Pai perdoa-lhes, pois não sabem o que fazem...

Palavras ditas por Cristo Jesus, o verbo do Pai Eterno. Sábias palavras, pois desde o primeiro momento de sofrimento, ao invés de acusar e julgar a humanidade, num ato de puro amor, desejou que o PAI perdoasse à todos, ao invés de puni-los. Sentimento fraterno e puro, pois Cristo ao colocar-se como Filho de Deus veio igualar-se à nós, como seus irmãos. Ora, se Cristo que foi e é perfeito, pediu ao PAI para perdoar, porque nós também não faríamos o mesmo? O rancor, a malícia e o ódio são sentimentos que não devemos guardar em nossos corações. Mesmo em meio a tribulação devemos demonstrar compaixão por aqueles que nos humilham, nos perseguem, nos abandonam e nos maltratam. Nesta palavra “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que fazem”, Jesus chama a Deus de pai porque ele clama, com misericórdia, pelo perdão de nossos pecados. Cristo chama pelo “PAI” e não pelo Deus ou Senhor, porque ele quer a compaixão de um PAI e não a mão severa de um juiz. Jesus, com todo seu poder, poderia muito bem ter descido da cruz e julgado a todos naquele momento, e ainda, ter condenado os sumos sacerdotes e a Pilatos, chefe político da época, por ter cometido muitas injustiças, sendo a pior delas crucificar o Salvador do Mundo, o verbo do PAI. Mas Cristo, na sua perfeição, pediu ao “PAI” que os perdoasse, porque não sabiam o que estavam fazendo. Nesse ponto Cristo alegou que eles eram ignorantes, pois não tinham o conhecimento de que Cristo era o salvador do mundo. Claro que PILATOS e OS SACERDOTES sabiam que Cristo era o REI, mas o PODER E A GANÂNCIA FIZERAM COM QUE ELES NÃO ENXERGASSEM ISSO. Nos dias atuais não vemos muita diferença em relação à época do Cristo: os poderosos, sejam aqui, Belo Horizonte, Brasília, ou qualquer outro lugar, não se importam com nada, nem ninguém, e ainda estão a humilhar e perseguir os Filhos de Deus. Sem nenhum zelo pelas coisas do PAI, tornam-se LOBOS EM PELE DE CORDEIRO, com falsa mansidão e bondade perante a população. Mas ao exercer suas funções de chefia tornam-se ignorantes, pois só pensam em perseguir, oprimir, atormentar e denegrir as pessoas nas quais deveriam estar trabalhando para melhorar suas vidas. Como disse São Paulo em sua primeira carta aos Coríntios, cap. 13 ver. 4 a 5, “O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece; Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal”. Assim deveria agir Pilatos e aqueles que exercem cargos de governo: deveriam olhar com amor e benevolência para o povo, ao invés de persegui-lo e oprimí-lo. Mais uma vez, as palavras que Cristo proferiu à milhares de anos atrás volta-se para nós na atualidade, mesmo não tendo nascido naquela época. “Não sabem o que fazem”. A parte final da palavra de Cristo demonstra toda a ignorância daqueles que tinham (e tem até hoje) o poder de fazer algo e não o fazem. Por isso, também peço ao PAI: • Pelas pessoas que estão sendo perseguidas: Pai perdoa-lhes, pois não sabem o que fazem;

Pai perdoa-lhes. e não sabem mesmo! . Enfim meu PAI. pois não sabem o que fazem..• • Pelas pessoas que estão sendo maltratadas em seu local de trabalho: Pai perdoalhes. Pai perdoa-lhes.. pois não sabem o que fazem. pois não sabem o que fazem. Pelas pessoas que tiveram seu ordenado “afanado” em detrimento de interesses pessoais.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful