UNIVERSIDADE ANHANGUERA-UNIDERP POLO DE JUNDIAI - SP Curso Serviço Social – Segundo Semestre Disciplina sociologia

ATPS SOCIOLOGIA

Egle Teixeira Collete Santos Mariana Manzini

43000662 71 43000662 75

Profº. EaD: Maria Clotilde Pires Bastos Profº. Tutora Presencial: Emanuel Domingues Profº. Tutora a Distância: Msc. Rafael Aroni

Jundiaí / SP
2012

ERIC. As principais temáticas abordadas no texto “A era das revoluções 1789 – 1848”. As aproximações e distanciamentos entre a declaração dos direitos da Virginia e a declaração universal dos direitos humanos_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ 04 3. Bibliografia _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ 15 .SUMÁRIO. 1. HOBSBAWN. Introdução _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ 03 2. Os principais marcos da afirmação dos direitos humanos _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ __10 6. Considerações finais _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _14 8. e a diferença entre suas publicações de independência _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ __ _ _ _ _ _ 06 4. _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ __ _ _ _ _ _ _ _ _ _ __ 08 5. A realidade dos direitos humanos o Brasil _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ __ _ _ _ _ _ _12 7. A formação histórica e particular dos Estados Unidos e França.

ler e se alimentar de teorias de diversos pensadores. Porem. nos é apresentada. e ao contrario de outras matérias como a filosofia. juntas. em um mundo de conceitos. o transformar em fato social para poder estuda-lo. a sociologia em nenhum momento. no ensino fundamental ou médio. . fez com que nos apaixonássemos por essas teorias. o aproveitamento seria ainda maior. pela veracidade e aplicação delas ate os dias atuais e principalmente. passo a passo. fomos inseridos. na tentativa de trazer cada temática para nossa realidade e para a área de ação do assistente social. Traçar uma linha histórica e segui-la. teorias. infelizmente. material. descobrir o individuo como ser social. dialogando e buscando juntas. e conhecimentos suficientes para a execução de cada passo. o que nos distancia e retarda muitas vezes impede que conheçamos mais de toda esta riqueza histórica e social que a temática nos traz. se estivéssemos unidas. pois ao contrario de outras atividades. Procuramos executar cada passo de cada uma das etapas. muito novo a nosso ver. foi algo desafiador para nós enquanto grupo. sem divisão de tarefas. ao decorrer da execução das atividades propostas juntamente com as rodas de conversa e discussões sobre os temas enriqueceram e foram de grande valor para o aprendizado do grupo. INTRODUÇÃO Pensar em sociologia. fundamentos. a consciência coletiva de Durkheim. entendemos que nesta. pela sociologia. a mais – valia de Marxs.3 1. Todas estas etapas estão devidamente contempladas ao longo desse estudo. como o positivimismo de conte. e o espírito do capitalismo de werber.

foi um momento muito rico em diversidade de opiniões e acrescentou muito ao conteúdo do primeiro relatório parcial. nos da de inicio. são os nossos valores morais. coletiva e solidariedade mecânica e orgânica. a nosso ver. Já consciência coletiva (comum). as suas peculiaridades. Já a declaração universal dos direitos humanos. pesquisar e ler os textos propostos na primeira etapa. ao reconhecer que o poder emana do povo e que todos são iguais perante a Lei. e em sua declaração. ficar claro o rompimento com o sistema monárquico e o surgimento dos fundamentos democráticos.4 2. as suas escolhas. sobre consciência individual. O entendimento do grupo ao relacionar e procurar semelhanças e diferenças entre a declaração universal dos direitos humanos e a declaração de direitos do bom povo de Virgínia mudou completamente após ler a teoria de Émile Durkheim. de menor alcance. . as suas raízes. ou seja. como se fosse a declaração do povo de Virginia adaptada para os dias atuais. Após dar inicio as atividades práticas supervisionadas de sociologia. até por seu nome. mas tudo isso de uma maneira mais generalizada. pelo modo em que foi escrita. de longo alcance e nos pareceu muito mais detalhada. pra todo o grupo de moradores locais. pois foi feita por um povo para suprir suas necessidades particulares. De inicio. AS APROXIMAÇÕES E DISTANCIAMENTO ENTRE A DECLARAÇÃO DOS DIREITOS DA VÍRGÍNIA E A DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS. o que acreditamos ser certo ou errado. Durkheim falou que a consciência individual do ser humano está muito ligada a sua personalidade. as diferenças que notamos nos dois documentos. nosso grupo reuniu-se para trocar experiências. ao fato da Virginia ter sido colonizada por ingleses. uma ideia de grandeza. estavam relacionadas ao seu alcance.

