Você está na página 1de 11

14/05/2012

PROJETO DE ELEMENTOS DE MÁQUINAS Aula 1 Introdução ao projeto de elemento de máquinas
PROJETO DE ELEMENTOS DE MÁQUINAS Aula 1 Introdução ao projeto de elemento de máquinas

PROJETO DE ELEMENTOS DE MÁQUINAS

Aula 1 Introdução ao projeto de elemento de máquinas

Conteúdo resumido  Análise falhas, fadiga, dimensionamento de eixos, rolamentos e molas.
Conteúdo resumido  Análise falhas, fadiga, dimensionamento de eixos, rolamentos e molas.

Conteúdo resumido

Conteúdo resumido  Análise falhas, fadiga, dimensionamento de eixos, rolamentos e molas.

Análise falhas, fadiga, dimensionamento de eixos, rolamentos e molas.

14/05/2012

Conteúdo detalhado

Fadiga, Conceitos e Aplicações :

resistência à fadiga e limite de resistência à fadiga

resistência à fadiga por vida finita

fadiga acumulativa

fatores modificadores do limite de resistência à fadiga

resistência à fadiga sob tensões variáveis e ou flutuantes

resistência à fadiga na torção falha por fadiga devido a tensões combinadas

Diagrama de Goodman

Fadiga superficial e fratura

Conteúdo detalhado

Análise de Falhas sob carregamento estático :

definição de coeficiente de segurança

teoria da tensão normal máxima

teoria da tensão cisalhante máxima

teoria da energia de distorção

14/05/2012

Conteúdo detalhado

Dimensionamento de Eixos e árvores

Carregamento estático, Cargas combinadas de flexão e torção,

Método de Soderberg,

Conteúdo detalhado

Molas:

tensões em molas helicoidais

deflexão de molas helicoidais

fadiga em molas

molas helicoidais de torção

Histórico e conceitos

Histórico e conceitos  A palavra “fadiga” é originada do latim “ fatigare ” e significa
Histórico e conceitos  A palavra “fadiga” é originada do latim “ fatigare ” e significa

A palavra “fadiga” é originada do latim “fatigare” e significa “cansaço”. A definição de fadiga foi encontrada no relatório intitulado por “General Principles for Fatigue Testing of Metals”, publicado em 1964 pela Organização Internacional para Normalização, em Gênova.

Organização Internacional para Normalização, em Gênova. Histórico e conceito  Fadiga é definida como um termo

Histórico e conceito

para Normalização, em Gênova. Histórico e conceito  Fadiga é definida como um termo que se
para Normalização, em Gênova. Histórico e conceito  Fadiga é definida como um termo que se

Fadiga é definida como um termo que se aplica às mudanças nas propriedades que podem ocorrer em um material metálico devido à aplicação repetida de forças (ou tensões), embora geralmente este termo se aplique especialmente para aquelas mudanças que conduzem à rachadura ou falha.

Esta descrição também é válida para a fadiga dos

materiais não-metálicos

14/05/2012

Histórico e conceito  O interesse em estudar a fadiga começou a expandir com o

Histórico e conceito

Histórico e conceito  O interesse em estudar a fadiga começou a expandir com o aumento
Histórico e conceito  O interesse em estudar a fadiga começou a expandir com o aumento

O interesse em estudar a fadiga começou a expandir com o aumento do uso do aço em estruturas, particularmente pontes em sistemas ferroviários

A primeira pesquisa detalhada do esforço da fadiga nos metais foi iniciada em 1842 com um acidente ferroviário perto de Versailles na França que resultou em muitas mortes. A causa deste acidente foi traçada por uma falha de fadiga originada no eixo frontal da locomotiva.

14/05/2012

Histórico e conceito  Existem diferentes estágios de dano (deformação) por fadiga em componentes onde
Histórico e conceito
 Existem diferentes estágios de dano (deformação)
por fadiga em componentes onde defeitos podem
“nuclear” em uma seção inicial ilesa e propagar de
uma maneira estável até resultar em fraturas
catastróficas.
 Para este tipo de situação, uma seqüência de danos
por fadiga pode ser amplamente classificada nos
seguintes estágios:
Histórico e conceito  Seqüência de danos por fadiga pode ser classificado: 1) Mudanças subestrutural

Histórico e conceito

Histórico e conceito  Seqüência de danos por fadiga pode ser classificado: 1) Mudanças subestrutural e
Histórico e conceito  Seqüência de danos por fadiga pode ser classificado: 1) Mudanças subestrutural e

Seqüência de danos por fadiga pode ser classificado:

1) Mudanças subestrutural e microestrutural que causam nucleação nos danos permanentes;

2) Criação de fissuras microscópicas;

3) O crescimento e a coalescência de defeitos microscópicos para formar fissuras “dominantes”, que podem eventualmente inclinar para uma falha catastrófica; 4) Propagação estável da macrofissura dominante; 5) Instabilidade estrutural ou fratura completa

14/05/2012

Histórico e conceito
Histórico e conceito

14/05/2012

Histórico e conceito
Histórico e conceito
Histórico e conceito  Segundo diversos autores, dentre as distintas causas de falha de componentes
Histórico e conceito
 Segundo diversos autores, dentre as distintas causas
de falha de componentes mecânicos, a mais comum
é devida à fadiga do material. Do número total de
falhas, as provocadas por fadiga perfazem de
50% a 90%, sendo na maioria das vezes falhas
que ocorrem de forma inesperada, repentinamente,
portanto bastante perigosas.
Fadiga  Fadiga é uma falha que pode ocorrer sob solicitações bastante inferiores ao limite

Fadiga

Fadiga  Fadiga é uma falha que pode ocorrer sob solicitações bastante inferiores ao limite de
Fadiga  Fadiga é uma falha que pode ocorrer sob solicitações bastante inferiores ao limite de

Fadiga é uma falha que pode ocorrer sob solicitações bastante inferiores ao limite de resistência do metal ou outros materiais, isto é, na região elástica. É conseqüência de esforços alternados, que produzem trincas, em geral na superfície, devido à concentração de tensões.

14/05/2012

Fadiga  Com a continuidade do esforço alternado, as trincas aumentam, reduzindo a área resistente
Fadiga
 Com a continuidade do
esforço alternado, as
trincas
aumentam,
reduzindo a área resistente
da seção. A ruptura de dá
quando esta área se torna
suficientemente pequena
para não mais resistir à
solicitação aplicada (C). A
fratura por fadiga é
facilmente identificável. A
área de ruptura C tem um
aspecto distinto da
restante, que se forma
gradualmente.

14/05/2012

Fadiga  Pode aparecer na região da ruptura as marcas de praia.
Fadiga
Pode aparecer na região da ruptura as marcas de
praia.

Fadiga

aparecer na região da ruptura as marcas de praia. Fadiga  Quando se observa a região
aparecer na região da ruptura as marcas de praia. Fadiga  Quando se observa a região

Quando se observa a região da zona da fratura onde houve propagação estável da fissura por fadiga (zona macroscópica lisa) pode-se ver o avanço unitário da fissura sob o efeito de cada ciclo de carga. Essas linhas chamam- se de estrias.

pode-se ver o avanço unitário da fissura sob o efeito de cada ciclo de carga. Essas

14/05/2012

Fadiga  Cada estria está associada a um ciclo de carga
Fadiga
 Cada estria está
associada a um ciclo
de carga
Fadiga  A grande maioria das estruturas de engenharia está sujeita a cargas que são
Fadiga
 A grande maioria das
estruturas de engenharia
está sujeita a cargas que
são de um modo geral
variáveis no tempo, embora
muitas vezes o carregamento
seja estático, em uma
primeira observação.
 Uma falha por fadiga
ocorre dentro de uma gama
bastante ampla de ciclos de
carga, desde valores da
ordem de 10 ciclos até mais
de 10 8 ciclos.

14/05/2012

Fadiga  Limite de resistência à fadiga ( Rf )
Fadiga
 Limite de resistência à fadiga ( Rf )