por produtos Isso está dentro do Plano Abimaq 2022, que
quer exportar minério de ferro ou petróleo, quer tem quatro alicerces: um é a inovação tec-
importados
exportar produtos com valor agregado. O Brasil nológica, de que acabamos de falar e que é
está se concentrando somente em commodities. fundamental. Não é possível falar no resto sem
é enorme”
Tivemos uma bolha, porque os preços das inovação tecnológica. O segundo ponto é a
commodities subiram muito, mas agora estão desoneração total do investimento. O Brasil é o
caindo. Peguemos o setor de máquinas: o déficit único país do mundo que comete a insanidade
este ano vai bater a casa dos 10, 12 bilhões de de tributar máquinas. O terceiro pilar desse
dólares; ano passado foi de 4,5 bilhões e em projeto são linhas de financiamento. O setor de
2006 foi quase zero. Todos os setores que têm bens de capital perde competitividade se não
inovação tecnológica e mão-de-obra agregada existirem linhas de financiamentos de longo
estão passando por isso. Se não corrermos nos prazo. Uma máquina tem de se pagar. O Brasil
próximos três ou quatro anos, não haverá saldo não tem linhas de longo prazo, e as taxas de
comercial que consiga pagar isso. juros são piores do que as de agiotas russos.
As únicas linhas salvadoras são as do BNDES,
Mas há uma corrente de pensamento segundo a e mesmo assim são linhas com juros reais.
qual o crescimento das importações, por com- Aqui, pelo BNDES, os juros podem variar de
preenderem significativamente bens de capital, 12% a 16% ao ano. O que queremos são armas
contribui para aumentar a competitividade da iguais, isonomia. Como podemos competir

36 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


com alemão, japonês, americano, quando eles gestão. Temos parceria com uma empresa que
vêm com linhas de financiamento de até dez fornece software para engenharia, para projetos,
anos, com juros que chegam no máximo a 5% que pode ser pago em até doze vezes, com 25%
ao ano, e com o dólar do jeito que está? É briga de redução. Criamos também o FIDC Abimaq
de Rambo contra Mazzaropi. A desigualdade (Fundo de Investimentos de Recebíveis), que
de ferramentas é brutal. O último ponto do é um fundo de direitos creditórios. Esse fundo
Abimaq 2022 é exportação. Aí volto a falar está começando com 200 milhões de reais e
dos países do Primeiro Mundo. As exportações o BNDES está entrando com 25% das cotas
deles estão em produtos com valor agregado. subordinadas, ou seja, avalizando. As vantagens
A Alemanha não produz um grão de café e é são que não há IOF, a taxa média de juros está
o maior exportador de café industrializado. em 1,35% ao mês e não impacta o crédito junto
O Brasil e a Colômbia exportam o café para “No Brasil o ao sistema financeiro, porque é uma operação
depois importá-lo torrado e moído. Não há feita em bolsa. Outra coisa: não há necessidade
conta que feche. câmbio está de reciprocidade. Hoje, quando é descontado
um título no banco, no dia seguinte o gerente
Qual a importância das exportações para o baixo, na liga e vende um seguro, ou seja, o custo finan-
setor de máquinas? ceiro sobe. Precisa ter o que eles chamam de
Historicamente o nosso setor tem 33%, 35% China está reciprocidade. Aqui não, a única reciprocidade
do faturamento na exportação. Somos o setor é ser sócio da Abimaq.
que mais exporta em valor agregado. Este ano alto. Isso
o valor foi de 22% do faturamento. Pode-se cal- O senhor já qualificou como “importações do
cular o estrago que isso representa para o país. já dá uma mal” a compra de máquinas a preço baixo, mas
Estamos perdendo mercado lá fora em produtos sem tecnologia para a produção de bens com-
de valor agregado. Dentro desses valores, 50%, diferença de petitivos. Seriam máquinas que resolvem um
60% das exportações de máquinas vão para problema, mas a médio e longo prazo podem
países de Primeiro Mundo, o que mostra que o 70% ou 80% agravá-lo, pela baixa qualidade. No entanto,
nosso setor é competitivo e tem tecnologia. parte delas tem desempenho de alta qualidade.
de competiti- Como conseguem concorrer a preços favorá-
A Abimaq reconhece que, em muitos setores, veis com os equipamentos brasileiros?
há um número excessivo de empresas. São
vidade, fora O básico é o câmbio. No Brasil o câmbio
empresas que talvez sejam familiares, talvez está baixo, na China está alto. Isso já dá uma
os custos
não estejam atualizadas tecnologicamente, e diferença de 70% ou 80% de competitividade,
isso dificulta as condições competitivas dessas que uma fora os custos que uma empresa na China tem.
empresas. O projeto Abimaq 2022 prevê medi- Eles não têm 13° salário, FGTS, o custo do
das para incentivar a reestruturação do setor? empresa na aço é baixo. Isso tem data para acabar, mas
O que precisamos fazer para as pequenas e a verdade é que a China está desenvolvendo
médias empresas, para de alguma forma aumen- China tem” alta tecnologia. Podemos lembrar do Japão.
tar a competitividade delas, é melhorar a gestão. Há trinta anos os carros da Toyota e da Honda
A idade média das máquinas instaladas no Bra- eram lixo. Hoje dominam e já estão passando
sil é de dezenove anos. As máquinas mais anti- até a GM. Acredito que em relação à China,
gas estão na pequena e média empresa, porque neste primeiro momento, podemos falar de
as grandes sempre se atualizam. Se a média é qualidade, de assistência técnica. Mas daqui
dezenove, na pequena e média temos máquinas a dez anos a história vai começar a mudar. O
com 25, 30 anos. O que precisamos é dar condi- problema é muito maior do que imaginamos
ções para que essas empresas possam trocar as hoje. Hoje o problema é de qualidade e assis-
máquinas e os equipamentos. Outra coisa que tência técnica e ainda podemos cutucar isso.
estamos fazendo na Abimaq é facilitar o acesso Mas se não mudar de atitude com agilidade o
da pequena e média empresa a softwares de Brasil vai perder a corrida.

38 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


}}} cervejas

Para a família e para os amigos


Com garrafa de 1 litro retornável, Skol mira no consumo doméstico

D
e olho no crescimento do consu-
mo de cerveja em casa apresen-
tado em algumas regiões do país,
a Skol colocou no mercado, no
começo de agosto, a Skol Litrão,
cerveja em garrafa de vidro de 1 litro retornável
produzida pela Saint-Gobain e pela Owens-Illi-
nois. “Nada melhor do que uma cerveja grande
para ocasiões como churrascos e festas. Por isso
decidimos atender à essa demanda oferecendo
aos consumidores uma embalagem mais eco-
nômica de 1 litro retornável”, diz a gerente de
inovações da Skol, Carolina Faria.
Fruto de quase um ano de pesquisas pela
cervejaria, a Skol Litrão chega para atender à
demanda de um mercado promissor. De acor-
do com a gerente da AmBev, observa-se uma
forte tendência de crescimento do consumo de
cervejas em embalagem de 1 litro na América
Latina. Segundo estudo da Nielsen, na Repúbli-
ca Dominicana, por exemplo, as garrafas de 1
litro retornáveis representam 33% do mercado
de cerveja, e na Guatemala esse número chega
36%. Em países do Cone Sul, como Argenti-
na e Uruguai, é comum o envase de cerveja

Diferença vetada
Cade restringe circulação de garrafas de 630 mililitros da AmBev
A AmBev está proibida pelo Conselho da AmBev alegam que a nova garrafa
Administrativo de Defesa Econômica quebra o sistema de compartilhamento
(Cade) de estender para o restante do de vasilhames. O descumprimento da
fotos: divulgação

país o uso de suas garrafas personali- decisão implica multa diária de 50 mil
zadas retornáveis de 630 mililitros uti- reais.
lizadas nos Estados do Rio de Janeiro, O Cade impôs as condições ao jul-
com a Skol, e do Rio Grande do Sul, gar medida preventiva adotada pela
com a Bohemia. A decisão impede Secretaria de Direito Econômico (SDE)
que a garrafa seja usada por outras em maio deste ano, que suspendia o
marcas da AmBev. Além disso, o Cade uso das novas garrafas e determinava
determinou que a cervejaria adote um o recolhimento dos vasilhames em
sistema de troca de vasilhames com circulação. A AmBev não comentou a
seus concorrentes. Os concorrentes decisão.

40 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


em garrafas de 960 mililitros retornáveis. A Owens-Illinois
(11) 2542-8000
AmBev já vem testando desde o início de 2007
www.oidobrasil.com.br
essas embalagens no mercado, com as marcas
uruguaias Patrícia, Norteña e Pielsen. “Temos Propack
(11) 4785-3700
bastante confiança no imenso potencial do pro- www.propack.com.br
duto”, afirma Carolina Faria.
Saint-Gobain
(11) 2246-7214
Economia na troca www.sgembalagens.com.br
O principal atrativo da Skol Litrão é a economia
feita pelo consumidor: o preço sugerido para Wassmann
+49 (0)2303 – 962 042
a garrafa é de 3,99 reais para a compra sem o www.wassmann.com
vasilhame. Na recompra, com a devolução da
garrafa, o consumidor pagará 2,99 reais, o que
representa um custo por litro bem inferior às
outras embalagens das outras marcas e até da
própria Skol.
A garrafa de 1 litro chega ao varejo dos
Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande
do Sul, além do interior de São Paulo e do sul
de Minas Gerais. (FP)

Cerveja de 1 litro não é novidade no Brasil


Pequenas cervejarias já utilizam a embalagem

abadessa
coruja, da e slava, da
Cervejaria Cervejaria
Coruja, Abadessa, de
Teutônia (RS). Porto Alegre.
Empresa não Garrafas de 1
informou quem e 2 litros são
fornece a produzidas
embalagem pela empresa
Wassmann da
Alemanha

chopp belco, da
cervejaria Belco,
de São Manuel
(SP). Embalagem
de PET
schmitt big ale, com rótulo
da Cervejaria termoencolhível
gaúcha Schmitt. da Propack
Garrafas da
Saint-Gobain são
retornáveis

www.embalagemmarca.com.br
panoraMa }}} MOVIMENTAçãO NO MUNDO DAS EMBALAGENS E DAS MARCAS

FLEXÍVEIS

Duas novas fontes de stand-up pouches


Arco Convert e Grand Pack passam a oferecer flexíveis que ficam em pé
O mercado conta com dois novos forne- Eduardo Slikta, supervisor de vendas e
cedores de stand-up pouches (SUPs), as serviços da Arco. “O stand-up pouch
bolsas plásticas capazes de ficar em pé: não deforma, o que facilita o manuseio e
a Arco Convert e a Grand Pack. evita perdas, dá segurança ao consumi-
Após a aquisição de uma máquina for- dor, pois não é do tipo que possa
madora SUP 750, da Hudson Sharp, a machucar, e permite a aplicação de
Arco Convert (www.arco.ind.br) passa a tampas e sistemas de abertura fácil,
produzir pouches para as mais diferentes como zíperes.”
aplicações – inclusive aqueles do tipo Por sua vez, a GrandPack (www.
retortable, que possibilitam a esterilização grandpack.com.br), mais conhecida