a solidariedade mecânica foi mais evidente nas formações mais simples de sociedade e depois de tantas transformações. da solidariedade mecânica. graças a base. hoje. com base em tudo o que estudamos. as divisões de serviços. que foi feita. justamente pra sociedade atual. o indivíduo está ligado diretamente à sociedade. vivermos bem em grupo. A solidariedade social se apresenta de duas maneiras. podemos afirmar que vivemos em uma sociedade e temos um tipo de comportamento de solidariedade orgânica. mas agora interligadas. saem do âmbito comum para o individual. que nos permite ainda. pois fala de características gerais. com traços. e por mais que a respeito aos diretos referidos. aos traços coletivos. que em nenhum momento o grupo. para os interesses em comum. cada uma com sua peculiaridade. por isso também. e o tamanho ou intensidade dessa consciência e que mede a ligação entre os indivíduos. mudanças. o coletivo passa a dar lugar ao individual. os interesses. No caso da declaração universal dos direitos humanos. o homem começa a se diferir dentro de seu próprio meio. por exemplo. uma não anula a outra. divisões de classes. na solidariedade mecânica. as pessoas ainda vivem em grupo. . podemos perceber que a declaração do bom povo da Virginia. especializações. Sendo assim a solidariedade social se da a partir da consciência coletiva.5 a consciência individual diz respeito aos valores do grupo social em que o homem esta inserido enquanto individuo e que a soma da consciência individual com a consciência coletiva e que forma o ser social. as pessoas permanecem juntas. mas é voltada para o grupo. elas podem e a nosso ver devem coexistir. mas agora valorizam o individuo. percebe-se claramente. processos. mas. e não necessariamente seu desejo enquanto indivíduo. refletimos e discutimos. para a sociedade. devido às mudanças na sociedade. Já na solidariedade orgânica. convivendo entre si. sofridos ao longo do tempo. È importante deixar claro. ao capitalismo. fala ao povo. aparece com traços fortes de solidariedade mecânica. voltou-se pra questão de qual solidariedade nos parecia ou não a mais correta. sendo que enquanto ser social prevalece em seu comportamento sempre aquilo que é mais considerável à consciência coletiva. Voltando para as declarações de direitos. servirão parar a vida em sociedade o foco é totalmente individualista e ali podemos perceber a solidariedade orgânica. para uma sociedade muito mais moderna.

aumentou impostos. E A DIFERENÇA ENTRE SUAS PUBLICAÇÕES DE INDENPENDENCIA. O segundo relatório parcial da ATPS referente ao passo dois de sua segunda etapa. a primeira foi o fato que revolução francesa. porem e segundamente. de alguma forma. leis absurdas e medidas inaceitáveis ao ver dos colonos. que se revoltaram .6 3. se uniram . já havíamos ouvido falar sobre. Estados Unidos da America. é conhecido mundialmente também pela paixão. mesmo sem domínio no assunto. nos remete a historia da revolução norte. mas ao contrario do que esperavam seus pedidos não foram atendidos. assim.americana e francesa e para executar esta etapa nos foi necessário. A FORMAÇÃO HISTORICA E PARTICULAR DOS ESTADOS UNIDOS E FRANÇA. obtiveram ajuda de outras tropas e partiram em busca de sua liberdade em 1776 foi escrita a Declaração de Independência dos Estados . Duas observações surgiram no momento de discussão e permearam nossos estudos sobre o tema proposto. formaram uma comissão que funcionaria como sua voz perante a nobreza e buscaria os poucos direitos que tinham e lhe foram tomados. não nos soava como algo novo. criou taxas abusivas. precisou se reerguer financeiramente e viu como uma das formas de fazer isso. empenhar tempo e disposição para realmente entender o que nos foi pedido. o que não foi o caso da revolução norte – americana. usar essas colônias em seu favor. patriotismo e festa democrática de seu povo. que colonizava as 13 colônias da America do norte. Após sair de uma guerra longa. Inglaterra. então os colonos se armaram .

