MÁS PALESTRAS

*
“Não vos enganeis; as más conversações corrompem os bons costumes.”

TEMPOS DE FIRMEZA
Nos momentos atuais, temos sido confrontados a tomarmos decisões muito difíceis. Nestes movimentos «alegres», de falatórios, de comilanças, de atrativos, se escondem muitas vezes almas conturbadas. Diante das inúmeras vidas, que nos vão moldando o ser, de acordo com nossas escolhas, não há como nos deixar levar por sentimentalismos, que nos fazem somente ficar parados em meio a uma encruzilhada, na dúvida de qual caminho seguir. O irmão equivocado, assim como nós, seguirá como filho de Deus, moldando seu espírito nas experiências que queira atrair, rumo à perfeição. Não nos é lícito apontar, julgar, posicionar de maneira parcial, quando nem sempre conseguimos compreender o que se passa à nossa própria volta, naquelas mentes que nos rodeiam, na convivência diária. A liberdade não pode andar junto a medos infundados, a preconceitos, a sectarismos... Ela aclara e fortalece, mesmo que estejamos limitados fisicamente, porque não compactua com a sombra, com a matéria. A hora é grave, não há desculpas para sermos tiranos domésticos e falarmos manso nas tribunas. Não há desculpas para acusarmos e acariciarmos depois. Não há desculpas para aprisionarmos e proferirmos palavras em nome da libertação. Somos reencarnacinistas ou não somos; não há mais ou menos. Chegou o momento de nos posicionarmos, amando a Deus em Espírito e em Verdade! De sermos reconhecidos por tanto nos amarmos! Que a união se faça por leis naturais, regidas por Deus! Abraços saudosos, das Ardennas belgas.
Márcia Alves

Geraldo Guimarães

A conversação menos digna deixa sempre o traço da inferioridade por onde passou. A atmosfera de desconfiança substitui, imediatamente, o clima da serenidade, O veneno de investigações doentias espalha-se com rapidez. Depois da conversação indigna, há sempre menos sinceridade e menor expressão de força fraterna. Em seu berço ignominioso, nascem os fantasmas da calúnia que escorregam por entre criaturas santamente intencionadas, tentando a destruição de lares honestos; surgem as preocupações inferiores que espiam de longe, enegrecendo atitudes respeitáveis; emerge a curiosidade criminosa, que comparece onde não é chamada, emitindo opiniões desabridas, induzindo os que a ouvem à mentira e à demência. A má conversação corrompe os pensamentos mais dignos. As palestras proveitosas sofrem-lhe, em todos os lugares, a perseguição implacável, e imprescindível se torna manter-se o homem em guarda contra o seu assédio insistente e destruidor. Quando o coração se entregou a Jesus, é muito fácil controlar os assuntos e eliminar as palavras aviltantes. Examina sempre as sugestões verbais que te cercam no caminho diário. Trouxeram-te denúncias, más notícias, futilidades, relatórios malsãos da vida alheia? Observa como ages. Em todas as ocasiões, há recurso para retificares amorosamente, porquanto podes renovar todo esse material, em Jesus Cristo.
*EMMANUEL (Espírito). Pão Nosso. 18. ed. Psicografado por Francisco Cândido Xavier. Rio de Janeiro: FEB, 2002.

Paulo (I Coríntios, 15:33)

Boletim Esperança
Informe de Estudos Espíritas, RJ, Ano IV, N. 47 MARÇO, 2013

EDITORIAL
Março motiva inúmeras recordações e faznos extrair da memória os fenômenos de Hydesville ocorridos com as irmãs Fox em 1848; a desencarnação do abnegado Codificador em 1869; e a valorização da mulher na História, desde 1910. Assim, desfiando o novelo das biografias femininas do Espiritismo, para saudar o Dia Internacional da Mulher, alinhavamos a de Amèlie-Gabrielle Boudet (1795-1883). Professora de Letras e Belas Artes, autora de obras literárias e artísticas e esposa de Allan Kardec, ela o incentivou no trabalho de codificação e difusão da Doutrina, assumindo seus encargos, após a desencarnação dele, cumprindo, com êxito, a árdua missão de manter acesa a chama do conhecimento espírita. Salve doce Gabi! por ter-se mantido firme em momento tão grave na história do Espiritismo. Saudações às lidadoras do bem! Boa leitura.

ESCOLHAS
“Espíritas: amai-vos, eis o primeiro mandamento; instruí-vos, eis o segundo” (cap. VI, item 5, de “O Evangelho Segundo o Espiritismo”).

PROGRAMAÇÃO DA CASA
2ª Feira (20:00 às 21:00) PALESTRAS DOUTRINÁRIAS: LIVRO DOS ESPÍRITOS 04/03 – Vanessa Laucas Questões 766 a 768 11/03 – Josué Bezerra Questões 769 a 772 18/03 – Ricardo Drummond Questões 773 a 775 25/03 – Ana Guimarães LIVRE 3ª Feira (14:00 às 14:30) O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO 05/03 – Rita Pontes Cap. XVII, item 7 12/03 – Josué Bezerra Cap. XVII, item 8 19/03 – Luiz Carlos Bezerra Cap. XVII, item 9 26/03 – Rafael Pinho Cap. XVII, item 10 5ª Feira (19:30 às 21:00) ESTUDO DO ESPIRITISMO Sábado (8:30 às 15:00) ESCOLA DE ESTUDOS ESPÍRITAS ESPERANÇA

Ajudar ou ignorar? Responder ou desconversar? Fazer agora ou deixar para depois? As escolhas que fazemos se sucedem, continuamente, desde que nos tornamos indivíduos, em primevas eras. Elas definem quem somos, pois trilhamos a senda evolutiva, dotados de livre-arbítrio, senhores dos nossos próprios destinos, e, por isso, respondendo pelos acertos ou erros do caminho. Da conjugação entre o conhecimento que adquirimos ao longo da jornada e a nossa consciência, temos a ferramenta que nos servirá de bússola, a nos guiar pelas vielas da vida. Uma alma serena, possuidora de consciência tranquila, expressa a paz que guarda no coração quando considera o que já aprendeu ao decidir que rumos tomará. Por outro lado, um desdobramento da mente perturbada é o desencontro entre o que se sabe e o que se faz. Um cardiologista, obeso, que fuma até fenecer, vítima de ataque cardíaco, tem pleno conhecimento das consequências de suas escolhas. Por que o faz? Ao assumir o risco de perder a saúde, e até a vida, em troca de prazer tão infeliz, expressa claro descompasso na escala de valores, com manifesto desamor a si próprio e, indiretamente, o desejo de se destruir. Se remexermos nesse monturo, encontraremos problemas conscienciais de grande expressão. Além de educar-se, o Espírito precisa dulcificar suas emoções, reavaliar seus valores, ajustando suas escolhas às lições aprendidas no Evangelho, recolocando o mais importante mandamento no lugar que é dele, como parâmetro para toda Humanidade: “Amarás a Deus de toda a tua alma e a teu próximo como a ti mesmo”.
Rafael Rodrigues

NESTE BOLETIM Capa EDITORIAL AS FILHAS DA TERRA ZILDA GAMA Página 02 PROGRAMA DE APERFEIÇOAMENTO VOLTA ÀS AULAS COLUNA DO CAMINHO Página 03 MENSAGEM DO MÊS ESTUDANDO O LIVRO DOS MÉDIUNS EXPEDIENTE Página 04 MÁS PALESTRAS ESCOLHAS TEMPOS DE FIRMEZA PROGRAMAÇÃO DA CASA DATAS IMPORTANTES DO MÊS ANIVERSARIANTE DO MÊS

ZILDA GAMA

A EQUIPE

AS FILHAS DA TERRA Bittencourt Sampaio Do Seu trono de luzes e de rosas, A Rainha dos Anjos, meiga e pura, Estende os braços para a desventura, Que campeia nas sendas espinhosas. Ela conhece as lágrimas penosas E recebe a oração da alma insegura, Inundando de amor e de ternura As feridas cruéis e dolorosas. Filhas da Terra, mães, irmãs, esposas, No turbilhão dos homens e das coisas, Imitai-a na dor do vosso trilho!... Não conserveis do mundo o brilho e as palmas, E encontrareis, em vossas próprias almas, A alegria do reino de Seu Filho!
O soneto acima integra o Parnaso de Além-Túmulo, obra psicografada pelo médium Francisco Cândido Xavier.
BOLETIM ESPERANÇA 47 – página 01

DATAS IMPORTANTES DO MÊS
11/03/1878 – Nasce Zilda Gama em Juiz de Fora - MG. 23/03/1857 – Nasce Gabriel Delanne em Paris, França. 31/03/1848 – Em Hydesville, EUA, são registradas as primeiras comunicações espíritas, com a Família Fox. 31/03/1869 – Em Paris, França, desencarna Allan Kardec. ANIVERSARIANTES DO MÊS Enivaldo Pereira 08/03 Tereza Quitete 17/03 Mariana Marins 12/03 Maria Alice 22/03

(11/03/1878 a 10/01/1969) Zilda Gama, não foi apenas uma das maiores médiuns romancistas do Brasil, ela possuía notáveis possibilidades no campo do desdobramento e da psicometria. Nascida em Juiz de Fora, no ano de 1878, perdeu seus pais em 1902, tendo que assumir a responsabilidade pelo sustento de seus cinco irmãos, aos vinte quatro anos de idade. Alguns anos mais tarde, com a morte de uma de suas irmãs, precisou cuidar de cinco sobrinhos. Professora formada na Escola Normal de São João Del Rey, progrediu no magistério, por seus méritos, até o topo da carreira. Foi ativa defensora do direito ao voto das mulheres. Ainda que se declarasse espírita “não ostensiva”, conhecia a doutrina e estava habituada a interagir com os desencarnados desde jovem. Após um prolongado período de sofrimento moral, experimentou a mais intensa manifestação mediúnica de sua vida, sentindose impelida então, pela primeira vez, a transcrever os pensamentos que lhe ocorriam à mente, em fluxo incontrolável. Qual não foi sua surpresa quando, ao final da comunicação, identificou como autores, seu pai e sua irmã. As comunicações se tornaram frequentes e orientavam que dali em diante ela deveria se ocupar, cada vez mais, com a importante tarefa que lhe fora confiada. Em 1916, começou a psicografar as obras de Victor Hugo, publicadas pela Federação Espírita Brasileira. Chico Xavier mencionaria mais tarde o enorme carinho que Victor Hugo tinha por ela (como narra Arnaldo Rocha no livro “Chico, diálogos e recordações”, de Carlos Alberto Braga Costa). Desencarnou aos 91 anos de idade.

BOLETIM ESPERANÇA 47 – página 04

quando criado simples e ignorante. Observe e verifique quantos motivos você possui para ser feliz. Matricule suas crianças com Cláudia Costa ou Jair Cesario. Sobre o papel do médium na manifestação física 21. programar-se com os olhos ao longe. basta que confiemos em nossos instintos. fatalmente. elencamos uma série de fatores que determinam a influência dos Espíritos nas manifestações físicas. por exemplo. Nesse estágio. Influem nessa diferença: i) a maior ou menor facilidade para operar a combinação dos fluidos. A Natureza coloca para a nossa sobrevivência os estímulos automáticos. É muito importante. trabalham. até o final de março. coadjuvantes na nossa própria estória. Seja otimista. mas há ainda uma distância grande separando o saber do ser. Vamos em frente. que pode ser: refratário (desobediente). em qualquer trabalho a ser realizado. pesquisador e grande ESTUDANDO O LIVRO DOS MÉDIUNS – CAPÍTULO IV – ITEM 74 – PARTE 3 Na parte segunda deste trecho do estudo. a despeito do avanço do conhecimento. iii) o comportamento. do nosso esforço. Em ato contínuo. Não se esqueça de que conta sempre com a companhia do seu anjo de guarda e dos amigos espirituais. São 10 mil anos de civilização conhecida. Cede o fluido animalizado (ectoplasma) ao Espírito que o manipula juntamente ao fluido universal. Finda a manifestação ao mesmo tempo em que termina o quantum de fluido utilizado. dependendo. Temos um patrimônio notável nos campos da moral. logo este segundo é a causa. Confie na sua capacidade de servir e amar mesmo que imperfeitamente. a Escola de Estudos Espíritas Esperança reinicia o período letivo em 03 de março. Os carteiros se ocupam de entregar as cartas notáveis que alguém escreveu. de modo a proporcionar uma vida aparente e momentânea à mesa. com vagas. há realmente necessidade de reencarnar? (continuação da resposta) O espírito.PROGRAMA DE APERFEIÇOAMENTO O que é mais importante no momento? Que tipo de pensamentos você tem tido? Ou melhor. que tornará sua vida mais objetiva. Carregando as energias no Recanto da Joanna. onde está atualmente o seu tesouro? Jesus Cristo. Falar em ideal significa pensar no amanhã. No Centro de Parto Normal Marieta de Souza Pereira. Os materialistas não têm ideais. principalmente no campo da ética. sobre o tema “O mundo dos Espíritos”. de bons princípios regidos por leis ou regras da sociedade. ajuizando-se das obras a serem retificadas ou melhoradas a fim de atingir. À medida que aprendemos. e é nessa fase que começa a sonhar. a estética e a ética. O materialista só vê o hoje. derivados desse comando automático que trazemos dentro de nós. precisamos ser cada vez mais. Nem todo médium produz o mesmo efeito. Nos fenômenos. Já sabemos muito. há 2000 anos. não consciente. faça sua programação e boa sorte! Vanessa Bianca COLUNA DO CAMINHO VISITA À MANSÃO DO CAMINHO Faltou mostrar: Marco comemorativo dos 60 anos da Mansão. 25. nesta passagem aqui resumida. a condição de Ser Excelente. Percorrendo as várias ruas da Mansão. da ética e da estética. Já que os Espíritos se organizam. os Espíritos se utilizam do médium. assim. finalizaremos esta exposição sobre o papel do médium nas manifestações referidas no item do título acima. DIREÇÃO DA INSTITUIÇÃO Presidente: Luiz Carlos Bezerra Vice-presidente: Ricardo Drummond Secretários: Vanessa Bianca e Rafael Laucas EXPEDIENTE Direção do Jornal: Rafael Rodrigues Secretária: Regina Celia Campos Revisora: Giannina Laucas Colaboradores: Ana Guimarães Eugenia Maria Rita Pontes Marcia Alves Vanessa Bianca André Laucas BOLETIM ESPERANÇA 47 – página 02 BOLETIM ESPERANÇA 47 – página 03 . 23. Nessa direção. Nem sempre a atuação do médium é consciente. Estabeleça metas. externa. passamos a escrever as cartas que antes só entregávamos e. No início éramos todos como os carteiros. Para sobreviver. Nosso Codificador teve o cuidado. irresponsável. Passamos então a gozar da aptidão de fazer escolhas sensatas. assim. ii) a reciprocidade de simpatia entre o médium e o Espírito comunicante. ainda há tanta miséria em nosso planeta. muito menos possui o mesmo poder. considerando a perfeição relativa na Terra. *3º Trecho da entrevista realizada por Yasmim Madeira. o indivíduo preciso saber. e haure a quantidade necessária para a manifestação. Anote-as numa folha de papel e consulteas todos os dias. A vida íntima de cada um deveria ser passada a limpo com constância e recolhimento. a nossa capacidade de discernir. A Terra é muito jovem ainda. o viver bem. André Laucas ADQUIRA SEU EXEMPLAR DA EDIÇÃO COMEMORATIVA DOS 150 ANOS NA LIVRARIA DO GRUPO ESPÍRITA CAMINHO DA ESPERANÇA VOLTA ÀS AULAS Sob os auspícios de novas diretrizes. não tem a maturidade intelectual que lhe permita a escolha. sem que este saiba. que engloba as virtudes de um modo geral. O médium é mero coadjuvante no fenômeno. deixara-nos a carta viva do bom proceder. o Espírito tem o papel de protagonista. para brotar. esforçado. já o fluido combinado atua como instrumento da manifestação. Como escolher o ideal? O ideal é algo interior. Mas não se referiu apenas à condição social. Não são médiuns os indivíduos classificados como elétricos – atualmente os entendemos como paranormais anímicos. Segundo afirmam nossos instrutores. Geraldo Guimarães foi editor da Revista Despertar Espírita. III. assumimos a responsabilidade pela construção da nossa trajetória. no Programa TV Despertar Espírita. aqui e agora. não precisamos entender nada. a qual visa assegurar que lutemos pela nossa sobrevivência. para facilitar o entendimento do processo de sua produção. procurando cumpri-las. desde o nosso estágio animalesco. Essas pessoas atuam sobre a matéria animando-a sem o concurso de nenhum Espírito. o espírito rompe com o aspecto primitivo. 22. pois já entendemos o que é certo e o que é errado. não tem ainda o talento do discernimento. como decorrência da lei de conservação. há também os magnetizadores. pessoas portadoras de faculdades capazes de conduzir um indivíduo ou uma coletividade a uma hipnose. amadurecemos intelecto-moralmente e desenvolvemos. Essa semente da espiritualidade está em nossa essência. com maiores possibilidades de êxito. você é um projeto divino que está na Terra para dar certo. haver um programa mínimo de ações. como os espontâneos. As inscrições permanecem abertas. de qualificar e segregar as atuações das entidades partícipes da manifestação física. estudam e progridem no plano espiritual. pois aflora a criatividade. Daí por que. Para ser. sob a orientação de Deus. Quando progredimos. 24.