UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA UNIDADE ACADÊMICA DE ENGENHARIA ELÉTRICA

______________________________________________________

III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE
CAMPINA GRANDE, PARAÍBA 14 A 30 DE NOVEMBRO DE 2011

SOLUÇÕES ENERGETICAS SUSTENTAVEIS ESTUDOS DA GERAÇÃO DE ENERGIA FOTOVOLTAICA E TERMOSOLAR
Jefferson Honório Gomes da Silva Luis Reyes Rosales Montero Graduando do curso de engenharia civil Jefferson389@hotmail.com Professor da Unidade Acadêmica de Engenharia Elétrica da UFCG, Professorluisreyes@hotmail.com RESUMO Quase todas as fontes de energia – hidráulica, biomassa, eólica, combustíveis fósseis e energia dos oceanos – são formas indiretas de energia solar. Além disso, a radiação solar pode ser utilizada diretamente como fonte de energia térmica, para aquecimento de fluidos e ambientes e para geração de potência mecânica ou elétrica. Podendo ainda ser convertida diretamente em energia elétrica, por meio de efeitos sobre determinados materiais, entre os quais se destacam o termoelétrico e o fotovoltaico. A energia solar é a designação dada a qualquer tipo de captação de energia luminosa (e, em certo sentido, da energia térmica) proveniente do sol, e posterior transformação dessa energia captada em alguma forma utilizável pelo homem. A proposta deste trabalho é estudar a utilização da energia captada por células fotovoltaicas e comparar com a energia proveniente de termoelétricas. Palavras-chave: Utilização, Energia Solar, Células Fotovoltaicas, Termoelétrica.

III Seminário Organizado Pelo Dr. Luis Reyes Rosales Montero, Professor do Departamento de Engenharia Elétrica da UFCG no Auditório do Reenge sala 11 nos dias 14 ao dia 30 Novembro de 2011.

III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE. U F C G / U A E E - N o v e m b r o 2 0 1 1

1. INTRODUÇÃO O desenvolvimento das nações trás com ele um grande consumo de energia elétrica, o maior problema é que geralmente essa produção de energia tem grandes impactos ambientais. As centrais hidrelétricas fontes da maior parte da energia elétrica consumida no Brasil geram, como todo empreendimento energético, alguns tipos de impactos ambientais como o alagamento das áreas vizinhas, aumento no nível dos rios, em algumas vezes pode mudar o curso do rio represado, podendo, ou não, prejudicar a fauna e a flora da região. Outro tipo de energia muito falado atualmente é a energia nuclear, mas, essa forma de se produzir energia é um tanto delicada tendo em vista que as instalações nucleares são construções muito complexas, devido às diversas tecnologias industriais empregadas, e ao elevado grau de segurança que é adaptado, além de produzir uma grande quantidade de energia elétrica, também produz resíduos nucleares que devem ser isolados em depósitos impermeáveis durante longo tempo. Uma das alternativas mais viáveis para a produção de energia limpa é a capitação com células fotovoltaicas de energia solar que pode ser convertida diretamente em energia elétrica por meio de efeitos sobre determinados materiais, sem gerar nenhum impacto ao meio ambiente. Energia Solar - 2

OBJETIVO Este trabalho tem como objetivo realizar um levantamento bibliográfico e reunir algumas soluções no que diz respeito à Energia Solar.III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE. neste trabalho pretende-se estudar as vantagens no uso dessa forma de energia alternativa. por meio do uso de células solares. a sua forma de captação e os materiais empregados para que se torne viável a sua utilização. U F C G / U A E E . 2.3 .N o v e m b r o 2 0 1 1 Essa forma de produção de energia limpa consiste do fato de que os fótons contidos na luz solar são convertidos em energia elétrica. mostrando assim de que forma é possível garantir a demanda de energia necessária ao desenvolvimento humano de uma forma sustentável. dando ênfase à sua capitação com células fotovoltaicas e comparando esse tipo de captação de energia com a produzida em usinas termoelétricas que encontram na Paraíba um forte potencial para sua instalação. Energia Solar . Isso posto.