vezes se completa. mostrar sua luta e ajudar outras colônias e conquistas o tão sonhado dia de sua liberdade. iniciou uma serie de lutas e acontecimentos que levaram a abolição da servidão e os direitos feudais e proclamou os princípios universais de "Liberdade. A frança que foi umas das tropas a guerrear ao lado dos estados unidos e motivada pelas conquistas dos norte americano e influenciada pelos ideias iluministas. em 26 de agosto de 1789 escreveu em assembleia a declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Igualdade e Fraternidade”. foram às primeiras colônias a conseguir sua liberdade.7 Unidos da América”. vezes se enfrenta. que ganhou o mundo e foi a real inspiradora da política dos direitos humanos. Baseado em tudo isso. . esta diretamente ligada e é resultado de toda historia que vezes se confundem. o que sempre Foi uma preocupação dos franceses. sendo desde aquela época espalhada pelo mundo. aboliu a monarquia o regime hierárquico se tornando Estados Unidos da America uma nação de historia marcada por lutas. desses dois países. de poder. acreditamos que o fato de hoje os Estados unidos ter um povo tão patriota e valorizar tanto a democracia e a frança ser o berço dos direitos humanos. por união e pela paixão pela democracia. que é a representação da liberdade do País.

guerras civis. colônias buscando autonomia. A crise do antigo regime não se limitou a França e nem a Revolução Francesa foi um fenômeno isolado. por ultimo e não menos importante. nos levou mais a fundo da revolução francesa. O Terceiro relatório parcial. como dissemos a cima. nos atentando a detalhes que passaram despercebidos. Estados lutando por independência e no meio de tudo isso a Revolução Francesa pode ser apontada como a que teve maior alcance e repercussão. nas etapas anteriores. como guerras internas. AS PRICIPAS TEMÁTICAS ABORDADAS NO TEXTO “A Era das Revoluções 1789-1848” HOBSBAWN. Estado com maior população e poder de toda a Europa. varias revoltas marcaram o final do século. algumas coisas começaram a ficarem mais claras para o grupo e o entendimento já não foi tão dificultoso. O final do século XVIII foi marcado por uma série de revoltas e agitações políticas nos diversos cantos do planeta. revoluções. em segundo por que esta revolução foi ainda mais radical que outras revoltas que haviam acontecido antes dela e em terceiro por que outros países que fizeram parte da revolução estavam preocupados com outras coisas e resolvendo outros problemas. percebendo ligações.8 4. referente ao passo 4 da etapa 2 das atividades pratica supervisionado de sociologia. Primeiramente porque aconteceu na frança. entretanto suas consequências foram mais profundas. ERIC. que antes não nos eram claras. construímos um caminho e nesse momento estamos entrando. promoveu a . a fundo na historia da revolução francesa. a revolução Francesa foi a única marcada por um caráter ecumênico.