ãO
de alimentos por autoclave, dispensando pela atuação com sachês, strips

COMuNICAç
a distribuição refrigerada. (cartelas flexíveis) e flow packs,
A aposta é numa curva acentuada de investiu 500 000 reais em equipa-

/ BLOCO dE
crescimento dos SUPs pela economia de mentos para trabalhar com SUPs.
matéria-prima que eles proporcionam (e Andréia Emília, responsável pelo pla-

OS CurAdO
conseqüentes reduções de custo, peso nejamento da empresa, informa que já
e volume de descarte) e por sua ampla estão sendo desenvolvidas bolsas para
superfície impressa, que lhe dá visibilida- vários clientes – entre eles O Boticário,

FOTO: CArL
de na gôndola e facilita a leitura de infor- Natura e Laboratório Aclimação. As
mações. “É preciso virar toda a lata de expedições deverão começar em
atum, por exemplo, para lê-la”, compara setembro. (Adilson Augusto) SUPs produzidos pela Arco Convert: novo player

TECNOLOGIA

FONTE: PETCOrE
O NÚMERO
Tequila que brilha

1,13
Garrafas de Hornitos adotam dispositivos luminosos
Abordada na edição anterior de Global Spirits & Wine colocou nos mer-
EmbalagEmmarca por uma ação pioneira cados americano e mexicano garrafas de
com a cerveja romena Ursus, a tecno- 750 mililitros e de 1 litro de sua tequila
logia LightPad de iluminação de emba- Hornitos que piscam com iluminação
lagens acaba de fazer sua estréia em verde. Acoplados às bases das embala-
bebidas alcoólicas destiladas. A Beam gens de vidro transparente, os LightPads, milhão de toneladas
dispositivos com um
LED integrado, acen- Foi o volume coletado na Europa, em 2007,
dem somente quando de garrafas de pET pós-consumo para reci-
manuseadas. A idéia clagem. o índice é 20% maior que o regis-
da Beam é destacar a trado em 2006, quatro vezes maior que o do
marca quando barten- Brasil em 2007 e representa cerca de 40%
ders retiram as garra- de todas as embalagens de pET comerciali-
fas das prateleiras dos zadas no ano passado no mercado europeu.
bares. Se a iniciativa
for bem-sucedida, a
tecnologia, criada pela
Cognifex (www.cogni-
fex.com), poderá ser
FOTO: dIvuLGAçãO

estendida à principal
marca de tequila da
Beam, a Sauza.

44 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


Edição: GUilhErME KaMio ||| guma@embalagemmarca.com.br

VAREJO

Em vez do banimento, melhor uso


Programa de consumo responsável de sacolas obtém bons resultados

Lançado em meio à onda de aver-


são às sacolas descartáveis para
transportar compras, o Programa de
Sacola com
Qualidade e Consumo Responsável o logotipo da
das Sacolas Plásticas conseguiu campanha: uso
racional é a meta
diminuir o uso desses invólucros
em 12% no seu primeiro mês em
vigor na capital paulista. O índice
representa quase 1,5 milhão de
unidades “salvas” nas 16 lojas par-
ticipantes da fase inicial da campa-
nha (14 das redes Pão de Açúcar
e Carrefour e duas das bandeiras
VIP e Alvorada). Capitaneado
pela Plastivida e apoiado pelo
Instituto Nacional do Plástico
(INP), pela Associação Brasileira
da Indústria de Embalagens
Plásticas Flexíveis (Abief) e
pela Associação Brasileira
de Supermercados (Abras), o
Programa distribui sacolas mais
resistentes, fabricadas de acor-
do com a norma ABNT 14.937
e identificadas com um selo de
qualidade. O objetivo é diminuir a
subutilização e o uso duplicado das
embalagens. Utilização de sacolas com menos da
metade de suas capacidades nominais
Na operação-piloto em São Paulo,
1 328 pessoas, entre promotores e anTes Do coM UM MÊs
prograMa De prograMa
operadores de caixa, distribuíram
FONTE: SP TrAdE/PLASTIvIdA – PESQuISAS EFETuAdAS EM SuPErMErCAdOS PAuLISTANOS

61% 28,1%
material explicativo e orientaram os
consumidores sobre o uso adequado
das sacolas qualificadas. Os resul-
tados foram significativos (veja o Utilização de sacolas em duplicidade
quadro). Além de continuar em São anTes Do coM UM MÊs
prograMa De prograMa
Paulo, o programa será ampliado.
Santa Catarina, Bahia e Pernambuco
já fecharam acordos com asso-
ciações supermercadistas de seus
13% 6,7%
Estados. O Rio Grande do Sul faria Clientes que deixavam os
o mesmo em agosto. “Em doze supermercados com as sacolas cheias
meses pretendemos reduzir o uso anTes Do coM UM MÊs
anual das sacolas no Brasil em 30%, prograMa De prograMa

o equivalente a 5,5 bilhões de uni-


FOTOS: dIvuLGAçãO

dades”, informa Francisco de Assis


Esmeraldo, presidente da Plastivida.
26% 60,8%

www.embalagemmarca.com.br julho 2008 EmbalagemMarca 45


panoraMa }}} MOVIMENTAçãO NO MUNDO DAS EMBALAGENS E DAS MARCAS

CELULÓSICAS

Estréia na área de limpeza


Selo do FSC agora estampa caixa de sabão em pó
Depois de estrear no Brasil em cartu-
chos de cosméticos e em caixas de
papelão ondulado, o selo do FSC –
Forest Stewardship Council, entidade Tixan Ypê: o primeiro
que atesta o manejo responsável de sabão em pó nacional
com o selo do FSC
florestas em todo o mundo – chega a
um novo segmento. O sabão em pó
Tixan Ypê, da Química Amparo, é o
primeiro produto de limpeza nacional a certificado da Suzano Papel e Celulose. da Amazônia, reduz a emissão de CO2
estampar a insígnia em suas embala- “Com o selo, o consumidor poderá ter a causador do efeito estufa e assegura
gens. As caixas do produto, fornecidas certeza de que a embalagem do lava rou- os direitos dos trabalhadores e das
pelas gráficas Rigesa, Romiti e Nilpel, pas foi produzida de maneira responsá- populações que vivem nas florestas”,
são confeccionadas com papel cartão vel, não contribui para o desmatamento diz a Química Amparo, em comunicado.

GENTE
Resultado da fusão con- tor de vendas da fabricante de embalagens de design de produto, embalagens e am-
solidada no fim do ano de vidro Vidroporto. A área de vendas da bientes Prodesign, de São José dos Cam-
passado entre duas po- Premiumplastic passa a ser gerenciada por pos (SP). Pereira já coordenou o Comitê
tências em codificação de Ricardo Tovar. de Usuários de Embalagem da Associa-
embalagens, a americana ção Brasileira de Embalagem (Abre).
Markem e a francesa Imaje, a Markem- Mudanças na Suzano Papel
Imaje confirmou Marcio Caillaux, execu- e Celulose. André Dorf (foto) Mudanças na matriz da química america-
tivo originário da Imaje, como seu diretor assumiu a diretoria executi- na Eastman. Damon C. Warmack foi no-
de operações para o mercado brasileiro. va de Estratégia e Novos Ne- meado vice-presidente e gerente-geral
gócios e, a partir de setem- de Químicos de Performance e Inter-
Antes somente responsá- bro de 2008, acumulará a responsabilidade mediários (PCI). Em seu lugar, na vice-
vel pela América do Sul, pela área de Relações com Investidores da presidência e gerência da divisão Reves-
Marcos Tadeu de Lorenzi empresa. A diretoria executiva da Unidade timentos, Adesivos, Polímeros Especiais
agora é também o gerente de Negócio Papel, posto ocupado por Dorf e Tintas (CASPI), entra Brad Lich, que até
de marketing da fabrican- desde 2006, passou para Carlos Aníbal Fer- então ocupava o cargo de vice-presidente
te francesa de equipamentos de embala- nandes de Almeida Jr., que vinha atuando na de marketing global da companhia.
gem Sidel para a América Central. “Nas Suzano como gerente executivo da Unidade
Américas, só não atuo nos Estados Uni- de Negócio Celulose. A partir de 1º de outu-
dos e no Canadá”, explica o executivo. bro, Fernando Lewis (fo-
A americana Owens-Illinois, forte atuante to) assumirá o cargo de
Referência em tecnologias de potência e do mercado nacional de embalagens de vi- vice-presidente do grupo
automação, a sueco-suíça ABB escolheu dro, nomeou Jay Scripter seu vice-presidente de imagem e impressão
seu novo CEO. Joseph Hogan, ex-presi- global de sustentabilidade. da HP no Brasil. Ele substitui Edson
dente da GE Healthcare, assumirá o posto Shiwa, que passará a responder pela
de principal executivo da empresa em 1º Depois de trabalhar 26 anos no desenvol- unidade de negócios de inkjet e web
de setembro. vimento e no gerenciamento solutions para a América Latina. Há
de projetos de embalagem 21 anos na HP, Lewis já exerceu várias
Gian Piero Bortone deixou a gerência na Johnson & Johnson brasi- funções no Brasil e na América Latina
de vendas da produtora de embalagens leira, Paulo E. Pereira passa a nas áreas de finanças, distribuição e
plásticas Premiumplastic e é o novo dire- integrar a direção da agência manufatura.

46 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


}}} HiGieNe pessoAl e BeleZA

De bem com a Natureza


Na nova linha de produtos infantis da Natura, embalagens
se transformam em brinquedos “ecologicamente corretos”
Por Flávio Palhares
ostrar, por meio de brincadeiras loções hidratantes e cremes para pentear que
e histórias a respeito da água, as integram a nova família, mas também na cria-
primeiras noções de consciência ção de embalagens especiais, sobre as quais
ambiental de forma lúdica, poéti- recai a função didática descrita linhas atrás.
ca e divertida. Este é o conceito Escolhida como elemento-chave para disse-
da nova linha infantil da Natura, a Naturé, que minar entre as crianças o cuidado com a natu-
substitui a linha Natura Criança e cujos dezesse- reza pela sua ligação com o banho, momento
te produtos (doze regulares e cinco refis), desti- com o qual os produtos de Natura Naturé têm
nados a crianças de 3 a 7 anos de idade, foram relação, a água protagoniza histórias diagrama-
desenvolvidos ao longo de quatro anos com das nas embalagens dos produtos. A iniciativa
o apoio de pedagogos, pediatras, psicólogos, inspirou a edição do livro infantil Tchibum no
médicos e enfermeiros. A colaboração desses Mundo! A Grande História da Água, escrito
profissionais ajudou não só na formulação dos para a Natura por Simone Fonseca. A enge-
xampus, condicionadores, sabonetes, colônias, nhosidade da apresentação dos novos produtos,

48 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


Cartuchos que
acondicionam os frascos
viram brinquedos Natura Naturé:
embalagens e
Baumgarten
(47) 3321-6666
fornecedores
www.baumgarten.com.br Loção hidratante 125 mililitros: bisnaga de
polietileno (PE) da Impacta e tampa flip-top de
Dezign com Z polipropileno (PP) da Seaquist Closures
(11) 2184-8137
www.dezigncomz.com.br Colônia Bem-Bom meninos/meninas 100 mililitros:
frasco de PET da Igaratiba; ombro e tampa de PP
Engratech da Seaquist Closures
(11) 3079-3947
www.grupoengra.com.br
Colônia Fiu Fiu mocinhos/mocinhas 100 mililitros:
frasco de PET da Igaratiba; ombro e tampa de PP
entretanto, vai além. Igaratiba
da Seaquist Closures
(19) 3821-8000
Os cartuchos de papel cartão utilizados www.igaratiba.com.br
como embalagens secundárias dos produtos se Xampu 250 mililitros: frasco de PET da Engratech
transformam em brincadeiras, como jogos da Impacta e tampa twist de PP da Seaquist Closures
(11) 4447-7300
memória, colagens, bonecos, fantoches de dedo www.impacta-brazil.com.br Condicionador, creme de pentear e xampu dois
(“dedoches”) e teatrinhos tridimensionais para em um 250 mililitros: frasco de PP da Engratech e
montar. Todos os produtos trazem uma cartela Rexam Beauty Packaging tampa twist de PP da Seaquist Closures
do Brasil
de figurinhas auto-adesivas com personagens (11) 2152-9800 Sabonete líquido 200 mililitros: frasco de PET
criados especialmente para a nova franquia www.rexam.com.br
da Igaratiba e válvula Lotion, da Rexam Beauty
(substitutos dos personagens do Sítio do Pica- Seaquist Closures Packaging do Brasil
Pau Amarelo, que apoiavam a linha Natura (11) 4143-8900
Todos os produtos da linha: cartuchos de papel
Criança), estimulando crianças a personalizar www.seaquistclosures.com
cartão e figurinhas auto-adesivas da Baumgarten
seus produtos e ampliar as brincadeiras depois
do banho. Tampa em forma de
torneira visa à interação o xampu dois em um, Vapt-vupt; o sabonete em
Elementos lúdicos das crianças com as
embalagens barra é Bolôlô; as colônias são Fiu fiu e Bem
Ao dar novo uso às embalagens, que seriam bom; o xampu para cabelos encaracolados é
descartadas, Naturé fala do cuidado com a Tóin óin óin; o creme para pentear é o Bafa-
natureza. “Tudo foi pensado para estar coe- fá; o condicionador, Tcha, tcha, tchá; o sabo-
rente com a linguagem infantil e atender às nete líquido, Splesh; e o xampu para cabelos
necessidades dessa fase”, conta Almir Simões, normais, Blá, blá, blá.
gerente de Desenvolvimento de Embalagem da “O compromisso do produto é ser um incen-
Natura. tivo para descoberta do mundo, por meio de
Os frascos de PET, inquebráveis, têm for- suas embalagens, formas, nomes e cartuchos,
mas arredondadas e são de fácil manuseio, com histórias e brincadeiras. Crianças que
o que incentiva a independência da crian- brincam são mais criativas, conseguem
ça no banho. Também trazem elementos desenvolver melhor suas habilidades”,
lúdicos como as tampas em formato de diz Tatiana Pignatari, gerente de Marke-
torneira para lembrar do cuidado com ting e Inovação da Natura. Em tempo:
a água. As embalagens foram criadas ré, em tupi, significa “amigo”. Naturé,
pela Natura em parceria com a agência portanto, busca remeter a “amigo da
Dezign com Z e com os fornecedores natureza” – coisa que a Natura, por sua
(veja quadro ao lado). conhecida preocupação com sustentabili-
As brincadeiras continuam com as dade, consolidada como equity de marca
onomatopéias utilizadas nos nomes dos e transmitida através de suas embalagens,
produtos. A loção hidratante é Lero-lero; tem conseguido ser.

50 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


}}} plásticas

Algo a mais que retidão


Selagens personalizadas, diferentes da convencional “barra reta”,
podem dar mais carisma aos produtos acondicionados em bisnagas
Por Guilherme Kamio

I
mpulsionadas pela economia aque- em geral. Mas, não obstante essas importantes
cida e pela maior oferta, com a virtudes, as bisnagas nacionais padecem daquilo
entrada em cena de novos fornece- que especialistas em marketing e em branding
dores, as bisnagas (ou tubos, como definiriam como uma limitação: quase todas pos-
alguns preferem) multiplicaram-se suem o mesmo formato, numa uniformidade que
no varejo brasileiro nos últimos anos. Bisnagas cerceia as tacadas mais ousadas em construção
são leves, inquebráveis, portáteis e, por sua capa- de imagem de marca por meio da embalagem.
cidade de compressão (squeezability), facilitam Por princípio, não há como projetar bisnagas
a dosagem de cremes, géis e produtos pastosos com perfis que fujam radicalmente da estrutura

Diversos produtos
internacionais já utilizam
selagens personalizadas
oferecidas pela Norden:
mais destaque às marcas
comunicação
ado – bloco de
foto: carlos cur

52 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


tubular. Contudo, um artifício simples, cada vez fundos de tubos – e as ferramentas
mais explorado em outros países e ainda subes- próprias para suas selagens e refiles.
timado por aqui, pode ajudar na criação de tubos Os formatos variam dos arredon-
mais carismáticos: a selagem personalizada, dados, poligonais e ondulados, simétri-
com cortes desenhados, diferentes da tradicio- cos ou não, até a alguns extrovertidos,
nal “barra reta”, na extremidade de enchimento como aquele que simula dedos dos pés,
(convém lembrar que as bisnagas são envasadas já utilizado por loções estrangeiras. (A

divulgação
pré-formadas, pelos fundos abertos, que em foto que abre esta reportagem dá um
seguida são selados e aparados.). aperitivo dessas invenções). Só que,
“As indústrias nacionais vêm crescentemente perdoado o trocadilho, contam-se nos
demandando materiais, tampas e decorações dedos as bisnagas nacionais com esse
especiais para bisnagas, e isso é notável. Mas tipo de acabamento. Entre elas estão as que acon-
as selagens especiais amplificam o poder dessas dicionam a linha de máscaras para hidratação de Bisnagas dos hidratantes
embalagens como ferramenta de identidade de cabelos da marca Garnier Fructis, recentemente capilares de Garnier Fructis,
com selagem arredondada:
marca”, entende Guilherme Presa Arcuri, diretor lançadas pela L’Oréal brasileira, com selagem novidade nas gôndolas
comercial da Simbios-Pack, representante para arredondada.
o Brasil da sueca Norden. Referência em equi-
pamentos para o acondicionamento de produtos Comunicação de inovação
em bisnagas, sendo considerada a inventora da Outro desbravador dessa tendência no país é
selagem hot air (por ar quente), hoje um padrão o sabonete íntimo feminino Carefree Natural
tecnológico nessa seara, a Norden desenvolve há Fresh, lançado em meados de 2007 pela Johnson
quase quinze anos desenhos diferenciados para & Johnson local, também com selagem arre-

www.embalagemmarca.com.br agosto 2008 EmbalagemMarca 53


ção
divulga
dondada, “para potencializar a comu- da fabricante italiana de envasadoras de
nicação de um produto inovador”, nas bisnagas Comadis.
palavras de Renato Wakimoto, diretor A fabricante de materiais para pintura
de Desenvolvimento de Embalagens da artística Acrilex investiu num ferramen-
companhia. “O formato nos garantiu a tal especial da Comadis e implantou fura-
criação de um ícone de mercado, que ções (euro slots) nos tubos de sua linha
tem sido um sucesso de vendas com de texturas artísticas Textura Criativa.
ótimo feedback dos consumidores”, afir- Resultado: a possibilidade de colocar os
ma Wakimoto. A J&J prefere não identi- produtos numa nova plataforma de exposi-
ficar a parafernália envolvida na produção ção nas lojas, a gancheira. “Com bisnagas
Selagem
da embalagem. abaulada organizadas em gancheiras ganhamos mais Ao reduzir diagonais,
Para as empresas do mercado de bis- tornou Carefree visibilidade no varejo de auto-serviço em scoop seal, já utilizado
“um ícone” pela Mantecorp, pode
nagas, as selagens personalizadas ainda relação à concorrência, que em sua maioria gerar economia no
sofrem no Brasil com o estigma do alto custo utiliza frascos”, comenta Osni F. Júnior, da área encartuchamento
(veja abaixo)
de adoção e lento ROI (retorno de investimento) de marketing da Acrilex.
freqüentemente associado aos incrementos tec- Nessa linha, Arcuri realça com entusiasmo
nológicos. “O ferramental especial é acessível”, o caso da farmacêutica Mantecorp, que cerca
sustenta Arcuri. “Ademais, experiên- de dois anos atrás, com sua família
cias em diversos países mostram que de protetores solares Episol, se tornou
o impacto no ponto-de-venda e as con- pioneira mundial no uso daquilo que
seqüentes elevações das vendas garan- a Norden denominou scoop seal, ou
tem rápido retorno do investimento.” A “selagem pá”, numa tradução livre do
situação também não implica em dores inglês. “É um desenho côncavo, que,
de cabeça com as próprias embalagens. além do visual atraente, reduz a diagonal C-Pack
(11) 5547-1299
“Cortes especiais exigem bisnagas um da selagem da bisnaga”, descreve o dire-
www.c-pack.com.br
pouco mais compridas, mas o aumento tor da Simbios-Pack. “A diagonal menor
de custo é desprezível”, assegura Fábio permite reduzir as dimensões das embala- Oystar-Fabrima
(11) 2465-2500
Yassuda, diretor comercial da fornecedo- gens secundárias e terciárias para esse tipo www.oystar.fabrima.com
ra de tubos C-Pack. de bisnaga, ou seja, dos cartuchos de papel
“Aquilo que também temos busca- cartão e das caixas de despacho, o Simbios-Pack
(11) 5687-1781
do mostrar à clientela é que as sela- que resulta em significativa www.simbios-pack.com.br
gens especiais podem significar mais que economia.”
upgrades estéticos”, diz Edman de Alcân- Unità Tecnologia
Selagem com furação (11) 2109-4021
tara Costa, diretor comercial da Unità permitiu à Acrilex levar www.unitatecnologia.com.br
Tecnologia, representante para o Brasil textura às gancheiras

Ao alcance das laminadas


Bisnagas típicas de cremes dentais também podem inovar em formato de selagem
É possível aplicar selagens especiais também em Em que pese o silêncio da usuária, tradicionais
fotos: carlos curado / bloco de comunicação

bisnagas laminadas, aquelas híbridas de plástico e fornecedores de equipamentos para esse setor
alumínio e fortemente identificadas com os cremes mostram-se dispostos a apoiar projetos dos clientes.
e géis dentais. Com bisnagas estampadas por per- “Como formam um mercado forte, os cremes den-
sonagens como Bob Esponja e Shrek, a Colgate- tais têm potencial enorme para explorar tubos per-
Palmolive continua a apostar nas selagens perso- sonalizados”, comenta Renato Bertoni, coordenador
nalizadas para bisnagas de cremes dentais para de vendas da fabricante de máquinas de embalagem
o público infantil (na foto ao lado). Procurada por Oystar-Fabrima, encarregada da representação no
EmbalagemMarca, a fabricante preferiu não comentar Brasil da alemã IWK (pronuncia-se “ivecá”), impor-
a estratégia. tante nome em envasadoras de bisnagas laminadas.

54 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


paInel gráfIco }}} MERCADO DE CONVERSãO E IMPRESSãO DE RóTULOS E EMBALAGENS
Edição:
Edição:Guilherme
Leandro Haberli
Kamio

Congraf certificada Abertas as inscrições para


o Prêmio Fernando Pini
Gráfica recebe autorização para utilizar selo FSC
Prazo acaba em 19 de setembro
A Congraf é mais uma gráfica certificada pelo
FSC (Forest Stewardship Council), uma espécie Até 19 de setembro, empresas
de selo de garantia no trato de questões ambien- gráficas brasileiras de diversos
tais, sociais e econômicas. A empresa foi auditada segmentos poderão inscrever
pelo Instituto de Manejo e Certificação Florestal e seus trabalhos no 18º Prêmio
Agrícola (Imaflora), licenciadora do FSC. Brasileiro de Excelência
Gráfica Fernando Pini. O prê-
mio, criado pela Associação
ABPO lança anuário estatístico Brasileira de Tecnologia
Gráfica (ABTG) em 1991,
Publicação é editada em três idiomas tem como objetivo estimular
A Associação Brasileira do Papelão Ondulado a produtividade e a qualida-
(ABPO) disponibiliza o Anuário Estatístico de do impresso nacional.
referente a 2007 em português, inglês e Em comemoração aos 200
espanhol. Na publicação, que reúne dados anos da Indústria Gráfica Brasileira, o concurso
coletados do setor composto de 86 empre- vai contemplar peças artesanais realizadas artisti-
sas, representadas por 107 unidades indus- camente. Neste ano, o concurso tem como tema
triais, constam indicadores socioeconômicos, o Esquadrão Pini, uma alusão aos tempos dos
informações setoriais, capacidade instalada, super-heróis das histórias em quadrinhos. A festa
consumo de papel, produção e expedição, de encerramento acontecerá em 25 de novembro,
distribuição geográfica da expedição, capa- no Expo Barra Funda, em São Paulo.
cidade nominal instalada das onduladeiras e O regulamento e as instruções para inscrição
de produtos acabados, entre outros. estão disponíveis no site da ABTG – www.abtg.
org.br – e pelo telefone (11) 2797-6700.

IP compra ativos da Weyerhaeuser


Negócio gira na casa dos 6 bilhões de dólares Beleza na mira
A International Paper concluiu a cerca de 400 milhões de dólares Pantone traz impressora Gallus
compra dos ativos do setor de anualmente com a aquisição, como
para atender mercados sofisticados
papelão corrugado, embalagem e resultado da redução da duplica- Em agosto, a Pantone Etiquetas Adesivas,
reciclagem da Weyerhaeuser por ção de custos gerais indiretos, inte- de Diadema (SP), anunciou a compra de
aproximadamente 6 bilhões de gração de operações de produção, uma impressora letterpress rotativa UV de 10
dólares. Segundo a International otimização do mix de produtos e cores, fabricada pela suíça Gallus.
Paper, foi identificada a oportu- melhoria da eficiência da cadeia O equipamento imprime bobinas com até
nidade de melhoria de lucro de operacional e de suprimentos. 250mm de largura, em velocidade nominal
de 100 metros por minuto. A máquina pode
incorporar, em linha, tratamento corona, seri-
Suzano lança papel para farmacêuticas grafia rotativa UV, hot stamping, cold foil e
acabamento com verniz UV.
Triplex foi desenvolvido para embalagens de remédios
Em comunicado feito à imprensa, a Pantone
A Suzano Papel e Celulose apresen- cionando maior produtividade, per- afirma que, com esta aquisição, mira merca-
tou o TP Pharma, papel cartão triplex mitindo a utilização de gramaturas dos high-end
de alta performance desenvolvido mais baixas e tendo como resultado em que há
especialmente para embalagens da embalagens mais leves. maior nível de
indústria farmacêutica. O TP Pharma Disponível nas gramaturas 225, 250 sofisticação
possui espessura e rigidez superio- e 275 g/m², o TP Pharma é certifica- e exigência
res aos produtos disponíveis para do pelo FSC – Forest Stewardship estética.
esse segmento de mercado, propor- Council.

56 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


Edição: FláVio palharEs ||| flavio@embalagemmarca.com.br

Atualizada e bilíngüe
Página na Internet da Bahia Pulp é reformulada
Heidelberg premiada
Reconhecimento é por tecnologia inovadora
A Bahia Pulp, produtora de celulose líquida, utilizada na fabri-
O Prinect Inpress Control, do Prinect Inpress Control
cação de tintas, vernizes e esmaltes, estréia seu novo endereço
sistema de controle de impressionou os juízes.
eletrônico: www.bahiapulp.com. O site foi reformulado e passa a
medição de cor em linha da Com este sistema, a máqui-
contar com informações e imagens atualizadas sobre a empresa,
fabricante alemã de impres- na não precisa mais parar
produtos e operações, com versões em português e inglês.
soras Heidelberg, ganhou o para que as medições sejam
InterTech Award, entregue feitas na folha impressa.
pela Federação Técnica de Isso significa, além do
Artes Gráficas (GATF), asso- menor tempo de acerto, a
ciação da indústria gráfica diminuição do desperdício
que congrega cerca de 13 de papel. O registro e quan-
000 empresas na América tidade de tinta também são
do Norte e 500 empresas mais rápidos.
em outros continentes. O sistema está disponível
O InterTech acontece anu- em quatro modelos das
almente desde 1978 e visa impressoras Speedmaster
premiar tecnologias inova- – XL 75, XL 105, XL 145 e
doras que trazem benefícios XL 162.
para a indústria gráfica. O
rápido tempo de acerto
painel gráfico }}} mercado de conversão e impressão de rótulos e embalagens
Edição: Guilherme Kamio

Mais uma opção para rótulos auto-adesivos


Finlandesa UPM Raflatac monta centro de corte e distribuição no interior de São Paulo
Um dos líderes mundiais do mercado auto-adesivo
e RFID em etiquetas e tags inlays, a finlandesa UPM
Raflatac finca o pé no Brasil. A empresa construiu um
centro de corte e distribuição na cidade de Jaguariúna,
no interior do Estado de São Paulo. O gerente geral
da UPM Raflatac no Brasil, Maurício Médici, falou à
reportagem de EmbalagemMarca sobre os planos da
companhia no país.

Como será a atuação da UPM Raflatac no Brasil?


Teremos um centro de distribuição, armazenaremos
os produtos em estoque local, cortaremos os produ-
tos nas medidas e comprimentos solicitados pelos
clientes e entregaremos com prazos de 24/48/72
horas, dependendo do produto e do tipo de pedido.
Inicialmente, vamos oferecer uma seleção de produtos
do nosso portfólio, e ampliaremos o mesmo de acordo
com os pedidos e necessidades dos nossos clientes.
Acreditamos muito no mercado brasileiro, nós temos
um grande interesse em ampliar nossa participação
localmente, tentando ser aliados dos nossos clien- Há planos para a construção de uma fábrica aqui?
tes na viabilização de seus projetos em decoração O plano da UPM Raflatac é aumentar a participação
e identificação de embalagens, e assim ajudá-los na de mercado no Brasil e o novo centro de corte e distri-
expansão desse mercado no Brasil. Sabemos que buição da empresa nos permitirá oferecer uma marca
isso só é possível com produtos e serviços de alta global muito conhecida e de alta qualidade, com
qualidade, assim como custos competitivos, e é isso serviços e prazo de entrega que o mercado brasileiro
que queremos oferecer ao mercado brasileiro. Além espera. A UPM Raflatac é uma empresa com presença
de produto auto-adesivo, disponibilizamos auxílio aos mundial. Na América Latina, com exceção do México
nossos clientes no desenvolvimento de projetos de (abastecido pela fábrica Estados Unidos), no entanto,
RFID. Estamos convencidos de que surgirão muitas ainda dá os primeiros passos.
oportunidades nesse segmento de mercado nos pró-
ximos anos. A chegada no Brasil pode ser considerada um marco
de um novo contrato na região?
A UPM Raflatac tem fábricas na Europa, Estados A UPM Raflatac tornou-se uma empresa global, con-
Unidos e China. De onde virão os produtos? quistando seu espaço em cada região de forma sólida
Atualmente, devido à taxa de câmbio e de compatibili- e estável, proporcionando bom atendimento aos clien-
dade das estruturas, os produtos virão principalmente tes com bons produtos e serviços. Com essa filosofia
dos Estados Unidos. ela chega ao Brasil e inicia o processo de entrada na
América Latina, como tem feito ao redor do mundo.
Os clientes terão acesso a todos os itens do portfólio Certamente é um marco para a região. Em minha opi-
da empresa? nião, é o início de um futuro promissor.
O portfólio de produtos da UPM Raflatac é muito
extenso, com produtos fabricados nos Estados Unidos
e na Europa, de acordo a especificações e necessi-
A UPM Raflatac em números
dade de cada região. Se houver interesse dos nossos
• 2700 funcionários em todo o mundo
clientes, não haverá problema em comercializar produ-
• Vendas anuais de cerca de 1 bilhão de euros
tos de várias plantas. Nós podemos fazer negociações
localizadas ou, se for um processo de compra perene, • Fábricas e escritórios de
incluir o produto no portfólio do Brasil. vendas nos cinco continentes

58 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


painel gráfico }}} mercado de conversão e impressão de rótulos e embalagens
Edição:
Edição:Guilherme
Leandro Haberli
Kamio

Mais flexível aos sete


Em nova edição, Prêmio Max Feffer amplia as possibilidades aos designers

T
alvez poucas frases sintetizem melhor o ofício
dos designers do que “a arte de equilibrar razão
e emoção”. Não à toa, esse foi o mote escolhido
pela Suzano Papel e Celulose para a sétima edi-
ção do Prêmio Max Feffer de Design Gráfico,
destinado a estimular a criatividade desse grupo de profis-
sionais – a ser materializada em produtos feitos em papéis da
companhia, naturalmente.
A exemplo dos anos anteriores, serão quatro categorias
(Embalagens, Promocional, Editorial e Miscelânea) com pre-
miações em dinheiro para os três melhores trabalhos, e uma
(Estudante) em que os primeiros colocados receberão “ferra-
mentas de trabalho” (um computador Macintosh, uma tablet
para desenho e uma câmera fotográfica digital, para o primeiro,
o segundo e o terceiro colocados, respectivamente). Quem é quem no júri
Para analisar os trabalhos foi montado um júri independen-
te, com profissionais de design especializados em diferentes Ronald Kapaz – Sócio-titular, fundador e head-designer da Oz
campos contemplados pela premiação. O curador do Prêmio Design. Kapaz é o curador da premiação, posto já ocupado por
Gilberto Strunck (entre 2004 e 2006) e Helga Miethke (2007).
Max Feffer em 2008 é Ronald Kapaz, sócio-fundador da Oz
Design. “A liberdade que a Suzano dá para o trabalho dos jura-
Marian Bantjes – Designer canadense que, desde 2003,
dos é louvável, pois as análises concentram-se em aspectos téc-
tem focado seu trabalho na abolição das barreiras entre
nicos, e isso garante a seriedade do Prêmio”, afirma Kapaz. design, ilustração e tipografia.
A grande novidade introduzida no regulamento deste ano
é que podem ser inscritos trabalhos feitos em qualquer item
Chico Homem de Melo – Diretor da Homem de Melo & Troia
da linha da Suzano (antes, essa possibilidade se restringia a Design, com forte atuação em design editorial, corporativo e
produtos impressos em papel Reciclato ou nos papéis cartão ambiental. Professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo
Supremo Duo Design e Supremo Alta Alvura). “Precisávamos da USP e autor do livro “Os desafios do design”.
dar maior flexibilidade aos designers, e por isso estendemos a João de Souza Leite – Professor da ESDi e da PUC-RJ, foi
premiação a todo o nosso portifólio”, explica Gustavo Couto, consultor da Casa da Moeda, do Iphan e da Presidência da
gerente de marketing da Suzano. República. Foi curador das mostras “Design’20” e “O outro sen-
Se, por sua consagração como premiação séria, o Max tido no moderno: Aloísio Magalhães e o design brasileiro”.
Feffer já vinha, ano a ano, batendo recordes de inscrições Kiko Farkas – Fundador da ADG e dono da agência Máquina
(foram cerca de 1 000 em 2007, contra 830 em 2006 e 780 em Estúdio, tem trabalhos nas áreas institucional, editorial e cultural.
2005), espera-se que essa ampliação do leque de produtos pas- Foi curador e responsável pelo pavilhão brasileiro na Design Mai
síveis de concorrer dê ainda mais relevância à iniciativa. “Mas, 2006, em Berlim (Alemanha).
para nós, mais importante do que a quantidade das inscrições Rico Lins – Diretor de design e comunicação da Integractive, é
é a qualidade das peças”, pondera Couto, enaltecendo o bom consultor artistico da IBBY/Unesco e representante brasileiro na
nível registrado nos anos anteriores. “Premiações são impor- Alliance Graphique Internationale. Leciona na School of Visual
Arts, em Nova York (Estados Unidos).
tantes, pois são réguas para o restante do mercado”, acrescenta
Kapaz. Rafik Farah – Foi o representante brasileiro no evento
Em tempo: as inscrições vão até o dia 31 de outubro. Mais “Graphistes autour du monde”, em 2001, na França, e teve um
poster premiado no concurso Ekoplagat (Eslováquia), na cate-
informações no site www.premiomaxfeffer.com.br, ou pelo
goria internacional.
telefone (11) 3848-1733 – R. 138.

60 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


}}} marcas próprias

Zen também em beleza


Taeq, marca própria premium do Pão de Açúcar, lança produtos de banho
e pós-banho com influência oriental nas fórmulas e embalagens exclusivas
Por Adilson Augusto

L
ançada há dois anos pelo Pão de criação dessa identidade visual para as embala-
Açúcar para chancelar seus produ- gens, que se orientam para um aspecto despojado.
tos exclusivos mais sofisticados e A identidade fica bem marcada no design exclusi-
voltados ao bem-estar, a Taeq agora vo que a agência criou para os frascos dos xampus
ingressa, sob grande expectativa e e condicionadores que, vistos de cima, revelam o
investimento de 1,5 milhão de reais do grupo formato do logotipo Taeq. O projeto dos protóti-
varejista, no cada vez mais concorrido filão dos pos desses frascos é da 3D Modeling, o molde foi
produtos de higiene pessoal. Composta por trinta feito pela Formold e a produção ficou a cargo da
artigos de banho e pós-banho – entre sabonetes Megaplast.
líquidos e em barra, xampus e condicionadores, Linha “para relaxar”: uma Outro destaque são as tampas. A cor de cada
das quatro famílias de
óleos de banho e hidratantes, distribuídos em produtos que compõem a uma delas identifica o ritual correspondente,
quatro categorias, definidas por certos objeti- incursão de Taeq na área com uma variação de tonalidade conforme os
de cosméticos
vos ou “rituais” desejados (energia, ingredientes dominantes. Assim,
refrescamento, relaxamento ou sedu- o verde pertence ao ritual de
ção) –, a linha Beleza conserva a proposta de refrescar, azul e roxo ao de rela-
marca própria premium da Taeq. Além das xar, laranja e caramelo ao de
fórmulas com ingredientes exóticos como energizar e vermelho e vinho
ylang-ylang, canela-do-ceilão, verbena com ao de seduzir. Essas cores
hortelã-pimenta e lichia, os produtos da também são exclusivas:
franquia querem se caracterizar como opção foram desenvolvidas espe-
diferenciada também pelas embalagens pro- cialmente pela produtora de
jetadas com exclusividade. masterbatches Korbety.
Conforme explica Iorley Lisboa,
gerente de pesquisa e desenvolvimento
de embalagens do Grupo Pão de Açú-
car, a linha buscou “uma identidade
visual marcante e harmônica”. Coube
à agência Future Brand o trabalho de
fotos: divulgação

62 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


Para que o consumidor tenha contato visual feita de papel cartão reciclado Vitacarta, da Papi-
com as cores do conteúdo dos produtos, muitas rus, com flow-pack plástico em BOPP.
embalagens são translúcidas, como os frascos dos A preocupação ambiental está presente ainda
xampus e as bisnagas dos sabonetes líquidos e nos rótulos – transparentes, de acabamento fosco
dos hidratantes para pés e pernas. As bisnagas têm (tipo no-label look), contêm a indicação dos mate-
tampas flip-top, de fácil fechamento. O hidratante riais empregados na embalagem, para orientar a
para mãos vem numa bisnaga plástica branca, eventual reciclagem.
feita no tamanho de 50 gramas para boa portabi- No geral, o mix de embalagens foi orientado
lidade. Também há hidratantes em pote branco de para “sustentar a imagem de produtos de alta qua-
PET, com tampa de rosca e selo de alumínio, e lidade”, salienta Iorley. Acentua a aspiração por
leite hidratante em frasco de PET branco equipado
com válvula dosadora. O sabonete líquido para
mãos tem frasco plástico transparente, também
com válvula dosadora. E os óleos para banho são
apresentados em frascos de PET transparentes que
permitem ver a separação de fases do produto.

Preocupação ambiental
O sabonete em barra também é especial. Primeiro,
porque foi igualmente projetado no formato do
Formato dos frascos foi
logotipo Taeq. Além disso, sua embalagem foi inspirado no contorno
desenvolvida para reduzir impactos ambientais: é do logotipo da marca

www.embalagemmarca.com.br agosto 2008 EmbalagemMarca 63


qualidade de vida, destacando as qualidades dos
ingredientes naturais e “reforçando os pequenos
Sabonetes
rituais de bem-estar individual”. Como exemplo, em barra,
veja-se o texto da embalagem do sabonete líqui- com formato
também remissivo
do energizante de extrato de bambu e ginseng: ao logotipo, têm
“Extrato de bambu é hidratante, equilibrante, um cartuchos de papel
cartão reciclado
símbolo de harmonia e, por sua versatilidade, é
conhecido como ouro verde do Oriente. Ginseng
é tonificante, revigorante, na Índia é para a construção e fortalecimento do conceito
conhecido como flor da vida e está de marca”, segundo Iorley, a Taeq busca uma
associado a longevidade, proteção e 3D Modeling identificação maior do consumidor com a marca
(11) 5031-4500
energia”. Todas as embalagens da linha durante o processo de escolha.
www.3dmodeling.com.br
contêm informações desse tipo, que Os novos produtos estão disponíveis em todas
enfatizam as qualidades dos ingre- Antilhas as bandeiras do grupo (Pão de Açúcar, Extra,
(11) 4152-1100
dientes básicos. www.antilhas.com.br
CompreBem e Sendas), onde sua chegada foi
Para a produção das embala- sinalizada com uma exposição diferenciada e uma
gens, o grupo buscou “um padrão Bral-Max ação promocional de experimentação. Para for-
(24) 2243-2911
de excelência”, recorrendo a www.bral-max.com.br talecer a marca, a linha também conta com lojas
empresas como Seaquist Closures exclusivas em dez supermercados
Formold Pão de Açúcar de São Paulo, Fortale-
e Bral-Max (para as tampas), Mega
(11) 5511-3343
Plast e Nyx (frascos), Globalpack www.formold.com.br za e Brasília. E o objetivo é ampliar
(bisnagas e tampas), Antilhas (car- o número dessas lojas exclusivas,
Future Brand
tuchos), IndexFlex (rótulos), Vima- (11) 3821-1166
“não necessariamente nas casas do
cel (válvulas) e Geraldiscos (selos www.futurebrand.com.br grupo”, informa Iorley. “A iden-
de vedação). A nova linha teve a tificação ou reconhecimento no
Globalpack
consultoria técnica da especialista (11) 5643-5333 ponto-de-venda misto resulta em
em cosméticos Sonia Corazza, as www.globalpack.com.br uma identidade visual marcante
fragrâncias foram desenvolvidas e harmônica. No ponto-de-venda
IndexFlex
pela Firmenich e os óleos essen- (11) 3618-7100 exclusivo, aumenta a qualidade
ciais trabalhados por especialistas www.indexflex.com.br percebida, gerando associações
da Unicamp. positivas”, acrescenta.
Korbety
(11) 3856-9055 O grupo pretende otimizar
Princípio de equilíbrio www.korbety.com.br os investimentos na marca ao
Com foco no princípio da “vida Mega Plast
longo do tempo: alguns produ-
em equilíbrio”, a marca Taeq busca (11) 3623-2323 tos serão acrescentados à linha
inspiração na filosofia oriental, de www.megaplast.com.br de beleza, segundo os mesmos
onde vem a palavra tao, que se Nyx “rituais”. Outra grande novidade
Rótulos auto-
adesivos, da refere a equilíbrio e faz parte (11) 4787-5584 está prevista para 2009: o lança-
www.nyx.ind.br mento de uma linha Taeq mascu-
IndexFlex, são da gênese da marca juntamente
transparentes:
efeito no-label look com eki, que designa a energia Papirus lina, que deverá incluir xampu,
vital. É uma marca dirigida a (11) 2125-3900 condicionador, loção e bálsamo
www.papirus.com
consumidores em geral que valorizem as formas pós-barba.
de vida saudável. Pessoas que, por exemplo, sem Seaquist Closures
serem esportistas, busquem a prática de exercí- (11) 4143-8925
www.seaquistclosures.com Todas as
cios físicos. Para esse público, a marca já lançou embalagens da
mais de quinhentos produtos nas linhas nutrição, Vimacel linha trazem
(11) 6193-9691 descrições dos
orgânico, casa e esporte, agora acrescidas da linha benefícios dos
www.vimacelpumps.com.br
de beleza. Com a criação dessa linha de apa- ingredientes
rência completa e homogênea, o que “contribui

