José Manuel Veludo: Uma grande oportunidade para o Primeiro Ministro

O grande político Freitas do Amaral, conhecedor profundo dos partidos do Arco do Poder a quem serviu com lealdade, quer no Governo da AD, quer no Governo do PS, veio ontem solidarizar-se com a opinião de Alberto Jardim, quanto à substituição do atual 1º Ministro por outro social-democrata, dizendo ser a melhor proposta que ouviu até ontem. Lamentamos, que o Sr. Professor não dê muita atenção ao “Facebook”, porque se desse, t eria tido a oportunidade de ler a nossa posição, publicada a quando da aprovação do QGE para 2013 onde dizíamos;

“Compete em nome da coerência, do passado humanista, dos ideais social-democratas do PSD por um lado, e à
perspetiva de derrotas colossais nas próximas eleições autárquicas e seguintes por outro, cabe assim aos militantes do partido a mudança necessária na condução do País. O desafio da “Novos Paradigmas” aos militantes do PSD é a de que deverão urgentemente convocar um Congresso extraordinário, que destitua a atual equipa dirigente, em particular o seu Presidente e que elejam para esse lugar, um militante capaz de liderar com honestidade e bom senso o Governo do nosso Portugal”. No entanto a nossa posição tem outro grande objetivo para o atual 1º Ministro, este Governo segundo o INE elevou a taxa de desemprego, que em Janeiro de 2012 era de 14%, para ser em Janeiro de 2013 de 17,6% logo, Pedro Coelho só em 2012 destruiu 200.000 empregos o que corresponde à destruição de dezenas de milhares de empresas. Com as medidas anunciadas recentemente, a “Novos Paradigmas” (sem recurso a modelos matemáticos produzidos pelo Excel), concluímos que o desemprego em Dezembro do corrente ano, será superior a 20%, porque a recessão será no mínimo de 2,5%. É claro que o saldo da balança comercial será equilibrado ou mesmo positivo, atendendo ao estado de pobreza em que a maioria da população se encontra, não comprando portanto bens duradoiros e que começa mesmo já a nem comprar os bens alimentares importados. Todo este quadro descrito, é o que afirma Pedro Coelho o objetivo a que o Governo se propunha, acabar com as empresa sem viabilidade, permitindo assim, o nascimento de novas empresas de alta tecnologia, produtoras de bens transacionáveis, que possam incrementar as nossas exportações e com isso podermos ver uma luz no nosso caminho dentro de 15 ou 20 anos. Por sermos eventualmente “piegas” ou por nos faltar o espirito empreendedor, para com as condições descritas podermos contribuir significativamente para o relançamento económico, o que propomos ao Pedro Coelho é o seguinte: Não considere que a nossa proposta de substituição, seja uma qualquer penalização, bem pelo contrário será uma grande oportunidade de nos demonstrar, que todo o seu trabalho no governo, permite realmente que empreendedores com a sua competência podem de facto singrar Não queremos igualmente, que possa sair do governo sem a merecida recompensa que defende para todos os trabalhadores recentes, assim e de inteira justiça que possa ser dispensado com 12 dias de salário por cada ano de trabalho, logo pelos dois anos de trabalho árduo devera receber 24 dias de trabalho. PS: Pensamos que para esta nova grande oportunidade não deixara levar consigo para Diretor financeiro Vítor Gaspar e Miguel Relvas para relações publicas e director comercial .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful