Você está na página 1de 2

Três Estratégias Para Evitarmos Discussões

BOM DIA! Certa vez ouvi uma pessoa brincando sobre como conseguiu 50 anos de alegrias

conjugais: Nós sempre estávamos de mãos dadas pensou por

que há tantas piadas sobre casamento? Há piadas porque a desarmonia no casamento é algo

ridículo:

o relacionamento com a pessoa que escolhemos para construir uma vida de alegrias e

significado

degenerou-se para uma fonte de dor, agonia e sofrimento. Esta semana gostaria de compartilhar com

você, querido(a) leitor(a), algumas idéias de como aliviar a tensão no casamento ao evitar-se

as

discussões.

A primeira regra para a alegria conjugal é Não Discuta! São necessárias duas pessoas para

haver uma briga. Se você não revidar, se responder com voz suave ( Uma resposta gentil

manda

embora a raiva Provérbios 15:1), então não mais haverá brigas. Muitas pessoas pensam que

têm

que responder a qualquer crítica ou insulto seja para defender-se ou como uma necessidade psicológica de devolver a agressão. É importante nos mantermos focados na meta:

permanecermos

alegremente casados e construir uma vida juntos. Esta era a meta quando nos casamos e o

objetivo

deve permanecer o mesmo. Há estratégias para minimizar as brigas e o impacto dos espinhos

e

flechas atirados. TRÊS ESTRATÉGIAS PARA EVITAR DISCUSSÕES 1) CONCORDEMOS! Se quem está nos insultando está certo, concordemos! Não dá para brigar com alguém que concorda conosco. 2) FAÇAMOS UM DEPÓSITO EM CONTA CORRENTE: Por que respondemos a comentários

negativos feitos por nosso cônjuge (ou qualquer outra pessoa)? Sentimos que o insulto nos

diminui,

nos faz valer menos. Pedaço por pedaço, acabamos sendo reduzidos a uma pilha de entulho --

isto nos impedia de brigar! Você já

portanto, respondemos em defesa de nossa existência, freqüentemente com raiva e com

nossas

próprias acusações. E se alguém nos desse US$ 10.000 a cada vez que fossemos insultados? Imagine um grosso maço de dinheiro, com um elástico em volta, sendo depositado em sua

conta

bancária após cada insulto. Com certeza isto tiraria a dor de recebermos um insulto! 3) INSANIDADE! Casamos com alguém porque amamos esta pessoa, porque queremos nos

manter

casados com ela e construir uma vida em comum. Quem deveria ser a última pessoa a

insultarmos

na face da Terra? Nosso cônjuge! Insultar nosso cônjuge é uma insanidade. Não sejamos

loucos!

Três Estratégias Para Evitarmos Discussões

Agora, vamos dar mais um passo. Como não levar a sério o insulto que nosso cônjuge nos fez? A resposta é: coloquemos a situação em sua correta perspectiva. Por exemplo: suponha que estejamos andando pela rua e passamos na frente de um manicômio. Um sujeito sai lá de dentro, vestindo roupas de paciente, dirige-se a nós e diz: Você é o ser humano mais insensível, sem consideração e egoísta que D us colocou neste planeta! Como nos sentiríamos? A reação normal seria: D us, espero que o cara não seja violento. Pobre coitado. Imagine o que ele fez para estar aí dentro! Se um cônjuge inicia uma tempestade verbal, das duas uma: ou ele/ela tem um bom ponto a discutir (então, suavemente, admitamos que estamos errados) ou estamos sendo o recipiente de uma explosão de insanidade. Enxerguemos nosso cônjuge como alguém que está passando por um momento de insanidade

temporária (mas não compartilhe este pensamento com ele/ela!) e não sentiremos a mágoa nem entraremos numa discussão da qual iremos nos arrepender depois. Eis mais algumas linhas de pensamento para um matrimônio feliz:

GUIA PARA UM CASAMENTO FELIZ Pelo Rabino Zelig Pliskin (autor do livro Marriage)

1. Seja sábio(a). Pergunte-se: O que seria inteligente dizer agora? Todos temos sabedoria

estocada em nossos cérebros. Use-a.

2. Pratique a arte do agradecimento e gratidão mentalmente (pensando) e verbalmente

(dizendo).

3. Pratique a arte de ser bondoso(a) com palavras e atos. Que coisa agradável devo dizer ou

fazer

agora?

4. Pratique a arte de entender e ter compaixão. Pergunte-se: O que meu cônjuge precisa

agora?

5. Pratique a arte de identificar sua esposa ou marido com o seu lado positivo de ser.

6. Pratique a arte de reagir positivamente. Faça comentários bons e positivos.

7. Pratique a arte de pedir o que precisa de uma maneira que ambos se sentirão bem sobre

isto.

8. Pratique a arte de estar com bom humor e num estado positivo o máximo que puder, e ser

respeitoso(a) mesmo se não estiver de bom humor agora.

9. Pratique a arte de não dizer o que é sábio não dizer.

10. Pratique a arte de aprender dos demais como aprimorar aquilo que você fala ou faz.