Você está na página 1de 19
((((( NI & DEA - FEUP ))))) PROJECTOPROJECTO DEDE CONDICIONAMENTOCONDICIONAMENTO ACACÚÚSTICOSTICO DEDE
((((( NI & DEA - FEUP )))))
PROJECTOPROJECTO DEDE CONDICIONAMENTOCONDICIONAMENTO ACACÚÚSTICOSTICO DEDE
EDIFEDIFÍÍCIOSCIOS
METODOLOGIA
Rui Calejo Rodrigues
1 de Outubro de 2008
((((( NI & DEA - FEUP ))))) Projectos de Condicionamento Acústico Enquadramento Legal Os projectos
((((( NI & DEA - FEUP )))))
Projectos de Condicionamento Acústico
Enquadramento Legal
Os projectos de condicionamento acústico não estão tipificados nem no conteúdo nem no
modo de organização.
Acresce ainda que em termos regulamentares, RRAE e RGR, não se estabelecem
metodologias de cálculo / modelação mas apenas valores exigenciais de desempenho a
comprovar por medições no local.
Entende-se um PCA como sendo um documento prospectivo do comportamento acústico de
um edifício, tendo como referencial o RGR que neste domínio é complementado pelo
Regulamento dos Requisitos Acústicos de Edifícios - RRAE
((((( NI & DEA - FEUP ))))) Projectos de Condicionamento Acústico Enquadramento Legal Como tal,
((((( NI & DEA - FEUP )))))
Projectos de Condicionamento Acústico
Enquadramento Legal
Como tal, parece-nos necessário clarificar qual a definição, conteúdo e estrutura a que deve
obedecer um PCA sob pena de se instruírem processos de licenciamento com documentação
incipiente impedindo dessa forma a satisfação do controlo prévio (Artigo 12º) que em sede da
regulação da produção do ruído (Capitulo III) do RGR é acometido aos municípios.
A não salvaguarda deste princípio pode mesmo mais tarde levar a acções dos futuros utentes que
depositaram no licenciamento municipal infundadas expectativas.
((((( NI & DEA - FEUP ))))) Projectos de Condicionamento Acústico Enquadramento Legal Por força
((((( NI & DEA - FEUP )))))
Projectos de Condicionamento Acústico
Enquadramento Legal
Por força da Lei 60/2007 que reescreve o Decreto-Lei 555 as “declarações de
responsabilidade” dos autores dos projectos constituem “garantia bastante” do cumprimento
das normas legais.
Entende-se que a falta de tipificação, a insuficiência de projectistas, as implicações
municipais decorrentes de situações de conflito por incomodidade e a necessidade de se
exercer um efectivo controlo preventivo, são motivo suficiente para justificarem uma
apreciação mais detalhada pelas entidades municipais.
Admitindo-se não poder fundamentar recusa, em casos cuja coerência e justificação
do projecto suscite dúvidas, essa apreciação municipal, permite no entanto suportar a
“Realização de Ensaios Acústicos” como suporte do acto de “Verificação do Cumprimento do
Projecto Acústico” conforme definido no nº do Artigo 12º do RGR.
((((( NI & DEA - FEUP ))))) Projectos de Condicionamento Acústico Acto de Projectar Acto
((((( NI & DEA - FEUP )))))
Projectos de Condicionamento Acústico
Acto de Projectar
Acto de projectar no domínio do condicionamento acústico
Anteprojecto/Licenciamento
concepção
estudo prospectivo
Definição
Identificação
de referenciais
exigênciais
Identificação
de
Zonas Tipo
Dimensionamento
de
Especificação
soluções
padrão
RGR
RRAE
outros
(conforto)
Zonas objecto
de estudo cuja
solução será
repetida nos
restantes locais
de aplicação
Identificação de
tecnologia
constritiva
em coordenação
com Arquitectura
cálculos
justificativos e
especificação da
tecnologia
construtiva
e materiais
((((( NI & DEA - FEUP ))))) Projectos de Condicionamento Acústico Acto de Projectar Definição
((((( NI & DEA - FEUP )))))
Projectos de Condicionamento Acústico
Acto de Projectar
Definição
Um projecto de condicionamento acústico – PCA – é um documento que
procura em fase de concepção e definição de soluções (o projecto) dar nota
do estudo prospectivo do comportamento acústico da construção efectuado
por recurso a modelação/cálculo, comparando esta “previsão” com valores
de referência exigênciais e concluindo sobre a respectiva conformidade em
função das resultados obtidos (avaliação acústica).
