Você está na página 1de 30

Nº 39

|

6 a 12 de Abril de 2013

Região Autónoma da Madeira

COMUNIDADES

Nº 39 | 6 a 12 de Abril de 2013 Região Autónoma da Madeira COMUNIDADES 1
Nº 39 | 6 a 12 de Abril de 2013 Região Autónoma da Madeira COMUNIDADES 1

ATUALIDADES

ATUALIDADES Crise de valores na origem da crise económica Alberto João Jardim afirmou, no passado sábado,

Crise de valores na origem da crise económica

Alberto João Jardim afirmou, no passado sábado, que «vivemos uma regressão superior» e que foi a crise de valores que levou à crise económica. «A falta de solidariedade, o lucro pelo lucro, o ganhar dinheiro a qualquer preço, o poder financeiro a impor-se aos interesses do bem comum, as sociedades ocultas a mandarem em certos sectores políticos e a retirarem a transparência que a democracia devia ter e a serem feitas leis absurdas que nenhuma outra civilização tem sobre, por exemplo, liberalização da droga e os casamentos que não são casamentos. Toda esta crise de valores, toda essa degradação, acabou por arrastar uma crise económica», avaliou

o Presidente do Governo Regional, mostrando-se convencido que a crise económica resulta de «uma degradação de valores que se foram fazendo numa sociedade excessivamente permissiva». Por isso, a sociedade precisa fazer uma «regeneração e mudanças profundas», defendeu o Chefe do Governo Regional, durante a cerimónia de abertura do Fórum Regional da Vinha e do Vinho, no Estreito de Câmara de Lobos. Por outro lado, o Presidente do Governo Regional voltou a criticar a política dos cortes orçamentais e da subida dos impostos, defendendo, pelo contrário, o aumento da procura, a emissão de mais moeda do Banco Central Europeu e impostos e taxas de juro mais baixas, de

maneira a permitir mais investimento e emprego. Para o Presidente, a tentativa da resolução da crise provocou um

«confronto muito duro» entre o norte e

o sul da Europa, mas «é preciso que os países do norte metam na cabeça que não saem desta situação sem um certo

preço inflacionário (de 4% a 5%) para reanimar a economia». Apesar das dificuldades, Jardim disse que «não podemos desistir» e apelou

a que a voz da Madeira continue

a esforçar-se para ajudar a mudar

Portugal, embora a opinião pública esteja a ser alimentada por «mentiras»

ditas por «medíocres» transformados em figuras públicas.

ATUALIDADES

ATUALIDADES Na cerimónia de abertura do Fórum Regional da Vinha e do Vinho, as primeiras palavras

Na cerimónia de abertura do Fórum Regional da Vinha e do Vinho, as primeiras palavras de Alberto João Jardim foram, contudo, para o anfitrião da iniciativa, Arlindo Gomes, a quem agradeceu o trabalho dos últimos 12 anos no concelho. Lamentou, ao mesmo tempo, a existência de uma «lei antidemocrática que impede o povo de escolher o presidente que entender e as vezes que entender», numa referência à saída do actual autarca no final do mandato. No maior concelho produtivo de vinho da Região, Jardim anunciou ainda que a Madeira exportou o ano passado mais 13% de vinho e, em valor, mais 8%, o que está acima da média nacional. «Mas isso não se deve aos governos ou às

entidades públicas. Deve-se, sobretudo, ao esforço e à grande inteligência do produtor madeirense», que percebeu que era preciso apostar nos vinhos de qualidade. José Arruda, Secretário-geral da Associação de Municípios Portugueses do Vinho, propôs esta semana a criação de uma rota do vinho da Madeira, que envolvesse todos os parceiros e a funcionar em rede, à semelhança com

o que já acontece em seis das 16 rotas do vinho identificadas em Portugal continental.

José Arruda, que veio ao Funchal participar no Fórum Regional da Vinha

e do Vinho - iniciativa que antecede o

Congresso do Vinho e do Mundo Rural,

a ter lugar a 11 de Junho, em Santarém

-, referiu que em 2012 as exportações

de vinho nacional representaram 700

milhões de euros, o que correspondeu

a um aumento de 10% face ao ano anterior.

O anfitrião deste fórum, Arlindo Gomes,

Presidente da Câmara Municipal de

Câmara de Lobos, considerou, por seu turno, ser «extremamente importante»

o sector do vinho para o concelho e

para a economia familiar. O Fórum Regional da Vinha e do Vinho realizou-se no Centro Cívico do Estreito de Câmara de Lobos. Foram convidados vários especialistas do sector que estiveram a debater a produção do

vinho na Madeira e a sua promoção e comercialização.

ATUALIDADES

«Não é preciso matar os portugueses»

ATUALIDADES «Não é preciso matar os portugueses» «Tive a oportunidade de dizer um dia ao Primeiro-ministro

«Tive a oportunidade de dizer um dia ao Primeiro-ministro que para salvar Portugal, não é preciso matar os portugueses». Esta foi uma das frases da reação de João Cunha e Silva, Vice- presidente do Governo Regional da Madeira, quinta à tarde, ao despacho de Vítor Gaspar, que condiciona todas as despesas de serviços públicos ao prévio escrutínio das Finanças. «É natural que o Estado Social preocupe toda a gente não só as pessoas que estão desempregadas, mas todas as que são sensíveis a tudo o que se passa à sua volta», disse, durante a cerimónia de abertura do rs4e - Road Show for

Enterpreneurship, que decorreu no Centro de Congressos do Porto Santo. Sobre o despacho do Ministro das Finanças, o Vice-presidente do Governo Regional acredita que o que está a tentar fazer é «pedir um tempo para pensar nas medidas que vai ter de tomar, se é que vai ter de tomar, nesta saga que continua, em prol da regularização das Finanças, esquecendo, como tenho vindo a dizer, a economia, que é preciso salvaguardar, pois é ela que garante postos de trabalho». Cunha e Silva refere, em relação ao despacho de Vítor Gaspar, que «não

deve durar mais do que uns dias e depois vão chegar à conclusão que é

impraticável, pois hospitais e escolas não podem esperar».

O governante adivinha que «o tecido

empresarial vai ser devastado por estas medidas de austeridade» e embora concordando que o país precisava de recuperar de uma crise grande, refere que as medidas de rigor financeiras deveriam ser acompanhadas de medidas de incentivo à economia e ao seu crescimento sustentado, de forma

a propiciar postos de trabalho e não o desemprego».

ATUALIDADES

ATUALIDADES O responsável compara que «quando fizemos aqui o Plano de Ajustamento Económico e Financeiro, também

O responsável compara que «quando

fizemos aqui o Plano de Ajustamento Económico e Financeiro, também tudo tinha de passar pela Secretaria Regional do Plano e Finanças e nós próprios constatámos que não estava preparada para a duplicação e mesmo triplicação do trabalho que passava a ter». Ora, repetiu, «uma decisão deste género vai mostrar que o Ministério das Finanças não está preparado para isto, a não ser que as coisas parem e hospitais e escolas não podem parar». Na Madeira, pelo menos, «o Governo

Regional é que determina as regras, desde que não seja legislação que nos seja imposta do exterior, o que não é

o caso». Isto é um despacho «que tem

aplicação a nível nacional e não aqui, felizmente», desabafou. Questionado sobre a sua posição em relação ao futuro do executivo de Passos Coelho, Cunha e Silva realçou que «essa é uma questão da exclusiva responsabilidade do Primeiro-ministro». Remodelação ou não, a questão das pessoas não é fundamental. Fundamental é a questão das políticas e a estratégia para levar o barco a bom porto». O Vice-presidente acredita que há uma questão indiscutível: «o país precisa de retomar um caminho de credibilidade face aos mercados externos, mas é preciso compatibilizar essa situação com outra, que tem a ver com a proteção da economia, porque

é através da economia que se garante

postos de trabalho». Pois, rematou, «se se dá cabo do tecido empresarial em Portugal, há mais desemprego, há mais gastos e mais despesa, porque tem de se pagar os desempregados, há menos impostos, menos receitas». Em suma, declarou, «esta receita da Troika não foi infalível, tem muitos defeitos que deviam ser aparados e, como quem não fala, Deus não ouve,

é preciso que o Governo da República

fale, para que os senhores da Troika oiçam, não na questão de fundo, mas nas questões particulares, que estão a falhar».

ATUALIDADES

Obra em ritmo adiantado e fozes já estão unidas

ATUALIDADES Obra em ritmo adiantado e fozes já estão unidas As fozes das ribeiras de João

As fozes das ribeiras de João Gomes e de Santa Luzia já se “juntaram”. Um momento que marca uma etapa importante na

obra de intervenção nos troços terminais (até agora afastados) daqueles dois cursos de água, que visa dar maior segurança à cidade.

A empreitada, executada no âmbito da Lei de Meios, está a decorrer a bom ritmo, estando inclusive adiantada em relação aos

prazos inicialmente previstos. Quando estiver pronta (a obra começou em Novembro de 2012 e tem um prazo de conclusão de dois anos), toda aquela área do Funchal estará renovada, mais segura e alindada.

A

empreitada é da responsabilidade da Vice-Presidência, através da Direcção Regional de Infra-estruturas e Equipamentos,

e

irá proporcionar às ribeiras de João Gomes e Santa Luzia mais quatro metros de profundidade e 1,3% de inclinação,

permitindo que os materiais sólidos ganhem maior “velocidade” na sua deslocação em direcção à foz.

A intervenção que decorre nos troços terminais daqueles cursos de água vai permitir o aumento da profundidade do leito das

referidas ribeiras. Dos actuais três metros, a profundidade passará para os sete metros, com uma inclinação que aumentará de 0,7 % para 2 % (+ 1,3%). Esta inclinação (a máxima possível de acordo com os estudos efetuados e as características das bacias hidrográficas intervencionadas) permitirá que os materiais sólidos ganhem maior “velocidade” na sua deslocação em direcção à foz,

procurando evitar o que aconteceu a 20 de Fevereiro de 2010, onde a acumulação de resíduos verificou-se nas cotas mais baixas, na zona antes da foz, com inclinações quase nulas, e que fez com que o imenso volume de resíduos sólidos que ali ficou depositado diminuísse drasticamente a secção de vazão, e permitisse facilmente que a água transbordasse do leito das ribeiras.

A junção das duas ribeiras (João Gomes e Santa Luzia) far-se-á no interior da Praça da Autonomia, a céu aberto, diminuindo

significativamente a área coberta, o que facilitará as operações de manutenção e de desassoreamento. Esta junção aumentará substancialmente a secção de vazão dos actuais 12 por 3 metros na ribeira de Luzia, e 9 por 3 metros na Ribeira de João

Gomes, para os futuros 24 por 7 metros, na zona mais estreita. De maneira a permitir um melhor escoamento, a foz das duas ribeiras será canalizada 80 metros para o interior da baía do Funchal, sendo que a remoção periódica dos sedimentos depositados, por forma a garantir o bom funcionamento hidráulico para o qual o projecto foi concebido, será feita a partir do mar, fora da zona da foz.

ATUALIDADES

ATUALIDADES Quanto à Rotunda da Praça da Autonomia, a circulação automóvel será desenvolvida em três faixas

Quanto à Rotunda da Praça da Autonomia, a circulação automóvel será desenvolvida em três faixas de rodagem, assegurada

pela construção de três pontes rodoviárias (Ruas 31 de Janeiro, Brigadeiro Oudinot e faixas sul da Avenida do Mar) garantido que nessas pequenas secções cobertas o caudal de água das ribeiras não encontre obstáculos. Serão também edificadas três pontes pedonais: reconstrução da ponte em arco entre a 31 de Janeiro e a 5 de Outubro; construção de uma ponte pedonal, ligeiramente abaixo da actual ponte rodoviária que liga a Rua do Anadia e a Brigadeiro Oudinot, junto à EEM, e que será demolida no decorrer da intervenção em curso; e construção de um ponte pedonal no passeio marítimo, junto à foz, para assegurar a transição para o Almirante Reis.

A Estátua da Autonomia ficará colocada no extremo sudoeste da Praça, que passará a ser de acesso generalizado à população,

através de três passadeiras que atravessarão a Rotunda da Praça da Autonomia. Lembre-se que também a Ribeira de São João está a ser alvo de uma intervenção na sua zona terminal, que igualmente vai

implicar a requalificação de toda aquela zona. Por outro lado, em várias ribeiras e ribeiros, têm estado a decorrer obras de consolidação, alargamento e canalização das suas margens. Obras que já tiveram resultados palpáveis nas últimas “chuvadas”:

o mau tempo assustou, mas os cursos de água reagiram bem, fruto das obras feitas.

ATUALIDADES

ATUALIDADES 1/5 da população da RAM já viveu fora do país Os resultados definitivos dos Censos

1/5 da população da RAM já viveu fora do país

Os resultados definitivos dos Censos 2011, referentes à Região Autónoma

na Madeira, tendo como referência o último país de residência, são a

períodos em que o regresso de emigrantes à Região Autónoma foi

da Madeira, revelam que 18,2% da

Venezuela (37,1%), o Reino Unido

mais intenso. Em concreto, entre 1971

população portuguesa que vive na

(17,5%), a África do Sul (12,1%), a França

e

1980, regressaram 17,1%, entre 1981

Madeira já residiu no estrangeiro, por

(7,5%), Angola (5%), Moçambique

e

1990, 22,5% , e entre 1991 e 2000,

um período contínuo de pelo menos um ano. Trata-se de um indicador

(3,2%), Brasil (2,5%), Suíça (1,5%) e Estados Unidos da América (1,2%).

29,7% por cento. Desde essa altura, a tendência tem sido

superior à média nacional que é de

Atente-se que nas contas do Reino

a

descer, já que, entre 2001 e 2005, a

14,6%.

Unido, a ilha de Jersey surge à parte,

percentagem foi de 14,9%, e entre 2006

Os principais países de destino da população emigrante que reside

com 3,8%. Entre 1971 e 2000, existem três

e

2011, foi de 13,1%.