Suas exigências foram norteadoras da famosa Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. de um Estado secular com liberdades civis e garantias para a empresa privada e de um governo de contribuintes e proprietários. mas acreditamos que todos esses acontecimentos e lutas fizeram com que a revolução francesa se tornasse um marco em todos os países. de 1789. os burgueses. Um grupo foi responsável por dar a unidade efetiva ao movimento revolucionário. a frança sofreu muito mais perseguição e o conflito entre o velho regime e as forças ascendentes foi ainda agudo. mas não um manifesto a favor de uma sociedade democrática e igualitária. eram sempre prejudicados. o poder com a elite do terceiro setor. pois não podiam interferir. não estavam felizes com a situação que enfrentavam com a monarquia. era um Estado livre. O que o burguês queria. Ou seja. a “burguesia”. mas eleitos. O burguês liberal clássico não era democrata. que tivesse. pagavam impostos e não teriam nunca chance de chegar ao poder. seus lideres eleitos. . vinha por hereditariedade. mantendo assim. Ficou-nos claro que essas ainda não foram todas as lutas enfrentadas pela frança no processo de revolução e pós-revolução. Justamente por isso. pelas empresas privadas e pelos contribuintes. A característica marcante desse documento é ser contra a sociedade hierárquica e de privilégios da nobreza. mas sim um devoto do constitucionalismo. de estabelecimentos.9 união de todos inclusive da igreja. porque o mesmo. pelos proprietários de terras.

o fato é que independe da diversidade de opiniões que rodeiam o tema. imaginamos que nosso nível de conhecimento em relação a este tema era bom. não tem como obrigar nenhum deles a cumprir com as medidas impostas. referente à etapa 3 desta atps. dos elogios e em modo geral. tantos fatos.10 5. falamos muito do que sabíamos dos achismos. é apenas a partir da segunda metade do século XX que o reconhecimento desses direitos passa a ser concretizado internacionalmente pela . das criticas. Há quem diga que os direitos humanos tem origem divina. do senso comum. resolvemos nos prender a historia da fundação do direito internacional dos direitos humanos. Há muitos anos o homem já entende que existem certos direitos que ele tem por merecimento apenas pelo fato de ser um ser humano e que obviamente estes direitos são comuns a todos os outros homens. Todavia. No quarto relatório parcial. após ler o texto que nos foi proposto. organizações. por exemplo. países. outros alegam que os países só se comprometeram porque a ONU. que usam os direitos humanos para seu próprio interesse. conversamos muito sobre os direitos humanos. fomos novamente surpreendidas a nos deparar com tantos detalhes históricos. há quem diga que há pessoas. tantas manifestações que se fizeram necessária para que hoje pudéssemos ser respaldado por ele. OS PRINCIPAIS MARCOS DA AFIRMAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS.

estar sempre em transformações.11 elaboração de cartas de direitos. tratados e convenções internacionais. o Tribunal de Nuremberg estabelece a responsabilidade individual pela sua proteção. e da incorporação do tema na elaboração da política externa de diversos Estados. econômicos e sociais. nem sempre é bom. em 26 de junho de 1945 a Carta das Nações Unidas ou Carta da ONU foi o documento fundante da Organização e reconhece como legítima a preocupação internacional com os direitos humanos. a ONU precisa estar pronta para garantir. políticos. jamais terão fim. existira quem os defenda. e como a sociedade. os fóruns. . a carta de fundação do Tribunal de Nuremberg em 1945-1946 e a Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948. que os direitos humanos abordam. As assembleias. o mundo. e a Declaração Universal dos Direitos Humanos que foi adotada e proclamada em 10 de dezembro de 1948 pela Assembleia Geral das Nações Unidas veio a definir com precisão os “direitos humanos e liberdades fundamentais” enumerando o conjunto de direitos civis. considerados fundamentais. sendo eles: A assinatura da Carta de fundação da Organização das Nações Unidas (ONU) em 1945. Assinada em São Francisco. Alguns marcos foram fundamentais para a firmação dos diretos humanos internacionais. mesmo que por intervenção que esses direitos básicos chegarão a cada ser humano em qualquer lugar do mundo. universais e indivisíveis. os diálogos sobre todos os temas. enquanto houver seres humanos com direitos básicos.

aquela tribo indígena que é cada vez mais usurpada de seu espaço. como algo não aplicável verdadeiramente. devido à superlotação dos presídios raramente consegue ser garantido. A REALIDADE DOS DIREITOS HUMANOS NO BRASIL. direitos . ou apenas em dias que ela sentiu medo. direitos. é totalmente diferente do que deveria ser direitos humanos neste país. são humanos. algo que precisou de tanta luta para se afirmar. conquistas. que teve tantos pensadores. dias de frio. declarações. sem algo que lhe garanta segurança em dias de chuva. ou aqueles. Depois de ler inúmeros artigos. Para essas pessoas. documentos. o que a eles. que cresce sem referencia. O que os direitos humanos garantem a eles? Nada. e que precisam do mínimo de condições de subsistência. certa esperança. mas chegou ao fim. de seu meio. Mas os miseráveis. foi gerado em nosso coração. afinal. que cheiram mal e que tentam limpar os vidros de seu carro com uma água que provavelmente vai apenas mancha-lo mais. por mais que suas atitudes neguem isso. aquele idoso que trabalhou a vida toda. usurpado de sua historia. sem alguém para lhe cuidar. não pode ser aceito hoje. sem teto. de família. os analfabetos. de lar. aquela criança. algo que surgiu de uma forma primitiva e foi evoluindo. nem conhecidos é. O fato é que a realidade que nos cerca.12 6. os excluídos. e defensores de causa. que relatam a historia de tantas revoluções. cartas. serve apenas para nos lembrar esporadicamente que alguns delinquentes e criminosos.

que fede que é feia. vazias. Se pudesse dar um conselho a quem ainda não chegou. antes mesmo de abrir seus olhinhos. do futebol. só lhes deixam com saudade de algo que eles nunca conheceram efetivamente. são apenas palavras. da biodiversidade. embaixo da maquina. encher teu pulmão de ar. os trabalhadores são as engrenagens da maquina. que não têm atrativos e que muitas vezes. não é o produto final. mais vazias que seus próprios estômagos que roncam de fome. do descaso. a estopa suja de graxa. chegam a suprir sua real necessidade. terra da diversidade.”. terra da desigualdade. da união entre os povos. terra do desumano. diria. os não dignos dos direitos humanos universais. terra da alegria.13 humanos. reze e peça para não ser mais um órfão da grande Mãe Gentil. E aquela estopa. suja. a força do brasileiro é a energia que a faz funcionar. da felicidade. “antes de você nascer. empurrada pela bota Louis Vuitton. a garra é o movimento das engrenagens. o dinheiro é quem da à ordem para quem comanda a maquina. então que serventia teria? Nenhuma! “Welcome to Brazil”. nem para votar servem. dar seu primeiro choro. ou talvez pelo fato de serem analfabetos. jogada no canto da sala. Às vezes. raramente. os pesquisadores. terra que acolhe quem chega e que despreza quem nasce. é toda a parte de comando. computadorizada. . do samba. não. ao contrario do que todos pensam. do carnaval. só para o povo provar. intelectuais. ou por não ter idade. Pensamos que nosso país funciona como uma grande maquina o governo. em casos especiais. edições limitadas de direitos são distribuídas. mas nem de longe. o dinheiro. para onde ninguém veja e também não precise limpa-la. ou por ter passado dela. sentir o gostinho doce de se ter o mínimo de valor pra sociedade. são eles. são responsáveis por fazer os comandos funcionarem bem.

textos extensos de linguagem cientifica. como cartas. sempre tentando trazer os temas para o trabalho do assistente social. e o fato da solidariedade orgânica estar ligada a uma sociedade moderna e capitalista. Como já dissemos outras vezes ao longo desta. o grupo se deparou com uma serie de temas ate então nunca estudados por nenhuma de nós. mas do que nunca o uso de um dicionário ao nosso lado.14 CONSIDERAÇÕES FINAIS Ao dar inicio as atividades pratica supervisionadas de sociologia. Depois de entender a relação entre esses elementos. palavras desconhecidas e foi-se necessário. coletiva e a solidariedade mecânica e orgânica. documentos. Nossa linha de raciocínio permeou o tema “direitos humanos”. que por meio das divisões de trabalho social acaba se tornando uma sociedade . conhecendo e estudando sua teoria sobre a consciência individual. para nos garantir o sucesso da execução de tudo que nos foi proposto. Começamos em Émile Durkheim. mas a matéria foi tomando forma e às respostas se enredando e foi exatamente nesta busca que formamos nossa base e linha de raciocínio. ou como ferramenta online. nesses dias passamos momentos muito ricos em diversidade de opiniões e acrescentou muito ao conhecimento mutuo. que possibilitou a execução e entendimento de todo o restante da atividade sendo de grande importância para o resultado final do estudo. De inicio pareceu-nos um tanto complexo. a relação da consciência coletiva com a solidariedade mecânica.