64 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


ARTIGO }}} LYNN DORNBLASER

A forma segue — e às vezes


transforma — a função
O
que pode fazer de um produto
relativamente simples, como
um chiclete, um chocolate ou
um suco de frutas, um símbolo
de status? Embalagem.
A força transformadora da embalagem tem
sido presenciada no mercado repetidas vezes.
Nos últimos meses, aparentemente multipli-
caram-se os exemplos de produtos que, com
uma nova embalagem, passaram a atrair uma
“Embalagens nova base de consumidores, ou tornaram-
exclusivas, se modelos em suas categorias, objetos que
pedem para ser exibidos aos outros.
em geral, Mostrarei apenas três exemplos que eu vi
recentemente no mercado.
conseguem Nos Estados Unidos, a Wrigley lançou, no
estabelecer ou ano passado, sua linha de chicletes 5 Sugar
Free Gum (ao lado). Na categoria de gomas
reforçar um de mascar observam-se com freqüência
inovações em embalagem que mudam
posicionamen- nossa maneira de carregar e consumir o
produto. Este é mais um exemplo disso.
to de preço A linha chama-se 5 porque, diz a empre-
superior” sa, apela para os cinco sentidos – as varie-
dades de sabor buscam criar sensações de
formigamento, frescor ou calor. O chiclete é
acondicionado num envelope inovador. Ele
contém 15 tabletes com a mesma dimensão
das gomas tradicionais, mas que, devido à
embalagem, ficam menos volumosos para
carregar nos bolsos. Outra característica que
torna a embalagem interessante são as sali-
ências nas abas, que proporcionam abertura
fácil. A própria embalagem, com sua cor e
textura, cria uma percepção de maciez e de
qualidade superior: é muito tátil – possui
acabamento fosco com detalhes brilhantes.
As imagens são fortes e incomuns na catego-
ria, contribuindo para dar visual de exclusi-
vidade ao produto.

66 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


Na Turquia, um tipo de embalagem com- No Canadá e nos Estados Unidos, uma
pletamente novo para chocolate transformou pequena empresa, chamada Gloji, uniu os
esse trivial bem de consumo numa guloseima benefícios funcionais da bebida que fabrica
única para ser consumida on-the-go, poden- à mensagem transmitida pelo formato da
do ser dividida com outros (na foto abaixo). embalagem (na foto à direita). A Gloji é uma
O fabricante, a Funose Gida’s D’ose, dispo- bebida que contém romã e açaí, duas frutas
nibiliza pedaços de chocolate para quem está chamadas com freqüência de “superfrutas”,
muito apressado para consumir uma barra por causa de seu alto teor de antioxidantes.
inteira, ou para quem não quer fazer conces- O fabricante afirma que a Gloji foi desen-
sões no que diz respeito a estilo. volvida para “fazer você brilhar”, tanto inter-
Os nacos de chocolate vêm numa emba- na quanto externamente, por causa dos bene-
lagem metálica compacta. O lado externo fícios à saúde proporcionados pelas frutas.
lembra a forma do yin-yang. Dois tipos de Não é à toa, portanto, que a embalagem
chocolate são acondicionados em comparti- assemelha-se a uma lâmpada. A tampa twist-
mentos separados. Um lado contém chocolate off foi desenhada para parecer com a rosca
amargo, e o outro traz uma versão mais doce. da lâmpada, e a garrafa de PET tem uma
As duas opções de sabor, doce e amargo, tal- forma única que remete a um bulbo incan-
vez representem o equilíbrio entre yin e yang descente. A embalagem não apenas trans-
na vida das pessoas. A lata, com desenho do mite a idéia de que fará você “brilhar”
tipo concha, possui duas espécies de gemas, como também se diferencia, nas gôndolas,
como jóias, engastadas no topo, e a parte das demais garrafas de PET com formatos
interna tem uma divisão de material plástico mais tradicionais.
para separar os produtos. Essa embalagem é Esses três produtos ilustram também um
uma que pode facilmente ser reutilizada após outro ponto relacionado com embalagens
o consumo do chocolate. exclusivas: em geral, elas conseguem esta-
belecer ou reforçar um posicionamento de
preço superior. Os três produtos menciona-
dos são comercializados por valores acima
da média da categoria, e não há dúvidas de
que a embalagem ajuda a vender o conceito
aos consumidores.
Então, da próxima vez que você estiver
pensando em uma nova embalagem para o
seu produto, pense fora da caixa*, da garrafa
ou de qualquer invólucro.

*(Nota do editor: jogo com a expressão ingle-


sa think outside the box, que significa sair do
convencional; pensar diferente, por uma nova
perspectiva)

Lynn Dornblaser é diretora da divisão CPG Trend


Insight da consultoria Mintel International, com
escritórios em Chicago e Londres. Com mais de
vinte anos dedicados a análises de tendências glo-
bais de consumo, ela pode ser contatada pelo
e-mail lynnd@mintel.com

68 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


}}} CiClo de CoNHeCimeNto

Sustentabilidade no DNA das empresas


Seminário será pautado pelo ponto-de-vista da cadeia produtiva de embalagem

A
inda não se conhecem levantamentos, Câmara Americana
mas é bem provável que, a exemplo de Comércio
sediará o Seminário
de “inovação” e de “sexo”, a palavra Estratégico de
“sustentabilidade” seja hoje uma das Sustentabilidade
mais empregadas, se não em todos os
contextos sem dúvida com grande ênfase no mundo
produtivo. Pode ser um pouco enfadonho, mas é
compreensível.
As pessoas têm se dado conta, de forma crescente
e não totalmente tardia, de que a administração insen- Apoio:
sata dos recursos naturais vem colocando em sério
risco sua sobrevivência e a de seus descendentes. Em
suma, é preciso mudar, e já não cabe discutir quando,
mas como. É a isso – apontar caminhos e identificar
providências viáveis – que se propõe o SEmINÁrIO
ESTraTÉgIcO DE SUSTENTabIlIDaDE Na ÁrEa DE Emba- Ao planejar o evento, os organizadores levaram
lagEm, organizado pelo Bloco de Comunicação no em conta que a visão e os interesses de cada elo da
âmbito do cIclO DE cONHEcImENTO. corrente são distintos, quando não conflitantes. No
Sim, o tema “virou moda”, e já se tem notícia entanto, desconte-se a obviedade, são interdependen-
de eventos abordando até “sono e sustentabilidade”. tes, e seus interesses convergem. Por isso é que se
Mas por que a editora responsável pela publicação procurou colocá-los juntos no que se pretende venha
de EmbalagEmmarca, uma revista que se caracteriza a ser uma análise que considere todos os diferentes
pela abordagem diferenciada e sempre focalizada dos interesses. Afinal, como observaram preliminarmente
assuntos, iria “entrar na onda”? A resposta é, justa- palestrantes que se apresentarão no Seminário, nenhu-
mente, essa: foco. ma cadeia produtiva é saudável e rentável se um ou
O eixo do programa será a embalagem, esse ele- mais de um de seus elos tem problemas.
mento sem o qual não existiria a civilização como ela Na atual economia globalizada, a concorrência
é hoje e que tem peso vital na questão da sustentabi- se dá cada vez menos entre produtos e mesmo entre
lidade do planeta. As discussões, no entanto, serão marcas. Cada vez mais ela ocorre entre cadeias produ-
direcionadas não só à relação da embalagem com o tivas. Assim, problemas que afetam agentes situados
ambiente, mas sim interrelacionada com aquilo que nas pontas ou no meio da corrente devem ser trata-
ela representa além de sua importância ambiental e dos de forma sistêmica, considerando-se a sanidade
social. Em poucas palavras, no Seminário a embala- do organismo inteiro. Por tratar-se de negócios, por
gem deverá ser analisada sob a luz da sustentabilidade “sanidade” pode-se ler “competitividade”. Significa
direcionada ao que ela também não deixa de ser e que, que, sem desconsiderar os benefícios que as práti-
supõe-se, está movendo os profissionais e empresá- cas de sustentabilidade eventualmente propiciem à
rios a irem ao evento: como negócio. imagem das marcas e das empresas, elas não podem
No Seminário Estratégico agendado para 14 de mais consistir em práticas isoladas e esporádicas. Em
outubro próximo, na Câmara Americana de Comér- outras palavras, e usando outra expressão muito em
cio, em São Paulo, as palestras e os debates serão voga, a sustentabilidade deve fazer parte do DNA das
pautados pelo ponto-de-vista da cadeia produtiva de empresas. O Seminário Estratégico de Sustentabilida-
embalagem envolvendo desde fornecedores e presta- de na Área de Embalagem propõe-se a estimular isso
dores de serviços até o lado dos usuários e do varejo. sem cair em dispersões. (WP)

70 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


}}} INTERNACIONAL

Vínculo aproveitado
Garrafa de PET para azeite busca imitar a de vidro

T
radicionalmente encon- dois estágios, atua sobre a orienta-
trados em latas de aço e ção das moléculas, propiciando maior
em garrafas de vidro, os resistência ao produto final.
azeites de oliva agora Ainda de acordo com o fabricante,
podem migrar, como além da alta clareza (transparência) e
já fizeram outros tipos de óleo de do brilho, as garrafas plásticas de sua
cozinha, qualificados como “menos produção “apresentam estreita seme-
nobres”, para as embalagens de PET lhança com as feitas de vidro para
– sem no entanto perder os vínculos acondicionar azeite, ao mesmo tempo
com a tradição. Isso acontece graças que aceitam mais impactos, oferecem
a um novo conceito de recipiente maior resistência mecânica e peso
para azeites lançado pela indústria menor”. Para efeito de comparação,
americana Novapak Corporation. o produto da Novapak na medida de
Recentemente a empresa apresentou 500 ml pesa 32 gramas, enquanto
ao mercado garrafas de PET ultra- uma garrafa de água mineral natural
clarificado, com a promessa de que de igual capacidade pesa cerca de 17
terão efeito superficial semelhante gramas (no Brasil). A empresa tem
ao do vidro, ou seja, com alto brilho previsão de lançar ainda este ano três
e grande transparência. Além disso, novos tamanhos: 250 mililitros, 750
têm formato de paralelepípedo, como mililitros e 1,5 litro. (FP)
as embalagens de vidro
de crescente número de Novapak sustenta
que a garrafa
azeites tradicionais. plástica é clara e
trasparente como
As novas garrafas o vidro, porém
são apresentadas em mais resistente
duas medidas: 500 mili-
litros e 1 litro, ambas
dotadas de tampa flip-
top de duas peças, da
Bericap, para gargalo
de 32 milímetros. São
moldadas pelo proces-
so de injeção, estira-
mento e sopro (ISBM)
a partir de pré-formas
standard. O sistema, de

Bericap
(15) 3235-4500
www.bericap.com
divulgação

Novapak
+ 01 732 800-975-2784
www.novapak.com

www.embalagemmarca.com.br
}}} iNterNACioNAl

Bag-in-bottle
com apelo ecológico
Combinando bolsa de bioplástico e corpo de
polpa celulósica, inovação britânica promete
imagem “verde” a leites e outras bebidas

P
or fora, uma garrafa, de polpa mol-
dada parecida com aquela empre-
gada em caixas de ovos, originada
da reciclagem de papel sulfite uti-
lizado em escritórios. Por dentro,
uma bolsa biodegradável, confeccionada com
PLA (ácido polilactídeo), plástico derivado do
milho, fonte natural renovável. Tal combinação, Além de sustentável,
GreenBottle é conveniente:
intitulada GreenBottle, promete a bebidas e ali- pode ser envasada em
mentos pastosos uma apresentação mais amigável linhas convencionais de
engarrafamento e possui
ao ambiente – uma “garrafa verde”, como propõe alça para fácil manuseio
pelo nome. Criada pelo inglês Martin Myers-
cough, a inovação ganhou a simpatia da ASDA,
importante rede varejista britânica controlada pelo
Wal-Mart, que lhe acaba de abrir espaço em algu-
mas lojas como embalagem de leite, produzido
pelo laticínio Marybelle.
A GreenBottle é somente apropriada para
leites de rápido consumo – até quatro dias – e
depende de distribuição refrigerada. Para despejar
o conteúdo, é preciso romper um prolongamento
da bolsa plástica aparente no topo da garrafa, que
faz as vezes de gargalo. O corpo de polpa dispõe
de uma alça e, segundo Myerscough, tem formato
conveniente para o armazenamento na geladeira.
“A GreenBottle é adaptável às linhas convencio-
nais de envasamento de garrafas plásticas”, diz o
inventor.

Um contragolpe
No que diz respeito à destinação pós-consumo, o
corpo de polpa celulósica moldada pode ser nova-
mente reciclado ou compostado (transformado
em adubo). A bolsa plástica de PLA, que fica em
contato com o leite, se desintegra em seis semanas
em ambiente de compostagem ou quando descar-
tada na natureza.

72 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


o
çã
lga
ivu
:d
fotos

O apadrinhamento pela ASDA pode ser visto


como um contragolpe às recentes iniciativas das
rivais Sainsbury’s e Tesco, que lançaram lei-
tes acondicionados em saquinhos de polietileno
apontando-os como opção ecologicamente mais
correta (veja reportagem na edição anterior de
EmbalagemMarca).
Sucede que o mercado britânico de leites é
dominado pelas garrafas plásticas, o que a opinião
pública local cada vez mais vê como um proble-
ma. O descarte de garrafas de leite produz entre
130 000 e 150 000 toneladas anuais de resíduos.
Menos de 25% desse volume é reciclado, segun-
do o Waste and Resources Action Programme
(WRAP), entidade do governo inglês criada para GreenBottle
aprimorar a administração do passivo ambiental. 01728 726577
“O leite é um dos produtos que mais vendemos, www.greenbottle.com

portanto temos a responsabilidade de desenvolver


alternativas em embalagem que facilitem posturas
‘verdes’ dos nossos consumidores, ajudando-os a
reciclar”, diz Chris Brown, chefe de Fontes Sus-
tentáveis e Éticas da ASDA. (GK)

www.embalagemmarca.com.br agosto 2008 EmbalagemMarca 73


DISPLAy }}} lançamentos e novidades – e seus sistemas de embalagem

fotos: divulgação
Grãos em novas flexíveis
Yoki reformula embalagens da linha Mais Vita

Presente no mercado desde 1994, a confeccionadas em polipropileno biorien-


Incoplast
linha Mais Vita, da Yoki Alimentos – tado (BOPP) mais polietileno (PE) pela (48) 3657-3000
composta por trigo integral, farinha de Incoplast e pela Yoki – trazem no verso www.incoplast.com.br
centeio, arroz-cateto, linhaça e fibra de receitas, informações nutricionais e dicas Zauberas e
soja – estréia o novo design de suas de consumo. O design é assinado pela Associados
(11) 3877-1132
embalagens. As embalagens flexíveis – Zauberas e Associados. www.zauberas.com.br

Bolinhos em flow packs Expansão de marca própria


Moinho Paulista estréia em produtos prontos La Rioja investe em café

Flow packs acondicionam o propileno biorientado (BOPP) O grupo La Rioja


bolo Nita Cake de 250 gra- pela Camargo Embalagens. coloca no mercado
mas, do Moinho Paulista, O design é da Branding8 seu café em grãos
que ingressa no segmento de Publicidade e Marketing. O de marca pró-
produtos prontos. Os invólu- Nita Cake tem os sabores pria. O produto é
cros são produzidos em poli- Chocolate, Laranja e Coco. acondicionado em
almofadas de PET e
polietileno (PE) for-
necidos pela Cordel
Embalagens. A cria-
Branding8 Publicidade ção é da Pontoesse
e Marketing
(11) 5533-3144 Comunicação.
randal@branding8.com.br
Cordel Embalagens
Camargo Embalagens (11) 4582-6388
(15) 3285-2009 www.cordel.ind.br
www.camargociaembalagens.com.br
Pontoesse Comunicação
(11) 3051-5177
www.pontoesse.com.br

74 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


Edição: flávio palhares ||| flavio@embalagemmarca.com.br

Decoração de vidro com vidro


Salton Lunae adota tampa de rosca e decoração

A Vinícola Salton, de Bento Gonçalves,


inova na embalagem de seu vinho
frisante Lunae. A garrafa que acondi-
cionaa a bebida apresenta um conceito
diferenciado em relação às tradicio-
nais da categoria: tem shape alto,
linhas retas e é incolor. A Saint-Gobain
Embalagens, que produz as embala-
gens, trouxe outra inovação: Salton
Lunae é o primeiro produto da vinícola
a utilizar tampas de rosca (screw cap),
fabricadas pela Alplast, na Itália. A
decoração é feita diretamente na garra-
fa, num processo em que o pó de vidro
pigmentado adere ao vidro. Segundo
empresário Ângelo Salton, diretor geral
da vinícola, “a técnica de pintura pro-
porciona um efeito visual que realça o
caráter de exclusividade da bebida”. O
layout é da Lab Mattar Design.

Alplast Lab Mattar Design Saint-Gobain Embalagens


+39 0141 66 88 00 (11) 3889-0529 (11) 2246-7214
www.alplast.it www.labmattar.com www.sgembalagens.com.br

Aposta no pote
Achocolatado ganha nova apresentação

A Vilma Alimentos apresenta as novas embalagens


do achocolatado em pó ChocoVilma. O produto,
que já era comercializado em sachês de 400 gra-
mas, passa a contar com potes de 400 gramas de
polipropileno (PP), supridos pela Vibraço. As emba-
lagens são decoradas por rótulos termoencolhíveis
de PET transparente e PET metalizado impressos
pela Fitatex. As tampas de PP também são forne-
cidas pela Vibraço. O design
Fitatex
das embalagens foi criado
(31) 3462-3911
pela Vilma Alimentos. www.fitatex.com.br

Vibraço
(21) 3219-1999
www.vibracoembalagem.com.br
www.embalagemmarca.com.br agosto 2008 EmbalagemMarca 75
DIsplay }}} LANçAMENTOS E NOVIDADES – E SEUS SISTEMAS DE EMBALAGEM

FOTOS: dIvuLGAçãO
De vidro e de PET
Linha Sabores da Ypióca tem novas embalagens

A linha de cachaças duzidos pela Sleever


com frutas Ypióca International. As tam-
Sabores chega aos pas de alumínio reco-
pontos-de-venda em bertas por um lacre
novas embalagens: termoencolhível com
garrafas de vidro de o nome da cachaça
960 mililitros pro- são fornecidas pela
duzidas pela CIV, e Plastamp. As garra-
de PET de 500 mili- fas PET têm rótulos
litros, supridas pela de polipropileno bio-
Yplastic, uma das rientado (BOPP) lami-
empresas do Grupo nado, impressos pela
Ypióca. As garrafas Grafigel, e tampas de
de vidro foram remo- alumínio importadas
deladas e são deco- da Itália. O layout
radas com rótulos das embalagens é da
termoencolhíveis pro- agência Bolero.

Bolero CIV Grafigel Plastamp Sleever International


(85) 3392-8915 (81) 3272-4444 (62) 3272-4000 (11) 4584-2020 (11) 2303-2337
www.bailacomigo.biz www.civ.com.br www.grafigel.com.br www.plastamp.com.br www.sleever.com

Contra os fungos Leite para filhotes


Cães e gatos com intolerância
Embalagem de sabonete recebe tratamento
à lactose ganham aliado
Grif Rótulos e Etiquetas
A fabricante de produtos de higiene e limpeza Adesivas
(11) 2146-1150 A Vetnil lança o Pet Milk, alimento em pó
Razzo investe no segmento de sabonetes, www.grifetiquetas.com.br
com o lançamento de novas fragrâncias. para filhotes de cães e gatos que apre-
Sonoco For-Plas sentam intolerância à lactose. O produto é
Para acompanhar os lançamentos foram www.sonoco.com.br
criadas novas embalagens. Os invólucros de acondicionado em latas multifolhadas com
papel laminado e poliéster fornecidos pela tampas de alumínio Sealed Safe e sobre-
Itap Bemis recebem tratamento fungicida. O tampas de polietile-
design das embalagens é da Quarter Group. no (PE), fornecidas
pela Sonoco For-
Plas. Os rótulos
de papel são
impressos pela Grif
Rótulos e Etiquetas
Adesivas. O layout
das embalagens foi
criado pelo depar-
Itap Bemis Quarter Group
(11) 5516-2000
tamento de marke-
(11) 3746-7115
www.dixietoga.com.br www.quartergroup.com.br ting da Vetnil.