ATUALIDADES

ATUALIDADES Mais 550 movimentos Mais 553 movimentos e 94.506 passageiros é o balanço positivo do período

Mais 550 movimentos

Mais 553 movimentos e 94.506 passageiros é o balanço positivo do período IATA de Inverno (entre Outubro de 2012 e Março de 2013) no Aeroporto da Madeira. A entrada de novas companhias aéreas, novas rotas e consolidação de mercados tradicionais justificam os números que comprovam as estimativas iniciais da ANAM, SA. O mês de Março foi mais uma vez positivo para os Aeroportos da Madeira. O mês de Março terminou mais uma vez positivo nos Aeroportos da Madeira, quer em termos do número de voos quer em termos do número de passageiros transportados. Assim, o Aeroporto da Madeira registou, relativamente ao mês homólogo, um crescimento de 2.8% nos movimentos (+42 movimentos) e de 9.0% nos passageiros (+14.961 passageiros). O Aeroporto do Porto Santo, por seu turno, encerrou o mês com um crescimento de 14.7% nos movimentos (+20 movimentos) e de 107.0% nos passageiros (+2.129 passageiros). No que diz respeito à caracterização do tráfego do Aeroporto da Madeira, de uma forma generalizada todos os mercados de origem registaram crescimentos, durante o mês em análise e quando comparado com o mesmo período de 2012, não sendo mesmo exceção o tráfego nacional que cresceu 2.8%. De salientar são os aumentos de Espanha (+57.1%), do Reino Unido (+30.2%), de França (+31.2%), da Noruega (+23%) e da Holanda (+20.7%), entre outros. Entre os operadores é de salientar a manutenção dos valores da TAP Portugal, e a tendência de crescimento da Easyjet (+15%), Condor (+42.2%) e da Transavia France (+73.5%), por exemplo. Em resumo, desde o primeiro dia do ano até 31 de Março, o número de passageiros no Aeroporto da Madeira aumentou 6.8% (+29.547 passageiros) e o Aeroporto do Porto Santo cresceu 23.1% (+2.007 passageiros). Estes valores representam um crescimento de passageiros da ANAM, SA de 7.1% em relação ao período homólogo de 2012.

ATUALIDADES

SESARAM acaba em 2014 com as receitas em papel

ATUALIDADES SESARAM acaba em 2014 com as receitas em papel As receitas médicas em papel, passadas

As receitas médicas em papel, passadas em hospitais e centros de saúdes, terminarão em 2014. No decorrer do próximo ano, o serviço público de saúde passará apenas a emitir receituário on-line. O Presidente do Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira (SESARAM) sublinha que, neste momento, a receita de unidose passada nas Urgências hospitalares já é passada eletronicamente para os utentes que optarem por a levantar na farmácia do Hospital. Neste momento, segundo explica Miguel Ferreira, os serviços do SESARAM estão a trabalhar para permitir às farmácias comunitárias terem também acesso a isso, através da Internet. «O que me informaram é que no final do mês estar-se-á em condições de

testar o serviço, por forma a que em final de Maio esteja também aberto

on-line para as farmácias comunitárias», salientou. É que, explica aquele responsável, «neste momento, o doente é questionado, nas Urgências, se quer ir

à farmácia do Hospital, onde poderá

levantar a unidose sem ter que levar

qualquer receita consigo, ou se quer ir

à sua farmácia e então tem que levar a

receita em formato papel». «A partir de Maio, queremos ver se, seja para a farmácia do Hospital seja para as farmácias comunitárias, a unidose receitada nos serviços de Urgência

fique disponibilizada em receita on- line», reforça. Após esse trabalho concretizado, o SESARAM «continuará a trabalhar, no sentido de toda a medicação possa ficar on-line e de todas as receitas passarem,

assim, a ser, independentemente de serem de unidose ou em caixas normais, disponibilizadas on-line». «Quero ver se este trabalho é desenvolvido até finais deste ano, por forma a que nos primeiros meses de 2014 tudo o que é serviço público funcione com prescrição on-line, independentemente de ser na urgência unidose ou de ser no internamento ou na consulta externa. Quero ter todo o serviço público desmaterializado em receitas», anuncia. Miguel Ferreira garante, a propósito, que tudo será feito para que, no próximo ano, em termos de serviço público (centros de saúde e hospitais) acabem as receitas em papel. Depois, «o projecto irá prosseguir, por forma a ser alargado ao sector privado».

ATUALIDADES Apoio financeiro chegou a 14.123 beneficiários Em 2012, foram 14.123 as pessoas que receberam

ATUALIDADES

Apoio financeiro chegou a 14.123 beneficiários

Em 2012, foram 14.123 as pessoas que receberam apoio financeiro (acção social) para medicamentos por parte da Segurança Social da Madeira. No ano de 2011, tinham beneficiado desse mesmo apoio cedido pelo Governo Regional, 13.514 utentes. Ainda segundo os dados disponibilizados, este apoio correspondeu, em termos financeiros, a uma despesa de 500 mil euros (2012) e de 480 mil euros (2011). Os beneficiários dos apoios em questão são pessoas sem condições financeiras suficientes para suportar encargos com medicação. Geralmente, os mais afetados são os idosos, mas esta realidade vai atingindo pessoas de todas as faixas etárias. Refira-se que a aposta no apoio financeiro para medicamentos é uma área em que o Governo Regional tem vindo a investir, ano após ano, aumentando, a pouco e pouco, o número de beneficiários que usufruem desta ajuda do Instituto de Segurança Social da Madeira.

A

título de curiosidade, em 2008,

o

número de pessoas que usufruía

deste apoio era de 11.342. Mais 1.414 beneficiários do que em 2007.

A presidente do Instituto de Segurança

Social da Madeira, Bernardete Vieira,

já alertou, por várias vezes, sobre a

importância desta medida que, embora

já aplicada há alguns anos, passa, por

vezes, à margem de muitas pessoas. Quem não tiver dinheiro para adquirir os medicamentos, poderá dirigir-se à

segurança social da Madeira para abrir

o processo, o qual será, posteriormente, alvo de uma análise. Mediante a comprovação da situação, o apoio poderá ser aprovado.

A Região não quer que existam pessoas

que, por falta de dinheiro, não tenham acesso à sua medicação.

COMUNIDADES

COMUNIDADES Madeira leva frescos para Jersey em Maio A Madeira vai exportar produtos frescos para Jersey,

Madeira leva frescos para Jersey em Maio

A Madeira vai exportar produtos frescos

para Jersey, no próximo mês de Maio.

A novidade foi avançada, na passada

quarta-feira, pelo Secretário Regional do Ambiente e dos Recursos Naturais. Manuel António falava aos jornalistas, após uma reunião com os representantes das empresas que integraram a Missão Empresarial a Jersey, em Março. Segundo adiantou o governante,

o portfólio a ser enviado em Maio

contempla 300 quilos de produtos tropicais, hortícolas e frutícolas, para lojas e mercados com o objectivo de testar o interesse naquela Ilha do Canal. Para tal, a Empresa de Cervejas da Madeira disponibilizou-se a ceder espaço num dos seus contentores para

levar esta carga, numa altura em que viu aumentar a procura pelos seus produtos naquele mercado.

A colaboração demonstrada por

esta empresa regional foi enaltecida por Manuel António Correia, o qual

apelou à necessidade de «trabalhar em conjunto».

O Secretário está, contudo, empenhado

na necessidade de haver mais ligações aéreas entre as duas regiões, porque além de ser uma reivindicação dos emigrantes madeirenses radicados em Jersey, é um fator decisivo para fazer

chegar os produtos regionais àquela Ilha do Canal. Neste sentido, adiantou que ontem já havia contactado com o Presidente da SATA, a fim de perspetivar uma solução

tendo adiantado que o responsável «ficou sensibilizado».

O Secretário Regional fez um balanço «bastante positivo» à deslocação

a Jersey porque «abriu portas e

oportunidades» para potenciar os produtos tradicionais mas também os serviços, o sector financeiro, os transportes e o apoio logístico aos negócios a concretizar. Vitor Calado, do sector bancário, que integrou a comitiva espera que a iniciativa se possa «replicar para outros mercados». Em Junho desloca-se à Região o Baillif de Jersey acompanhado pela

directora geral da Saúde, para rever

a empregabilidade dos enfermeiros madeirenses naquela ilha.

COMUNIDADES

Canal Naminhaterra.com com transmissões em direto

Canal Naminhaterra.com com transmissões em direto Levar a Madeira dos Madeirenses ao mundo é o objetivo

Levar a Madeira dos Madeirenses ao mundo é o objetivo da empresa NAMINHATERRA. NAMINHATERRA.COM é um canal de TV

online com a missão de levar os maiores

e os melhores momentos de festa “ da

minha terra” a todos os emigrantes,

imigrantes e turistas, permitindo assim

o acompanhamento da vida regional a par e passo.

Conta com Duarte Oliveira, Toni Oliveira e Ricardo Oliveira na gerência e com mais três colaboradores a tempo inteiro. Os seus proprietários são irmãos, que embora com formação superior decidiram mudar a sua vida estável para investir neste projeto inovador. Trata-se da realização de um serviço profissional, na cobertura em vídeo, com equipamentos altamente

profissionais de alta definição e a transmissão do mesmo em tempo real, através da internet e no canal NAMINHATERRA.COM. De referir que a empresa já conquistou muitos seguidores assíduos, por todo o mundo, os quais certamente, no futuro próximo, serão muitos mais.

Empresário de sucesso

COMUNIDADES

Empresário de sucesso COMUNIDADES Situado na Guiana, e dirigido por um lusodescendente, o Aeroporto Regional de

Situado na Guiana, e dirigido por um lusodescendente, o Aeroporto Regional de Ogle foi certificado pelas autoridades como estando apto para realizar voos internacionais, revelou hoje à agência Lusa o embaixador de Portugal em Caracas. “Tive a oportunidade de estar presente na inauguração de uma nova valência deste aeroporto regional, situado perto da capital, Georgetown, que, neste momento, é liderado por um descendente de madeirenses, o senhor Michael Orlando Correia Junior”, disse Mário Alberto Lino da Silva, no final de uma visita à Guiana, onde apresentou as cartas credenciais às autoridades locais, uma vez que aquela área pertence à jurisdição da Embaixada de Portugal em Caracas.

Segundo o diplomata, trata-se “de um projecto de desenvolvimento com um interesse importantíssimo para a economia local, na medida em que a nova certificação do Aeroporto Regional de Ogle vai permitir ter ligações ao Brasil, à Venezuela e a outros países da região (América do Sul)”. Michael Orlando Correia Junior é “um empresário de sucesso que certamente poderá continuar a colocar o nome dos seus familiares madeirenses no mais alto ponto de consideração das autoridades e da sociedade guianense”, realçou. De acordo com a imprensa local, a certificação foi entregue na última terça-feira, tendo a LIAT Airline feito um voo inaugural para assinalar a data.

Em declarações aos jornalistas guianenses o lusodescendente explicou que o seu avô e o seu tio-avô, Michael Correia e Eugene Correia, foram os pioneiros, em 1920, do início das operações daquele pequeno aeroporto. O empresário indicou ainda que para obter a certificação avançaram com um projecto de expansão, uma ideia que surgiu há mais de 30 anos e implicou um investimento de seis milhões de dólares. Michael Orlando Correia Junior, 51 anos, é director da Trans Guyana Airways Limited e também da Correia Mining Company, uma empresa que distribui combustíveis para a indústria de mineração, sendo ainda membro fundador e presidente da Aircraft Owners Association of Guyana.

EDUCAÇÃO E CULTURA

Município da Cultura tem retorno

EDUCAÇÃO E CULTURA Município da Cultura tem retorno A Secretária Regional da Cultura, Turismo e Transportes

A Secretária Regional da Cultura, Turismo e Transportes presidiu, no passado domingo, à cerimónia de abertura do Município

da Cultura – Santana 2013, durante a qual enalteceu o investimento feito pelo Governo Regional, a este nível. Conceição Estudante, que se fez acompanhar pelo director da DRAC, João Henrique Silva explicou que os 250 mil euros

investidos em cinco anos no Município da Cultura «multiplicaram-se e vão continuar a multiplicar-se em boas vontades».

O Município da Cultura começou em 2007 na Ponta do Sol, seguiu-se o Funchal em 2008, Câmara de Lobos em 2009, Santa

Cruz em 2010 e Machico em 2011. No ano passado, houve uma interrupção. Durante estes cincos anos, realizaram-se 300 ações culturais desde concertos, exposições, espetáculos, lançamentos editoriais.

A Secretária Regional garantiu que «o Governo está muito satisfeito com esta iniciativa», referindo-se ao facto de Santana ser o

Município da Cultura, título que vai ostentar até Março de 2014.

«Este projecto é um desafio que Santana abraça, de difundir a cultura em todo o concelho e na Região, numa estratégia de divulgação que tem levado o nome de Santana a todo o planeta», sublinhou.

O Presidente da Câmara Municipal de Santana, Rui Moisés considerou que com esta iniciativa, está-se a criar a «8.ª arte em

Santana» porque «olhamos para os grupos, tudo isso é cultura viva, somos o concelho da cultura viva, por isso temos a 8.ª arte, que é a arte do povo destas seis freguesias».

O autarca conta chegar a todos os santanenses espalhados pelo mundo, através da curta-metragem que irá ser apresentada a

26 de Maio, que «é uma homenagem à cultura e ao património de Santana». Rui Moisés adiantou que este será «um ano para mostrar o que temos e de acarinhar projectos de qualidade nas várias áreas na Madeira».

Na cerimónia marcaram presença as entidades do concelho, representantes dos diversos organismos e agrupamentos, que fizeram uma pequena amostra da sua actividade, num dia em que a Banda Municipal de Santana assinalou o seu 87.º aniversário.

EDUCAÇÃO E CULTURA

EDUCAÇÃO E CULTURA Há dez vezes mais alunos a concluir o ensino secundário Comentando o relatório

Há dez vezes mais alunos a concluir o ensino secundário

Comentando o relatório sobre o “Estado da Educação 2012 - Autonomia e Descentralização”, apresentado recentemente pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), o Secretário Regional da Educação e Recursos Humanos, Jaime Freitas, adiantou tratar- se de «um documento muito importante que nos dá uma visão global daquilo que é o estado da educação em Portugal». Destacando a inclusão, pela primeira vez, «de uma forma mais aprofundada», de dados sobre a Região Autónoma da Madeira, Jaime Freitas realça haver «uma certa tendência para a comparação entre regiões, indicando quais as que estão comportando- se melhor e as que têm mais dificuldades». Assim, considera mais importante «valorizar todo o trabalho e esforço que tem sido feito ao longo das últimas décadas e que nos permite chegar a uma situação em que existe uma progressão muito grande em diversos indicadores». Neste âmbito, o Secretário Regional da Educação realça o progresso a nível do analfabetismo, nomeadamente a não obtenção de qualquer grau de escolaridade, que «em 1981 abrangia cerca de 71 mil madeirenses e que hoje, apesar de ainda ser preocupante, é de 28 mil, o que significa uma redução drástica, de 45% para 12%». Salienta também a evolução das taxas de conclusão do ensino secundário, «em que em 1981 não ultrapassava as 3.300 pessoas e que hoje é de cerca de 31 mil pessoas, passando de 4% para 14% de conclusão, o que é muito significativo». Também destaca a evolução das pessoas que obtêm o 12.º ano entre a população jovem que abandonou a escola, entre os 18

e os 24 anos.

«Há aqui um quadro de indicadores que nos orientam e que nos dão uma indicação de que o caminho que estamos a seguir

é o caminho certo e que estes dados nos revelam um resultado de todo um trabalho que tem vindo a ser feito e que deve

ser prosseguido, em prol da qualificação», sublinha, acentuando ainda o crescimento significativo da população madeirense «com licenciatura».

EDUCAÇÃO E CULTURA 95% no Pré- escolar O Secretário Regional da Educação e Recursos Humanos,

EDUCAÇÃO E CULTURA

95% no Pré- escolar

O

Secretário Regional da Educação

e

Recursos Humanos, Jaime Freitas,

garantiu esta semana que o Governo Regional não tem projetado qualquer encerramento de unidades de pré- escolar na Região. Aliás, o parque escolar não deverá

sofrer quaisquer alterações ao que já foi tornado público, ou seja é para manter. Jaime Freitas diz que a Região tem um objectivo que passa por cumprir

a meta definida pela União Europeia

para 2020: uma taxa de 95% de crianças com quatro e cinco anos de idade na

Pré-Escola. Daí que não esteja planeado qualquer encerramento de unidades.

O governante disse ainda desconhecer

qualquer plano de análise do ensino pré-escolar, anunciado pelo Governo da República. Lisboa criou um grupo de trabalho para o efeito. Na Madeira, diz Jaime Freitas, não está prevista essa análise nem sequer a criação de qualquer grupo tendo esse fim. «Relativamente ao Pré-Escolar, o

que me preocupa é que as taxas de frequência da pré-escola se mantenham sem grandes oscilações. Porque acreditamos que uma população com acesso à pré-escola tem melhores condições para atingir um sucesso educativo», concluiu.

EDUCAÇÃO E CULTURA

Sociedades abrem as portas para artistas madeirenses

CULTURA Sociedades abrem as portas para artistas madeirenses O Presidente das Sociedades de Desenvolvimento da Madeira,

O Presidente das Sociedades de Desenvolvimento da Madeira, Paulo Atouguia, aproveitou a assinatura, esta semana, de um

protocolo entre a instituição que representa e a Secretaria Regional da Cultura, Turismo e Transportes, para pedir a Conceição Estudante um mini-bus que pudesse levar os turistas a visitar, pelo menos, o Centro das Artes - Casa das Mudas.

A responsável pelas pastas referidas respondeu prontamente ao desafio, anuindo que era uma boa ideia, mas que a partir

de agora terá de ser amadurecida e terá de ser montada uma base para, a partir dali, ser trabalhado um processo que vá de encontro ao desejo do presidente das Sociedades.

O acordo assinado entre o “Turismo” e a instituição que tem sob a sua alçada vários locais onde os artistas da região podem

atuar, como a Casa das Mudas, o Centro de Congressos do Porto Santo, o Forum Machico e a Casa da Cultura de Câmara de

Lobos, vai ter ao dispor do público os produtos de “merchandising “ da Direcção Regional dos Assuntos Culturais (DRAC), que neste momento não têm qualquer “montra”. Conceição Estudante disse que, acima de tudo, este protocolo procura promover a descentralização dos artistas madeirenses, podendo, assim, divulgar a cultura em todos os concelhos da Região e fomentar a aproximação entre as pessoas, promovendo, por outro lado, os valores que vão surgindo dentro da nossa sociedade.

O facto de aqueles edifícios e outros espaços - como o Parque Temático, as Grutas de São Vicente e o Centro de Ciência Viva,

por exemplo, passarem a ser um veículo de promoção dos produtos da DRAC acaba por poder ser uma «fonte de receitas». Paulo Atouguia realçou, por seu lado, o estreitamento de relações entre as duas instituições, pedindo, também, que sejam potenciados espaços com potencialidades no turismo.

EDUCAÇÃO E CULTURA

EDUCAÇÃO E CULTURA Estalagem da Ponta do Sol acolhe arranque do MFF 2013 O programa do

Estalagem da Ponta do Sol acolhe arranque do MFF 2013

O programa do “Madeira Film Festival 2013” arranca neste próximo sábado, dia 13, na Estalagem da Ponta do Sol, que irá acolher a cerimónia de

encerramento do Projecto Educativo do “Madeira Film Festival 2013”. Um evento marcado para começar

a partir das 20h00 e que irá incluir

a apresentação dos trabalhos

selecionados e a entrega de prémios deste projecto. Tendo por tema “O Bis-Bis – ave endémica da Floresta da Laurissilva da Madeira”, este certame está dividido em duas categorias: “Vídeo” (tendo como júri Vítor Magalhães, Rui Rodrigues e André Loja) e “Fotografia”, com um júri

constituído por Carlos Soares, Carlos Valente e Nuno Serrão.

A este desafio do MFF’2013

concorreram alunos de diversas instituições de ensino, nomeadamente da Escola Secundária de Ponta do Sol, da Escola Secundária Jaime Moniz e da

Escola Profissional Cristóvão Colombo, assim como da Universidade da Madeira.

A anteceder a apresentação dos

trabalhos e a entrega de prémios, Patrícia Vasconcelos irá animar o recinto, a partir das 19h00, com um concerto intitulado “Músicas do Cinema ao Piano”. Refira-se ainda que, no início da

tarde, entre as 15h30 e as 18h30, igualmente, na Estalagem da Ponta do

Sol, o director de fotografia americano Tristan Barnard irá ministrar uma “masterclass”. Uma iniciativa gratuita

e que é destinada, em particular, para

estudantes interessados na área da cinematografia e que falem inglês. «Os participantes serão levados, através

da lente, a pensar a estética do filme, composição e a emoção que a imagem pode transmitir e tonalidade. Serão analisadas as formas convencionais

e não convencionais de iluminação de uma cena», conforme refere a organização.

EDUCAÇÃO E CULTURA

Baltazar Dias exibe cinema italiano de qualidade

E CULTURA Baltazar Dias exibe cinema italiano de qualidade Seis curtas-metragens e duas longas-metragens «de grande

Seis curtas-metragens e duas longas-metragens «de grande qualidade, produzidas no último ano em Itália» são o “prato forte” de hoje, segundo dia do programa da “Festa do Cinema Italiano”. O Teatro Municipal Baltazar Dias irá acolher, assim, a exibição, a partir das 16h30, das curtas “Cargo”, de Carlo Sironi, “Terra”, de Piero Messina, “La colpa”, de Francesco Prisco, “Training Autogeno”, de Astutillo Smeriglia, “Dell’ Ammazzare il maiale”, de Simone Massi e “Cusutu ‘N Coddu (Cucito Addosso)”, de Giovanni La Pàrola. De acordo ainda com os promotores deste festival, às 18h30 será exibido “Gli equilibristi” (na foto), de Ivano De Matteo, «um filme tocante, mas também irónico, sobre a crise social e ética que atingiu a Itália e que através de uma sequência de eventos, quer trágicos quer irónicos, acompanha-nos de mão dada no mundo de um homem, que de repente descobre o quão pequena é a fronteira entre o bem-estar e a pobreza». A última exibição do dia está marcada para as 21h30, com a apresentação de “Una famiglia perfetta”, de Paolo Genovese, que conta «a história de Leone, um homem rico, poderoso e misterioso mas, sobretudo sozinho, e que no Natal decide pagar a um grupo de atores para poder passar os dias de festa em “família” e cujos resultados irão além das suas expectativas».

EDUCAÇÃO E CULTURA

EDUCAÇÃO E CULTURA Simbiose entre Escola e comunidade de Machico A exposição de fotografia “Tributo aos

Simbiose entre Escola e comunidade de Machico

A exposição de fotografia “Tributo aos Avós: Retratos para a História de Machico” foi no passado dia 8 de Abril inaugurada na

Escola Básica e Secundária, com a presença do Secretário Regional de Educação e Recursos Humanos, do Director Regional de Educação e do Presidente da Câmara Municipal de Machico, que foram recebidos pelo Director da escola.

A mostra, que resulta do trabalho efetuado por alunos do 7º e do 8º anos, que procederam a uma recolha de fotografias

antigas sobre a primeira metade do século XX em Machico, apresenta vários retratos de gentes daquela terra. Recordações

guardadas em álbuns das famílias dos alunos, entre outras fontes, como salientou, Raquel Esteves, que coordenou a exposição juntamente com o professor Olavo Teixeira. Foi notório o entusiasmo dos alunos, que também partilharam com a escola o interesse das respectivas famílias em ajudar na recolha fotográfica.

O Secretário Regional de Educação e o Presidente da autarquia partilharam a opinião da importância da ligação entre a

escola e a comunidade, um conceito que tem sido fortemente alimentado naquele concelho por aquele estabelecimento de

ensino. Jaime Freitas elogiou «a simbiose» que tem sido promovida entre a realidade escolar, o trabalho dos alunos e o que

é mostrado para a população, que também interage e absorve o que é ali promovido. António Olim lembrou, a propósito,

a iniciativa nascida naquela escola e que hoje é um cartaz regional e turístico de Machico, mais concretamente, o Mercado

Quinhentista. De salientar que a exposição está inserida na semana de actividades de enriquecimento curricular, organizadas pelo grupo de História, subordinada ao tema “As Voltas do Tempo: Ruturas e Permanências na História de Machico.

EDUCAÇÃO E CULTURA

Músicas da Madeira e Galiza no Fórum Machico

E CULTURA Músicas da Madeira e Galiza no Fórum Machico “Pontes Musicais: da Madeira à Galiza”

“Pontes Musicais: da Madeira à Galiza” foi o nome do espectáculo que teve lugar na última sexta-feira, dia 12 pelas 21 horas, no Fórum Machico. Este evento marcou o encerramento de um encontro que decorreu desde o dia 8 na Região com uma comitiva de três instituições da Galiza (Espanha) — com o objectivo de debater estratégias de defesa e promoção das identidades e culturas regionais no currículo escolar —, contou com a participação de músicos galegos do Conservatório de Música de Pontevedra

e da Associação de Música Tradicional “aCentral Folque”, como também de professores e alunos da Direção de Serviços de

Educação Artística e Multimédia da DRE, músicos da Associação Musical e Cultural Xarabanda e ainda alunos da Escola Básica dos 2.º e 3.º Ciclos Bartolomeu Perestrelo.

A decorrer desde 2011, esta parceria terminará em Maio 2013, intitulando-se de “Património Cultural em Educação Artística:

promover a diversidade e o valor do património musical da Madeira e Galiza, no currículo escolar”. Através desta iniciativa, «pretende-se assim desenvolver a cultura musical no currículo escolar e preservar as tradições populares e eruditas de ambas as regiões, junto das respetivas comunidades escolares». Tal como nos restantes encontros, durante esta semana vão decorrer várias actividades, entre as quais “workshops” de música tradicional (a acontecer na Direção de Serviços de Educação Artística e Multimédia, na associação Xarabanda e em escolas da

Região) e ainda a apresentação dos conteúdos de um DVD-Rom que inclui os resultados dos trabalhos realizados ao longo dos dois anos do projecto.

A produção é da Associação Regional de Educação Artística com o apoio da Sociedade Metropolitana de Desenvolvimento SA.

ECONOMIA E FINANÇAS

ECONOMIA E FINANÇAS «Parceria trará benefícios a todos os signatários» Foi no último dia 8 de

«Parceria trará benefícios a todos os signatários»

Foi no último dia 8 de Abril assinado, no Funchal, um acordo de cooperação para a criação do Cluster Marítimo da

Macaronésia, que junta os Arquipélagos da Madeira, dos Açores e de Canárias,

e que envolve diversas entidades

públicas e privadas das três regiões do Atlântico.

O encontro teve lugar nas instalações

da Associação Comercial e Industrial do Funchal, reunindo cerca de 40 entidades públicas e privadas. A

Secretária Regional da Cultura, Turismo

e Transportes, Conceição Estudante,

marcou presença na sessão de encerramento, que contou, igualmente, com a presença do Secretário Regional do Ambiente e Recursos Naturais, Manuel António Correia. Assim, o acordo de cooperação foi subscrito por um conjunto de entidades impulsionadoras das Canárias, Açores e Madeira (Cluster Marítimo de Canárias, Cluster Marítimo Espanhol, Cluster de Energias Renováveis, do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Cluster

de Excelência Tecnológica, FEMEPA e

FEMETE, Câmaras de Comércio de Gran Canária e Ponta Delgada, Plataforma Oceânica de Canárias, Autoridade Portuária de Las Palmas, Associações Naúticas (Asnáutica e Aenáutica), Associação de Reparações Navais, ACIF- CCIM, Câmara Municipal do Funchal, Administração dos Portos da RAM e a AREAM) e tem por objectivo criar condições para a criação futura de um Cluster Marítimo da Macaronésia. Falando na sessão de encerramento sobre a importância da assinatura deste acordo de cooperação, a Secretária Regional da Cultura, Turismo e Transportes referiu «ver com muito agrado» o referido acordo, destacando que o interesse em «desenvolver de forma conjunta projectos nesta área do mar, quer sejam actividades turísticas, comerciais ou científicas». Neste âmbito, apontou o exemplo de cooperação entre a Madeira e as Canárias «com sucesso» de promoção do turismo de cruzeiros. Conceição Estudante destacou que o acordo de cooperação pode

ainda «potenciar as vantagens do posicionamento» geográfico e geoestratégico das três regiões no Atlântico. Realçou ainda que esta não é uma iniciativa governamental, mas «dos parceiros do acordo», que reúne «organismos e entidades públicas e privadas», que «irão apresentar aos respetivos governos e às diferentes instâncias os seus projectos». Deste modo, realçou ser o Governo Regional da Madeira «um suporte dessas iniciativas e garante de um bom acolhimento e de uma sustentação de todas as iniciativas que vierem a ser apresentadas». De referir que o acordo de cooperação para a criação do Cluster Marítimo da Macaronésia terá como objectivo a dinamização de projectos de desenvolvimento comum no Atlântico, possibilitando um aproveitamento mais eficiente dos instrumentos financeiros previstos na União Europeia para o período de 2014-2010.

ECONOMIA E FINANÇAS

Madeira apresentou o melhor desempenho

ECONOMIA E FINANÇAS Madeira apresentou o melhor desempenho A Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) revelou

A Associação da Hotelaria de Portugal (AHP) revelou esta semana que o sector teve um começo de ano “muito duro”, registando variações negativas em todos os indicadores, de 0,59% na ocupação a 6,1% no preço por quarto disponível. Apesar disso, a Madeira conseguiu apresentar o melhor desempenho, com uma taxa de ocupação de 55,64%. De acordo com o texto, em termos nacionais, no primeiro mês do ano, em termos homólogos face a 2012, deu-se

uma redução de 5,56% no preço médio por quarto ocupado para 55,73 euros

e de 6,1% no preço médio por quarto

disponível para 18,78 euros, enquanto

a taxa de ocupação se fixou nos 33,7%, menos 0,59%. “O início do ano foi muito duro para

a hotelaria. Apesar dos preços mais

baixos, a taxa de ocupação não registou melhorias, excepto nas quatro estrelas. Até a receita média por turista no hotel teve um decréscimo de 2,97%, comparativamente com Janeiro de

2012, ficando nos 98 euros”, disse, em comunicado, a presidente da direcção

executiva da AHP, Cristina Siza Vieira.

O mês de Janeiro, que foi “severamente

castigador” para o Algarve, verificou os melhores desempenhos na Madeira e em Lisboa, com taxas de ocupação de 55,64% e 42,27%, respetivamente, referiu a AHP.

A receita total por quarto disponível foi

de 28,76 euros em Janeiro, uma quebra de 6,62% face ao período homólogo do ano passado.

ECONOMIA E FINANÇAS

ECONOMIA E FINANÇAS Garcês diz ser extemporâneo avançar com medidas O Secretário do Plano e Finanças

Garcês diz ser extemporâneo avançar com medidas

O Secretário do Plano e Finanças da Madeira diz ser “extemporâneo” avançar com as medidas que o Governo madeirense terá

de adotar para contornar o desequilíbrio provocado pelo chumbo do Tribunal Constitucional a normas do Orçamento de

2013.

“Essas medidas, tal como já foi anunciado publicamente, passarão sempre pelo lado da contenção da despesa e nunca pelo lado da receita, até porque é convicção do Governo Regional que os madeirenses não aguentam mais impostos”, afirmou Ventura Garcês, numa resposta escrita dirigida a um pedido da Agência Lusa para comentar as declarações de domingo do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.

O governante insular sublinhou que “quaisquer outros factos ou pormenores avançados serão, neste momento,

extemporâneos”. O responsável do executivo regional declarou que “a exemplo da República, o Governo Regional irá estudar as medidas que se manifestem mais justas e equilibradas, para fazer face ao desequilíbrio aberto no Orçamento em 2013”.

O Secretário Regional referiu que o chumbo do Tribunal Constitucional às normas do Orçamento do Estado significa que o

Governo madeirense terá de encontrar soluções para “acomodar” o acréscimo de 30 milhões na despesa pública regional. Ventura Garcês argumentou que “tudo isto, se por um lado para o Orçamento Regional representa um acréscimo de despesa, por outro tem um benefício social, porque as famílias terão maiores rendimentos, o que vem atenuar as dificuldades”.

O Tribunal Constitucional chumbou o corte do subsídio de férias para o sector público, pensionistas e contratos de docência e

investigação, bem como a criação de uma taxa sobre o subsídio de doença e desemprego. No total, estes cortes podem custar mais de 1.350 milhões de euros, de acordo com contas da agência Lusa.

RELIGIÃO

RELIGIÃO Pároco da Camacha pede ajuda nas obras As obras de recuperação da igreja matriz da

Pároco da Camacha pede ajuda nas obras

As obras de recuperação da igreja matriz da Camacha, que tiveram início em Janeiro deste ano, decorrem a bom ritmo. Esta garantia foi dada pelo pároco da Camacha, Pe. Duarte Gomes. Contudo, e apesar da paróquia ver aprovada a candidatura aos fundos comunitários e das ofertas dos paroquianos, «não chega para tudo», afirmou. O pároco espera contar com o apoio das entidades, sobretudo, para a 3.ª e última fase do projecto estimada em 309.985 euros, que visa a parte artística. «Ainda estamos a contar com a possibilidade da ajuda da parte das nossas autoridades, do Governo Regional através da Secretaria Regional da Cultura, Turismo e Transportes da qual depende a DRAC, mas também da Câmara Municipal de Santa Cruz, Junta de Freguesia e Casa do Povo da

Camacha, a ver se conseguimos levar avante a terceira fase da reconstrução da igreja antiga que tem a ver com a parte artística», apontou. Esta obra tem um custo total estimado em 693.125.47 euros. Já foram aprovadas verbas que vão dar para a 1.ª fase e parte da 2.ª fase, que visam obras de construção civil. Estas verbas decorrem de uma candidatura ao eixo 3 do PRODERAM, através da ACAPORAMA que não ultrapassa os 250 mil euros. Deste montante, 85% vem do PRODERAM, ou seja, 212.369.53 euros, dos quais, 180.514.10 euros da União Europeia e os restantes 31.855.43 do Orçamento Regional. Os demais 15% terão que ser assumidos pela paróquia, ou seja, 37.476.98 euros. Neste sentido, foi estipulado que o ofertório das Eucaristias do 1.º fim de semana de cada mês são em

favor da igreja antiga. Há ofertas que

as pessoas podem dar em outras

ocasiões, diretamente ao pároco ou por transferência bancária.

O Pe. Duarte Gomes garantiu que em

relação à 1.ª fase que está a decorrer, «a situação está equilibrada do ponto de vista orçamental». A igreja matriz «é um edifício classificado, de interesse local merece toda a nossa atenção», reiterou. «Julgo que estamos a conseguir aos poucos concretizar». No entanto, pese embora venha a ser «mais um foco de interesse da Camacha

) (

a igreja antiga, apenas como uma curiosidade, como uma atracão turística ou uma peça de museu mas víssemos como casa de Deus» que «ajude a despertar a comunidade», exclamou.

eu gostaria que não víssemos

RELIGIÃO

Aniversário de D. António Carrilho

RELIGIÃO Aniversário de D. António Carrilho D. António Carrilho celebrou na passada quinta-feira o seu aniversário

D.

António Carrilho celebrou na passada quinta-feira o seu aniversário natalício.

D.

António José Cavaco Carrilho nasceu a 11 de Abril de 1942, em S. Clemente de Loulé, no Algarve, tendo entrado para

o Seminário de Faro em Outubro de 1953, frequentando depois o Seminário dos Olivais, onde fez os cursos filosófico e teológico. O Bispo do Funchal foi ordenado sacerdote numa cerimónia realizada na Sé de Faro a 28 de Julho de 1965, exercendo durante os 12 anos seguintes atividade pastoral na Diocese do Algarve. Em Outubro de 1977 entrou para a Universidade Católica, em Lisboa, onde se licenciou em Teologia, passando depois

a trabalhar na Conferência Episcopal Portuguesa, onde desempenhou várias funções, entre as quais a de Director do

Secretariado Nacional de Educação Cristã, tendo a seu cargo os contactos, em nome da Igreja Católica, com o Ministério da Educação. Entre outras, desempenhou as funções de Director do Secretariado Geral do Episcopado, Director e Chefe de redação da revista Lúmen e Cónego da Sé de Faro, tendo sido também membro da Comissão Paritária Igreja/Estado, criada para estudar e resolver problemas relacionados com o património cultural de interesse comum. A 21 de Fevereiro de 1999 foi nomeado Bispo Titular de Tamalluma e Bispo Auxiliar do Porto, tendo a sua entrada na diocese portuense ocorrido a 03 de Junho desse ano, uma semana depois da cerimónia de ordenação episcopal, realizada na Igreja de S. Pedro do Mar, na Quarteira. Na Diocese do Porto foi nomeado Vigário Geral por D. Armindo Lopes Coe lho, bispo titular, que também lhe entregou o acompanhamento dos sectores do Apostolado dos Leigos e da Educação Cristã, além do Conselho Diocesano. No campo editorial, D. António Carrilho é autor de vários trabalhos no âmbito da educação cristã e da catequese, nomeadamente, programas e manuais para o ensino religioso nas escolas.

DESPORTO «Os mais bonitos Jogos da Madeira» Em representação do Presidente do Governo Regional, coube

DESPORTO

«Os mais bonitos Jogos da Madeira»

Em representação do Presidente do

Governo Regional, coube ao Vice- presidente João Cunha e Silva abrir

oficialmente a edição 2013 da Festa

do Desporto Escolar/Jogos Especiais.

O governante agradeceu «a todos

os que colaboraram nesta fantástica cerimónia e a todos aqueles que já ganharam, mesmo antes de terem início as competições», nuns Jogos

que classificou como «os mais bonitos

da

Madeira». Presentes na bancada

VIP

do Estádio dos Barreiros, entre

outras personalidades, estiveram o Secretário Regional da Educação e Recursos Humanos, Jaime Manuel Freitas, o Secretário Regional do Ambiente e Recursos Naturais,

Manuel António Correia, o Director de Serviços do Desporto Escolar, Elmano Santos, bem como o Presidente do Club Sport Marítimo, Carlos Pereira.

Em

apoteose, com todo o estádio de

a aplaudir sem parar, momentos

antes da declaração oficial, outros momentos altos da noite de ontem

foram o acender da “chama olímpica”, a cargo do atleta internacional do

CD “Os Especiais”, Samuel Freitas,

e do ex-coordenador do Gabinete

do Desporto Escola, António Jorge

Andrade, e a entoação dos hinos da Região e de Portugal. Um espectáculo gímnico que encantou, que transmitiu

todas as vertentes, polivalências

e potencialidades da água e que

terminou com a mensagem: «É dando

que se recebe».

DESPORTO

DESPORTO Cerca de 1.800 estudantes, entre crianças e jovens, deram na passada terça-feira à noite, no

Cerca de 1.800 estudantes, entre

crianças e jovens, deram na passada terça-feira à noite, no Estádio dos Barreiros, no Funchal, corpo e alma

a mais uma majestosa Cerimónia

de Abertura da Festa do Desporto Escolar de 2013. Sob o tema “Aprender

com a água”, a edição deste ano, pela 2.ª vez consecutiva, volta a reunir, num só evento, o Desporto Escolar

e os Jogos Especiais, estes últimos

abrangendo as crianças e os jovens com necessidades educativas especiais. O recinto dos “verde-rubros”, cedido para

o efeito, voltou a se revelar pequeno

para acolher tantos interessados em observar “in-loco” o espectáculo coordenado por Manuela Vieira, que contou com as atuações de diversos grupos de dança e música, tais colo “Dançando com a Diferença”, “Grupo do Conservatória de Dança”, Coro

Infantil do Gabinete Escolar”, Prestige Dance”, bem como núcleos de teatro das escolas. Pelo Estádio dos Barreiros passaram ainda os recentes vencedores

do Festival Infantil e Juvenil de Música da Madeira, evento que finalizou domingo, respetivamente Beatriz Martinho e Pedro Garcia, que foram vivamente ovacionados. Objetivamente,

a mensagem passada - com o recurso

à “Gota de Água” - , foi no sentido

da valorização de um bem essencial como é a água, iniciando-se com uma

visão global do seu valor até “chegar”

à Madeira, onde, especificamente,

foi feita uma incursão pelas levadas,

sempre no contexto pedagógico da

sua importância. Caía a noite na cidade quando começou o espectáculo de cerca de uma hora e 45 minutos, num recinto às escuras, com os holofotes

a incidirem sobre os verdadeiros

protagonistas: escolas e padrinhos/ madrinhas. Tal como é habitual, o certame contou com o desfile de dois alunos de cada estabelecimento de ensino, acompanhados pelos respetivos padrinhos/madrinhas, incluindo os alunos do Ensino Especial, ou não fosse esta integração uma forma de plena integração desses jovens. No total, de hoje a sexta-feira, são mais de 7.600 os estudantes envolvidos na iniciativa, disputando as vitórias para as cores das suas escolas, nas mais diversas modalidades. Provenientes da Educação Especial, em acção vão estar 750 praticantes, em representação de 32 estabelecimentos escolares. Já no que toca aos mais jovens, do 1.º Ciclo, teremos 724 crianças de 56 escolas, enquanto que o maior contingente, o do ensino básico e secundário, congrega 6.200 alunos, de 40 escolas.

www.visitmadeira.pt srt.gov-madeira.pt comunidadesmadeirenses.srt@gov-madeira.pt Tel. 00 351 291 203 800 REGIÃO
Tel. 00 351 291 203 800 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA GOVERNO REGIONAL SECRETARIA

REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA

GOVERNO REGIONAL

SECRETARIA REGIONAL DA CULTURA, TURISMO E TRANSPORTES

CENTRO DAS COMUNIDADES MADEIRENSES

DA MADEIRA GOVERNO REGIONAL SECRETARIA REGIONAL DA CULTURA, TURISMO E TRANSPORTES CENTRO DAS COMUNIDADES MADEIRENSES 30
DA MADEIRA GOVERNO REGIONAL SECRETARIA REGIONAL DA CULTURA, TURISMO E TRANSPORTES CENTRO DAS COMUNIDADES MADEIRENSES 30