Você está na página 1de 10

Índice

• Introdução
• Já alguma vez pensaste em ter um ser pegajoso e o
mais nojento possível em casa?
• Porquê ter um anfíbio em vez de um cão ?
• Contrapartidas de ter anfíbios há? Quais?
• Onde posso administrar um anfíbio?
• Então e o anfíbio anda por lá à solta em casa ?
• Conclusão
• Fotos
Introdução
Escolhi este tema por ser pouco explorado e
achei que tinha algumas questões interessantes
para se trabalharem e desenvolverem mostrando
coisas boas que poucas pessoas focam quando
eu digo que tenho anfíbios.
Este trabalho surge para responder e mostrar que
os anfíbios são animais especiais e não seres
nojentos e repugnantes.
Já alguma vez pensaste em ter um ser pegajoso e o mais nojento
possível em casa?

Pois talvez poucas pessoas saibam mas um anfíbio, hoje, já é


comercializado legalmente, variando as espécies.
Um anfíbio, apesar de muitos o acharem nojento e sem qualquer
ligação ao ser humano, pois até hoje a sua aproximação foi reduzida é
de diminuto tamanho, tem uma alimentação à base de animais vivos e
não existe ligação afectiva como a que se estabelece com o cão ou
com o gato.
Para alguns é algo repugnante mas, para outros, é uma paixão
maior. Ter um anfíbio é diferente, é uma nova descoberta, uma nova
ligação do descobrir, desde a construção do seu habitat até à sua
reprodução.
Porquê ter um anfíbio em vez de um cão ?

Porque é um animal diferente, não propriamente fácil de manter mas, se


houver responsabilidade e empenho, tudo se tornará simples.
Um anfíbio tem rituais (alimentação, reprodução, dia-a-dia) diferentes dos
outros animais, requer condições específicas de humidade e de
temperatura, só come comida viva tal como aconteceria se estivesse no
seu habitat natural, não deita cheiros, não tem se limpar os excrementos,
não se leva à rua. Pode-se observar como se estivesse no seu habitat ,
esquecendo o stress do dia a dia e dedicar 10 minutos a apreciar um
animal diferente e que todos os dias nos surpreende.
Um anfíbio pode ter problemas e necessitar de ir a um veterinário mas a
conta e os problemas serão muito menores comparando, por exemplo, com
um cão.
Pode ter uma longa duração de vida, dependendo das condições que lhe
sejam oferecidas.
Contrapartidas de ter anfíbios, há? Quais?

Como tudo na vida, existem contrapartidas de se ter um anfíbio,


pois os pais, infelizmente, não acham muita graça a um animal
que poucos apreciam e pensam que irá fugir, e que morrerá
quando lhe tocarem.. Mas não, se tiverem um anfíbio bem
acondicionado e em locais próprios, não existe risco de fuga e
muito menos de morte.
Deverá ter-se sempre alimento vivo o que se torna mais
complicado por vezes, se se conseguir criar alimento é o ideal;
se gosta muito de férias e se não se tiver ninguém que se
ofereça a dar todos os dias alimento vivo então não é
aconselhável ter um anfíbio, pois não convém ser transportado
com fosse um amster. Um anfíbio stressa. Isto talvez pouca
gente saiba. Um anfíbio, como qualquer animal, stressa e não é
saudável, pode até ser-lhe muito prejudicial, principalmente
porque é um ser de diminuto tamanho.
Onde posso administrar um anfíbio?

Hoje em dia é relativamente fácil de se comprar um


anfíbio apesar de haver muitas espécies e de diferentes
preços. Em Portugal é ainda escassa a variedade de
escolha, mesmo em lojas mais especializadas, mas já
há uma maior oferta, comparando com há uns 4 ou 5
anos atrás quando estes animais começaram a ser
comercializados em Portugal.
Então e o anfíbio anda por lá à solta em casa ?

Não… um anfíbio necessita de ter humidade e


temperatura estáveis, entre outras condições, dependendo
da espécie, mas a maior parte exige plantas, que são mais
rasteiras ou mais aéreas.
O local onde reside o anfíbio pode-se chamar terrário ou
aquaterrário. O terrário é uma espécie de aquário com a
parte superior em rede e a parte da frente com portas para
haver uma maior facilidade de manutenção, tem também
terra, plantas e humidade elevadas. Variável com a
espécie, mas oscilndo entre os 60% e os 90% e a
temperatura também deve rondar os 20º C a 28º C. Um
aquaterrário é igual ao terrário com a diferença de ter uma
maior percentagem de água, possuindo também uma
parte de terra,de plantas e de troncos.
Conclusão
A conclusão a que eu chego é que consegui responder a algumas
das questões colocadas pela maior parte das pessoas que não
percebem o interesse por estes animais fantásticos que são os
anfíbios.
Espero que o meu tema tenha sido interessante, claro e
esclarecedor. Que a leitura tenha proporcionado tanto prazer
quanto me deu a mim ao escrever.
Os anfíbios são seres vivos e, como qualquer outro animal,
merecem ser respeitados e protegidos, para isso importa afastar
medos e superstições. Ainda que modesto, este o meu contributo.