76 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


Sobremesas na caixa
AB Brasil lança produtos à base de ovos

A Fleischmann e a Mauri líquidos pasteurizados


DBox Design
Fermentos, empresas da Fleischeggs e Inovo. Os (11) 3721-4509
AB Brasil, apresentam ao lançamentos são acondi- www.dboxdesign.com.br
mercado os preparados cionados em embalagens SIG Combibloc
para sobremesas Mix cartonadas assépticas de (11) 2107-6744
www.sig.biz/brasil
Quindim e o Mix Fios de 1 litro da SIG Combibloc,
Ovos, que fazem parte com design criado pela
de suas linhas de ovos DBox Design.

Mais pelo mesmo


Bozzano aumenta volume de potes de gel

A Bozzano substitui os antigos engrenagens. Pote e tampa são


potes de 230 gramas do Gel fornecidos pela Igaratiba. Os rótu-
Fixador Regular por recipientes los auto-adesivos de polipropileno
de 300 gramas. As novas emba- biorientado (BOPP), com aplica-
lagens de PET fazem alusão ção de hot stamping, são produ-
a antigos potes de graxa para zidos pela Indexflex. A empresa
automóveis, com boca larga, faci- garante que o preço final do pro-
litando o manuseio, e tampas de duto não será aumentado, mesmo
polipropileno (PP) semelhantes a com o incremento no conteúdo.

Igaratiba Indexflex
(19) 3821-8000 (11) 3618-7100
www.igaratiba.com.br www.indexflex.com.br

www.embalagemmarca.com.br agosto 2008 EmbalagemMarca 77


PRÊMIO EMBA
2008 TECNOLOGIAPRODUTIVIDADEGIROCONVENIÊNCIAIN
VIDADEPRATELEIRAAGREGAÇÃODEVALORLOGÍSTI

Grandes cases
Agradecemos a todas as empresas que se inscreveram no
Prêmio EmbalagemMarca - Grandes Cases de Embalagem 2008.
Agradecemos também aos patrocinadores, que ajudaram a viabilizar o evento.
Agora esperamos todos na cerimônia de entrega dos troféus.

Reserve já o seu convite e o de seus clientes.

cerimônia de entrega dos Troféus do prêmio


embalagemMarca - grandes cases de embalagem 2008
Dia 1º de outubro, no Centro Fecomércio de Eventos
Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – São Paulo, SP
Informações: premio@embalagemmarca.com.br

os profissionais das No dia da cerim


empresas vencedoras ônia serão
sorteados, entr
presentes na cerimônia e todos os
concorrerão a um pacote de presentes, 10 c
onvites para o
viagens para visitar a feira seminário Estra
tégico de sus-
Emballage 2008, em paris. tentabilidade em
o sorteado terá direito a
Embalagens
(mais informaç
apresentar o case no evento ões sobre este
evento na págin
paralelo pack.Vision, fórum a 72, ou pelo
e-mail ciclo@e
internacional de novidades e mbalagem-
tendências em embalagem. marca.com.br).
ALAGEMMARCA

2008
NOVAÇÃOREDUÇÃODECUSTOSIMPACTOAMBIENTAL
ICAMATERIAISDESIGNCOMUNICAÇÃOSEGURANÇA

s de embalagem
patrocínio premium patrocínio master

patrocínio especial

organização Apoio operacional realização


}}} índice de anunciantes

Anunciante Página Telefone Site


Adegraf 73 (11) 2067-9999 www.adegraf.com.br
Amazon Coding 53 (11) 3133-7666 www.amazoncoding.com.br
Arco Convert 39 (11) 2061-8099 www.arco.ind.br
Bauch Campos 27 (11) 4785-2500 www.bauchcampos.com.br
Baumgarten 24 e 25 (47) 3321-6666 www.baumgarten.com.br
Bericap 65 (15) 3235-4500 www.bericap.com
Betim Química 63 (31) 3358-8500 www.betimquimica.com.br
BIC Label 31 0800 260434 www.biclabel.com.br
BP Filmes 71 (11) 3616-3402 www.bpfilmes.com.br
Braga 37 (19) 3897-9720 www.braga.com.br
Clariant 3ª capa (11) 5683-7834 www.clariant.com
Cobrirel 73 (11) 2081-6555 www.cobrirel.com.br
Comprint 33 (11) 3371-3371 www.comprint.com.br
Congraf 61 (11) 3103-0300 www.congraf.com.br
Dow Brasil 42 e 43 (11) 5188-9000 www.dowplastics.com
Du Pont 47 0800 171715 www.dupont.com.br
EMCR 77 (11) 5934-3183 www.emcrinducao.com.br
Emibra 49 (11) 4748-2199 www.emibra.com.br
Equilibrio 73 (11) 5016-4939 www.equilibriocomunicacao.com.br
Frasquim 77 (11) 6412-8261 www.frasquim.com.br
FSI 59 (11) 5505-2370 www.boxprint.ind.br
GiroNews 81 (11) 3675-1311 www.gironews.com.br
Grand Pack 73 (11) 4053-2143 www.grandpack.com.br
Henkel 49 (11) 3205-8892 www.henkel.com.br
Indemetal 57 (11) 4013-6644 www.indemetalgraficos.com.br
Indexflex 19 (11) 3618-7100 www.indexflex.com.br
Innova 2ª capa (51)3378-2300 www.innova.ind.br
Intermarketing Brasil 4ª capa (11) 4133-4188 www.intermarketingbrasil.com.br
Kromos 41 (19) 3879-9500 www.kromos.com.br
Loop 77 (19) 3404-6700 www.loop.ind.br
M&G 51 (11) 2111-1300 www.gruppomg.com.br
Markem-Imaje 17 (11) 3305-9455 www.markem-imaje.com
Metrolabel 27 (11) 3603-3888 www.metrolabel.com.br
Mintel 55 +1 (312) 450-6103 www.mintel.com
Moltec 73 (11) 5693-4600 www.moltec.com.br
Novelprint 75 (11) 3760-1500 www.noveltech.com.br
Novo Promocionais 45 (11) 5686-8533 www.novopromocionais.com.br
NZ Philpolymer 5 (11) 4716-3141 www.gruponz.com.br
Petroquímica Triunfo 21 0800 015 4888 www.ptriunfo.com.br
Poli Paper 77 (11) 6412-3550 www.polipaper.com.br
Prakolar 9 (11) 2291-6033 www.prakolar.com.br
Propack 75 (11) 4785-3700 www.propack.com.br
Quattor 29 (11) 3583-5900 www.quattor.com.br
Rotatek 5 (11) 3215-9999 www.rotatek.com.br
SIG Combibloc 35 (11) 2107-6744 www.sig.biz/brasil
Simbios-Pack 77 (11) 5687-1781 www.simbios-pack.com.br
Sonoco For-Plas 75 (11) 5097-2750 www.sonocoforplas.com.br
Suzano Papel e Celulose 15 0800 722 7008 www.suzano.com.br
Tetra Pak 7 (11) 5501-3205 www.tetrapak.com.br
Tom-B 69 (11) 3255-7214 www.tom-b.eu
Trends of Print 67 (11) 3074-9724 www.trendsofprint.com.br

80 EmbalagemMarca agosto 2008 www.embalagemmarca.com.br


Almanaque
Caiu a ficha para a sucessora 70 anos de digital
As velhas fichas telefônicas da Telesp, Este ano a impressão digital completa
a companhia telefônica de São Paulo,
setenta anos. Em 22 de outubro de 1938
marcaram a história da Mecano Pack,
o físico americano Chester Carlson
de Taboão da Serra (SP). A empre-
(1906-1968) fez a primeira cópia xero-
sa, fundada pelo imigrante austríaco
Leopold von Appel em 1955, durante
gráfica da história (ver Almanaque em
quase vinte anos foi a única fornecedo- EMBALAGEMMARCA nº 79, 2006). Num
ras dos sachês que acondicionavam as barracão no bairro de Astoria, em Nova
fichas. Sua queda por gravidade, acio- York, Carlson e o alemão Otto Kornei
nando o mecanismo de funcionamento fizeram funcionar a máquina que inau-
dos telefones públicos (“cair a ficha”), gurou o processo, patenteado (em abril
virou sinônimo de “dar-se conta”. As de 1939) com o nome de “eletrofoto-
máquinas de strips trazidas ao Brasil grafia”. Foi assim:
por von Appel entraram em ação para 1) cobriram uma
a Telesp a partir de 1970, fazendo o placa de zinco com
que se tornou o principal produto da
fina camada de
empresa. No começo dos anos 1990,
enxofre e, numa
com o avanço das telecomunicações,
lâmina de vidro,
os telefones públicos começaram a fun-
cionar com cartões. Foi então que “caiu
escreveram com
a ficha” de Inês, filha e sucessora de tinta comum: “10-
Appel: ela criou a marca própria Bom 22-38 ASTORIA”; 2)
Sabor de produtos alimentícios fracio- esfregaram com um
nados. Os primeiros trabalhos foram lenço de algodão a
sachês de açúcar, de sal e de palitos. placa metálica, que
ficou carregada de
eletricidade está-
Excelente e quase inalterada tica; 3) colocaram
sobre ela a lâmina
A rica história do Requeijão em 1949, para São Paulo. A céle- de vidro; 4) expuseram o conjunto à
Catupiry (“excelente” em tupi-gua- bre caixinha redonda de madeira, luz de um refletor, e em conseqüência
rani), produto de características substituída em 1990 por uma de os raios drenaram a carga elétrica da
essencialmente brasileiras, come- polipropileno, é dessa época, chapa, deixando intocadas as regiões
ça na cidade minei- com rótulo nas cores cobertas pela tinta, que serviu como
ra de Lambari, vermelha, azul e “máscara”; 5) retiraram o vidro; 6) pul-
no Circuito branca. Este verizaram a placa com um pó conhecido
das Águas, em mantém até como licopódio, e os dizeres se torna-
1911. Naquele hoje inaltera- ram visíveis; 7) pressionaram uma folha
ano, o imigran- da a essência de papel contra o metal, e a inscrição se
te italiano Mário gráfica, cujos transferiu para ela. Foi a semente do sis-
Silvestrini, inventor elementos deco- tema de impressão digital, que hoje res-
do produto, iniciou a produ- rativos, estilizados e ponde por quase metade dos impressos
ção industrial, transferida para a simétricos, são típicos do início do e cresce em ritmo cinco vezes superior
vizinha São Lourenço em 1922 e, século XX. ao do método convencional.

82 EmbalagemMarca www.embalagemmarca.com.br/almanaque agosto 2008