acessado em 25 de novembro de 2012. às 14h. • • • • . de assegurar que todos tenham seus direitos garantidos.americana. às 14h. Paulo Silvino. discutimos e adentramos na historia. do papel da ONU em tudo isso e por fim. o que nos remete quase que instantaneamente a responsabilidade de nossa profissão. Declaração de Direitos do bom povo de Virginia.br/durkheim.com. muito mais detalhadamente. às 14h.pdf. Renato. Depois passamos pela revolução francesa.br/2002/_pdfs/dhu.com. contemplados nas etapas seguintes desta atps.com/sociologia/Emiledurkheim-os-tipos-solidariedade-social.uol.rolim. RIBEIRO. acessado em 25 de novembro de 2012.htm. Igualdade e Fraternidade" que foram a real inspirador da política dos direitos humanos. disponível em: http://educacao. a partir dai da revolução francesa e dos princípios universais de "Liberdade. revolução norte. Referências Bibliográficas • Declaração Universal dos Direitos Humanos. CANCIAN.brasilescola.br/disciplinas/sociologia/. de zelar pelos direitos dos cidadãos. menos voltada para o coletivo e focada nas necessidades de cada individuo que se relaciona dentro dela. direitos esses. as 14h45.culturabrasil. acessado em 25 de novembro 25 de novembro de 2012. primeiro falando de sua historia.rolim. A sociologia em Émile Durkheim: disponível em: http://www. dos direitos humanos em nosso país. disponível em: http://www. de assistir aos necessitados e lhes dar condições de vida digna.com. disponível em: http://www. Divisão do trabalho social. às 14h.pro. acessado em 25 de novembro de 2012.pdf.15 mais individualista. Émile Durkheim: os tipos de solidariedade social. acessado em 25 de novembro de 2012. de tornalos protagonistas de sua própria historia. de como se tornou internacional e universal. Disponível em: http://www.br/2002/_pdfs/0611.htm.

Os Direitos Humanos e a Política Internacional. REIS.br/a-onu-emacao/a-onu-e-os-direitos-humanos. as 16h37.terra. às 16h.pdf. americana e francesa II.htm. disponível em: http://www. americana e francesas I. A Era das Revoluções 1789-1848.org. disponível em: http://educaterra.htm.br/voltaire/politica/2008/05/22/001. acessado em 25 de novembro às 17h.com/sociologia/luta-de-classes. disponível em: http://www.br/cemarx/anais_v_coloquio_arquivos/arquivos/comunicacoes/gt 2/sessao1/Wilson_Vieira.onu. resenha. Rossana Rocha. O universalismo dos debates. HOBSBAWN. • • As revoluções liberais.com.com/estrategias-ensino/a-independencia-dos-euarevolucao-francesa.htm. disponível em: http://www. A revolução Francesa. acessado em 25 de novembro. as 16h12. .artigonal.html. disponível em: http://www.recantodasletras. disponível em: http://educador.com.pdf. A independência dos EUA e a revolução francesa. acessado em 25 de novembro. Acessado em 25 de novembro. as 16h40. disponível em: http://www. acessado em 25 de novembro. as 16h43. disponível em: http://educaterra. as 19h00. acessado em 25 de novembro as 19h15.com.brasilescola. Eric.br/resenhas/1779346. acessado em 25 de novembro.unicamp.16 • Luta de classes.scielo. acessado em 25 de novembro. As revoluções liberais. • • • • • • A ONU e os direitos humanos. disponível em: http://www.br/voltaire/politica/2008/05/22/000.com/ensino-superiorartigos/a-revolucao-francesa-985177.infoescola.terra.br/pdf/rsocp/n27/04. acessado em 25 de novembro as 18h30.

17 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful