Você está na página 1de 2

Greve da UEPB faz um ms; reitor diz que calendrio est comprometido

Professores e tcnicos esperam contraproposta, diz presidente da AduePB. Paralisao impede que ano letivo seja concludo em 2013, segundo reitor. G1 PB

UEPB em greve (Foto: Taiguara Rangel/G1)

A greve dos professores e tcnicos administrativos da Universidade Estadual da Paraba (UEPB) completa um ms nesta tera-feira (26). Com a paralisao, cerca de 20 mil alunos esto sem aulas em oito campi. Os docentes reivindicam um reajuste salarial de 17,7% e melhorias na infraestrutura. Segundo o reitor da UEPB, Antonio Rangel Jnior, a paralisao de 30 dias impede o cumprimento do ano letivo ainda em 2013. "O perodo letivo no tem a menor condio de ser concludo dentro do semestre como era previsto, j temos as frias de julho comprometidas e as de dezembro e janeiro tambm parcialmente comprometidas. O ano letivo no se encerra mais em 2013, pois se foram mais de 30 dias de aulas

perdidas e no se pode imprensar o calendrio porque os programas precisam ser cumpridos, relatou Rangel Jnior. O presidente da Associao dos Docentes da UEPB (AduePB), Jos Cristovo de Andrade, afirmou que, mesmo aps completar um ms sem aulas, a universidade no encaminhou nenhuma contraproposta. Estamos mobilizando todos os campi, mas no houve nenhum retorno. Aguardamos que at o prximo dia 3, quando acontece um debate na Assembleia Legislativa, a reitoria nos d alguma resposta, porque at o momento nenhuma contraproposta foi feita, comentou. O reitor da UEPB, Antnio Rangel Jnior, explicou que a greve no funciona como instrumento de presso, uma vez que o oramento institucional para 2013 j est definido. "Se a inteno da greve fazer com que a reitoria conceda reajuste, o problema no est na vontade do reitor. A reitoria no tem disponibilidade de recursos, os sindicatos sabem e isso j dito h mais de um ms. O oramento foi definido no ano passado", explicou. Na quarta-feira (27), ser realizado um debate sobre a precarizao das universidades pblicas em Joo Pessoa, de acordo com a AduePB. Ainda conforme Andrade, caso no haja uma discusso sobre as reivindicaes, a classe pretende estender a greve para a ps-graduao. Conseguimos o apoio dos docentes da ps-graduao de Letras, Servio Social e Matemtica. A nossa inteno, caso no haja uma evoluo nas negociaes, radicalizar, levar a paralisao para a ps-graduao em todos os campi, relatou.