Em consequência, especifica soluções no domínio construtivo.
Não é um processo de verificação
!
((((( NI & DEA - FEUP ))))) Projectos de Condicionamento Acústico Estrutura Estrutura Um projecto
((((( NI & DEA - FEUP )))))
Projectos de Condicionamento Acústico
Estrutura
Estrutura
Um projecto de condicionamento acústico deve ser estruturado, como todos os projectos na
generalidade em:
Peças escritas
Peças desenhadas
As peças desenhadas devem articular-se em plantas cortes, alçados e pormenores construtivos
As peças escritas devem estruturar-se em memória descritiva e justificativa das soluções
especificadas (contendo referência aos processos e cálculos efectuados), condições técnicas de
execução, mapa de tarefas e quantidades e estimativa orçamental.
((((( NI & DEA - FEUP ))))) Projectos de Condicionamento Acústico Estrutura Estimativa Orçamental Notar
((((( NI & DEA - FEUP )))))
Projectos de Condicionamento Acústico
Estrutura
Estimativa Orçamental
Notar que o projecto de condicionamento acústico sofre da dificuldade de estabelecer uma
estimativa orçamental com base nos trabalhos efectuados.
A questão que se coloca é saber qual percentagem do custo duma parede corresponde ao
comportamento acústico ?. A resposta não é simples e difere conforme o objectivo em causa.
Entende-se que uma percentagem da ordem dos 7 a 10% dos mesmos trabalhos que estão na base
dos custos de arquitectura é aceitável para estabelecimento de honorários.
Para orçamentação normalmente estabelecem-se preços unitários para tarefas claramente
acústicas ( mantas de lã mineral, apoios resilientes de lajes, etc. ) com o objectivo de apoiar o
medidor orçamentista de Arquitectura, não se calculando uma estimativa para os trabalhos de
acústica.
((((( NI & DEA - FEUP ))))) Projectos de Condicionamento Acústico Estrutura Fases do Projecto
((((( NI & DEA - FEUP )))))
Projectos de Condicionamento Acústico
Estrutura
Fases do Projecto
Embora o Condicionamento Acústico constitua uma especialidade autónoma no processo de
licenciamento, não é habitual ser assim nas diferentes fases do projecto, onde as especificações
neste domínio se integram nas outras especialidades, com particular incidência na Arquitectura.
Assim sendo, a edição documental tipifica muito mais uma comunicação à equipa de projecto do
que um processo formal.
Uma outra característica do condicionamento acústico relaciona-se com a antecipação
relativamente ás opções de Arquitectura, não devendo encaixar-se nos timing correntes para as
especialidades.
((((( NI & DEA - FEUP ))))) Projectos de Condicionamento Acústico Fases Fases do Projecto
((((( NI & DEA - FEUP )))))
Projectos de Condicionamento Acústico
Fases
Fases do Projecto
Entrada das
Entrada das
especialidades
Especialidades
Estudo
Assistência
Anteprojecto 60%
Execução 20%
Prévio
Técnica
Acústica entra
ANTES
da concepção de
Arquitectura
Acústica entra
ANTES
das Especialidades
Acústica
ACOMPANHA
as Especialidades
PROCESSO
PROCESSO
PROCESSO DE
LICENCIAMENTO
INTERNO
INTERNO
((((( NI & DEA - FEUP ))))) Projectos de Condicionamento Acústico Conteúdo PEÇAS ESCRITAS: 1.
((((( NI & DEA - FEUP )))))
Projectos de Condicionamento Acústico
Conteúdo
PEÇAS ESCRITAS:
1. INTRODUÇÃO
Inclui referências gerais ao projecto, identifica o promotor, e a equipa de projecto.
Refere objectivos gerais do projecto. Dá nota dos processos de projecto contidos no
documento. Deve inclui RESUMO NÃO TÉCNICO para leitura por não especialistas.
1.1 PREÂMBULO TÉCNICO
Nota da consciência social e ambiental dum projecto de condicionamento acústico
e da sua implicação na qualidade de vida. Referência às noções básicas necessárias à
compreensão do documento. Notas sobre particularidades técnicas dos
dimensionamentos.
1.2 DOCUMENTOS ANALISADOS
Referência detalhada aos documentos (fax, desenhos, contrato, etc.) contendo
informação considerada no projecto.
((((( NI & DEA - FEUP ))))) Projectos de Condicionamento Acústico Conteúdo PEÇAS ESCRITAS: 2.
((((( NI & DEA - FEUP )))))
Projectos de Condicionamento Acústico
Conteúdo
PEÇAS ESCRITAS:
2. DESCRIÇÃO DA SITUAÇÃO EM ESTUDO
Detalhe do projecto , local, promotor/requerente, descrição construtiva genérica,
descrição sumária da funcionalidade, identificação dos objectivos do documento
(Licenciamento Municipal) , Descrição do Campo sonoro no local de implantação ( dados do
RSRDA ou medições efectudas), Descrição das potenciais fontes de ruído (Equipamentos,
Actividade, etc.)
3. DISPOSIÇÕES LEGAIS E CRITÉRIOS EXIGÊNCIAIS DE DESEMPENHO
3.1 ENQUADRAMENTO LEGAL
Lista dos diplomas e articulado aplicável
3.2 OUTROS CRITÉRIOS PROPOSTOS
Outros critérios não objecto de exigência legal mas que se entende deverem ser
observados ( No processo de licenciamento não tipificam soluções construtivas nem o
respectivo dimensionamento, que se reserva para a fase de Execução)
((((( NI & DEA - FEUP ))))) Projectos de Condicionamento Acústico Conteúdo PEÇAS ESCRITAS: 4.
((((( NI & DEA - FEUP )))))
Projectos de Condicionamento Acústico
Conteúdo
PEÇAS ESCRITAS:
4. PRINCÍPIOS DE CÁLCULO ADOPTADOS
Resumo dos processos de cálculo utilizado no dimensionamento de soluções
referindo fontes e normas ou regulamentos (se aplicáveis). Notar que a regulamentação
nacional não especifica processo de dimensionamento, é “apenas” exigêncial, embora
estejam já em vigor normas NP, EN e ISO aplicáveis. Deve subdividir-se nos seguintes sub-
capítulos:
4.1
ISOLAMENTO SONORO A SONS DE CONDUÇÃO AÉREA
4.2
ISOLAMENTO SONORO A SONS DE PERCUSSÃO
4.4
CONDICIONAMENTO ACÚSTICO INTERIOR
4.4
CONDICIONAMENTO ACÚSTICO EXTERIOR
((((( NI & DEA - FEUP ))))) Projectos de Condicionamento Acústico Conteúdo PEÇAS ESCRITAS: 5.
((((( NI & DEA - FEUP )))))
Projectos de Condicionamento Acústico
Conteúdo
PEÇAS ESCRITAS:
5. DIMENSIONAMENTO
5.1 IDENTIFICAÇÃO DE ZONAS TIPO
Descrição das zonas cuja solução será objecto de justificação por meio de
cálculos. Para cada zona identificação (quantificação) das exigências a
cumprir.
5.2 NOTAS DE CÁLCULO
Apresentação de notas de cálculo justificativas da solução. Devem incluir
referências a simplificações, abstracções de cálculo e opções assumidas.
Devem referir cada um dos seguintes índices (se aplicáveis)
5.2.1
Índice de Isolamento a Sons de Condução Aérea, D2m,n,w
5.2.2
Índice de Isolamento Sonoro a Sons de Condução Aérea, Dn,w
5.2.3
Índice de Isolamento Sonoro a Sons de Percussão, L´ n,w
5.2.4
Tempo de Reverberação
5.2.5
Nível de Avaliação LAr
5.2.5
Critério de Exposição Máxima
5.2.6
Incomodidade
((((( NI & DEA - FEUP ))))) Projectos de Condicionamento Acústico Conteúdo PEÇAS ESCRITAS: 6.
((((( NI & DEA - FEUP )))))
Projectos de Condicionamento Acústico
Conteúdo
PEÇAS ESCRITAS:
6. SOLUÇÕES CONSTRUTIVAS ESPECIFICADAS E CONDIÇÕES TÉCNICAS DE
EXECUÇÃO
Lista de soluções constritivas especificadas organizada da seguinte forma:
•Designação genérica e localização
•Especificações Construtivas
•Condições Técnicas de Execução
• Gerais
• Particulares
7. ESTIMATIVA ORÇAMENTAL
Mapa de trabalhos e quantidades organizado por soluções constritivas
contendo descrição e preço unitário ( para integração na arquitectura )
8. CONCLUSÕES
Síntese das principais soluções, concluindo estar cumprido o
especificado na legislação.
Recomendações para a fase de execução
9. EQUIPA PROJECTISTA
((((( NI & DEA - FEUP ))))) Projectos de Condicionamento Acústico Conteúdo PEÇAS DESENHADAS: PLANTAS
((((( NI & DEA - FEUP )))))
Projectos de Condicionamento Acústico
Conteúdo
PEÇAS DESENHADAS:
PLANTAS E CORTES
1.1 ZONAS DE INTERVENÇÃO
Indicação clara das zonas de intervenção referindo as que identificam
uma intervenção tipo ou localizada
1.2 MAPAS EXTERIORES DE RUÍDO
No caso de urbanização ou conjunto de edifícios muito expostos a
ruído urbano é desejável evidenciar as condicionantes actuais e
previsionais
1.2.1 Mapas previsionais
1.2.2 Mapas actuais
2. PORMENORES CONSTRUTIVOS
Pormenores tipo contendo detalhe de construção
((((( NI & DEA - FEUP ))))) Projectos de Condicionamento Acústico Autoria Qualificação para a
((((( NI & DEA - FEUP )))))
Projectos de Condicionamento Acústico
Autoria
Qualificação para a autoria de projectos
O RRAE estabelece no Artigo 3º nº 2 que os projectos de condicionamento acústico devem ser
elaborados por técnicos qualificados que, sendo engenheiros, possuam especialização em
engenharia acústica outorgada pela Ordem dos Engenheiros, ou, não sendo engenheiros ou
não tendo esta especialização, condiciona a que tenham recebido qualificação adequada por
organismo ou entidade credenciada para o efeito nos termos do Decreto-Lei 73/73 de 28 de
Fevereiro.
Uma análise mais detalhada deste diploma (objecto de várias tentativas de reformulação mas
qualquer uma delas ainda sem efeito) permite que um leque alargado de profissionais
elabore estudos técnicos no domínio da construção, e mesmo que, em casos devidamente
justificados “outros” possam exercer esta actividade
((((( NI & DEA - FEUP ))))) Projectos de Condicionamento Acústico Autoria Ordem dos Engenheiros
((((( NI & DEA - FEUP )))))
Projectos de Condicionamento Acústico
Autoria
Ordem dos Engenheiros
• Projectos especiais de acústica (Teatros, Auditórios com mais de 200 lugares, Óperas, etc)
só podem ser efectuados por Especialistas em Engenharia Acústica
• Todos os outros projectos podem ser efectuados por Engenheiros desde que submetam CV
para apreciação (?)
• As declarações emitidas pela Ordem dos Engenheiros para instruírem os termos de
responsabilidade referem expressamente a capacidade para subscrever projectos de
condicionamento acústico
((((( NI & DEA - FEUP ))))) Fim Outubro 2008 | Republicação do RRAE 19
((((( NI & DEA - FEUP )))))
Fim
Outubro 2008 | Republicação do RRAE
19 FEUP