Ao passar pela atmosfera terrestre.III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE.1 Energia Solar A Energia solar é a designação dada a qualquer tipo de captação de energia luminosa (e. Energia Solar . em certo sentido. Existem técnicas experimentais para criar combustível a partir da absorção da luz solar em uma reação química de modo similar à fotossíntese vegetal . da energia térmica) proveniente do sol. e posterior transformação dessa energia captada em alguma forma utilizável pelo homem.mas sem a presença destes organismos. No seu movimento de translação ao redor do Sol. As plantas utilizam diretamente essa energia no processo de fotossíntese. a maior parte da energia solar está na forma de luz visível e luz ultravioleta. aproximadamente 19% é absorvido pela atmosfera e 35% é refletido pelas nuvens. medição feita numa superfície normal (em ângulo reto) com o Sol.4 . U F C G / U A E E . Nós usamos essa energia quando queimamos lenha ou combustíveis minerais. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA 3.N o v e m b r o 2 0 1 1 3. a Terra recebe 1 410 W/m² de energia. Disso. seja diretamente para aquecimento de água ou ainda como energia elétrica ou mecânica.

(A conversão a partir de células fotovoltaica é classificada como direta. Energia Solar .para se fazer útil.5 .N o v e m b r o 2 0 1 1 A radiação solar. são responsáveis por grande parte da energia renovável disponível na terra. Sistemas indiretos são quase sempre também ativos.significa que precisará haver mais de uma transformação para que surja energia utilizável. hidroelétricas e biomassa. U F C G / U A E E . Apenas uma minúscula fração da energia solar disponível é utilizada .em energia luminosa ou mecânica.2 Tipos de Energia solar Os métodos de captura da energia solar classificam-se em diretos ou indiretos: Direto . Também se classificam em passivos e ativos: Sistemas passivos são geralmente diretos. mecânicos ou químicos para aumentar a efetividade da coleta. tal como a energia eólica e das ondas. juntamente com outros recursos secundários de alimentação.significa que há apenas uma transformação para fazer da energia solar um tipo de energia utilizável pelo homem. que aquecerá uma quantidade de água.) A energia solar atinge uma superfície escura e é transformada em calor. Sistemas ativos são sistemas que apelam ao auxílio de dispositivos elétricos.III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE. de acordo com a disponibilidade de luz do Sol. 3. apesar de que a energia elétrica gerada precisará de nova conversão . que é tecnicamente uma conversão de calor em energia mecânica. Exemplo: Sistemas que controlam automaticamente cortinas.esse princípio é muito utilizado em aquecedores solares. por exemplo . Indireto . por exemplo . Exemplos: A energia solar atinge uma célula fotovoltaica criando eletricidade. apesar de envolverem (algumas vezes) fluxos em convicção.

4 Desvantagens Um painel solar consome uma quantidade enorme de energia para ser fabricado.N o v e m b r o 2 0 1 1 Figura 01 – Esquema de Captação de Energia Solar 3. Nova Zelândia e Sul da Argentina e Chile) sofrem quedas bruscas de produção durante os meses de inverno devido à menor disponibilidade diária de energia solar. Islândia.6 . Em países tropicais. sua utilização ajuda a diminuir a demanda energética nestes e conseqüentemente a perda de energia que ocorreria na transmissão. Existe variação nas quantidades produzidas de acordo com a situação atmosférica (chuvas. pois sua instalação em pequena escala não obriga a enormes investimentos em linhas de transmissão. 3.3 Vantagens A energia solar não polui durante seu uso. Isso torna cada vez mais a energia solar uma solução economicamente viável. a utilização da energia solar é viável em praticamente todo o território. U F C G / U A E E . Energia Solar . além de que durante a noite não existe produção alguma. tendem a ter variações diárias de produção de acordo com o grau de nebulosidade. As centrais necessitam de manutenção mínima. A poluição decorrente da fabricação dos equipamentos necessários para a construção dos painéis solares é totalmente controlável utilizando as formas de controles existentes atualmente. Londres). Locais com freqüente cobertura de nuvens (Curitiba. Os preços são muito elevados em relação aos outros meios de energia. A energia para a fabricação de um painel solar pode ser maior do que a energia gerada por ele. neve). o que obriga a que existam meios de armazenamento da energia produzida durante o dia em locais onde os painéis solares não estejam ligados à rede de transmissão de energia. em locais longe dos centros de produção energética. Locais em latitudes médias e altas (Ex: Finlândia. A energia solar é excelente em lugares remotos ou de difícil acesso. e. como o Brasil.III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE. Os painéis solares são a cada dia mais potentes ao mesmo tempo em que seu custo vem decaindo.

5 Sistemas Fotovoltaicos A energia solar fotovoltaica é a energia obtida através da conversão direta da luz em eletricidade (efeito fotovoltaico). aos combustíveis fósseis (carvão. U F C G / U A E E .6 Equipamentos para um Sistema Fotovoltaico No dimensionamento de um sistema autônomo de energia são analisados os geradores que são os fornecedores do insumo energético. a energia hidrelétrica (água) e a biomassa (bagaço da cana ou bagaço da laranja).7 . os acumuladores (baterias) que armazenam a energia gerada para o aproveitamento futuro e os inversores que transformam a corrente contínua gerada em corrente alternada própria a utilização na maioria dos equipamentos eletrodomésticos. O efeito fotovoltaico. A célula fotovoltaica é a unidade fundamental do processo de conversão Figura 02 – Configuração Básica de um Sistema Fotovoltaico Isolado Módulos Fotovoltaicos: Equipamentos de Silício Cristalino Baterias estacionárias: São projetados para trabalhar com sistemas fotovoltaicos. petróleo e gás). aumentando a vida útil das baterias. Controlador de Tensão: Protege as baterias contra descargas profundas e excesso de carga. os condutores que transmitem a energia (fios e cabos). com vida útil acima de 4 anos. é o aparecimento de uma diferença de potencial nos extremos de uma estrutura de material semicondutor. produzida pela absorção da luz. relatado por Edmond Becquerel. desde que produzida a partir de fontes renováveis. os controladores de carga que regulam a voltagem do gerador e o estado de carga das baterias. Inversor: Permite a utilização de aparelhos de corrente alternada. por exemplo. 3. em 1839. 3. Energia Solar . sem manutenção.III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE.N o v e m b r o 2 0 1 1 As formas de armazenamento da energia solar são pouco eficientes quando comparadas. em Portugal desde Abril de 2008 um particular pode produzir e vender energia elétrica à rede elétrica nacional. À semelhança de outros países do mundo. Um sistema de micro produção ocupa cerca de 30 metros quadrados e permite ao particular receber perto de 4 mil euros ano.

8 . Para disponibilizar potências mais elevadas. o que tipicamente varia entre 1 e 3 W. células são integradas. produz apenas uma reduzida potência elétrica. Figura 03 – Estrutura de uma célula de silício convencional Figura 04 – Hierarquia fotovoltaica Energia Solar . Ligações em série de várias células aumentam a tensão disponibilizada.III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE. U F C G / U A E E .N o v e m b r o 2 0 1 1 Módulos Fotovoltaicos Os módulos fotovoltaicos são formados de células feitas principalmente de silício. Uma célula individual. O mesmo ocorre para os painéis. enquanto que ligações em paralelo permitem aumentar a corrente elétrica. um elemento capaz de absorver as partículas de fótons existentes nos raios solares e transformá-las em corrente elétrica contínua. formando um módulo (ou painel). com uma tensão menor que 1 Volt.

