Tipos Jurídicos A sociedade empresária deve constituir-se segundo um dos seguintes tipos jurídicos: a) sociedade em nome coletivo; b) sociedade

em comandita simples; c) sociedade limitada; d) sociedade anônima; e) sociedade em comandita por ações. f) sociedade em conta de participação

SOCIEDADES CONTRATUAIS Tipos societários menores: 1) sociedade em nome coletivo – está disciplinada nos arts. 1.039 a 1.044 do CC/2002, é o tipo societário em que todos os sócios são pessoas físicas e responsáveis solidários pelas obrigações sociais, de modo que nenhum sócio é preservado dos riscos inerentes ao investimento empresarial. Qualquer um dos sócios pode ser nomeado administrador da sociedade e ter seu nome empresarial aproveitado na composição do nome empresarial. 2) sociedade em comandita simples – é a sociedade de pessoas e contratual (arts. 1.045 a 1.051 do CC/2002). É composta por sócios de duas categorias: a) os comanditados, pessoas físicas, responsáveis solidária e ilimitadamente pelas obrigações sociais; e b) os comanditários, obrigados somente pelo valor de sua quota. Os sócios comanditários estão sujeitos a certas restrições: não podem ter seu nome empregado na firma da sociedade nem praticar ato de gestão, sob pena de responderem pelas obrigações sociais como se comanditados fossem, sem prejuízo da faculdade de participar das deliberações da sociedade e de fiscalizar suas operações. 3) sociedade em conta de participação – disciplinada pelos arts. 991 a 996 do CC/2002. Possui características excepcionalmente próprias, que são: a despersonalização (ela não é pessoa jurídica) e a natureza secreta (seu ato constitutivo não precisa ser levado a registro na Junta Comercial). Mas, o registro do ato constitutivo da sociedade em conta de participação pode ser feito no Registro de Títulos e Documentos, para resguardar os interesses dos contratantes. Este tipo de sociedade, a rigor, não passa de um contrato de investimento comum, que o legislador, impropriamente, denominou “sociedade”. Ela possui outros aspectos que justificam não considerá-la uma sociedade: não tem necessariamente capital social (os bens empregados no desenvolvimento da empresa compõem um patrimônio especial), liqüida-se pela medida judicial de prestações de contas e não por ação de dissolução de sociedade, e não possui nome empresarial. Na sociedade em conta de participação se constitui da seguinte forma: um empreendedor (chamado sócio ostensivo) associa-se a investidores (os sócios participantes), para a exploração de uma atividade econômica. O sócio ostensivo realiza todos os negócios ligados à atividade, em seu próprio nome, respondendo por eles

032 do CC).087 do CC.de forma pessoal e ilimitada. Se os sócios são devedores do capital em partes desiguais.  contratualidade: as relações entre sócios podem pautar-se nas disposições de vontade destes. desde que haja previsão expressa no contrato social. e subsidiariamente pela Lei das Sociedades Anônimas (Lei n° 6. A aplicação subsidiária da lei da sociedades anônimas (LSA) também é possível. a serem empregadas na empresa. por ex. e tem um contrato com os participantes. a responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas.087 do CC. sem os rigores ou balizamentos próprios do regime legal da sociedade anônima.052 a 1. A seguir apresentamos quadro resumo com a classificação das sociedades. desde que haja previsão expressa no contrato social. Os credores tem direito de atingir o patrimônio dos sócios do montante não integralizado. 1. 1. aquele que foi . Tipo societário de maior freqüência: 90% Principais características:  limitação da responsabilidade dos sócios: Na sociedade limitada. Previsão legal: Disciplinada pelos arts. mas todos respondem solidariamente pela integralização do capital social. mas todos respondem solidariamente pela integralização do capital social. A aplicação subsidiária da lei da sociedades anônimas continua sendo possível. revogado.708/19. Este tipo de sociedade passa a ter um regime consolidado em apenas um diploma legal. 927 a 1.( a integralização pode ser feita à prazo). Subsidiariamente pelas regras da sociedade simples (art. tinha seu regime jurídico determinado pelo Decreto n° 3. Maior margem para negociações. Sociedade Não Personificada Sociedade em Comum Sociedade em Conta de Participação Sociedade Simples Sociedade em Nome Coletivo Sociedade Personificada Sociedade em Comandita Simples Sociedade Limitada Sociedade Empresária Sociedade Anônima Sociedade em Comandita por Ações SOCIEDADE LIMITADA Disciplinada pelos arts.404/76). 1) Responsabilidade dos sócios  Limite da responsabilidade do sócio: o total do capital social subscrito e não integralizado.052 a 1. a sociedade ente denominada de sociedade por quotas de responsabilidade limitada. passando a serem credores de uma parcela dos resultados da empresa 4) Sociedade Limitada Na sociedade limitada. pelo qual aqueles são obrigados a prestar determinadas somas. pois. a responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas.

Integralizado o capital social. c) Desconsideração da pessoa jurídica: (forma aplicada pela Justiça do Trabalho é de base legal questionável). Perante a sociedade. O titular da firma individual e os sócios das empresas por cotas de responsabilidade limitada respondem solidariamente. e) Débitos com a Seguridade Social: em razão do disposto no art. procede-se a segunda convocação com três outras publicações de avisos com antecedência de cinco dias. Deliberação dos sócios Matérias a serem deliberadas em Assembléia. com antecedência mínima de oito dias. não obstante o entendimento de ser nula a sociedade. 2. solidariamente. b) Sociedade marital: infringindo a regra do art. . todos os sócios respondem. 13. os sócios não tem nenhuma responsabilidade.085) ASSEMBLÉIA – para sociedades com mais de dez sócios   Convocação mediante avisos publicados por três vezes na imprensa oficial e em jornal de grande circulação. dissolução e liquidação da sociedade. mas ilimitadamente: a) Deliberação contrária à lei ou ao contrato social: sócios responderão ilimitadamente pelas obrigações sociais relacionadas à deliberação ilícita. votação das contas anuais dos administradores. cada sócio é individualmente responsável pela integralização da cota por ele subscrita.em decorrência da teoria da desconsideração da pessoa jurídica. remuneração dos administradores.  Exceções: em caráter excepcional os sócios responderão subsidiária. 977 do CC. d) Fraude contra credores: valendo-se do expediente de separação patrimonial. expulsão de minoritário (art. pelos débitos junto à Seguridade Social). Não havendo quorum suficiente. ou reunião. modificação do contrato social. face aos credores sociais.620/93. Deliberação mediante presença de sócios que representem pelo menos três quartos do capital social. A doutrina diverge sobre a subsidiariedade ou a ausência do benefício de ordem. 13 da Lei 8.prejudicado tem direito de regresso contra o outro sócio. com seus bens pessoais. que pode ser cobrado de qualquer sócio da sociedade limitada (Art. Necessária formalização da discordância dos sócios dissidentes. operações societárias. neste caso quando houver no máximo dez sócios (em razão da maior importância): a) b) c) d) e) f) designação e destituição de administradores. 1. pelo total do capital social subscrito e não integralizado (Campinho) OBS: O que é capital subscrito? É o montante de recursos que os sócios se comprometem a entregar para a formação da sociedade. A segunda assembléia se instala validamente com qualquer número de presentes.

fusão. destituir administrador sócio nomeado no contrato social.3. para: tomar as contas dos administradores.1. Caso a sociedade tenha Conselho Fiscal seus membros serão eleitos nesta oportunidade. Ata de Assenbléia ou Reunião: deverá ser assinada por todos e arquivada na Junta Comercial. . a. Substituição válida destes atos: Tanto a Assembléia como a Reunião podem ser substituídas por documento que explicite a deliberação adotada desde que assinado pela totalidade dos sócios. caso não seja previsto quorum diverso neste mesmo instrumento. destituir administrador não sócio.1.2. votar o balando patrimonial e de resultados e eleger administradores. c) 2/3 do capital social: c. se o capital social está totalmente integralizado d) mais da metade do capital: d. salvo matérias sujeitas a quorum diferente. REUNIÃO DE SÓCIOS – para sociedades com até 10 sócios:    Liberdade de disposição do contrato social para versar sobre a realização das reuniões Aplicação das disposições sobre assembléia somente sobre aquilo que o Contrato Social for omisso.  Direção pela mesa composta por dois sócios.modificação do contrato social. caso se tenha exaurido o mandato por prazo determinado. designar administrador não sócio.2. b. que deverão garantir o direito de voz e voto a todos os sócios presentes.4. se o capital social não está totalmente integralizado. destituir administrador sócio designado em ato separado do contrato social.1. designar administrador em ato separado do contrato social. b) ¾ do capital social: b. d. aprovar incorporação. Redação de ata que reproduza fielmente a ocorrência. designar administrador não-sócio. d. Assembléia Ordinária (ou anual): Deve ser realizada obrigatoriamente uma a cada ano. expulsar sócio minoritário se permitido no contrato social. um presidente e o outro secretário. Quorum para determinadas matérias a) unanimidade: a. d.2. dissolução da sociedade ou levantamento da liquidação. computando-se maior proporção por aqueles que detém maior parte do capital social.1. Em geral a deliberação é por maioria de votos dos sócios presentes.

1 Quem pode ser administrador?    Uma ou mais pessoas.os diretores. contrato social ou estatutos: . gerentes ou representantes de pessoas jurídicas de direito privado. Quem escolhe e quem destitui?  Sócios. 135 ..  Responder pessoalmente pelos atos praticados em nome da sociedade. Renúncia produz efeito contra terceiros após arquivo na Junta Comercial e publicação.4. ADMINISTRAÇÃO 3. Mandato do administrador    Por prazo determinado ou indeterminado definidos pelo C. a partir do momento que tomam conhecimento. 3. a maioria qualificada exigida por lei para a hipótese.3. no prazo de quatro meses ao término do exercício social.A. 3. Obrigação de prestação de contas anuais.3. III .2. que são estranhos ao objeto social ou aos negócios que ela costuma desenvolver.. . ou por ato em separado. e à sociedade. (no caso de administrador não sócio deve constar do contrato social esta possibilidade) Designados em contrato social ou em ato separado. 3. III do CTN: Art. observando-se em cada caso. de natureza tributária ou não tributária – ART. junto com os balanços patrimoniais e de resultados. quando a sociedade limitada esta sujeita à aplicação supletiva do regime das sociedades simples (No caso de ser aplicado supletivamente as regras da S. a sociedade empresária responde por qualquer ato praticado em seu nome. sem prejuízo ao direito de regresso contra o administrador que excedeu seus poderes). Responsabilidade do administrador  Inadimplemento da sociedade limitada quanto aos débitos da dívida ativa. Sócios ou não. 135.S.São pessoalmente responsáveis pelos créditos correspondentes a obrigações tributárias resultantes de atos praticados com excesso de poderes ou infração de lei.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful