Você está na página 1de 32

ANUNCIAÇÃO DO SENHOR 5

SOLENIDADE
VÉSPERAS I
Música de YÜA fA VÉÜwx|ÜÉ? ává
Hino

Estrofes
             
           
  
Na ple - ni - tu - de dos tem - pos, Cum - pri - das as
      
pro - fe -
   
           
ci - as, Um An - jo des - ce do Céu A a-nun -
             
            
ci - ar o Mes - si - as, A a-nun - ci - ar o Mes - si - as.

     
   
Refrão
      
  
 
No sei - o da Vir-gem Mãe, Sa - crá - rio da di - vin -
       
         
  
da - de, Nós Te a-do - ra - mos o - cul - to, Sal -va -
   
       
dor da hu - ma - ni - da - de.

"Cumpra-se a tua vontade",


Ao Anjo de Deus disseste,
E o Verbo eterno incriado
Em teu seio concebeste.

Deus Te salve, claro exemplo


Da Igreja peregrina,
Arca da Nova Aliança
Cheia de Graça divina.
6 Anunciação do Senhor
Salmodia
      
Ant. 1       
             
B ro - ta - rá um ra - mo do tron - co de Jes - sé, cres - ce -
            
        
      

rá um re - ben-to das su -as ra - í - zes. So-bre E - le re -pou-sa -
       
               
   

rá o Es - pí - ri - to do Se - nhor. (T.P. A - le - lu - ia. )


Salmo 112
       
      
Louvai, servos do Se - nhor, louvai o nome do Se - nhor.
         
   
Bendito seja o nome do Se - nhor, agora e pa-ra sem - pre.
   
     
 
cer
 
Desde o nas - ao pôr do sol,

     
seja louvado o nome do Se - nhor.
O Senhor domina sobre todos os povos, *
a sua glória está acima dos céus.
Quem se compara ao Senhor nosso Deus, *
que tem o seu trono nas alturas
e Se inclina lá do alto *
a olhar o céu e a terra?

Levanta do pó o indigente *
e tira o pobre da miséria,
para o fazer sentar com os grandes, *
com os grandes do seu povo,
e, no lar, transforma a estéril *
em ditosa mãe de família.
Vésperas I 7

           
Ant. 2              
O Se-nhor Deus lhe da - rá o tro - no de seu pai Da -
            
   
             
 
vid e o seu rei - no não te - rá fim. (T.P.A - le - lu - ia.)

   
Salmo 147

  

Glorifica, Jerusalém,

o Se - nhor,

    
louva, Sião, o teu Deus.

Ele reforçou as tuas portas *


e abençoou os teus filhos.
Estabeleceu a paz nas tuas fronteiras *
e saciou-te com a flor da farinha

Envia à terra a sua palavra, *


corre veloz a sua mensagem.
Faz cair a neve como lã, *
espalha a geada como cinza.

Faz cair o granizo como migalhas de pão *


e com o seu frio gelam as águas.
Envia a sua palavra e derrete-as, *
faz soprar o vento e correm as águas.

Revelou a sua palavra a Jacob, *


suas leis e preceitos a Israel.
Não fez assim com nenhum outro povo, *
a nenhum outro manifestou os seus juízos.
8 Anunciação do Senhor

          
Ant. 3             
H o - je

o Ver - bo di - vi - no ge - ra - do pe - lo
   
          
Pai an - tes de to - dos os tem - pos,

             3 
         
a ni - qui - lou - Se a Si pró - prio fa - zen -do - Se
   
              
ho - mem por nos - so a - mor. (T.P. A - le - lu - ia.)
Cântico
 Filip 2, 6-11

   
   
Cristo Jesus, que era de condição di - vi - na,

      
não Se valeu da sua igualdade com Deus,+
mas aniquilou   Se a Si pró -pri - o.

Assumindo a condição de servo, *


tornou-Se semelhante aos homens.
Aparecendo como homem, humilhou-Se ainda mais, *
obedecendo até à morte e morte de cruz.

Por isso, Deus O exaltou *


e Lhe deu o nome que está acima de todos os nomes,
para que ao nome de Jesus todos se ajoelhem, *
no céu, na terra e nos abismos,
e toda a língua proclame que Jesus Cristo é o Senhor, *
para glória de Deus Pai.

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo, *


como era no princípio, agora e sempre. Amen.
Vésperas I 9

Cântico Evangélico
À enunciação do Magnificat todos se benzem. (Cf. Cap. V nº 266 b) - IGLH)

    3   
Ant.                   
O Es - pí - ri - to San - to
 
des -ce - rá so - bre ti, Ma - ri - a,
           
                
     
e a vir - tu - de do Al - tís - si - mo te co - bri -
     
    
         
 
rá com su - a som - bra, e a vir - tu - de do Al -
 
              

tís - si - mo te co - bri - rá com su - a som - bra.
   
       
    

(T.P.A- le - lu - ia.)

    
Lc 1, 46-55
    
 
nha alma glorifica o Se - nhor,
  
A mi -

     
e o meu espírito se alegra em Deus, meu Sal - va - dor.

Porque pôs os olhos na humildade da sua serva: *


de hoje em diante me chamarão bem-aventurada todas as gerações.
O Todo-Poderoso fez em mim maravilhas: *
Santo é o seu nome.

A sua misericórdia se estende de geração em geração *


sobre aqueles que O temem.
Manifestou o poder do seu braço *
e dispersou os soberbos.
10 Anunciação do Senhor

Derrubou os poderosos de seus tronos *


e exaltou os humildes.
Aos famintos encheu de bens *
e aos ricos despediu de mãos vazias.

Acolheu a Israel, seu servo, *


lembrado da sua misericórdia,
como tinha prometido a nossos pais, *
a Abraão e à sua descendência para sempre.

PRECES
        

       
Dai - nos, Se - nhor, a vos - sa gra - ça.

+
Ofício de Leitura 11

Hino
  
Estrofes
 
               

R a - i - nha dos
      
An - jos pu - - ra, Do
      
    
céu e ter - ra a - le - gri - a:

  Refrão
     
  
          
Ó Vir - gem,
  
chei - a de gra - ça, Eu Te sa -
       
      
ú - do, ó Ma - ri - a. Ó Vir - gem chei - a de
        
            
gra - ça, Eu Te sa - ú -do, ó Ma - ri - a.

Tu és para os infelizes
Esp'rança, conforto e guia:
Ó Virgem, cheia de graça,
Eu Te saúdo, ó Maria.

Como astro de doce brilho,


Por nós velas noite e dia:
Ó Virgem, cheia de graça,
Eu Te saúdo, ó Maria.

Assiste-nos carinhosa
Na tristeza e na alegria:
Ó Virgem, cheia de graça,
Eu Te saúdo, ó Maria.
12 Anunciação do Senhor

Salmodia

      
Ant. 1           

A o che - gar a ple - ni - tu - de dos
     
           
     
 
tem - pos,
 
Deus en - vi - ou
   
o seu Fi - lho nas -
             

     
ci - do du - ma mu - lher, pa - ra nos tor - nar seus

         
  
fi - lhos a - dop - ti - vos. (T.P. A - le - lu - ia. )


Salmo 2
     
  

Porque se agitam em tumul - na - ções

to as
     
    
e os povos inten - - tam vãos pro - jec - tos?
   
       
ter - ra
   
Revoltam - - -

se os reis da
     
e os príncipes conspiram juntos +
contra o Senhor e con  tra o seu Un - gi - do:


       
«Quebremos as su - - as al - ge - mas

   
   

e atiremos para lon - - ge o seu ju - go».
Ofício de Leitura 13
Aquele que mora nos Céus sorri, *
o Senhor escarnece deles.
Então lhes fala com ira *
e com sua cólera os atemoriza:
«Fui Eu quem ungiu o meu Rei *
sobre Sião, minha montanha sagrada».
Vou proclamar o decreto do Senhor, *
Ele disse-me: «Tu és meu Filho, Eu hoje te gerei.
Pede-me e te darei as nações por herança *
e os confins da terra para teu domínio.
Hás-de governá-los com ceptro de ferro, *
quebrá-los como vasos de barro».

E agora, ó reis, tomai sentido, *


atendei, vós que julgais a terra.
Servi ao Senhor com temor, aclamai-O com respeito. *
Reverenciai-O para que não Se irrite, e fiqueis perdidos;
porque num repente se inflama a sua ira. *
Felizes todos os que confiam no Senhor.

Glória ao Pai e ao Filho *


e ao Espírito Santo,
como era no princípio, *
agora e sempre. Amen.
(Esta estrofe canta-se com a melodia
do 1º, 2º, 5º e 6º membros musicais.)

      
Ant. 2             
C ris - to,
  
ao en - trar no mun - do, dis - se:
         
     
          

    
For - mas -te - Me um cor po; Eu ve - nho, ó

-

             
Deus, pa - ra fa - zer a tu - a von - ta - de.
  
     
(T.P. A - le - lu - ia. )
14 Anunciação do Senhor


Salmo 18 A
 
     
ria

Os céus proclamam a gló - - de Deus
 
     
e o firmamento anuncia a obra das su - as mãos.

O dia transmite ao outro esta mensagem *


e a noite a dá a conhecer à outra noite.

Não são palavras nem linguagem *


cujo sentido se não perceba.
O seu eco ressoou por toda a terra *
e a sua notícia até aos confins do mundo.

Aí levantou uma tenda para o sol, *


donde sai como esposo de seu tálamo, +
a percorrer alegremente como atleta o seu caminho.
Parte dum extremo do céu *
e no outro termina o seu curso: +
nada escapa ao seu calor.

        
                
Ant. 3

A s - sim se ma - ni - fes - tou o a-mor de Deus pa - ra con -
     


           
nos - co: Deus en - vi - ou ao mun - do o seu
        
  
      
    
Fi - lho U-ni - gé - ni - to, pa - ra que vi - va - mos por E - le,
         
            
pa - ra que vi - va - mos por E - le. (T.P. A - le - lu - ia. )
Ofício de Leitura 15
Salmo 44
   
O meu coração vibra com uma ideia fe - liz:
 
     
 Vou dedicar ao Rei o

meu po - e - ma.

     
Minha língua é pena de há - bil es - cri - ba.
Sois o mais belo dos filhos dos homens, +
a graça se derrama em vossos lábios, *
por isso Deus Vos abençoou para sempre.

Cingi a espada à cintura, poderoso herói, +


cheio de esplendor, avançai para o combate *
em defesa da verdade, da mansidão e da justiça.

A vossa direita realizará feitos grandiosos: +


as vossas setas são aguçadas; a Vós se submetem os povos. *
Perdem ânimo os inimigos do Rei.

O vosso trono, ó Deus, é eterno, +


de justiça é o vosso ceptro real. *
Amais a justiça e odiais a iniquidade.

Por isso o Senhor Deus Vos ungiu com o óleo da alegria +


preferindo-Vos aos vossos companheiros. *
Vossas vestes exalam mirra, aloés e cássia.

Nos palácios de marfim deliciam-Vos os sons da lira, +


ao vosso encontro vêm filhas de reis, *
à vossa direita, a rainha ornada com ouro de Ofir.

 Ouve, filha, vê e presta atenção, *


esquece o teu povo e a casa de teu pai.
De tua beleza se enamora o Rei; *
Ele é o teu Senhor, presta-Lhe homenagem.
A cidade de Tiro vem com presentes, *
os seus nobres imploram o teu favor.
16 Anunciação do Senhor
A filha do Rei avança cheia de esplendor, *
de brocados de ouro são os seus vestidos.
Com um manto multicolor é apresentada ao Rei, *
seguem-na as donzelas, suas companheiras.
Cheias de alegria e entusiasmo, *
entram no palácio do Rei.

Em lugar de teus pais, terás muitos filhos, *


estabelecê-los-ás príncipes sobre toda a terra.

Celebrarei o vosso nome, de geração em geração *


e os povos hão-de louvar-Vos para sempre.

  
Versículo
           

V. O Verbo Se fez car - ne. (T.P. A - le - lu - ia. )
 
          
  
R. E habitou en - tre nós. (T.P.A - le - lu - ia.)

Ofício de Vigília
              
Ant.        
E  xul - ta de a-le - gri - a, fi - lha de Si - ão. Eu
        
      

 
ve - nho ha- bi - tar no mei - o de ti, diz

          
 
o Se - nhor. (T.P. A - le - lu - ia. )
Cântico I
    Is 9,2-7  
      
po - vo que anda tre - vas

O - va nas
     
 
viu uma gran - de luz;
Ofício de Vigília 17

para aqueles que habitavam nas sombras da morte *


uma luz começou a brilhar.

Multiplicastes a sua alegria, *


aumentastes o seu contentamento.
Rejubilam na vossa presença, *
como os que se alegram no tempo da colheita, +
como exultam os que repartem os despojos.

Vós quebrastes, como no dia de Madiã, *


o jugo que pesava sobre o povo,
o madeiro que ele tinha sobre os ombros *
e o bastão do opressor.

E todo o calçado ruidoso da guerra, *


toda a veste manchada de sangue,
serão lançados ao fogo *
e tornar-se-ão pasto das chamas.

Um menino nasceu para nós, um filho nos foi dado. *


Tem o poder sobre os ombros
e será chamado «Conselheiro admirável, Deus forte, *
Pai eterno, Príncipe da paz».

O seu poder será engrandecido numa paz sem fim *


sobre o trono de David e sobre o seu reino,
para o estabelecer e consolidar
por meio do direito e da justiça, +
agora e para sempre. *
Assim o fará o Senhor do Universo.

Cântico II


Is 26, 1-4.7-9.12
  
      
Nós temos em Sião uma for - te,
 
ci - da - de
 
      
o Salvador é sua mura - lha e ba - lu - ar - te.
18 Anunciação do Senhor

Abri as portas para que entre um povo justo, *


um povo que pratica a fidelidade.

O seu coração está firme e conserva a paz, *


porque em Vós tem confiança.
Confiai sempre no Senhor, *
Ele é a nossa fortaleza eterna.

O caminho do justo é recto, *


é plana a vereda por onde caminha.
Pela vereda dos vossos juízos, nós Vos esperamos, Senhor: *
o vosso nome e a vossa herança +
são o desejo da nossa alma.

Por Vós suspira a minha alma durante a noite, *


o meu espírito Vos procura desde a aurora.
Quando brilharem na terra os vossos juízos, *
os habitantes do universo aprenderão a justiça.

Senhor, Vós nos dareis a paz, *


porque em nosso favor realizastes obras grandiosas.
Cântico III
 Is 66, 10-14a
 
     
Alegrai_vos com Je ru - sa - lém,

- -

   
   
exultai com ela, todos vós que a a - mais.
Com ela, enchei-vos de júbilo, *
todos vós que participastes no seu luto.

Assim podereis beber e saciar-vos *


com o leite das suas consolações:
podereis deliciar-vos *
no seio da sua magnificência.

Porque assim fala o Senhor: *


«Farei correr para Jerusalém a paz como um rio +
e a riqueza das nações como a torrente que transborda.
Ofício de Vigília 19
Seus meninos de peito serão levados nos braços *
e sobre os joelhos cumulados de carícias.
Como a mãe que anima o seu filho, *
também Eu vos confortarei: +
em Jerusalém sereis consolados.

Quando O virdes, alegrar-se-á o vosso coração *


e, como a verdura, retomarão vigor os vossos membros».
            
Ant.            
E  xul - ta de a-le - gri - a, fi - lha de Si - ão. Eu
      
         


ve - nho ha- bi - tar
 no mei - o de ti, diz
         
 

 
o Se - nhor. (T.P. A - le - lu - ia.)
EVANGELHO Mt 1, 18-24
Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo segundo S. Mateus
O que nela se gerou é fruto do Espírito Santo

O nascimento de Jesus deu-se do seguinte modo:


Maria, sua Mãe, noiva de José, antes de terem vivido em comum
encontrara-se grávida por virtude do Espírito Santo. Mas José, seu esposo,
que era justo e não queria difamá-la, resolveu repudiá-la em segredo.
Tinha ele assim pensado, quando lhe apareceu num sonho o Anjo do
Senhor, que lhe disse: «José, filho de David, não temas receber Maria, tua
esposa, pois o que nela se gerou é fruto do Espírito Santo. Ela dará à luz
um Filho, e tu pôr-Lhe-ás o nome de Jesus, porque Ele salvará o povo
dos seus pecados».
Tudo isto aconteceu para se cumprir o que o Senhor anunciara por
meio do Profeta, que diz: «A Virgem conceberá e dará à luz um filho,
que será chamado 'Emanuel', que quer dizer 'Deus connosco'».
Quando despertou do sono, José fez como o Anjo do Senhor lhe
ordenara e recebeu sua esposa.
Hino Te Deum .
Oração do Próprio.
20 Anunciação do Senhor

INVITATÓRIO
        
          
Ant.           
O Ver-bo Se fez car - ne e ha - bi - tou en - tre
     

     
 
         

    
 
nós: Vin - - de, a - do - re - mos.

      
      
(T.P. A - le - lu - ia. )
Salmo 99
 
    

Aclamai o Senhor, ter - ra in - tei - ra,

   

 
servi o Senhor com a - le - gri - a,
 
     
vinde a Ele com cânti - - cos de júbi - lo.Ant.ª

Sabei que o Senhor é Deus, *


Ele nos fez, a Ele pertencemos, +
somos o seu povo, ovelhas do seu rebanho. Ant.ª

Entrai pelas suas portas dando graças, *


penetrai em seus átrios com hinos de louvor, +
glorificai-O, bendizei o seu nome. Ant.ª

Porque o Senhor é bom, *


eterna é a sua misericórdia, +
a sua fidelidade estende-se de geração em geração. Ant.ª

Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo, *


ao Deus que é, que era e que vem, +
pelos séculos dos séculos. Amen. Ant.ª
LAVDES 21
Hino
           
Estrofes
 
            

Já as som-bras se dis - si - pam, Já a au - ro - ra se le - van - ta:
         

                
Pa - ra ser Mãe de seu Fi - lho, Deus es - co -lhe a Vir - gem
   
       
         
san - ta. Pa - ra ser Mãe de seu Fi - lho, Deus es -
   
       

co - lhe a Vir - gem san - ta.
Uma nova humanidade
Sobre o pecado se eleva:
Bendita a Virgem Maria,
Que aceitou ser nova Eva.

Ave, Maria, Senhora,


Cheia da graça de Deus:
Pelo teu sim generoso,
Abriste as portas dos Céus.

Glória seja dada ao Pai


Que o Filho nos enviou
E pelo Espírito Santo
Na Virgem Mãe encarnou.

Salmodia
                
Ant. 1        
   
O An -jo Ga-bri - el foi en - vi - a - do à Es - po-sa de Jo - sé,
  
           
   
a Vir - gem Ma - ri - a. (T.P. A- le - lu - ia.)
22 Anunciação do Senhor

   
Salmo 62

       
Se -nhor, sois o meu Deus: desde a aurora Vos pro - cu - ro.
    
  
A minha alma tem se - - - de de Vós.

Por Vós suspiro *


como terra árida, sequiosa, sem água.

Quero contemplar-Vos no santuário, *


para ver o vosso poder e a vossa glória.
A vossa graça vale mais que a vida: *
por isso os meus lábios hão-de cantar-Vos louvores.

Assim Vos bendirei toda a minha vida *


e em vosso louvor levantarei as mãos.
Serei saciado com saborosos manjares *
e com vozes de júbilo Vos louvarei.

Quando no leito Vos recordo, *


passo a noite a pensar em Vós.
Porque Vos tornastes o meu refúgio, *
exulto à sombra das vossas asas.

Unido a Vós estou, Senhor, *


a vossa mão me serve de amparo.

        
Ant. 2           
     
B en - di - ta sois Vós en -tre as mu - lhe - res
                  
e ben -
   
  
  
di - to é o fru - to do vos -so ven - tre. E ben - di - to é o
      
    
          

fru - to do vos - so ven - tre. (T.P. A - le - lu - ia.)
Lavdes 23
Cântico

   
Dan 3, 57-88.56
     
Obras do Senhor, bendizei o Se - nhor,
  

     
louvai_O e exaltai_O pa - ra sem - pre.
Céus, bendizei o Senhor, *
Anjos do Senhor, bendizei o Senhor, *
Águas que estais sobre os céus, bendizei o Senhor, *
poderes do Senhor, bendizei o Senhor.
Sol e lua, bendizei o Senhor, *
estrelas do céu, bendizei o Senhor.

Chuvas e orvalhos, bendizei o Senhor, *


todos os ventos, bendizei o Senhor.
Fogo e calor, bendizei o Senhor, *
frio e geada, bendizei o Senhor.
Orvalhos e gelos, bendizei o Senhor, *
frios e aragens, bendizei o Senhor.
Gelos e neves, bendizei o Senhor, *
noites e dias, bendizei o Senhor.
Luz e trevas, bendizei o Senhor, *
relâmpagos e nuvens, bendizei o Senhor.

Bendiga a terra o Senhor, *


louve-O e exalte-O para sempre.
Montes e colinas, bendizei o Senhor, *
tudo o que germina na terra bendiga o Senhor.
Fontes, bendizei o Senhor, *
mares e rios, bendizei o Senhor.

Monstros e animais marinhos, bendizei o Senhor, *


aves do céu, bendizei o Senhor.
Animais e rebanhos, bendizei o Senhor, *
homens, bendizei o Senhor.
24 Anunciação do Senhor

Bendiga Israel o Senhor, *


louve-O e exalte-O para sempre.
Sacerdotes do Senhor, bendizei o Senhor, *
servos do Senhor, bendizei o Senhor.
Espíritos e almas dos justos, bendizei o Senhor, *
santos e humildes de coração, bendizei o Senhor.
Ananias, Azarias, Misael, bendizei o Senhor, *
louvai-O e exaltai-O para sempre.

Bendigamos o Pai, o Filho e o Espírito Santo; *


louvemo-l'O e exaltemo-l'O para sempre.
Bendito sejais, Senhor, no firmamento dos céus, *
a Vós, o louvor e a glória para sempre.
Não se diz Glória

          
Ant. 3              
  
Pe - lo seu con -sen - ti - men - to a Vir-gem con - ce - beu
     
          
   
e, per - ma - ne - cen - do Vir - gem, deu à
       
        
luz o Sal - va - dor. (T.P. A - le - lu - ia. )

   
Salmo 149
      
Cantai ao Senhor um no - vo,
 
cân - ti - co

     
cantai ao Senhor na assemblei - a dos san - tos.

Alegre-se Israel em seu Criador, *


rejubilem os filhos de Sião em seu Rei.
Lavdes 25
Louvem o seu nome com danças, *
cantem ao som do tímpano e da cítara,
porque o Senhor ama o seu povo, *
coroa os humildes com a vitória.

Exultem de alegria os fiéis, *


cantem jubilosos em suas casas;
em sua boca, os louvores de Deus, *
em sua mão, a espada de dois gumes:

para tirar vingança das nações *


e aplicar o castigo aos povos,
para ligar os seus reis com cadeias *
e os nobres com algemas,
para executar neles a sentença escrita. *
Esta é a glória de todos os seus fiéis.
Cântico Evangélico
À enunciação do Benedictus todos se benzem. (Cf. Cap. V nº 266 b) - IGLH)
    
  
Ant.             
Pe - la gran - de ca - ri - da - de com que nos a - mou,
    
      
         
      
Deus en - vi - ou o seu Fi - lho, que Se fez
 
         
 

ho - mem se - me - lhan -te a nós, pe - ca - do res.
 
-

       
   
(T.P. A - le - lu - ia. )
  
Lc 1, 68-79
     


Ben - di - to o Senhor Deus d'Isra el

-

     
que visitou e redimiu o seu po - vo.
26 Anunciação do Senhor

e nos deu um Salvador poderoso *


na casa de David, seu servo,
conforme prometeu pela boca dos seus santos, *
os profetas dos tempos antigos,

para nos libertar dos nossos inimigos *


e das mãos daqueles que nos odeiam
para mostrar a sua misericórdia a favor dos nossos pais, *
recordando a sua sagrada aliança
e o juramento que fizera a Abraão, nosso pai, *
que nos havia de conceder esta graça:

de O servirmos um dia, sem temor, *


livres das mãos dos nossos inimigos,
em santidade e justiça, na sua presença, *
todos os dias da nossa vida.

E tu, menino, serás chamado profeta do Altíssimo, *


porque irás à sua frente a preparar os seus caminhos,
para dar a conhecer ao seu povo a salvação *
pela remissão dos seus pecados,

graças ao coração misericordioso do nosso Deus, *


que das alturas nos visita como sol nascente,
para iluminar os que jazem nas trevas e na sombra da morte *
e dirigir os nossos passos no caminho da paz.

PRECES
        
              

In - ter - ce - da por nós a san - ta Mãe de Deus.
VÉSPERAS II 27

Hino I
       
Estrofes
   
          
Lou - ve - mos o Se - nhor, que Se fez ho - mem No
             
 
              
   
pu -rís - si - mo sei - o de Ma - ri - a E ha - bi -tou en -tre
    
               
nós pa - ra sal - var Os fi - lhos do pe - ca - do.

Porque o Verbo de Deus Se fez igual


A todos nós, na dor de cada dia,
Lavando a mancha que de Adão herdámos,
Louvemos ao Senhor.

Porque, descendo ao mundo, restaurou


A vida sobre a Criação inteira,
Porque fez de Maria nossa Mãe,
Louvemos ao Senhor.

Porque vestiu de eternidade o tempo,


Porque deu seivas novas às raízes
E encheu de luz as tendas do deserto,
Louvemos ao Senhor.

Repita a nossa voz a voz da Virgem


Depois de ouvir o que Lhe disse o Anjo
No silêncio do lar de Nazaré:
Louvemos ao Senhor.

OU
28 Anunciação do Senhor
Vésperas II 29

Salmodia
          
Ant. 1               
O An - jo do Se - nhor a - nun-ci - ou a Ma - ri - a,
   
       
     

e E - la con - ce - beu do Es - pí - ri - to
 
          
  
San - to. (T.P. A - le - lu - ia.)

 
Salmo 109
 
      
Senhor ao meu Senhor: «Senta_Te à mi -nha di -rei - ta,

Dis - se o

     

até que Eu faça de teus inimigos escabelo de teus pés».

O Senhor estenderá de Sião o ceptro do teu poder *


e tu dominarás no meio dos teus inimigos.
30 Anunciação do Senhor
«A ti pertence a realeza desde o dia em que nasceste +
nos esplendores da santidade: *
antes da aurora como orvalho, Eu te gerei».
O Senhor jurou e não Se arrependerá: *
«Tu és sacerdote para sempre, +
segundo a ordem de Melquisedec».

O Senhor, à tua direita, *


esmagará os reis no dia da sua ira.
A caminho, beberá da torrente, *
por isso erguerá a sua fronte.
        
Ant. 2              
N ão te - mas,Ma - ri - a, por -que en - con - tras - te
          
            
gra - ça di - an - te de Deus. Con- ce - be - rás e da -
   
            
  
     
rás à luz um Fi - lho, que se - rá cha - ma - do
 

      
 
Fi -lho do Al - tís - si - mo. (T.P. A - le - lu - ia. )


Salmo 129
    
 
Do profundo a - bismo chamo por Vós, Se - nhor,
 
    
Senhor, escutai a mi - nha voz.
Estejam vossos ouvidos atentos *
à voz da minha súplica.

Se tiverdes em conta as nossas faltas, *


Senhor, quem poderá salvar-se?
Mas em Vós está o perdão *
para serdes temido com reverência.
Vésperas II 31

Eu confio no Senhor, *
a minha alma confia na sua palavra.
A minha alma espera pelo Senhor *
mais do que as sentinelas pela aurora.

Mais do que as sentinelas pela aurora, *


Israel espera pelo Senhor,
porque no Senhor está a misericórdia *
e com Ele abundante redenção.
Ele há-de libertar Israel *
de todas as suas faltas.

      

Ant. 3                 

E is a es - cra - va do Se - nhor: fa - ça -se em mim se-gun -do a
   

           
vos - sa pa - la - vra. (T.P. A - le - lu - ia. )
Cântico
 
Col 1, 12-20
     
Dêmos graças a Deus Pai que nos chama a to - mar par - te
 
     
na herança dos santos, na luz di - vi - na.
 
     
Ele nos libertou do po - - - der das tre - vas

      
e nos transferiu para o reino de seu a - ma - do Fi - lho.

N'Ele encontramos a redenção, pelo seu Sangue, *


o perdão dos nossos pecados.
Ele é a imagem de Deus invisível, *
o Primogénito de toda a criatura.
32 Anunciação do Senhor

N'Ele foram criadas todas as coisas, *


no céu e na terra, visíveis e invisíveis,
Tronos e Dominações, Principados e Potestades. *
Por Ele e para Ele tudo foi criado.

Ele é anterior a todas as coisas e por Ele tudo subsiste. *


Ele é a Cabeça da Igreja que é o seu Corpo.
Ele é o Princípio, o Primogénito de entre os mortos: *
em tudo Ele tem o primeiro lugar.

Aprouve a Deus que n'Ele residisse toda a plenitude *


e n'Ele fossem reconciliadas consigo todas as coisas,
estabelecendo a paz pelo Sangue da sua cruz *
com todas as criaturas, na terra e nos céus.

Glória ao Pai e ao Filho *


e ao Espírito Santo
como era no princípio, *
agora e sempre. Amen.

Cântico Evangélico
À enunciação do Magnificat todos se benzem. (Cf. Cap. V nº 266 b) - IGLH)

        
Ant.       
     
O An - jo Ga - bri - el dis - se a Ma - ri - a:
                

       

 
A - ve, ó chei - a de gra - ça, o Se - nhor é con
  
            


vos - co; ben - di
  - ta sois Vós en - tre as mu -
         
  
lhe - res. (T.P. A - le - lu - ia.)
Vésperas II 33

   
Lc 1, 46-55
       
 
mi - nha alma glorifica o Se - nhor,

A
    
   
e o meu espírito se alegra em Deus, meu Sal -va - dor.

Porque pôs os olhos na humildade da sua serva: *


de hoje em diante me chamarão bem-aventurada todas as gerações.
O Todo-Poderoso fez em mim maravilhas: *
Santo é o seu nome.

A sua misericórdia se estende de geração em geração *


sobre aqueles que O temem.
Manifestou o poder do seu braço *
e dispersou os soberbos.

Derrubou os poderosos de seus tronos *


e exaltou os humildes.
Aos famintos encheu de bens *
e aos ricos despediu de mãos vazias.

Acolheu a Israel, seu servo, *


lembrado da sua misericórdia,
como tinha prometido a nossos pais, *
a Abraão e à sua descendência para sempre.

PRECES
Como nas Vésperas I pág. 8

+
34
35

© 2009 Fraternitas Servorum Christi Sacerdotis


Composicion and intelectual music rights reserved.
© Conferência Episcopal Portuguesa
Letter rights reserved