Você está na página 1de 16
Disciplina ELE0605 Disciplina ELE0605 Controladores Lógicos Programáveis (CLP) Controladores Lógicos Programáveis
Disciplina ELE0605
Disciplina ELE0605
Controladores Lógicos Programáveis (CLP)
Controladores Lógicos Programáveis (CLP)
Notas de Aula
Notas de Aula
Prof. Dr. Cláudio R.M. Silva
Departamento de Engenharia Elétrica
Centro de Tecnologia - UFRN
Aula 03
Versão: 0.7
1
Tópicos:
Tópicos:

Padronização Modelos de Programação; Estrutura da Linguagem LADDER; Exercícios; Conclusões.

Padronização Modelos de Programação; Estrutura da Linguagem LADDER; Exercícios; Conclusões. 2

2

Padronização no IEC (International Electro-technical Comission)

no IEC (International Electro-technical Comission) IEC 1992, o IEC publicou a norma IEC 1131(padrões para

IEC 1992, o IEC publicou a norma IEC 1131(padrões para Controladores Lógicos Programáveis). Posteriormente, a norma teve sua numeração alterada para IEC 61131. Hoje está dividida nas seguintes partes:

Posteriormente, a norma teve sua numeração alterada para IEC 61131. Hoje está dividida nas seguintes partes:
Posteriormente, a norma teve sua numeração alterada para IEC 61131. Hoje está dividida nas seguintes partes:

◊ 61131-1 - Informações gerais
◊ 61131-2 - Requisitos de hardware 61131-3 - Linguagens de programação

◊

◊ 61131-4 - Guia de orientação ao usuário

◊ 61131-5 – Comunicação

◊ 61131-6 - Comunicação via Fieldbus

◊ 61131-7 - Programação utilizando Lógica Fuzzy

◊ 61131-8 - Guia para implementação das linguagens

Define Ladder

Define Ladder

Guia para implementação das linguagens Define Ladder Define Ladder Como uma das Como uma das Alternativas

Como uma das

Como uma das

Alternativas

Alternativas

Linguagens de Programação definidas no IEC 61131-3

Linguagens de Programação definidas no IEC 61131-3 Linguagens • IL (Instruction List) Textuais • ST (Structured
Linguagens • IL (Instruction List) Textuais • ST (Structured Text) Linguagens • LD (Ladder Diagram)
Linguagens
• IL (Instruction List)
Textuais
• ST (Structured Text)
Linguagens
• LD (Ladder Diagram)
Gráficas
• FBD (Function Block Diagram)

• SFC (Sequential Function Charts)

• FBD (Function Block Diagram) • SFC (Sequential Function Charts) Representação Em Máquinas de Estados (Etapas)
Representação Em Máquinas de Estados (Etapas)
Representação
Em Máquinas de Estados (Etapas)
Ladder - Exemplo
Ladder - Exemplo
Ladder - Exemplo 5
FBD - Exemplo
FBD - Exemplo

6

IL - Exemplo
IL - Exemplo
IL - Exemplo 7
ST - Exemplo
ST - Exemplo
ST - Exemplo 8
SFC - Exemplo
SFC - Exemplo

9

APRESENTAÇÃO
APRESENTAÇÃO

Os CLP’s vieram substituir elementos e componentes eletro-eletrônicos de acionamento e a linguagem utilizada na sua programação é similar à linguagem de diagramas lógicos de acionamentos desenvolvidos por eletrotécnicos e profissionais da área de controle Esta linguagem é denominada linguagem de contatos ou simplesmente LADDER. A linguagem Ladder permite que se desenvolvam lógicas combinacionais, seqüenciais e circuitos que envolvam ambas, utilizando como operadores para estas lógicas:

lógicas combinacionais, seqüenciais e circuitos que envolvam ambas, utilizando como operadores para estas lógicas:
lógicas combinacionais, seqüenciais e circuitos que envolvam ambas, utilizando como operadores para estas lógicas:

entradas, saídas, estados auxiliares e registros numéricos.

para estas lógicas: entradas, saídas, estados auxiliares e registros numéricos. Fonte: Notas do Prof. A. Aminadab

Fonte: Notas do Prof. A. Aminadab

10

ESTRUTURA DA LINGUAGEM Ladder
ESTRUTURA DA LINGUAGEM Ladder
Exemplo: acionamento de uma lâmpada L a partir de um botão B liga/desliga Esquema elétrico
Exemplo: acionamento de uma lâmpada L a partir de um botão B liga/desliga
Esquema elétrico tradicional, programa do usuário e ligações no CLP:
Fonte: Notas do Prof. A. Aminadab
Para que a lâmpada se apague ao acionar-se B basta trocar o contato normal
aberto por um contato normal fechado, o que representa a função lógica booleana
NÃO (NOT).
Exemplo de Programa Ladder 12
Exemplo de Programa Ladder
12
ESTRUTURA DA LINGUAGEM
ESTRUTURA DA LINGUAGEM

Desta forma, pode-se desenvolver programas para CLP’s que correspondem a operações lógicas combinacionais básicas fundamentadas na Álgebra de Boole, como a operação lógica E (AND):

Figura: Notas do Prof. A. Aminadab

lógica E ( AND ): Figura: Notas do Prof. A. Aminadab • Ou como a operação

• Ou como a operação lógica booleana OU (OR):

Figura: Notas do Prof. A. Aminadab

Notas do Prof. A. Aminadab • Ou como a operação lógica booleana OU ( OR ):

13

Exercício
Exercício

Como Implementar lógicas mais complexas?

Expressão 1:

Expressão 2:

Expressão 3:

Y1 = ACE + ADF + BF + BDCE

Y2 =

AB’ + (C + D’)’

Y2 = A xor B + C’ D

Lógica de Chaves mais complexas – Exemplo 1
Lógica de Chaves mais complexas – Exemplo 1
Lógica de Chaves mais complexas – Exemplo 1 15
ESTRUTURA DA LINGUAGEM: OBSERVAÇÕES
ESTRUTURA DA LINGUAGEM: OBSERVAÇÕES

A flexibilidade dos CLPs é percebida pelas alterações lógicas que podem ocorrer com grande facilidade, sem que sejam necessárias alterações do hardware ou inclusão/exclusão de componentes eletrônicos ou elétricos.

Além da linguagem de contatos, existem outras formas de

programação prioritárias de cada fabricante: Telemechanique, Siemens, Möller, etc. A utilização dos CLPs contemplam os seguintes passos genéricos:

- Definição da função lógica a ser programada;

- Transformação desta função em programa assimilável pelo CLP;

- Implementação física do CLP e de suas interfaces com o processo.