9 . As telhas apresentam um aspecto sóbrio e clássico e são fáceis de colocar. Em horas matutinas os módulos começam a gerar. Montagem em cobertura . Mantenha a bateria em local abrigado do sol e da chuva.III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE. mas se a corrente que fornecerem for menor que aquela que a carga exige.São mais caras do que os módulos clássicos.Bateria Estacionária A função prioritária das baterias num sistema de geração fotovoltaico é acumular a energia que se produz durante as horas de luminosidade a fim de poder ser utilizada à noite ou durante períodos prolongados de mau tempo. Normalmente o banco de baterias de acumuladores e os módulos fotovoltaicos trabalham em conjunto para alimentar as cargas. Baterias não devem ser instaladas diretamente sobre o solo ou piso: devem sempre ser assentadas sobre uma base plástica ou de madeira.Os módulos são fixados diretamente nos caibros da cobertura. Além dessas principais. Telhas solares . e seja ventilado. Baterias velhas aceitam menos carga e ainda desperdiçam a energia de carga fornecida. temos painéis adesivos que podem ser colados nas paredes e painéis semitransparentes. passando então a recarregar as baterias. A partir de uma determinada hora da manhã a energia gerada pêlos módulos fotovoltaicos supera a energia média procurada./150Ah. A eficiência do sistema de energia solar depende diretamente da qualidade e do estado das baterias. Em vez de estarem colocados no telhado. U F C G / U A E E . Este tipo de instalação tem menos impacto visual do que os painéis à superfície. Observar que o local esteja sempre livre de umidade e impurezas. Recomenda-se o uso de baterias seladas de ciclos constantes. É o caso de um motor. Trata-se provavelmente da instalação de menor custo. usados em janelas. mas a diferença de preço é compensada pelo fato de não ser necessária a estrutura de montagem. Energia Solar . Outra importante função das baterias é prover uma intensidade de corrente superior àquela que o dispositivo fotovoltaico pode entregar. a bateria deverá contribuir. Durante a noite toda a energia pedida pela carga é fornecida pelo banco de baterias. Utiliza-se principalmente baterias de 12V. livres de manutenção. que no momento do arranque pode exigir uma corrente de 4 a 6 vezes sua corrente nominal durante uns poucos segundos. Baterias Estacionárias Figura 05 . são colocados na sua estrutura: o custo excedente é parcialmente compensado pela economia de materiais de cobertura.N o v e m b r o 2 0 1 1 Os painéis de módulos fotovoltaicos podem ser instalados de três maneiras principais: Montagem à superfície .Os módulos são montados num quadro de aço ou de alumínio fixado numa estrutura apropriada feito no telhado já pronto.

Existem diversos tipos de reguladores de carga. E para isso se utilizem dois módulos fotovoltaicos.10 . Conversores Energia Solar . suponha-se que se tenha de alimentar uma habitação rural com consumo em 12 Vcc. O regulador monitora constantemente a tensão da bateria dos acumuladores e fica definido ao especificar o seu nível de tensão (que coincidirá com o valor de tensão do sistema) e a corrente máxima que deverá manejar. a tensão de carga a fundo da bateria pode ser algo superior a 14.III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE.75 A e a corrente de curto-circuito Icc. deverá estar concebido para trabalhar a uma tensão de 15 Volts (tensão de trabalho dos módulos) e manejar uma corrente de 6 A. A capacidade nominal que a caracteriza corresponde de uma maneira geral a um tempo médio de descarga de 10 horas. maior será a quantidade de energia que a bateria fornece. Quando o consumo faz com que a bateria comece a descarregar. Quanto maior for o tempo de descarga.1 Volts para uma bateria de chumbo ácido de 12 Volts nominais) o regulador interrompe o processo de carga. Quando os módulos estão em paralelo a corrente total máxima que deverá controlar o regulador será I total = 2 x 3 A = 6 A. portanto. A corrente máxima destes módulos é Imp = 2. portanto. a baixar sua tensão. Quando a referida tensão alcança um valor para o qual se considera que a bateria se encontra carregada (aproximadamente 14. Para ilustrar com um exemplo simples. Considera-se a corrente de curtocircuito para contemplar a pior situação. Controladores de Tensão Figura 06 – Controlador de Tensão É um aparelho eletrônico que protege as baterias de sobrecargas e descargas excessivas. A concepção mais simples é aquela que envolve uma só etapa de controle. o regulador reconecta o gerador à bateria e recomeça o ciclo. prolongando sua vida útil. Isto pode ser conseguido abrindo o circuito entre os módulos fotovoltaicos e a bateria (controle tipo serie) ou curto-circuitando os módulos fotovoltaicos (controle tipo shunt). = 3 A.N o v e m b r o 2 0 1 1 A capacidade de armazenagem de energia de uma bateria depende da velocidade de descarga.1 Volts. O regulador a escolher. No caso de reguladores de carga cuja etapa de controle opera em dois passos. U F C G / U A E E .

Agora. 60 Hz e sincroniza com a rede elétrica. coloca o Brasil no mapa mundial da geração energética a partir do Sol O faro e a agilidade para identificar e pôr em prática boas oportunidades de negócios são ingredientes importante na carreira de quem atua no mercado financeiro. U F C G / U A E E . O trio de empreendedores paulistas Edmond Farhat. quando passaram por instituições como Citibank. Delta Commodities Banco Rural Internacional.11 .III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE. eles resolveram utilizar a experiência para se tornar empreendedores do setor. porém não produz energia com a mesma qualidade e desta maneira não é aceito pela rede elétrica e seu uso fica restrito para os sistemas independentes e de custo inferior. Os tipos básicos de inversores são: Inversor de onda senoidal – utilizado em sistemas ligados a rede elétrica "utility intertie". A maior parte das residências utiliza corrente alternada de 60Hz e 120 Volts. não permite a descarga total da bateria desconectando a carga.N o v e m b r o 2 0 1 1 Figura 07 – Conversores de Tensão É um aparelho eletrônico que converte a energia elétrica DC em AC (corrente alternada) 110 ou 220 Volts. O Inversor de onda senoidal modificada – é semelhante ao anterior. situada em Coremas. O controlador de carga otimiza o uso da Energia Fotovoltaica.7 Potencial Paraibano A alta incidência de luz solar no Sertão do Estado tem despertado o interesse de empresas para a instalação de usinas que utilizam o sol como fonte de produção de energia. O inversor senoidal transforma a corrente direta do sistema FV (variando geralmente entre 12Vcd – 360Vcd) em 120 Vca. protegendo a bateria contra sobrecargas e descargas excessivas. Com investimentos de R$ 325 milhões. cidade encravada no sertão da Energia Solar . no interior da Paraíba. usina localizada em Coremas. Sérgio Reinas e Rafael Brandão sabe muito bem disso. Ao longo dos últimos 20 anos. A primeira tacada do trio é a Usina Coremas I. 3. eles estruturaram diversas operações para a captação de recursos para projetos energéticos. garantindo mais vida útil à bateria e protegendo o módulo evitando o retorno da energia. possibilitando a utilização dos eletrodomésticos encontrados no mercado.

III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE. a uma temperatura de 400 graus centígrados. Apesar das várias etapas. por exemplo). da qual Farhat. é 55% mais barato em relação à eletricidade Energia Solar . já foram desembolsados R$ 15. semelhante ao utilizado na cogeração. para aquecer tubos cheios de água. dono de uma fatia de 30. Reinas e Brandão dividiriam os 34% restantes. a partir da queima da biomassa (restos de bagaço de cana. decidimos nos arriscar do outro lado do balcão”. em uma das tradicionais placas fotovoltaicas (conhecidas como painéis solares). Até agora. A usina terá capacidade de gerar 50 megawatts (MW). O líquido. afirma Brandão. Os recursos foram aplicados no estudo de implantação e viabilidade.12 . considerada até há pouco tempo proibitiva em função do custo de aquisição e manutenção dos equipamentos? “A tecnologia evoluiu e hoje essa modalidade já tem um preço competitivo em relação às demais opções renováveis”. A meta é atrair outro sócio com experiência no segmento energético. que ficaria com uma participação de 35. “De tanto fazer estudos para nossos clientes. Por que investir em energia solar. Figura 11 – Coremas-PB Trata-se de um volume suficiente para abastecer 830 mil residências.N o v e m b r o 2 0 1 1 Paraíba. e tem como parceiro o Banco Paulista. será direcionado para uma caldeira para ser convertido em vapor. Orçado em R$ 325 milhões.2%. Este. a partir do primeiro semestre de 2013. Reinas e Brandão são acionistas.5 milhões. U F C G / U A E E . a 390 quilômetros da capital João Pessoa. O negócio está sendo tocado por meio da Mais Asset Management. o trio foi buscar nos Estados Unidos um sistema híbrido. captados por coletores revestidos de películas prateadas. afirma Farhat à DINHEIRO. além da compra do terreno de 400 hectares. o empreendimento colocará o Brasil definitivamente no mapa mundial da energia solar. Farhat. A Usina Coremas I usará a potência dos raios solares. com a força dos raios solares. de acordo com os investidores. esse processo. É que. movimentará a turbina que gera energia.8% do empreendimento. por sua vez.

a maior usina do gênero do mundo.13 . ainda segundo eles. U F C G / U A E E . seu grau de eficiência. que vai consumir US$ 168 milhões e gerar 354 MW.4 Usina Termo-solar Energia Solar .N o v e m b r o 2 0 1 1 obtida com placas fotovoltaicas. Além disso. situada no deserto de Mojave. . Trata-se do mesmo método utilizado na Ivanpah Solar Energy Generating System.III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE. O desbravamento do sertão paraibano é apenas a primeira fase da jornada eletrizante que o trio pretende seguir na área empresarial. A Rio Alto Energia tem licença para produzir até 125 MW. na Califórnia. é 50% maior. O Google é um dos principais investidores. Figura 12 – Mapa da Luz no Brasil 4.

U F C G / U A E E .14 .N o v e m b r o 2 0 1 1 Figura 13 – Usina Solar de Alvarado I Figura 14 – Usina Solar de Alvarado I Figura 15 – Usina Solar de Alvarado I Energia Solar .III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE.

8 Funcionamento da Usina Coremas I Refletor Parabólico Os refletores parabólicos são projetados para redirecionar todos ou a maior parte dos raios solares. responsável pelo transporte da energia térmica convertida no receptor para o ciclo de potência.N o v e m b r o 2 0 1 1 3. U F C G / U A E E . Figura 16 – Refletores Parabólicos Energia Solar .15 .III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE. eles são compostos de um grupo de espelhos individuais espalhados em um campo. esse esquema pode ser visto na figura 16. que coletam e refletem a energia solar. utilizando a geometria parabólica dos refletores pode-se concertar os raios solares em um receptor no alto de uma torre. Internamento a esta torre encontra-se o fluido de trabalho. equipados com mecanismo de acompanhamento do sol. chamados eliostátos.

U F C G / U A E E .III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE. na usina que se planeja instalar na Paraíba esse fluido pode alcançar temperaturas de ate 400 °C. esse esquema pode ser visto na figura 17.N o v e m b r o 2 0 1 1 Fluido Térmico O tubo de transporte que recebe os raios solares redirecionados pelos Refletores Parabólicos contém um liquido especial que absorve calor solar.16 . Figura 17 – Tubo de Transporte do Liquido Energia Solar .

serão utilizadas fileiras com 12 módulos com as dimensões dadas na figura 18. Figura 18 – Dimensões dos Refletores Parabólicos Energia Solar . U F C G / U A E E .N o v e m b r o 2 0 1 1 Dimensões dos Refletores No sistema que será montado em Coremas.17 .III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE.

III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE. U F C G / U A E E .N o v e m b r o 2 0 1 1 Figura 19 – Sistema de Aquecedores Energia Solar .18 .

19 . U F C G / U A E E .N o v e m b r o 2 0 1 1 Figura 20 – Sistema de Aquecedores Energia Solar .III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE.

20 .III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE. U F C G / U A E E .N o v e m b r o 2 0 1 1 Figura 21 – Sistema de Aquecedores Energia Solar .

III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE.N o v e m b r o 2 0 1 1 Figura 22 – Plantação de Tomates Energia Solar . U F C G / U A E E .21 .

III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE. o que obriga a que existam meios de armazenamento da energia produzida durante o dia em locais onde os painéis solares não estejam ligados à rede de transmissão de energia. neve). permitindo a produção de eletricidade.N o v e m b r o 2 0 1 1 3. durante 24 horas. U F C G / U A E E .9 Vantagem da Geração termosolar em relação a Geração Fotovoltaicas Fornecimento ininterrupto Uma das maiores vantagens da energia termo solar é o fornecimento de energia. Em contraste com as células solares fotovoltaicas. mesmo depois do por do sol. a energia solar captada por células fotovoltaicas tem grandes variações nas quantidades produzidas de acordo com a situação atmosférica (chuvas. Uma das maiores vantagens do uso de calor é que ele pode ser armazenado mais facilmente do que a luz. que é um dos maiores desafios da indústria. Além de fornecer energia contínua em dias nublados e à noite. as centrais térmicas solares usam o calor do sol para movimentar turbinas a vapor e gerar eletricidade. Energia Solar . além de que durante a noite não existe produção alguma. A capacidade de gerar 24 horas de energia elétrica. a resiliência da usina permite gerenciar o fornecimento de energia elétrica enviada para a rede e responder a picos de demanda. que usam a luz do sol para gerar eletricidade. representa um passo importante para demonstrar a confiabilidade da tecnologia solar. Em contraste a energia termo-solar. ininterruptamente.22 .

inovacaotecnologica.inovacaotecnologica. Fontes Limpas de Energia Elétrica – Sistemas Fotovoltaicos e Eólicos de Pequeno Porte. U F C G / U A E E .DML15476-17580.com/Revista/Common/0. Universidade Federal de Uberlândia MARCOS CORONATO (2011). Campinas.php?artigo=virus-celula-solar. Curso de Engenharia Ambiental.com/2011/06/energia-solar.html (Acesso: 30/10/2011). Redação do Site Inovação Tecnológica (2008). REFERÊCIAS BIBLIOGRÁFICAS ADEVAL MARQUES. Faculdade de Engenharia Elétrica. RENAN BOLDRIN.com.globo.br/aplicacoes/atlas/pdf/03-Energia_Solar(3). Redação do Site Inovação Tecnológica (2011).br/noticias/noticia.html. Paraná.aneel.com/Ciencia-e-tecnologia/noticia/2011/09/energia-extraida-do-sol-dacaatinga. http://revistaepoca. (Acesso: 11/10/2011). Coremas insere a Paraíba no mapa mundial de geração de energia solar. Energia Solar. 2011. Faculdade de Engenharia Agrícola. http://revistagalileu. ELIANE MACHADO.23 . RAFAEL ALVES MADEIRA (2009).globo. (Acesso: 30/10/2011). http://www. Universidade Federal do Rio de Janeiro.php?artigo=celulas-solares-policristalinasdao-salto-de-eficiencia.br/noticias/noticia. Energia Solar: Aquecedores. Custos Associados a Energia Termo Solar de Receptor Central. 2008.. Disponível em: http://souzaoliveira. Universidade Estadual de Campinas. (Acesso: 11/10/2011). (Acesso: 30/10/2011). Escola Politécnica.com/germano/?p=1157 (Acesso: 05/11/2011). Energia Solar .html. Brasil faz placa solar mais eficiente a custos menores. Uberlândia. Universidade Tecnológica Federal do Paraná.00 ENERGIA+SOLAR. PEDRO SEVERINO FAUSTINO DE SOUSA (2011).N o v e m b r o 2 0 1 1 5.blogspot. http://revistacaninde. http://www. (Acesso: 12/10/2011). Vírus aumenta eficiência de célula solar. MARIANA MACHADO. Modelo de um projeto de um Sistema Fotovoltaico. RICHARD ROBERTO CAIRES. (2011). Células solares policristalinas dão salto de eficiência. ANEEL Agência Nacional de Energia Elétrica (2011). DENISE DALLA COLLETTA (2010). Energia extraída do sol da caatinga. http://www.pdf.com.III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE. FLÁVIA FERNANDES DE LEVA. Energia Solar 3.gov.

III SEMINÁRIO DE ELETROTÉCNICA APLICADA À SUSTENTABILIDADE.org/wiki/Energia_solar.wikipedia.24 . U F C G / U A E E . (Acesso: 11/10/2011). http://pt. Energia Solar. Energia Solar .N o v e m b r o 2 0 1 1 WIKIPEDIA (2011).

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful